Amlodipina + Atorvastatina

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
Amlodipina / atorvastatina é um medicamento de combinação de dose fixa para o tratamento de colesterol alto e hipertensão. Ele contém uma estatina e um bloqueador dos canais de cálcio.
Usos comuns
Amlodipina / Atorvastatina está indicado como terapêutica de substituição em doentes que estão adequadamente controlados com amlodipina e atorvastatina administradas em simultâneo e com a mesma dose.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
A associação Amlodipina + Atorvastatina está indicada na prevenção de episódios cardiovasculares em doentes hipertensos, com três factores de risco cardiovascular concomitantes, níveis de colesterol normais a ligeiramente elevados, sem doença cardíaca coronária clinicamente evidente, quando o uso combinado de Amlodipina e uma dose reduzida de Atorvastatina é considerada apropriada, de acordo com as atuais directrizes de tratamento.

Amlodipina + Atorvastatina deverá ser utilizada quando a resposta a dieta e a outras medidas não farmacológicas for inadequada.
Classificação CFT

03.07 : Antidislipidémicos

Mecanismo De Acção
Amlodipina + Atorvastatina possui um mecanismo de acção duplo; a acção di-hidropiridínica de bloqueador da entrada do cálcio (antagonista do ião cálcio ou bloqueador dos canais lentos) da amlodipina e a inibição da HMG-CoA reductase da atorvastatina.
O componente amlodipina de Amlodipina + Atorvastatina inibe o influxo transmembranar de iões cálcio para o músculo liso vascular e o músculo cardíaco. O componente atorvastatina de Amlodipina + Atorvastatina é um inibidor selectivo, competitivo da HMG-CoA reductase, a enzima limitadora da velocidade que converte 03-hidroxi3-metilglutaril-coenzima A em mevalonato, um precursor dos esteróis, incluindo o colesterol.
Não foi observada nenhuma modificação do efeito da amlodipina na pressão arterial sistólica com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina em comparação com amlodipina isoladamente.
Do mesmo modo, não foi observada nenhuma modificação do efeito da atorvastatina no C-LDL com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina em comparação com atorvastatina isoladamente.
Posologia Orientativa
A maioria dos pacientes é habitualmente controlada com uma dose inicial 5 mg/10 mg em dose única diária.
Administração
Amlodipina + Atorvastatina destina-se a uso oral.

Os comprimidos deverão ser engolidos inteiros com um copo de água.
Podem ser tomados em qualquer altura do dia com ou sem alimentos.
No entanto, é recomendado tomá-los à mesma hora todos os dias.
Contra-Indicações
Hipersensibilidade a di-hidropiridinas, às substâncias activas amlodipina e atorvastatina.
- Doença hepática activa ou elevações inexplicáveis persistentes das transaminases séricas que ultrapassem 3 vezes o limite superior do normal.
- Hipotensão grave.
- Choque (incluindo choque cardiogénico).
- Obstrução do tracto de saída do ventrículo esquerdo (p. ex., estenose aórtica de elevado grau).
- Insuficiência cardíaca hemodinamicamente instável após enfarte agudo do miocárdio.
- Gravidez e aleitamento e em mulheres de idade fértil que não utilizem medidas contraceptivas apropriadas.
- Uso concomitante com itraconazol, cetoconazol e telitromicina.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Frequentes (poderão afectar 1 em 10 pessoas):
– Reacções alérgicas que podem incluir elevações na pele (pápulas) vermelhas, que provocam comichão (urticária).

Pouco frequentes (poderão afectar 1 em 100 pessoas):
– Inflamação do pâncreas (pancreatite). Os sintomas podem incluir dor intensa no abdómen e nas costas, náuseas e vómitos.

– Inflamação do fígado (hepatite). Os sintomas podem incluir amarelecimento da pele, perda de apetite e geralmente sensação de mal-estar.

Raros (poderão afectar 1 em 1000 pessoas):
– Fraqueza, cãibras, sensibilidade ou dor musculares inexplicáveis, especialmente se forem acompanhadas por uma sensação inusual de mal-estar ou febre (em casos raros, esta associação de sintomas levou a uma patologia grave, por vezes fatal, designada rabdomiólise, que significa rotura das células musculares).

– Reacções alérgicas cutâneas graves com sintomas como manchas vermelhas na pele, erupção cutânea, formação de bolhas (erupção bolhosa), descolamento da pele que poderá rapidamente espalhar-se a todo o corpo.
Podem também ocorrer concomitantemente sintomas gripais, como febre, garganta inflamada e fadiga.

Muito raros (poderão afectar 1 em 10000 pessoas):
– Uma reacção alérgica grave (designada anafilaxia) que inclui sintomas como um rápido inchaço da face, língua ou garganta que poderão provocar grandes dificuldades respiratórias, erupção cutânea com comichão e baixa pressão arterial.

– Insuficiência hepática.
Os sintomas poderão incluir amarelecimento da pele e dos olhos, abdómen inchado, urina escura, náuseas, perda de apetite, febre e fadiga.

Outros efeitos secundários possíveis:
Frequentes (poderão afectar 1 em 10 pessoas):
– Constipação (infecção do tracto respiratório superior com sintomas como tosse, garganta inflamada, corrimento nasal e febre)
– Aumento dos níveis de açúcar no sangue
– Dores de cabeça, tonturas, cansaço, sonolência
– Vermelhidão da pele (rubor)
– Dor de garganta, sangramento do nariz
– Sensação de enjoo (náusea), dor abdominal, problemas gástricos (indigestão), diarreia, obstipação e flatulência (gases)
– Dor muscular e articular, cãibras musculares, espasmos musculares, dor lombar, dor nos membros
– Articulações e tornozelos inchados (edema)
– Observadas alterações nas análises ao sangue, nomeadamente aumento da enzima “creatina fosfocinase” e de certas enzimas hepáticas.

Pouco frequentes (poderão afectar 1 em 100 pessoas):
– Dificuldade em dormir
– Diminuição dos níveis de açúcar no sangue
– Desmaios (síncope)
– Perda de apetite
– Aumento ou perda de peso
– Alterações do humor, ansiedade, depressão, tremores, pesadelos
– Perda de memória, reduzido sentido do tato ou dor, formigueiros ou sensação de picadas nos dedos das mãos ou dos pés
– Perturbações da visão, visão turva, zumbidos ou campainhas nos ouvidos (acufenos)
– Percepção de batimentos cardíacos inusuais (palpitações)
– Pressão arterial reduzida
– Falta de ar
– Boca seca, alterações do paladar, vómitos, nariz entupido (rinite), eructação
– Erupção na pele ou comichão, erupção na pele com comichão (urticária), queda de cabelo, nódoas negras ou pequenas manchas na pele, descoloração da pele, sudação aumentada
– Dor no pescoço, fraqueza muscular
– Dor no peito
– Perturbações urinárias (micção nocturna excessiva e aumento da frequência de micções)
– Impotência, inchaço do tecido mamário nos homens
– Sensação de desconforto, sensação de fraqueza, dor, sensação geral de mal-estar, febre
– Glóbulos brancos na urina.

Raros (poderão afectar 1 em 1000 pessoas):
– Reduzido número de plaquetas no sangue
– Sensação de confusão
– Problemas nos nervos dos braços ou das pernas com sintomas como reduzida sensibilidade e fraqueza (“neuropatia periférica”)
– Dor no peito (angina)
– Bloqueio dos ductos biliares (colestase) com sintomas como amarelecimento dos olhos e da pele e urina escura
– Inchaço da pele ou das membranas mucosas
– Inflamação ou inchaço dos músculos esqueléticos (miosite), inflamação dos tendões ou lesão dos tendões.

Muito raros (poderão afectar 1 em 10000 pessoas):
– Diminuição do número de glóbulos brancos
– Rigidez ou tensão muscular, inflamação dos tendões ou lesão dos tendões
– Ritmo cardíaco anormal (lento ou rápido), ataque de coração, inflamação dos pequenos vasos sanguíneos
– Inflamação das gengivas (hiperplasia gengival)
– Inflamação do revestimento do estômago (gastrite)
– Tosse
– Diminuição da audição
– Inchaço das camadas profundas da pele incluindo inchaço dos lábios, pálpebras e língua, descamação da pele, sensibilidade da pele à luz solar.

