Acalabrutinib

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
O acalabrutinib é um inibidor da tirosina quinase de Bruton usado para tratar linfoma de células do manto, leucemia linfocítica crónica e linfoma linfocítico pequeno.
Usos comuns
O acalabrutinib está actualmente indicado para o tratamento de pacientes adultos com Linfoma de Células do Manto (LCM) que receberam pelo menos uma terapia anterior.
Também foi recentemente aprovado para leucemia linfocítica crónica e linfoma linfocítico pequeno.
Tipo
Molécula pequena.
História
O acalabrutinib foi aprovado para uso médico nos Estados Unidos em 2017, e na União Europeia em novembro de 2020.
Indicações
Acalabrutinib em monoterapia ou em associação com obinutuzumab é indicado para o tratamento de doentes adultos com leucemia linfocítica crónica (LLC) não tratados previamente.

Acalabrutinib em monoterapia é indicado para o tratamento de doentes adultos com leucemia linfocítica crónica (LLC) que receberam pelo menos uma linha de tratamento anterior.
Classificação CFT

N.D.

Mecanismo De Acção
Acalabrutinib é um inibidor selectivo da tirosina cinase de Bruton (BTK). A BTK é uma molécula de sinalização do receptor do antigénio das células B (BCR) e das vias do receptor da citocina. Nas células B, a sinalização BTK dá origem à sobrevivência e proliferação das células B, e é necessária para adesão, circulação e quimiotaxia celular.

Acalabrutinib e o seu metabolito activo, ACP-5862, formam uma ligação covalente com um resíduo de cisteína no local de activação da BTK, levando à inactivação irreversível da BTK com interacções mínimas fora do alvo.
Posologia Orientativa
O tratamento com este medicamento deve ser iniciado e monitorizado por um médico com experiência na utilização de medicamentos anticancerígenos.
A dose recomendada é de 100 mg de acalabrutinib duas vezes ao dia (equivalente a uma dose diária total de 200 mg).
Administração
Via oral.
As cápsulas devem ser engolidas inteiras com água aproximadamente à mesma hora todos os dias, com ou sem alimentos.
As cápsulas não devem ser mastigadas, dissolvidas ou abertas dado que pode afectar a absorção do medicamento no corpo.
Contra-Indicações
Hipersensibilidade ao Acalabrutinib.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Pare de tomar Acalabrutinib e contacte um médico ou dirija-se imediatamente às urgências mais próximas se apresentar algum dos seguintes sintomas:

- Hemorragia. Os sintomas podem ser fezes pretas ou sangue nas fezes, urina rosada ou castanha, hemorragia nasal, nódoas negras, hemorragia inesperada, vomitar ou tossir sangue, tonturas, fraqueza, confusão mental
- Infecções. Os sinais podem incluir febre, arrepios, sentir-se fraco ou confuso, tosse, falta de ar [(Pneumonia, um efeito indesejável muito frequente (pode afectar mais do que 1 em cada 10 pessoas) ou Infecções por Aspergillus, um efeito indesejável pouco frequente (pode afectar até 1 em cada 100 pessoas)].

Efeitos indesejáveis graves frequentes (podem afectar até 1 em cada 10 pessoas)
- ritmo cardíaco rápido, batimentos cardíacos irregulares, pulso fraco ou instável, tonturas, sentir-se a desmaiar, desconforto torácico ou falta de ar (sinais de problemas do ritmo cardíaco conhecidos como fibrilhação auricular e flutter auricular).

Efeitos indesejáveis pouco frequentes (podem afectar até 1 em cada 100 pessoas)
- febre, arrepios, náuseas, vómitos, confusão mental, falta de ar, convulsões, ritmo cardíaco irregular, urina escura ou turva, cansaço pouco habitual ou dor muscular ou nas articulações. Podem ser sintomas de síndrome de lise tumoral (TLS) – uma doença causada pela decomposição rápida das células cancerígenas.

Outros efeitos indesejáveis:

Muito frequentes (podem afectar mais de 1 em cada 10 pessoas):
- dor muscular ou nas articulações
- dor de cabeça
- erupção na pele
- sentir-se cansado (fadiga), fraqueza ou falta de energia
- sensação de mal-estar no seu estômago (náuseas), vómitos, dor de estômago, prisão de ventre (fezes pouco frequentes ou difíceis de passar), diarreia (fezes frequentes ou soltas)
- diminuição do número de glóbulos vermelhos, diminuição do número de neutrófilos (um tipo de células brancas, ou diminuição do número de células que ajudam o sangue a coagular (plaquetas).
- tonturas
- dor de cabeça, pressão nos olhos, nariz ou área da bochecha (sinusite)
- dor de garganta a corrimento nasal (nasofaringite)
- infecção das vias respiratórias superiores
- infecção do trato urinário (dor ou sensação de queimadura quando urina)
- novos cancros, incluindo cancros da pele, que podem aparecer durante o tratamento com Acalabrutinib

Frequentes (podem afectar até 1 em cada 10 pessoas):
- bronquite (não necessita de acção imediata)
- herpes

