Similares Químicos

Produtos com a mesma molécula e do mesmo Grupo Terapêutico

Similares Terapêuticos

Produtos do mesmo Grupo Terapêutico

XEOMIN

Toxina botulínica A

MERZ
Medicamento com Advertência na Gravidez Medicamento com Advertência no Aleitamento Medicamento Sujeito a Receita Médica(MSRM) Clique para ver o Resumo de Grupo: XEOMIN
O que é
A toxina botulínica A melhora temporariamente a aparência das linhas de expressão moderadas a graves e linhas ao redor dos olhos (pés de galinha) em adultos.

Também pode ser usado para outras condições, por determinação do médico.

A Toxina botulínica tipo A é uma neurotoxina.

Funciona através do bloqueio de impulsos nervosos para os músculos ou glândulas sudoríparas, paralisando temporariamente o músculo ou glândula.
Usos comuns
Enquanto se aguarda a revisão, o material nesta seção devem ser considerados à luz da mais recente informação disponível na notificação MedWatch no início da monografia.

A Toxina botulínica A (Botox, Botox Cosmetic) e tipo B (Myobloc) atualmente estão disponíveis comercialmente em os EUA; tipos C e F supostamente sob investigação clínica em outros países.
Tipo
Sem informação.
Indicações
Distonias faciais: blefaroespasmo, distonia cervical; hemiespamo facial; espasticidade do membro superior (pulso e mão) associada a AVC; espasticidade associada a deformação do pé equino dinâmico em doentes com paralisia cerebral.
Classificação CFT

2.3.2 : Ação periférica

Mecanismo de ação
A toxina botulínica do tipo A bloqueia a libertação periférica da acetilcolina nas terminações nervosas colinérgicas pré-sinápticas clivando a SNAP-25, uma proteína integral para uma ligação bem sucedida e libertação da acetilcolina das vesículas localizadas dentro das terminações nervosas.

Após a injeção, verifica-se uma ligação inicial rápida de elevada afinidade da toxina aos recetores específicos da superfície celular.

Segue-se depois a transferência da toxina através da membrana plasmática por endocitose mediada pelos recetores.

Por último, a toxina é libertada no citosol.

Este último processo é acompanhado pela inibição progressiva da libertação da acetilcolina, manifestando-se os sinais clínicos ao fim de 2 a 3 dias, sendo o seu efeito máximo observado ao fim de 5 a 6 semanas após a injeção.

A recuperação após injeção intramuscular verifica-se normalmente num período de 12 semanas após a injeção, à medida que novos terminais nervosos se desenvolvem e se voltam a ligar às placas terminais.

Após injeção intradérmica, em que o alvo é as glândulas sudoríparas écrinas, o efeito durou em média 7,5 meses após a primeira injeção nos doentes tratados com 50 Unidades por axila.

Contudo, em 27,5% dos doentes a duração do efeito foi de um ano ou mais.

Não foi estudada a recuperação dos terminais nervosos simpáticos que enervam as glândulas sudoríparas após injeção intradérmica com Toxina botulínica A.

Após a injeção no músculo detrusor, a Toxina botulínica A afeta as vias eferentes da atividade do detrusor através da inibição da libertação de acetilcolina.

Adicionalmente, a Toxina botulínica A pode inibir os neurotransmissores aferentes e as vias sensoriais.
Posologia orientativa
A administração é titulada de acordo com a patologia, número de músculos a injetar, volume dos músculos e resposta anterior.

As unidades de potência de cada formulação são específicas dessa formulação.
Administração
Sem informação.
Contraindicações
Não há contraindicações absolutas exceto a hipersensibilidade aos componentes da formulação.

A existência de doenças que diminuam a força muscular constitui contraindicação relativa.
Efeitos indesejáveis/adversos
A maioria das reações adversas são locais e dependem da difusão passiva da toxina para músculos adjacentes ao injetado.

Assim pode ocorrer ptose palpebral, assimetria da face, disfagia, visão turva.

Raramente ocorrem efeitos sistémicos tais como síndrome gripal, diminuição da força muscular em grupos musculares distantes do local da injeção.
Advertências
Gravidez
Gravidez:
Gravidez:Evitar, a menos que seja essencial; toxicidade em estudos animais. Evidência fetal em animais, mas a necessidade pode justificar o risco.
Aleitamento
Aleitamento:
Aleitamento:Recomenda-se evitar.
Precauções gerais
Informe o seu médico se:

- tiver tido anteriormente quaisquer problemas com injeções (como por exemplo, desmaios);

- tiver uma inflamação nos músculos ou na área da pele onde o seu médico pretende dar a injeção;

- tiver uma fraqueza significativa ou perda no(s) músculo(s) onde o seu médico pretende dar a injeção;

- tiver tido problemas ao nível da deglutição, ou se, acidentalmente ocorrer a passagem de líquido ou comida para os pulmões, especialmente se vai ser tratado aos espasmos musculares persistentes no pescoço e ombros;

- sofrer de quaisquer outros problemas musculares ou doenças crónicas que afetam os músculos (tal como miastenia gravis ou Síndrome de Eaton Lambert);

- sofrer de algumas doenças que afetam o seu sistema nervoso (tal como a esclerose amiotrófica lateral ou neuropatia motora);

- sofrer de uma doença nos olhos chamada glaucoma de ângulo fechado (pressão elevada no olho) ou se lhe tiver sido dito que está em risco de desenvolver este tipo de glaucoma;

- tiver realizado uma cirurgia ou tiver tido uma lesão que possa ter alterado de alguma maneira o músculo que vai ser injetado;

- o seu tratamento para a bexiga hiperativa com perda de urina estiver próximo e se for homem com sinais e sintomas de obstrução urinária, tais como dificuldade na passagem de urina ou um fluxo fraco ou intermitente de urina.