Desconhecida (não é possível estimar a frequência a partir dos dados disponíveis):
– Inflamação dos pulmões designada “doença pulmonar intersticial” que origina dificuldades respiratórias, tosse persistente e febre.
– Patologia designada “síndrome extrapiramidal” com sintomas como movimentos involuntários, tremores, rigidez muscular e espasmos, geralmente na face e no pescoço
– Diabetes, que é mais provável se tiver elevados níveis de açúcar e gorduras no sangue, excesso de peso e pressão arterial alta.
O Médico irá monitorizá-lo enquanto estiver a tomar este medicamento.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Não deve utilizar Amlodipina + Atorvastatina se estiver grávida ou se estiver a tentar engravidar.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:Não deve utilizar Amlodipina + Atorvastatina se estiver a amamentar.
Condução
Condução
Condução:Não se espera que Amlodipina + Atorvastatina afecte a sua capacidade de conduzir ou utilizar máquinas. Contudo, é necessário ter em consideração a possível ocorrência de tonturas durante a condução ou a utilização de máquinas.
Precauções Gerais
Fale com o médico ou farmacêutico antes de tomar Amlodipina + Atorvastatina se:
- tem antecedentes de doença hepática ou consumir regularmente quantidades substanciais de álcool.
- tem mais de 70 anos de idade.
- tem problemas renais.
- tem uma glândula tiróide subactiva (hipotiroidismo).
- tiver tido dores musculares repetidas ou inexplicáveis ou se tiver antecedentes pessoais ou familiares de problemas musculares.
- tiver alguma vez tido problemas musculares ao tomar outros medicamentos para redução do colesterol (p. ex. outras “estatinas” ou “fibratos”).
- ingerir regularmente grandes quantidades de álcool.
- se estiver a tomar ou tiver tomado nos últimos 7 dias um medicamento chamado ácido fusídico (um medicamento para infecções bacterianas) por via oral ou por injecção.
A associação de ácido fusídico e Amlodipina Atorvastatina pode levar a problemas musculares graves (rabdomiólise).

Se alguma das situações anteriores se aplicar a si, o médico poderá necessitar de efectuar análises ao sangue antes e possivelmente durante o seu tratamento com Amlodipina + Atorvastatina para avaliar o seu risco de desenvolver efeitos adversos relacionados com os músculos.

Durante o tratamento com Amlodipina + Atorvastatina
Se sentir dores (mialgia), cãibras, sensibilidade ou fadiga musculares inexplicáveis, especialmente se acompanhadas por mal-estar ou febre, contacte imediatamente um médico, pois poderá ser necessário descontinuar o tratamento com Amlodipina + Atorvastatina.
Deverá também contactar o médico se começar a ter dificuldade em respirar, tosse e deterioração do estado geral da sua saúde (fadiga, perda de peso e febre).

Informe igualmente o médico ou farmacêutico se sentir uma fraqueza muscular constante.
Podem ser necessários testes ou medicamentos adicionais para diagnosticar e tratar este problema.

Enquanto estiver a tomar este medicamento, o médico irá monitorizá-lo de perto se tiver diabetes ou estiver em risco de desenvolver diabetes.
É provável que esteja em risco de desenvolver diabetes se tiver elevados níveis de açúcar e gorduras no seu sangue, excesso de peso e pressão arterial alta.


Não dê este medicamento a crianças ou adolescentes, pois é improvável que seja seguro.


Informe o médico ou farmacêutico se estiver a tomar, tiver tomado recentemente ou se vier a tomar outros medicamentos.
Se necessitar de tomar ácido fusídico por via oral para tratar uma infecção bacteriana, irá precisar de parar temporariamente de tomar este medicamento.
O médico irá comunicar-lhe quando será seguro recomeçar a toma de Amlodipina + Atorvastatina.

A toma de Amlodipina + Atorvastatina com ácido fusídico pode raramente levar a fraqueza muscular, sensibilidade ou dor. (rabdomiólise).

Há alguns medicamentos que poderão alterar o efeito de Amlodipina + Atorvastatina ou o seu efeito poderá ser alterado por Amlodipina + Atorvastatina.

Este tipo de interacção poderá tornar um ou ambos os medicamentos menos eficazes.
Alternativamente, poderá aumentar o risco ou a gravidade dos efeitos secundários, incluindo as importantes mas raras afecções musculares conhecidas como “rabdomiólise” e “miopatia”.

Informe o médico se estiver a tomar algum dos seguintes medicamentos:.
Alguns agentes antibacterianos como rifampicina ou ácido fusídico ou alguns antibióticos macrólidos como eritromicina e telitromicina ou alguns medicamentos utilizados para tratar infecções fúngicas como voriconazol, fluconazol, posaconazol, cetoconazol, itraconazol.
- Medicamentos utilizados para controlar os níveis de lípidos no sangue: fibratos, como gemfibrozil, ácido nicotínico, colestipol e ezetimiba.
- Medicamentos utilizados para controlar a frequência cardíaca como amiodarona, diltiazem, ou o ritmo cardíaco como digoxina.
- Medicamentos utilizados para tratar e prevenir crises epilépticas como carbamazepina, fenobarbital, fenitoína, fosfenitoína, primidona, estiripentol.
- Medicamentos utilizados para modificar o modo como o seu sistema imunitário atua, p. ex. ciclosporina.
- Inibidores da protease e outros medicamentos utilizados para tratar o VIH, p. ex. ritonavir, lopinavir, atazanavir, indinavir, darunavir, nelfinavir, efavirenz, delavirdina.
- Varfarina (um medicamento para tornar o sangue mais fluido).
- Antiácidos (utilizados para problemas digestivos).
- Contraceptivos orais (“a pílula”).
- Medicamentos utilizados para tratar a depressão, como nefazodona e imipramina.
- Medicamentos utilizados para tratar perturbações mentais como os antipsicóticos.
- Medicamentos utilizados para tratar insuficiência cardíaca como bloqueadores beta (p. ex. bisoprolol, carvedilol, metoprolol).
- Medicamentos utilizados para tratar a pressão arterial alta (como antagonistas dos recetores da angiotensina, bloqueadores beta, bloqueadores da entrada do cálcio, IECA, diuréticos e nitratos).
- Antagonistas adrenérgicos alfa-1 utilizados para tratar a pressão arterial alta ou algumas doenças da próstata (p. ex. prazosina, alfuzosina, doxazosina, tansulosina, terazosina).
- Amifostina (utilizada para tratar o cancro).
- Sildenafil (utilizado para tratar disfunção eréctil, impotência).
- Dantroleno e baclofeno (relaxantes musculares).
- Corticosteróides (medicamentos utilizados para tratar doenças inflamatórias no seu organismo).
- Produtos à base de plantas não sujeitos a receita médica que contenham hipericão (utilizado para tratar a depressão).
- Tacrolimo (utilizado para controlar a resposta imunitária do seu corpo, permitindo-lhe aceitar o órgão transplantado).
Claritromicina (para infecções causadas por bactérias)
Cuidados com a Dieta
Amlodipina + Atorvastatina pode ser tomado em qualquer altura do dia com ou sem alimentos.

Não beba muito sumo de toranja durante o tratamento com Amlodipina Atorvastatina, pois beber grandes quantidades (mais de 1 a 2 copos por dia) de sumo de toranja pode alterar os efeitos de Amlodipina + Atorvastatina.

Evite beber demasiado álcool enquanto estiver a tomar Amlodipina + Atorvastatina.
Terapêutica Interrompida
Caso falhe uma dose de Amlodipina + Atorvastatina, tome a dose seguinte na altura habitual. Não tome uma dose a dobrar para compensar um comprimido que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.

