Ácido hialurónico

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento
O que é
O Ácido hialurónico é um biopolímero formado pelo ácido glucurónico e a N-acetilglicosamina.

De textura viscosa, existe no líquido sinovial, humor vítreo e no tecido conjuntivo colagénio de numerosos organismos, sendo uma importante glicosaminoglicano (GAG) na constituição da articulação.

Esta molécula é a única GAG não sulfatada e possui a capacidade de se associar a proteínas para formar agregados moleculares, mas não forma proteoglicanos.
Usos comuns
Tratamento da dor no joelho em pacientes com osteoartrite que não obtiveram alívio com outros tratamentos.

O hialuranato é um derivado do ácido hialurónico.

Funciona através do aumento da eficácia do líquido no interior da articulação do joelho para atuar como um lubrificante e amortecedor.
Tipo
Molécula pequena.
História
O Ácido hialurónico está presente em muitos tecidos do corpo, tais como pele, cartilagem, e no humor vítreo.

Por conseguinte, é muito adequado para aplicações biomédicas segmentadas dirigidas a estes tecidos.

O primeiro produto biomédico do ácido hialurónico, o Healon, foi desenvolvido na década de 1970 e 1980 pela Pharmacia, e está aprovado para uso em cirurgia ocular (ou seja, no transplante de córnea, cirurgia de catarata, cirurgia de glaucoma, e cirurgia para reparar o descolamento da retina).

Outras empresas biomédicas também produzem outras marcas de ácido hialurónico para a cirurgia oftálmica.

O Hialuronano nativo tem uma semi-vida relativamente curta (experimentada em coelhos), por isso diversas técnicas de fabrico terem sido implementadas para prolongar o comprimento da cadeia e estabilizar a molécula para a sua utilização em aplicações médicas.

A introdução de proteína à base de ligações cruzadas, a introdução de moléculas de eliminação de radicais livres, tais como o sorbitol, e a estabilização mínima das cadeias de HA por meio de agentes químicos, por exemplo NASHA, são técnicas que têm sido utilizadas.

No final de 1970, o implante de lente intra-ocular foi muitas vezes seguido de edema severo da córnea, devido a lesão das células endoteliais durante a cirurgia.

Era evidente que, um lubrificante claro, viscoso fisiológico era necessário para evitar a raspagem das células endoteliais.
Indicações
Tratamento sintomático da dor e da função articular na osteoartrite do joelho.
Classificação CFT

09.04 : Medicamentos para tratamento da artrose

Mecanismo De Ação
O Ácido hialurónico é um componente importante da matriz extracelular do corpo e está presente numa concentração particularmente elevada na cartilagem e fluido sinovial.

O Ácido hialurónico endógeno fornece a viscoelasticidade do líquido sinovial, as propriedades fundamentais de lubrificante e amortecedor, e essencial para a estrutura correta de proteoglicanos na cartilagem articular.

A quantidade de Ácido hialurónico no fluido sinovial e na cartilagem, na osteoartrite, é insuficiente e a qualidade é prejudicada.

A administração intra-articular de Ácido hialurónico melhora a mobilidade das articulações com a superfície degenerativa da cartilagem e alterações patológicas no fluido sinovial.

Os efeitos benéficos do Ácido hialurónico exógeno pode ser derivada das suas interacções com alguns componentes da cavidade sinovial (sinoviócitos e condrócitos).

Em ensaios clínicos controlados, foram mostrados os ciclos de tratamento com hialurónico para melhorar os sintomas de osteoartrite, durante pelo menos 6 meses após a conclusão do tratamento.

Em alguns casos, a melhoria foi demonstrada até 12 meses ou mais.
Posologia Orientativa
Osteoartrite do joelho:

Adultos (incluindo idosos): 1 seringa pré-cheia dentro da articulação afetada, uma vez por semana, durante cinco semanas consecutivas.

Mais de uma articulação podem ser tratadas ​​simultaneamente.
Administração
- Regras para a correta administração: dose única em seringas pré-carregadas contendo 2 ml de solução para uso imediato em injeção intra-articular.

Não diluir.

O conteúdo da seringa é estéril e deve ser utilizado imediatamente após a abertura da embalagem.

