TERMAS, A ALTERNATIVA SANUM PER AQUAM

100


TERMAS, A ALTERNATIVA SANUM PER AQUAM

  Tupam Editores

Com a evolução do conceito de saúde, que actualmente significa "um estado de completo bem-estar", as pessoas estão cada vez mais a valorizá-la, tendo vindo a adoptar estilos de vida progressivamente mais saudáveis. Consequentemente, a sociedade passou a ter uma nova dinâmica, nomeadamente na área do turismo de saúde, uma das áreas turísticas em franco crescimento, em particular no espaço europeu.

Uma das vertentes do turismo de saúde é o termalismo, uma prática ancestral, que sempre esteve ligada ao tratamento de várias afecções, o denominado termalismo clássico, mas que agora disponibiliza várias técnicas termais para prevenir problemas de saúde, reduzir o stress e os problemas que dele advêm e manutenção, favorecendo o bem-estar físico e psicológico do utente.

Deste modo, as termas estão a tornar-se lugares de relaxamento e rejuvenescimento por excelência.

Consideram-se águas termais ou mineromedicinais aquelas que nascem no interior da Terra e que emergem espontaneamente ou mediante captação e cujas características físico-químicas – potente ionização, mineralização, radioactividade, gases e variações de pH – podem ter efeitos terapêuticos.

Apesar de não terem sido desenvolvidos muitos estudos que postulem os efeitos benéficos do termalismo – terapia através da água – não existe qualquer dúvida de que é fonte de bem-estar, tendo sido considerado pela Organização Mundial de Saúde como um tratamento coadjuvante, válido, para múltiplas afecções.

Entre as propriedades terapêuticas das águas destacam-se as suas capacidades analgésicas e calmantes, de depuração sanguínea, eliminando as toxinas, de reactivação do metabolismo, de redução do sistema termorregulador, de relaxamento muscular, tonificantes e reconstrutoras.

A chave deste sucesso baseia-se no jogo entre a tensão/relaxamento e actividade/repouso. Os minerais da água são absorvidos em pequenas quantidades através da pele (na maioria das vezes), sendo em seguida depositados no tecido celular subcutâneo, área onde inciciam a activação do metabolismo orgânico através do eixo hipotálamo-hipofisário-suprarrenal.

Dependendo das características de mineralização e das técnicas hidrológicas de cada estância termal, na maioria dos locais podemos usufruir das principais técnicas hidroterapêuticas externas (balneoterapia e fisioterapia) e internas (ventiloterapia, balneoterapia e ingestão).

As técnicas hidroterapêuticas externas mais utilizadas são os banhos de imersão – o termalista imerge numa banheira de água parada para usufruir dos benefícios da temperatura da água e dos seus componentes minerais –, de hidromassagem – o termalista é massajado através de jactos de água que jorram das paredes da banheira, controlados por via electrónica –, o duche Vichy com massagem – o utente está deitado em decúbito ventral e sob duches de água termal é-lhe aplicada uma massagem –, o subaquático – realizado em banheira de água termal, é direccionado um jacto de água submerso para a zona a tratar –, o escocês – tem como objectivo a revitalização, tonificação muscular, estimulando a circulação e actuando contra a celulite –, o lombar – tem como objectivo o alívio das dores musculares –, o aix – permite uma relaxamento profundo através da associação dos benefícios das águas termais com os da massagem –, o circular – o termalista recebe água de vários chuveiros em todo o corpo com a excepção da cabeça e dos pés.

As técnicas de fisioterapia são a massagem sueca geral – é aplicada ao corpo todo e tem como objectivo provocar efeitos reflexos, mecânicos e estimulantes – e a massagem manual parcial – é aplicada a uma determinada zona do corpo.

As técnicas hidroterapêuticas internas caracterizam-se pela ingestão de água e gargarejos – o termalista usufruiu, mediante prescrição médica, das propriedades físico-químicas da água termal –, inalação – insere-se na ventiloterapia, na qual o termalista inala água termal transformada em vapor – enteróclise – aplicação de água termal através de um clister – irrigação – aplicação de água em forma de duche nas zonas a serem tratadas, entre outras, zona vaginal, rectal (semicúpio) ou nasal (ventiloterapia).

