Dolutegravir

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
Dolutegravir (DTG) é um medicamento anti-retroviral usado, junto com outros medicamentos, para tratar HIV / SIDA
Também pode ser usado, como parte da profilaxia pós-exposição, para prevenir a infecção por HIV após uma potencial exposição.
Usos comuns
Este medicamento é utilizado no tratamento da infecção pelo VIH (vírus da imunodeficiência humana) em adultos e em adolescentes com mais de 12 anos de idade.

Dolutegravir não cura a infecção pelo VIH; reduz a quantidade de vírus no seu organismo e mantém-na num nível baixo. Como resultado disso, também aumenta o número de células CD4 no seu sangue. As células CD4 são um tipo de glóbulo branco e são importantes para ajudar o seu organismo no combate à infecção.

Nem todas as pessoas respondem da mesma forma ao tratamento com Dolutegravir.

Dolutegravir é sempre utilizado em associação com outros medicamentos anti-retrovirais (terapêutica combinada). Para controlar a sua infecção pelo VIH, e para impedir que a sua doença se agrave, deve continuar a tomar todos os seus medicamentos, a menos que o seu médico lhe diga para parar de tomar algum.
Tipo
Molécula pequena.
História
Seu uso foi aprovado pelo FDA dos EUA em agosto de 2013 e pela Comissão Europeia em Janeiro de 2014.
Está na Lista de Medicamentos Essenciais da Organização Mundial de Saúde.
Indicações
Dolutegravir é indicado, em combinação com outros medicamentos anti-retrovirais, para o tratamento de adultos e adolescentes com mais de 12 anos de idade infectados com o Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH).
Classificação CFT

01.03.02 : Outros antivíricos

Mecanismo De Acção
Dolutegravir inibe a integrase do VIH ligando-se ao local activo da integrase e bloqueando o passo de transferência de cadeia de integração do ácido desoxirribonucleico (ADN) retroviral, passo que é essencial ao ciclo de replicação do VIH.
Posologia Orientativa
A dose recomendada de dolutegravir é de 50 mg (um comprimido) uma vez por dia por via oral.
Administração
Via oral.
Pode ser tomado com ou sem alimentos.

Na presença de resistência à classe das integrases, para aumentar a exposição, deve ser tomado preferencialmente com alimentos (particularmente em doentes com mutações Q148).
Contra-Indicações
Hipersensibilidade ao Dolutegravir.
Administração concomitante com dofetilida.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Reacções alérgicas
Estas são pouco frequentes em pessoas a tomar Dolutegravir.

Os sinais incluem:
• erupção da pele
• uma temperatura elevada (febre)
• falta de energia (fadiga)
• inchaço, por vezes da face e da boca (angioedema), causando dificuldade em respirar
• dores musculares ou articulares.
→ Consulte um médico imediatamente.

O médico pode decidir realizar testes ao seu fígado, rins ou sangue, e pode dizer-lhe para parar de tomar este medicamento.

Efeitos secundários muito frequentes
Estes podem afectar mais de 1 em 10 pessoas:
• dor de cabeça
• diarreia
• sentir-se enjoado (náuseas).

Efeitos secundários frequentes
Estes podem afectar até 1 em 10 pessoas:
• erupção da pele
• comichão (prurido)
• estar enjoado (vómitos)
• dor de estômago (dor abdominal)
• desconforto de estômago (abdominal)
• insónia
• tonturas
• sonhos anormais
• falta de energia (fadiga)
• gases (flatulência)
• aumento no nível das enzimas do fígado
• aumento no nível das enzim as produzidas nos músculos (creatinafosfoquinase).

Efeitos secundários pouco frequentes
Estes podem afectar até 1 em 100 pessoas:
• inflamação do fígado (hepatite)
Se tiver quaisquer efeitos secundários
→ Fale com o seu médico.
Isto inclui quaisquer efeitos secundários possíveis não indicados neste folheto.

Outros efeitos secundários possíveis
As pessoas a tomar terapêutica combinada para o VIH podem ter outros efeitos secundários.