Administrar somente se a solução de injeção estiver completamente transparente.

A injeção deve ser executada exactamente no espaço da articulação do joelho afetado.

A administração será mais fácil para o ponto de injeção.

A área lateral é geralmente escolhido, mas, em alguns casos, uma área média pode ser preferível.

Evite injeção intravascular.

A administração deve ser feita sob estritas condições de assepsia.

Seringas pré-carregadas exigem apenas a agulha.

Retirar as bolhas de ar na seringa antes da administração.

Se antes de injetar a retenção de líquido sinovial for observada, qualquer fuga por artrocentese com uma agulha de 20G, até obter o líquido sinovial, mas não a precisão da injeção intra-articular posterior.

O líquido extraído é examinado e a presença de infeção bacteriana será descartada antes da injeção.

A injeção pode ser realizada com a mesma agulha do operatório.

Para verificar se a agulha está conectada corretamente, aspirar uma pequena quantidade de líquido sinovial antes de injetar o medicamento lentamente.

Parar a aplicação se o paciente sentir dor nos intervalos do procedimento.

São recomendados movimentos de flexão e extensão passiva durante a administração para uma melhor distribuição intra-articular.

O paciente deve ser instruído para manter o joelho tratado em repouso, durante as primeiras 48 horas após o tratamento, evitando qualquer atividade intensa ou prolongada.

Nos dias seguintes o paciente pode gradualmente retornar à atividade normal.

Eliminar a solução não utilizada.
Contraindicações
- Hipersensibilidade à substância ativa ou a proteínas de aves.

- Como qualquer outro tratamento por injeção intra-articular, também são observadas todas as contraindicações para aplicação geral de injeções intra-articulares.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Dermatológica/alérgica: Raramente desenvolveram urticária e prurido.

Nestes casos é necessário remover a administração e o paciente deve receber o tratamento adequado.

Com pouca frequência se descreve dor (geralmente transitória) após a administração, e inchaço no local da injeção.

Há relatos de hidropisia, vermelhidão, calor e sensação de peso no local da injeção e, raramente se descreveu a aparência de choque devendo, nesse caso, ser retirada, monitorizar cuidadosamente os pacientes e providenciar o tratamento adequado.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Recomenda-se avaliar a relação risco/benefício antes de iniciar o tratamento durante a gravidez.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:Deve ser administrado com precaução em mulheres a amamentar.
Precauções Gerais
– Considerar a extração antes da injetar, caso se verifique derrame.

– Seguir a técnica correta de injeção intra-articular em condições totalmente assépticas.

– Como em qualquer procedimento intra-articular, é aconselhável evitar a sobrecarga da articulação tratada, imediatamente após a injeção.

– Os doentes devem ser cuidadosamente examinadas antes da administração para possíveis sinais de inflamação aguda e o médico deve avaliar cuidadosamente o momento do início da terapia.

– Atenção especial deve ser observada em pacientes com infeções ou doenças de pele em áreas próximas ao local da injeção para evitar a possibilidade de desenvolver artrite bacteriana.
Cuidados com a Dieta
Sem informação.
Terapêutica Interrompida
Contatar o Médico se uma dose de Ácido hialurónico for perdida.
Cuidados no Armazenamento
Armazenar a temperatura inferior a 25º C.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Não recomendado/Evitar

Ácido hialurónico + Sal quaternário de amónio

Observações: N.D.
Interações: Não recomendado concomitantemente com desinfetantes contendo sais de amónio quaternário, pois pode ocorrer precipitação de ácido hialurónico. - Sal quaternário de amónio
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações do Ácido hialurónico
Informe o Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

Recomenda-se avaliar a relação risco / benefício antes de iniciar o tratamento durante a gravidez.

As mulheres em idade fértil devem ser aconselhados a consultar seu médico se suspeitarem ou pretenderem engravidar.

Apesar de não se esperar que após a administração intra-articular possa passar para o leite materno, deve ser administrado com precaução em mulheres a amamentar, uma vez que muitos fármacos são excretados por esta via.

É desejável estabelecer a relação risco / benefício antes de prescrever o tratamento.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 08 de Setembro de 2020