Clorodiazepóxido

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Insuficiência Hepática DCI com Advertência na Insuficiência Renal DCI com Advertência na Condução
O que é
O clordiazepóxido é um medicamento sedativo e hipnótico da classe das benzodiazepinas; é usado para tratar ansiedade, insónia e sintomas de abstinência de álcool e outras drogas.
Usos comuns
O Clorodiazepóxido é utilizado para tratar distúrbios de ansiedade ou no tratamento do alcoolismo.
Tipo
Molécula pequena.
História
O clordiazepóxido foi patenteado em 1958 e aprovado para uso médico em 1960.
Foi o primeiro benzodiazepínico a ser sintetizado e a descoberta do clordiazepóxido foi por puro acaso.
O clordiazepóxido e outros benzodiazepínicos foram inicialmente aceitos com ampla aprovação pública, mas foram seguidos por ampla reprovação pública e recomendações de diretrizes médicas mais restritivas para seu uso.
Indicações
Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos; adjuvante no síndrome de abstinência alcoólica.
Classificação CFT

02.09.01 : Ansiolíticos, sedativos e hipnóticos

Mecanismo De Ação
O Clordiazepóxido liga-se à benzodiazepina (BZD) estereoespecífica no sítio de ligação para o GABA(A), o complexo recetor GABA-A em vários locais dentro do sistema nervoso central, incluindo o sistema límbico e formação reticular.

Isto resulta num aumento da ligação do neurotransmissor GABA para o recetor GABA (A).

Por conseguinte, as BZDs aumentam o influxo de cloreto mediado por GABA através dos canais de recetores de GABA, causando hiperpolarização da membrana.

Os efeitos neuro-inibidores resultam nas propriedades sedativas, hipnóticas, ansiolíticas, e relaxantes musculares observadas.
Posologia Orientativa
Dose média diária de 30 mg em 3 administrações; se necessário podem atingir-se os 100 mg.
Administração
Vias oral e IM.
Contraindicações
Hipersensibilidade ao Clorodiazepóxido.

As doses nos indivíduos idosos devem ser em geral menores do que no adulto jovem; nas crianças, tal como no idoso, podem desencadear-se reações paradoxais.

Ter atenção na miastenia gravis, na insuficiência respiratória grave, na síndrome de apneia do sono.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Sonolência e incoordenação motora, alterações gastrintestinais, obstipação, diarreia, vómitos e alterações do apetite; alterações visuais e irregularidades cardiovasculares; alteração da memória a curto prazo, confusão, depressão, vertigem.

O uso prolongado pode causar dependência e síndrome de abstinência quando a medicação é interrompida.
Advertências

Sem informação.

Precauções Gerais
O clordiazepóxido deve ser usado apenas durante um curto período de tempo.

É muito importante que o médico verifique o seu progresso, ou do seu filho, regularmente para se certificar de que o clordiazepóxido está a atuar corretamente.

Podem ser necessários exames de sangue para verificar se existem efeitos indesejáveis.

Tomar clordiazepoxido durante a gravidez pode fazer mal ao feto.

Deve utilizar uma forma eficaz de contraceção para não engravidar.

Se acha que pode ter engravidado durante o uso do medicamento, deve informar o médico imediatamente.

O clordiazepóxido pode provocar nalgumas pessoas, especialmente nos idosos, sonolência, tonturas, vertigens, ou torná-las mais desajeitadas ou instáveis, e menos alerta do que normalmente são.

Certifique-se de que sabe como reage ao clordiazepoxido antes de conduzir, utilizar máquinas, ou fazer qualquer outra coisa que possa ser perigosa se não estiver alerta ou capaz de pensar ou ver bem.

O clordiazepoxido exacerba os efeitos do álcool e outros depressores do sistema nervoso central (SNC).

Os depressores do SNC são medicamentos que retardam o sistema nervoso, o que pode causar sonolência ou torná-lo menos alerta.

Alguns exemplos de depressores do SNC são anti-histamínicos ou medicamentos para a febre dos fenos, alergias ou constipações; sedativos, tranquilizantes, ou medicamentos para dormir; analgésicos prescritos ou narcóticos; barbitúricos (usados para convulsões); relaxantes musculares; ou anestésicos (medicamentos entorpecentes), incluindo alguns anestésicos dentários.

Este efeito pode durar alguns dias após a interrupção da toma do clordiazepóxido.

Consulte o médico antes de tomar qualquer um dos mencionados acima, enquanto estiver a tomar o clordiazepóxido.

Se desenvolver qualquer pensamento ou comportamento incomuns e estranhos enquanto estiver a tomar o clordiazepóxido, não deixe de falar com o médico.

Algumas mudanças que ocorreram em pessoas que tomam clordiazepóxido assemelham-se às observadas em pessoas que bebem álcool e que agem de uma forma que não é normal.

Outras mudanças podem ser mais incomuns e extremas, tais como confusão, agravamento da depressão, alucinações (ver, ouvir ou sentir coisas que não existem), pensamentos suicidas e excitação incomum, nervosismo, ou irritabilidade.

Não interrompa a toma sem antes consultar o médico.