Mantenha todos os medicamentos fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu médico, enfermeiro ou farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espectro de susceptibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Não recomendado/Evitar

Amlodipina + Atorvastatina + Dantroleno

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Uso concomitante não recomendado: Dantroleno (perfusão): Em animais, observa-se fibrilhação ventricular letal e colapso cardiovascular em associação com hipercalemia após a administração de verapamilo e dantroleno intravenoso. Devido ao risco de hipercalemia, recomenda-se que a co-administração de bloqueadores da entrada do cálcio como amlodipina seja evitada em doentes suscetíveis a hipertermia maligna e no tratamento da hipertermia maligna. - Dantroleno
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Baclofeno

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Precaução especial com o uso concomitante: Baclofeno: Aumento do efeito anti-hipertensor. Se necessário, deverá efetuar-se monitorização da pressão arterial e ajuste da dose do medicamento anti-hipertensor. - Baclofeno
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Indutores do CYP3A4

Observações: Os dados de um estudo de interacção fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interacção medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Precaução especial com o uso concomitante: Indutores da CYP3A4 (agentes anticonvulsivantes como carbamazepina, fenobarbital, fenitoína, fosfenitoína, primidona, rifampicina). Devido a um aumento do metabolismo hepático provocado pelos indutores da CYP3A4, existe um risco de níveis plasmáticos diminuídos dos bloqueadores da entrada do cálcio. Deverá ser efetuada monitorização clínica. Se necessário, deverá efetuar-se ajuste da dose e subsequentemente descontinuação da amlodipina durante o tratamento com estes indutores. interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Indutores da CYP3A4: A administração concomitante de atorvastatina com indutores isoenzima 3A do citocromo P450 (p.ex. efavirenz, rifampicina, hipericão) pode levar a reduções variáveis das concentrações plasmáticas de atorvastatina. Devido ao mecanismo de interacção duplo da rifampicina (indução da isoenzima 3A do citocromo P450 e inibição do transportador de captação dos hepatócitos OATP1B1), recomenda-se a co-administração simultânea de atorvastatina com rifampicina, pois a administração ulterior de atorvastatina após a administração de rifampicina foi associada a uma redução significativa das concentrações plasmáticas de atorvastatina. O efeito da rifampicina nas concentrações de atorvastatina nos hepatócitos é, no entanto, desconhecido e se a administração concomitante não puder ser evitada, os doentes deverão ser alvo de uma monitorização cuidadosa relativamente à eficácia. - Indutores do CYP3A4
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Anticonvulsivantes

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Precaução especial com o uso concomitante: Indutores da CYP3A4 (agentes anticonvulsivantes como carbamazepina, fenobarbital, fenitoína, fosfenitoína, primidona, rifampicina). Devido a um aumento do metabolismo hepático provocado pelos indutores da CYP3A4, existe um risco de níveis plasmáticos diminuídos dos bloqueadores da entrada do cálcio. Deverá ser efetuada monitorização clínica. Se necessário, deverá efetuar-se ajuste da dose e subsequentemente descontinuação da amlodipina durante o tratamento com estes indutores. - Anticonvulsivantes
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Carbamazepina

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Precaução especial com o uso concomitante: Indutores da CYP3A4 (agentes anticonvulsivantes como carbamazepina, fenobarbital, fenitoína, fosfenitoína, primidona, rifampicina). Devido a um aumento do metabolismo hepático provocado pelos indutores da CYP3A4, existe um risco de níveis plasmáticos diminuídos dos bloqueadores da entrada do cálcio. Deverá ser efetuada monitorização clínica. Se necessário, deverá efetuar-se ajuste da dose e subsequentemente descontinuação da amlodipina durante o tratamento com estes indutores. - Carbamazepina
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Fenitoína

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Precaução especial com o uso concomitante: Indutores da CYP3A4 (agentes anticonvulsivantes como carbamazepina, fenobarbital, fenitoína, fosfenitoína, primidona, rifampicina). Devido a um aumento do metabolismo hepático provocado pelos indutores da CYP3A4, existe um risco de níveis plasmáticos diminuídos dos bloqueadores da entrada do cálcio. Deverá ser efetuada monitorização clínica. Se necessário, deverá efetuar-se ajuste da dose e subsequentemente descontinuação da amlodipina durante o tratamento com estes indutores. - Fenitoína
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Fenobarbital

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Precaução especial com o uso concomitante: Indutores da CYP3A4 (agentes anticonvulsivantes como carbamazepina, fenobarbital, fenitoína, fosfenitoína, primidona, rifampicina). Devido a um aumento do metabolismo hepático provocado pelos indutores da CYP3A4, existe um risco de níveis plasmáticos diminuídos dos bloqueadores da entrada do cálcio. Deverá ser efetuada monitorização clínica. Se necessário, deverá efetuar-se ajuste da dose e subsequentemente descontinuação da amlodipina durante o tratamento com estes indutores. - Fenobarbital
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Fosfenitoína

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Precaução especial com o uso concomitante: Indutores da CYP3A4 (agentes anticonvulsivantes como carbamazepina, fenobarbital, fenitoína, fosfenitoína, primidona, rifampicina). Devido a um aumento do metabolismo hepático provocado pelos indutores da CYP3A4, existe um risco de níveis plasmáticos diminuídos dos bloqueadores da entrada do cálcio. Deverá ser efetuada monitorização clínica. Se necessário, deverá efetuar-se ajuste da dose e subsequentemente descontinuação da amlodipina durante o tratamento com estes indutores. - Fosfenitoína
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Primidona

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Precaução especial com o uso concomitante: Indutores da CYP3A4 (agentes anticonvulsivantes como carbamazepina, fenobarbital, fenitoína, fosfenitoína, primidona, rifampicina). Devido a um aumento do metabolismo hepático provocado pelos indutores da CYP3A4, existe um risco de níveis plasmáticos diminuídos dos bloqueadores da entrada do cálcio. Deverá ser efetuada monitorização clínica. Se necessário, deverá efetuar-se ajuste da dose e subsequentemente descontinuação da amlodipina durante o tratamento com estes indutores. - Primidona
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Rifampicina

Observações: Os dados de um estudo de interacção fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interacção medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Precaução especial com o uso concomitante: Indutores da CYP3A4 (agentes anticonvulsivantes como carbamazepina, fenobarbital, fenitoína, fosfenitoína, primidona, rifampicina). Devido a um aumento do metabolismo hepático provocado pelos indutores da CYP3A4, existe um risco de níveis plasmáticos diminuídos dos bloqueadores da entrada do cálcio. Deverá ser efetuada monitorização clínica. Se necessário, deverá efetuar-se ajuste da dose e subsequentemente descontinuação da amlodipina durante o tratamento com estes indutores. interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Indutores da CYP3A4: A administração concomitante de atorvastatina com indutores isoenzima 3A do citocromo P450 (p.ex. efavirenz, rifampicina, hipericão) pode levar a reduções variáveis das concentrações plasmáticas de atorvastatina. Devido ao mecanismo de interacção duplo da rifampicina (indução da isoenzima 3A do citocromo P450 e inibição do transportador de captação dos hepatócitos OATP1B1), recomenda-se a co-administração simultânea de atorvastatina com rifampicina, pois a administração ulterior de atorvastatina após a administração de rifampicina foi associada a uma redução significativa das concentrações plasmáticas de atorvastatina. O efeito da rifampicina nas concentrações de atorvastatina nos hepatócitos é, no entanto, desconhecido e se a administração concomitante não puder ser evitada, os doentes deverão ser alvo de uma monitorização cuidadosa relativamente à eficácia. - Rifampicina
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Inibidores do CYP3A4

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são co-administrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Precaução especial com o uso concomitante: Inibidores da CYP3A4: O uso concomitante de amlodipina com inibidores potentes ou moderados da CYP3A4 (inibidores da protease, antifúngicos azois, macrólidos como eritromicina ou claritromicina, verapamilo ou diltiazem) podem originar um aumento significativo da exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações da FC poderá ser mais pronunciada nos idosos. Monitorização clínica e ajuste da dose poderão, por conseguinte, ser necessários. interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Efeito de medicamentos co-administrados na atorvastatina: A atorvastatina é metabolizada pela isoenzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4) e é um substrato para proteínas de transporte como, por exemplo, o transportador de captação hepático OATP1B1. A administração concomitante de medicamentos que são inibidores da CYP3A4 ou de proteínas de transporte poderá levar a concentrações plasmática aumentadas de atorvastatina e a um risco aumentado de miopatia. O risco poderá também ser aumentado com a administração concomitante de atorvastatina com outros medicamentos que têm um potencial para induzirem miopatia, como os derivados do ácido fíbrico e a ezetimiba. interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Foi demonstrado que os inibidores potentes da CYP3A4 conduzem a concentrações de atorvastatina acentuadamente aumentadas. Se possível, a co-administração de inibidores potentes da CYP3A4 (p.ex. ciclosporina, telitromicina, claritromicina, delavirdina, estiripentol, cetoconazol, voriconazol, itraconazol, posaconazol e inibidores da protease do VIH, incluindo ritonavir, lopinavir, atazanavir, indinavir, darunavir, etc.) deverá ser evitada. Nos casos em que a co-administração desses medicamentos com atorvastatina não puder ser evitada, deverão ser consideradas doses iniciais e máximas de atorvastatina mais baixas e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente. - Inibidores do CYP3A4
Não recomendado/Evitar

Amlodipina + Atorvastatina + Inibidores da Protease (IP)

