Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico

DCI com Advertência na Gravidez
O que é
O Paracetamol e o ácido acetilsalicílico possuem notável actividade analgésica e antipirética, as quais são resultado do efeito direto nos centros da dor e da vasodilatação periférica e sudação geradas, que contribuem para a regulação da temperatura corporal.

O Ácido acetilsalicílico possui ainda ação anti inflamatória.
Usos comuns
Tratamento sintomático de dores e febre que ocorrem durante estados gripais e infecções das vias respiratórias superiores.

Tratamento de dores de cabeça; enxaquecas, dores articulares e musculares passageiras, dores de dentes (exceto antes ou depois de cirurgias dentárias).
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Tratamento sintomático de dores e febre.
Classificação CFT

2.10 : Analgésicos e antipiréticos

Mecanismo De Ação
Apresenta propriedades analgésicas e antipiréticas, atribuídas ao Paracetamol e ao Ácido acetilsalicílico. A actividade anti-inflamatória é resultado apenas da acção do Ácido acetilsalicílico.

O efeito analgésico parece resultar da inibição da síntese das prostaglandinas envolvidas no processo da dor. A sua acção é maioritariamente periférica, podendo, no entanto, apresentar actividade similar a nível do sistema nervoso central, possivelmente a nível do hipotálamo.

A actividade analgésica do paracetamol é evidenciada nas dores de intensidade moderada. Não possui efeito nas dores espasmódicas, nem exibe efeito sedativo ou psicodisléptico.

O efeito antipirético é alcançado através da inibição da síntese e libertação das prostaglandinas mediadoras do efeito do pirogénio endógeno no hipotálamo.
A vasodilatação periférica e a sudação geradas, contribuem para a dissipação do calor.

O efeito anti-inflamatório parece estar relacionado com a capacidade do Ácido acetilsalicílico inibir a ciclooxigenase e, consequentemente, reduzir a síntese e a libertação das prostaglandinas.
Verificou-se ainda que estabiliza as membranas lisossomais in vivo, prevenindo a libertação de substâncias lisossomais indutoras da inflamação.

O Ácido ascórbico (vitamina C) intervém nas diversas reacções de oxi-redução celular. A presença do Ácido ascórbico na formulação permite evitar uma eventual deficiência em vitamina C que possa existir em caso de inflamação crónica ou estados gripais.
Posologia Orientativa
Adultos e crianças a partir dos 12 anos: 1 comprimido 1 a 4 vezes por dia.
A dose máxima recomendada para adultos é de 6 comprimidos por dia.
Não se deve tomar mais do que 2 comprimidos de cada vez.

Respeite um intervalo de 4 horas entre cada toma.
Caso tenha problemas nos rins ou no fígado, este intervalo deve ser de pelo menos 8 horas.
Administração
Administrado oralmente, devendo os comprimidos ser dissolvidos em 1/2 copo de água agitando ligeiramente.
Contraindicações
Não tome Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico:
Se tem alergia (hipersensibilidade) ao Paracetamol, à fenacetina, ao Ácido acetilsalicílico, aos salicilatos, a outros anti-inflamatórios não esteróides.

Se tiver conhecimento de algum caso de úlcera gástrica ou duodenal evolutiva, ou em casos de hemorragia digestiva. A toma também é contra-indicada em situações onde exista risco de hemorragia ou em doentes com complicações sanguíneas, especialmente doentes com deficiência em glucose-6-fosfato desidrogenase.

Se for um doente com gota ou com problemas graves nos rins ou no fígado.
Está igualmente contra-indicado em doentes que precisem de fazer uma dieta de restrição em sódio.

Se tiver história de hemorragia gastrointestinal ou perfuração, relacionada com terapêutica anterior com anti-inflamatórios não esteróides (AINE).

Se tiver conhecimento de algum caso de úlcera péptica/hemorragia activa ou história de úlcera péptica/hemorragia recorrente (dois ou mais episódios distintos de ulceração ou hemorragia comprovada).

