Desogestrel + Etinilestradiol

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento
O que é
Etinilestradiol e Desogestrel é uma combinação de fármacos que contém hormonas femininas, que impedem a ovulação (a libertação de um óvulo de um ovário).

Este medicamento também provoca alterações no muco cervical e endométrio, tornando mais difícil para os espermatozóides até o útero e mais difícil para um óvulo fertilizado para anexar ao útero.

Etinilestradiol e Desogestrel é utilizado como método contraceptivo para evitar a gravidez.
Usos comuns
Desogestrel + Etinilestradiol é usado como contraceptivo.
Tipo
Sem informação.
História
Etinilestradiol / desogestrel em 2017, foi o 164º medicamento mais comumente prescrito nos Estados Unidos, com mais de três milhões de prescrições.
Indicações
Etinilestradiol e Desogestrel é utilizado como método contraceptivo para evitar a gravidez.
Classificação CFT

08.05.01.02 : Anticoncepcionais

Mecanismo De Acção
O efeito contraceptivo dos COCs é baseado na interacção de diversos factores, sendo os mais importantes a inibição da ovulação e as alterações no muco cervical.

Assim como a protecção contra a gravidez, os COCs possuem outras propriedades positivas que, considerando as suas propriedades negativas, podem ser úteis na decisão do método de contracepção.

Os ciclos menstruais tornam-se mais regulares e as perdas menstruais menos abundantes e dolorosas, que em último caso podem resultar na diminuição de ocorrência de défice em ferro.

Por outro lado, existe evidência de um risco reduzido de tumores fibroquistícos da mama, quistos do ovário, doença inflamatória pélvica, gravidez ectópica e cancro do endométrio e ovário com os COCs de alta dosagem (50 microgramas de etinilestradiol).

Ainda não está confirmado se estes dados também se aplicam aos COCs de baixa dosagem.
Posologia Orientativa
Dose habitual para contracepção:
Os medicamentos de estradiol etinildesogestrel são embalados em preparações farmacêuticas para 21 ou 28 dias.

Os últimos sete comprimidos em preparações farmacêuticas para 28 dias são hormonalmente inócuos.

Independentemente do número de comprimidos de uma embalagem, a extensão do ciclo de contraceptivos orais, é geralmente considerada como 28 dias. (O primeiro dia de sangramento menstrual é contado como dia 1).

Início do tratamento contraceptivo oral
Este produto pode ser administrada em duas maneiras.

Ao iniciar um regime no domingo, o primeiro comprimido pode ser tomado no primeiro domingo após a o início da menstruação.

Se o período começa num domingo, o primeiro comprimido pode ser tomado nesse mesmo dia.

Ao iniciar um regime no domingo, outro método contraceptivo deve ser iniciado após os primeiros 7 dias consecutivos de administração.

Para uma embalagem de 28 dias, um comprimido é tomado diariamente, durante 28 dias e começar uma nova embalagem dia seguinte.

Para uma embalagem de 21 dias, um comprimido é tomado diariamente, durante 21 dias, seguidos de 7 dias sem medicação.

Uma nova embalagem de contraceptivos é iniciada no dia seguinte. Ao iniciar um regime no dia 1, o primeiro comprimido é tomado no primeiro dia da menstruação.

Essa iniciação pode aumentar o risco de manchas e hemorragias, mas diminuir o risco de ovulação precoce e gravidez.

Para uma embalagem de 28 dias, um comprimido é tomado diariamente, durante 28 dias e um nova embalagem iniciada no dia seguinte.

Para uma embalagem de 21 dias, um comprimido é tomado diariamente, durante 21 dias, seguidos de 7 dias sem medicação.

Um nova embalagem de contraceptivos é iniciada no dia seguinte.

Muitos médicos recomendam que os métodos contraceptivos adicionais sejam usados durante o primeiro ciclo de terapia hormonal, a fim de reduzir o risco de gravidez indesejada.
Administração
Via oral.
Os comprimidos deverão ser tomados diariamente segundo a ordem indicada no blister, à mesma hora. Diariamente deverá tomar um comprimido durante 21 dias consecutivos.
Contra-Indicações
Hipersensibilidade ao Desogestrel ou ao Etinilestradiol.