Efeitos indesejáveis pouco frequentes (podem afectar até 1 em cada 100 pessoas)
- perda de memória, problemas de raciocínio, dificuldade em andar ou perda de visão – podem ser sinais de uma infecção cerebral grave (Leucoencefalopatia Multifocal Progressiva ou LMP).
- febre, arrepios, fraqueza, confusão mental, mal-estar geral e amarelecimento da pele ou dos olhos (icterícia) – podem ser sinais de reactivação da hepatite B (uma infecção no fígado).
- Linfocitose (uma quantidade de linfócitos superior ao normal), um tipo de glóbulos brancos, no sangue.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Acalabrutinib não deve ser utilizado durante a gravidez, a menos que o estado clínico da mulher exija tratamento com acalabrutinib.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:As mães devem ser aconselhadas a não amamentar durante o tratamento com Acalabrutinib e durante 2 dias depois de receberem a última dose.
Condução
Condução
Condução:Os efeitos de Acalabrutinib sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas são nulos ou desprezáveis. No entanto, durante o tratamento com acalabrutinib, foi notificada fadiga e tonturas e os doentes que apresentam estes sintomas devem ser aconselhados a não conduzir ou utilizar máquinas até à resolução dos sintomas.
Precauções Gerais
Fale com o médico, farmacêutico ou enfermeiro antes de tomar Acalabrutinib:
- se alguma vez teve nódoas negras ou hemorragias pouco habituais ou se está a tomar algum medicamento que possa aumentar o seu risco de hemorragia.
- se tem uma infecção.
- se foi recentemente submetido a uma cirurgia ou tem uma cirurgia planeada. O médico pode interromper o tratamento com Acalabrutinib antes e depois de um procedimento médico, cirúrgico ou dentário.
- se já teve hepatite B (uma infecção no fígado) – isto porque Acalabrutinib pode voltar a activar a hepatite B, e para que o médico possa procurar sinais de reactivação.
- se tem ou já teve batimento cardíaco irregular.

Fale com o médico se desenvolver uma nova lesão ou qualquer alteração na aparência de uma área da pele, uma vez que está em risco elevado de desenvolver cancro da pele. Utilize protector solar e faça exames da pele regulares.

O médico irá verificar a sua contagem de células do sangue conforme necessário durante o tratamento.

Não utilizar este medicamento em crianças ou adolescentes com idade inferior a 18 anos.

Informe o médico, farmacêutico ou enfermeiro se estiver a tomar, tiver tomado recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos especialmente se está a tomar alguns dos seguintes medicamentos:
- antibióticos para infecções bacterianas – como claritromicina
- medicamentos para infecções fúngicas – como posaconazol, itraconazol, voriconazol
- cetoconazol – um medicamento para síndrome de Cushing (uma doença na qual o corpo produz muita quantidade da hormona cortisol)
- medicamentos para a infecção por VIH – como indinavir e ritonavir
- medicamentos para a hepatite C – como telaprevir
- rifampicina – um antibiótico utilizado para tratar infecções bacterianas (Tuberculose)
- medicamentos para enxaquecas – ergotamina
- medicamentos para níveis baixos de sódio no sangue – conivaptan
- medicamentos para níveis elevados de açúcar no sangue – metformina
- medicamentos para prevenir rejeição de órgãos – ciclosporina
- medicamentos para ataques (convulsões) ou para epilepsia – como carbamazepina e fenitoína
- pimozida – um medicamento utilizado para tratar o síndrome de Tourette (doença que causa movimentos descontrolados e surtos de palavras e sons)
- hipericão (Hypericum perforatum) – um medicamento à base de plantas para a depressão
- teofilina – um medicamento utilizado para sibilos, falta de ar e aperto no peito
- medicamentos para reduzir o ácido no estômago:
• antiácidos – como carbonato de cálcio - Tome Acalabrutinib 2 horas antes ou 2 horas depois de tomar estes medicamentos
• bloqueadores do receptor da histamina 2 – como ranitidina e famotidina
- Tome Acalabrutinib 2 horas antes ou 10 horas depois de tomar estes medicamentos
• inibidores da bomba de protões – como omeprazol
- Evite tomar estes medicamentos enquanto toma Acalabrutinib
- metotrexato – um medicamento para doenças como artrite reumatoide, psoríase e colite ulcerosa, que são causadas por uma deficiência no funcionamento do sistema imunitário.
- Este medicamento deve ser tomado pelo menos 6 horas antes ou depois de Acalabrutinib.

