Alirocumab

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI/Medicamento sujeito a Monitorização Adicional
O que é
Alirocumab é um anticorpo monoclonal (um tipo de proteína especializada desenhada para se ligar a uma substância alvo no corpo).

Os anticorpos monoclonais são proteínas que reconhecem e se ligam a outras proteínas únicas.

O alirocumab liga-se à PCSK9.

Alirocumab ajuda a reduzir os níveis de colesterol “mau” (também chamado “colesterol LDL”).

Alirocumab bloqueia uma proteína chamada PCSK9.

A PCSK9 é uma proteína secretada pelas células do fígado.

O colesterol “mau” normalmente é eliminado do sangue através da ligação a “recetores” específicos (estações de acoplamento) no fígado.

A PCSK9 reduz o número destes recetores no fígado – tal faz com que o valor de colesterol “mau” fique mais elevado do que devia.

Ao bloquear a PCSK9, Alirocumab aumenta o número de recetores disponíveis para ajudar a eliminar o colesterol “mau”– isto reduz os níveis do colesterol “mau”.
Usos comuns
Alirocumab está indicado em adultos com hipercolesterolemia primária (familiar heterozigótica e não familiar) ou dislipidemia mista, como complemento à dieta:

- em combinação com uma estatina ou estatina com outras terapêuticas para a redução dos lípidos em doentes incapazes de atingir os valores alvo de C-LDL com a dose máxima tolerada de uma estatina ou

- em monoterapia ou em combinação com outras terapêuticas para a redução dos lípidos, em doentes intolerantes à estatina ou para os quais a estatina é contraindicada.

O efeito de Alirocumab sobre a morbilidade e a mortalidade cardiovascular ainda não foi determinado.
Tipo
Sem informação.
História
A importância de PCSK9 como um alvo biológico para a descoberta da droga surgiu em 2003, quando uma série de descobertas conduziram à identificação da proteína e do seu gene, o seu papel na causa de alguns casos de hipercolesterolemia familiar quando algumas mutações estão presentes, e o seu papel em causar muito baixos níveis de colesterol LDL quando outras mutações estão presentes.

Em julho de 2015, o FDA aprovou alirocumab como um tratamento de segunda linha para diminuir o colesterol LDL para adultos que têm colesterol alto hereditário e pessoas com aterosclerose que exigem adicional redução do colesterol LDL quando a dieta e estatina tratamento não funcionaram.

Esta foi a primeira aprovação de um PCSK9 inibidor.

A aprovação do FDA foi condicionada à realização de novos ensaios clínicos para melhor determinar a eficácia ea segurança.
Indicações
Alirocumab está indicado em adultos com hipercolesterolemia primária (familiar heterozigótica e não familiar) ou dislipidemia mista, como complemento à dieta:

- em combinação com uma estatina ou estatina com outras terapêuticas para a redução dos lípidos em doentes incapazes de atingir os valores alvo de C-LDL com a dose máxima tolerada de uma estatina ou

- em monoterapia ou em combinação com outras terapêuticas para a redução dos lípidos, em doentes intolerantes à estatina ou para os quais a estatina é contraindicada.

O efeito de Alirocumab sobre a morbilidade e a mortalidade cardiovascular ainda não foi determinado.
Classificação CFT
n.d.     n.d.
Mecanismo De Ação
Mecanismo de ação
O alirocumab é um anticorpo monoclonal de IgG1 totalmente humano que se liga com alta afinidade e especificidade à pró-proteína convertase subtilisina/quexina tipo 9 (PCSK9).

A PCSK9 liga-se aos recetores das lipoproteínas de baixa densidade (LDLR) na superfície dos hepatócitos para promover a degradação dos LDLR no fígado.

Os LDLR são os recetores primários que eliminam da circulação o LDL, como tal a diminuição dos níveis dos LDLR pela PCSK9 resulta em níveis superiores de C-LDL no sangue.

Ao inibir a ligação da PCSK9 aos LDLR, o alirocumab aumenta o número dos LDLR disponíveis para eliminar o LDL, diminuindo assim os níveis de C-LDL.


Os LDLR também se ligam a outras lipoproteínas de muito baixa densidade (VLDL) ricas em triglicéridos e lipoproteínas de densidade intermédia (IDL).

