Similares Químicos

Produtos com a mesma molécula e do mesmo Grupo Terapêutico

Similares Terapêuticos

Produtos do mesmo Grupo Terapêutico

ECTODINE Solução cutânea

Iodopovidona

PARACÉLSIA
Medicamento com Advertência na Gravidez Medicamento com Advertência no Aleitamento Medicamento Genérico Clique para ver o Resumo de Grupo: ECTODINE Solução cutânea
O que é
Iodopovidona ou Povidona-iodo (PVPI) é um complexo químico solúvel em água de iodo com polivinilpirrolidona (PVP), com conteúdo de 9.0% a 12.0% de iodo ativo, calculado sobre uma base seca.

PVPI pode ser facilmente formulado como uma solução tópica anti-séptica (com surfactantes e/ou álcool), em aerossol ou unguento em concentrações de 7.5% a 10%.

Estes produtos são normalmente de venda livre (dependendo da legislação local) e usados em hospitais para limpeza e desinfecção da pele, no preparo pré-operatório e no tratamento de infecções sensíveis ao iodo.
Usos comuns
Espuma cutânea:
Trata-se de um antissético na forma de espuma cutânea.

Desinfeção e higiene da pele e mucosas.
Adjuvante no tratamento ou profilaxia da infeção em Micoses interdigitais (ex: pé de atleta).

Adjuvante no tratamento da infeção na Dermatite seborreica.
Profilaxia da Dermatite seborreica.

Úlceras da perna: terapêutica adjuvante como desinfectante
Em cirurgia:
Lavagem das mãos antes e depois das intervenções cirúrgicas, como produto bactericida.

Como sabão líquido para uso no consultório.
Para os cuidados de limpeza e assepsia local do doente antes das intervenções cirúrgicas.

Em obstetrícia-ginecologia:
Assepsia ginecológica
Desinfeção da vulva, períneo e face interna das coxas antes do parto.

Espuma vaginal:
Trata-se de um antissético vaginal na forma de espuma de cor castanha.
Assépsia ginecológica.
Desinfeção da vulva, períneo e face interna das coxas, antes do parto.
Higiene íntima da mulher.

Pomada:
Trata-se de um antissético na forma de pomada.
Tratamento tópico adjuvante de úlceras varicosas
Tratamento de úlceras de decúbito
Feridas de origem traumática ou cirúrgica

Solução bucal:
Trata-se de um antissético na forma de solução bucal de cor castanha.

A Solução Bucal é um medicamento usado como desinfectante da cavidade oral, boca e faringe e ainda para eliminar o mau hálito.


Solução para gargarejar:
Trata-se de um antissético na forma de solução bucal de cor castanha.

Solução para Gargarejar é um medicamento usado como desinfectante da cavidade oral, boca e faringe e ainda para eliminar o mau hálito.
Tipo
Sem informação.
Indicações
Espuma cutânea:
Trata-se de um antissético na forma de espuma cutânea.
Desinfeção e higiene da pele e mucosas.
Adjuvante no tratamento ou profilaxia da infecção em Micoses interdigitais (ex: pé de atleta).
Adjuvante no tratamento da infeção na Dermatite seborreica.
Profilaxia da Dermatite seborreica.
Úlceras da perna: terapêutica adjuvante como desinfetante.

Em cirurgia:
Lavagem das mãos antes e depois das intervenções cirúrgicas, como produto bactericida.
Como sabão líquido para uso no consultório.
Para os cuidados de limpeza e assepsia local do doente antes das intervenções cirúrgicas.

Em obstetrícia-ginecologia:
Assepsia ginecológica.
Desinfeção da vulva, períneo e face interna das coxas antes do parto.

Espuma vaginal:
Trata-se de um antissético vaginal na forma de espuma de cor castanha.
Assépsia ginecológica.
Desinfeção da vulva, períneo e face interna das coxas, antes do parto.
Higiene íntima da mulher.

Pomada:
Trata-se de um antissético na forma de pomada.
Tratamento tópico adjuvante de úlceras varicosas.
Tratamento de úlceras de decúbito.
Feridas de origem traumática ou cirúrgica.

Solução bucal:
Trata-se de um antissético na forma de solução bucal de cor castanha.
A Solução Bucal é um medicamento usado como desinfetante da cavidade oral, boca e faringe e ainda para eliminar o mau hálito.

