Acetonido de fluocinolona

DCI com Advertência na Gravidez DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
O Acetonido é um corticosteróide usado principalmente em Dermatologia para reduzir a inflamação da pele e aliviar o prurido (comichão).

É um derivado sintético de hidrocortisona.

A substituição de flúor na posição 9 do núcleo esteroide aumenta muito a sua actividade.

A dosagem típica usada em dermatologia é de 0,01-0,025%.

Em creme é comercializado sob a marca Flucort-N e inclui o antibiótico neomicina.
Usos comuns
É utilizado como anti-inflamatório, antipruriginoso e vasoconstritor para tratar o prurido (comichão), eritema ou secura da pele e da mucosa e crostas, escamação, inflamação e desconforto associado com várias doenças de pele.
Tipo
Costicosteroide derivado sintético de hidrocortisona
História
Sem informação.
Indicações
Para o alívio das manifestações inflamatórias e pruriginosas de dermatoses que respondem bem aos corticosteroides.

Também para o tratamento de uveíte não infecciosa crónica que afeta o segmento posterior do olho (Retisert).
Classificação CFT
13.05     Corticosteroides de aplicação tópica 15.02.01     Corticosteroides
Mecanismo De Ação
Principalmente hepática, os corticosteróides são metabolizados primariamente no fígado e depois são excretados pelos rins.
Posologia Orientativa
Adultos e Crianças
Tópica: Aplique com moderação nas áreas afetadas 2 a 4 vezes por dia (uma vez por dia para shampoo medicamentoso e óleo tópico).

Uveítes crónicas não infecciosas (apenas Retisert)
Adultos:
Implante intravítreo cirurgicamente inserido no segmento posterior afetado a cada 30 meses.
Administração
Via intravítreo: O tratamento com ILUVIEN visa apenas o uso intravítreo e deve ser administrado por um Oftalmologista com experiência na aplicação de injeções intravítreas.

A introdução do implante intravítreo deve ser realizada em condições asséticas controladas, o que inclui a utilização de luvas esterilizadas, um campo estéril e um espéculo palpebral esterilizado (ou equivalente).

Deve ser administrada uma anestesia adequada e um microbicida de largo espetro antes da implantação.

Pode ser administrado um antibiótico pré-operatório em gotas de acordo com as indicações do Oftalmologista responsável.

Mesmo antes da intervenção, administre anestesia tópica no local da implantação (é recomendada a aplicação no quadrante inferotemporal) sob a forma de uma gota, quer através de um cotonete embebido num agente anestésico, quer da administração subconjuntival da anestesia adequada.

Administrar topicamente 2-3 gotas de um antissético tópico adequado no fórnix inferior.

As pálpebras podem ser limpas com cotonetes embebidos num antissético tópico adequado.

Coloque um espéculo palpebral esterilizado.

Peça ao doente para olhar para cima e desinfete o local da implantação com um cotonete embebido num antissético tópico adequado.

Deixe secar o antissético tópico durante 30-60 segundos antes da implantação de Iluvien

O exterior do tabuleiro não deve ser considerado estéril.

Um assistente (não esterilizado) deve retirar o tabuleiro da caixa e remover a tampa do tabuleiro sem tocar na superfície interior.

Verifique através da janela do sistema do aplicador para ter a certeza de que existe um implante no interior.

Retire o aplicador do tabuleiro com as mãos protegidas por luvas esterilizadas tocando apenas na superfície esterilizada e no aplicador.

Para retirar o volume de ar administrado com o implante, a implantação deve ser um processo com dois passos.

Antes de introduzir a agulha no olho, pressione o botão para baixo até à primeira paragem (as marcas curvas a preto).

Depois da primeira paragem, solte o botão que voltará à posição "para cima".


O local de implante ideal é inferior ao disco ótico e posterior ao equador.

Este posicionamento pode ser conseguido ao direcionar a agulha para a zona inferior do disco ótico.

Meça 4 milímetros inferotemporalmente desde o limbo com a ajuda de um compasso de calibre.

Remova a tampa de proteção da agulha.

Afaste delicadamente a conjuntiva para que, depois da retirada da agulha, os locais de entrada na conjuntiva e na esclerótica não fiquem alinhados.

Deve ter-se cuidado para evitar o contacto entre a agulha e a margem da pálpebra ou pestanas.

Introduza a agulha no olho.

