Cefazolina

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
A cefazolina é um antibiótico usado para o tratamento de várias infecções bacterianas.
Especificamente, é usado para tratar celulite, infecções do tracto urinário, pneumonia, endocardite, infecção articular e infecções do trato biliar.
Também é usado para prevenir a doença estreptocócica do grupo B no momento do parto e antes da cirurgia.
Usos comuns
O tratamento de infecções bacterianas ou a prevenção de infecções bacterianas, antes, durante, ou depois de certas operações.
Tipo
Molécula pequena.
História
A cefazolina foi patenteada em 1967 e entrou em uso comercial em 1971.
Está na Lista de Medicamentos Essenciais da Organização Mundial de Saúde, os medicamentos mais seguros e eficazes necessários em um sistema de saúde.
Indicações
A Cefazolina é um agente antibacteriano indicado no tratamento das seguintes infecções, em adultos e crianças com idade superior a um mês quando provocadas por micro-organismos susceptíveis à cefazolina:
- infecções dos tecidos moles e pele;
- infecções articulares e ósseas;
- Profilaxia de infecções peri-operatórias.

A utilização de Cefazolina deve ser limitada aos casos em que é necessário tratamento parentérico.
Classificação CFT

01.01.02.01 : Cefalosporinas de 1ª geração

Mecanismo De Acção
Em testes in vitro demonstram que a acção bactericida dos cefalosporinas resulta da inibição da síntese da parede celular.

Ao ligar-se a proteínas de ligação à penicilina específicos (PLP) localizadas no interior da parede celular bacteriana, que inibe a terceira e última fase da síntese da parede celular bacteriana.

A lise celular é, então, mediada por enzimas autoliticas parede celular bacteriana, tais como autolisinas.
Posologia Orientativa
Infecções causadas por micro-organismos muito susceptíveis
A dose habitual em adultos é de 1 g a 2 g administrada em duas ou três administrações iguais (uma administração a cada 8 ou 12 horas).

Infecções causadas por micro-organismos menos susceptíveis
A dose habitual é de 3 g a 4 g administrada diariamente em três ou quatro administrações iguais (uma administração a cada 6 ou 8 horas).

Em infecções graves, doses até 6 g por dia podem ser administradas em três ou quatro administrações iguais (uma administração a cada 6 ou 8 horas);

Utilização na Profilaxia Perioperatória;

Para a profilaxia da infecção pós-operatória em cirurgia contaminada ou potencialmente contaminada, as doses recomendadas são:
– 1 g a 2 g administrada, por via intravenosa, 30 minutos a 1 hora antes do início da cirurgia.

– Para procedimentos cirúrgicos longos, 500 mg a 1 g administrada por via intravenosa durante a cirurgia (a administração varia com base na duração do procedimento cirúrgico).

– 500 mg a 1 g administrada por via intravenosa a cada 6 a 8 horas durante 24 horas após a cirurgia.
Administração
Cefazolina solução injectável pode ser administrada por injecção intramuscular (IM) profunda, injecção intravenosa (IV) lenta ou como uma perfusão intravenosa lenta.
Contra-Indicações
Hipersensibilidade à Cefazolina.
História de hipersensibilidade grave (por exemplo reacção anafiláctica) a qualquer outro agente antibacteriano beta-lactâmico (penicilinas, monobactamas e carbapenemas)
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Reacções alérgicas graves (muito raros, podem afectar menos de 1 em 10.000 pessoas)
Se tiver uma reacção alérgica grave, informe imediatamente o Médico.

Os sinais podem incluir:
– Inchaço repentino da face, garganta, lábios ou boca. Isto pode resultar em dificuldade respiratória ou dificuldade em engolir.
– Inchaço repentino das mãos, pés e tornozelos.