Solução para gargarejar:
Trata-se de um antissético na forma de solução bucal de cor castanha.
Solução para Gargarejar é um medicamento usado como desinfetante da cavidade oral, boca e faringe e ainda para eliminar o mau hálito.
Classificação CFT
06.01.01 : De aplicação tópica
Mecanismo de ação
Anti-séptico de largo espectro bactericida, fungicida, virucida
Possui a eficácia e o largo espectro de acção do iodo, mas ao contrário deste é hidrossolúvel.

Os iodóforos são instáveis a pH alcalino.


A iodopovidona exerce uma acção bactericida, virucida, fungicida e esporicida, destruindo ao mesmo tempo os protozoários.

O iodo combinado com a povidona exerce a sua acção sem produzir irritações e ardores locais, característicos do iodo.
Posologia orientativa
Espuma cutânea:
Desinfeção e higiene da pele e mucosas:
Aplicar e ensaboar e de seguida enxaguar bem com água.


Dermatite seborreica:
1) Deitar 2 colheres de café de Espuma Cutânea no côncavo da mão e friccionar os cabelos e o couro cabeludo com água tépida, até formar espuma.

Passar de seguida por água limpa.


2) Deitar novamente mais 2 colheres de café e, sem adicionar água, friccionar a fundo.

Deixar actuar durante 5 minutos, no mínimo.

Em seguida enxaguar bem.

Este tratamento deve ser aplicado 2 vezes por semana, até se notar uma melhoria.


Em seguida continua-se com um só tratamento por semana.


Desinfeção pré-operatória das mãos:
1. Molhar as mãos e os antebraços com água.

Deitar cerca de 5ml de Betadine sobre a palma das mãos e espalhar sobre as mãos e antebraços.


Lavar as áreas a tratar durante cerca de 2 minutos.


Pode usar-se com cuidado uma escova para o sulco sub-ungueal e unhas.

No entanto, a escovagem das mãos e antebraços não é aconselhável, porque pode ser lesiva para a pele.


Acrescentar seguidamente um pouco de água e continuar a lavar, a fim de produzir uma espuma abundante.

Em seguida passar por água limpa.


2. Repetir o procedimento descrito em 1 a fim de garantir a desinfeção desejada.


Uso quotidiano no consultório médico:
Utilizar a Espuma Cutânea em todas as zonas em que uma solução bactericida esteja indicada.


Preparação do campo operatório:
Depois de ter rapado o campo operatório (se necessário), aplicar a Espuma Cutânea e friccionar cuidadosamente durante 5 minutos, produzindo espuma.

De seguida enxaguar com um pouco de água e secar, enxugando com uma toalha esterilizada.


Obstetrícia-ginecologia:
Aplicar do mesmo modo como se procede para a desinfeção do campo operatório.



Espuma vaginal:
Utilização em obstetrícia e ginecologia:
Após ter rapado o campo operatório (se necessário, molha-se com água), aplicar em seguida a Espuma Vaginal friccionar cuidadosamente durante 5 minutos, produzindo espuma.

Depois enxaguar com um pouco de água e secar, enxugando com uma toalha esterilizada.


Utilização na higiene íntima da mulher:
Deitar a tampa do frasco cheia de Espuma Vaginal no côncavo da mão e aplicar com um pouco de água.

Seguidamente enxaguar e secar.



Pomada:
Aplicar directamente nas áreas afectadas 3 a 4 vezes ao dia.


Podem ser utilizadas ligaduras ou bandas.


Não exceder um período máximo de 14 dias consecutivos de aplicação.



Solução bucal:
Solução Bucal deve usar-se puro em gargarejos ou bochechos durante 30 segundos várias vezes ao dia.


A Solução Bucal não deve ser deglutido.


Não utilizar este medicamento por um período superior a 14 dias consecutivos.



Solução para Gargarejar:
Solução para Gargarejar deve usar-se pura em gargarejos ou bochechos durante 30 segundos várias vezes ao dia.


Quando é usada para tratar o mau hálito, deve diluir-se em água, misturando 1 parte para 2 partes de água.


Solução para Gargarejar não deve ser deglutida.


