Aceclofenac

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Insuficiência Hepática DCI com Advertência na Insuficiência Renal DCI com Advertência na Condução DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
O aceclofenac é um fármaco pertencente a família dos antiinflamatórios antirreumáticos.
Usos comuns
Tratamento de diversos tipos de inflamações e dores causadas por processos inflamatórios, reumatismo extra-articular, gota, estados dolorosos pós-operatórios, tendinite, dor muscular, luxação, periartrite (inflação do tecido em torno das articulações) e distenção.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Tratamento das formas inflamatórias e degenerativas de reumatismo articular (osteoartrose, periartrite escápulo-umeral, artrite reumatoide, espondilite anquilosante).

Tratamento analgésico sintomático em reumatismo extra-articular (Iombalgia, ciática, bursites), mialgias, etc.

Tratamentos de estados dolorosos de origem traumática, ortopédica cirúrgica, odontológica, ginecológica, etc.
Classificação CFT
09.01.02     Derivados do ácido acético 09.01.10     Anti-inflamatórios não esteroides para uso tópico
Mecanismo De Ação
O aceclofenac é um fármaco não esteróide com notáveis propriedades anti-inflamatórias e analgésicas.

O modo de ação do aceclofenac baseia-se em grande medida na inibição da síntese das prostaglandinas.
O aceclofenac é um potente inibidor do enzima ciclo-oxigenase, que intervém na produção das prostaglandinas.
Posologia Orientativa
Adultos:
A dose recomendada é de 200 mg diários, em 2 tomas de 100 mg – um comprimido de manhã e outro comprimido à noite.
Administração
Os comprimidos Aceclofenac são usados para administração por via oral.
Os comprimidos devem ser ingeridos inteiros e com quantidade suficiente de líquido.
Contraindicações
- Hipersensibilidade ao aceclofenac.

- O aceclofenac também não deve ser administrado a doentes que tenham desenvolvido reações de hipersensibilidade a salicilatos ou outros AINEs.

- História de hemorragia gastrointestinal ou perfuração, relacionada com terapêutica anterior com AINE.

- Úlcera péptica/hemorragia activa ou história de úlcera péptica/hemorragia recorrente (dois ou mais episódios distintos de ulceração ou hemorragia comprovada).

- Durante a gravidez ou aleitamento, bem como em mulheres que planeiam uma gravidez, não se deve prescrever o aceclofenac.

- Insuficiência cardíaca grave.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Os eventos adversos mais frequentemente observados são de natureza gastrointestinal.

Podem ocorrer, em particular nos idosos, úlceras pépticas, perfuração ou hemorragia gastrointestinal potencialmente fatais.

Náuseas, dispepsia (digestão difícil e dolorosa), vómitos, hematemeses, flatulência, dor abdominal, diarreia, obstipação, melenas, estomatite aftosa, exacerbação de colite ou doença de Crohn, náuseas, diarreia, aumento das enzimas hepáticas, têm sido notificados na sequência da administração destes medicamentos.

Os efeitos secundários menos frequentes referidos com Aceclofenac foram os seguintes: flatulência, gastrite (inflamação aguda ou crónica da mucosa do estômago), obstipação (prisão de ventre), vómitos, inflamação da mucosa bucal, tonturas, vertigens, prurido (comichão), exantema (manchas na pele), dermatite, aumento do azoto ureico, sanguíneo e da creatinina sanguínea.

Os efeitos secundários raros referidos com Aceclofenac foram: pancreatite inflamação do pâncreas, sangue nas fezes, estomatite, parestesias (sensação anormal de picadas, formigueiro, queimadura), tremores, depressão, alterações do sono, sonolência, insónia, dor de cabeça, fadiga, alterações ao nível da pele (eczema, púrpura – manchas cutâneas), rubor, hipercaliemia, aumento das fosfatases alcalinas, alterações sanguíneas, palpitações, edema das partes em declive, cãibras das pernas, dispneia (dificuldade em respirar), ressonar, inchaço facial, sufoco, alergia, aumento de peso, anomalias da visão, alterações do paladar, reações bolhosas incluindo síndroma de Stevens-Johnson e necrólise epidérmica tóxica.
Advertências
Gravidez
Gravidez:O aceclofenac está contra-indicado em caso de gravidez.
Aleitamento
Aleitamento:Não se deve administrar Aceclofenac durante o aleitamento.
Insuf. Hepática
Insuf. Hepática:Ver AINEs.
Insuf. Renal
Insuf. Renal:Ver AINEs.
Conducao
Conducao:Os doentes que sofram de desmaios, vertigens ou outras alterações do sistema nervoso central devem abster-se de conduzir ou utilizar maquinaria perigosa, enquanto recebem AINEs.
Precauções Gerais
Os idosos apresentam uma maior frequência de reações adversas com AINE, especialmente hemorragia gastrointestinal e perfuração que podem ser fatais.

