Abacavir + Lamivudina

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência na Insuficiência Hepática Uso Hospitalar DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
O abacavir / lamivudina (DCI) é uma combinação de medicamentos para o tratamento da infecção por HIV.

É comercializado como Kivexa na maioria dos países, exceto para os Estados Unidos, onde é rotulado como Epzicom.

É uma combinação de dose fixa de lamivudina (3TC, Epivir) e abacavir (ABC, Ziagen).

Lamivudina e abacavir são ambos inibidores nucleosídeos da transcriptase reversa (NRTIs).
Usos comuns
Tratamento da infecção por HIV.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Tratamento de infeções pelo VIH em associação a outros fármacos anti-retrovirais.
Classificação CFT
01.03.01.03     Análogos nucleosídeos inibidores da transcriptase inversa (reversa)
Mecanismo De Ação
Mecanismo de ação: o abacavir e a lamivudina são NRTIs e inibidores seletivos e potentes do VIH-1 e do VIH-2 (LAV2 e EHO).

Ambos, abacavir e lamivudina, são metabolizados sequencialmente pelo 5’-trifosfato (TP) respetivo, que é a fração ativa, pelas cinases intracelulares.

A lamivudina-TP e o carbovir-TP (forma trifosfatada ativa do abacavir) são substratos para, e inibidores competitivos da transcriptase reversa (TR) do VIH.

No entanto, pensa-se que a sua principal atividade antivírica consiste na incorporação da forma monofosfatada na cadeia de ADN vírica, resultando no término da cadeia.

Os trifosfatos de abacavir e lamivudina mostram afinidade significativamente inferior para as ADN-polimerases das células do hospedeiro.

A lamivudina tem mostrado ser altamente sinérgica com a zidovudina, inibindo a replicação do VIH em culturas celulares.

O abacavir mostra sinergismo in vitro em associação com amprenavir, nevirapina e zidovudina.

A associação com a didanosina, estavudina e lamivudina tem demonstrado ter efeito aditivo.
Posologia Orientativa
Adultos - Via oral: 600 mg de abacavir + 300 mg de lamivudina (1 comprimido), 1 vez/dia.

Nota: Não administrar a adultos ou adolescentes de peso menos de 40 Kg.

Crianças - Não recomendada a sua utilização em crianças de idade inferior a 12 anos.
Administração
Via oral.
Contraindicações
Ver Abacavir, Gravidez e aleitamento.

IH grave.

IR grave.

Monitorizar a função hepática e a ocorrência de reacções de hipersensibilidade e lamivudina: Gravidez e aleitamento.

Monitorizar a função hepática, pelo menos, de 3 em 3 meses; mensalmente nos doentes submetidos a transplante ou com doença hepática grave.

Ajustar a posologia nos doentes com Clcr < 50 ml/min..

Não utilizar em doentes com Clcr < 50 ml/min.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Ver Abacavir:

Náuseas, vómitos e diarreia.
Fadiga e cefaleias.
Anorexia.
Febre.
Reações alérgicas que podem ser fatais.

e lamivudina:

Náuseas, vómitos, epigastralgias e diarreia.
Mal estar geral e fadiga.
Cefaleias.
Síndrome gripal.
Infeções respiratórias.
Erupções cutâneas e urticária.
Pancitopenia.
Também têm sido descritas neuropatia periférica e hepatotoxicidade, que podem ser graves, particularmente em doentes com infeção pelo VIH.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Todos os trimestres: C - Não há estudos adequados em mulheres. Em experiências animais ocorreram alguns efeitos colaterais no feto, mas o benefício do produto pode justificar o risco potencial durante a gravidez.
Insuf. Hepática
Insuf. Hepática:O abacavir+lamivudina não deve ser tomado em caso de doença hepática.
Precauções Gerais
Deve tomar-se exatamente como prescrito pelo médico.

Não tomar em quantidades maiores ou menores, ou por mais tempo do que o recomendado.

Siga as instruções na etiqueta da prescrição.

Abacavir e lamivudina pode ser tomado com ou sem alimentos.

Este medicamento vem com um guia de medicação e um cartão de aviso que lista os sintomas de uma reacção alérgica.

As informações devem ser lidas com cuidado e o doente deve andar sempre com o cartão de aviso de modo a saber quais os sintomas a procurar.

A medicação deve ser usada regularmente para obter o máximo benefício.

A medicação deve ser reabastecida antes que se esgote completamente.

HIV/Sida é geralmente tratada com uma combinação de medicamentos.

Todos os medicamentos devem ser usados como indicado pelo médico.

Devem ser lidas as instruções ou a guia de medicação do paciente fornecida com cada medicamento.

Não alterar a dose ou horário de medicação sem consultar o médico.

Todas as pessoas com HIV ou SIDA devem permanecer sob os cuidados de um médico.

Se tiver hepatite B pode desenvolver sintomas no fígado após parar de tomar o medicamento, inclusive meses após a interrupção.

O médico pode querer verificar a função hepática durante vários meses após ter interrompido o uso do abacavir e lamivudina.

Deve visitar-se o médico regularmente.
Cuidados com a Dieta
Pode ser tomado com ou sem alimentos.

Evite beber álcool.
Terapêutica Interrompida
Em caso de esquecimento de uma dose de medicamento, esta deve ser tomada assim que se lembrar e continuar como anteriormente.

