Drospirenona + Etinilestradiol

DCI com Advertência na Gravidez
O que é
Drospirenona / Etinilestradiol é uma pílula contracetiva, combinação de progesterona e estrogénio.

Funciona inibindo a ovulação, espessando o muco no colo uterino, e alterando o revestimento do útero.
Usos comuns
Prevenção da gravidez. Também pode ser usado para outras condições, tal como determinado pelo Médico.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Contraceção oral.
Classificação CFT

8.5.1.2 : Anticoncecionais

Mecanismo De Ação
O efeito contracetivo de Drospirenona / Etinilestradiol baseia-se na interação de vários fatores, considerando-se como os mais importantes a inibição da ovulação e as alterações do endométrio.

Drospirenona / Etinilestradiol é um contracetivo oral combinado com Etinilestradiol e o progestagénio Drospirenona.

Numa dose terapêutica, a Drospirenona também possui propriedades antiandrogénicas e antimineralocorticóides ligeiras.

Não tem qualquer atividade estrogénica, glucocorticóide e antiglucocorticóide.

Isto confere à Drospirenona um perfil farmacológico semelhante à hormona natural progesterona.

Não existem indicações de estudos clínicos de que as propriedades antimineralocorticóides ligeiras de Drospirenona / Etinilestradiol resultem num efeito antimineralocorticóide ligeiro.

Com a utilização de COC com dose mais elevada (50 μg Etinilestradiol) o risco de cancro do endométrio e dos ovários é reduzido.

O fato de isto também se aplicar aos COC de dose mais reduzida permanece por confirmar.
Posologia Orientativa
Tomar um comprimido todos os dias, durante 21 dias consecutivos.

Devem ser tomados todos os dias, aproximadamente à mesma hora, se necessário com algum líquido, pela ordem indicada na embalagem blister.
Administração
Os comprimidos devem ser tomados todos os dias, aproximadamente à mesma hora, se necessário com algum líquido, pela ordem indicada no blister.

Tomar um comprimido todos os dias, durante 21 dias consecutivos.

Cada embalagem subsequente será iniciada após o intervalo sem medicamento de 7 dias, período em que ocorre a hemorragia de privação.

A hemorragia de privação tem início, normalmente, 2-3 dias após a toma do último comprimido e pode não ter terminado antes de iniciar a embalagem seguinte.
Contraindicações
Os contracetivos orais combinados (COC) não devem ser utilizados na presença de qualquer uma das condições indicadas na lista abaixo. Caso qualquer uma das condições apareça pela primeira vez durante a utilização de COC, o produto deve ser interrompido imediatamente.

Trombose venosa atual ou anterior (trombose venosa profunda, embolismo pulmonar).

Trombose arterial atual ou anterior (por ex., enfarte do miocárdio) ou sintomas prodrómicos (por ex., angina petoris e acidente isquémico transitório).

Acidente vascular cerebral atual ou anterior.

A presença de um ou de vários fatores de risco graves de trombose arterial
Diabetes mellitus com sintomas vasculares
Hipertensão grave
Dislipoproteinemia grave.

Predisposição hereditária ou adquirida para trombose venosa ou arterial, tal como resistência APC, deficiência de antitrombina III, deficiência de proteína C, deficiência de proteína S, hiperhomocisteinemia e anticorpos antifosfolípidos (anticorpos anticardiolipina, anticoagulante lúpico).

Pancreatite ou história da mesma, se associada a hipertrigliceridemia grave.

Presença ou história de doença hepática grave, desde que os valores da função hepática não tenham regressado ao normal.

Insuficiência renal grave ou insuficiência renal aguda.

Presença ou história de tumores do fígado (benignos ou malignos).

Existência ou suspeita de neoplasias influenciadas por esteróides sexuais (por ex., dos órgãos genitais ou da mama).

Hemorragia vaginal não diagnosticada.

