Ácido acetilsalicílico + Cafeína

DCI com Advertência na Gravidez
O que é
A aspirina (Ácido acetilsalicílico) e cafeína é um salicilato (sa-LIS-il-comi).

Atua através da redução de substâncias no organismo que causam dor, febre e inflamação.

A cafeína é usada neste produto para aumentar os efeitos da aspirina sobre a dor aliviando-a.

A aspirina / cafeína são produtos de combinação usada para tratar dores de cabeça, dores musculares, dores de artrite ligeira, e febre ou dores no corpo causadas pela gripe comum.

A associação aspirina e cafeína é por vezes utilizada para tratar ou prevenir ataques cardíacos, derrames e dores no peito (angina).

A aspirina / cafeína deve ser usada para doenças cardiovasculares somente sob supervisão médica.

Também pode ser usada para fins aqui não mencionados.
Usos comuns
O tratamento da dor, incluindo dor de cabeça, dores musculares, entorses, extração e dores de dentes, cólicas menstruais, artrite e reumatismo, dor e febre de gripes comuns.

Também pode ser usado para outras condições, tal como determinado pelo médico.

A aspirina / cafeína é uma combinação de salicilato e estimulante.

Funciona através do bloqueio de vários processos químicos diferentes no interior do organismo que provocam dor, inflamação e febre.

Também reduz a tendência para a coagulação do sangue.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Indicado para o alívio da febre ligeira a moderada, e de fenómenos inflamatórios de dor, nomeadamente de localização articular.
Classificação CFT

02.10 : Analgésicos e antipiréticos

Mecanismo De Ação
O ácido acetilsalicílico é um analgésico e anti-inflamatório não esteroide, como tal é inibidor da enzima ciclo-oxigenase, que resulta na inibição directa da biossíntese das prostaglandinas e tromboxanos a partir do ácido araquidónico.

O ácido acetilsalicílico também inibe a agregação das plaquetas e é usado para doenças cardiovasculares.

A cafeína é uma xantina cujas acções se exercem, em doses terapêuticas ao nível do sistema nervoso central, rim, músculo cardíaco e vasos sanguíneos.

Nas doses utilizadas neste medicamento, considera-se que os únicos efeitos que se farão sentir será um leve efeito estimulante ao nível do sistema nervoso central e uma reduzida vasoconstrição ao nível das ateríolas cerebrais.
Posologia Orientativa
Administrar por via oral.

Adultos: 1 a 2 comprimidos.

Estas doses podem ser repetidas até 3 vezes ao dia.
Administração
Tomar 1 a 2 comprimidos com água até 3 vezes ao dia, de preferência a seguir às refeições.
Não tomar mais de 6 comprimidos num período de 24 horas, sem ser por recomendação médica.
Contraindicações
– Hipersensibilidade à(s) substância(s) ativa(s), aos salicilatos.

O uso do ácido acetilsalicílico está contraindicado em indivíduos com hipersensibilidade a este fármaco.

A administração de doses superiores a 100 mg/dia está contraindicada no terceiro trimestre de gravidez.

Todas as outras situações são contraindicações relativas.
– Doença renal;
– Insuficiência cardíaca congestiva;
– Medicação com anticoagulantes;
– História de hemorragia gastrointestinal ou perfuração, relacionada com terapêutica anterior com anti-inflamatórios não esteroides (AINE);
– Úlcera péptica/hemorragia ativa ou história de úlcera péptica/hemorragia recorrente (dois ou mais episódios distintos de ulceração ou hemorragia comprovada).
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Gastrointestinais: os eventos adversos mais frequentemente observados são de natureza gastrointestinal.

Podem ocorrer, em particular nos idosos, úlceras pépticas, perfuração ou hemorragia gastrointestinal potencialmente fatal.

Na sequência da administração destes medicamentos têm sido notificados náuseas, dispepsia, vómitos, hematemeses, flatulência, dor abdominal, diarreia, obstipação, melenas, estomatite aftosa, exacerbação de colite ou doença de Crohn.

Menos frequentemente têm vindo a observar-se casos de gastrite.

Após a ingestão de dose única de ácido acetilsalicílico pode surgir sintomatologia gastrointestinal incluindo mal-estar epigástrico, anorexia, náuseas e vómitos.