Outros efeitos secundários possíveis:
Frequentes (podem afectar menos de 1 em 10 pessoas)
– Erupção cutânea
– Náuseas e vómitos
– Diarreia
– Dor e endurecimento no local da injecção

Pouco frequentes (afectam menos de 1 em 100 pessoas)
– infecção fúngica na boca
– Febre
– Convulsões
– Inflamação das veias
– Dificuldade respiratória, associada frequentemente a tosse
– Vermelhidão da pele, comichão na pele, dores articulares, lesões na pele, erupção cutânea disseminada, urticária

Raros (podem afectar menos de 1 em 1.000 pessoas)
– Comichão ou corrimento vaginal

Outros tipos de infecção
– Aumento do número de células sanguíneas
– Tonturas
– Problemas respiratórios
– Tosse
– Corrimento nasal
– Perda de apetite
– Problemas de fígado (demonstrado através de uma análise ao sangue)
– Erupção cutânea grave com rápido desenvolvimento, com bolhas ou descamação da pele e formação de possíveis bolhas na boca
– Cansaço/fadiga extremos
– Dor no peito

Muito raros (podem afectar menos de 1 em 10.000 pessoas)
– Problemas que afectam a coagulação do seu sangue
– Inflamação do intestino grosso (cólon). Os sinais incluem diarreia, normalmente associada com sangue e muco, dor no estômago e febre.
– Comichão nos órgãos genitais.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:A utilização de Cefazolina durante a gravidez deverá ser efectuada apenas quando necessário, pois o fármaco atravessa a barreira placentária e é excretado no leite materno.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:A utilização de Cefazolina durante o período de aleitamento deverá ser efectuada apenas quando necessário, pois o fármaco atravessa a barreira placentária e é excretado no leite materno.
Condução
Condução
Condução:A Cefazolina quando administrada na posologia aconselhada, não produz efeitos sobre o Sistema Nervoso Central, pelo que não induz o sono nem altera o ritmo, não condicionando assim a capacidade de condução ou utilização de máquinas. Contudo podem ocorrer convulsões quando são administradas doses elevadas de Cefazolina a doentes com insuficiência renal.
Precauções Gerais
Hipersensibilidade
Antes de se iniciar a terapêutica deve ser comprovado que o doente não teve previamente reacções de hipersensibilidade após a administração de cefalosporinas, penicilinas ou outros fármacos.

Em doentes com tendências para alergias, a Cefazolina deve ser administrada com precaução. Foi documentada hipersensibilidade-cruzada entre penicilinas e cefalosporinas.

Como com todos os agentes antibacterianos betalactâmicos, foram relatadas reacções de hipersensibilidade graves e ocasionalmente fatais. Em caso de reacções de hipersensibilidade graves, o tratamento com Cefazolina tem de ser interrompido imediatamente e têm de se iniciar medidas de emergência adequadas.

Antes de iniciar o tratamento, deve-se estabelecer se o doente tem historial de reacção de hipersensibilidade grave com Cefazolina, com outras cefalosporinas ou para outro tipo de agente beta-lactâmico. Precauções devem ser dadas a pacientes com historial de hipersensibilidade não graves com outros agentes betalactâmicos.

Colite pseudomembranosa associada ao antibiótico
Deve ser considerada a possibilidade de existir colite pseudomembranosa associada ao antibiótico, em casos de diarreia persistente grave. Esta condição pode ser fatal e portanto, o tratamento com Cefazolina deve ser interrompido imediatamente e administrado tratamento adequado: medicamentos que inibem o peristaltismo estão contra-indicados.

Compromisso renal
Em doentes com compromisso da função renal, a dose e/ou o intervalo de administração devem ser ajustados de acordo com a gravidade do compromisso renal.

Embora a Cefazolina raramente cause alterações da função da renal, recomenda-se avaliação da função renal, especialmente em doentes gravemente doentes, que recebam uma dose máxima e em doentes que estejam a receber simultaneamente outros fármacos potencialmente nefrotóxicos, tais como aminoglicosídeos ou diuréticos potentes (por ex. furosemida).

administração intratecal
Não é usada para administração por via intratecal.
Foi notificada intoxicação grave do Sistema Nervoso Central (incluindo convulsões) após administração da Cefazolina por via intratecal.

Resistência bacteriana e super-infecções
O tratamento a longo prazo com Cefazolina pode dar origem a bactérias resistentes à Cefazolina. Os doentes devem ser cuidadosamente monitorizados quanto a potenciais superinfeções. Se estas ocorrerem, devem ser tomadas medidas adequadas.