As termas portuguesas estão cada vez mais dinâmicas. Adaptando-se aos novos tempos, oferecem em simultâneo serviços de termalismo clássico e de bem-estar (estético, físico, psicológico), permitindo às pessoas fugir do stress e dos problemas diários, refugiando-se em lugares idílicos, descontraídos, geralmente rodeados de uma grande riqueza paisagística e arquitectónica.

Iniciaremos a nossa viagem termal, sentido Norte-Sul, parando em apenas algumas das muitas termas de Portugal, um percurso trilhado desde há muito pelos nossos antepassados.

As termas Caldas do Gerês, imersas no luxuriante parque Nacional da Peneda-Gerês, têm as águas mais fluoretadas de Portugal e da Europa, sendo igualmente hipertermais, bicarbonatadas, sódicas, hipossalinas, líticas e siliciosas.

SPA I

Estas são indicadas para o tratamento de afecções do aparelho digestivo (fígado, bílis), circulatório (hipertensão arterial) e doenças metabólico-endócrinas (diabetes e obesidade) para a gota e cálculos renais. As principais técnicas termais aqui disponibilizadas, são a ingestão de água, duches de jacto, escocês, circular, Vichy, banho de imersão, subaquático, bolha de ar, sauna, banho turco (vapor) e inalações. Dispõe ainda de serviços fisioterapêuticos.

As águas das termas de Caldelas, utilizadas desde o tempo dos romanos, são hipossalinas, fluoretadas, com reacção alcalina e macia, apresentando um pH de 8,05 e uma mineralização de 134,5 mg/l. São indicadas para tratar doenças do aparelho digestivo (cólon irritável, obstipação, disfunções da vesícula biliar; dispepsias e flatulências), reumáticas (reumatismo degenerativo e peri-articular), do aparelho respiratório (rinite atópica e asma brônquica) e algumas dermatoses crónicas (insuficiência venosa dos membros inferiores e hemorróidas, vaginites crónicas e colibaciloses.)

As principais técnicas termais aqui utilizadas são ingestão de água, banho de imersão simples ou com duche subaquático, enteróclises, gota a gota, duche jacto, circular, Vichy, piscina termal, várias massagens, inalações e irrigações nasais, pulverização, nebulização, banho turco e exfoliação.

As termas de Alcafache, de natureza sulfurosa, são indicadas para doenças músculo-esqueléticas (reumatismos crónicos, osteoporoses, espondilartroses, coxartroses, gonartroses, ciatalgias), recuperação de dificuldades motoras por acidentes ou no pós-operatório ortopédico, afecções do foro pneumológico e otorrinolaringológico (rinites, sinusites, faringites, bronquites crónicas e asmáticas) e curas de desintoxicação (anti-stress e antifadiga).

As técnicas termais disponíveis são: banho de imersão com hidromassagem e bolha de ar, duche de agulheta, Vichy, Vapor parcial na coluna, mãos e pés, aerosol, pulverização, irrigações nasais, entre outras.

As termas de S. Pedro do Sul tem uma água termal "fracamente mineralizada, "doce", com reacção muito alcalina, bicarbonatada, sódica, carbonatada, fluoretada, sulfidratada e fortemente silicatada. A mineralização total é de 355 mg/l, a sulfuração total é de 22, a alcalinidade total é de 23 e a dureza é de 0,8. Na emergência, a sua temperatura é de 68,7º C, pH 8,82 a 18º C.

Estas águas são indicadas para afecções das vias respiratórias, afecções reumáticas e músculo-esqueléticas, doenças metabólico-endócrinas e medicina física e reabilitação.

Dispõem de técnicas de imersão geral, aerobanho, hidromassagem, vapor parcial duche geral, de jacto, de irrigação nasal, inalação, emanatório, nebulização, fisioterapia e piscinas termais, entre outras.