O médico pode querer reduzir gradualmente a dosagem que está a tomar antes de parar completamente.

Isto ajuda a evitar um agravamento do seu estado e reduz a possibilidade de sintomas de abstinência, como convulsões (crisas), cãibras musculares ou no estômago, tremores, ou comportamento incomum.

O clordiazepóxido é para uso a curto prazo (normalmente apenas de 7 a 10 dias).

Se a sua condição não melhorar, ou se piorar, deve consultar o médico.
Cuidados com a Dieta
Evitar o álcool.

Tomar independentemente das refeições.
Terapêutica Interrompida
Tomar a dose assim que se lembrar.

Se for quase altura da próxima dose, saltar a dose e tomar o medicamento no horário programado.

Não tomar medicação extra para compensar a dose esquecida.
Cuidados no Armazenamento
Guardar o medicamento em recipiente fechado à temperatura ambiente, longe do calor, humidade e luz direta.

Evitar o congelamento.

Manter fora do alcance das crianças.

Não guardar os medicamentos fora de prazo ou que já não são necessários.

Perguntar ao profissional de saúde como deve dispor de qualquer medicamento que não use.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dissulfiram + Clorodiazepóxido

Observações: Inibe as enzimas microssomais hepáticas metabolizadoras de fármacos. Inibe a aldeído-desidrogenase
Interações: Benzodiazepinas: o metabolismo do clordiazepóxido e diazepam estão diminuídos, mas não o do oxazepam e lorazepam - Clorodiazepóxido - Clorodiazepóxido
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Cetoconazol + Clorodiazepóxido

Observações: N.D.
Interações: O Cetoconazol pode possivelmente reduzir a clearance de eliminação do clordiazepóxido e das benzodiazepinas metabolizadas tais como o midazolam e o triazolam. - Clorodiazepóxido
Não recomendado/Evitar

Etcorvinol + Clorodiazepóxido

Observações: N.D.
Interações: Usando etclorvinol com qualquer um dos seguintes medicamentos normalmente não é recomendada, mas pode não ser necessária em alguns casos. Se ambos os medicamentos são prescritos em conjunto, o médico pode alterar a dose. - Adinazolam - Alfentanil - Alprazolam - Amobarbital - Anileridina - Aprobarbital - Brofaromina - Bromazepam - Brotizolam - Buprenorfina - Butabarbital - Butalbital - Carbinoxamina - Carisoprodol - Clorodiazepóxido - Clorzoxazona - Clobazam - Clonazepam - Clorazepato - Clorgilina - Codeína - Dantroleno - Diazepam - Estazolam - Fentanilo - Flunitrazepam - Flurazepam - Furazolidona - Halazepam - Hidrocodona - Hidromorfona - Iproniazida - Isocarboxazida - Cetazolam - Lazabemida - Levorfanol - Linezolida - lorazepam - lormetazepam - Meclizina - Medazepam - meperidina - mefenesina - meprobamato - metaxalone - metadona - Metocarbamol - Metoexital - Midazolam - Moclobemida - Morfina - Nialamida - Nitrazepam - Nordazepam - Oxazepam - Oxicodona - Oximorfona - Pargilina - Pentobarbital - Fenelzina - Fenobarbital - Prazepam - Primidona - Procarbazina - Propoxifeno - Quazepam - Rasagilina - Remifentanil - Secobarbital - Selegilina - Sufentanil - Suvorexanto - Tapentadol - Temazepam - Tiopental - Toloxatona - Tranilcipromina - Triazolam - Zolpidem - Clorodiazepóxido
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Nilutamida + Clorodiazepóxido

Observações: N.D.
Interações: A nilutamida actuando sobre certos mecanismos enzimáticos microssomais, pode reduzir o metabolismo hepático de certas substâncias, tais como: antivitaminas K, fenitoína, propranolol, clordiazepóxido, diazepam e teofilina, cuja eliminação pode ser retardada e os seus níveis plasmáticos aumentados. A posologia destes medicamentos ou de outros com metabolismo semelhante, pode necessitar de um ajustamento, quando administrados com a nilutamida. - Clorodiazepóxido
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fenitoína + Clorodiazepóxido

Observações: N.D.
Interações: Fármacos que podem aumentar os níveis séricos de fenitoína incluem: cloranfenicol, sulfonamidas, dicumarol, disulfiram, isoniazida, cimetidina, sultiamo, fenilbutazona, tolbutamida, salicilatos, clorodiazepóxido, fenotiazinas, diazepam e alcoolismo agudo. - Clorodiazepóxido
Usar com precaução

Cimetidina + Clorodiazepóxido

Observações: Aparentemente, através de uma acção nos sistemas enzimáticos microssómicos, Cimetidina pode causar alterações significativas no metabolismo de certos fármacos, causando um atraso na sua eliminação e provocando, por consequência, um prolongamento ou um aumento das suas concentrações sanguíneas.
Interações: Estão também descritas interações com propanolol, clordiazepóxido, diazepam, alguns antidepressivos tricíclicos, metronidazole, triamterene e terfenadina. - Clorodiazepóxido
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações do Clorodiazepóxido
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Seguir as instruções indicadas no medicamento.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 18 de Setembro de 2020