História de enxaqueca com sintomas neurológicos focais.

Hipersensibilidade às substâncias ativas.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Efeitos secundários frequentes (que afetam mais do que 1 em 100 mulheres, mas em menos do que 1 em 10 mulheres): instabilidade emocional, dor de cabeça, dor abdominal, acne, dor mamária, aumento dos seios, menstruações dolorosas ou irregulares, aumento de peso.

Pouco frequentes (que afetam mais do que 1 em 1.000 mulheres, mas em menos do que 1 em 100 mulheres): infecção vaginal, herpes simplex (nos lábios), reacções alérgicas que podem, por vezes, ser graves (angioedema) com inchaço cutâneo e/ou mucosa, aumento do apetite, depressão, nervosismo, perturbações do sono, diminuição da líbido, formigueiro, vertigem, problemas de visão, batimento cardíaco irregular ou invulgarmente rápido, coágulos (trombose) num vaso sanguíneo da perna ou pulmão (embolismo pulmonar), aumento da tensão arterial, enxaqueca, varizes, garganta inflamada, inchaço do estômago e/ou intestinos, náusea, vómito, diarreia, obstipação, queda de cabelo, prurido, erupção cutânea, pele seca, dermatite seborreica, dor de pescoço, dor nas extremidades, cãibras, infecção da bexiga, caroços no peito, produção de um líquido leitoso dos mamilos, quistos nos ovários, rubor, ausência de menstruação, menstruação excessiva, secreção vaginal, secura vaginal, dor abdominal, manchas cervicais anormais, retenção de líquidos, falta de energia, sensação de sede excessiva, aumento da transpiração, perda de peso.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Contra-indicado. Evidência fetal em animais, mas a necessidade pode justificar o risco. Trimestre: 1º, 2º e 3º
Precauções Gerais
A Drospirenona/Etinilestradiol pode aumentar o risco de acidente vascular cerebral, ataque cardíaco, coágulos sanguíneos, pressão arterial elevada, ou problemas semelhantes.
O risco é maior para os fumadores. Não fumar ou utilizar outros produtos do tabaco, contendo Drospirenona/Etinilestradiol.

Pode ocorrer sangramento enquanto estiver a tomar Drospirenona/Etinilestradiol. Não pare de tomar Drospirenona/Etinilestradiol se isso ocorrer.

Se o sangramento é uma mancha contínua ou é espesso, contacte o seu Médico. Se o período não ocorre quando previsto, se tiver sensibilidade mamária incomum ou sintomas de doença pela manhã, contacte o seu Médico imediatamente. Estes sintomas podem indicar que está grávida.

A eficácia da Drospirenona/Etinilestradiol pode ser diminuída por alguns medicamentos (por exemplo, antibióticos, medicamentos para convulsões, erva de São João) ou condições (por exemplo, vómitos ou diarreia). Isso pode causar hemorragias ou aumentar o risco de uma gravidez não planeada, se tiver relações sexuais.

Para evitar a gravidez, utilizar uma outra forma de controle de natalidade (por exemplo, preservativos). Fale com o seu Médico ou Farmacêutico para mais informações.

A Drospirenona/Etinilestradiol contém Drospirenona.
O risco de desenvolver um coágulo de sangue pode ser maior com o controle de natalidade que contém Drospirenona do que com outras pílulas anticoncepcionais.

Converse com seu Médico sobre os benefícios e riscos do estradiol.

Drospirenona/Etinilestradiol ou outras pílulas anticoncepcionais.
Informe o seu Médico ou dentista que está a tomar Drospirenona/Etinilestradiol, antes de receber qualquer assistência médica ou odontológica, atendimento de emergência, ou cirurgia.

Se possível, a Drospirenona/Etinilestradiol deve ser interrompida pelo menos 4 semanas antes de cirurgia ou a qualquer momento pode estar confinado a uma cama ou cadeira por um longo período de tempo (por exemplo, viagem de avião longa, repouso absoluto, ou doença prolongada).