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Precaução especial com o uso concomitante: Inibidores da CYP3A4: O uso concomitante de amlodipina com inibidores potentes ou moderados da CYP3A4 (inibidores da protease, antifúngicos azois, macrólidos como eritromicina ou claritromicina, verapamilo ou diltiazem) podem originar um aumento significativo da exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações da FC poderá ser mais pronunciada nos idosos. Monitorização clínica e ajuste da dose poderão, por conseguinte, ser necessários. interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Foi demonstrado que os inibidores potentes da CYP3A4 conduzem a concentrações de atorvastatina acentuadamente aumentadas. Se possível, a co-administração de inibidores potentes da CYP3A4 (p.ex. ciclosporina, telitromicina, claritromicina, delavirdina, estiripentol, cetoconazol, voriconazol, itraconazol, posaconazol e inibidores da protease do VIH, incluindo ritonavir, lopinavir, atazanavir, indinavir, darunavir, etc.) deverá ser evitada. Nos casos em que a co-administração desses medicamentos com atorvastatina não puder ser evitada, deverão ser consideradas doses iniciais e máximas de atorvastatina mais baixas e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente. - Inibidores da Protease (IP)
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Antifúngicos (Azol)

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Precaução especial com o uso concomitante: Inibidores da CYP3A4: O uso concomitante de amlodipina com inibidores potentes ou moderados da CYP3A4 (inibidores da protease, antifúngicos azois, macrólidos como eritromicina ou claritromicina, verapamilo ou diltiazem) podem originar um aumento significativo da exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações da FC poderá ser mais pronunciada nos idosos. Monitorização clínica e ajuste da dose poderão, por conseguinte, ser necessários. - Antifúngicos (Azol)
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Macrólidos

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Precaução especial com o uso concomitante: Inibidores da CYP3A4: O uso concomitante de amlodipina com inibidores potentes ou moderados da CYP3A4 (inibidores da protease, antifúngicos azois, macrólidos como eritromicina ou claritromicina, verapamilo ou diltiazem) podem originar um aumento significativo da exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações da FC poderá ser mais pronunciada nos idosos. Monitorização clínica e ajuste da dose poderão, por conseguinte, ser necessários. - Macrólidos
Não recomendado/Evitar

Amlodipina + Atorvastatina + Claritromicina

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Precaução especial com o uso concomitante: Inibidores da CYP3A4: O uso concomitante de amlodipina com inibidores potentes ou moderados da CYP3A4 (inibidores da protease, antifúngicos azois, macrólidos como eritromicina ou claritromicina, verapamilo ou diltiazem) podem originar um aumento significativo da exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações da FC poderá ser mais pronunciada nos idosos. Monitorização clínica e ajuste da dose poderão, por conseguinte, ser necessários. interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Foi demonstrado que os inibidores potentes da CYP3A4 conduzem a concentrações de atorvastatina acentuadamente aumentadas. Se possível, a co-administração de inibidores potentes da CYP3A4 (p.ex. ciclosporina, telitromicina, claritromicina, delavirdina, estiripentol, cetoconazol, voriconazol, itraconazol, posaconazol e inibidores da protease do VIH, incluindo ritonavir, lopinavir, atazanavir, indinavir, darunavir, etc.) deverá ser evitada. Nos casos em que a co-administração desses medicamentos com atorvastatina não puder ser evitada, deverão ser consideradas doses iniciais e máximas de atorvastatina mais baixas e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente. - Claritromicina
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Eritromicina

Observações: Os dados de um estudo de interacção fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interacção medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Precaução especial com o uso concomitante: Inibidores da CYP3A4: O uso concomitante de amlodipina com inibidores potentes ou moderados da CYP3A4 (inibidores da protease, antifúngicos azois, macrólidos como eritromicina ou claritromicina, verapamilo ou diltiazem) podem originar um aumento significativo da exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações da FC poderá ser mais pronunciada nos idosos. Monitorização clínica e ajuste da dose poderão, por conseguinte, ser necessários. interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Os inibidores moderados da CYP3A4 (p.ex. eritromicina, diltiazem, verapamilo, nefazodona e fluconazol) poderão aumentar as concentrações plasmáticas de atorvastatina. Foi observado um risco aumentado de miopatia com o uso de eritromicina em associação com estatinas. Não foram realizados estudos de interacção para avaliação dos efeitos de amiodarona ou verapamilo na atorvastatina. Sabe-se que tanto a amiodarona como o verapamilo inibem a actividade da CYP3A4 e a co-administração com atorvastatina poderá resultar em exposição aumentada à atorvastatina. Por conseguinte, deverá considerar-se uma menor dose máxima de atorvastatina e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente quando é utilizada concomitantemente com inibidores moderados da CYP3A4. É recomendada uma monitorização clínica apropriada após o início ou após ajustes da dose do inibidor. - Eritromicina
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Diltiazem

Observações: Os dados de um estudo de interacção fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interacção medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Precaução especial com o uso concomitante: Inibidores da CYP3A4: O uso concomitante de amlodipina com inibidores potentes ou moderados da CYP3A4 (inibidores da protease, antifúngicos azois, macrólidos como eritromicina ou claritromicina, verapamilo ou diltiazem) podem originar um aumento significativo da exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações da FC poderá ser mais pronunciada nos idosos. Monitorização clínica e ajuste da dose poderão, por conseguinte, ser necessários. interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Os inibidores moderados da CYP3A4 (p.ex. eritromicina, diltiazem, verapamilo, nefazodona e fluconazol) poderão aumentar as concentrações plasmáticas de atorvastatina. Foi observado um risco aumentado de miopatia com o uso de eritromicina em associação com estatinas. Não foram realizados estudos de interacção para avaliação dos efeitos de amiodarona ou verapamilo na atorvastatina. Sabe-se que tanto a amiodarona como o verapamilo inibem a actividade da CYP3A4 e a co-administração com atorvastatina poderá resultar em exposição aumentada à atorvastatina. Por conseguinte, deverá considerar-se uma menor dose máxima de atorvastatina e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente quando é utilizada concomitantemente com inibidores moderados da CYP3A4. É recomendada uma monitorização clínica apropriada após o início ou após ajustes da dose do inibidor. - Diltiazem
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Verapamilo

Observações: Os dados de um estudo de interacção fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interacção medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Precaução especial com o uso concomitante: Inibidores da CYP3A4: O uso concomitante de amlodipina com inibidores potentes ou moderados da CYP3A4 (inibidores da protease, antifúngicos azois, macrólidos como eritromicina ou claritromicina, verapamilo ou diltiazem) podem originar um aumento significativo da exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações da FC poderá ser mais pronunciada nos idosos. Monitorização clínica e ajuste da dose poderão, por conseguinte, ser necessários. interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Os inibidores moderados da CYP3A4 (p.ex. eritromicina, diltiazem, verapamilo, nefazodona e fluconazol) poderão aumentar as concentrações plasmáticas de atorvastatina. Foi observado um risco aumentado de miopatia com o uso de eritromicina em associação com estatinas. Não foram realizados estudos de interacção para avaliação dos efeitos de amiodarona ou verapamilo na atorvastatina. Sabe-se que tanto a amiodarona como o verapamilo inibem a actividade da CYP3A4 e a co-administração com atorvastatina poderá resultar em exposição aumentada à atorvastatina. Por conseguinte, deverá considerar-se uma menor dose máxima de atorvastatina e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente quando é utilizada concomitantemente com inibidores moderados da CYP3A4. É recomendada uma monitorização clínica apropriada após o início ou após ajustes da dose do inibidor. - Verapamilo
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Atorvastatina + Antagonistas dos Recetores adrenérgicos alfa (bloqueadores alfa, antagonistas alfa)

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Antagonistas adrenérgicos alfa-1 em urologia (prazosina, alfuzosina, doxazosina, tansulosina, terazosina): Aumento do efeito hipotensor e risco de hipotensão ortostática grave. - Antagonistas dos Recetores adrenérgicos alfa (bloqueadores alfa, antagonistas alfa)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Atorvastatina + Alfuzosina

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Antagonistas adrenérgicos alfa-1 em urologia (prazosina, alfuzosina, doxazosina, tansulosina, terazosina): Aumento do efeito hipotensor e risco de hipotensão ortostática grave. - Alfuzosina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Atorvastatina + Prazosina

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Antagonistas adrenérgicos alfa-1 em urologia (prazosina, alfuzosina, doxazosina, tansulosina, terazosina): Aumento do efeito hipotensor e risco de hipotensão ortostática grave. - Prazosina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Atorvastatina + Doxazosina

