Similares Químicos

Produtos com a mesma molécula e do mesmo Grupo Terapêutico

Similares Terapêuticos

Produtos do mesmo Grupo Terapêutico

Perindopril + Amlodipina

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Insuficiência Renal DCI com Advertência na Condução
O que é
O Perindopril é um IECA (inibidor da enzima de conversão da angiotensina).

A Amlodipina é um antagonista do cálcio (que pertence a uma classe de medicamentos
chamada dihidropiridinas).

Em associação, trabalham para dilatar e relaxar os vasos sanguíneos permitindo assim que o sangue os atravesse melhor e facilitando a manutenção dum bom fluxo sanguíneo pelo coração.
Usos comuns
Tratamento da pressão arterial alta (hipertensão) e/ou tratamento da doença coronária arterial estável (uma situação em que o fornecimento de sangue ao coração está reduzido ou bloqueado).
Tipo
Sem informação.
Indicações
Indicado como terapêutica de substituição para o tratamento da hipertensão arterial essencial e/ou doença coronária arterial estável.
Classificação CFT

03.04.02.01 : Inibidores da enzima de conversão da angiotensina

Mecanismo de ação
O perindopril é um inibidor da enzima que converte a angiotensina I em angiotensina II (Enzima de Conversão da Angiotensina - ECA).

A enzima de conversão, ou cinase, é uma exopeptidase, que permite a conversão da angiotensina I na substância vasoconstritora, angiotensina II, provocando simultaneamente a degradação da substância vasodilatadora bradicinina num heptapéptideo inativo.

A inibição da ECA resulta numa redução da angiotensina II no plasma, que conduz ao aumento da atividade da renina plasmática (por inibição do “feedback” negativo sobre a libertação de renina) e à redução da secreção de aldosterona.
Uma vez que a ECA inativa a bradicinina, a inibição da ECA também resulta numa atividade aumentada dos sistemas calicreíno-cinina circulantes e locais (ativando também o sistema das prostaglandinas).

É possível que este mecanismo contribua para a ação hipotensora dos IECAs e seja parcialmente responsável por alguns dos seus efeitos indesejáveis (p.e. a tosse).
O perindopril atua através do seu metabolito ativo, o perindoprilato. Os outros metabolitos não exercem um efeito inibitório da atividade da ECA in vitro.
Posologia orientativa
Um comprimido por dia, numa toma, de preferência de manhã e antes de uma refeição.
Administração
Via oral.
Contraindicações
Ligadas ao perindopril: Hipersensibilidade ao perindopril ou a qualquer outro IECA; Antecedentes de angioedema associado a uma terapêutica prévia com IECAs; Angioedema hereditário ou idiopático; Segundo e terceiro trimestres da gravidez.

Ligadas à amlodipina:
Hipotensão grave, Hipersensibilidade à amlodipina ou derivados das dihidropiridinas, Choque, incluindo choque cardiogénico, Obstrução do infundíbulo de saída do ventrículo esquerdo (por ex. grau de estenose aórtica elevado).

Insuficiência cardíaca hemodinamicamente instável após enfarte agudo do miocárdio.
Efeitos indesejáveis/adversos
Como todos os medicamentos, Perindopril + Amlodipina pode causar efeitos secundários, no entanto estes não se manifestam em todas as pessoas.

Se sentir algum dos seguintes efeitos, pare de tomar o medicamento e fale imediatamente com o seu médico: dificuldade respiratória súbita, dor no peito, falta de ar ou dificuldade em respirar inchaço das pálpebras, da face, ou lábios, inchaço da língua e garganta, que pode provocar grandes dificuldades para respirar, reações cutâneas graves, incluindo erupção cutânea intensa, urticária, vermelhidão da pele ao longo de todo o seu corpo, comichão intensa, bolhas, descamação e inchaço da pele, inflamação das membranas mucosas (Síndrome de Stevens-Johnson) ou outras reações alérgicas.

Tonturas graves ou desmaio, ataque cardíaco, batimentos cardíacos rápidos ou anormais, inflamação do pâncreas que pode causar dor grave abdominal e nas costas acompanhada de sensação de mal-estar.

Os efeitos indesejáveis frequentes seguintes foram notificados.

Se algum destes efeitos lhe provocar problemas ou durar mais de uma semana, deverá falar com o seu médico.