Sintomas de infecção e inflamação
As pessoas com infecção avançada pelo VIH (SIDA) têm sistemas imunitários debilitados e estão mais predispostas a desenvolver infecções graves (infecções oportunistas). Tais infecções podem ter estado “silenciosas” e não ter sido detectadas pelo sistema imunitário enfraquecido antes do início do tratamento.
Após o início do tratamento, o sistema imunitário torna-se mais forte e pode atacar as infecções, o que pode causar sintomas de infecção ou inflamação. Os sintomas normalmente incluem febre, além de alguns dos seguintes sintomas:
• dor de cabeça
• dor de estômago
• dificuldade em respirar
Em casos raros, à medida que o sistema imunitário se torna mais forte pode também atacar tecidos corporais saudáveis (doenças autoimunes). Os sintomas das doenças autoimunes podem desenvolver-se muitos meses após o início do seu tratamento para a infecção pelo VIH. Os sintomas podem incluir:
• palpitações (batimento cardíaco rápido ou irregular) ou tremor
• hiperactividade (agitação e movimentos excessivos)
• fraqueza a começar nas mãos e nos pés e dirigindo-se em direção ao tronco.
Se tiver quaisquer sintomas de infecção e inflamação ou se notar qualquer um dos sintomas acima:
→ Informe o seu médico imediatamente. Não tome outros medicamentos para a infecção sem o conselho do seu médico.
Dor nas articulações, rigidez e problemas dos ossos
Algumas pessoas a tomar terapêutica combinada para o VIH desenvolvem uma doença chamada osteonecrose. Com esta doença, parte do tecido ósseo morre devido à diminuição do fornecimento de sangue ao osso. As pessoas estão mais predispostas a ter esta doença:
• se estiverem a tomar terapêutica combinada há muito tempo
• se estiverem também a tomar medicamentos anti-inflamatórios chamados corticosteróides
• se consomem álcool
• se o seu sistema imunitário estiver muito debilitado
• se tiverem excesso de peso.

Os sinais de osteonecrose incluem:
• rigidez nas articulações
• moinhas e dores nas articulações (especialmente na anca, joelho ou ombro)
• dificuldade em movimentar-se.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Dolutegravir deve ser utilizado durante a gravidez apenas se o benefício esperado justificar o potencial risco para o feto.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:Recomenda-se que as mulheres infectadas pelo VIH não amamentem os seus lactentes sob nenhuma circunstância para evitar a transmissão do VIH.
Condução
Condução
Condução:Os doentes devem ser informados que foram notificadas tonturas durante o tratamento com dolutegravir.
Precauções Gerais
Algumas pessoas que tomam medicamentos para a infecção pelo VIH desenvolvem outras doenças que podem ser graves.
Estas incluem:
• sintomas de infecções e inflamação
• dor nas articulações, rigidez e problemas dos ossos
Precisa de saber acerca dos sinais e sintomas importantes a que deve ficar atento enquanto estiver a tomar este medicamento.

Proteja as outras pessoas
A infecção pelo VIH propaga-se por contacto sexual com alguém que tenha a infecção, ou por transferência de sangue infectado (por exemplo, ao partilhar agulhas de injecção). Poderá continuar a transmitir o VIH enquanto toma este medicamento, apesar de se reduzir o risco com uma terapêutica anti-retroviral eficaz.

Não dê este medicamento a crianças com menos de 12 anos de idade, que pesem menos de 40 kg ou com infecção pelo VIH resistente a outros medicamentos semelhantes a Dolutegravir. A utilização deste medicamento em crianças com menos de 12 anos ainda não foi estudada.

Não tome Dolutegravir com dofetilida, utilizada no tratamento de doenças do coração.

Os antiácidos, para tratar a indigestão e a azia, podem impedir que Dolutegravir seja absorvido pelo seu organismo e podem torná-lo menos eficaz.
Não tome um antiácido durante as 6 horas anteriores a tomar este medicamento, ou por pelo menos 2 horas depois de o ter tomado.

Outros medicamentos que reduzem a acidez tais como a ranitidina e o omeprazol podem ser tomados ao mesmo tempo que Dolutegravir.

Os suplementos de cálcio, os suplementos de ferro ou as multivitaminas podem impedir que Dolutegravir seja absorvido pelo seu organismo e podem torná-lo menos eficaz.

Não tome um suplemento de cálcio, um suplemento de ferro ou multivitaminas durante as 6 horas anteriores a tomar Dolutegravir, ou por pelo menos 2 horas depois de o ter tomado.
Cuidados com a Dieta
Pode ser tomado com ou sem alimentos.
Terapêutica Interrompida
Se se esqueceu de tomar uma dose, tome-a assim que se lembrar. Porém, se a dose seguinte estiver prevista no prazo de 4 horas, não tome a dose esquecida e tome a próxima dose à hora habitual. Depois continue o seu tratamento como antes.
Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Este medicamento não necessita de quaisquer condições especiais de conservação.