Medicamentos que aumentam o risco de hemorragia
Acalabrutinib poderá fazer com que sangre mais facilmente. Informe o médico, farmacêutico ou enfermeiro se toma outros medicamentos que aumentam o risco de hemorragia:
- Antiagregantes plaquetários (medicamentos que previnem a coagulação do sangue) como ácido acetilsalicílico e clopidogrel
- Anticoagulantes (tornam o sangue mais fluído) como varfarina ou enoxaparina
Cuidados com a Dieta
Sem informação.
Terapêutica Interrompida
Se um doente se esquecer de tomar uma dose de Acalabrutinib e tiverem decorrido mais de 3 horas, o doente deve ser instruído a tomar a dose seguinte no horário habitual. Não deve ser tomada uma dose adicional de Acalabrutinib para compensar uma dose esquecida.
Cuidados no Armazenamento
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Este medicamento não requer condições especiais de conservação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente
Espectro de susceptibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Não recomendado/Evitar

Acalabrutinib Inibidores do CYP3A

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem aumentar as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Inibidores da CYP3A/P-gp A administração concomitante com um inibidor forte da CYP3A/P-gp (200 mg de itraconazol uma vez ao dia durante 5 dias) aumentou a Cmax e AUC de acalabrutinib em 3,9 vezes e 5,0 vezes em indivíduos saudáveis (N=17), respetivamente. A utilização concomitante com inibidores fortes da CYP3A/P-gp deve ser evitada. Se os inibidores fortes da CYP3A/P-gp (e.g., cetoconazol, conivaptan, claritromicina, indinavir, itraconazol, ritonavir, telaprevir, posaconazol, voriconazol) forem utilizados a curto prazo, o tratamento com Acalabrutinib deve ser interrompido. - Inibidores do CYP3A
Não recomendado/Evitar

Acalabrutinib Inibidores da glicoproteína-P (Gp-P)

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem aumentar as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Inibidores da CYP3A/P-gp A administração concomitante com um inibidor forte da CYP3A/P-gp (200 mg de itraconazol uma vez ao dia durante 5 dias) aumentou a Cmax e AUC de acalabrutinib em 3,9 vezes e 5,0 vezes em indivíduos saudáveis (N=17), respetivamente. A utilização concomitante com inibidores fortes da CYP3A/P-gp deve ser evitada. Se os inibidores fortes da CYP3A/P-gp (e.g., cetoconazol, conivaptan, claritromicina, indinavir, itraconazol, ritonavir, telaprevir, posaconazol, voriconazol) forem utilizados a curto prazo, o tratamento com Acalabrutinib deve ser interrompido. - Inibidores da glicoproteína-P (Gp-P)
Não recomendado/Evitar

Acalabrutinib Itraconazol

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem aumentar as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Inibidores da CYP3A/P-gp A administração concomitante com um inibidor forte da CYP3A/P-gp (200 mg de itraconazol uma vez ao dia durante 5 dias) aumentou a Cmax e AUC de acalabrutinib em 3,9 vezes e 5,0 vezes em indivíduos saudáveis (N=17), respetivamente. A utilização concomitante com inibidores fortes da CYP3A/P-gp deve ser evitada. Se os inibidores fortes da CYP3A/P-gp (e.g., cetoconazol, conivaptan, claritromicina, indinavir, itraconazol, ritonavir, telaprevir, posaconazol, voriconazol) forem utilizados a curto prazo, o tratamento com Acalabrutinib deve ser interrompido. - Itraconazol
Não recomendado/Evitar

Acalabrutinib Cetoconazol

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem aumentar as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Inibidores da CYP3A/P-gp A administração concomitante com um inibidor forte da CYP3A/P-gp (200 mg de itraconazol uma vez ao dia durante 5 dias) aumentou a Cmax e AUC de acalabrutinib em 3,9 vezes e 5,0 vezes em indivíduos saudáveis (N=17), respetivamente. A utilização concomitante com inibidores fortes da CYP3A/P-gp deve ser evitada. Se os inibidores fortes da CYP3A/P-gp (e.g., cetoconazol, conivaptan, claritromicina, indinavir, itraconazol, ritonavir, telaprevir, posaconazol, voriconazol) forem utilizados a curto prazo, o tratamento com Acalabrutinib deve ser interrompido. - Cetoconazol
Não recomendado/Evitar

Acalabrutinib Conivaptan

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem aumentar as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Inibidores da CYP3A/P-gp A administração concomitante com um inibidor forte da CYP3A/P-gp (200 mg de itraconazol uma vez ao dia durante 5 dias) aumentou a Cmax e AUC de acalabrutinib em 3,9 vezes e 5,0 vezes em indivíduos saudáveis (N=17), respetivamente. A utilização concomitante com inibidores fortes da CYP3A/P-gp deve ser evitada. Se os inibidores fortes da CYP3A/P-gp (e.g., cetoconazol, conivaptan, claritromicina, indinavir, itraconazol, ritonavir, telaprevir, posaconazol, voriconazol) forem utilizados a curto prazo, o tratamento com Acalabrutinib deve ser interrompido. - Conivaptan
Não recomendado/Evitar

Acalabrutinib Claritromicina

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem aumentar as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Inibidores da CYP3A/P-gp A administração concomitante com um inibidor forte da CYP3A/P-gp (200 mg de itraconazol uma vez ao dia durante 5 dias) aumentou a Cmax e AUC de acalabrutinib em 3,9 vezes e 5,0 vezes em indivíduos saudáveis (N=17), respetivamente. A utilização concomitante com inibidores fortes da CYP3A/P-gp deve ser evitada. Se os inibidores fortes da CYP3A/P-gp (e.g., cetoconazol, conivaptan, claritromicina, indinavir, itraconazol, ritonavir, telaprevir, posaconazol, voriconazol) forem utilizados a curto prazo, o tratamento com Acalabrutinib deve ser interrompido. - Claritromicina
Não recomendado/Evitar