Os contraceptivos orais combinados (COCs) não deverão ser utilizados na presença de qualquer uma das situações abaixo indicadas. Se alguma destas situações surgir pela primeira vez durante a toma de um COC, este deverá ser imediatamente interrompido.
- Presença ou antecedentes de trombose venosa (trombose venosa profunda, embolismo pulmonar).
- Presença ou antecedentes de trombose arterial (enfarte do miocárdio, acidente vascular cerebral) ou sinais prodrómicos (por exemplo, acidente isquémico transitório, angina de peito).
- Predisposição conhecida para trombose venosa ou arterial, tal como resistência à proteína C activada (APC), défice de antitrombina-III, défice de proteína C, défice de proteína S, hiperhomocisteinemia e anticorpos antifosfolipídicos.
- Ocorrência recente grave ou antecedentes de enxaqueca recorrente, ambos com sintomas neurológicos focais Diabetes mellitus com envolvimento vascular.
- A presença de um factor de risco grave ou de múltiplos factores de risco de trombose venosa ou arterial pode constituir também uma contra-indicação.
- Pancreatite ou antecedentes se associados a hipertrigliceridemias graves.
- Presença ou antecedentes de doença hepática grave desde que os valores da função hepática não tenham regressado ao normal.
- Presença ou antecedentes de tumores hepáticos (benignos ou malignos).
- Conhecimento ou suspeita de tumores influenciados por esteróides sexuais (por exemplo, dos órgãos genitais ou da mama).
- Hiperplasia endometrial.
- Hemorragia vaginal não diagnosticada.
- Gravidez ou suspeita de gravidez.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Obtenha ajuda médica de emergência se tiver algum destes sinais de reacção alérgica: urticária; dificuldade de respirar, inchaço do rosto, lábios, língua ou garganta.

Suspenda o uso de pílulas anticoncepcionais e contacte o médico imediatamente se tem um efeito colateral grave, tal como:
– dormência ou fraqueza súbita, especialmente em um lado do corpo;
– dor de cabeça súbita e grave, confusão, problemas com a visão, o discurso ou o equilíbrio;
– dor no peito ou sensação de peso, dor que se estende para o braço ou os ombros, náusea, suores, mal-estar geral;
– tosse súbita, pieira no peito, respiração rápida, tosse com sangue;
– dor, inchaço, calor, vermelhidão ou em uma ou ambas as pernas;
– uma mudança no padrão ou gravidade de enxaquecas;
– náuseas, dor de estômago superior, comichão, perda de apetite, urina escura, fezes cor de barro, icterícia (amarelamento da pele ou olhos);
– inchaço das mãos, tornozelos ou pés;
– um nódulo na mama, ou
– sintomas de depressão (problemas de sono, fraqueza, sensação de cansaço, alterações de humor).

Menos graves efeitos secundários podem incluir:
– náusea leve (especialmente quando começar a tomar este medicamento), vómitos, inchaço, dores de estômago;
– sensibilidade mamária ou inchaço, secreção mamilar;
– sardas ou escurecimento da pele facial, aumento do crescimento de cabelo, perda de cabelo do couro cabeludo;
– mudanças no peso ou apetite;
– problemas com as lentes de contacto;
– comichão ou corrimento vaginal, ou
– mudanças em seus períodos menstruais, diminuição do desejo sexual.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Se ocorrer uma gravidez, o tratamento com Desogestrel / Etinilestradiol deve ser interrompido imediatamente.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:O uso de COCs não deverá ser geralmente recomendado antes do total desmame do lactente.
Precauções Gerais
Este medicamento pode causar defeitos de nascimento. Não use se estiver grávida.

Informe o médico imediatamente se engravidar, ou se perder dois períodos menstruais consecutivos. Se tiver tido recentemente um bebé, esperar pelo menos 4 semanas antes de tomar pílulas anticoncepcionais.