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Antagonistas adrenérgicos alfa-1 em urologia (prazosina, alfuzosina, doxazosina, tansulosina, terazosina): Aumento do efeito hipotensor e risco de hipotensão ortostática grave. - Doxazosina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Atorvastatina + Tansulosina

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Antagonistas adrenérgicos alfa-1 em urologia (prazosina, alfuzosina, doxazosina, tansulosina, terazosina): Aumento do efeito hipotensor e risco de hipotensão ortostática grave. - Tansulosina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Atorvastatina + Terazosina

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Antagonistas adrenérgicos alfa-1 em urologia (prazosina, alfuzosina, doxazosina, tansulosina, terazosina): Aumento do efeito hipotensor e risco de hipotensão ortostática grave. - Terazosina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Atorvastatina + Amifostina

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Amifostina: Aumento do efeito hipotensor através da adição de efeitos adversos. - Amifostina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Atorvastatina + Imipramina

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Antidepressivos do tipo imipramina, neurolépticos: Efeito anti-hipertensor e risco de hipotensão ortostática aumentados (efeito aditivo). - Imipramina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Atorvastatina + Neurolépticos

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Antidepressivos do tipo imipramina, neurolépticos: Efeito anti-hipertensor e risco de hipotensão ortostática aumentados (efeito aditivo). - Neurolépticos
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Bloqueadores beta-adrenérgicos (betabloqueadores)

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Bloqueadores beta na insuficiência cardíaca (bisoprolol, carvedilol, metoprolol): Risco de hipotensão e insuficiência cardíaca em doentes com insuficiência cardíaca latente ou não controlada (o efeito inotrópico negativo in vitro das di-hidropiridinas, variável dependendo dos medicamentos, poderá somar-se aos efeitos inotrópicos negativos dos bloqueadores beta). A presença de um tratamento bloqueador beta pode minimizar a reação simpática reflexa iniciada em caso de repercussão hemodinâmica excessiva. Outros agentes antihipertensores: O uso concomitante de amlodipina com outros fármacos antihipertensores (bloqueador beta, antagonista dos receptores da angiotensina II, diurético ou IECA) pode aumentar o efeito hipotensor da amlodipina. É necessário considerar com precaução o tratamento com trinitrato, nitratos ou outros vasodilatadores. - Bloqueadores beta-adrenérgicos (betabloqueadores)
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Carvedilol

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Bloqueadores beta na insuficiência cardíaca (bisoprolol, carvedilol, metoprolol): Risco de hipotensão e insuficiência cardíaca em doentes com insuficiência cardíaca latente ou não controlada (o efeito inotrópico negativo in vitro das di-hidropiridinas, variável dependendo dos medicamentos, poderá somar-se aos efeitos inotrópicos negativos dos bloqueadores beta). A presença de um tratamento bloqueador beta pode minimizar a reação simpática reflexa iniciada em caso de repercussão hemodinâmica excessiva. - Carvedilol
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Metoprolol

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Bloqueadores beta na insuficiência cardíaca (bisoprolol, carvedilol, metoprolol): Risco de hipotensão e insuficiência cardíaca em doentes com insuficiência cardíaca latente ou não controlada (o efeito inotrópico negativo in vitro das di-hidropiridinas, variável dependendo dos medicamentos, poderá somar-se aos efeitos inotrópicos negativos dos bloqueadores beta). A presença de um tratamento bloqueador beta pode minimizar a reação simpática reflexa iniciada em caso de repercussão hemodinâmica excessiva. - Metoprolol
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Bisoprolol

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Bloqueadores beta na insuficiência cardíaca (bisoprolol, carvedilol, metoprolol): Risco de hipotensão e insuficiência cardíaca em doentes com insuficiência cardíaca latente ou não controlada (o efeito inotrópico negativo in vitro das di-hidropiridinas, variável dependendo dos medicamentos, poderá somar-se aos efeitos inotrópicos negativos dos bloqueadores beta). A presença de um tratamento bloqueador beta pode minimizar a reação simpática reflexa iniciada em caso de repercussão hemodinâmica excessiva. - Bisoprolol
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Atorvastatina + Corticosteroides

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Corticosteróide, tetracosactido: Redução do efeito anti-hipertensor (efeito de retenção de água e sódio dos corticosteróides). - Corticosteroides
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Atorvastatina + Tetracosactido

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Corticosteróide, tetracosactido: Redução do efeito anti-hipertensor (efeito de retenção de água e sódio dos corticosteróides). - Tetracosactido
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Antihipertensores

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Outros agentes antihipertensores: O uso concomitante de amlodipina com outros fármacos antihipertensores (bloqueador beta, antagonista dos receptores da angiotensina II, diurético ou IECA) pode aumentar o efeito hipotensor da amlodipina. É necessário considerar com precaução o tratamento com trinitrato, nitratos ou outros vasodilatadores. - Antihipertensores
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Antagonistas dos Receptores da Angiotensina II (ARA II)

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Outros agentes antihipertensores: O uso concomitante de amlodipina com outros fármacos antihipertensores (bloqueador beta, antagonista dos receptores da angiotensina II, diurético ou IECA) pode aumentar o efeito hipotensor da amlodipina. É necessário considerar com precaução o tratamento com trinitrato, nitratos ou outros vasodilatadores. - Antagonistas dos Receptores da Angiotensina II (ARA II)
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Diuréticos

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Outros agentes antihipertensores: O uso concomitante de amlodipina com outros fármacos antihipertensores (bloqueador beta, antagonista dos receptores da angiotensina II, diurético ou IECA) pode aumentar o efeito hipotensor da amlodipina. É necessário considerar com precaução o tratamento com trinitrato, nitratos ou outros vasodilatadores. - Diuréticos
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Inibidores da Enzima de Conversão da Angiotensina (IECAS)

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Outros agentes antihipertensores: O uso concomitante de amlodipina com outros fármacos antihipertensores (bloqueador beta, antagonista dos receptores da angiotensina II, diurético ou IECA) pode aumentar o efeito hipotensor da amlodipina. É necessário considerar com precaução o tratamento com trinitrato, nitratos ou outros vasodilatadores. - Inibidores da Enzima de Conversão da Angiotensina (IECAS)
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Nitratos

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Outros agentes antihipertensores: O uso concomitante de amlodipina com outros fármacos antihipertensores (bloqueador beta, antagonista dos receptores da angiotensina II, diurético ou IECA) pode aumentar o efeito hipotensor da amlodipina. É necessário considerar com precaução o tratamento com trinitrato, nitratos ou outros vasodilatadores. - Nitratos
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Vasodilatadores

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Outros agentes antihipertensores: O uso concomitante de amlodipina com outros fármacos antihipertensores (bloqueador beta, antagonista dos receptores da angiotensina II, diurético ou IECA) pode aumentar o efeito hipotensor da amlodipina. É necessário considerar com precaução o tratamento com trinitrato, nitratos ou outros vasodilatadores. - Vasodilatadores
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Amlodipina + Atorvastatina + Sildenafil

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Sildenafil: Uma única dose de 100 mg de sildenafil em indivíduos com hipertensão essencial não teve nenhum efeito nos parâmetros farmacocinéticos da amlodipina. Quando a amlodipina e o sildenafil foram utilizados em associação, cada agente exerceu independentemente o seu próprio efeito de redução da pressão arterial. - Sildenafil
Não recomendado/Evitar

Amlodipina + Atorvastatina + Sumo de toranja

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Sumo de toranja: A administração de amlodipina com toranja ou sumo de toranja não é recomendada, pois a biodisponibilidade poderá ser aumentada nalguns doentes resultando em efeitos aumentados de redução da pressão arterial. - Sumo de toranja
Não recomendado/Evitar

Amlodipina + Atorvastatina + Toranja

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Sumo de toranja: A administração de amlodipina com toranja ou sumo de toranja não é recomendada, pois a biodisponibilidade poderá ser aumentada nalguns doentes resultando em efeitos aumentados de redução da pressão arterial. - Toranja
Sem efeito descrito

Amlodipina + Atorvastatina + Cimetidina

Observações: Os dados de um estudo de interacção fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interacção medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Em estudos de interacção foi também demonstrado que a cimetidina, a atorvastatina, os sais de alumínio/magnésio e a digoxina não afetaram a farmacocinética da amlodipina. - Cimetidina
Sem efeito descrito

