Abacavir + Lamivudina + Zidovudina

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
Abacavir / lamivudina / zidovudina (DCI), é uma associação desenvolvida para o tratamento farmacêutico da infeção pelo HIV.

É uma combinação de dose fixa de três inibidores da transcriptase reversa patenteadas pela GlaxoSmithKline e agora comercializado através de uma "joint venture" com a Pfizer, ViiV Healthcare: abacavir, lamivudina, zidovudina.
Usos comuns
Indicado no tratamento da SIDA/HIV.

A combinação de fármacos ajuda a reduzir a resistência do HIV (por mutação) aos fármacos individualmente.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Tratamento de infeções pelo VIH em monoterapia (associação fixa) eventualmente em associação com outros fármacos anti-retrovirais.
Classificação CFT

01.03.01.03 : Análogos nucleosídeos inibidores da transcriptase inversa (reversa)

Mecanismo De Ação
Sem informação.
Posologia Orientativa
A dose habitual em adultos é um comprimido, duas vezes por dia.
Cada comprimido deve ser tomado com intervalos de 12 horas.
Administração
Via oral.
Engula o comprimido inteiro com um pouco de água, sem mastigar.
Este medicamento pode ser tomado com ou sem alimentos.
Contraindicações
Hipersensibilidade às substâncias ativas.
Doentes com doença renal terminal.
Devido à substância ativa zidovudina, é contraindicado em doentes com número de neutrófilos anormalmente baixo (< 0,75 x 109/l) ou níveis de hemoglobina anormalmente baixos (< 7,5 g/dl ou 4,65 mmol/l).
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Efeitos secundários muito frequentes
Estes podem afetar mais de 1 em 10 pessoas:
▪ dores de cabeça
▪ sentir-se enjoado (náuseas)

Efeitos secundários frequentes
Estes podem afetar até 1 em 10 pessoas:
▪ reação de hipersensibilidade
▪ estar enjoado (vomitar)
▪ diarreia
▪ dores de estômago
▪ perda de apetite
▪ sentir-se tonto
▪ cansaço, falta de energia
▪ febre (temperatura elevada)
▪ sensação de mal-estar geral
▪ dificuldade em dormir (insónia)
▪ dores musculares e desconforto
▪ dores nas articulações
▪ tosse
▪ corrimento ou irritação nasal
▪ erupção cutânea
▪ queda de cabelo

Efeitos secundários frequentes que podem surgir nas análises sanguíneas são:
▪ uma contagem de glóbulos vermelhos baixa (anemia) ou uma contagem de glóbulos brancos baixa (neutropenia ouleucopenia)
▪ um aumento no nível das enzimas do fígado
▪ um aumento da quantidade de bilirrubina(uma substância produzida no fígado) que pode fazer a sua pele parecer amarela

Efeitos secundários pouco frequentes
Estes podem afetar até 1 em 100pessoas:
▪ sentir-se com falta de ar
▪ gases (flatulência)
▪ comichão
▪ fraqueza muscular

Um efeito secundário pouco frequente que pode surgir nas análises sanguíneas é:
▪ diminuição do número de células envolvidas na coagulação sanguínea (trombocitopenia), ou em todos os tipos de células vermelhas (pancitopenia)

Efeitos secundários raros
Estes podem afetar até 1 em 1000 pessoas:
▪ doenças do fígado como icterícia, fígado gordoou aumentado, inflamação (hepatite)
▪ acidose láctica (excesso de ácido láctico no sangue)
▪ inflamação do pâncreas (pancreatite)
▪ dores no peito; doença do músculo cardíaco (cardiomiopatia)
▪ espasmos (convulsões)
▪ sentir-se deprimido ou ansioso, não ser capaz de se concentrar, sentir-se sonolento
▪ indigestão, perturbação do paladar
▪ alterações na cor das suas unhas, da sua pele, ou da pele do interior da sua boca
▪ uma sensação do tipo gripe – arrepios e suores
▪ sensação de picadas na pele (alfinetes e agulhas)
▪ sensação de fraqueza dos membros
▪ rutura do tecido muscular
▪ dormência
▪ urinar mais frequentemente
▪ aumento dos seios em homens

Efeitos secundários raros que podem surgir nas análises sanguíneas são:
▪ aumento de uma enzima chamada amilase
▪ falha da produção de novos glóbulos vermelhos pela medula óssea (aplasia pura dos glóbulos vermelhos)

Efeitos secundários muito raros
Estes podem afetar até 1 em 10.000pessoas:
▪ erupção cutânea que pode formar bolhas e assemelhar-se a pequenos alvos (manchas escuras centrais cercadas por uma área mais pálida delimitada por um anel escuro) (eritema multiforme)
▪ uma erupção disseminada com bolhas e exfoliação da pele, particularmente ao redor da boca, nariz, olhos e órgãos genitais (síndrome de Stevens-Johnson), e uma forma mais severa que provoca exfoliação da pele em mais de 30% da superfície do corpo (necrólise epidérmica tóxica)

Se notar algum destes sintomas contate o seu médico imediatamente.