Efeitos secundários frequentes (ocorre em menos de 1 em 10 utilizadores mas mais de 1 em 100 utilizadores): dor de cabeça, tonturas, sonolência (especialmente no início do tratamento), vertigens, sensação de formigueiro ou adormecimento nos seus membros, perturbações da visão (incluindo visão dupla), zumbidos (sensação de campainhas nos ouvidos), palpitações (consciência do seu batimento cardíaco), rubor, sensação de cabeça oca devido à pressão arterial baixa, tosse, dificuldade em respirar, náuseas (sensação de mal-estar), vómitos, dor abdominal, alterações do paladar, dispepsia ou dificuldade de digestão, diarreia, obstipação, reações alérgicas (tais com reação cutânea, comichão), cãibras musculares, fadiga, cansaço, inchaço dos tornozelos (edema), Outros efeitos secundários que tenham sido reportados foram incluídos na lista seguinte.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detetar quaisquer efeitos secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

Efeitos secundários pouco frequentes (ocorre em menos de 1 em 100 utilizadores mas mais de 1 em 1.000 utilizadores): alterações do humor, ansiedade, depressão, insónias, distúrbios do sono, tremores, desmaio, perda de sensação à dor, rinite (obstrução nasal ou a escorrer), alteração dos hábitos intestinais, queda de cabelo, manchas vermelhas na pele, descoloração da pele, dor de costas, dos músculos ou das articulações, dor no peito, alterações na passagem da urina, aumento da necessidade de urinar à noite, aumento do número de vezes que urina, dor, má disposição, broncospasmo (aperto no peito, respiração ofegante e fraca), boca seca, angioedema (sintomas tais como respiração ofegante, inchaço da língua ou face), problemas renais, impotência, aumento da transpiração, desconforto ou aumento das mamas nos homens, aumento ou diminuição de peso, Efeitos secundários raros (ocorre em menos de 1 em 1.000 utilizadores, mas mais de 1 em 10.000 utilizadores): confusão.

Efeitos secundários muito raros (ocorre em menos de 1 em 10.000 utilizadores): alterações cardiovasculares (batimentos cardíacos irregulares, angina, ataque cardíaco e AVC), pneumonia eosinófilica (um tipo raro de pneumonia), inchaço das pálpebras, da face, ou lábios, inchaço da língua e garganta, que pode provocar grandes dificuldades para respirar, reações cutâneas graves, incluindo erupção cutânea intensa, erupções, urticária, vermelhidão da pele ao longo de todo o seu corpo, comichão intensa, bolhas, descamação e inchaço da pele, inflamação das membranas mucosas (Síndrome de Stevens-Johnson), eritema multiforme (uma reação cutânea que muitas vezes começa com manchas vermelhas e comichão na face, braços ou pernas), sensibilidade à luz, alterações no sangue, inflamação do pâncreas que pode causar dor grave abdominal e nas costas acompanhada de sensação de mal-estar, alteração da função do fígado, inflamação do fígado (hepatite), amarelecimento da pele (icterícia), aumento das enzimas do fígado que poderá ter efeito sobre alguns exames médicos, inchaço abdominal (gastrite), alteração dos nervos que pode provocar fraqueza, formigueiro ou dormência, aumento da tensão muscular, vasculite (inflamação das vasos sanguíneos), inchaço das gengivas, excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia).

Os seguintes efeitos secundários também têm sido referidos pelos doentes a tomar Perindopril + Amlodipina: hipoglicemia (níveis muito baixos de açúcar no sangue), disfunções que combinam rigidez, tremor e/ou alterações no movimento.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detetar quaisquer efeitos secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.
Precauções gerais
Se tem alguma das seguintes condições fale com o seu médico, farmacêutico ou enfermeiro antes de tomar Perindopril / Amlodipina:
- cardiomiopatia hipertrófica (doença do músculo cardíaco) ou estenose da artéria renal (estreitamento da artéria que fornece o sangue ao rim),
- insuficiência cardíaca
- grave aumento da pressão arterial (crise hipertensiva)
- qualquer outro problema de coração,
- problemas no fígado,
- problemas renais ou se está a fazer hemodiálise,
- níveis anormalmente elevados de uma hormona, denominada aldosterona, no seu
- sangue (aldosteronismo primário),
- doença colagénica vascular (doença do tecido conjuntivo) tal como lúpus eritematoso sistémico ou esclerodermia,
- diabetes,
- dieta restrita em sal ou utiliza substitutos do sal que contêm potássio (é essencial um bom equilíbrio dos níveis de potássio no sangue),
- se é idoso e a sua dose necessita de ser aumentada,
- se estiver a tomar algum dos seguintes medicamentos para tratar a pressão arterial
elevada:
- um antagonista dos recetores da angiotensina II (ARA) (também conhecidos como sartans – por exemplo valsartan, telmisartan, irbesartan), em particular se tiver problemas nos rins relacionados com a diabetes.
- aliscireno.

O seu médico pode avaliar a função renal, pressão arterial, e a quantidade de eletrólitos (ex: potássio) no seu sangue em intervalos regulares.

- estiver a tomar algum dos seguintes medicamentos, o risco de angioedema aumenta:
- racecadotril (utilizado para tratar a diarreia)
- sirolímus, everolímus, temsirolímus e outros medicamentos pertencentes à classe dos denominados inibidores mTOR (utilizados para evitar a rejeição de órgãos transplantados).
- sacubitril (está disponível como associação de dose fixa com valsartan), utilizado para tratar a insuficiência cardíaca de longo prazo.
- é de origem de raça negra, pode ter um maior risco de angioedema e este medicamento pode ser menos eficaz na diminuição da sua pressão arterial do que em doentes de raça não negra.