Geralmente não deve tomar Drospirenona/Etinilestradiol dentro das 4 a 6 semanas após o parto. Discutir quaisquer questões ou preocupações com o seu Médico.

A Drospirenona/Etinilestradiol pode causar manchas escuras da pele em seu rosto. A exposição ao sol pode tornar essas manchas mais escuras. Se as manchas se desenvolverem, usar um protetor solar ou roupas de proteção quando exposta ao sol, lâmpadas solares ou cabines de bronzeamento.

– Se usar lentes de contacto e desenvolver problemas com elas ou outras alterações na visão, contacte o seu Médico.

– Pode enfrentar um atraso na capacidade de engravidar depois de parar a toma de Drospirenona/Etinilestradiol.

Este efeito pode ser maior em pacientes que tiveram períodos irregulares antes de iniciar Drospirenona/Etinilestradiol. Discutir quaisquer preocupações com o seu Médico ou Farmacêutico.

– A Drospirenona/Etinilestradiol não impede a propagação do HIV e outras doenças sexualmente transmissíveis (DST) a terceiros, através do sangue ou contacto sexual.
Use os métodos de barreira de controle de natalidade (por exemplo, preservativos) se tiver uma infeção por HIV ou uma DST.

– Quando o fornecimento de medicamentos é baixo, obter mais de seu Médico ou Farmacêutico o mais depressa que puder. Não abandone a medicação. A oportunidade de engravidar pode ser aumentada se não tomar Drospirenona/Etinilestradiol todos os dias como indicado.

– Pacientes com diabetes
– A Drospirenona/Etinilestradiol pode afetar o açúcar no sangue. Vigiar de perto os níveis de açúcar no sangue. Fale com o seu Médico antes de alterar a dose do seu medicamento para a diabetes.

– Exames laboratoriais, incluindo exames de mama, Papanicolau, exames Médicos, e pressão arterial, podem ser executados enquanto usa Drospirenona/Etinilestradiol.
Estes testes podem ser usados ​​para monitorizar sua condição ou a verificação de efeitos secundários. Certifique-se de manter todas as consultas médicas e de exames laboratoriais.

– Examine mensalmente os seios, conforme indicado pelo seu Médico. Assinalar todas as protuberâncias imediatamente.

– A Drospirenona/Etinilestradiol pode interferir com alguns testes laboratoriais.

Certifique-se de que o seu Médico e os técnicos do laboratório sabem que está a tomar Drospirenona/Etinilestradiol.

– A Drospirenona/Etinilestradiol não deve ser utilizado em crianças que ainda não iniciaram a menstruação, dado que a segurança e eficácia nessas crianças não foram confirmados.

– Gravidez e aleitamento: Não tome Drospirenona/Etinilestradiol se estiver grávida.

Se acha que pode ficar grávida, contacte o seu Médico imediatamente.

A Drospirenona/Etinilestradiol é encontrado no leite materno.

Não amamentar enquanto estiver a tomar Drospirenona/Etinilestradiol.
Cuidados com a Dieta
Pode tomar os comprimidos com ou sem alimentos, mas deve tomá-los aproximadamente à mesma hora todos os dias.
Terapêutica Interrompida
Se estiver atrasada menos de 12 horas na toma de um comprimido, a proteção da gravidez não está reduzida. Tome o comprimido assim que se lembrar e os comprimidos seguintes à hora habitual.

Se estiver atrasada mais de 12 horas na toma de um comprimido, a proteção da gravidez pode estar reduzida. Quantos mais comprimidos se tiver esquecido de tomar, mais elevado é o risco de redução do efeito contracetivo.

O risco de proteção reduzida da gravidez é mais elevado se esquecer de tomar o comprimido no início ou fim da semana 3 - 3ª fila da embalagem.