Um efeito secundário muito raro que pode surgir nas análises sanguíneas é:
▪ uma falha da medula óssea na produção de novos glóbulos vermelhos e brancos (anemia aplástica)
Advertências

Sem informação.

Precauções Gerais
O paciente deve ter cuidado para não tomar quaisquer outros medicamentos para o HIV que contenham abacavir, lamivudina ou zidovudina.

Deve aconselhar-se o paciente a rever a guia de medicação antes de iniciar a terapia e a ler e verificar se existem novas informações de cada vez que a medicação é recarregada.

Deve aconselhar-se o paciente a rever, e levar sempre consigo, o Cartão Aviso que resume os sintomas da reação de hipersensibilidade ao abacavir.

Deve avisar-se o paciente que o medicamento pode ser utilizado sozinho ou em combinação com outros fármacos para o VIH. Instruir o paciente a tomar outros medicamentos para o VIH de que deve continuar a tomá-los como prescrito pelo médico.

Instruir o paciente a tomar exatamente como prescrito e não mudar a dose ou interromper o tratamento, a menos que aconselhado pelo médico.

Instruir o paciente a tomar 1 comprimido duas vezes ao dia, independentemente das refeições mas, se ocorrerem dores de estômago, com as refeições.

Instruir o paciente para interromper o uso e notificar imediatamente o profissional de saúde se ocorrerem dois ou mais dos seguintes sintomas: (1) febre, (2 ) erupções, (3) diarreia, náuseas, dor na área do estômago, ou vómitos; (4) dores, cansaço extremo, ou desconforto corporal generalizado, (5) tosse, falta de ar ou dor de garganta.

Avisar o paciente para não reiniciar este, ou qualquer outro, medicamento contendo abacavir se experimentar uma reação de hipersensibilidade.

Explique ao paciente que reiniciar abacavir ou um produto contendo abacavir pode causar uma reação mais grave, e possivelmente fatal.

Avisar o paciente que se a terapia for interrompida por alguns dias, por outras razões que não uma reação de hipersensibilidade (por exemplo, interrupção no fornecimento de medicamentos), e depois for reiniciada, existe o risco de sofrer uma reação de hipersensibilidade grave ou fatal.

Deve aconselhar-se o paciente a conversar com o médico antes de reiniciar a medicação por conta própria. Em caso de o profissional de saúde afirmar que pode tomar a medicação novamente, o paciente deve iniciar a toma na presença de ajuda médica ou de pessoas que podem chamar um médico, se necessário.

Avisar o paciente que a medicação pode causar uma condição rara, mas grave, denominada acidose láctica com aumento do fígado que apresenta como sintomatologia uma profunda fraqueza ou cansaço; desconforto inesperado no estômago, arrepios de frio, tonturas, ou cabeça leve, batimento cardíaco lento ou irregular. O paciente deve informar imediatamente o médico em caso de experimentar estes sintomas.

Avisar o paciente que tiver uma infecção concomitante com HBV que a sua hepatite pode piorar se a terapia for interrompida e que a sua função hepática deve ser seguida de perto durante vários meses após a interrupção da medicação. Avisá-lo da possibilidade de precisar de começar a tomar medicamentos anti- HBV.

Avisar o paciente que a medicação pode causar alterações na distribuição de gordura corporal (por exemplo, aumento da quantidade de gordura na parte superior das costas e pescoço, seios, e à volta das costas, peito e na área do estômago, perda de gordura dos braços, pernas e face) e que as causas e efeitos a longo prazo dessas mudanças na saúde ainda se desconhecem. Aconselhar o paciente a relatar as mudanças na distribuição de gordura corporal ao profissional de saúde.

Avisar o paciente que o uso prolongado pode causar fraqueza muscular e aconselhá-lo a relatar imediatamente o facto ao profissional de saúde se o notar ou suspeitar.

Informar o paciente de que o medicamento não elimina completamente o vírus HIV nem reduz o risco de transmissão do VIH através do contacto sexual ou contaminação sanguínea. Informar o paciente que as precauções adequadas devem continuar a ser seguidas.

Avisar o paciente que a droga não é uma cura para a infecção pelo HIV, podendo continuar a contrair doenças associadas à infecção pelo VIH, incluindo infeções oportunistas, devendo por isso permanecer sob os cuidados de um profissional de saúde.

Avisar a mãe de que não deve amamentar o seu bebé por causa do risco de transmissão do vírus HIV, e do potencial de reações adversas graves da medicação transmitidos para a criança através do leite materno.
Cuidados com a Dieta
A administração de abacavir / lamivudina / zidovudina com alimentos não alterou a amplitude da absorção de abacavir, lamivudina, zidovudina (AUC), em comparação com a administração sob condições de jejum.