Não utilizar este medicamento por um período superior a 14 dias consecutivos.
Administração
Via cutânea, bucal e vaginal.
Contraindicações
Espuma cutânea:
Não utilize a Espuma Cutânea nas seguintes situações
Antecedentes de alergia a qualquer dos constituintes, em particular à povidona.
Não existem reacções cruzadas com os produtos de contraste iodados.
As reacções de intolerância (reacções anafilactoides) aos produtos de contraste iodados ou alergia aos mariscos não constituem uma contra indicação à utilização de Espuma Cutânea.

Desinfecção de material médico-cirúrgico
No recém-nascido até 1 mês
De forma prolongada durante o 2º e 3º trimestre da gravidez.
No aleitamento está contra indicado no caso de tratamento prolongado.

Não utilizar este medicamento em associação com anti-sépticos derivados de mercúrio.


Espuma vaginal:
Antecedentes de alergia a qualquer dos constituintes, em particular à povidona.
Não existem reacções cruzadas com os produtos de contraste iodados.
As reacções de intolerância (reacções anafilactoides) aos produtos de contraste iodados ou a anafilaxia aos mariscos não constituem uma contra indicação à utilização da Espuma Vaginal.

Não utilizar este medicamento em associação com anti-sépticos derivados de mercúrio.


Pomada:
Antecedentes de alergia à povidona.
Não existem reacções cruzadas com os produtos de contraste iodados.

No recém-nascido até 1 mês.

No primeiro trimestre da gravidez.

De forma prolongada durante o 2º e 3º trimestre da gravidez.

No aleitamento está contra indicado no caso de tratamento prolongado.

Não utilizar este medicamento em associação com anti-sépticos derivados de mercúrio.


Solução bucal:
Se é alérgico à substância activa ou a qualquer dos outros ingredientes.

Se estiver grávida
Crianças com menos de 6 anos de idade
Não utilizar no caso de doenças da tiróide nem antes ou após radioterapia.

Ao mesmo tempo que outros produtos como sabões, soluções ou pomadas que contenham na sua composição sais mercuriais.


Solução para gargarejar:
Se é alérgico à substância activa.

Se estiver grávida
Crianças com menos de 6 anos de idade
Não utilizar no caso de doenças da tiróide nem antes ou após radioterapia.
Efeitos indesejáveis/adversos
Espuma cutânea:
No caso de administração repetida e prolongada, pode produzir-se uma sobredosagem de iodo susceptível de provocar disfunção da tiróide, nomeadamente no prematuro e em grandes queimaduras.

Excepcionalmente foram descritas reacções alérgicas: urticária, edema de Quincke (edema da face, lábios, olhos e garganta), choque anafiláctico (choque provocado por uma reacção alérgica), reacção anafilactóide (reacção de intolerância).

No caso de aplicação em grandes superfícies e em situações de grandes queimaduras, foram observados efeitos sistémicos: alterações da função renal, hipernatrémia (aumento do sódio no sangue).

Podem produzir-se reacções cutâneas locais: dermatite cáustica e eczema de contacto.


Espuma vaginal:
Excepcionalmente foram descritas reacções de hipersensibilidade: urticária, edema de Quincke, choque anafiláctico, reacção anafilactóide.

Podem produzir-se reacções cutâneas locais: dermatite cáustica e eczema de contacto.

No caso de absorção sistémica que só poderá ocorrer se o produto for utilizado em grandes superfícies e em zonas queimadas o que não está previsto nas suas indicações, podem surgir efeitos sistémicos como alterações da função renal com acidose metabólica, hipernatrémia (aumento do sódio no sangue).


Pomada:
No caso de administração prolongada, pode produzir-se uma sobredosagem de iodo susceptível de provocar disfunção da tiróide, nomeadamente no prematuro e em situações de grandes queimaduras.

Raramente foram descritas reacções alérgicas como urticária, edema de Quincke (edema da face, lábios, olhos e garganta), choque anafiláctico (choque provocado por uma reacção alérgica), reacção anafilactóide (reacção de intolerância).

No caso de aplicação em grandes zonas de pele lesada e em grandes queimaduras, raramente foram observados efeitos sistémicos: alterações da função renal, hipernatrémia (aumento do sódio no sangue).

Raramente podem surgir reacções cutâneas locais: dermatite cáustica e eczema de contacto.


Solução bucal:
No caso de absorção sistémica podem surgir alterações da função renal, acidose metabólica, hipernatrémia (aumento do sódio no sangue).


Solução para gargarejar:
Podem ocorrer embora raramente reacções alérgicas.