Assim, deverá adotar as seguintes medidas: Esquecer-se de tomar mais do que um comprimido de uma embalagem Consulte o seu Médico.

Esquecer-se de tomar um comprimido na semana 1 Tome o comprimido que se esqueceu de tomar assim que se lembrar, mesmo que isso signifique que tem de tomar dois comprimidos ao mesmo tempo.

Continue a tomar os comprimidos seguintes à hora habitual e tome precauções adicionais, por exemplo, um preservativo, nos 7 dias seguintes. Se teve relações sexuais na semana anterior a se ter esquecido de tomar o comprimido, existe o risco de estar grávida. Neste caso, consulte o seu Médico.

Esquecer-se de tomar um comprimido na semana 2 Tome o comprimido que se esqueceu de tomar assim que se lembrar, mesmo que isso signifique que tem de tomar dois comprimidos ao mesmo tempo.

Continue a tomar os comprimidos seguintes à hora habitual. O efeito contracetivo não será reduzido e não terá de tomar precauções adicionais.

Esquecer-se de tomar um comprimido na semana 3.
Pode escolher uma de duas possibilidades: Tome o comprimido que se esqueceu de tomar assim que se lembrar, mesmo que isso signifique que tem de tomar dois comprimidos ao mesmo tempo. Continue a tomar os comprimidos seguintes à hora habitual. Em vez de fazer uma semana sem medicamento, comece a tomar a embalagem seguinte.

Irá, provavelmente, ter uma menstruação (hemorragia de privação) no final da segunda embalagem, mas também pode ter spotting ou hemorragia quando estiver a tomar a segunda embalagem.
Cuidados no Armazenamento
Manter fora do alcance e da vista das crianças.
O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Drospirenona + Etinilestradiol + Barbitúricos

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: As interações entre os contracetivos orais e outros medicamentos podem conduzir a hemorragia de disrupção e/ou insucesso do contracetivo. Foram comunicadas as seguintes interações na literatura. Esta situação foi estabelecida com hidantoínas, barbitúricos, primidona, carbamazepina e rifampicina; suspeita-se também da oxcarbazepina, topiramato, felbamato, ritonavir, griseofulvina e do hipericão ou Erva de S. João (Hypericum perforatum). O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades indutoras de enzimas hepáticas destas substâncias activas. A indução enzimática máxima não é, normalmente, observada durante 2-3 semanas, mas pode, depois, ser mantida durante pelo menos 4 semanas após a cessação da terapêutica com o medicamento. As mulheres em tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer uma das classes de medicamentos ou substâncias activas individuais acima mencionadas devem utilizar, temporariamente, um método de barreira para além dos COC, ou seja, durante o período de administração concomitante dos medicamentos e durante 7 dias após a sua descontinuação.

Drospirenona + Etinilestradiol + Hidantoínas

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: As interações entre os contracetivos orais e outros medicamentos podem conduzir a hemorragia de disrupção e/ou insucesso do contracetivo. Foram comunicadas as seguintes interações na literatura. Esta situação foi estabelecida com hidantoínas, barbitúricos, primidona, carbamazepina e rifampicina; suspeita-se também da oxcarbazepina, topiramato, felbamato, ritonavir, griseofulvina e do hipericão ou Erva de S. João (Hypericum perforatum). O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades indutoras de enzimas hepáticas destas substâncias activas. A indução enzimática máxima não é, normalmente, observada durante 2-3 semanas, mas pode, depois, ser mantida durante pelo menos 4 semanas após a cessação da terapêutica com o medicamento. As mulheres em tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer uma das classes de medicamentos ou substâncias activas individuais acima mencionadas devem utilizar, temporariamente, um método de barreira para além dos COC, ou seja, durante o período de administração concomitante dos medicamentos e durante 7 dias após a sua descontinuação.