Evitar beber álcool. Pode aumentar o risco de lesões no fígado.
Terapêutica Interrompida
Caso se esqueça de tomar uma dose de medicamento, deve tomá-la assim que se lembrar e continuar como anteriormente. Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Mantenha todos os medicamentos fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu médico, enfermeiro ou farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Abacavir + Lamivudina + Zidovudina + Etanol

Observações: N.D.
Interações: O etanol e a isotretínoina aumentam as concentrações plasmáticas do abacavir. - Etanol
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Abacavir + Lamivudina + Zidovudina + Isotretinoína

Observações: N.D.
Interações: O etanol e a isotretínoina aumentam as concentrações plasmáticas do abacavir. - Isotretinoína
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Abacavir + Lamivudina + Zidovudina + Rifampicina

Observações: N.D.
Interações: A rifampicina, o fenobarbital e a fenítoina podem reduzir as concentrações plasmáticas do abacavir, lamivudina. A rifampicina reduz significativamente as concentrações plasmáticas da zidovudina. - Rifampicina
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Abacavir + Lamivudina + Zidovudina + Fenobarbital

Observações: N.D.
Interações: A rifampicina, o fenobarbital e a fenítoina podem reduzir as concentrações plasmáticas do abacavir, lamivudina. - Fenobarbital
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Abacavir + Lamivudina + Zidovudina + Fenitoína

Observações: N.D.
Interações: A rifampicina, o fenobarbital e a fenítoina podem reduzir as concentrações plasmáticas do abacavir, lamivudina. - Fenitoína
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Abacavir + Lamivudina + Zidovudina + Trimetoprim

Observações: N.D.
Interações: O cotrimoxazol (trimetoprim) aumenta em cerca de 40% as concentrações plasmáticas da lamivudina. A co-administração de cotrimoxazol aumenta o risco de aparecimento de anemia e neutropenia. - Trimetoprim
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Abacavir + Lamivudina + Zidovudina + Ganciclovir

Observações: N.D.
Interações: O ganciclovir e o foscarneto sódico não deverão ser coadministrados sem que se consulte informação actualizada e zidovudina. A administração concomitante de anfotericina B, dapsona, flucitosina, pentamidina e ganciclovir aumenta o risco de mielossupressão. - Ganciclovir
Consultar informação actualizada

Abacavir + Lamivudina + Zidovudina + Foscarneto sódico

Observações: N.D.
Interações: O ganciclovir e o foscarneto sódico não deverão ser coadministrados sem que se consulte informação actualizada e zidovudina. - Foscarneto sódico
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Abacavir + Lamivudina + Zidovudina + Anfotericina B

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante de anfotericina B, dapsona, flucitosina, pentamidina e ganciclovir aumenta o risco de mielossupressão. - Anfotericina B
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Abacavir + Lamivudina + Zidovudina + Dapsona

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante de anfotericina B, dapsona, flucitosina, pentamidina e ganciclovir aumenta o risco de mielossupressão. - Dapsona
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Abacavir + Lamivudina + Zidovudina + Flucitosina

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante de anfotericina B, dapsona, flucitosina, pentamidina e ganciclovir aumenta o risco de mielossupressão. - Flucitosina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Abacavir + Lamivudina + Zidovudina + Pentamidina

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante de anfotericina B, dapsona, flucitosina, pentamidina e ganciclovir aumenta o risco de mielossupressão. - Pentamidina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Abacavir + Lamivudina + Zidovudina + Sulfadiazina

Observações: N.D.
Interações: A administração simultânea de sulfadiazina/pirimetamina eleva as concentrações de zidovudina, aumentando o risco de ocorrência de toxicidade medular; o efeito da pirimetamina é reduzido pela zidovudina. - Sulfadiazina
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Abacavir + Lamivudina + Zidovudina + Pirimetamina

Observações: N.D.
Interações: A administração simultânea de sulfadiazina/pirimetamina eleva as concentrações de zidovudina, aumentando o risco de ocorrência de toxicidade medular; o efeito da pirimetamina é reduzido pela zidovudina. - Pirimetamina
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações do Abacavir + Lamivudina + Zidovudina
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Este medicamento e outros similares podem causar efeitos secundários nos fetos. Nas crianças cujas mães tomaram NRTIs durante a gravidez, o benefício da menor possibilidade de infeção pelo VIH é superior ao risco de sofrerem efeitos secundários.

As mulheres que são VIH positivas não devem amamentar porque a infeção pelo VIH pode ser transmitida ao bebé através do leite materno. Uma pequena quantidade dos componentes deste medicamento pode também passar para o leite materno.

Este medicamento pode provocar tonturas e outros efeitos secundários que o tornam menos alerta. Não conduza nem utilize máquinas a menos que se sinta bem.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 08 de Setembro de 2020