Acalabrutinib Indinavir

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem aumentar as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Inibidores da CYP3A/P-gp A administração concomitante com um inibidor forte da CYP3A/P-gp (200 mg de itraconazol uma vez ao dia durante 5 dias) aumentou a Cmax e AUC de acalabrutinib em 3,9 vezes e 5,0 vezes em indivíduos saudáveis (N=17), respetivamente. A utilização concomitante com inibidores fortes da CYP3A/P-gp deve ser evitada. Se os inibidores fortes da CYP3A/P-gp (e.g., cetoconazol, conivaptan, claritromicina, indinavir, itraconazol, ritonavir, telaprevir, posaconazol, voriconazol) forem utilizados a curto prazo, o tratamento com Acalabrutinib deve ser interrompido. - Indinavir
Não recomendado/Evitar

Acalabrutinib Ritonavir

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem aumentar as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Inibidores da CYP3A/P-gp A administração concomitante com um inibidor forte da CYP3A/P-gp (200 mg de itraconazol uma vez ao dia durante 5 dias) aumentou a Cmax e AUC de acalabrutinib em 3,9 vezes e 5,0 vezes em indivíduos saudáveis (N=17), respetivamente. A utilização concomitante com inibidores fortes da CYP3A/P-gp deve ser evitada. Se os inibidores fortes da CYP3A/P-gp (e.g., cetoconazol, conivaptan, claritromicina, indinavir, itraconazol, ritonavir, telaprevir, posaconazol, voriconazol) forem utilizados a curto prazo, o tratamento com Acalabrutinib deve ser interrompido. - Ritonavir
Não recomendado/Evitar

Acalabrutinib Telaprevir

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem aumentar as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Inibidores da CYP3A/P-gp A administração concomitante com um inibidor forte da CYP3A/P-gp (200 mg de itraconazol uma vez ao dia durante 5 dias) aumentou a Cmax e AUC de acalabrutinib em 3,9 vezes e 5,0 vezes em indivíduos saudáveis (N=17), respetivamente. A utilização concomitante com inibidores fortes da CYP3A/P-gp deve ser evitada. Se os inibidores fortes da CYP3A/P-gp (e.g., cetoconazol, conivaptan, claritromicina, indinavir, itraconazol, ritonavir, telaprevir, posaconazol, voriconazol) forem utilizados a curto prazo, o tratamento com Acalabrutinib deve ser interrompido. - Telaprevir
Não recomendado/Evitar

Acalabrutinib Posaconazol

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem aumentar as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Inibidores da CYP3A/P-gp A administração concomitante com um inibidor forte da CYP3A/P-gp (200 mg de itraconazol uma vez ao dia durante 5 dias) aumentou a Cmax e AUC de acalabrutinib em 3,9 vezes e 5,0 vezes em indivíduos saudáveis (N=17), respetivamente. A utilização concomitante com inibidores fortes da CYP3A/P-gp deve ser evitada. Se os inibidores fortes da CYP3A/P-gp (e.g., cetoconazol, conivaptan, claritromicina, indinavir, itraconazol, ritonavir, telaprevir, posaconazol, voriconazol) forem utilizados a curto prazo, o tratamento com Acalabrutinib deve ser interrompido. - Posaconazol
Não recomendado/Evitar

Acalabrutinib Voriconazol

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem aumentar as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Inibidores da CYP3A/P-gp A administração concomitante com um inibidor forte da CYP3A/P-gp (200 mg de itraconazol uma vez ao dia durante 5 dias) aumentou a Cmax e AUC de acalabrutinib em 3,9 vezes e 5,0 vezes em indivíduos saudáveis (N=17), respetivamente. A utilização concomitante com inibidores fortes da CYP3A/P-gp deve ser evitada. Se os inibidores fortes da CYP3A/P-gp (e.g., cetoconazol, conivaptan, claritromicina, indinavir, itraconazol, ritonavir, telaprevir, posaconazol, voriconazol) forem utilizados a curto prazo, o tratamento com Acalabrutinib deve ser interrompido. - Voriconazol
Não recomendado/Evitar

Acalabrutinib Indutores do CYP3A

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem diminuir as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Indutores da CYP3A A administração concomitante com um indutor forte da CYP3A (600 mg de rifampicina uma vez ao dia durante 9 dias) diminuiu a Cmax e AUC de acalabrutinib em 68% e 77% em indivíduos saudáveis (N=24), respectivamente. A utilização concomitante com indutores fortes da actividade da CYP3A (e.g., fenitoína, rifampicina, carbamazepina) deve ser evitada. O tratamento concomitante com hipericão (Hypericum perforatum), que pode diminuir as concentrações plasmáticas de acalabrutinib de forma imprevisível, deve ser evitado. - Indutores do CYP3A
Não recomendado/Evitar