Drospirenona + Etinilestradiol + Primidona

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: As interações entre os contracetivos orais e outros medicamentos podem conduzir a hemorragia de disrupção e/ou insucesso do contracetivo. Foram comunicadas as seguintes interações na literatura. Esta situação foi estabelecida com hidantoínas, barbitúricos, primidona, carbamazepina e rifampicina; suspeita-se também da oxcarbazepina, topiramato, felbamato, ritonavir, griseofulvina e do hipericão ou Erva de S. João (Hypericum perforatum). O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades indutoras de enzimas hepáticas destas substâncias activas. A indução enzimática máxima não é, normalmente, observada durante 2-3 semanas, mas pode, depois, ser mantida durante pelo menos 4 semanas após a cessação da terapêutica com o medicamento. As mulheres em tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer uma das classes de medicamentos ou substâncias activas individuais acima mencionadas devem utilizar, temporariamente, um método de barreira para além dos COC, ou seja, durante o período de administração concomitante dos medicamentos e durante 7 dias após a sua descontinuação.

Drospirenona + Etinilestradiol + Carbamazepina

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: As interações entre os contracetivos orais e outros medicamentos podem conduzir a hemorragia de disrupção e/ou insucesso do contracetivo. Foram comunicadas as seguintes interações na literatura. Esta situação foi estabelecida com hidantoínas, barbitúricos, primidona, carbamazepina e rifampicina; suspeita-se também da oxcarbazepina, topiramato, felbamato, ritonavir, griseofulvina e do hipericão ou Erva de S. João (Hypericum perforatum). O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades indutoras de enzimas hepáticas destas substâncias activas. A indução enzimática máxima não é, normalmente, observada durante 2-3 semanas, mas pode, depois, ser mantida durante pelo menos 4 semanas após a cessação da terapêutica com o medicamento. As mulheres em tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer uma das classes de medicamentos ou substâncias activas individuais acima mencionadas devem utilizar, temporariamente, um método de barreira para além dos COC, ou seja, durante o período de administração concomitante dos medicamentos e durante 7 dias após a sua descontinuação.

Drospirenona + Etinilestradiol + Rifampicina

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: As interações entre os contracetivos orais e outros medicamentos podem conduzir a hemorragia de disrupção e/ou insucesso do contracetivo. Foram comunicadas as seguintes interações na literatura. Esta situação foi estabelecida com hidantoínas, barbitúricos, primidona, carbamazepina e rifampicina; suspeita-se também da oxcarbazepina, topiramato, felbamato, ritonavir, griseofulvina e do hipericão ou Erva de S. João (Hypericum perforatum). O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades indutoras de enzimas hepáticas destas substâncias activas. A indução enzimática máxima não é, normalmente, observada durante 2-3 semanas, mas pode, depois, ser mantida durante pelo menos 4 semanas após a cessação da terapêutica com o medicamento. As mulheres em tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer uma das classes de medicamentos ou substâncias activas individuais acima mencionadas devem utilizar, temporariamente, um método de barreira para além dos COC, ou seja, durante o período de administração concomitante dos medicamentos e durante 7 dias após a sua descontinuação. As mulheres que tomam rifampicina devem utilizar um método de barreira, para além dos COC, durante o período de administração da rifampicina e durante 28 dias após a sua descontinuação. Se a administração do medicamento concomitante se prolongar para além do fim dos comprimidos da embalagem de blister de COC, a embalagem de COC seguinte deve ser iniciada sem o habitual intervalo sem comprimido. Os peritos recomendam que as mulheres em tratamento de longo prazo com medicamentos indutores de enzimas hepáticas aumentem as doses de esteróides contracetivos. Se não for desejável uma dose de contracetivo elevada ou se essa dose parecer insatisfatória ou não fiável, por ex. no caso de hemorragia de disrupção, deve ser aconselhada a utilização de outro método contracetivo não hormonal.