Doenças do sangue
Em casos excepcionais, doenças do sangue podem ocorrer durante o tratamento com Cefazolina. Os factores de risco seriam os doentes apresentarem deficiência em vitamina K ou efeito de outro mecanismo de coagulação (nutrição parentérica, nutrição inadequada, falência renal ou hepática, trombocitopenia).
A coagulação sanguínea pode também ser interrompida em caso de existência de doenças associadas (por ex.hemofilia, úlcera duodenal ou gástrica) que possam provocar ou agravar a hemorragia.
Assim, os doentes com estas condições devem ser monitorizados em relação ao tempo de protrombina.
Se ocorrer uma redução significativa, deve ser administrado um suplemento de vitamina K (10 mg/semana).

População pediátrica
Bebés prematuros e crianças com menos de mês de idade
A Cefazolina não deve ser administrada a bebés prematuros e crianças com menos de um mês de idade, uma vez que de momento não existem dados disponíveis para o seu uso neste grupo etário.
Cuidados com a Dieta
Os alimentos e bebidas não afectam a eficácia terapêutica do medicamento, dado que este é administrado por via parentérica.
Terapêutica Interrompida
Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Conservar o frasco para injectáveis no interior da embalagem para proteger da luz.

Mantenha todos os medicamentos fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu médico, enfermeiro ou farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espectro de susceptibilidade e Tolerância Bacteriológica
Streptococcus pneumoniae, Streptococcus sp., Staphylococcus sp. Alguns Gram-negativos (Escherichia coli, Klebsiella pneumoniae, Proteus mirabilis). A sua actividade contra anaeróbios é baixa e limita-se a microorganismos da cavidade oral.
Usar com precaução

Cefazolina Antibióticos

Observações: n.d.
Interacções: Antibióticos: O potencial efeito antagonista que tem sido observado in vitro com antibióticos com acção bacteriostática (por ex. tetraciclinas, sulfonamidas, eritromicina, cloranfenicol), deve ser considerado quando estes antibióticos estão a ser co-administrados com cefazolina. Agentes nefrotóxicos: Não pode ser excluído que a nefrotoxicidade de antibióticos (por ex. aminoglicosídeos, colistina e polimixina B), agentes de contraste iodados, organoplasticos, metotrexato usado em elevadas doses, alguns fármacos antivirais, pentamidina, ciclosporina, tacrólimus e diuréticos (por ex. Furosemida) é aumentada. Quando administrados com cefazolina, a função renal deve ser cuidadosamente monitorizada. - Antibióticos
Usar com precaução

Gluconato de cálcio Cefazolina

Observações: São exemplos de agentes oxidantes os peróxidos, nitratos, bromatos, cromatos, cloratos, dicromatos, percloratos e permanganatos.
Interacções: Foram notificados casos de incompatibilidade física com anfotericina, cefalotina sódica, ceftriaxona, cefazolina sódica, nafato de cefamandol, novobiocina sódica, cloridrato de dobutamina, proclorperazina e tetraciclinas. - Cefazolina
Usar com precaução

Cefazolina Tetraciclinas

Observações: n.d.
Interacções: Antibióticos: O potencial efeito antagonista que tem sido observado in vitro com antibióticos com acção bacteriostática (por ex. tetraciclinas, sulfonamidas, eritromicina, cloranfenicol), deve ser considerado quando estes antibióticos estão a ser co-administrados com cefazolina. - Tetraciclinas
Usar com precaução

Cefazolina Sulfonamidas (sulfanilamidas)

Observações: n.d.
Interacções: Antibióticos: O potencial efeito antagonista que tem sido observado in vitro com antibióticos com acção bacteriostática (por ex. tetraciclinas, sulfonamidas, eritromicina, cloranfenicol), deve ser considerado quando estes antibióticos estão a ser co-administrados com cefazolina. - Sulfonamidas (sulfanilamidas)
Usar com precaução

Cefazolina Eritromicina

Observações: n.d.
Interacções: Antibióticos: O potencial efeito antagonista que tem sido observado in vitro com antibióticos com acção bacteriostática (por ex. tetraciclinas, sulfonamidas, eritromicina, cloranfenicol), deve ser considerado quando estes antibióticos estão a ser co-administrados com cefazolina. - Eritromicina
Usar com precaução

Cefazolina Cloranfenicol

Observações: n.d.
Interacções: Antibióticos: O potencial efeito antagonista que tem sido observado in vitro com antibióticos com acção bacteriostática (por ex. tetraciclinas, sulfonamidas, eritromicina, cloranfenicol), deve ser considerado quando estes antibióticos estão a ser co-administrados com cefazolina. - Cloranfenicol
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Cefazolina Probenecida