Raramente, podem ocorrer manifestações alérgicas como asma, manifestações cutâneas, edema angioneurótico ou choque anafilático.

Com doses maiores pode ocorrer hipoprotrombinemia e retenção de sódio.

Além de hemorragia gastrointestinal, os efeitos secundários graves incluem hemorragia gastrointestinal, lesão renal e depressão da hematopoiese.

O ácido acetilsalicílico pode inibir a ação dos antidiabéticos orais ou dos uricosúricos utilizados no tratamento da gota.

Sinais moderados de intoxicação pelos salicilatos ocorrem após administração repetida de doses mais altas.

A sintomatologia inclui cefaleias, tonturas, tinidos, visão enevoada, letargia, confusão mental, sudorese, sede, hiperventilação, náuseas, vómitos e ocasionalmente, diarreia.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:C - Não há estudos adequados em mulheres. Em experiências animais ocorreram alguns efeitos colaterais no feto, mas o benefício do produto pode justificar o risco potencial durante a gravidez. D no terceiro trimestre: Há evidências de risco em fetos humanos. Só usar se o benefício justificar o risco potencial. Em situação de risco de vida ou em caso de doenças graves para as quais não se possa utilizar drogas mais seguras, ou se estas drogas não forem eficazes.
Precauções Gerais
A administração concomitante de ácido acetilsalicílico com AINE, incluindo inibidores selectivos da cicloxigenase-2, deve ser evitada.

Os efeitos indesejáveis podem ser minimizados utilizando a menor dose eficaz durante o menor tempo necessário para controlar a sintomatologia.

Idosos: Os idosos apresentam uma maior frequência, especialmente de hemorragias gastrointestinais e de perfurações que podem ser fatais.

Hemorragia, ulceração e perfuração gastrointestinal: têm sido notificados casos de hemorragia, ulceração e perfuração gastrointestinal potencialmente fatais, em várias fases do tratamento, associados ou não a sintomas de alerta ou história de eventos gastrointestinais graves.

O risco de hemorragia, ulceração ou perfuração é maior com doses mais elevadas, em doentes com história de úlcera péptica, especialmente associada a hemorragia ou perfuração e, em doentes idosos.

Nestas situações os doentes devem ser instruídos no sentido de informar o médico assistente sobre a ocorrência de sintomas abdominais e de hemorragia digestiva, sobretudo nas fases iniciais do tratamento.

Nestes doentes, o tratamento deve ser iniciado com a menor dose eficaz.

A co-administração de agentes protectores (ex.: misoprostol ou inibidores da bomba de protões) deverá ser considerada, assim como em doentes que necessitem de tomar simultaneamente outros medicamentos suscetíveis de aumentar o risco de hemorragia, tais como corticosteroides, anticoagulantes (como a varfarina), inibidores selectivos da recaptação da serotonina ou anti-agregantes plaquetários.

Em caso de hemorragia gastrointestinal ou ulceração em doentes a tomar ácido acetilsalicílico, o tratamento deve ser interrompido.

Os AINE devem ser administrados com precaução em doentes com história de doença inflamatória do intestino (colite ulcerosa, doença de Crohn), na medida em que estas situações podem ser exacerbadas.

Dado que foi levantada, por alguns autores, a hipótese ainda não confirmada, de haver uma relação entre a administração de ácido acetilsalicílico e a síndrome de Reye, este medicamento deve ser usado com cuidado em crianças ou adolescentes com varicela ou estados gripais.
Cuidados com a Dieta
De preferência, tomar após refeição ligeira ou com leite, de modo a atenuar a ocorrência de azia, indisposição ou dor de estômago ligeira.
Terapêutica Interrompida
Não tomar uma dose a dobrar para compensar um comprimido que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Manter fora do alcance e da vista das crianças.
Conservar a temperatura inferior a 25°C.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido acetilsalicílico + Cafeína + Diuréticos

Observações: N.D.
Interações: A administração de ácido acetilsalicílico (> 3 g/dia) pode diminuir a eficácia dos diuréticos assim como de outros medicamentos antihipertensores. - Diuréticos
Usar com precaução

Ácido acetilsalicílico + Cafeína + Inibidores da Enzima de Conversão da Angiotensina (IECAS)