Os doentes com hipertensão arterial não controlada, insuficiência cardíaca congestiva, doença isquémica cardíaca estabelecida, doença arterial periférica, e/ou doença cerebrovascular apenas devem ser tratados com aceclofenac após cuidadosa avaliação.

Aceclofenac deve igualmente ser administrado com precaução e sob vigilância médica a doentes com história de hemorragia cerebrovascular.

A administração de um AINE pode causar uma redução dependente da dose da formação de prostaglandinas e precipitar a insuficiência renal.

É necessária vigilância médica em doentes com insuficiência hepática ligeira a moderada.

O aceclofenac pode inibir reversivelmente a inibição da agregação plaquetária.

É necessária precaução se administrado em doentes que sofram, ou com antecedentes, de asma brônquica, uma vez que existem relatos de que os AINE precipitam broncospasmo nesses doentes.
Cuidados com a Dieta
Os comprimidos de Aceclofenac devem ser ingeridos inteiros e com quantidade suficiente de líquido. Pode ser administrado em jejum ou com alimentos.
Terapêutica Interrompida
Tomar diariamente o medicamento conforme indicado pelo médico.

No entanto, se esquecer a toma de uma dose, deverá tomá-la assim que se lembrar, em vez de a tomar na altura da dose seguinte, seguindo depois o esquema habitual.

Não tome uma toma a dobrar para compensar a dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Manter o Aceclofenac fora do alcance e da vista das crianças.

Não tomar Aceclofenac após expirar o prazo de validade indicado na embalagem.

Conservar a temperatura inferior a 30º C.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Aceclofenac + Lítio

Observações: N.D.
Interações: Tal como outros AINEs, o aceclofenac pode aumentar as concentrações plasmáticas de lítio e de digoxina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Aceclofenac + Digoxina

Observações: N.D.
Interações: Tal como outros AINEs, o aceclofenac pode aumentar as concentrações plasmáticas de lítio e de digoxina.

Aceclofenac + Diuréticos

Observações: N.D.
Interações: Estudos em animais indicam a possibilidade de que o aceclofenac, tal como outros AINEs, possa interferir com a acção natriurética dos diuréticos. Esta propriedade pode ter importância clínica em doentes hipertensos ou com insuficiência cardíaca. Os anti-inflamatórios não esteróides (AINE) podem diminuir a eficácia dos diuréticos, assim como de outros medicamentos antihipertensores. Nalguns doentes com função renal diminuída (ex.: doentes desidratados ou idosos com comprometimento da função renal) a co-administração de um IECA ou AAII e agentes inibidores da ciclooxigenase pode ter como consequência a progressão da deterioração da função renal, incluindo a possibilidade de insuficiência renal aguda, que é normalmente reversível. A ocorrência destas interações deverá ser tida em consideração em doentes a tomar Aceclofenac em associação com IECA ou AAII. Consequentemente, esta associação medicamentosa deverá ser administrada com precaução, sobretudo em doentes idosos. Os doentes devem ser adequadamente hidratados e deverá ser analisada a necessidade de monitorizar a função renal, após início da terapêutica concomitante, e periodicamente desde então.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Aceclofenac + Anticoagulantes orais

Observações: N.D.
Interações: Os AINE podem aumentar os efeitos de dos anticoagulantes, tais como a varfarina. Deve realizar-se uma monitorização estreita dos doentes sujeitos a tratamentos os combinados de anticoagulantes e Aceclofenac.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Aceclofenac + Varfarina

Observações: N.D.
Interações: Os AINE podem aumentar os efeitos de dos anticoagulantes, tais como a varfarina. Deve realizar-se uma monitorização estreita dos doentes sujeitos a tratamentos os combinados de anticoagulantes e Aceclofenac.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Aceclofenac + Antiagregantes plaquetários

Observações: N.D.
Interações: Agentes antiagregantes plaquetários e inibidores selectivos da recaptação da serotonina: aumento do risco de hemorragia gastrointestinal.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Aceclofenac + Inibidores Selectivos da Recaptação da Serotonina (ISRS) (SSRIs)

Observações: N.D.
Interações: Agentes antiagregantes plaquetários e inibidores selectivos da recaptação da serotonina: aumento do risco de hemorragia gastrointestinal.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Aceclofenac + Corticosteroides

Observações: N.D.
Interações: Corticosteróides: Aumento do risco de ulceração ou hemorragia gastrointestinal.
 Sem significado Clínico

Aceclofenac + Hipoglicemiantes

Observações: N.D.
Interações: Deve ter-se em conta a possibilidade de ajuste posológico dos medicamentos hipoglicemiantes quando se administra o aceclofenac.