Observações: n.d.
Interacções: Probenecida: A administração concomitante de probenecida reduz a depuração renal de cefazolina. - Probenecida
Usar com precaução

Cefazolina Fitomenadiona (Vitamina K1)

Observações: n.d.
Interacções: Vitamina K1: Algumas cefalosporinas, tais como cefamandol, cefazolina e cefotetana, podem causar interferência no metabolismo da vitamina K1, especialmente em casos de deficiência em vitamina K1. Pode ser necessário suplementação com vitamina K1. - Fitomenadiona (Vitamina K1)
Usar com precaução

Cefazolina Anticoagulantes orais

Observações: n.d.
Interacções: Anticoagulantes: Cefalosporinas podem muito raramente causar doenças do sangue. Durante a utilização concomitante com anticoagulantes (por ex. varfarina ou heparina) em doses elevadas, os parâmetros de coagulação devem ser monitorizados. Têm sido relatados em pacientes recebendo antibióticos, um largo número de casos que mostra um aumento da actividade de anticoagulantes orais, Contextos infeciosos e inflamatórios, idade e o estado geral do doente, aparecem como fatores de risco. Nestas circunstâncias é difícil de estimar a parte da responsabilidade entre a doença infeciosa e o seu tratamento na ocorrência de distúrbios de rácio normalizado internacional. No entanto, algumas classes de antibióticos estão mais envolvidos, nomeadamente fluoroquinolonas, macrólitos, ciclinas, cotrimoxazol e algumas cefalosporinas. - Anticoagulantes orais
Usar com precaução

Cefazolina Varfarina

Observações: n.d.
Interacções: Anticoagulantes: Cefalosporinas podem muito raramente causar doenças do sangue. Durante a utilização concomitante com anticoagulantes (por ex. varfarina ou heparina) em doses elevadas, os parâmetros de coagulação devem ser monitorizados. Têm sido relatados em pacientes recebendo antibióticos, um largo número de casos que mostra um aumento da actividade de anticoagulantes orais, Contextos infeciosos e inflamatórios, idade e o estado geral do doente, aparecem como fatores de risco. Nestas circunstâncias é difícil de estimar a parte da responsabilidade entre a doença infeciosa e o seu tratamento na ocorrência de distúrbios de rácio normalizado internacional. No entanto, algumas classes de antibióticos estão mais envolvidos, nomeadamente fluoroquinolonas, macrólitos, ciclinas, cotrimoxazol e algumas cefalosporinas. - Varfarina
Usar com precaução

Cefazolina Heparina

Observações: n.d.
Interacções: Anticoagulantes: Cefalosporinas podem muito raramente causar doenças do sangue. Durante a utilização concomitante com anticoagulantes (por ex. varfarina ou heparina) em doses elevadas, os parâmetros de coagulação devem ser monitorizados. Têm sido relatados em pacientes recebendo antibióticos, um largo número de casos que mostra um aumento da actividade de anticoagulantes orais, Contextos infeciosos e inflamatórios, idade e o estado geral do doente, aparecem como fatores de risco. Nestas circunstâncias é difícil de estimar a parte da responsabilidade entre a doença infeciosa e o seu tratamento na ocorrência de distúrbios de rácio normalizado internacional. No entanto, algumas classes de antibióticos estão mais envolvidos, nomeadamente fluoroquinolonas, macrólitos, ciclinas, cotrimoxazol e algumas cefalosporinas. - Heparina
Usar com precaução

Cefazolina Fluoroquinolonas

Observações: n.d.
Interacções: Anticoagulantes: Cefalosporinas podem muito raramente causar doenças do sangue. Durante a utilização concomitante com anticoagulantes (por ex. varfarina ou heparina) em doses elevadas, os parâmetros de coagulação devem ser monitorizados. Têm sido relatados em pacientes recebendo antibióticos, um largo número de casos que mostra um aumento da actividade de anticoagulantes orais, Contextos infeciosos e inflamatórios, idade e o estado geral do doente, aparecem como fatores de risco. Nestas circunstâncias é difícil de estimar a parte da responsabilidade entre a doença infeciosa e o seu tratamento na ocorrência de distúrbios de rácio normalizado internacional. No entanto, algumas classes de antibióticos estão mais envolvidos, nomeadamente fluoroquinolonas, macrólitos, ciclinas, cotrimoxazol e algumas cefalosporinas. - Fluoroquinolonas
Usar com precaução