Drospirenona + Etinilestradiol + Oxcarbazepina

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: As interações entre os contracetivos orais e outros medicamentos podem conduzir a hemorragia de disrupção e/ou insucesso do contracetivo. Foram comunicadas as seguintes interações na literatura. Esta situação foi estabelecida com hidantoínas, barbitúricos, primidona, carbamazepina e rifampicina; suspeita-se também da oxcarbazepina, topiramato, felbamato, ritonavir, griseofulvina e do hipericão ou Erva de S. João (Hypericum perforatum). O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades indutoras de enzimas hepáticas destas substâncias activas. A indução enzimática máxima não é, normalmente, observada durante 2-3 semanas, mas pode, depois, ser mantida durante pelo menos 4 semanas após a cessação da terapêutica com o medicamento. As mulheres em tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer uma das classes de medicamentos ou substâncias activas individuais acima mencionadas devem utilizar, temporariamente, um método de barreira para além dos COC, ou seja, durante o período de administração concomitante dos medicamentos e durante 7 dias após a sua descontinuação.

Drospirenona + Etinilestradiol + Topiramato

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: As interações entre os contracetivos orais e outros medicamentos podem conduzir a hemorragia de disrupção e/ou insucesso do contracetivo. Foram comunicadas as seguintes interações na literatura. Esta situação foi estabelecida com hidantoínas, barbitúricos, primidona, carbamazepina e rifampicina; suspeita-se também da oxcarbazepina, topiramato, felbamato, ritonavir, griseofulvina e do hipericão ou Erva de S. João (Hypericum perforatum). O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades indutoras de enzimas hepáticas destas substâncias activas. A indução enzimática máxima não é, normalmente, observada durante 2-3 semanas, mas pode, depois, ser mantida durante pelo menos 4 semanas após a cessação da terapêutica com o medicamento. As mulheres em tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer uma das classes de medicamentos ou substâncias activas individuais acima mencionadas devem utilizar, temporariamente, um método de barreira para além dos COC, ou seja, durante o período de administração concomitante dos medicamentos e durante 7 dias após a sua descontinuação.

Drospirenona + Etinilestradiol + Felbamato

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: As interações entre os contracetivos orais e outros medicamentos podem conduzir a hemorragia de disrupção e/ou insucesso do contracetivo. Foram comunicadas as seguintes interações na literatura. Esta situação foi estabelecida com hidantoínas, barbitúricos, primidona, carbamazepina e rifampicina; suspeita-se também da oxcarbazepina, topiramato, felbamato, ritonavir, griseofulvina e do hipericão ou Erva de S. João (Hypericum perforatum). O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades indutoras de enzimas hepáticas destas substâncias activas. A indução enzimática máxima não é, normalmente, observada durante 2-3 semanas, mas pode, depois, ser mantida durante pelo menos 4 semanas após a cessação da terapêutica com o medicamento. As mulheres em tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer uma das classes de medicamentos ou substâncias activas individuais acima mencionadas devem utilizar, temporariamente, um método de barreira para além dos COC, ou seja, durante o período de administração concomitante dos medicamentos e durante 7 dias após a sua descontinuação.

Drospirenona + Etinilestradiol + Ritonavir

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: As interações entre os contracetivos orais e outros medicamentos podem conduzir a hemorragia de disrupção e/ou insucesso do contracetivo. Foram comunicadas as seguintes interações na literatura. Esta situação foi estabelecida com hidantoínas, barbitúricos, primidona, carbamazepina e rifampicina; suspeita-se também da oxcarbazepina, topiramato, felbamato, ritonavir, griseofulvina e do hipericão ou Erva de S. João (Hypericum perforatum). O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades indutoras de enzimas hepáticas destas substâncias activas. A indução enzimática máxima não é, normalmente, observada durante 2-3 semanas, mas pode, depois, ser mantida durante pelo menos 4 semanas após a cessação da terapêutica com o medicamento. As mulheres em tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer uma das classes de medicamentos ou substâncias activas individuais acima mencionadas devem utilizar, temporariamente, um método de barreira para além dos COC, ou seja, durante o período de administração concomitante dos medicamentos e durante 7 dias após a sua descontinuação.