Mantenha todos os medicamentos fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu médico, enfermeiro ou farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espectro de susceptibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dolutegravir Antiácidos

Observações: n.d.
Interacções: Efeitos de outros agentes na farmacocinética de dolutegravir: Na presença de resistência à classe das integrases devem ser evitados todos os fatores que reduzam a exposição ao dolutegravir. Dolutegravir é eliminado maioritariamente através de metabolização pela UGT1A1. Dolutegravir é também um substrato das UGT1A3, UGT1A9, CYP3A4, Pgp e BCRP; assim, medicamentos que induzam estas enzimas podem reduzir a concentração plasmática de dolutegravir e reduzir o efeito terapêutico de dolutegravir. A administração concomitante de dolutegravir e outros medicamentos que inibam estas enzimas pode aumentar a concentração plasmática de dolutegravir. A absorção de dolutegravir é reduzida por certos agentes antiácidos. - Antiácidos
Sem significado Clínico

Tenofovir alafenamida Dolutegravir

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos. O tenofovir alafenamida é um substrato do OATP1B1 e do OATP1B3 in vitro. A distribuição do tenofovir alafenamida no organismo pode ser afetada pela atividade do OATP1B1 e/ou do OATP1B3. O tenofovir alafenamida não é um inibidor do CYP1A2, CYP2B6, CYP2C8, CYP2C9, CYP2C19 ou CYP2D6 in vitro. Não é inibidor do CYP3A in vivo. O tenofovir alafenamida não é um inibidor da uridina difosfato glucuronosiltransferase (UGT) 1A1 humana in vitro. Não se sabe se o tenofovir alafenamida é inibidor de outras enzimas UGT.
Interacções: Dolutegravir (50 mg por via oral, q.d.): Não são necessários ajustes posológicos de Tenofovir alafenamida ou de dolutegravir. - Dolutegravir
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dolutegravir Inibidores do CYP3A4

Observações: n.d.
Interacções: Efeitos de outros agentes na farmacocinética de dolutegravir: Na presença de resistência à classe das integrases devem ser evitados todos os fatores que reduzam a exposição ao dolutegravir. Dolutegravir é eliminado maioritariamente através de metabolização pela UGT1A1. Dolutegravir é também um substrato das UGT1A3, UGT1A9, CYP3A4, Pgp e BCRP; assim, medicamentos que induzam estas enzimas podem reduzir a concentração plasmática de dolutegravir e reduzir o efeito terapêutico de dolutegravir. A administração concomitante de dolutegravir e outros medicamentos que inibam estas enzimas pode aumentar a concentração plasmática de dolutegravir. A absorção de dolutegravir é reduzida por certos agentes antiácidos. - Inibidores do CYP3A4
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dolutegravir Inibidores da glicoproteína-P (Gp-P)

Observações: n.d.
Interacções: Efeitos de outros agentes na farmacocinética de dolutegravir: Na presença de resistência à classe das integrases devem ser evitados todos os fatores que reduzam a exposição ao dolutegravir. Dolutegravir é eliminado maioritariamente através de metabolização pela UGT1A1. Dolutegravir é também um substrato das UGT1A3, UGT1A9, CYP3A4, Pgp e BCRP; assim, medicamentos que induzam estas enzimas podem reduzir a concentração plasmática de dolutegravir e reduzir o efeito terapêutico de dolutegravir. A administração concomitante de dolutegravir e outros medicamentos que inibam estas enzimas pode aumentar a concentração plasmática de dolutegravir. A absorção de dolutegravir é reduzida por certos agentes antiácidos. - Inibidores da glicoproteína-P (Gp-P)
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dolutegravir Inibidores do BCRP (proteína de resistência do cancro da mama)

Observações: n.d.
Interacções: Efeitos de outros agentes na farmacocinética de dolutegravir: Na presença de resistência à classe das integrases devem ser evitados todos os fatores que reduzam a exposição ao dolutegravir. Dolutegravir é eliminado maioritariamente através de metabolização pela UGT1A1. Dolutegravir é também um substrato das UGT1A3, UGT1A9, CYP3A4, Pgp e BCRP; assim, medicamentos que induzam estas enzimas podem reduzir a concentração plasmática de dolutegravir e reduzir o efeito terapêutico de dolutegravir. A administração concomitante de dolutegravir e outros medicamentos que inibam estas enzimas pode aumentar a concentração plasmática de dolutegravir. A absorção de dolutegravir é reduzida por certos agentes antiácidos. - Inibidores do BCRP (proteína de resistência do cancro da mama)
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dolutegravir Inibidores do UGT1A3