Se estiver a ser medicado com metotrexato em doses superiores a 15 mg/semana. Se estiver grávida, o fármaco está também contra-indicada durante o terceiro trimestre de gravidez.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Como todos os medicamentos, Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico, pode causar efeitos secundários, no entanto, estes não se manifestam em todas as pessoas.

Nas doses recomendadas, os efeitos indesejáveis do Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico, limitam-se geralmente a uma certa irritação do trato gastrointestinal (sensação de ardor da barriga).

Podem raramente ocorrer casos de hipersensibilidade (alergia) ao Paracetamol e ao
Ácido acetilsalicílico que se manifestam por reações alérgicas, tais como: vermelhidão, eritema ligeiro ou urticária.

Raramente podem também ocorrer náuseas, vómitos, azia e dores abdominais, sintomas hemorrágicos, edema, hiperuricémia (ureia aumentada no sangue) e asma. A terapêutica prolongada com doses elevadas pode levar ao mau funcionamento do rim e fígado.

Mais raramente podem aparecer sinais no sistema nervoso, tais como dores de cabeça, tonturas, zumbidos, sonolência ou função cognitiva alterada.
No caso de aparecimento de reações alérgicas, deve interromper imediatamente o tratamento e consultar o seu Médico.

Gastrointestinais: os eventos adversos mais frequentemente observados são de natureza gastrointestinal.

Podem ocorrer, em particular nos idosos, úlceras pépticas, perfuração ou hemorragia gastrointestinal potencialmente fatais.

Menos frequentemente têm vindo a ser observados casos de gastrite.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detetar quaisquer efeitos secundários não mencionados aqui, informe o seu Médico ou Farmacêutico.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Não administrar durante a gravidez
Precauções Gerais
Tome especial cuidado com Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico:
A administração concomitante de Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico com AINE, incluindo inibidores selectivos da cicloxigenase-2, deve ser evitada. Os efeitos indesejáveis podem ser minimizados utilizando a menor dose eficaz durante o menor período de tempo necessário para controlar a sintomatologia.

Idosos:
Os idosos apresentam uma maior frequência de reacções adversas, especialmente de hemorragias gastrointestinais e de perfurações que podem ser fatais. Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico pode ser tomado por pessoas idosas, desde que não tenham problemas graves nos rins ou no fígado.

Hemorragia, ulceração e perfuração gastrointestinal:
O risco de hemorragia, ulceração ou perfuração é maior com doses mais elevadas, em Doentes com história de úlcera péptica, especialmente se associada a hemorragia ou perfuração e em Doentes idosos. Nestas situações os doentes devem informar o seu Médico assistente sobre a ocorrência de sintomas abdominais e de hemorragia digestiva, sobretudo nas fases iniciais do tratamento.

Nestes Doentes o tratamento deve ser iniciado com a menor dose eficaz.
A co-administração de agentes protectores (ex: misoprostol ou inibidores da bomba de protões) deverá ser considerada, assim como em Doentes que necessitem de tomar simultaneamente outros medicamentos susceptíveis de aumentar o risco de úlcera ou hemorragia, tais como corticosteróides, anticoagulantes (como a varfarina), inibidores selectivos da recaptação da serotonina ou anti-agregantes plaquetários.

Em caso de hemorragia gastrointestinal ou ulceração em doentes a tomar Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico, o tratamento deve ser interrompido.

Os AINE devem ser administrados com precaução em Doentes com história de doença inflamatória do intestino (colite ulcerosa, doença de Crohn), na medida em que estas situações podem ser exacerbadas.

Outras Doenças:
Se sofre de problemas no fígado ou nos rins, deve tomar Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico, com muita precaução e sobre estrita vigilância do seu Médico.

Se sofre de asma deve consultar o seu Médico antes de tomar Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico.

Crianças:
Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico, não deve ser tomado por crianças com menos de 12 anos, salvo indicação médica em contrário.

O Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico, deve ser usado para febre alta (superior a 39,5ºC), febre de duração superior a 3 dias, ou febre recorrente, exceto se prescrito pelo Médico, pois estas situações podem ser indicativas de doença grave requerendo avaliação e tratamento médico.
Cuidados com a Dieta
Evite bebidas alcoólicas.
Terapêutica Interrompida
Tome logo que se lembrar mas respeite o intervalo de 4 horas em relação á próxima toma.
Não tome uma dose a dobrar para compensar um comprimido efervescente que se esqueceu de tomar
Cuidados no Armazenamento
Manter fora do alcance e da vista das crianças.
Não conservar acima de 25ºC.
Manter o recipiente bem fechado.
Conservar na embalagem de origem.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Anticoagulantes orais (Derivados da Cumarina)

Observações: N.D.
Interações: Potenciação da acção dos medicamentos cumarínicos e da heparina, devido à acção antiagregante plaquetária do ácido acetilsalicílico, o que aumenta o risco hemorrágico.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Antidiabéticos Orais

Observações: N.D.
Interações: Potenciação da acção dos antidiabéticos orais, principalmente das sulfamidas hipoglicemiantes e insulina, uma vez que os salicilatos, ao inibirem a síntese de prostaglandina E2 aumentam de forma indirecta a produção de insulina reduzindo assim os níveis da glucose no sangue. Este efeito hipoglicémico é também devido ao deslocamento da sulfonilureia do seu local de ligação às proteínas plasmáticas. Os salicilatos deslocam a ligação proteica da triiodotironina, potencializando seus efeitos.
Não recomendado/Evitar

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Anti-inflamatórios não esteróides (AINEs)

Observações: N.D.
Interações: Regra geral não é conveniente associar o Ácido acetilsalicílico/Paracetamol/Ácido ascórbico com outros AINE devido a risco de agravamento dos efeitos indesejáveis.
Usar com precaução

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Metotrexato

Observações: N.D.
Interações: O ácido acetilsalicílico potencia a actividade e toxicidade do metotrexato, por deslocação do metotrexato do seu local de ligação proteica e diminuição da secreção tubular renal. Se forem usados simultaneamente, a dosagem de metotrexato deve ser diminuída, o doente deve estar atento aos sinais de toxicidade, e/ou a concentração plasmática de metotrexato deverá ser monitorizada. Também se recomenda que a terapia com salicilatos seja interrompida 24-48h antes da administração de uma perfusão de elevada dose de metotrexato, e não seja recomeçada até que a concentração plasmática de metotrexato diminua para um nível não tóxico (geralmente pelo menos 12h após a perfusão).
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Álcool

Observações: N.D.
Interações: A toxicidade gástrica do ácido acetilsalicílico é aumentada pelo álcool. A administração simultânea de paracetamol com rifampicina (indutor enzimático a nível hepático) pode provocar ou agravar a lesão hepática, isto é podem aumentar a toxicidade induzida pelo paracetamol devido ao aumento da conversão do fármaco a metabolitos hepatotóxicos. O mesmo se aplica à administração de paracetamol em situações de alcoolismo crónico.
Usar com precaução

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Uricosúricos (gota) (Antigotosos)

Observações: N.D.
Interações: O ácido acetilsalicílico diminui os efeitos dos medicamentos uricosúricos, o que resulta num aumento da urémia.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Antiepilépticos (AEs)

Observações: N.D.
Interações: A associação de paracetamol e medicamentos antiepilépticos (incluíndo a fenitoína, barbitúricos, carbamazepina) indutores das enzimas hepáticas pode aumentar a toxicidade hepática induzida pelo paracetamol devido ao aumento da conversão do fármaco a metabolitos hepatotóxicos. Geralmente não é necessário a redução das doses em doentes que recebam concomitantemente doses terapêuticas de paracetamol e antiepiléticos. Contudo, os doentes devem limitar a auto-medicação com paracetamol quando estão medicados com antiepiléticos.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Fenitoína