Drospirenona + Etinilestradiol + Griseofulvina

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: As interações entre os contracetivos orais e outros medicamentos podem conduzir a hemorragia de disrupção e/ou insucesso do contracetivo. Foram comunicadas as seguintes interações na literatura. Esta situação foi estabelecida com hidantoínas, barbitúricos, primidona, carbamazepina e rifampicina; suspeita-se também da oxcarbazepina, topiramato, felbamato, ritonavir, griseofulvina e do hipericão ou Erva de S. João (Hypericum perforatum). O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades indutoras de enzimas hepáticas destas substâncias activas. A indução enzimática máxima não é, normalmente, observada durante 2-3 semanas, mas pode, depois, ser mantida durante pelo menos 4 semanas após a cessação da terapêutica com o medicamento. As mulheres em tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer uma das classes de medicamentos ou substâncias activas individuais acima mencionadas devem utilizar, temporariamente, um método de barreira para além dos COC, ou seja, durante o período de administração concomitante dos medicamentos e durante 7 dias após a sua descontinuação.

Drospirenona + Etinilestradiol + Hipericão (Erva de S. João)

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: As interações entre os contracetivos orais e outros medicamentos podem conduzir a hemorragia de disrupção e/ou insucesso do contracetivo. Foram comunicadas as seguintes interações na literatura. Esta situação foi estabelecida com hidantoínas, barbitúricos, primidona, carbamazepina e rifampicina; suspeita-se também da oxcarbazepina, topiramato, felbamato, ritonavir, griseofulvina e do hipericão ou Erva de S. João (Hypericum perforatum). O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades indutoras de enzimas hepáticas destas substâncias activas. A indução enzimática máxima não é, normalmente, observada durante 2-3 semanas, mas pode, depois, ser mantida durante pelo menos 4 semanas após a cessação da terapêutica com o medicamento. As mulheres em tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer uma das classes de medicamentos ou substâncias activas individuais acima mencionadas devem utilizar, temporariamente, um método de barreira para além dos COC, ou seja, durante o período de administração concomitante dos medicamentos e durante 7 dias após a sua descontinuação.

Drospirenona + Etinilestradiol + Antibióticos

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: Foram também comunicados insucessos dos contracetivos com antibióticos, tais como a ampicilina e as tetraciclinas. O mecanismo deste efeito não foi esclarecido. As mulheres em tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer uma das classes de medicamentos ou substâncias activas individuais acima mencionadas devem utilizar, temporariamente, um método de barreira para além dos COC, ou seja, durante o período de administração concomitante dos medicamentos e durante 7 dias após a sua descontinuação.

Drospirenona + Etinilestradiol + Ampicilina

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: Foram também comunicados insucessos dos contracetivos com antibióticos, tais como a ampicilina e as tetraciclinas. O mecanismo deste efeito não foi esclarecido. As mulheres em tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer uma das classes de medicamentos ou substâncias activas individuais acima mencionadas devem utilizar, temporariamente, um método de barreira para além dos COC, ou seja, durante o período de administração concomitante dos medicamentos e durante 7 dias após a sua descontinuação.

Drospirenona + Etinilestradiol + Tetraciclinas

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: Foram também comunicados insucessos dos contracetivos com antibióticos, tais como a ampicilina e as tetraciclinas. O mecanismo deste efeito não foi esclarecido. As mulheres em tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer uma das classes de medicamentos ou substâncias activas individuais acima mencionadas devem utilizar, temporariamente, um método de barreira para além dos COC, ou seja, durante o período de administração concomitante dos medicamentos e durante 7 dias após a sua descontinuação.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Drospirenona + Etinilestradiol + Ciclosporina

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: Os contracetivos orais podem afectar o metabolismo de algumas outras substâncias activas. Desta forma, as concentrações de plasma e tecidos podem aumentar (por ex., ciclosporina) ou diminuir (por ex. lamotrigina).
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Drospirenona + Etinilestradiol + Lamotrigina

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: Os contracetivos orais podem afectar o metabolismo de algumas outras substâncias activas. Desta forma, as concentrações de plasma e tecidos podem aumentar (por ex., ciclosporina) ou diminuir (por ex. lamotrigina).