Observações: n.d.
Interacções: Efeitos de outros agentes na farmacocinética de dolutegravir: Na presença de resistência à classe das integrases devem ser evitados todos os fatores que reduzam a exposição ao dolutegravir. Dolutegravir é eliminado maioritariamente através de metabolização pela UGT1A1. Dolutegravir é também um substrato das UGT1A3, UGT1A9, CYP3A4, Pgp e BCRP; assim, medicamentos que induzam estas enzimas podem reduzir a concentração plasmática de dolutegravir e reduzir o efeito terapêutico de dolutegravir. A administração concomitante de dolutegravir e outros medicamentos que inibam estas enzimas pode aumentar a concentração plasmática de dolutegravir. A absorção de dolutegravir é reduzida por certos agentes antiácidos. - Inibidores do UGT1A3
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dolutegravir Inibidores do UGT1A9

Observações: n.d.
Interacções: Efeitos de outros agentes na farmacocinética de dolutegravir: Na presença de resistência à classe das integrases devem ser evitados todos os fatores que reduzam a exposição ao dolutegravir. Dolutegravir é eliminado maioritariamente através de metabolização pela UGT1A1. Dolutegravir é também um substrato das UGT1A3, UGT1A9, CYP3A4, Pgp e BCRP; assim, medicamentos que induzam estas enzimas podem reduzir a concentração plasmática de dolutegravir e reduzir o efeito terapêutico de dolutegravir. A administração concomitante de dolutegravir e outros medicamentos que inibam estas enzimas pode aumentar a concentração plasmática de dolutegravir. A absorção de dolutegravir é reduzida por certos agentes antiácidos. - Inibidores do UGT1A9
Sem efeito descrito

Dolutegravir Citocromo P450

Observações: n.d.
Interacções: Efeito de dolutegravir na farmacocinética de outros agentes: In vitro, dolutegravir não demonstrou inibição directa ou fraca (IC50>50 μM) das enzimas do citocromo P450 (CYP)1A2, CYP2A6, CYP2B6, CYP2C8, CYP2C9, CYP2C19, CYP2D6 CYP3A, uridina difosfato glucuronosiltransferase (UGT)1A1 ou UGT2B7, ou dos transportadores Pgp, BCRP, BSEP, OATP1B1, OATP1B3, OCT1,MATE2-K, MRP2 ou MRP4. In vitro, dolutegravir não induziu as CYP1A2, CYP2B6 ou CYP3A4. In vivo, dolutegravir não parece ter um efeito no midazolam, substrato da CYP3A4, no entanto, atualmente não pode ser excluída uma fraca inibição. Com base nestes dados, não se espera que dolutegravir afecte a farmacocinética de medicamentos que sejam substratos destas enzimas ou transportadores. In vitro, dolutegravir inibiu o sistema renal de transporte catiónico orgânico 2 (OCT2) e o transportador de extrusão de múltiplos fármacos e toxinas (MATE) 1. In vivo, foi observado em doentes um decréscimo de 10-14% da depuração da creatinina (a fração secretória é dependente do transporte pelo OCT2 e MATE-1). In vivo, dolutegravir pode aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do OCT2 ou MATE-1 (por exemplo, dofetilida, metformina). In vitro, dolutegravir inibiu os transportadores de captação renal (OAT1) e OAT3. Com base na falta de efeito na farmacocinética in vivo do substrato do OAT tenofovir, a inibição in vivo do OAT1 é improvável. A inibição do OAT3 não foi estudada in vivo. Dolutegravir pode aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do OAT3. - Citocromo P450
Sem significado Clínico

Dolutegravir Midazolam

Observações: n.d.
Interacções: Efeito de dolutegravir na farmacocinética de outros agentes: In vitro, dolutegravir não demonstrou inibição directa ou fraca (IC50>50 μM) das enzimas do citocromo P450 (CYP)1A2, CYP2A6, CYP2B6, CYP2C8, CYP2C9, CYP2C19, CYP2D6 CYP3A, uridina difosfato glucuronosiltransferase (UGT)1A1 ou UGT2B7, ou dos transportadores Pgp, BCRP, BSEP, OATP1B1, OATP1B3, OCT1,MATE2-K, MRP2 ou MRP4. In vitro, dolutegravir não induziu as CYP1A2, CYP2B6 ou CYP3A4. In vivo, dolutegravir não parece ter um efeito no midazolam, substrato da CYP3A4, no entanto, atualmente não pode ser excluída uma fraca inibição. Com base nestes dados, não se espera que dolutegravir afecte a farmacocinética de medicamentos que sejam substratos destas enzimas ou transportadores. In vitro, dolutegravir inibiu o sistema renal de transporte catiónico orgânico 2 (OCT2) e o transportador de extrusão de múltiplos fármacos e toxinas (MATE) 1. In vivo, foi observado em doentes um decréscimo de 10-14% da depuração da creatinina (a fração secretória é dependente do transporte pelo OCT2 e MATE-1). In vivo, dolutegravir pode aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do OCT2 ou MATE-1 (por exemplo, dofetilida, metformina). In vitro, dolutegravir inibiu os transportadores de captação renal (OAT1) e OAT3. Com base na falta de efeito na farmacocinética in vivo do substrato do OAT tenofovir, a inibição in vivo do OAT1 é improvável. A inibição do OAT3 não foi estudada in vivo. Dolutegravir pode aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do OAT3. - Midazolam
Sem significado Clínico