Acalabrutinib Fenitoína

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem diminuir as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Indutores da CYP3A A administração concomitante com um indutor forte da CYP3A (600 mg de rifampicina uma vez ao dia durante 9 dias) diminuiu a Cmax e AUC de acalabrutinib em 68% e 77% em indivíduos saudáveis (N=24), respectivamente. A utilização concomitante com indutores fortes da actividade da CYP3A (e.g., fenitoína, rifampicina, carbamazepina) deve ser evitada. O tratamento concomitante com hipericão (Hypericum perforatum), que pode diminuir as concentrações plasmáticas de acalabrutinib de forma imprevisível, deve ser evitado. - Fenitoína
Não recomendado/Evitar

Acalabrutinib Rifampicina (rifampina)

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem diminuir as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Indutores da CYP3A A administração concomitante com um indutor forte da CYP3A (600 mg de rifampicina uma vez ao dia durante 9 dias) diminuiu a Cmax e AUC de acalabrutinib em 68% e 77% em indivíduos saudáveis (N=24), respectivamente. A utilização concomitante com indutores fortes da actividade da CYP3A (e.g., fenitoína, rifampicina, carbamazepina) deve ser evitada. O tratamento concomitante com hipericão (Hypericum perforatum), que pode diminuir as concentrações plasmáticas de acalabrutinib de forma imprevisível, deve ser evitado. - Rifampicina (rifampina)
Não recomendado/Evitar

Acalabrutinib Carbamazepina

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem diminuir as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Indutores da CYP3A A administração concomitante com um indutor forte da CYP3A (600 mg de rifampicina uma vez ao dia durante 9 dias) diminuiu a Cmax e AUC de acalabrutinib em 68% e 77% em indivíduos saudáveis (N=24), respectivamente. A utilização concomitante com indutores fortes da actividade da CYP3A (e.g., fenitoína, rifampicina, carbamazepina) deve ser evitada. O tratamento concomitante com hipericão (Hypericum perforatum), que pode diminuir as concentrações plasmáticas de acalabrutinib de forma imprevisível, deve ser evitado. - Carbamazepina
Não recomendado/Evitar

Acalabrutinib Hipericão (Erva de S. João; Hypericum perforatum)

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem diminuir as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Indutores da CYP3A A administração concomitante com um indutor forte da CYP3A (600 mg de rifampicina uma vez ao dia durante 9 dias) diminuiu a Cmax e AUC de acalabrutinib em 68% e 77% em indivíduos saudáveis (N=24), respectivamente. A utilização concomitante com indutores fortes da actividade da CYP3A (e.g., fenitoína, rifampicina, carbamazepina) deve ser evitada. O tratamento concomitante com hipericão (Hypericum perforatum), que pode diminuir as concentrações plasmáticas de acalabrutinib de forma imprevisível, deve ser evitado. - Hipericão (Erva de S. João; Hypericum perforatum)
Usar com precaução

Acalabrutinib Agentes redutores da acidez

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem diminuir as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Medicamentos redutores da secreção ácida A solubilidade de acalabrutinib diminui com o aumento do pH. A administração concomitante de acalabrutinib com um antiácido (1 g de carbonato de cálcio) diminuiu a AUC de acalabrutinib em 53% em indivíduos saudáveis. A administração concomitante com um inibidor da bomba de protões (40 mg de omeprazol durante 5 dias) diminuiu a AUC de acalabrutinib em 43%. Se for necessário o tratamento com um agente redutor da secreção ácida, considerar tomar um antiácido (e.g., carbonato de cálcio) ou um antagonista do receptor H2 (e.g., ranitidina ou famotidina). Na utilização com antiácidos, o intervalo entre as tomas dos medicamentos deve ser de pelo menos 2 horas. Para antagonistas do receptor H2, Acalabrutinib deve ser tomado 2 horas antes (ou 10 horas depois) de tomar o antagonista do receptor H2. Devido ao efeito de longa duração dos inibidores da bomba de protões, a separação entre as doses com inibidores da bomba de protões pode não eliminar a interacção com Acalabrutinib e deste modo a utilização concomitante deve ser evitada. - Agentes redutores da acidez
Não recomendado/Evitar

Acalabrutinib Inibidores da Bomba de Protões (IBP)

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem diminuir as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Medicamentos redutores da secreção ácida A solubilidade de acalabrutinib diminui com o aumento do pH. A administração concomitante de acalabrutinib com um antiácido (1 g de carbonato de cálcio) diminuiu a AUC de acalabrutinib em 53% em indivíduos saudáveis. A administração concomitante com um inibidor da bomba de protões (40 mg de omeprazol durante 5 dias) diminuiu a AUC de acalabrutinib em 43%. Se for necessário o tratamento com um agente redutor da secreção ácida, considerar tomar um antiácido (e.g., carbonato de cálcio) ou um antagonista do receptor H2 (e.g., ranitidina ou famotidina). Na utilização com antiácidos, o intervalo entre as tomas dos medicamentos deve ser de pelo menos 2 horas. Para antagonistas do receptor H2, Acalabrutinib deve ser tomado 2 horas antes (ou 10 horas depois) de tomar o antagonista do receptor H2. Devido ao efeito de longa duração dos inibidores da bomba de protões, a separação entre as doses com inibidores da bomba de protões pode não eliminar a interacção com Acalabrutinib e deste modo a utilização concomitante deve ser evitada. - Inibidores da Bomba de Protões (IBP)
Usar com precaução