Têm sido notificados casos de angioedema (uma reação alérgica grave com inchaço na face, lábios, língua ou garganta com dificuldade em engolir ou respirar) em doentes tratados com IECA, incluindo Coveram. Isto pode ocorrer em qualquer momento durante o tratamento. Se desenvolver estes sintomas, deve parar de tomar Coveram e consultar um médico imediatamente.

Deve informar o médico se pensa estar grávida (ou planeia engravidar).

Quando está a tomar este medicamento, deve também informar o médico ou profissional de sáude, se:
- estiver para ser submetido a uma anestesia geral e/ou grande cirurgia,
- teve recentemente diarreia ou vómitos (esteve doente),
- for submetido a aférese LDL (remoção do colesterol do seu sangue por uma máquina),
- for submetido a tratamentos de dessensibilização para reduzir dos efeitos de alergia à picada de abelha ou vespa.

Perindopril / Amlodipina não é recomendado para utilização em crianças e adolescentes.

Informe o médico ou farmacêutico se estiver a tomar, ou tiver tomado recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos.

Deve evitar a toma de Perindopril / Amlodipina com:
- lítio (utilizado para tratamento da mania ou depressão),
- estramustina (utilizada no tratamento do cancro),
- medicamentos poupadores de potássio (triamtereno, amilorida), suplementos de potássio ou substitutos do sal que contêm potássio, outros medicamentos que podem aumentar o potássio no seu organismo (tais como heparina e cotrimoxazol, também conhecido como trimetoprim/sulfametoxazol);
- medicamentos poupadores de potássio utilizados no tratamento da insuficiência cardíaca: eplerenona e espirolactona com doses entre 12,5 mg e 50 mg por dia.

O tratamento com Perindopril / Amlodipina pode ser afetado por outros medicamentos. O médico pode necessitar de alterar a sua dose e/ou tomar outras precauções. Fale com o médico se estiver a tomar algum dos seguintes medicamentos, pois poderão ser necessários cuidados especiais:
- outros medicamentos para a pressão arterial elevada, incluindo antagonistas dos recetores da angiotensina II (ARA) ou aliscireno, ou diuréticos (medicamentos que aumentam a quantidade de urina produzida pelos rins),
- medicamentos utilizados com maior frequência para tratar a diarreia (racecadotril) ou para evitar a rejeição de órgãos transplantados (sirolímus, everolímus, temsirolímus e outros medicamentos pertencentes à classe dos denominados inibidores mTOR),
- sacubitril/valsartan (utilizado para tratar a insuficiência cardíaca de longo prazo).
- medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (ex: ibuprofeno) para alívio das dores, ou aspirina em doses elevadas,
- medicamentos para tratar a diabetes (tal como a insulina),
- medicamentos para tratar doenças mentais tais como depressão, ansiedade, esquizofrenia etc. (ex: antidepressivos tricíclicos, antipsicóticos, antidepressivos imipramínicos, neurolépticos),
- medicamentos imunossupressores (medicamentos que reduzem os mecanismos de defesa do corpo) utilizados para o tratamento de doenças autoimunes ou após uma cirurgia de transplante (ex: ciclosporina, tacrolímus),
- trimetoprim e cotrimoxazol (para o tratamento de infeções),
- alopurinol (para o tratamento da gota),
- procainamida (para o tratamento dos batimentos irregulares do coração),
- vasodilatadores, incluindo nitratos (medicamentos que tornam os vasos sanguíneos mais largos),
- efedrina, noradrenalina ou adrenalina (medicamentos utilizados para tratar a pressão arterial baixa, choque ou asma),
- baclofeno ou dantroleno (perfusão) ambos utilizados para tratar a rigidez muscular em doenças tal como a esclerose múltipla; o dantroleno também é utilizado para tratar hipertermia maligna durante uma anestesia (sintomas que incluem uma febre muito elevada e rigidez muscular),
- alguns antibióticos como a rifampicina, eritromicina, claritromicina (para tratar infeções causadas por bactérias),
- Hypericum perforatum (erva de S. João, um medicamento à base de plantas utilizado para tratar a depressão)
- sinvastatina (medicamento para diminuir o colesterol)
- medicamentos antiepiléticos tais como a carbamazepina, fenobarbital, fenitoína, fosfenitoína, primidona,
- itraconazol, cetoconazol (medicamentos utilizados para o tratamento de infeções
fúngicas),
- bloqueadores alfa, utilizados para o tratamento da próstata aumentada tais como prazosina, alfuzosina, doxazosina, tansulosina, terazosina,
- amifostina (utilizada para prevenir ou reduzir efeitos indesejáveis provocados por
- outros medicamentos ou radioterapia utilizados para tratar o cancro),
- corticosteroides (utilizados no tratamento de várias condições, incluindo asma grave e artrite reumatoide),
-sais de ouro, especialmente quando administrados por via intravenosa (utilizados para tratamento dos sintomas da artrite reumatoide),
- ritonavir, indinavir, nelfinavir (também designados de inibidores da protease, utilizados no tratamento do VIH).
Cuidados com a dieta
Perindopril + Amlodipina deve ser tomado antes duma refeição.