Dolutegravir Substratos do CYP3A4

Observações: n.d.
Interacções: Efeito de dolutegravir na farmacocinética de outros agentes: In vitro, dolutegravir não demonstrou inibição directa ou fraca (IC50>50 μM) das enzimas do citocromo P450 (CYP)1A2, CYP2A6, CYP2B6, CYP2C8, CYP2C9, CYP2C19, CYP2D6 CYP3A, uridina difosfato glucuronosiltransferase (UGT)1A1 ou UGT2B7, ou dos transportadores Pgp, BCRP, BSEP, OATP1B1, OATP1B3, OCT1,MATE2-K, MRP2 ou MRP4. In vitro, dolutegravir não induziu as CYP1A2, CYP2B6 ou CYP3A4. In vivo, dolutegravir não parece ter um efeito no midazolam, substrato da CYP3A4, no entanto, atualmente não pode ser excluída uma fraca inibição. Com base nestes dados, não se espera que dolutegravir afecte a farmacocinética de medicamentos que sejam substratos destas enzimas ou transportadores. In vitro, dolutegravir inibiu o sistema renal de transporte catiónico orgânico 2 (OCT2) e o transportador de extrusão de múltiplos fármacos e toxinas (MATE) 1. In vivo, foi observado em doentes um decréscimo de 10-14% da depuração da creatinina (a fração secretória é dependente do transporte pelo OCT2 e MATE-1). In vivo, dolutegravir pode aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do OCT2 ou MATE-1 (por exemplo, dofetilida, metformina). In vitro, dolutegravir inibiu os transportadores de captação renal (OAT1) e OAT3. Com base na falta de efeito na farmacocinética in vivo do substrato do OAT tenofovir, a inibição in vivo do OAT1 é improvável. A inibição do OAT3 não foi estudada in vivo. Dolutegravir pode aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do OAT3. - Substratos do CYP3A4
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dolutegravir Dofetilida

Observações: n.d.
Interacções: Efeito de dolutegravir na farmacocinética de outros agentes: In vitro, dolutegravir não demonstrou inibição directa ou fraca (IC50>50 μM) das enzimas do citocromo P450 (CYP)1A2, CYP2A6, CYP2B6, CYP2C8, CYP2C9, CYP2C19, CYP2D6 CYP3A, uridina difosfato glucuronosiltransferase (UGT)1A1 ou UGT2B7, ou dos transportadores Pgp, BCRP, BSEP, OATP1B1, OATP1B3, OCT1,MATE2-K, MRP2 ou MRP4. In vitro, dolutegravir não induziu as CYP1A2, CYP2B6 ou CYP3A4. In vivo, dolutegravir não parece ter um efeito no midazolam, substrato da CYP3A4, no entanto, atualmente não pode ser excluída uma fraca inibição. Com base nestes dados, não se espera que dolutegravir afecte a farmacocinética de medicamentos que sejam substratos destas enzimas ou transportadores. In vitro, dolutegravir inibiu o sistema renal de transporte catiónico orgânico 2 (OCT2) e o transportador de extrusão de múltiplos fármacos e toxinas (MATE) 1. In vivo, foi observado em doentes um decréscimo de 10-14% da depuração da creatinina (a fração secretória é dependente do transporte pelo OCT2 e MATE-1). In vivo, dolutegravir pode aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do OCT2 ou MATE-1 (por exemplo, dofetilida, metformina). In vitro, dolutegravir inibiu os transportadores de captação renal (OAT1) e OAT3. Com base na falta de efeito na farmacocinética in vivo do substrato do OAT tenofovir, a inibição in vivo do OAT1 é improvável. A inibição do OAT3 não foi estudada in vivo. Dolutegravir pode aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do OAT3. - Dofetilida
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dolutegravir Metformina