Não deve tomar pílulas de controle de natalidade se tem:
– tensão arterial alta ou não controlada;
– doença cardíaca (doença arterial coronariana, doença valvular cardíaca descontrolada, história de ataque cardíaco, derrame ou coágulo de sangue );
– um transtorno ou problemas de circulação de coagulação do sangue;
– problemas com os olhos, rins ou circulação, causados pela diabetes;
– história de cancro hormona-relacionados, tais como cancro da mama ou do útero;
– sangramento vaginal anormal que não tenha sido verificado por um Médico;
– doença hepática ou cancro de fígado;
– enxaquecas graves (com aura, dormência, fraqueza ou alterações de visão), especialmente se tiver mais de 35 anos;
– uma história de icterícia causada pela gravidez ou pílulas anticoncepcionais, ou
– se fuma e está com mais de 35 anos de idade.

Para se certificar de que pode tomar com segurança pílulas anticoncepcionais, informe o médico se tem alguma destas outras condições:
– tensão arterial alta, varizes;
– níveis elevados de colesterol ou triglicéridos, ou se está acima do peso recomendado;
– histórico de depressão;
– disfunção da tiróide;
– doença da vesícula biliar;
– diabetes;
– convulsões ou epilepsia;
– uma história de ciclos menstruais irregulares;
– tuberculose; ou
– história de doença fibrocística da mama, caroços, nódulos, ou uma mamografia anormal.

Os hormonas na pílula anticoncepcional pode passar para o leite materno e pode prejudicar um bebé a amamentar.
Este medicamento também pode reduzir a produção de leite materno.
Não use se estiver a amamentar.
Cuidados com a Dieta
Não interfere com alimentos e bebidas.
Terapêutica Interrompida
Falhar uma pílula aumenta o risco de engravidar. Se perder um comprimido activo, tomar duas pílulas no dia em que se lembrar. Em seguida, tomar um comprimido por dia para o resto da embalagem.

Se falhar duas pílulas activas em uma fileira na Semana 1 ou 2, tomar dois comprimidos por dia durante dois dias seguidos. Em seguida, tomar um comprimido por dia até terminar a embalagem.

Use outra forma de controle de natalidade por pelo menos 7 dias após as pílulas esquecidas. Se falhar duas pílulas activas numa fileira da Semana 3, deitar fora o resto da embalagem e começar uma nova embalagem no mesmo dia, se coincidir com o Dia 1 de início.

Se iniciar a um Domingo, prossiga a toma todos os dias até domingo. No domingo, deitar fora o resto da embalagem e começar uma nova embalagem nesse mesmo dia.

Se falhar três pílulas activas numa fileira na Semana 1, 2, ou 3, deitar fora o resto da embalagem e começar uma nova embalagem no mesmo dia se for o Dia 1 de arranque.

Se é um iniciante de Domingo, tome a pílula todos os dias até ao próximo domingo domingo. No domingo, deite fora o resto da embalagem e comece uma nova embalagem nesse dia.

Se falhar duas ou mais pílulas, não pode ter um período durante o mês. Se falhar um período de dois meses seguidos, consulte o Médico, pois pode estar grávida.

Se esquecer um comprimido, jogá-lo fora e continuar a tomar um comprimido por dia logo que se lembre, até que o pacote fique vazio.

Não precisa de outra forma de controle de natalidade se esquecer um comprimido.
Cuidados no Armazenamento
Conservar a temperatura inferior a 30ºC.
Não congelar.
Conservar na embalagem de origem para proteger da luz e humidade.

Mantenha todos os medicamentos fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu médico, enfermeiro ou farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espectro de susceptibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Usar com precaução

Desogestrel + Etinilestradiol Barbitúricos

Observações: n.d.
Interacções: As interacções medicamentosas que resultam num aumento da depuração das hormonas sexuais podem originar hemorragias de disrupção e falhas na eficácia contracetiva. Esta situação foi identificada com as hidantoínas, os barbitúricos, a primidona, a carbamazepina e a rifampicina; também se suspeita que possa ocorrer com a oxcarbazepina, o topiramato, o felbamato, a griseofulvina, e a nevirapina. O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades de indução das enzimas hepáticas destes medicamentos. Geralmente observa-se uma indução máxima das enzimas apenas 2-3 semanas após o início do tratamento, mas que pode persistir durante pelo menos 4 semanas após o final do tratamento. As mulheres sujeitas a um tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer um dos grupos de medicamentos acima mencionados ou com os medicamentos individuais, devem utilizar temporariamente um método contraceptivo de barreira juntamente com os COC, ou seja, durante o período de tempo em que o medicamento e os COC são utilizados em simultâneo, bem como durante os primeiros 7 dias após a suspensão do medicamento - Barbitúricos
Usar com precaução