As águas das termas do Luso são utilizadas para curas de diurese e para o apoio no tratamento de litíase e insuficiência renal, hipertensão arterial, doenças respiratórias, doenças metabólicas, reumatismo e afecções do aparelho locomotor e patologias dérmicas.

As principais técnicas terapêuticas são a hidromassagem, duches Vichy e de agulheta, bertholet à coluna, mãos e pés, aerossóis, emanatório e piscinas de água termal para recuperação física e locomotora.

O Hospital Termal Rainha D. Leonor é o nosso motivo de orgulho, uma vez que é o primeiro hospital termal do mundo, tendo sido mandado construir pela Rainha D. Leonor em 1485.

As águas destas termas são sulfúreas, cálcicas e cloretadas. Brotam a uma temperatura média de 34,5 graus e são capazes de produzir substâncias semelhantes aos corticóides, sendo especialmente indicadas no tratamento de perturbações no aparelho locomotor, das vias aéreas superiores e patologias dermatológicas.

As termas de Monfortinho oferecem serviços para tratar doenças de pele (psoríase, eczemas, acne, celulite e úlceras), doenças hepato-vesiculares (gastrites, úlceras pépticas, colites espásticas, diverticuloses, síndromes hemorroidárias), doenças reumáticas (artrose, espondilose, tendinite, fibromialgia), doenças das vias respiratórias (rinite e sinusite) e litíase renal.

As principais técnicas utilizadas são o duche escocês, circular, subaquático, aix, as hidromassagens, a piscina termal, banhos bolha de ar, solário e a hidropressoterapia.

As termas do Vimeiro são indicadas para doenças de pele (dermatites e eczemas atróficos, acne e eczema, dermatoses crónicas e quelóides em cicatrizes), do aparelho digestivo (esófago-gastroduodenais, colites e patologias hepato-biliares) do aparelho circulatório (varizes, hemorróidas, hipertensão arterial e enxaquecas), aparelho respiratório (rinofaringites e sinusites, laringites, asma e bronquite crónicas).

Os principais tratamentos são a ingestão de águas, banho de imersão, hidromassagem, duche subaquático, Vichy, escocês, lombar, circular, irrigação ginecológica e nasal, aerossol, massagem sueca geral e massagem manual parcial.

Sanum per Aquam, vulgo SPA, tem vindo a tonar-se um destino de férias para os portugueses, quer como alternativa, quer como complemento. A frequência de uma estância termal, independentemente da eventual prescrição médica, é benéfica para o corpo e para a alma.

O indíviduo goza de um período de repouso/actividade, de uma alimentação saudável, de ar mais puro, das técnicas de balneoterapia, condições ideais para voltar ao mundo real com forças retemperadas e com a mente e corpo rejuvenescidos.

Ver mais:
ÁGUA, O NUTRIENTE DA VIDA
ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS, PELA SUA SAÚDE, É URGENTE AGIR!
SPA, SALUS PER AQUAM


ARTIGO

Autor:
Tupam Editores

Última revisão:
07 de Junho de 2017

Referências Externas:

Relacionados

ÓLEOS ESSENCIAIS - Um prazer da terra!

Os óleos essenciais acompanham-nos há milénios. As civilizações mais antigas foram as primeiras a usufruir das suas infinitas propriedades. Os gregos e os romanos utilizavam-nos na elaboração de banho...

Destaques

CONHECE O PODER DO SORRISO?

Dias cansativos, trabalho que nunca mais acaba, stress, correrias, casa para arrumar, filhos para acompanhar, contas para pagar, para além daqueles problemas ou situações mais negativas que, por vezes...

BIOTECNOLOGIA: A ALQUIMIA DOS TEMPOS MODERNOS

O toque de alvorada da indústria da biotecnologia soou quando se realizaram as primeiras experiências de splicing genético, isto é, a modificação da informação genética do DNA para o RNA após a transc...
0 Comentários