Observações: n.d.
Interacções: Efeito de dolutegravir na farmacocinética de outros agentes: In vitro, dolutegravir não demonstrou inibição directa ou fraca (IC50>50 μM) das enzimas do citocromo P450 (CYP)1A2, CYP2A6, CYP2B6, CYP2C8, CYP2C9, CYP2C19, CYP2D6 CYP3A, uridina difosfato glucuronosiltransferase (UGT)1A1 ou UGT2B7, ou dos transportadores Pgp, BCRP, BSEP, OATP1B1, OATP1B3, OCT1,MATE2-K, MRP2 ou MRP4. In vitro, dolutegravir não induziu as CYP1A2, CYP2B6 ou CYP3A4. In vivo, dolutegravir não parece ter um efeito no midazolam, substrato da CYP3A4, no entanto, atualmente não pode ser excluída uma fraca inibição. Com base nestes dados, não se espera que dolutegravir afecte a farmacocinética de medicamentos que sejam substratos destas enzimas ou transportadores. In vitro, dolutegravir inibiu o sistema renal de transporte catiónico orgânico 2 (OCT2) e o transportador de extrusão de múltiplos fármacos e toxinas (MATE) 1. In vivo, foi observado em doentes um decréscimo de 10-14% da depuração da creatinina (a fração secretória é dependente do transporte pelo OCT2 e MATE-1). In vivo, dolutegravir pode aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do OCT2 ou MATE-1 (por exemplo, dofetilida, metformina). In vitro, dolutegravir inibiu os transportadores de captação renal (OAT1) e OAT3. Com base na falta de efeito na farmacocinética in vivo do substrato do OAT tenofovir, a inibição in vivo do OAT1 é improvável. A inibição do OAT3 não foi estudada in vivo. Dolutegravir pode aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do OAT3. - Metformina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dolutegravir Tenofovir

Observações: n.d.
Interacções: Efeito de dolutegravir na farmacocinética de outros agentes: In vitro, dolutegravir não demonstrou inibição directa ou fraca (IC50>50 μM) das enzimas do citocromo P450 (CYP)1A2, CYP2A6, CYP2B6, CYP2C8, CYP2C9, CYP2C19, CYP2D6 CYP3A, uridina difosfato glucuronosiltransferase (UGT)1A1 ou UGT2B7, ou dos transportadores Pgp, BCRP, BSEP, OATP1B1, OATP1B3, OCT1,MATE2-K, MRP2 ou MRP4. In vitro, dolutegravir não induziu as CYP1A2, CYP2B6 ou CYP3A4. In vivo, dolutegravir não parece ter um efeito no midazolam, substrato da CYP3A4, no entanto, atualmente não pode ser excluída uma fraca inibição. Com base nestes dados, não se espera que dolutegravir afecte a farmacocinética de medicamentos que sejam substratos destas enzimas ou transportadores. In vitro, dolutegravir inibiu o sistema renal de transporte catiónico orgânico 2 (OCT2) e o transportador de extrusão de múltiplos fármacos e toxinas (MATE) 1. In vivo, foi observado em doentes um decréscimo de 10-14% da depuração da creatinina (a fração secretória é dependente do transporte pelo OCT2 e MATE-1). In vivo, dolutegravir pode aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do OCT2 ou MATE-1 (por exemplo, dofetilida, metformina). In vitro, dolutegravir inibiu os transportadores de captação renal (OAT1) e OAT3. Com base na falta de efeito na farmacocinética in vivo do substrato do OAT tenofovir, a inibição in vivo do OAT1 é improvável. A inibição do OAT3 não foi estudada in vivo. Dolutegravir pode aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do OAT3. - Tenofovir
Sem efeito descrito

Darunavir Dolutegravir

Observações: O perfil de interacção do darunavir pode variar dependendo se é utilizado o ritonavir ou o cobicistate como fármacos potenciadores. As recomendações dadas para a utilização concomitante de darunavir e outros medicamentos podem por isso variar dependendo se darunavir é potenciado com ritonavir ou com cobicistate, e é também necessária precaução durante o primeiro tempo de tratamento, se se substituir o fármaco potenciador de ritonavir para cobicistate.
Interacções: ANTIRRETROVIRAIS PARA O VIH: Inibidores da Transferência de Cadeia da Integrase: Dolutegravir: Darunavir potenciado e dolutegravir pode ser utilizado sem ajuste de dose. - Dolutegravir
Sem efeito descrito

Darunavir + Cobicistate Dolutegravir

Observações: Não foram realizados estudos de interacção farmacológica com Darunavir / Cobicistate. Uma vez que Darunavir / Cobicistate contém darunavir e cobicistate, as interações que foram identificadas com darunavir (em associação uma dose baixa de ritonavir) e com cobicistate determinam as interações que podem ocorrer com Darunavir / Cobicistate. Os ensaios de interacção com darunavir/ritonavir e com cobicistate apenas foram realizados em adultos.
Interacções: OUTROS MEDICAMENTOS ANTIRRETROVIRAIS VIH: Inibidores da Transferência de Cadeia da Integrase: Dolutegravir: Tendo como base considerações teóricas, não é espectável que dolutegravir afecte a farmacocinética de Darunavir / Cobicistate. Darunavir / Cobicistate e dolutegravir podem ser utilizados sem ajuste da dose. - Dolutegravir
Sem efeito descrito