Acalabrutinib Carbonato de cálcio

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem diminuir as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Medicamentos redutores da secreção ácida A solubilidade de acalabrutinib diminui com o aumento do pH. A administração concomitante de acalabrutinib com um antiácido (1 g de carbonato de cálcio) diminuiu a AUC de acalabrutinib em 53% em indivíduos saudáveis. A administração concomitante com um inibidor da bomba de protões (40 mg de omeprazol durante 5 dias) diminuiu a AUC de acalabrutinib em 43%. Se for necessário o tratamento com um agente redutor da secreção ácida, considerar tomar um antiácido (e.g., carbonato de cálcio) ou um antagonista do receptor H2 (e.g., ranitidina ou famotidina). Na utilização com antiácidos, o intervalo entre as tomas dos medicamentos deve ser de pelo menos 2 horas. Para antagonistas do receptor H2, Acalabrutinib deve ser tomado 2 horas antes (ou 10 horas depois) de tomar o antagonista do receptor H2. Devido ao efeito de longa duração dos inibidores da bomba de protões, a separação entre as doses com inibidores da bomba de protões pode não eliminar a interacção com Acalabrutinib e deste modo a utilização concomitante deve ser evitada. - Carbonato de cálcio
Usar com precaução

Acalabrutinib Antagonistas dos Receptores H2 da Histamina

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem diminuir as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Medicamentos redutores da secreção ácida A solubilidade de acalabrutinib diminui com o aumento do pH. A administração concomitante de acalabrutinib com um antiácido (1 g de carbonato de cálcio) diminuiu a AUC de acalabrutinib em 53% em indivíduos saudáveis. A administração concomitante com um inibidor da bomba de protões (40 mg de omeprazol durante 5 dias) diminuiu a AUC de acalabrutinib em 43%. Se for necessário o tratamento com um agente redutor da secreção ácida, considerar tomar um antiácido (e.g., carbonato de cálcio) ou um antagonista do receptor H2 (e.g., ranitidina ou famotidina). Na utilização com antiácidos, o intervalo entre as tomas dos medicamentos deve ser de pelo menos 2 horas. Para antagonistas do receptor H2, Acalabrutinib deve ser tomado 2 horas antes (ou 10 horas depois) de tomar o antagonista do receptor H2. Devido ao efeito de longa duração dos inibidores da bomba de protões, a separação entre as doses com inibidores da bomba de protões pode não eliminar a interacção com Acalabrutinib e deste modo a utilização concomitante deve ser evitada. - Antagonistas dos Receptores H2 da Histamina
Usar com precaução

Acalabrutinib Ranitidina

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem diminuir as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Medicamentos redutores da secreção ácida A solubilidade de acalabrutinib diminui com o aumento do pH. A administração concomitante de acalabrutinib com um antiácido (1 g de carbonato de cálcio) diminuiu a AUC de acalabrutinib em 53% em indivíduos saudáveis. A administração concomitante com um inibidor da bomba de protões (40 mg de omeprazol durante 5 dias) diminuiu a AUC de acalabrutinib em 43%. Se for necessário o tratamento com um agente redutor da secreção ácida, considerar tomar um antiácido (e.g., carbonato de cálcio) ou um antagonista do receptor H2 (e.g., ranitidina ou famotidina). Na utilização com antiácidos, o intervalo entre as tomas dos medicamentos deve ser de pelo menos 2 horas. Para antagonistas do receptor H2, Acalabrutinib deve ser tomado 2 horas antes (ou 10 horas depois) de tomar o antagonista do receptor H2. Devido ao efeito de longa duração dos inibidores da bomba de protões, a separação entre as doses com inibidores da bomba de protões pode não eliminar a interacção com Acalabrutinib e deste modo a utilização concomitante deve ser evitada. - Ranitidina
Usar com precaução

Acalabrutinib Famotidina

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem diminuir as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Medicamentos redutores da secreção ácida A solubilidade de acalabrutinib diminui com o aumento do pH. A administração concomitante de acalabrutinib com um antiácido (1 g de carbonato de cálcio) diminuiu a AUC de acalabrutinib em 53% em indivíduos saudáveis. A administração concomitante com um inibidor da bomba de protões (40 mg de omeprazol durante 5 dias) diminuiu a AUC de acalabrutinib em 43%. Se for necessário o tratamento com um agente redutor da secreção ácida, considerar tomar um antiácido (e.g., carbonato de cálcio) ou um antagonista do receptor H2 (e.g., ranitidina ou famotidina). Na utilização com antiácidos, o intervalo entre as tomas dos medicamentos deve ser de pelo menos 2 horas. Para antagonistas do receptor H2, Acalabrutinib deve ser tomado 2 horas antes (ou 10 horas depois) de tomar o antagonista do receptor H2. Devido ao efeito de longa duração dos inibidores da bomba de protões, a separação entre as doses com inibidores da bomba de protões pode não eliminar a interacção com Acalabrutinib e deste modo a utilização concomitante deve ser evitada. - Famotidina
Usar com precaução