Para libertar o implante, enquanto o botão está para cima, pressione o botão até ao fim e remova a agulha.


Retire o espéculo palpebral e realize uma oftalmoscopia indireta para verificar o posicionamento do implante, a perfusão adequada da artéria retinal central e a ausência de quaisquer outras complicações.

Após a implantação intravítrea, deve ser feita uma observação através da técnica de oftalmoscopia indireta no quadrante do implante com vista a confirmar a correta colocação.

A depressão escleral pode melhorar a visualização do implante.

A observação deve incluir uma verificação da perfusão da cabeça do nervo ótico imediatamente após a implantação.

A medição imediata da tensão intraocular (TIO) pode ser feita de acordo com as indicações do Oftalmologista.

Após a implantação, os Doentes devem ser vigiados devido a potenciais complicações, como endoftalmite, aumento da tensão intraocular, descolamento da retina e hemorragias ou descolamentos vítreos.

A biomicroscopia com tonometria deve ser feita entre o segundo e o sétimo dia após o implante.

Por conseguinte, é recomendado que os Doentes sejam monitorizados pelo menos trimestralmente para descartar potenciais complicações devido à prolongada libertação do Acetonido de fluocinolona que dura cerca de 36 meses.


Uso cutâneo: Aplicar uma pequena quantidade de creme na zona afetada da pele, massajando levemente.
Contraindicações
Os corticosteróides tópicos estão contra-indicados em Dentes com história de hipersensibilidade a qualquer um dos componentes da preparação.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
CNS
Dor de cabeça (31%), tonturas (5% a 15%).

Dermatológica
Ardor, comichão, irritação, ressecamento, foliculite, hipertricose, erupções acneiformes, hipopigmentação, dermatite perioral, dermatite alérgica de contato, maceração da pele, infeção secundária, atrofia da pele, estrias, miliária.

Erupção cutânea (5% a 15%).

EENT
Catarata; glaucoma.

PIO elevada com possível desenvolvimento de glaucoma, dor nos olhos, complicações processuais (incluindo fragmentos de catarata, expulsão do implante, lesões, complicações mecânicas do implante, a migração do implante, complicações pós-operatórias, complicação das feridas no pós-operatório, deiscência da ferida [50% a 90%])no prazo de 2 anos após o implante, quase todos os olhos afásicos acabam por desenvolver catarata e requerem cirurgia; no período de 34 semanas pós-implantação, cerca de 60% dos Pacientes necessitam de medicação para baixar a PIO para controlar a PIO; num período médio de cerca de 2 anos após-implantação, cerca de 32% dos Pacientes acabam por exigir procedimentos de filtragem para controlar a PIO; diminuição da acuidade visual, hemorragia conjuntival, hiperemia conjuntival, glaucoma, visão embaçada, sensação anormal no olho, irritação ocular, hipotonia, prurido, flocos vítreos, maculopatia, hemorragia vítrea, ptose, inflamação ocular, edema palpebral, aumento do lacrimejamento, olho seco (10% a 35%); edema macular, distúrbios visuais, secreção ocular, edema conjuntival/queimose, fotofobia, blefarite, edema da córnea, fotopsia, hemorragia retiniana, descolamento da coroide, opacidades vítreas, inchaço do olho (5% a 9%); nasofaringite (5% a 15%); lesão do nervo óptico, acuidade visual e defeitos do campo, formação de catarata subcapsular posterior; cicatrização retardada; perfuração do globo onde há adelgaçamento da esclerótica; desenvolvimento de infeções oculares secundários (incluindo bactérias, fungos e vírus).

GI
Náuseas, vómitos (5% a 15%).

Musculoesquelético
Artralgia, dor nas costas, dor nos membros (5% a 15%).

Respiratório
Tosse, sinusite, infeções do trato respiratório superior (5% a 15%).

Diversos
A absorção sistémica pode produzir a supressão reversível do eixo hipotálamo-pituitária-adrenal (HPA), manifestações da síndrome de Cushing, hiperglicemia e glicosúria.

Gripe, dor, pirexia (5% a 15%).
Advertências
Gravidez
Gravidez:Todos os trimestres: C - Não há estudos adequados em mulheres. Em experiências animais ocorreram alguns efeitos colaterais no feto, mas o benefício do produto pode justificar o risco potencial durante a gravidez.
Precauções Gerais
A absorção sistémica de corticosteróides tópicos tem produzido supressão reversível do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal ( HPA), manifestações de síndrome de Cushing, hiperglicemia e glicosúria em alguns Pacientes.