Portanto, o tratamento com alirocumab pode provocar reduções nas outras lipoproteínas como evidenciado pelas reduções nos níveis de apolipoproteína B (Apo B), colesterol das lipoproteínas de densidade não elevada (C-não-HDL) e triglicéridos (TG).

O alirocumab também resulta na redução da lipoproteína (a) [Lp(a)], que é uma forma de LDL que se liga à apolipoproteína (a).

No entanto, os LDLR têm mostrado ter uma baixa afinidade para a Lp(a), por isso o mecanismo exato através do qual o alirocumab reduz a Lp(a) não está inteiramente compreendido.

Nos estudos genéticos em humanos, foram identificadas variantes da PCSK9, com mutações quer de perda de função quer de ganho de função.

Os indivíduos com a mutação de perda de função da PCSK9 em apenas um alelo têm níveis de C-LDL mais baixos, o que se relaciona com uma incidência de doença arterial coronária significativamente mais baixa.

Foram notificados alguns indivíduos com mutação de perda de função de PCSK9 em dois alelos e que têm níveis de C-LDL profundamente baixos, com níveis de C-HDL e TG dentro dos valores normais.

Por outro lado, foram identificados mutações de ganho de função do gene PCSK9 em doentes com níveis aumentados de C-LDL e diagnóstico clínico de hipercolesterolemia familiar.

Num ensaio multicêntrico, em dupla ocultação, controlado por placebo, com duração de 14 semanas, 13 doentes com hipercolesterolemia familiar heterozigótica devido a mutações de ganho de função do gene PCSK9 foram aleatorizados para receber 150 mg de alirocumab a cada 2 semanas ou placebo.

O valor médio inicial de C-LDL era de 151,5 mg/dL (3,9 mmol/L).

Na semana 2, a redução média de C- LDL relativamente ao valor inicial foi de 62,5% nos doentes tratados com alirocumab, em comparação com 8,8% nos doentes tratados com placebo.

Na semana 8, a redução média de C-LDL relativamente ao valor inicial em todos os doentes tratados com alirocumab foi de 72,4%.
Posologia Orientativa
Antes de iniciar o tratamento com Alirocumab, devem ser excluídas as causas secundárias de hiperlipidemia ou dislipidemia mista (por ex., síndrome nefrótica, hipotiroidismo).

A dose inicial habitual de Alirocumab é de 75 mg, administrado por via subcutânea, uma vez a cada 2 semanas.

Os doentes com maior necessidade de redução do C-LDL (>60%) podem iniciar o tratamento com 150 mg, administrado por via subcutânea, uma vez a cada 2 semanas.
Administração
Administração subcutânea.

Alirocumabé injetado sob a forma de injeção subcutânea na coxa, no abdómen ou na parte superior do braço.

É recomendado alternar o local da injeção para cada injeção.

Alirocumabnão deve ser injetado em áreas com doenças ou lesões cutâneas visíveis, como queimaduras solares, erupções cutâneas, inflamação ou infeções cutâneas.

Alirocumabnão deve ser coadministrado com outros medicamentos injetáveis no mesmo local de injeção.

O doente pode autoinjetar o Alirocumabou um prestador de cuidados pode administrar Alirocumab, depois de ter sido prestada orientação por um profissional de saúde sobre a técnica adequada de administração de injeção subcutânea.
Contraindicações
Hipersensibilidade ao Alirocumab.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Se desenvolver uma reação alérgica grave, pare de utilizar Alirocumab, fale com o médico imediatamente.

Ocorreram (até 1 em cada 1000 pessoas), reações alérgicas graves como hipersensibilidade (dificuldade em respirar), eczema numular (manchas avermelhadas na pele, por vezes com bolhas) e vasculite de hipersensibilidade (que é uma forma específica de reação de hipersensibilidade com sintomas como diarreia, com uma erupção cutânea ou manchas de cor roxa na pele).


Outros efeitos secundários são:
Frequentes (podem afetar até 1 em cada 10 pessoas)
- vermelhidão, prurido, inchaço, dor/sensibilidade onde o medicamento foi injetado (reações locais no local da injeção)
- sinais ou sintomas do trato respiratório superior, como dores de garganta, nariz a pingar, espirros
- comichão (prurido).