Acalabrutinib Antiácidos

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem diminuir as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Medicamentos redutores da secreção ácida A solubilidade de acalabrutinib diminui com o aumento do pH. A administração concomitante de acalabrutinib com um antiácido (1 g de carbonato de cálcio) diminuiu a AUC de acalabrutinib em 53% em indivíduos saudáveis. A administração concomitante com um inibidor da bomba de protões (40 mg de omeprazol durante 5 dias) diminuiu a AUC de acalabrutinib em 43%. Se for necessário o tratamento com um agente redutor da secreção ácida, considerar tomar um antiácido (e.g., carbonato de cálcio) ou um antagonista do receptor H2 (e.g., ranitidina ou famotidina). Na utilização com antiácidos, o intervalo entre as tomas dos medicamentos deve ser de pelo menos 2 horas. Para antagonistas do receptor H2, Acalabrutinib deve ser tomado 2 horas antes (ou 10 horas depois) de tomar o antagonista do receptor H2. Devido ao efeito de longa duração dos inibidores da bomba de protões, a separação entre as doses com inibidores da bomba de protões pode não eliminar a interacção com Acalabrutinib e deste modo a utilização concomitante deve ser evitada. - Antiácidos
Usar com precaução

Acalabrutinib Substratos do CYP3A4

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas cuja concentração plasmática pode ser alterada por Acalabrutinib Substratos da CYP3A Com base em dados in vitro, não pode ser excluído que acalabrutinib seja um inibidor da CYP3A4 a nível intestinal e pode aumentar a exposição a substratos da CYP3A4 sensíveis ao metabolismo intestinal da CYP3A. Recomenda-se precaução se acalabrutinib for administrado concomitantemente com substratos da CYP3A4 com um intervalo terapêutico estreito administrados oralmente (e.g. ciclosporina, ergotamina, pimozida). - Substratos do CYP3A4
Usar com precaução

Acalabrutinib Ciclosporina

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas cuja concentração plasmática pode ser alterada por Acalabrutinib Substratos da CYP3A Com base em dados in vitro, não pode ser excluído que acalabrutinib seja um inibidor da CYP3A4 a nível intestinal e pode aumentar a exposição a substratos da CYP3A4 sensíveis ao metabolismo intestinal da CYP3A. Recomenda-se precaução se acalabrutinib for administrado concomitantemente com substratos da CYP3A4 com um intervalo terapêutico estreito administrados oralmente (e.g. ciclosporina, ergotamina, pimozida). - Ciclosporina
Usar com precaução

Acalabrutinib Ergotamina

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas cuja concentração plasmática pode ser alterada por Acalabrutinib Substratos da CYP3A Com base em dados in vitro, não pode ser excluído que acalabrutinib seja um inibidor da CYP3A4 a nível intestinal e pode aumentar a exposição a substratos da CYP3A4 sensíveis ao metabolismo intestinal da CYP3A. Recomenda-se precaução se acalabrutinib for administrado concomitantemente com substratos da CYP3A4 com um intervalo terapêutico estreito administrados oralmente (e.g. ciclosporina, ergotamina, pimozida). - Ergotamina
Usar com precaução

Acalabrutinib Pimozida

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas cuja concentração plasmática pode ser alterada por Acalabrutinib Substratos da CYP3A Com base em dados in vitro, não pode ser excluído que acalabrutinib seja um inibidor da CYP3A4 a nível intestinal e pode aumentar a exposição a substratos da CYP3A4 sensíveis ao metabolismo intestinal da CYP3A. Recomenda-se precaução se acalabrutinib for administrado concomitantemente com substratos da CYP3A4 com um intervalo terapêutico estreito administrados oralmente (e.g. ciclosporina, ergotamina, pimozida). - Pimozida
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Acalabrutinib Substratos do CYP1A2

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas cuja concentração plasmática pode ser alterada por Acalabrutinib Efeito de acalabrutinib em substratos da CYP1A2 Estudos in vitro indicam que acalabrutinib induz a CYP1A2. A administração concomitante de acalabrutinib com substratos da CYP1A2 (e.g. teofilina, cafeína) pode diminuir a sua exposição. - Substratos do CYP1A2
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Acalabrutinib Teofilina

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas cuja concentração plasmática pode ser alterada por Acalabrutinib Efeito de acalabrutinib em substratos da CYP1A2 Estudos in vitro indicam que acalabrutinib induz a CYP1A2. A administração concomitante de acalabrutinib com substratos da CYP1A2 (e.g. teofilina, cafeína) pode diminuir a sua exposição. - Teofilina
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Acalabrutinib Cafeína

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas cuja concentração plasmática pode ser alterada por Acalabrutinib Efeito de acalabrutinib em substratos da CYP1A2 Estudos in vitro indicam que acalabrutinib induz a CYP1A2. A administração concomitante de acalabrutinib com substratos da CYP1A2 (e.g. teofilina, cafeína) pode diminuir a sua exposição. - Cafeína
Usar com precaução