Drospirenona + Etinilestradiol + Omeprazol

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: Com base em estudos de inibição in vitro e em estudos de interacção in vivo em voluntárias que utilizam omeprazol, sinvastatina e midazolam como substrato marcador, é pouco provável a ocorrência de uma interacção da drospirenona em doses de 3 mg com o metabolismo de outras substâncias activas.

Drospirenona + Etinilestradiol + Sinvastatina

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: Com base em estudos de inibição in vitro e em estudos de interacção in vivo em voluntárias que utilizam omeprazol, sinvastatina e midazolam como substrato marcador, é pouco provável a ocorrência de uma interacção da drospirenona em doses de 3 mg com o metabolismo de outras substâncias activas.

Drospirenona + Etinilestradiol + Midazolam

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: Com base em estudos de inibição in vitro e em estudos de interacção in vivo em voluntárias que utilizam omeprazol, sinvastatina e midazolam como substrato marcador, é pouco provável a ocorrência de uma interacção da drospirenona em doses de 3 mg com o metabolismo de outras substâncias activas.

Drospirenona + Etinilestradiol + Inibidores da Enzima de Conversão da Angiotensina (IECAS)

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: Em doentes sem insuficiência renal, a utilização concomitante de drospirenona e de inibidores da ECA ou AINE não demonstrou um efeito significativo no potássio sérico.

Drospirenona + Etinilestradiol + Anti-inflamatórios não esteróides (AINEs)

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: Em doentes sem insuficiência renal, a utilização concomitante de drospirenona e de inibidores da ECA ou AINE não demonstrou um efeito significativo no potássio sérico.

Drospirenona + Etinilestradiol + Diuréticos antagonistas da aldosterona

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: No entanto, a utilização concomitante de Drospirenona / Etinilestradiol com antagonistas da aldosterona ou diuréticos poupadores de potássio não foi estudada. Neste caso, o potássio sérico deve ser testado durante o primeiro ciclo de tratamento.

Drospirenona + Etinilestradiol + Diuréticos poupadores de potássio

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: No entanto, a utilização concomitante de Drospirenona / Etinilestradiol com antagonistas da aldosterona ou diuréticos poupadores de potássio não foi estudada. Neste caso, o potássio sérico deve ser testado durante o primeiro ciclo de tratamento.

Drospirenona + Etinilestradiol + Testes Laboratoriais/Diagnóstico

Observações: Os principais metabolitos de drospirenona no plasma humano são criados sem envolvimento do sistema citocromo P450. Desta forma, é pouco provável que os inibidores deste sistema enzimático influenciem o metabolismo da drospirenona.
Interações: A utilização de esteróides contracetivos pode influenciar os resultados de determinados testes laboratoriais, incluindo os parâmetros bioquímicos do fígado, tiróide, função adrenal e renal, níveis de plasma de proteínas (transportadoras), por ex., globulina de ligação aos corticosteróides e fracções de lípidos/lipoproteínas, parâmetros do metabolismo de hidratos de carbono e parâmetros de coagulação e fibrinólise. As alterações permanecem, normalmente, dentro dos valores laboratoriais normais. A drospirenona provoca um aumento da actividade da renina plasmática e da aldosterona plasmática, induzido pela sua ligeira actividade antimineralocorticóide.
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.
Drospirenona / Etinilestradiol não está indicado durante a gravidez.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 31 de Outubro de 2019