Cefazolina Macrólidos

Observações: n.d.
Interacções: Anticoagulantes: Cefalosporinas podem muito raramente causar doenças do sangue. Durante a utilização concomitante com anticoagulantes (por ex. varfarina ou heparina) em doses elevadas, os parâmetros de coagulação devem ser monitorizados. Têm sido relatados em pacientes recebendo antibióticos, um largo número de casos que mostra um aumento da actividade de anticoagulantes orais, Contextos infeciosos e inflamatórios, idade e o estado geral do doente, aparecem como fatores de risco. Nestas circunstâncias é difícil de estimar a parte da responsabilidade entre a doença infeciosa e o seu tratamento na ocorrência de distúrbios de rácio normalizado internacional. No entanto, algumas classes de antibióticos estão mais envolvidos, nomeadamente fluoroquinolonas, macrólitos, ciclinas, cotrimoxazol e algumas cefalosporinas. - Macrólidos
Usar com precaução

Cefazolina Ciclinas

Observações: n.d.
Interacções: Anticoagulantes: Cefalosporinas podem muito raramente causar doenças do sangue. Durante a utilização concomitante com anticoagulantes (por ex. varfarina ou heparina) em doses elevadas, os parâmetros de coagulação devem ser monitorizados. Têm sido relatados em pacientes recebendo antibióticos, um largo número de casos que mostra um aumento da actividade de anticoagulantes orais, Contextos infeciosos e inflamatórios, idade e o estado geral do doente, aparecem como fatores de risco. Nestas circunstâncias é difícil de estimar a parte da responsabilidade entre a doença infeciosa e o seu tratamento na ocorrência de distúrbios de rácio normalizado internacional. No entanto, algumas classes de antibióticos estão mais envolvidos, nomeadamente fluoroquinolonas, macrólitos, ciclinas, cotrimoxazol e algumas cefalosporinas. - Ciclinas
Usar com precaução

Cefazolina Trimetoprim

Observações: n.d.
Interacções: Anticoagulantes: Cefalosporinas podem muito raramente causar doenças do sangue. Durante a utilização concomitante com anticoagulantes (por ex. varfarina ou heparina) em doses elevadas, os parâmetros de coagulação devem ser monitorizados. Têm sido relatados em pacientes recebendo antibióticos, um largo número de casos que mostra um aumento da actividade de anticoagulantes orais, Contextos infeciosos e inflamatórios, idade e o estado geral do doente, aparecem como fatores de risco. Nestas circunstâncias é difícil de estimar a parte da responsabilidade entre a doença infeciosa e o seu tratamento na ocorrência de distúrbios de rácio normalizado internacional. No entanto, algumas classes de antibióticos estão mais envolvidos, nomeadamente fluoroquinolonas, macrólitos, ciclinas, cotrimoxazol e algumas cefalosporinas. - Trimetoprim
Usar com precaução

Cefazolina Cefalosporinas

Observações: n.d.
Interacções: Anticoagulantes: Cefalosporinas podem muito raramente causar doenças do sangue. Durante a utilização concomitante com anticoagulantes (por ex. varfarina ou heparina) em doses elevadas, os parâmetros de coagulação devem ser monitorizados. Têm sido relatados em pacientes recebendo antibióticos, um largo número de casos que mostra um aumento da actividade de anticoagulantes orais, Contextos infeciosos e inflamatórios, idade e o estado geral do doente, aparecem como fatores de risco. Nestas circunstâncias é difícil de estimar a parte da responsabilidade entre a doença infeciosa e o seu tratamento na ocorrência de distúrbios de rácio normalizado internacional. No entanto, algumas classes de antibióticos estão mais envolvidos, nomeadamente fluoroquinolonas, macrólitos, ciclinas, cotrimoxazol e algumas cefalosporinas. - Cefalosporinas
Usar com precaução