Condições que aumentam a absorção sistémica incluem a aplicação de esteróides mais potentes, uso sobre áreas mais extensas, uso prolongado e a adição de pensos oclusivos.

Portanto, os Pacientes que recebem uma grande dose de um esteróide tópico potente aplicado a uma grande superfície ou sob um curativo oclusivo devem ser avaliados periodicamente quanto à evidência de supressão do eixo HPA utilizando o cortisol livre urinário e testes de estimulação do ACTH .

Se a supressão do eixo HPA é evidenciada, deve ser feita uma tentativa de retirar a droga, reduzir a frequência de aplicação ou substituir por um esteróide menos potente.

A recuperação da função do eixo HPA é geralmente imediata e completa após a descontinuação da droga.

Raramente os sinais e sintomas de abstinência de esteróides ocorrem, necessitando de corticosteróides sistémicos complementares.

As crianças podem absorver proporcionalmente maiores quantidades de corticosteróides tópicos - e, assim, ser mais suscetíveis à toxicidade sistémica.

Em caso de irritação , os corticosteróides tópicos devem ser interrompidos e a terapia apropriada instituída.

Tal como acontece com qualquer produto corticosteróide tópico, a utilização prolongada pode produzir atrofia da pele e tecidos subcutâneos.

Quando usado em áreas intertriginosas ou flexores, ou na face, isso pode ocorrer mesmo com o uso de curto prazo.

Na presença de infecções dermatológicas, deve ser instituída a utilização de um agente antifúngico ou antibacteriano apropriado.

Se uma resposta favorável não ocorrer prontamente, o corticosteróide deve ser descontinuado até que a infeção tenha sido adequadamente controlada.
Cuidados com a Dieta
Não aplicável.
Terapêutica Interrompida
Aconselhar o Paciente que, se perdeu uma aplicação, deve aplicá-la assim que se lembrar e depois continuar a programação regular.

Se estiver próxima a aplicação seguinte, instruir o doente para a ignorar e continuar a programação regular.

Cuidado: o Paciente não dve aplicar doses duplas.
Cuidados no Armazenamento
Solução, creme, pomada, shampoo e óleo: abaixo de 30º C.
Proteger contra o congelamento.

Guardar os implantes intravítreas em temperatura ambiente controlada (15 ° a 25 ° C).
Proteger contra o congelamento.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Tópico
Exclusivamente para uso tópico. Não para uso oftálmico, oral ou intravaginal.

Não aplicar no rosto, virilha, axilas a menos que indicado pelo médico.
Evite o contato com os olhos.

Se a medicação entrou em contacto com os olhos, lave-os com grandes quantidades de água fria. Notifique o Médico se ocorrer irritação nos olhos.

Aplicar a medicação com moderação, mas em quantidade suficiente para cobrir a área afetada (s), e esfregue com cuidado.

Não cobrir com curativo oclusivo, a menos que ordenado pelo Prestador de Cuidados de Saúde.

Se estiver a usar solução no couro cabeludo, afaste o cabelo, aplique uma pequena quantidade do medicamento sobre a área afetada, esfregue-a com cuidado e em seguida, proteja a área de lavagem esfregando até que a solução seque.

Aconselha-se o Paciente lave o cabelo como de costume, mas não logo após a aplicação do medicamento.

Shampoo: Agitar bem antes de usar. Aplicar cerca de 30g na área do couro cabeludo afetada, até ficar em espuma.

Deixar que a espuma permaneça no couro cabeludo por cerca de 5 minutos e em seguida, enxaguar o cabelo e couro cabeludo com água.

Óleo tópico: Molhar o cabelo e couro cabeludo, aplicar uma fina película de óleo no couro cabeludo, massajar bem e cobrir o couro cabeludo com uma touca de banho.

Deixe durante a noite ou no mínimo durante 4 h antes de lavar.

Lavar o cabelo com champô normal e enxaguar abundantemente.

Implantar
O implante ocular contém um comprimido de 0,59 mg de fluocinolona, fluocinolona, concebida para libertar a uma taxa nominal inicial de 0,6 mcg / dia, diminuindo ao longo do primeiro mês para um estado de equilíbrio entre 0,3 a 0,4 mcg / dia durante cerca de 30 meses.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017