Depois de lhe ter sido administrado Toxina botulínica A:

Contacte imediatamente o seu médico e procure ajuda médica se sentir algum dos seguintes efeitos:

- Dificuldades em respirar, engolir ou falar;
- Urticária, inchaço incluindo inchaço da cara ou garganta, respiração ruidosa (pieira), sensação de desmaio e falta de ar (possíveis sintomas de reação alérgica grave).

Precauções gerais:
- Se Toxina botulínica A for administrado muito frequentemente ou se a dose for demasiado elevada, o seu corpo poderá começar a desenvolver alguns anticorpos, que poderão reduzir o seu efeito.

- Se antes do tratamento com Toxina botulínica A não tiver feito muito exercício durante algum tempo, depois das injeções deverá começar gradualmente qualquer atividade.

É improvável que este medicamento melhore a mobilidade das articulações quando os músculos adjacentes tenham perdido a sua capacidade de alongamento.

Quando Toxina botulínica A é utilizado no tratamento de espasmos musculares persistentes na pálpebra, pode fazer com que os seus olhos pestanejem com menor frequência, o que poderá danificar a superfície dos seus olhos.

Para prevenir isso, pode necessitar de um tratamento com um colírio, pomada, lentes de contacto moles ou mesmo uma cobertura de proteção que feche o olho.

O seu médico informá-lo-á, caso seja necessário:
Quando Toxina botulínica A é utilizado para controlar a perda de urina, o seu médico irá prescrever-lhe antibióticos antes e depois do tratamento, de forma a ajudar a prevenir uma infeção das vias urinárias.

Se não estiver a usar um cateter antes da injeção, será visto pelo seu médico aproximadamente 2 semanas após a injeção.

Ser-lhe-á pedido para urinar, sendo em seguida efetuada uma medição do volume de urina restante na bexiga através de ecografia.

O médico decidirá se terá ou não de repetir o mesmo exame durante as 12 semanas seguintes.

Deverá contactar o seu médico se, em qualquer momento, deixar de conseguir urinar uma vez que existe a possibilidade de ter de começar a usar um cateter.

Aproximadamente um terço dos doentes com perda de urina devido a problemas na bexiga associados a lesão na espinal medula ou a esclerose múltipla, que não usavam um cateter antes do tratamento, poderão ter de usar um cateter após o tratamento.

Aproximadamente 6 em 100 doentes com perda de urina devido a bexiga hiperativa poderão ter de usar um cateter após o tratamento.

Ao utilizar Toxina botulínica A com outros medicamentos:
- estiver a tomar antibióticos (usados para tratamento de infeções), medicamentos anticolinesterásicos, medicamentos que controlam o ritmo do seu coração ou relaxantes musculares.

Alguns destes medicamentos podem aumentar o efeito de Toxina botulínica A.

- está a tomar qualquer medicação antiplaquetária (medicamentos semelhantes à aspirina) e/ou anticoagulantes (medicamentos que tornam o sangue mais fluido).

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

- Não é recomendado durante a gravidez
- Não é recomendado em mulheres a amamentar
Cuidados com a dieta
Sem informação.
Resposta à overdose
Procurar atendimento médico de emergência ou ligar para o Centro de intoxicações.
Terapêutica interrompida
Não utilize uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de aplicar/tomar.
Cuidados no armazenamento
Guarde os frascos fechados na geladeira 2° a 8°C por até 24 meses ou 36 meses.

Toxina botulínica A pode ser armazenada a 20° a 25° C, num frigorífico a 2° a 8° C, ou num congelador a -20° a -10° C durante até 36 meses.

Solução reconstituída pode ser armazenada por até 4 horas se refrigerado.

Não congelar solução reconstituída.
Espectro de susceptibilidade e tolerância bacteriológica
Sem informação.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Tobramicina + Toxina botulínica A

Observações: N.D.
Interações: Outros medicamentos que foram relatados como aumentando a potencial toxicidade dos aminoglicosidos administrados por via parentérica, incluem: Anfotericina B, cefalotina, ciclosporina, tacrolimus, polimixinas (risco de nefrotoxicidade aumentada); Compostos de platina (risco de nefrotoxicidade e ototoxicidade aumentado); Anticolinesterases, toxina botulínica (efeitos neuromusculares).
Usar com precaução

Toxina botulínica A + Aminoglicosídeos

Observações: Não foram realizados estudos de interação. Não foram referidas outras interações de importância clínica.
Interações: O tratamento concomitante de Toxina botulínica A com aminoglicosídeos ou com outros agentes que interfiram com a transmissão neuromuscular (por exemplo, agentes tipo curare) deve ser feito sempre com precaução, uma vez que o efeito da toxina botulínica A pode ser potenciado.

Toxina botulínica B + Toxina botulínica A

Observações: N.D.
Interações: Desconhece-se qual é o efeito da administração simultânea de diferentes serotipos de neurotoxina botulínica. Contudo, em estudos clínicos, Toxina botulínica B foi administrada 16 semanas após a injeção da Toxina Botulínica do Tipo A.
Usar com precaução

Toxina botulínica A + Produtos/Medicamentos à base de plantas (Fitoterapêuticos)

Observações: Não foram realizados estudos de interação. Não foram referidas outras interações de importância clínica.
Interações: O tratamento concomitante de Toxina botulínica A com aminoglicosídeos ou com outros agentes que interfiram com a transmissão neuromuscular (por exemplo, agentes tipo curare*) deve ser feito sempre com precaução, uma vez que o efeito da toxina botulínica A pode ser potenciado. * (Curare é um nome comum a vários compostos orgânicos venenosos conhecidos como venenos de flecha, extraídos de plantas)
Interações da Toxina botulínica A
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 31 de Outubro de 2019