Amlodipina + Atorvastatina + Alumínio

Observações: Os dados de um estudo de interacção fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interacção medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Em estudos de interacção foi também demonstrado que a cimetidina, a atorvastatina, os sais de alumínio/magnésio e a digoxina não afetaram a farmacocinética da amlodipina. - Alumínio
Sem efeito descrito

Amlodipina + Atorvastatina + Magnésio

Observações: Os dados de um estudo de interacção fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interacção medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Em estudos de interacção foi também demonstrado que a cimetidina, a atorvastatina, os sais de alumínio/magnésio e a digoxina não afetaram a farmacocinética da amlodipina. - Magnésio
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Digoxina

Observações: Os dados de um estudo de interacção fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são co-administrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interacção medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Em estudos de interacção foi também demonstrado que a cimetidina, a atorvastatina, os sais de alumínio/magnésio e a digoxina não afetaram a farmacocinética da amlodipina. Efeito da atorvastatina nos medicamentos co-administrados: Digoxina: Quando se coadministraram tomas múltiplas de digoxina e 10 mg de atorvastatina, as concentrações de digoxina em estado estacionário aumentaram ligeiramente. Os doentes que se encontram a tomar digoxina deverão ser adequadamente monitorizados. - Digoxina
Sem efeito descrito

Amlodipina + Atorvastatina + Atorvastatina

Observações: Os dados de um estudo de interacção fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interacção medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Em estudos de interacção foi também demonstrado que a cimetidina, a atorvastatina, os sais de alumínio/magnésio e a digoxina não afetaram a farmacocinética da amlodipina. - Atorvastatina
Contraindicado

Amlodipina + Atorvastatina + Cetoconazol

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Associações contra-indicadas: Itraconazol, cetoconazol: Risco aumentado de efeitos adversos (dependentes da dose) como rabdomiólise (redução do metabolismo hepático da atorvastatina). interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Foi demonstrado que os inibidores potentes da CYP3A4 conduzem a concentrações de atorvastatina acentuadamente aumentadas. Se possível, a co-administração de inibidores potentes da CYP3A4 (p.ex. ciclosporina, telitromicina, claritromicina, delavirdina, estiripentol, cetoconazol, voriconazol, itraconazol, posaconazol e inibidores da protease do VIH, incluindo ritonavir, lopinavir, atazanavir, indinavir, darunavir, etc.) deverá ser evitada. Nos casos em que a co-administração desses medicamentos com atorvastatina não puder ser evitada, deverão ser consideradas doses iniciais e máximas de atorvastatina mais baixas e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente. - Cetoconazol
Contraindicado

Amlodipina + Atorvastatina + Itraconazol

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Associações contra-indicadas: Itraconazol, cetoconazol: Risco aumentado de efeitos adversos (dependentes da dose) como rabdomiólise (redução do metabolismo hepático da atorvastatina). interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Foi demonstrado que os inibidores potentes da CYP3A4 conduzem a concentrações de atorvastatina acentuadamente aumentadas. Se possível, a co-administração de inibidores potentes da CYP3A4 (p.ex. ciclosporina, telitromicina, claritromicina, delavirdina, estiripentol, cetoconazol, voriconazol, itraconazol, posaconazol e inibidores da protease do VIH, incluindo ritonavir, lopinavir, atazanavir, indinavir, darunavir, etc.) deverá ser evitada. Nos casos em que a co-administração desses medicamentos com atorvastatina não puder ser evitada, deverão ser consideradas doses iniciais e máximas de atorvastatina mais baixas e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente. - Itraconazol
Contraindicado

Amlodipina + Atorvastatina + Telitromicina

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Associações contra-indicadas: Telitromicina: Risco aumentado de efeitos adversos (dependente da dose) como rabdomiólise (redução do metabolismo hepático da atorvastatina). interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Foi demonstrado que os inibidores potentes da CYP3A4 conduzem a concentrações de atorvastatina acentuadamente aumentadas. Se possível, a co-administração de inibidores potentes da CYP3A4 (p.ex. ciclosporina, telitromicina, claritromicina, delavirdina, estiripentol, cetoconazol, voriconazol, itraconazol, posaconazol e inibidores da protease do VIH, incluindo ritonavir, lopinavir, atazanavir, indinavir, darunavir, etc.) deverá ser evitada. Nos casos em que a co-administração desses medicamentos com atorvastatina não puder ser evitada, deverão ser consideradas doses iniciais e máximas de atorvastatina mais baixas e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente. - Telitromicina
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Ezetimiba

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são co-administrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Efeito de medicamentos co-administrados na atorvastatina: A atorvastatina é metabolizada pela isoenzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4) e é um substrato para proteínas de transporte como, por exemplo, o transportador de captação hepático OATP1B1. A administração concomitante de medicamentos que são inibidores da CYP3A4 ou de proteínas de transporte poderá levar a concentrações plasmática aumentadas de atorvastatina e a um risco aumentado de miopatia. O risco poderá também ser aumentado com a administração concomitante de atorvastatina com outros medicamentos que têm um potencial para induzirem miopatia, como os derivados do ácido fíbrico e a ezetimiba. interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Ezetimiba: O uso de ezetimiba isoladamente está associado com eventos relacionados com os músculos, incluindo rabdomiólise. O risco de ocorrência destes eventos poderá, portanto, ser aumentado com o uso concomitante de ezetimiba e atorvastatina. É recomendada uma monitorização clínica apropriada desses doentes. - Ezetimiba
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Fibratos

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são co-administrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Efeito de medicamentos co-administrados na atorvastatina: A atorvastatina é metabolizada pela isoenzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4) e é um substrato para proteínas de transporte como, por exemplo, o transportador de captação hepático OATP1B1. A administração concomitante de medicamentos que são inibidores da CYP3A4 ou de proteínas de transporte poderá levar a concentrações plasmática aumentadas de atorvastatina e a um risco aumentado de miopatia. O risco poderá também ser aumentado com a administração concomitante de atorvastatina com outros medicamentos que têm um potencial para induzirem miopatia, como os derivados do ácido fíbrico e a ezetimiba. Gemfibrozil/derivados do ácido fíbrico: O uso de fibratos isoladamente está ocasionalmente associado com eventos relacionados com os músculos, incluindo rabdomiólise. O risco desses eventos pode ser aumentado com o uso concomitante de derivados do ácido fíbrico e atorvastatina. Se a administração concomitante não puder ser evitada, deverá ser utilizada a menor dose de atorvastatina para atingir o objetivo terapêutico e os doentes deverão ser adequadamente monitorizados. - Fibratos
Não recomendado/Evitar

Amlodipina + Atorvastatina + Ciclosporina

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Foi demonstrado que os inibidores potentes da CYP3A4 conduzem a concentrações de atorvastatina acentuadamente aumentadas. Se possível, a co-administração de inibidores potentes da CYP3A4 (p.ex. ciclosporina, telitromicina, claritromicina, delavirdina, estiripentol, cetoconazol, voriconazol, itraconazol, posaconazol e inibidores da protease do VIH, incluindo ritonavir, lopinavir, atazanavir, indinavir, darunavir, etc.) deverá ser evitada. Nos casos em que a co-administração desses medicamentos com atorvastatina não puder ser evitada, deverão ser consideradas doses iniciais e máximas de atorvastatina mais baixas e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente. interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores das proteínas de transporte: Os inibidores das proteínas de transporte (p.ex. ciclosporina) podem aumentar a exposição sistémica da atorvastatina. O efeito da inibição dos transportadores de captação hepáticos nas concentrações de atorvastatina nos hepatócitos é desconhecido. Se a administração concomitante não puder ser evitada, é recomendada uma redução da dose e monitorização clínica relativamente à eficácia. - Ciclosporina
Não recomendado/Evitar

Amlodipina + Atorvastatina + Delavirdina

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Foi demonstrado que os inibidores potentes da CYP3A4 conduzem a concentrações de atorvastatina acentuadamente aumentadas. Se possível, a co-administração de inibidores potentes da CYP3A4 (p.ex. ciclosporina, telitromicina, claritromicina, delavirdina, estiripentol, cetoconazol, voriconazol, itraconazol, posaconazol e inibidores da protease do VIH, incluindo ritonavir, lopinavir, atazanavir, indinavir, darunavir, etc.) deverá ser evitada. Nos casos em que a co-administração desses medicamentos com atorvastatina não puder ser evitada, deverão ser consideradas doses iniciais e máximas de atorvastatina mais baixas e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente. - Delavirdina
Não recomendado/Evitar