Pessoas que estejam a tomar Perindopril + Amlodipina não devem consumir sumo de toranja e toranja.

A toranja e o sumo de toranja podem levar a um aumento dos níveis de amlodipina no sangue, o que pode causar um efeito imprevisível de diminuição da pressão arterial provocada por Perindopril + Amlodipina.
Resposta à overdose
Procurar atendimento médico de emergência ou ligar para o Centro de intoxicações.

Para a amlodipina, a experiência com sobredosagem intencional no Homem é limitada.

Sintomas: os dados disponíveis sugerem que uma sobredosagem acentuada pode provocar vasodilatação periférica excessiva e possivelmente taquicardia reflexa. Foi notificada uma acentuada e provavelmente prolongada hipotensão sistémica, incluindo choque com resultado fatal.

Tratamento: a hipotensão clinicamente relevante, devida a sobredosagem com amlodipina, requer suporte cardiovascular ativo, incluindo monitorização frequente da função cardíaca e respiratória, elevação das extremidades, e vigilância do volume de líquido circulante e do débito urinário. Um vasoconstritor pode ajudar a restabelecer o tónus vascular e a pressão arterial, desde que não haja contraindicação à sua utilização. O gluconato de cálcio intravenoso pode ser benéfico para reverter os efeitos do bloqueio dos canais de cálcio. A lavagem gástrica poderá ser útil em alguns casos. Em voluntários saudáveis, a administração de carvão ativado até 2 horas após a toma de 10 mg de amlodipina demonstrou diminuir a taxa de absorção da amlodipina. Dada a elevada ligação da amlodipina às proteínas, não é provável que a diálise possa ser útil.

Para o perindopril os dados disponíveis sobre a sobredosagem no Homem são limitados. Os sintomas associados a uma sobredosagem com IECAs podem incluir hipotensão, choque circulatório, alterações eletrolíticas, insuficiência renal, hiperventilação, taquicardia, palpitações, bradicardia, tonturas, ansiedade e tosse. O tratamento recomendado para a sobredosagem é a administração por perfusão intravenosa de uma solução salina normal. Se ocorrer hipotensão, o doente deve ser colocado em posição de choque. Se disponível, pode também ser considerado o tratamento com perfusão de angiotensina II e/ou catecolaminas, por via intravenosa. O perindopril pode ser removido da circulação sistémica por hemodiálise. Recomenda-se colocação de pacemaker em caso de bradicardia resistente à terapia. Os sinais vitais, eletrólitos séricos e concentrações de creatinina devem ser monitorizados permanentemente.
Terapêutica interrompida
É importante tomar o seu medicamento diariamente para o tratamento ser mais eficaz.

No entanto, se se esqueceu de tomar uma dose de Perindopril + Amlodipina, tome a próxima dose à hora habitual.

Não tome nunca o dobro da dose para compensar a dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no armazenamento
Mantenha o frasco bem fechado para proteger da humidade.
Conserve na embalagem original.

Mantenha todos os medicamentos fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu médico, enfermeiro ou farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espectro de susceptibilidade e tolerância bacteriológica
Sem informação.
Não recomendado/Evitar

Perindopril + Amlodipina + Diuréticos poupadores de potássio

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL: Uso concomitante não recomendado: Diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio ou substitutos do sal contendo potássio: Apesar de habitualmente o potássio sérico permanecer dentro dos limites normais, pode ocorrer hipercaliemia em alguns doentes tratados com perindopril. Diuréticos poupadores de potássio (tais como espironolactona, triamtereno ou amilorida), suplementos de potássio, ou substitutos do sal contendo potássio podem provocar aumentos significativos do potássio sérico. Por isso, a combinação de perindopril com os medicamentos acima mencionados não é recomendada. Se o uso concomitante for indicado devido a uma hipocaliemia demonstrada, a utilização destes medicamentos deve ser realizada com precaução e com frequente monitorização do potássico sérico. - Diuréticos poupadores de potássio
Não recomendado/Evitar

Perindopril + Amlodipina + Suplementos de potássio

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL: Uso concomitante não recomendado: Diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio ou substitutos do sal contendo potássio: Apesar de habitualmente o potássio sérico permanecer dentro dos limites normais, pode ocorrer hipercaliemia em alguns doentes tratados com perindopril. Diuréticos poupadores de potássio (tais como espironolactona, triamtereno ou amilorida), suplementos de potássio, ou substitutos do sal contendo potássio podem provocar aumentos significativos do potássio sérico. Por isso, a combinação de perindopril com os medicamentos acima mencionados não é recomendada. Se o uso concomitante for indicado devido a uma hipocaliemia demonstrada, a utilização destes medicamentos deve ser realizada com precaução e com frequente monitorização do potássico sérico. - Suplementos de potássio
Não recomendado/Evitar