No caso de absorção sistémica podem surgir alterações da função renal, acidose metabólica, hipernatrémia (aumento do sódio no sangue).
Advertências
Gravidez
Gravidez:
Gravidez:Pode ser absorvido em quantidade suficiente para afectar a tiróide fetal causando bócio neonatal e hipotiroidismo. Evidência fetal em animais, mas a necessidade pode justificar o risco. Trimestre: 2º e 3º
Aleitamento
Aleitamento:
Aleitamento:Evitar; níveis elevados de iodo no leite e odor da pele de lactentes. O iodo absorvido a partir de preparações vaginais é concentrado no leite.
Precauções gerais
Espuma cutânea:
A Espuma Cutânea é destinada a uso externo.

A aplicação repetida de Espuma Cutânea em grandes superfícies cutâneas ou em zonas de pele lesada, pode provocar uma excessiva absorção de iodo.

A utilização em crianças com menos de 30 meses só deve ser efectuada se for considerada indispensável e deve limitar-se a uma aplicação breve e pouco extensa.

A iodopovidona deve ser utilizada com precaução no caso de utilização prolongada em doentes com disfunção da tiróide (em especial bócio multinodular colóide, bócio endémico e tiróidite de Hashimoto), alteração da função renal.


Espuma vaginal:
A Espuma Vaginal é destinada a uso externo.

A iodopovidona deve ser utilizada com precaução no caso de utilização prolongada em doentes com disfunção da tiróide (em especial bócio multinodular colóide, bócio endémico e tiróidite de Hashimoto), alteração da função renal.


Pomada:
A aplicação prolongada da Pomada em grandes superfícies cutâneas ou em zonas de pele lesada, pode provocar uma excessiva absorção de iodo.
Nas queimaduras com áreas superiores a 20% dasuperfície corporal, utilizar segundo aconselhamento médico ou de um profissional de saúde.

A utilização em crianças com menos de 30 meses só deve ser efectuada se for considerada indispensável e deve limitar-se a uma aplicação breve e pouco extensa.

A iodopovidona pode ser utilizada mas com precaução em doentes com disfunção da tiróide e doentes com alteração da função renal.


Solução bucal:
Este medicamento destina-se a ser utilizado apenas na cavidade bucal.

Se tem alguma doença na tiróide não deve utilizar este produto durante um período de tempo longo.

Esta apresentação destina-se apenas a ser usada na cavidade bucal.
Não deve ser utilizada noutras zonas do corpo.


Solução para Gargarejar:
Ao mesmo tempo que outros produtos como sabões, soluções ou pomadas que contenham na sua composição sais mercuriais.

Situações em que deve ter cuidado com Iodopovidona
Se tem alguma doença na tiróide não deve utilizar este produto durante um período de tempo longo.

Destina-se apenas a ser usada na cavidade bucal.
Não deve ser utilizada noutras zonas do corpo.
Cuidados com a dieta
Não aplicável.
Resposta à overdose
Procurar atendimento médico de emergência, ou ligue para o Centro de intoxicações.

Após a ingestão de grandes quantidades de iodopovidona, foram descritos o aparecimento de alterações adicionais nos electrólitos, osmolaridade do soro, alteração da função renal com insuficiência renal aguda e acidose metabólica.


A intoxicação aguda por iodo manifesta-se por sintomas abdominais, anúria, insuficiência circulatória, edema da glote podendo conduzir a asfixia ou edema pulmonar e alterações metabólicas.


O tratamento é sintomático e de suporte.

Deve ser tratada em meio hospitalar.
Terapêutica interrompida
Pode continuar normalmente a utilizar o medicamento como se não se tivesse esquecido.
Cuidados no armazenamento
Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Conservar à temperatura ambiente
Espectro de susceptibilidade e tolerância bacteriológica
Sem informação.

Iodopovidona + Antissépticos

Observações: N.D.
Interações: Tendo em conta possíveis interações (antagonismo, inactivação) a utilização em simultâneo ou sucessiva com outros antissépticos é de evitar. Associações desaconselhadas: Anti-sépticos mercuriais: formação de um complexo cáustico no caso de utilização concomitante de anti-sépticos iodados e mercuriais.

Iodopovidona + Testes Laboratoriais/Diagnóstico

Observações: N.D.
Interações: Possível interferência com exames à função da tiróide.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017