Desogestrel + Etinilestradiol Hidantoínas

Observações: n.d.
Interacções: As interacções medicamentosas que resultam num aumento da depuração das hormonas sexuais podem originar hemorragias de disrupção e falhas na eficácia contracetiva. Esta situação foi identificada com as hidantoínas, os barbitúricos, a primidona, a carbamazepina e a rifampicina; também se suspeita que possa ocorrer com a oxcarbazepina, o topiramato, o felbamato, a griseofulvina, e a nevirapina. O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades de indução das enzimas hepáticas destes medicamentos. Geralmente observa-se uma indução máxima das enzimas apenas 2-3 semanas após o início do tratamento, mas que pode persistir durante pelo menos 4 semanas após o final do tratamento. As mulheres sujeitas a um tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer um dos grupos de medicamentos acima mencionados ou com os medicamentos individuais, devem utilizar temporariamente um método contraceptivo de barreira juntamente com os COC, ou seja, durante o período de tempo em que o medicamento e os COC são utilizados em simultâneo, bem como durante os primeiros 7 dias após a suspensão do medicamento - Hidantoínas
Usar com precaução

Desogestrel + Etinilestradiol Primidona

Observações: n.d.
Interacções: As interacções medicamentosas que resultam num aumento da depuração das hormonas sexuais podem originar hemorragias de disrupção e falhas na eficácia contracetiva. Esta situação foi identificada com as hidantoínas, os barbitúricos, a primidona, a carbamazepina e a rifampicina; também se suspeita que possa ocorrer com a oxcarbazepina, o topiramato, o felbamato, a griseofulvina, e a nevirapina. O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades de indução das enzimas hepáticas destes medicamentos. Geralmente observa-se uma indução máxima das enzimas apenas 2-3 semanas após o início do tratamento, mas que pode persistir durante pelo menos 4 semanas após o final do tratamento. As mulheres sujeitas a um tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer um dos grupos de medicamentos acima mencionados ou com os medicamentos individuais, devem utilizar temporariamente um método contraceptivo de barreira juntamente com os COC, ou seja, durante o período de tempo em que o medicamento e os COC são utilizados em simultâneo, bem como durante os primeiros 7 dias após a suspensão do medicamento - Primidona
Usar com precaução

Desogestrel + Etinilestradiol Carbamazepina

Observações: n.d.
Interacções: As interacções medicamentosas que resultam num aumento da depuração das hormonas sexuais podem originar hemorragias de disrupção e falhas na eficácia contracetiva. Esta situação foi identificada com as hidantoínas, os barbitúricos, a primidona, a carbamazepina e a rifampicina; também se suspeita que possa ocorrer com a oxcarbazepina, o topiramato, o felbamato, a griseofulvina, e a nevirapina. O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades de indução das enzimas hepáticas destes medicamentos. Geralmente observa-se uma indução máxima das enzimas apenas 2-3 semanas após o início do tratamento, mas que pode persistir durante pelo menos 4 semanas após o final do tratamento. As mulheres sujeitas a um tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer um dos grupos de medicamentos acima mencionados ou com os medicamentos individuais, devem utilizar temporariamente um método contraceptivo de barreira juntamente com os COC, ou seja, durante o período de tempo em que o medicamento e os COC são utilizados em simultâneo, bem como durante os primeiros 7 dias após a suspensão do medicamento - Carbamazepina
Usar com precaução

Desogestrel + Etinilestradiol Rifampicina (rifampina)