Ledipasvir + Sofosbuvir Dolutegravir

Observações: Quaisquer interacções que tenham sido identificadas com cada uma destas substâncias ativas individualmente podem ocorrer com a associação de Ledipasvir/Sofosbuvir.
Interacções: interacções entre Ledipasvir/sofosbuvir e outros medicamentos ANTIVIRICOS ANTI-VIH: INIBIDORES DA INTEGRASE Dolutegravir Não são necessários ajustes da dose. - Dolutegravir
Usar com precaução

Fosamprenavir Dolutegravir

Observações: n.d.
Interacções: Dolutegravir: Não se recomenda nenhum ajuste de dose de fosamprenavir ou dolutegra vir com base nas relações exposição - resposta observadas a partir dos dados clínicos. É necessária precaução e recomenda-se monitorização rigorosa quando esta combinação é administrada a doentes resistentes a inibidores da integrase. - Dolutegravir
Sem significado Clínico

Glecaprevir + Pibrentasvir Dolutegravir

Observações: n.d.
Interacções: Foram realizados estudos adicionais de interacção medicamentosa com os seguintes medicamentos que não revelaram interacções clinicamente significativas com Glecaprevir / Pibrentasvir: Abacavir, amlodipina, buprenorfina, cafeína, dextrometorfano, dolutegravir, emtricitabina, felodipina, lamivudina, lamotrigina, metadona, midazolam, naloxona, noretindrona ou outros Contraceptivos contendo apenas progestagénios, rilpivirina, tenofovir alafenamida e tolbutamida. - Dolutegravir
Sem efeito descrito

Sofosbuvir + Velpatasvir + Voxilaprevir Dolutegravir

Observações: n.d.
Interacções: interacções entre Sofosbuvir / Velpatasvir / Voxilaprevir e outros medicamentos: ANTIVÍRICOS ANTI-VIH: INIBIDORES DA INTEGRASE Dolutegravir (50 mg uma vez por dia) + sofosbuvir/velpatasvir (400/100 mg uma vez por dia) interacção apenas estudada com sofosbuvir/velpatasvir. Não são necessários ajustes da dose de Sofosbuvir / Velpatasvir / Voxilaprevir ou de dolutegravir. - Dolutegravir
Sem efeito descrito

Niraparib Dolutegravir

Observações: Os estudos clínicos só foram realizados em adultos.
Interacções: interacções farmacocinéticas Efeitos de outros medicamentos sobre niraparib Niraparib como substrato de transportadores de captação hepática (OATP1B1, OATP1B3 e OCT1) Nem niraparib nem M1 são substratos de polipeptídeo transportador de aniões orgânicos 1B1 (OATP1B1), 1B3 (OATP1B3) ou transportador de catiões orgânicos 1 (OCT1). Não é necessário ajustar a dose de Niraparib quando administrado concomitantemente com medicamentos conhecidos por inibir OATP1B1 ou 1B3 (por exemplo, gemfibrozil, ritonavir) ou transportadores de captação OCT1 (por exemplo, dolutegravir). - Dolutegravir
Usar com precaução

Letermovir Dolutegravir

Observações: Informação geral sobre as diferenças na exposição entre os diferentes regimes de tratamento com letermovir - A exposição plasmática esperada de letermovir difere consoante o regime terapêutico utilizado. Desta forma, as consequências clínicas das interações medicamentosas do letermovir vão depender do regime de letermovir utilizado, e se o letermovir está ou não associado à ciclosporina. - A associação de ciclosporina e letermovir pode levar a efeitos potenciados ou adicionais dos medicamentos concomitantes quando comparado com letermovir isoladamente.
Interacções: Medicamentos metabolizados pelo CYP2B6, UGT1A1 ou transportados pelo BCRP ou OATP2B1 O letermovir é em geral um indutor in vivo mas também se observou que inibe o CYP2B6, UGT1A1, BCRP e OATP2B1 in vitro. O efeito real in vivo não é conhecido. Assim sendo, as concentrações plasmáticas de medicamentos que são substrato destas enzimas ou transportadores podem aumentar ou diminuir quando administrados concomitantemente com letermovir. Pode ser recomendada monitorização adicional; consultar a informação de prescrição dos medicamentos em questão. - Exemplos de medicamentos metabolizados pelo CYP2B6 incluem bupropiona e efavirenz. - Exemplos de medicamentos metabolizados pelo UGT1A1 são o raltegravir e dolutegravir. - Exemplos de medicamentos transportados pelo BCRP incluem rosuvastatina e sulfasalazina. - Um exemplo de medicamento transportado pelo OATP2B1 é o celiprolol. - Dolutegravir
Usar com precaução