Observações: N.D.
Interações: A associação de paracetamol e medicamentos antiepilépticos (incluíndo a fenitoína, barbitúricos, carbamazepina) indutores das enzimas hepáticas pode aumentar a toxicidade hepática induzida pelo paracetamol devido ao aumento da conversão do fármaco a metabolitos hepatotóxicos. Geralmente não é necessário a redução das doses em doentes que recebam concomitantemente doses terapêuticas de paracetamol e antiepiléticos. Contudo, os doentes devem limitar a auto-medicação com paracetamol quando estão medicados com antiepiléticos.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Barbitúricos

Observações: N.D.
Interações: A associação de paracetamol e medicamentos antiepilépticos (incluíndo a fenitoína, barbitúricos, carbamazepina) indutores das enzimas hepáticas pode aumentar a toxicidade hepática induzida pelo paracetamol devido ao aumento da conversão do fármaco a metabolitos hepatotóxicos. Geralmente não é necessário a redução das doses em doentes que recebam concomitantemente doses terapêuticas de paracetamol e antiepiléticos. Contudo, os doentes devem limitar a auto-medicação com paracetamol quando estão medicados com antiepiléticos.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Carbamazepina

Observações: N.D.
Interações: A associação de paracetamol e medicamentos antiepilépticos (incluíndo a fenitoína, barbitúricos, carbamazepina) indutores das enzimas hepáticas pode aumentar a toxicidade hepática induzida pelo paracetamol devido ao aumento da conversão do fármaco a metabolitos hepatotóxicos. Geralmente não é necessário a redução das doses em doentes que recebam concomitantemente doses terapêuticas de paracetamol e antiepiléticos. Contudo, os doentes devem limitar a auto-medicação com paracetamol quando estão medicados com antiepiléticos.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Rifampicina

Observações: N.D.
Interações: A administração simultânea de paracetamol com rifampicina (indutor enzimático a nível hepático) pode provocar ou agravar a lesão hepática, isto é podem aumentar a toxicidade induzida pelo paracetamol devido ao aumento da conversão do fármaco a metabolitos hepatotóxicos.
Usar com precaução

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Cloranfenicol

Observações: N.D.
Interações: A administração simultânea de paracetamol e cloranfenicol, pode atrasar marcadamente a excreção do cloranfenicol, aumentando as duas concentrações plasmáticas e causando um aumento do risco da toxicidade.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Trombolíticos

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante de medicamentos trombolíticos (por ex.: estreptoquinase, alteplase) poderá aumentar o risco de hemorragia dos salicilatos.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Estreptoquinase

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante de medicamentos trombolíticos (por ex.: estreptoquinase, alteplase) poderá aumentar o risco de hemorragia dos salicilatos.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Alteplase

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante de medicamentos trombolíticos (por ex.: estreptoquinase, alteplase) poderá aumentar o risco de hemorragia dos salicilatos.
Usar com precaução

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Inibidores da Anidrase Carbónica

Observações: N.D.
Interações: Os medicamentos inibidores da anidrase carbónica (por ex.: acetazolamida) poderão alterar a excreção do ácido acetilsalicílico.
Usar com precaução

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Acetazolamida

Observações: N.D.
Interações: Os medicamentos inibidores da anidrase carbónica (por ex.: acetazolamida) poderão alterar a excreção do ácido acetilsalicílico.
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Corticosteroides

Observações: N.D.
Interações: Os corticosteróides reduzem as concentrações séricas dos salicilatos.
Usar com precaução

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Fenotiazidas (fenotiazinas)

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante de fenotiazinas pode ocasionar hipotermia grave.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico + Antiepilépticos (AEs)

Observações: N.D.
Interações: A associação de paracetamol e medicamentos antiepilépticos (incluíndo a fenitoína, barbitúricos, carbamazepina) indutores das enzimas hepáticas pode aumentar a toxicidade hepática induzida pelo paracetamol devido ao aumento da conversão do fármaco a metabolitos hepatotóxicos. Geralmente não é necessário a redução das doses em doentes que recebam concomitantemente doses terapêuticas de paracetamol e antiepiléticos. Contudo, os doentes devem limitar a auto-medicação com paracetamol quando estão medicados com antiepiléticos.
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações do Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Ácido ascórbico
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 31 de Outubro de 2019