Não deve ser tomada uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.

É importante tomar regularmente pois a administração irregular poderá aumentar o risco de reação de hipersensibilidade.
Cuidados no Armazenamento
Manter o medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Não conservar acima de 30°C.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Abacavir + Lamivudina + Etanol

Observações: N.D.
Interações: O etanol aumenta as concentrações plasmáticas do abacavir.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Abacavir + Lamivudina + Fenitoína

Observações: N.D.
Interações: A rifampicina, o fenobarbital e a fenítoina podem reduzir as concentrações plasmáticas do abacavir e lamivudina.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Abacavir + Lamivudina + Fenobarbital

Observações: N.D.
Interações: A rifampicina, o fenobarbital e a fenítoina podem reduzir as concentrações plasmáticas do abacavir e lamivudina.

Abacavir + Lamivudina + Foscarneto sódico

Observações: N.D.
Interações: O ganciclovir e o foscarneto sódico não deverão ser coadministrados sem que se consulte informação actualizada.

Abacavir + Lamivudina + Ganciclovir

Observações: N.D.
Interações: O ganciclovir e o foscarneto sódico não deverão ser coadministrados sem que se consulte informação actualizada.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Abacavir + Lamivudina + Isotretinoína

Observações: N.D.
Interações: A Isotretínoina aumenta as concentrações plasmáticas do abacavir.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Abacavir + Lamivudina + Rifampicina

Observações: N.D.
Interações: A rifampicina, o fenobarbital e a fenítoina podem reduzir as concentrações plasmáticas do abacavir e lamivudina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Abacavir + Lamivudina + Trimetoprim

Observações: N.D.
Interações: O cotrimoxazol (trimetoprim) aumenta em cerca de 40% as concentrações plasmáticas da lamivudina.

Ledipasvir + Sofosbuvir + Abacavir + Lamivudina

Observações: Quaisquer interações que tenham sido identificadas com cada uma destas substâncias ativas individualmente podem ocorrer com a associação de Ledipasvir/Sofosbuvir.
Interações: Interações entre Ledipasvir/sofosbuvir e outros medicamentos ANTIVIRICOS ANTI-VIH: INIBIDORES DA TRANSCRIPTASE REVERSA Abacavir/ lamivudina (600 mg/ 300 mg uma vez por dia)/ ledipasvir (90 mg uma vez por dia)/sofosbuvir (400 mg uma vez por dia) Não são necessários ajustes da dose de Ledipasvir/sofosbuvir ou de abacavir/ lamivudina.
Não tome este medicamento se já teve uma reação alérgica ao Epzicom ou a qualquer medicamento que contenha abacavir ou lamivudina, incluindo: Combivir, Epivir, Trizivir ou Ziagen.

Em caso de ter tido uma reação alérgica ao abacavir, este nunca deve ser usado novamente.

Algumas pessoas desenvolvem uma condição que põe a vida em risco, denominada acidose láctica, enquanto tomam abacavir e lamivudina.

Pode estar-se mais propenso a desenvolver acidose láctica se se estiver acima do peso ou sofrer de doença hepática, se for mulher, ou se tiver tomado medicamentos para o HIV ou SIDA durante um longo período de tempo.
Converse com o médico sobre o risco individual.

O abacavir e lamivudina também pode causar efeitos graves, ou que envolvam risco de vida, no fígado.

O abacavir e lamivudina não deve ser tomado em caso de doença hepática.

Não tomar o abacavir e a lamivudina com qualquer um dos seguintes medicamentos para o VIH: Atripla, Combivir, Complera, Emtriva, Epivir, Trizivir, Truvada, Zerit, ou Ziagen.

Para se certificar de que pode tomar com segurança o abacavir e lamivudina, informe o médico em caso de alguma destas condições:
doença renal;
doença cardíaca ou pressão arterial elevada;
um fator de risco para doenças cardíacas, como tabagismo, diabetes ou colesterol alto, ou se tiver usado um medicamento para o HIV no passado, como o abacavir (Ziagen), didanosina (Videx), emtricitabina (Atripla, Complera, Emtriva, Truvada), lamivudina (Combivir, Epivir, Trizivir), estavudina (Zerit), tenofovir (Viread), zalcitabina (Hivid) ou zidovudina (Retrovir).

É possível que seja necessário um exame sanguíneo antes de começar a tomar o abacavir e lamivudina pela primeira vez, ou se se estiver a reiniciar o medicamento após parar por motivos não relacionados a uma reação alérgica.

Na gravidez categoria C da FDA.

Não se sabe se o abacavir e lamivudina prejudica o feto.

O HIV pode ser transmitido ao bebé se a mãe não for tratada adequadamente durante a gravidez.

Informe o médico se estiver grávida ou se planeia engravidar durante o tratamento.

Todos os medicamentos para o VIH devem ser tomados conforme indicado, de modo a controlar a infecção.

Se estiver grávida, o seu nome pode constar de um registo de gravidez. O objectivo é acompanhar o desfecho da gravidez e avaliar quaisquer efeitos do medicamento sobre o bebé.

As mulheres com HIV ou Sida não devem amamentar.

Mesmo se o bebé nascer sem HIV, o vírus pode ser transmitido para este através do leiter materno.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017