Ertugliflozina + Metformina Dolutegravir

Observações: Não foram efetuados estudos de interacção medicamentosa farmacocinética com Ertugliflozina + Metformina; contudo, estes tipos de estudo foram efetuados com as substâncias ativas individuais de Ertugliflozina + Metformina.
Interacções: Metformina Associações que requerem precauções de utilização Transportadores orgânicos catiónicos (OCT) A metformina é um substrato de ambos os transportadores OCT1 e OCT2. A coadmnistração da metformina com: • Inibidores do OCT1 (tais como o verapamilo) podem reduzir a eficácia da metformina. • Inibidores do OCT1 (tais como a rifampicina) podem aumentar a absorção gastrointestinal e a eficácia da metformina. • Inibidores do OCT2 (tais como a cimetidina, dolutegravir, ranolazina, trimetoprim, vandetanib, isavuconazol) podem diminuir a eliminação renal da metformina o que leva a um aumento da concentração plasmática da metformina. • Inibidores de ambos OCT1 e OCT2 (tais como crizotinib, olaparib) podem alterar a eficácia e a eliminação renal da metformina. Recomenda-se precaução, especialmente em doentes com compromisso renal, quando estes medicamentos são coadmnistrados com metformina uma vez que a concentração plasmática de metformina pode aumentar. Se necessário, pode ser considerado um ajuste da dose de metformina uma vez que os inibidores/indutores do OCT podem alterar a eficácia da metformina. - Dolutegravir
Usar com precaução

Encorafenib Dolutegravir

Observações: n.d.
Interacções: Efeitos de encorafenib noutros medicamentos Encorafenib é um inibidor do UGT1A1. Os agentes concomitantes que são substratos do UGT1A1 (por ex: raltegravir, atorvastatina, dolutegravir) poderão apresentar um aumento da exposição e, por essa razão, devem ser administrados com precaução. - Dolutegravir
Não recomendado/Evitar

Lamivudina + Nevirapina + Zidovudina Dolutegravir

Observações: n.d.
Interacções: Dolutegravir: A nevirapina pode diminuir a concentração sérica de Dolutegravir. Evitar combinação - Dolutegravir
Usar com precaução

Dapagliflozina + Saxagliptina + Metformina Dolutegravir

Observações: n.d.
Interacções: Efeito de metformina, saxagliptina ou dapagliflozina sobre outros medicamentos Metformina Transportadores catiónicos orgânicos (OCT) A metformina é um substrato dos dois transportadores OCT1 e OCT2. Administração concomitante de metformina com: - inibidores do OCT1 (como o verapamil) podem reduzir a eficácia de metformina; - indutores do OCT1 (como a rifampicina) podem aumentar a absorção gastrointestinal e a eficácia de metformina; - inibidores do OCT2 (como a cimetidina, dolutegravir, ranolazina, trimetoprim, vandetanib, isavuconazol) podem diminuir a eliminação renal de metformina e originar um aumento da concentração plasmática de metformina; - inibidores dos dois OCT1 e OCT2 (como o crizotinib, olaparib) podem alterar a eficácia e a eliminação renal de metformina. Por conseguinte, recomenda-se precaução, especialmente em doentes com compromisso renal, quando estes medicamentos são administrados concomitantemente com metformina, uma vez que a concentração plasmática de metformina pode aumentar. - Dolutegravir
Usar com precaução

Carbonato de cálcio + Carbonato de magnésio + Ácido algínico Dolutegravir

Observações: n.d.
Interacções: Foi demonstrado que os antiácidos contendo cálcio e magnésio podem impedir a absorção de alguns antibióticos (como as tetraciclinas e quinolonas); glicosídeos cardíacos (por exemplo, digoxina, digitoxina); bisfosfonatos; dolutegravir, levotiroxina e eltrombopag. Os sais de cálcio reduzem a absorção de produtos contendo flúor e ferro, e os sais de cálcio e magnésio podem impedir a absorção de fosfatos. - Dolutegravir
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções da Dolutegravir
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Dolutegravir deve ser utilizado durante a gravidez apenas se o benefício esperado justificar o potencial risco para o feto.

Recomenda-se que as mulheres infectadas pelo VIH não amamentem os seus lactentes sob nenhuma circunstância para evitar a transmissão do VIH.

Os doentes devem ser informados que foram notificadas tonturas durante o tratamento com dolutegravir.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 12 de Abril de 2022