Acalabrutinib Substratos do BCRP (proteína de resistência do cancro da mama)

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas cuja concentração plasmática pode ser alterada por Acalabrutinib Efeitos de acalabrutinib e do seu metabólito activo, ACP-5862, nos sistemas de transporte de medicamentos Acalabrutinib pode aumentar a exposição a substratos da BCRP administrados concomitantemente (e.g., metotrexato) através da inibição da BCRP intestinal. Para minimizar o potencial para uma interacção no trato Gastrointestinal (GI), os substratos da BCRP com intervalo terapêutico estreito, como metotrexato, devem ser tomados pelo menos 6 horas antes ou depois de acalabrutinib. ACP-5862 pode aumentar a exposição a substratos MATE1 administrados concomitantemente (e.g., metformina) através da inibição de MATE1. Os doentes a tomar medicamentos concomitantes com distribuição dependente de MATE1 (e.g. metformina) devem ser monitorizados quanto a sinais de alteração da tolerabilidade, como resultado do aumento da exposição ao medicamento concomitante enquanto recebem Acalabrutinib. - Substratos do BCRP (proteína de resistência do cancro da mama)
Usar com precaução

Acalabrutinib Metotrexato (MTX)

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas cuja concentração plasmática pode ser alterada por Acalabrutinib Efeitos de acalabrutinib e do seu metabólito activo, ACP-5862, nos sistemas de transporte de medicamentos Acalabrutinib pode aumentar a exposição a substratos da BCRP administrados concomitantemente (e.g., metotrexato) através da inibição da BCRP intestinal. Para minimizar o potencial para uma interacção no trato Gastrointestinal (GI), os substratos da BCRP com intervalo terapêutico estreito, como metotrexato, devem ser tomados pelo menos 6 horas antes ou depois de acalabrutinib. ACP-5862 pode aumentar a exposição a substratos MATE1 administrados concomitantemente (e.g., metformina) através da inibição de MATE1. Os doentes a tomar medicamentos concomitantes com distribuição dependente de MATE1 (e.g. metformina) devem ser monitorizados quanto a sinais de alteração da tolerabilidade, como resultado do aumento da exposição ao medicamento concomitante enquanto recebem Acalabrutinib. - Metotrexato (MTX)
Usar com precaução

Acalabrutinib Substratos do MATE

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas cuja concentração plasmática pode ser alterada por Acalabrutinib Efeitos de acalabrutinib e do seu metabólito activo, ACP-5862, nos sistemas de transporte de medicamentos Acalabrutinib pode aumentar a exposição a substratos da BCRP administrados concomitantemente (e.g., metotrexato) através da inibição da BCRP intestinal. Para minimizar o potencial para uma interacção no trato Gastrointestinal (GI), os substratos da BCRP com intervalo terapêutico estreito, como metotrexato, devem ser tomados pelo menos 6 horas antes ou depois de acalabrutinib. ACP-5862 pode aumentar a exposição a substratos MATE1 administrados concomitantemente (e.g., metformina) através da inibição de MATE1. Os doentes a tomar medicamentos concomitantes com distribuição dependente de MATE1 (e.g. metformina) devem ser monitorizados quanto a sinais de alteração da tolerabilidade, como resultado do aumento da exposição ao medicamento concomitante enquanto recebem Acalabrutinib. - Substratos do MATE
Usar com precaução

Acalabrutinib Metformina

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas cuja concentração plasmática pode ser alterada por Acalabrutinib Efeitos de acalabrutinib e do seu metabólito activo, ACP-5862, nos sistemas de transporte de medicamentos Acalabrutinib pode aumentar a exposição a substratos da BCRP administrados concomitantemente (e.g., metotrexato) através da inibição da BCRP intestinal. Para minimizar o potencial para uma interacção no trato Gastrointestinal (GI), os substratos da BCRP com intervalo terapêutico estreito, como metotrexato, devem ser tomados pelo menos 6 horas antes ou depois de acalabrutinib. ACP-5862 pode aumentar a exposição a substratos MATE1 administrados concomitantemente (e.g., metformina) através da inibição de MATE1. Os doentes a tomar medicamentos concomitantes com distribuição dependente de MATE1 (e.g. metformina) devem ser monitorizados quanto a sinais de alteração da tolerabilidade, como resultado do aumento da exposição ao medicamento concomitante enquanto recebem Acalabrutinib. - Metformina
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções do Acalabrutinib
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Acalabrutinib não deve ser utilizado durante a gravidez, a menos que o estado clínico da mulher exija tratamento com acalabrutinib.

Desconhece-se se acalabrutinib é excretado no leite humano.
As mães devem ser aconselhadas a não amamentar durante o tratamento com Acalabrutinib e durante 2 dias depois de receberem a última dose.

Os efeitos de Acalabrutinib sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas são nulos ou desprezáveis. No entanto, durante o tratamento com acalabrutinib, foi notificada fadiga e tonturas e os doentes que apresentam estes sintomas devem ser aconselhados a não conduzir ou utilizar máquinas até à resolução dos sintomas.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 12 de Abril de 2022