Amlodipina + Atorvastatina + Estiripentol

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Foi demonstrado que os inibidores potentes da CYP3A4 conduzem a concentrações de atorvastatina acentuadamente aumentadas. Se possível, a co-administração de inibidores potentes da CYP3A4 (p.ex. ciclosporina, telitromicina, claritromicina, delavirdina, estiripentol, cetoconazol, voriconazol, itraconazol, posaconazol e inibidores da protease do VIH, incluindo ritonavir, lopinavir, atazanavir, indinavir, darunavir, etc.) deverá ser evitada. Nos casos em que a co-administração desses medicamentos com atorvastatina não puder ser evitada, deverão ser consideradas doses iniciais e máximas de atorvastatina mais baixas e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente. - Estiripentol
Não recomendado/Evitar

Amlodipina + Atorvastatina + Voriconazol

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Foi demonstrado que os inibidores potentes da CYP3A4 conduzem a concentrações de atorvastatina acentuadamente aumentadas. Se possível, a co-administração de inibidores potentes da CYP3A4 (p.ex. ciclosporina, telitromicina, claritromicina, delavirdina, estiripentol, cetoconazol, voriconazol, itraconazol, posaconazol e inibidores da protease do VIH, incluindo ritonavir, lopinavir, atazanavir, indinavir, darunavir, etc.) deverá ser evitada. Nos casos em que a co-administração desses medicamentos com atorvastatina não puder ser evitada, deverão ser consideradas doses iniciais e máximas de atorvastatina mais baixas e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente. - Voriconazol
Não recomendado/Evitar

Amlodipina + Atorvastatina + Posaconazol

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Foi demonstrado que os inibidores potentes da CYP3A4 conduzem a concentrações de atorvastatina acentuadamente aumentadas. Se possível, a co-administração de inibidores potentes da CYP3A4 (p.ex. ciclosporina, telitromicina, claritromicina, delavirdina, estiripentol, cetoconazol, voriconazol, itraconazol, posaconazol e inibidores da protease do VIH, incluindo ritonavir, lopinavir, atazanavir, indinavir, darunavir, etc.) deverá ser evitada. Nos casos em que a co-administração desses medicamentos com atorvastatina não puder ser evitada, deverão ser consideradas doses iniciais e máximas de atorvastatina mais baixas e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente. - Posaconazol
Não recomendado/Evitar

Amlodipina + Atorvastatina + Lopinavir

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Foi demonstrado que os inibidores potentes da CYP3A4 conduzem a concentrações de atorvastatina acentuadamente aumentadas. Se possível, a co-administração de inibidores potentes da CYP3A4 (p.ex. ciclosporina, telitromicina, claritromicina, delavirdina, estiripentol, cetoconazol, voriconazol, itraconazol, posaconazol e inibidores da protease do VIH, incluindo ritonavir, lopinavir, atazanavir, indinavir, darunavir, etc.) deverá ser evitada. Nos casos em que a co-administração desses medicamentos com atorvastatina não puder ser evitada, deverão ser consideradas doses iniciais e máximas de atorvastatina mais baixas e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente. - Lopinavir
Não recomendado/Evitar

Amlodipina + Atorvastatina + Ritonavir

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Foi demonstrado que os inibidores potentes da CYP3A4 conduzem a concentrações de atorvastatina acentuadamente aumentadas. Se possível, a co-administração de inibidores potentes da CYP3A4 (p.ex. ciclosporina, telitromicina, claritromicina, delavirdina, estiripentol, cetoconazol, voriconazol, itraconazol, posaconazol e inibidores da protease do VIH, incluindo ritonavir, lopinavir, atazanavir, indinavir, darunavir, etc.) deverá ser evitada. Nos casos em que a co-administração desses medicamentos com atorvastatina não puder ser evitada, deverão ser consideradas doses iniciais e máximas de atorvastatina mais baixas e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente. - Ritonavir
Não recomendado/Evitar

Amlodipina + Atorvastatina + Atazanavir

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Foi demonstrado que os inibidores potentes da CYP3A4 conduzem a concentrações de atorvastatina acentuadamente aumentadas. Se possível, a co-administração de inibidores potentes da CYP3A4 (p.ex. ciclosporina, telitromicina, claritromicina, delavirdina, estiripentol, cetoconazol, voriconazol, itraconazol, posaconazol e inibidores da protease do VIH, incluindo ritonavir, lopinavir, atazanavir, indinavir, darunavir, etc.) deverá ser evitada. Nos casos em que a co-administração desses medicamentos com atorvastatina não puder ser evitada, deverão ser consideradas doses iniciais e máximas de atorvastatina mais baixas e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente. - Atazanavir
Não recomendado/Evitar

Amlodipina + Atorvastatina + Indinavir

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Foi demonstrado que os inibidores potentes da CYP3A4 conduzem a concentrações de atorvastatina acentuadamente aumentadas. Se possível, a co-administração de inibidores potentes da CYP3A4 (p.ex. ciclosporina, telitromicina, claritromicina, delavirdina, estiripentol, cetoconazol, voriconazol, itraconazol, posaconazol e inibidores da protease do VIH, incluindo ritonavir, lopinavir, atazanavir, indinavir, darunavir, etc.) deverá ser evitada. Nos casos em que a co-administração desses medicamentos com atorvastatina não puder ser evitada, deverão ser consideradas doses iniciais e máximas de atorvastatina mais baixas e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente. - Indinavir
Não recomendado/Evitar

Amlodipina + Atorvastatina + Darunavir

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Foi demonstrado que os inibidores potentes da CYP3A4 conduzem a concentrações de atorvastatina acentuadamente aumentadas. Se possível, a co-administração de inibidores potentes da CYP3A4 (p.ex. ciclosporina, telitromicina, claritromicina, delavirdina, estiripentol, cetoconazol, voriconazol, itraconazol, posaconazol e inibidores da protease do VIH, incluindo ritonavir, lopinavir, atazanavir, indinavir, darunavir, etc.) deverá ser evitada. Nos casos em que a co-administração desses medicamentos com atorvastatina não puder ser evitada, deverão ser consideradas doses iniciais e máximas de atorvastatina mais baixas e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente. - Darunavir
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Atorvastatina + Nefazodona

Observações: Os dados de um estudo de interacção fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interacção medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Os inibidores moderados da CYP3A4 (p.ex. eritromicina, diltiazem, verapamilo, nefazodona e fluconazol) poderão aumentar as concentrações plasmáticas de atorvastatina. Foi observado um risco aumentado de miopatia com o uso de eritromicina em associação com estatinas. Não foram realizados estudos de interacção para avaliação dos efeitos de amiodarona ou verapamilo na atorvastatina. Sabe-se que tanto a amiodarona como o verapamilo inibem a actividade da CYP3A4 e a co-administração com atorvastatina poderá resultar em exposição aumentada à atorvastatina. Por conseguinte, deverá considerar-se uma menor dose máxima de atorvastatina e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente quando é utilizada concomitantemente com inibidores moderados da CYP3A4. É recomendada uma monitorização clínica apropriada após o início ou após ajustes da dose do inibidor. - Nefazodona
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Atorvastatina + Fluconazol

Observações: Os dados de um estudo de interacção fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interacção medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Os inibidores moderados da CYP3A4 (p.ex. eritromicina, diltiazem, verapamilo, nefazodona e fluconazol) poderão aumentar as concentrações plasmáticas de atorvastatina. Foi observado um risco aumentado de miopatia com o uso de eritromicina em associação com estatinas. Não foram realizados estudos de interacção para avaliação dos efeitos de amiodarona ou verapamilo na atorvastatina. Sabe-se que tanto a amiodarona como o verapamilo inibem a actividade da CYP3A4 e a co-administração com atorvastatina poderá resultar em exposição aumentada à atorvastatina. Por conseguinte, deverá considerar-se uma menor dose máxima de atorvastatina e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente quando é utilizada concomitantemente com inibidores moderados da CYP3A4. É recomendada uma monitorização clínica apropriada após o início ou após ajustes da dose do inibidor. - Fluconazol
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Amiodarona