Raros (podem afetar até 1 em cada 1.000 pessoas)
pequenas elevações vermelhas e pruriginosa ou urticária (urticária).
Advertências
Gravidez
Gravidez:Não administrar durante a gravidez
Aleitamento
Aleitamento:Não administrar durante a amamentação.
Precauções Gerais
Reações alérgicas
Foram notificadas, em ensaios clínicos, reações alérgicas generalizadas, incluindo prurido, bem como reações alérgicas raras e por vezes graves tais como hipersensibilidade, eczema numular, urticária e vasculite de hipersensibilidade.

Caso ocorram sinais ou sintomas de reação alérgica grave, o tratamento com Alirocumab deve ser interrompido e deve iniciar-se o tratamento sintomático adequado .

Compromisso renal
Em ensaios clínicos, houve uma representação limitada de doentes com compromisso renal grave (definido como TFGe <30 mL/min/1,73 m2).

Alirocumab deve ser utilizado com precaução em doentes com compromisso renal grave.

Compromisso hepático
Não foram estudados doentes com compromisso hepático grave (Child-Pugh C).

Alirocumab deve ser utilizado com precaução em doentes com compromisso hepático grave.
Cuidados com a Dieta
Não interfere com alimentos e bebidas.
Terapêutica Interrompida
Se for esquecida uma dose, o doente deve administrar a injeção assim que possível e depois disso retomar o tratamento duas semanas a partir do dia em que se esqueceu da dose.

Cuidados no Armazenamento
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Conservar no frigorífico (2ºC – 8ºC).

Não congelar.

Não conserve Alirocumab fora do frigorífico durante mais de 24 horas a temperaturas abaixo de 25ºC (não conserve acima de 25ºC).

Manter a caneta na embalagem exterior para proteger da luz.


Não utilize este medicamento se parecer descolorado ou turvo ou se contiver partículas ou flocos visíveis.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Alirocumab + Inibidores da HMG-CoA redutase (Estatinas)

Observações: Uma vez que o alirocumab é um produto biológico, não são previstos efeitos farmacocinéticos do alirocumab sobre outros medicamentos, nem efeitos nas enzimas do citocromo P450.
Interações: As estatinas e outras terapêuticas modificadoras dos lípidos são conhecidas por aumentar a produção da PCSK9, a proteína alvo do alirocumab. Tal conduz ao aumento da depuração mediada pelo alvo e à exposição sistémica reduzida do alirocumab. Em comparação com a monoterapia com alirocumab, a exposição ao alirocumab é de cerca de 40%, 15% e 35% inferior quando utilizada concomitantemente com estatinas, ezetimiba e fenofibrato, respetivamente. No entanto, a redução do C-LDL mantém-se durante o intervalo de doses, quando o alirocumab é administrado a cada duas semanas.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Alirocumab + Ezetimiba

Observações: Uma vez que o alirocumab é um produto biológico, não são previstos efeitos farmacocinéticos do alirocumab sobre outros medicamentos, nem efeitos nas enzimas do citocromo P450.
Interações: As estatinas e outras terapêuticas modificadoras dos lípidos são conhecidas por aumentar a produção da PCSK9, a proteína alvo do alirocumab. Tal conduz ao aumento da depuração mediada pelo alvo e à exposição sistémica reduzida do alirocumab. Em comparação com a monoterapia com alirocumab, a exposição ao alirocumab é de cerca de 40%, 15% e 35% inferior quando utilizada concomitantemente com estatinas, ezetimiba e fenofibrato, respetivamente. No entanto, a redução do C-LDL mantém-se durante o intervalo de doses, quando o alirocumab é administrado a cada duas semanas.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Alirocumab + Fenofibrato

Observações: Uma vez que o alirocumab é um produto biológico, não são previstos efeitos farmacocinéticos do alirocumab sobre outros medicamentos, nem efeitos nas enzimas do citocromo P450.
Interações: As estatinas e outras terapêuticas modificadoras dos lípidos são conhecidas por aumentar a produção da PCSK9, a proteína alvo do alirocumab. Tal conduz ao aumento da depuração mediada pelo alvo e à exposição sistémica reduzida do alirocumab. Em comparação com a monoterapia com alirocumab, a exposição ao alirocumab é de cerca de 40%, 15% e 35% inferior quando utilizada concomitantemente com estatinas, ezetimiba e fenofibrato, respetivamente. No entanto, a redução do C-LDL mantém-se durante o intervalo de doses, quando o alirocumab é administrado a cada duas semanas.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Alirocumab não é recomendado durante a gravidez ou a amamentação.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017