Observações: n.d.
Interacções: As interacções medicamentosas que resultam num aumento da depuração das hormonas sexuais podem originar hemorragias de disrupção e falhas na eficácia contracetiva. Esta situação foi identificada com as hidantoínas, os barbitúricos, a primidona, a carbamazepina e a rifampicina; também se suspeita que possa ocorrer com a oxcarbazepina, o topiramato, o felbamato, a griseofulvina, e a nevirapina. O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades de indução das enzimas hepáticas destes medicamentos. Geralmente observa-se uma indução máxima das enzimas apenas 2-3 semanas após o início do tratamento, mas que pode persistir durante pelo menos 4 semanas após o final do tratamento. As mulheres sujeitas a um tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer um dos grupos de medicamentos acima mencionados ou com os medicamentos individuais, devem utilizar temporariamente um método contraceptivo de barreira juntamente com os COC, ou seja, durante o período de tempo em que o medicamento e os COC são utilizados em simultâneo, bem como durante os primeiros 7 dias após a suspensão do medicamento. As mulheres em tratamento com rifampicina devem utilizar um método contraceptivo de barreira juntamente com os COC durante o período de tempo em que estiverem a utilizar a rifampicina, bem como durante os primeiros 28 dias após a sua suspensão. Se a toma concomitante de outro medicamento se prolongar para além do número de comprimidos do blister de COC, a mulher deve iniciar o blister seguinte sem cumprir o intervalo habitual sem comprimidos. - Rifampicina (rifampina)
Usar com precaução

Desogestrel + Etinilestradiol Oxcarbazepina

Observações: n.d.
Interacções: As interacções medicamentosas que resultam num aumento da depuração das hormonas sexuais podem originar hemorragias de disrupção e falhas na eficácia contracetiva. Esta situação foi identificada com as hidantoínas, os barbitúricos, a primidona, a carbamazepina e a rifampicina; também se suspeita que possa ocorrer com a oxcarbazepina, o topiramato, o felbamato, a griseofulvina, e a nevirapina. O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades de indução das enzimas hepáticas destes medicamentos. Geralmente observa-se uma indução máxima das enzimas apenas 2-3 semanas após o início do tratamento, mas que pode persistir durante pelo menos 4 semanas após o final do tratamento. As mulheres sujeitas a um tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer um dos grupos de medicamentos acima mencionados ou com os medicamentos individuais, devem utilizar temporariamente um método contraceptivo de barreira juntamente com os COC, ou seja, durante o período de tempo em que o medicamento e os COC são utilizados em simultâneo, bem como durante os primeiros 7 dias após a suspensão do medicamento - Oxcarbazepina
Usar com precaução

Desogestrel + Etinilestradiol Topiramato

Observações: n.d.
Interacções: As interacções medicamentosas que resultam num aumento da depuração das hormonas sexuais podem originar hemorragias de disrupção e falhas na eficácia contracetiva. Esta situação foi identificada com as hidantoínas, os barbitúricos, a primidona, a carbamazepina e a rifampicina; também se suspeita que possa ocorrer com a oxcarbazepina, o topiramato, o felbamato, a griseofulvina, e a nevirapina. O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades de indução das enzimas hepáticas destes medicamentos. Geralmente observa-se uma indução máxima das enzimas apenas 2-3 semanas após o início do tratamento, mas que pode persistir durante pelo menos 4 semanas após o final do tratamento. As mulheres sujeitas a um tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer um dos grupos de medicamentos acima mencionados ou com os medicamentos individuais, devem utilizar temporariamente um método contraceptivo de barreira juntamente com os COC, ou seja, durante o período de tempo em que o medicamento e os COC são utilizados em simultâneo, bem como durante os primeiros 7 dias após a suspensão do medicamento - Topiramato
Usar com precaução

Desogestrel + Etinilestradiol Felbamato

Observações: n.d.
Interacções: As interacções medicamentosas que resultam num aumento da depuração das hormonas sexuais podem originar hemorragias de disrupção e falhas na eficácia contracetiva. Esta situação foi identificada com as hidantoínas, os barbitúricos, a primidona, a carbamazepina e a rifampicina; também se suspeita que possa ocorrer com a oxcarbazepina, o topiramato, o felbamato, a griseofulvina, e a nevirapina. O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades de indução das enzimas hepáticas destes medicamentos. Geralmente observa-se uma indução máxima das enzimas apenas 2-3 semanas após o início do tratamento, mas que pode persistir durante pelo menos 4 semanas após o final do tratamento. As mulheres sujeitas a um tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer um dos grupos de medicamentos acima mencionados ou com os medicamentos individuais, devem utilizar temporariamente um método contraceptivo de barreira juntamente com os COC, ou seja, durante o período de tempo em que o medicamento e os COC são utilizados em simultâneo, bem como durante os primeiros 7 dias após a suspensão do medicamento - Felbamato
Usar com precaução