Observações: Os dados de um estudo de interacção fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interacção medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Inibidores da CYP3A4: Os inibidores moderados da CYP3A4 (p.ex. eritromicina, diltiazem, verapamilo, nefazodona e fluconazol) poderão aumentar as concentrações plasmáticas de atorvastatina. Foi observado um risco aumentado de miopatia com o uso de eritromicina em associação com estatinas. Não foram realizados estudos de interacção para avaliação dos efeitos de amiodarona ou verapamilo na atorvastatina. Sabe-se que tanto a amiodarona como o verapamilo inibem a actividade da CYP3A4 e a co-administração com atorvastatina poderá resultar em exposição aumentada à atorvastatina. Por conseguinte, deverá considerar-se uma menor dose máxima de atorvastatina e é recomendada uma monitorização clínica apropriada do doente quando é utilizada concomitantemente com inibidores moderados da CYP3A4. É recomendada uma monitorização clínica apropriada após o início ou após ajustes da dose do inibidor. - Amiodarona
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Efavirenz

Observações: Os dados de um estudo de interacção fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interacção medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Indutores da CYP3A4: A administração concomitante de atorvastatina com indutores isoenzima 3A do citocromo P450 (p.ex. efavirenz, rifampicina, hipericão) pode levar a reduções variáveis das concentrações plasmáticas de atorvastatina. Devido ao mecanismo de interacção duplo da rifampicina (indução da isoenzima 3A do citocromo P450 e inibição do transportador de captação dos hepatócitos OATP1B1), recomenda-se a co-administração simultânea de atorvastatina com rifampicina, pois a administração ulterior de atorvastatina após a administração de rifampicina foi associada a uma redução significativa das concentrações plasmáticas de atorvastatina. O efeito da rifampicina nas concentrações de atorvastatina nos hepatócitos é, no entanto, desconhecido e se a administração concomitante não puder ser evitada, os doentes deverão ser alvo de uma monitorização cuidadosa relativamente à eficácia. - Efavirenz
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Hipericão (Erva de S. João)

Observações: Os dados de um estudo de interacção fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interacção medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Indutores da CYP3A4: A administração concomitante de atorvastatina com indutores isoenzima 3A do citocromo P450 (p.ex. efavirenz, rifampicina, hipericão) pode levar a reduções variáveis das concentrações plasmáticas de atorvastatina. Devido ao mecanismo de interacção duplo da rifampicina (indução da isoenzima 3A do citocromo P450 e inibição do transportador de captação dos hepatócitos OATP1B1), recomenda-se a co-administração simultânea de atorvastatina com rifampicina, pois a administração ulterior de atorvastatina após a administração de rifampicina foi associada a uma redução significativa das concentrações plasmáticas de atorvastatina. O efeito da rifampicina nas concentrações de atorvastatina nos hepatócitos é, no entanto, desconhecido e se a administração concomitante não puder ser evitada, os doentes deverão ser alvo de uma monitorização cuidadosa relativamente à eficácia. - Hipericão (Erva de S. João)
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Gemfibrozil

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Gemfibrozil/derivados do ácido fíbrico: O uso de fibratos isoladamente está ocasionalmente associado com eventos relacionados com os músculos, incluindo rabdomiólise. O risco desses eventos pode ser aumentado com o uso concomitante de derivados do ácido fíbrico e atorvastatina. Se a administração concomitante não puder ser evitada, deverá ser utilizada a menor dose de atorvastatina para atingir o objetivo terapêutico e os doentes deverão ser adequadamente monitorizados. - Gemfibrozil
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Colestipol

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são co-administrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Colestipol: As concentrações plasmáticas de atorvastatina e dos seus metabolitos ativos foram mais baixas (em aprox. 25%) quando se coadministrou colestipol com atorvastatina. Contudo, os efeitos nos lípidos foram maiores quando a atorvastatina e o colestipol foram co-administrados do que quando qualquer desses medicamentos foi administrado isoladamente. - Colestipol
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Ácido fusídico

Observações: Os dados de um estudo de interacção fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interacção medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Ácido fusídico: Não foram realizados estudos de interacção com atorvastatina e ácido fusídico. Como com outras estatinas, foram notificados eventos relacionados com os músculos, incluindo rabdomiólise, na experiência pós-comercialização com atorvastatina e ácido fusídico administrados concomitantemente. O mecanismo desta interacção não é conhecido. Os doentes deverão ser alvo de uma monitorização apertada e poderá ser apropriada uma suspensão temporária do tratamento com atorvastatina. - Ácido fusídico
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Ácido nicotínico (ou niacina, vitamina B3, vitamina PP)

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Niacina: O risco de miopatia durante o tratamento com inibidores da HMG-CoA reductase é aumentado com a administração concomitante de niacina e, em casos raros, resultou em rabdomiólise com disfunção renal secundária a mioglobinúria. Por conseguinte, o benefício e o risco do tratamento simultâneo deverão ser cuidadosamente ponderados. - Ácido nicotínico (ou niacina, vitamina B3, vitamina PP)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Atorvastatina + Contracetivos orais

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são co-administrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: Efeito da atorvastatina nos medicamentos co-administrados: Contraceptivos orais: A co-administração de atorvastatina com um contraceptivo oral produziu aumentos das concentrações plasmáticas de noretindrona e etinilestradiol. - Contracetivos orais
Usar com precaução

Amlodipina + Atorvastatina + Varfarina

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são co-administrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: Efeito da atorvastatina nos medicamentos co-administrados: Varfarina: Num estudo clínico em doentes que estavam a efetuar terapêutica crónica com varfarina, a co-administração de 80 mg de atorvastatina por dia com varfarina originou uma pequena diminuição de cerca de 1,7 segundos do tempo de protrombina durante os primeiros 4 dias de toma que regressaram ao normal após 15 dias de tratamento com atorvastatina. Embora apenas tenham sido notificados casos muito raros de interacções clinicamente significativas com o anticoagulante, o tempo de protrombina deverá ser determinado antes de iniciar a atorvastatina nos doentes que se encontrem a tomar anticoagulantes cumarínicos e com uma frequência suficiente durante o início do tratamento para garantir que não ocorre nenhuma alteração significativa do tempo de protrombina. Assim que tiver sido documentado um tempo de protrombina estável, os tempos de protrombina podem ser monitorizados nos intervalos geralmente recomendados para doentes sob tratamento com anticoagulantes cumarínicos. Se a dose de atorvastatina for alterada ou se a atorvastatina for descontinuada, deverá repetir-se o mesmo procedimento. A terapêutica com atorvastatina não foi associada com hemorragias nem com alterações do tempo de protrombina em doentes que não se encontrem a tomar anticoagulantes. - Varfarina
Contraindicado

Amlodipina + Atorvastatina + Inibidores das proteinas de transporte

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a ATORVASTATINA: Associações contra-indicadas: Inibidores das proteínas de transporte: Os inibidores das proteínas de transporte (p.ex. ciclosporina) podem aumentar a exposição sistémica da atorvastatina. O efeito da inibição dos transportadores de captação hepáticos nas concentrações de atorvastatina nos hepatócitos é desconhecido. Se a administração concomitante não puder ser evitada, é recomendada uma redução da dose e monitorização clínica relativamente à eficácia. - Inibidores das proteinas de transporte
Não recomendado/Evitar

Amlodipina + Atorvastatina + Sumo de toranja

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Sumo de toranja: A administração de amlodipina com toranja ou sumo de toranja não é recomendada, pois a biodisponibilidade poderá ser aumentada nalguns doentes resultando em efeitos aumentados de redução da pressão arterial. - Sumo de toranja
Não recomendado/Evitar

Amlodipina + Atorvastatina + Toranja

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interacções: interacções relacionadas com a AMLODIPINA: Associação a ter em consideração: Sumo de toranja: A administração de amlodipina com toranja ou sumo de toranja não é recomendada, pois a biodisponibilidade poderá ser aumentada nalguns doentes resultando em efeitos aumentados de redução da pressão arterial. - Toranja
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções da Amlodipina + Atorvastatina
Informe o Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Se está grávida ou a amamentar, se pensa estar grávida ou planeia engravidar, consulte o médico ou farmacêutico antes de tomar este medicamento.

Não deve utilizar Amlodipina + Atorvastatina se estiver grávida ou se estiver a tentar engravidar.
As mulheres com potencial para engravidar têm de utilizar métodos contraceptivos eficazes durante o tratamento com Amlodipina + Atorvastatina.

Não deve utilizar Amlodipina + Atorvastatina se estiver a amamentar.
Foi demonstrado que a amlodipina é excretada para o leite materno em pequenas quantidades.

Não se espera que Amlodipina + Atorvastatina afecte a sua capacidade de conduzir ou utilizar máquinas.
Contudo, é necessário ter em consideração a possível ocorrência de tonturas durante a condução ou a utilização de máquinas.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Novembro de 2021