Observações: N.D.
Interações: A administração de ácido acetilsalicílico (> 3 g/dia) pode diminuir a eficácia dos diuréticos assim como de outros medicamentos antihipertensores. Nalguns doentes com função renal diminuída (ex.: doentes desidratados ou idosos com comprometimento da função renal) a co-administração de um IECA ou AAII e agentes inibidores da cicloxigenase pode ter como consequência a progressão da deteoriorização da função renal, incluindo a possibilidade de insuficiência renal aguda, que é normalmente reversível. A ocorrência destas interações deverá ser tida em consideração em doentes a tomar ácido acetilsalicílico em associação com IECA ou AAII. Consequentemente, esta associação medicamentosa deverá ser administrada com precaução, sobretudo em doentes idosos. Os doentes devem ser adequadamente hidratados e deverá ser analisada a necessidade de monitorizar a função renal após o início da terapêutica concomitante, e periodicamente desde então. - Inibidores da Enzima de Conversão da Angiotensina (IECAS)
Usar com precaução

Ácido acetilsalicílico + Cafeína + Antagonistas da angiotensina II (AAII)

Observações: N.D.
Interações: A administração de ácido acetilsalicílico (> 3 g/dia) pode diminuir a eficácia dos diuréticos assim como de outros medicamentos antihipertensores. Nalguns doentes com função renal diminuída (ex.: doentes desidratados ou idosos com comprometimento da função renal) a co-administração de um IECA ou AAII e agentes inibidores da cicloxigenase pode ter como consequência a progressão da deteoriorização da função renal, incluindo a possibilidade de insuficiência renal aguda, que é normalmente reversível. A ocorrência destas interações deverá ser tida em consideração em doentes a tomar ácido acetilsalicílico em associação com IECA ou AAII. Consequentemente, esta associação medicamentosa deverá ser administrada com precaução, sobretudo em doentes idosos. Os doentes devem ser adequadamente hidratados e deverá ser analisada a necessidade de monitorizar a função renal após o início da terapêutica concomitante, e periodicamente desde então. - Antagonistas da angiotensina II (AAII)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido acetilsalicílico + Cafeína + Corticosteroides

Observações: N.D.
Interações: Aumento do risco de ulceração ou hemorragia gastrointestinal. - Corticosteroides
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido acetilsalicílico + Cafeína + Anticoagulantes orais

Observações: N.D.
Interações: Os salicilatos podem aumentar os efeitos dos anticoagulantes, tais como a varfarina. - Anticoagulantes orais
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido acetilsalicílico + Cafeína + Varfarina

Observações: N.D.
Interações: Os salicilatos podem aumentar os efeitos dos anticoagulantes, tais como a varfarina. - Varfarina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido acetilsalicílico + Cafeína + Inibidores Selectivos da Recaptação da Serotonina (ISRS) (SSRIs)

Observações: N.D.
Interações: Aumento do risco de hemorragia gastrointestinal. - Inibidores Selectivos da Recaptação da Serotonina (ISRS) (SSRIs)
Usar com precaução

Ácido acetilsalicílico + Cafeína + Sulfonilureias

Observações: N.D.
Interações: O ácido acetilsalicílico liga-se às proteínas circulantes, podendo assim deslocar outros medicamentos dos seus pontos de ligação. Este facto tem especial importância nos doentes que tomam medicamentos hipoglicemiantes do grupo das sulfonilureias ou metotrexato e poderá exigir o ajustamento das doses, ou mesmo desaconselhar o seu uso simultâneo. - Sulfonilureias
Usar com precaução

Ácido acetilsalicílico + Cafeína + Metotrexato

Observações: N.D.
Interações: O ácido acetilsalicílico liga-se às proteínas circulantes, podendo assim deslocar outros medicamentos dos seus pontos de ligação. Este facto tem especial importância nos doentes que tomam medicamentos hipoglicemiantes do grupo das sulfonilureias ou metotrexato e poderá exigir o ajustamento das doses, ou mesmo desaconselhar o seu uso simultâneo. - Metotrexato
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido acetilsalicílico + Cafeína + Antiagregantes plaquetários

Observações: N.D.
Interações: Aumento do risco de hemorragia gastrointestinal. - Antiagregantes plaquetários
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações do Ácido acetilsalicílico + Cafeína
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 08 de Setembro de 2020