Cefazolina Nefrotóxicos

Observações: n.d.
Interacções: Agentes nefrotóxicos: Não pode ser excluído que a nefrotoxicidade de antibióticos (por ex. aminoglicosídeos, colistina e polimixina B), agentes de contraste iodados, organoplasticos, metotrexato usado em elevadas doses, alguns fármacos antivirais, pentamidina, ciclosporina, tacrólimus e diuréticos (por ex. Furosemida) é aumentada. Quando administrados com cefazolina, a função renal deve ser cuidadosamente monitorizada. - Nefrotóxicos
Usar com precaução

Cefazolina Aminoglicosídeos

Observações: n.d.
Interacções: Agentes nefrotóxicos: Não pode ser excluído que a nefrotoxicidade de antibióticos (por ex. aminoglicosídeos, colistina e polimixina B), agentes de contraste iodados, organoplasticos, metotrexato usado em elevadas doses, alguns fármacos antivirais, pentamidina, ciclosporina, tacrólimus e diuréticos (por ex. Furosemida) é aumentada. Quando administrados com cefazolina, a função renal deve ser cuidadosamente monitorizada. - Aminoglicosídeos
Usar com precaução

Cefazolina Colistina (Polimixina E)

Observações: n.d.
Interacções: Agentes nefrotóxicos: Não pode ser excluído que a nefrotoxicidade de antibióticos (por ex. aminoglicosídeos, colistina e polimixina B), agentes de contraste iodados, organoplasticos, metotrexato usado em elevadas doses, alguns fármacos antivirais, pentamidina, ciclosporina, tacrólimus e diuréticos (por ex. Furosemida) é aumentada. Quando administrados com cefazolina, a função renal deve ser cuidadosamente monitorizada. - Colistina (Polimixina E)
Usar com precaução

Cefazolina Polimixina B

Observações: n.d.
Interacções: Agentes nefrotóxicos: Não pode ser excluído que a nefrotoxicidade de antibióticos (por ex. aminoglicosídeos, colistina e polimixina B), agentes de contraste iodados, organoplasticos, metotrexato usado em elevadas doses, alguns fármacos antivirais, pentamidina, ciclosporina, tacrólimus e diuréticos (por ex. Furosemida) é aumentada. Quando administrados com cefazolina, a função renal deve ser cuidadosamente monitorizada. - Polimixina B
Usar com precaução

Cefazolina Agentes/Meios de Contraste

Observações: n.d.
Interacções: Agentes nefrotóxicos: Não pode ser excluído que a nefrotoxicidade de antibióticos (por ex. aminoglicosídeos, colistina e polimixina B), agentes de contraste iodados, organoplasticos, metotrexato usado em elevadas doses, alguns fármacos antivirais, pentamidina, ciclosporina, tacrólimus e diuréticos (por ex. Furosemida) é aumentada. Quando administrados com cefazolina, a função renal deve ser cuidadosamente monitorizada. - Agentes/Meios de Contraste
Usar com precaução

Cefazolina Metotrexato (MTX)

Observações: n.d.
Interacções: Agentes nefrotóxicos: Não pode ser excluído que a nefrotoxicidade de antibióticos (por ex. aminoglicosídeos, colistina e polimixina B), agentes de contraste iodados, organoplasticos, metotrexato usado em elevadas doses, alguns fármacos antivirais, pentamidina, ciclosporina, tacrólimus e diuréticos (por ex. Furosemida) é aumentada. Quando administrados com cefazolina, a função renal deve ser cuidadosamente monitorizada. - Metotrexato (MTX)
Usar com precaução

Cefazolina Antivíricos

Observações: n.d.
Interacções: Agentes nefrotóxicos: Não pode ser excluído que a nefrotoxicidade de antibióticos (por ex. aminoglicosídeos, colistina e polimixina B), agentes de contraste iodados, organoplasticos, metotrexato usado em elevadas doses, alguns fármacos antivirais, pentamidina, ciclosporina, tacrólimus e diuréticos (por ex. Furosemida) é aumentada. Quando administrados com cefazolina, a função renal deve ser cuidadosamente monitorizada. - Antivíricos
Usar com precaução