Desogestrel + Etinilestradiol Griseofulvina

Observações: n.d.
Interacções: As interacções medicamentosas que resultam num aumento da depuração das hormonas sexuais podem originar hemorragias de disrupção e falhas na eficácia contracetiva. Esta situação foi identificada com as hidantoínas, os barbitúricos, a primidona, a carbamazepina e a rifampicina; também se suspeita que possa ocorrer com a oxcarbazepina, o topiramato, o felbamato, a griseofulvina, e a nevirapina. O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades de indução das enzimas hepáticas destes medicamentos. Geralmente observa-se uma indução máxima das enzimas apenas 2-3 semanas após o início do tratamento, mas que pode persistir durante pelo menos 4 semanas após o final do tratamento. As mulheres sujeitas a um tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer um dos grupos de medicamentos acima mencionados ou com os medicamentos individuais, devem utilizar temporariamente um método contraceptivo de barreira juntamente com os COC, ou seja, durante o período de tempo em que o medicamento e os COC são utilizados em simultâneo, bem como durante os primeiros 7 dias após a suspensão do medicamento - Griseofulvina
Usar com precaução

Desogestrel + Etinilestradiol Nevirapina

Observações: n.d.
Interacções: As interacções medicamentosas que resultam num aumento da depuração das hormonas sexuais podem originar hemorragias de disrupção e falhas na eficácia contracetiva. Esta situação foi identificada com as hidantoínas, os barbitúricos, a primidona, a carbamazepina e a rifampicina; também se suspeita que possa ocorrer com a oxcarbazepina, o topiramato, o felbamato, a griseofulvina, e a nevirapina. O mecanismo desta interacção parece basear-se nas propriedades de indução das enzimas hepáticas destes medicamentos. Geralmente observa-se uma indução máxima das enzimas apenas 2-3 semanas após o início do tratamento, mas que pode persistir durante pelo menos 4 semanas após o final do tratamento. As mulheres sujeitas a um tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer um dos grupos de medicamentos acima mencionados ou com os medicamentos individuais, devem utilizar temporariamente um método contraceptivo de barreira juntamente com os COC, ou seja, durante o período de tempo em que o medicamento e os COC são utilizados em simultâneo, bem como durante os primeiros 7 dias após a suspensão do medicamento - Nevirapina
Usar com precaução

Desogestrel + Etinilestradiol Antibióticos

Observações: n.d.
Interacções: Foram igualmente comunicadas falhas na eficácia contracetiva com a utilização simultânea de antibióticos, como a ampicilina e as tetraciclinas. Este mecanismo de acção não foi esclarecido. As mulheres sujeitas a um tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer um dos grupos de medicamentos acima mencionados ou com os medicamentos individuais, devem utilizar temporariamente um método contraceptivo de barreira juntamente com os COC, ou seja, durante o período de tempo em que o medicamento e os COC são utilizados em simultâneo, bem como durante os primeiros 7 dias após a suspensão do medicamento. - Antibióticos
Usar com precaução

Desogestrel + Etinilestradiol Ampicilina

Observações: n.d.
Interacções: Foram igualmente comunicadas falhas na eficácia contracetiva com a utilização simultânea de antibióticos, como a ampicilina e as tetraciclinas. Este mecanismo de acção não foi esclarecido. As mulheres sujeitas a um tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer um dos grupos de medicamentos acima mencionados ou com os medicamentos individuais, devem utilizar temporariamente um método contraceptivo de barreira juntamente com os COC, ou seja, durante o período de tempo em que o medicamento e os COC são utilizados em simultâneo, bem como durante os primeiros 7 dias após a suspensão do medicamento. - Ampicilina
Usar com precaução