Perindopril + Amlodipina + Potássio

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL: Uso concomitante não recomendado: Diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio ou substitutos do sal contendo potássio: Apesar de habitualmente o potássio sérico permanecer dentro dos limites normais, pode ocorrer hipercaliemia em alguns doentes tratados com perindopril. Diuréticos poupadores de potássio (tais como espironolactona, triamtereno ou amilorida), suplementos de potássio, ou substitutos do sal contendo potássio podem provocar aumentos significativos do potássio sérico. Por isso, a combinação de perindopril com os medicamentos acima mencionados não é recomendada. Se o uso concomitante for indicado devido a uma hipocaliemia demonstrada, a utilização destes medicamentos deve ser realizada com precaução e com frequente monitorização do potássico sérico. - Potássio
Não recomendado/Evitar

Perindopril + Amlodipina + Espironolactona

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL: Uso concomitante não recomendado: Diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio ou substitutos do sal contendo potássio: Apesar de habitualmente o potássio sérico permanecer dentro dos limites normais, pode ocorrer hipercaliemia em alguns doentes tratados com perindopril. Diuréticos poupadores de potássio (tais como espironolactona, triamtereno ou amilorida), suplementos de potássio, ou substitutos do sal contendo potássio podem provocar aumentos significativos do potássio sérico. Por isso, a combinação de perindopril com os medicamentos acima mencionados não é recomendada. Se o uso concomitante for indicado devido a uma hipocaliemia demonstrada, a utilização destes medicamentos deve ser realizada com precaução e com frequente monitorização do potássico sérico. - Espironolactona
Não recomendado/Evitar

Perindopril + Amlodipina + Triamtereno

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL: Uso concomitante não recomendado: Diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio ou substitutos do sal contendo potássio: Apesar de habitualmente o potássio sérico permanecer dentro dos limites normais, pode ocorrer hipercaliemia em alguns doentes tratados com perindopril. Diuréticos poupadores de potássio (tais como espironolactona, triamtereno ou amilorida), suplementos de potássio, ou substitutos do sal contendo potássio podem provocar aumentos significativos do potássio sérico. Por isso, a combinação de perindopril com os medicamentos acima mencionados não é recomendada. Se o uso concomitante for indicado devido a uma hipocaliemia demonstrada, a utilização destes medicamentos deve ser realizada com precaução e com frequente monitorização do potássico sérico. - Triamtereno
Não recomendado/Evitar

Perindopril + Amlodipina + Amilorida

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL: Uso concomitante não recomendado: Diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio ou substitutos do sal contendo potássio: Apesar de habitualmente o potássio sérico permanecer dentro dos limites normais, pode ocorrer hipercaliemia em alguns doentes tratados com perindopril. Diuréticos poupadores de potássio (tais como espironolactona, triamtereno ou amilorida), suplementos de potássio, ou substitutos do sal contendo potássio podem provocar aumentos significativos do potássio sérico. Por isso, a combinação de perindopril com os medicamentos acima mencionados não é recomendada. Se o uso concomitante for indicado devido a uma hipocaliemia demonstrada, a utilização destes medicamentos deve ser realizada com precaução e com frequente monitorização do potássico sérico. - Amilorida
Não recomendado/Evitar

Perindopril + Amlodipina + Lítio

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL: Uso concomitante não recomendado: Lítio: Foram notificados durante a administração concomitante de lítio e IECAs aumentos reversíveis das concentrações séricas e toxicidade (neurotoxicidade grave). A associação de perindopril com lítio não é recomendada. Se a associação for necessária, deve ser feita uma cuidadosa monitorização dos níveis séricos do lítio. - Lítio
Não recomendado/Evitar

Perindopril + Amlodipina + Estramustina

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL: Uso concomitante não recomendado: Estramustina: Risco de aumento dos efeitos adversos tais como edema angioneurótico (angioedema). - Estramustina
Usar com precaução

Perindopril + Amlodipina + Anti-inflamatórios não esteróides (AINEs)

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL: Uso concomitante que requer cuidados especiais: Medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINE) incluindo Ácido Acetilsalicílico 3g/dia: Quando IECAs são administrados simultaneamente com medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (isto é, ácido acetilsalicílico na dosagem de anti-inflamatório, inibidores da COX-2 e AINEs não seletivos), pode ocorrer uma atenuação do efeito anti-hipertensivo. O uso concomitante de IECAs e AINEs pode provocar um risco aumentado de deterioração da função renal, incluindo possível insuficiência renal aguda e um aumento do potássio sérico, especialmente em doentes com deficiente função renal pré-existente. A associação deve ser administrada com precaução, especialmente nos idosos. Os doentes devem ser adequadamente hidratados e deve ser considerada a monitorização da função renal após o início da terapêutica concomitante, e depois periodicamente. - Anti-inflamatórios não esteróides (AINEs)
Usar com precaução