Cefazolina Pentamidina

Observações: n.d.
Interacções: Agentes nefrotóxicos: Não pode ser excluído que a nefrotoxicidade de antibióticos (por ex. aminoglicosídeos, colistina e polimixina B), agentes de contraste iodados, organoplasticos, metotrexato usado em elevadas doses, alguns fármacos antivirais, pentamidina, ciclosporina, tacrólimus e diuréticos (por ex. Furosemida) é aumentada. Quando administrados com cefazolina, a função renal deve ser cuidadosamente monitorizada. - Pentamidina
Usar com precaução

Cefazolina Ciclosporina

Observações: n.d.
Interacções: Agentes nefrotóxicos: Não pode ser excluído que a nefrotoxicidade de antibióticos (por ex. aminoglicosídeos, colistina e polimixina B), agentes de contraste iodados, organoplasticos, metotrexato usado em elevadas doses, alguns fármacos antivirais, pentamidina, ciclosporina, tacrólimus e diuréticos (por ex. Furosemida) é aumentada. Quando administrados com cefazolina, a função renal deve ser cuidadosamente monitorizada. - Ciclosporina
Usar com precaução

Cefazolina Tacrolímus

Observações: n.d.
Interacções: Agentes nefrotóxicos: Não pode ser excluído que a nefrotoxicidade de antibióticos (por ex. aminoglicosídeos, colistina e polimixina B), agentes de contraste iodados, organoplasticos, metotrexato usado em elevadas doses, alguns fármacos antivirais, pentamidina, ciclosporina, tacrólimus e diuréticos (por ex. Furosemida) é aumentada. Quando administrados com cefazolina, a função renal deve ser cuidadosamente monitorizada. - Tacrolímus
Usar com precaução

Cefazolina Diuréticos

Observações: n.d.
Interacções: Agentes nefrotóxicos: Não pode ser excluído que a nefrotoxicidade de antibióticos (por ex. aminoglicosídeos, colistina e polimixina B), agentes de contraste iodados, organoplasticos, metotrexato usado em elevadas doses, alguns fármacos antivirais, pentamidina, ciclosporina, tacrólimus e diuréticos (por ex. Furosemida) é aumentada. Quando administrados com cefazolina, a função renal deve ser cuidadosamente monitorizada. - Diuréticos
Usar com precaução

Cefazolina Furosemida

Observações: n.d.
Interacções: Agentes nefrotóxicos: Não pode ser excluído que a nefrotoxicidade de antibióticos (por ex. aminoglicosídeos, colistina e polimixina B), agentes de contraste iodados, organoplasticos, metotrexato usado em elevadas doses, alguns fármacos antivirais, pentamidina, ciclosporina, tacrólimus e diuréticos (por ex. Furosemida) é aumentada. Quando administrados com cefazolina, a função renal deve ser cuidadosamente monitorizada. - Furosemida
Usar com precaução

Cefazolina Testes Laboratoriais/Diagnóstico

Observações: n.d.
Interacções: Testes laboratoriais: As medições das concentrações de glucose na urina em testes laboratoriais baseados nas soluções de Benedict ou Fehling podem dar origem a resultados falsos positivos em doentes a receber cefazolina. A cefazolina não tem efeito nos testes enzimáticos de medição da glucose na urina. Tanto o teste de Coombs direto como indireto pode originar resultados falsos positivos, por ex. nos recém-nascidos cujas mães receberam cefalosporinas. - Testes Laboratoriais/Diagnóstico
Usar com precaução

Cefazolina Contraceptivos orais

Observações: n.d.
Interacções: Contraceptivos orais: A cefazolina pode possivelmente influenciar a efetividade de Contraceptivos hormonais. Por esta razão, devem aconselhar-se métodos Contraceptivos adicionais à contraceção hormonal durante o tratamento com cefazolina. - Contraceptivos orais
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções da Cefazolina
Informe o Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

A utilização de Cefazolina durante a gravidez e o período de aleitamento deverá ser efectuada apenas quando necessário, pois o fármaco atravessa a barreira placentária e é excretado no leite materno.

A segurança em prematuros e crianças com idade inferior a três meses não está estabelecida.

A Cefazolina quando administrada na posologia aconselhada, não produz efeitos sobre o Sistema Nervoso Central, pelo que não induz o sono nem altera o ritmo, não condicionando assim a capacidade de condução ou utilização de máquinas. Contudo podem ocorrer convulsões quando são administradas doses elevadas de Cefazolina a doentes com insuficiência renal.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Novembro de 2021