Desogestrel + Etinilestradiol Tetraciclinas

Observações: n.d.
Interacções: Foram igualmente comunicadas falhas na eficácia contracetiva com a utilização simultânea de antibióticos, como a ampicilina e as tetraciclinas. Este mecanismo de acção não foi esclarecido. As mulheres sujeitas a um tratamento de curto prazo (até uma semana) com qualquer um dos grupos de medicamentos acima mencionados ou com os medicamentos individuais, devem utilizar temporariamente um método contraceptivo de barreira juntamente com os COC, ou seja, durante o período de tempo em que o medicamento e os COC são utilizados em simultâneo, bem como durante os primeiros 7 dias após a suspensão do medicamento. - Tetraciclinas
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Desogestrel + Etinilestradiol Flunarizina

Observações: n.d.
Interacções: Existe um risco de galactorreia devido a um aumento da sensibilidade do tecido mamário à prolactina causada pela flunarizina. - Flunarizina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Desogestrel + Etinilestradiol Troleandomicina

Observações: n.d.
Interacções: A troleandomicina poderá aumentar o risco de colestase intra-hepática durante a administração concomitante com COCs. No caso das utilizadoras a longo prazo de medicamentos que induzem as enzimas hepáticas, os especialistas recomendam o aumento da dosagem de esteróides contraceptivos. No caso de não ser recomendável uma dosagem elevada de contraceptivo ou se esta dosagem elevada se revelar insuficiente ou ineficaz, por exemplo no caso de hemorragias irregulares, deve ser recomendado o uso de outro método contraceptivo. - Troleandomicina
Contraindicado

Desogestrel + Etinilestradiol Hipericão (Erva de S. João; Hypericum perforatum)

Observações: n.d.
Interacções: A preparação herbal Erva de S. João (Hypericum perforatum) não deve ser tomada concomitantemente com este medicamento uma vez que esta preparação pode causar uma perda do efeito contraceptivo. Foram comunicados casos de hemorragia de privação e de gravidez indesejada. Isto deve-se à indução das enzimas que metabolizam os medicamentos por parte da Erva de S. João. O efeito da indução pode persistir durante pelo menos 2 semanas após o final do tratamento com a Erva de S. João. - Hipericão (Erva de S. João; Hypericum perforatum)
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Desogestrel + Etinilestradiol Ritonavir

Observações: n.d.
Interacções: A administração concomitante de ritonavir com um COC fixo resulta numa redução da AUC média do etinilestradiol em cerca de 41%, pelo que deverá ser considerado o aumento da dose do COC contendo etinilestradiol ou então um método contraceptivo alternativo. - Ritonavir
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Desogestrel + Etinilestradiol Ciclosporina

Observações: n.d.
Interacções: Os Contraceptivos orais podem influenciar o metabolismo de outras substâncias activas. Por esse motivo, as concentrações plasmáticas e tecidulares podem aumentar (por ex., ciclosporina) ou diminuir (por ex., lamotrigina). - Ciclosporina
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Desogestrel + Etinilestradiol Lamotrigina

Observações: n.d.
Interacções: Os Contraceptivos orais podem influenciar o metabolismo de outras substâncias activas. Por esse motivo, as concentrações plasmáticas e tecidulares podem aumentar (por ex., ciclosporina) ou diminuir (por ex., lamotrigina). - Lamotrigina
Usar com precaução

Desogestrel + Etinilestradiol Testes Laboratoriais/Diagnóstico

Observações: n.d.
Interacções: A utilização de esteróides Contraceptivos poderá influenciar os resultados de certas análises laboratoriais, incluindo parâmetros bioquímicos das funções hepática, tiroideia, suprarrenal e renal, valores das proteínas plasmáticas (de transporte), por exemplo, globulinas de ligação aos corticoides e frações lipídicas/lipoproteícas, parâmetros do metabolismo dos hidratos de carbono e parâmetros de coagulação e fibrinólise. Em geral, as alterações mantêm-se dentro dos valores laboratoriais normais. - Testes Laboratoriais/Diagnóstico
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções do Desogestrel + Etinilestradiol
Informe o Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Se ocorrer uma gravidez, o tratamento com Desogestrel / Etinilestradiol deve ser interrompido imediatamente.

O uso de COCs não deverá ser geralmente recomendado antes do total desmame do lactente.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Novembro de 2021