Perindopril + Amlodipina + Ácido Acetilsalicílico

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL: Uso concomitante que requer cuidados especiais: Medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINE) incluindo Ácido Acetilsalicílico 3g/dia: Quando IECAs são administrados simultaneamente com medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (isto é, ácido acetilsalicílico na dosagem de anti-inflamatório, inibidores da COX-2 e AINEs não seletivos), pode ocorrer uma atenuação do efeito anti-hipertensivo. O uso concomitante de IECAs e AINEs pode provocar um risco aumentado de deterioração da função renal, incluindo possível insuficiência renal aguda e um aumento do potássio sérico, especialmente em doentes com deficiente função renal pré-existente. A associação deve ser administrada com precaução, especialmente nos idosos. Os doentes devem ser adequadamente hidratados e deve ser considerada a monitorização da função renal após o início da terapêutica concomitante, e depois periodicamente. - Ácido Acetilsalicílico
Usar com precaução

Perindopril + Amlodipina + Inibidores da cicloxigenase (COX)

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL: Uso concomitante que requer cuidados especiais: Medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINE) incluindo Ácido Acetilsalicílico 3g/dia: Quando IECAs são administrados simultaneamente com medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (isto é, ácido acetilsalicílico na dosagem de anti-inflamatório, inibidores da COX-2 e AINEs não seletivos), pode ocorrer uma atenuação do efeito anti-hipertensivo. O uso concomitante de IECAs e AINEs pode provocar um risco aumentado de deterioração da função renal, incluindo possível insuficiência renal aguda e um aumento do potássio sérico, especialmente em doentes com deficiente função renal pré-existente. A associação deve ser administrada com precaução, especialmente nos idosos. Os doentes devem ser adequadamente hidratados e deve ser considerada a monitorização da função renal após o início da terapêutica concomitante, e depois periodicamente. - Inibidores da cicloxigenase (COX)
Usar com precaução

Perindopril + Amlodipina + Antidiabéticos Orais

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL: Uso concomitante que requer cuidados especiais: Antidiabéticos (insulina, sulfonamidas hipoglicémicas): O uso de inibidores do enzima de conversão da angiotensina pode aumentar o efeito hipoglicémico em diabéticos a receber tratamento com insulina ou com sulfonamidas hipoglicémicas. O aparecimento de episódios hipoglicémicos é muito raro (há provavelmente uma melhoria na tolerância à glucose que resulta na redução das necessidades em insulina). - Antidiabéticos Orais
Usar com precaução

Perindopril + Amlodipina + Insulinas

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL: Uso concomitante que requer cuidados especiais: Antidiabéticos (insulina, sulfonamidas hipoglicémicas): O uso de inibidores do enzima de conversão da angiotensina pode aumentar o efeito hipoglicémico em diabéticos a receber tratamento com insulina ou com sulfonamidas hipoglicémicas. O aparecimento de episódios hipoglicémicos é muito raro (há provavelmente uma melhoria na tolerância à glucose que resulta na redução das necessidades em insulina). - Insulinas
Usar com precaução

Perindopril + Amlodipina + Sulfonamidas (sulfanilamidas)

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL: Uso concomitante que requer cuidados especiais: Antidiabéticos (insulina, sulfonamidas hipoglicémicas): O uso de inibidores do enzima de conversão da angiotensina pode aumentar o efeito hipoglicémico em diabéticos a receber tratamento com insulina ou com sulfonamidas hipoglicémicas. O aparecimento de episódios hipoglicémicos é muito raro (há provavelmente uma melhoria na tolerância à glucose que resulta na redução das necessidades em insulina). - Sulfonamidas (sulfanilamidas)
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Perindopril + Amlodipina + Diuréticos

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL: Uso concomitante a considerar: Diuréticos: Em doentes a fazer diuréticos e especialmente nos que têm depleção de volume e/ou de sal, pode ocorrer uma excessiva redução da pressão arterial após o início da terapêutica com um IECA. A possibilidade de efeitos hipotensores pode ser reduzida pela descontinuação do diurético, aumento da volemia ou pela toma de sal antes do início da terapêutica que deve ser iniciada com doses baixas e aumento progressivo de perindopril. - Diuréticos
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Perindopril + Amlodipina + Simpaticomiméticos

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL: Uso concomitante a considerar: Simpaticomiméticos: Os simpatomiméticos podem reduzir o efeito anti-hipertensivo dos IECAs. - Simpaticomiméticos
Usar com precaução