Aceclofenac + Metotrexato

Observações: N.D.
Interações: Devem adoptar-se precauções se administram fármacos AINEs e metotrexato, com intervalos entre si inferiores a 24 horas, pois os AINEs podem aumentar as concentrações plasmáticas do metotrexato, o que conduz a uma maior toxicidade.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Aceclofenac + Anti-inflamatórios não esteróides (AINEs)

Observações: N.D.
Interações: O tratamento concomitante com ácido acetilsalicílico e outros AINEs pode aumentar a frequência de efeitos indesejáveis.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Aceclofenac + Ácido Acetilsalicílico

Observações: N.D.
Interações: O tratamento concomitante com ácido acetilsalicílico e outros AINEs pode aumentar a frequência de efeitos indesejáveis.
 Sem significado Clínico

Aceclofenac + Antihipertensores

Observações: N.D.
Interações: Não se observaram efeitos do aceclofenac sobre o controle da pressão arterial, quando administrado com bendrofluazida (Bendroflumetiazida), ainda que não se possa eliminar a interacção com outros medicamentos antihipertensores. Os anti-inflamatórios não esteróides (AINE) podem diminuir a eficácia dos diuréticos, assim como de outros medicamentos antihipertensores.
 Sem significado Clínico

Aceclofenac + Bendroflumetiazida

Observações: N.D.
Interações: Não se observaram efeitos do aceclofenac sobre o controle da pressão arterial, quando administrado com bendrofluazida (Bendroflumetiazida), ainda que não se possa eliminar a interacção com outros medicamentos antihipertensores.

Aceclofenac + Inibidores da Enzima de Conversão da Angiotensina (IECAS)

Observações: N.D.
Interações: Os anti-inflamatórios não esteróides (AINE) podem diminuir a eficácia dos diuréticos, assim como de outros medicamentos antihipertensores. Nalguns doentes com função renal diminuída (ex.: doentes desidratados ou idosos com comprometimento da função renal) a co-administração de um IECA ou AAII e agentes inibidores da ciclooxigenase pode ter como consequência a progressão da deterioração da função renal, incluindo a possibilidade de insuficiência renal aguda, que é normalmente reversível. A ocorrência destas interações deverá ser tida em consideração em doentes a tomar Aceclofenac em associação com IECA ou AAII. Consequentemente, esta associação medicamentosa deverá ser administrada com precaução, sobretudo em doentes idosos. Os doentes devem ser adequadamente hidratados e deverá ser analisada a necessidade de monitorizar a função renal, após início da terapêutica concomitante, e periodicamente desde então.

Aceclofenac + Antagonistas da angiotensina II (AAII)

Observações: N.D.
Interações: Os anti-inflamatórios não esteróides (AINE) podem diminuir a eficácia dos diuréticos, assim como de outros medicamentos antihipertensores. Nalguns doentes com função renal diminuída (ex.: doentes desidratados ou idosos com comprometimento da função renal) a co-administração de um IECA ou AAII e agentes inibidores da ciclooxigenase pode ter como consequência a progressão da deterioração da função renal, incluindo a possibilidade de insuficiência renal aguda, que é normalmente reversível. A ocorrência destas interações deverá ser tida em consideração em doentes a tomar Aceclofenac em associação com IECA ou AAII. Consequentemente, esta associação medicamentosa deverá ser administrada com precaução, sobretudo em doentes idosos. Os doentes devem ser adequadamente hidratados e deverá ser analisada a necessidade de monitorizar a função renal, após início da terapêutica concomitante, e periodicamente desde então.
Informar o médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

O aceclofenac está contra-indicado em caso de gravidez.

Não se deve administrar Aceclofenac durante o aleitamento.

Os doentes que sofram de desmaios, vertigens ou outras alterações do sistema nervoso central devem abster-se de conduzir ou utilizar maquinaria perigosa, enquanto recebem AINEs.


Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017