Perindopril + Amlodipina + Aurotiomalato de sódio

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL: Uso concomitante a considerar: Ouro: Foram reportadas raramente reações nitritoides (sintomas que incluem rubor facial, náuseas, vómitos e hipotensão) em doentes com terapêutica concomitante com ouro injetável (aurotiomalato de sódio) e IECA, incluindo perindopril. - Aurotiomalato de sódio
Não recomendado/Evitar

Perindopril + Amlodipina + Dantroleno

Observações: n.d.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Uso concomitante não recomendado: Dantroleno (infusão): Em animais, foram observadas fibrilhação ventricular letal e colapso cardiovascular em associação com hipercaliemia, após administração de verapamil e dantroleno intravenoso. Devido ao risco de hipercaliemia, é recomendado que a administração concomitante de bloqueadores de canais de cálcio, como a amlodipina, seja evitada em doentes suscetíveis a hipertermia maligna e na manutenção da hipertermia maligna. - Dantroleno
Usar com precaução

Perindopril + Amlodipina + Indutores do CYP3A4

Observações: n.d.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Uso concomitante que requer cuidados especiais: Indutores CYP3A4: Não existem dados disponíveis sobre o efeito dos indutores da CYP3A4 na amlodipina. O uso concomitante de indutores da CYP3A4 (por exemplo, rifampicina e hipericão) podem originar concentrações plasmáticas mais baixas de amlodipina. A amlodipina deve ser utilizada com precaução quando administrada simultaneamente com indutores da CYP3A4. - Indutores do CYP3A4
Usar com precaução

Perindopril + Amlodipina + Inibidores do CYP3A4

Observações: n.d.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Uso concomitante que requer cuidados especiais: Inibidores CYP3A4: A utilização concomitante de amlodipina com inibidores fortes ou moderados do CYP3A4 (inibidores das proteases, antifúngicos azóis, macrólidos como a eritromicina ou a claritromicina, verapamil e diltiazem) podem conduzir a um aumento significativo da exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações farmacocinéticas pode ser mais pronunciada nos idosos. Monitorização clínica e ajuste de dose poderão assim, ser necessários. - Inibidores do CYP3A4
Usar com precaução

Perindopril + Amlodipina + Antihipertensores

Observações: n.d.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: O efeito de diminuição da pressão arterial da amlodipina adiciona-se ao efeito de diminuição da pressão arterial de outros agentes antihipertensores. Ligadas ao PERINDOPRIL/AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Antihipertensores (tais como beta bloqueantes) e vasodilatadores: O uso concomitante destes fármacos pode aumentar os efeitos hipotensores do perindopril e da amlodipina. O uso concomitante com nitroglicerina e outros nitratos ou outros vasodilatadores, pode favorecer a redução da pressão sanguínea e devem ser usados com precaução. - Antihipertensores
Sem efeito descrito

Perindopril + Amlodipina + Atorvastatina

Observações: n.d.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Outras combinações: Em estudos de interação clínica, a amlodipina não alterou a farmacocinética da atorvastatina, digoxina, varfarina ou ciclosporina. - Atorvastatina
Sem efeito descrito

Perindopril + Amlodipina + Digoxina

Observações: n.d.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Outras combinações: Em estudos de interação clínica, a amlodipina não alterou a farmacocinética da atorvastatina, digoxina, varfarina ou ciclosporina. - Digoxina
Sem efeito descrito

Perindopril + Amlodipina + Varfarina

Observações: n.d.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Outras combinações: Em estudos de interação clínica, a amlodipina não alterou a farmacocinética da atorvastatina, digoxina, varfarina ou ciclosporina. - Varfarina
Sem efeito descrito

Perindopril + Amlodipina + Ciclosporina

Observações: n.d.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Outras combinações: Em estudos de interação clínica, a amlodipina não alterou a farmacocinética da atorvastatina, digoxina, varfarina ou ciclosporina. - Ciclosporina
Não recomendado/Evitar

Perindopril + Amlodipina + Sumo de toranja

Observações: n.d.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Outras combinações: Não é recomendada a administração de amlodipina com toranja ou sumo de toranja, uma vez que em alguns doentes a biodisponibilidade pode aumentar resultando num aumento do efeito de diminuição da pressão arterial. - Sumo de toranja
Não recomendado/Evitar

Perindopril + Amlodipina + Toranja

Observações: n.d.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Outras combinações: Não é recomendada a administração de amlodipina com toranja ou sumo de toranja, uma vez que em alguns doentes a biodisponibilidade pode aumentar resultando num aumento do efeito de diminuição da pressão arterial. - Toranja
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Perindopril + Amlodipina + Baclofeno

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL/AMLODIPINA: Uso concomitante que requer cuidados especiais: Baclofeno: potencialização do efeito anti-hipertensivo. Monitorização da pressão sanguínea e da função renal, e adaptação, se necessário, da dose do anti-hipertensor. - Baclofeno
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Perindopril + Amlodipina + Vasodilatadores

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL/AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Antihipertensores (tais como beta bloqueantes) e vasodilatadores: O uso concomitante destes fármacos pode aumentar os efeitos hipotensores do perindopril e da amlodipina. O uso concomitante com nitroglicerina e outros nitratos ou outros vasodilatadores, pode favorecer a redução da pressão sanguínea e devem ser usados com precaução. - Vasodilatadores
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Perindopril + Amlodipina + Bloqueadores beta-adrenérgicos (betabloqueadores)

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL/AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Antihipertensores (tais como beta bloqueantes) e vasodilatadores: O uso concomitante destes fármacos pode aumentar os efeitos hipotensores do perindopril e da amlodipina. O uso concomitante com nitroglicerina e outros nitratos ou outros vasodilatadores, pode favorecer a redução da pressão sanguínea e devem ser usados com precaução. - Bloqueadores beta-adrenérgicos (betabloqueadores)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Perindopril + Amlodipina + Nitroglicerina

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL/AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Antihipertensores (tais como beta bloqueantes) e vasodilatadores: O uso concomitante destes fármacos pode aumentar os efeitos hipotensores do perindopril e da amlodipina. O uso concomitante com nitroglicerina e outros nitratos ou outros vasodilatadores, pode favorecer a redução da pressão sanguínea e devem ser usados com precaução. - Nitroglicerina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Perindopril + Amlodipina + Nitratos

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL/AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Antihipertensores (tais como beta bloqueantes) e vasodilatadores: O uso concomitante destes fármacos pode aumentar os efeitos hipotensores do perindopril e da amlodipina. O uso concomitante com nitroglicerina e outros nitratos ou outros vasodilatadores, pode favorecer a redução da pressão sanguínea e devem ser usados com precaução. - Nitratos
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Perindopril + Amlodipina + Corticosteroides

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL/AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Corticosteroides, tetracosactido: Redução no efeito anti-hipertensor (retenção de água e sais devido aos corticosteroides). - Corticosteroides
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Perindopril + Amlodipina + Tetracosactido

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL/AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Corticosteroides, tetracosactido: Redução no efeito anti-hipertensor (retenção de água e sais devido aos corticosteroides). - Tetracosactido
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Perindopril + Amlodipina + Bloqueadores adrenérgicos alfa

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL/AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Bloquedores alfa (prazosina, alfuzosina, doxazosina, tansulosina, terazosina): Aumento do efeito anti-hipertensor e aumento do risco de hipotensão ortostática. - Bloqueadores adrenérgicos alfa
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Perindopril + Amlodipina + Prazosina

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL/AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Bloquedores alfa (prazosina, alfuzosina, doxazosina, tansulosina, terazosina): Aumento do efeito anti-hipertensor e aumento do risco de hipotensão ortostática. - Prazosina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Perindopril + Amlodipina + Alfuzosina

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL/AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Bloquedores alfa (prazosina, alfuzosina, doxazosina, tansulosina, terazosina): Aumento do efeito anti-hipertensor e aumento do risco de hipotensão ortostática. - Alfuzosina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Perindopril + Amlodipina + Doxazosina

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL/AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Bloquedores alfa (prazosina, alfuzosina, doxazosina, tansulosina, terazosina): Aumento do efeito anti-hipertensor e aumento do risco de hipotensão ortostática. - Doxazosina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Perindopril + Amlodipina + Tansulosina

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL/AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Bloquedores alfa (prazosina, alfuzosina, doxazosina, tansulosina, terazosina): Aumento do efeito anti-hipertensor e aumento do risco de hipotensão ortostática. - Tansulosina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Perindopril + Amlodipina + Terazosina

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL/AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Bloquedores alfa (prazosina, alfuzosina, doxazosina, tansulosina, terazosina): Aumento do efeito anti-hipertensor e aumento do risco de hipotensão ortostática. - Terazosina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Perindopril + Amlodipina + Amifostina

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL/AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Amifostina: Pode potenciar o efeito anti-hipertensor da amlodipina. - Amifostina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Perindopril + Amlodipina + Antidepressores (Tricíclicos)

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL/AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Antidepressivos triciclicos/antipsicóticos/anestésicos: Aumento do efeito anti-hipertensor e aumento do risco de hipotensão ortostática. - Antidepressores (Tricíclicos)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Perindopril + Amlodipina + Antipsicóticos

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL/AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Antidepressivos triciclicos/antipsicóticos/anestésicos: Aumento do efeito anti-hipertensor e aumento do risco de hipotensão ortostática. - Antipsicóticos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Perindopril + Amlodipina + Anestésicos

Observações: n.d.
Interações: Ligadas ao PERINDOPRIL/AMLODIPINA: Uso concomitante a considerar: Antidepressivos triciclicos/antipsicóticos/anestésicos: Aumento do efeito anti-hipertensor e aumento do risco de hipotensão ortostática. - Anestésicos
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações do Perindopril + Amlodipina
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 18 de Setembro de 2020