Burosumab

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
Burosumab é um tipo de medicamento chamado anticorpo monoclonal humano.

Burosumab é utilizado para tratar a hipofosfatemia ligada a X (XLH).
É utilizado em crianças com 1 ano de idade ou mais, e em adolescentes que estejam ainda em crescimento.

O que é a hipofosfatemia ligada a X (XLH)
A hipofosfatemia ligada a X (XLH) é uma doença genética.
As pessoas com XLH apresentam níveis mais elevados de uma hormona chamada factor de crescimento do fibroblasto 23 (FGF23).
O FGF23 diminui a quantidade de fosfato no sangue.
O baixo nível de fosfato poderá levar a ossos que não crescem nem endurecem como deve ser.

Burosumab liga-se ao FGF23 no sangue, o que impede que o FGF23 funcione e aumenta os níveis de fosfato no sangue de modo a atingirem-se níveis de fosfato normais.
Usos comuns
Burosumab é indicado para o tratamento da hipofosfatemia ligada a X (XLH) com evidência radiográfica de doença óssea em crianças com 1 ano de idade ou mais e em adolescentes com esqueletos em crescimento.
Tipo
Medicamento Órfão.
Biotecnologia.
Indicações
Burosumab é indicado para o tratamento da hipofosfatemia ligada a X (XLH) com evidência radiográfica de doença óssea em crianças com 1 ano de idade ou mais e em adolescentes com esqueletos em crescimento.
Classificação CFT

09.06.05 : MEDICAMENTOS QUE ATUAM NO OSSO E NO METABOLISMO DO CÁLCIO (Outros)

Mecanismo de ação
O burosumab é um anticorpo (IgG1) monoclonal recombinante humano que se liga ao factor de crescimento do fibroblasto-23 (FGF23), inibindo a sua actividade.
Ao inibir o FGF23, o burosumab aumenta a reabsorção tubular do fosfato dos rins e aumenta a concentração sérica da 1, 25 di-hidroxi-Vitamina D.
Posologia orientativa
O fosfato oral e os análogos da vitamina D devem ser descontinuados 1 semana antes de se iniciar o tratamento.

Após a iniciação, a concentração de fosfato sérico em jejum deve encontrar-se abaixo do intervalo de referência correspondente à idade.

A dose inicial recomendada é de 0,4 mg/kg de peso corporal e a dose de manutenção normal é de 0,8 mg/kg de burosumab administrado de 2 em 2 semanas.

A dose máxima é de 90 mg. Todas as doses devem ser arredondadas para os 10 mg mais próximos.

Após o início do tratamento com burosumab, o fosfato sérico em jejum deve ser medido de 2 em 2 semanas durante o primeiro mês de tratamento, de 4 em 4 semanas durante os 2 meses seguintes e daí em diante, conforme apropriado.

O fosfato sérico em jejum deve ser também medido 4 semanas após qualquer ajuste da dose.
Se o fosfato sérico em jejum estiver no intervalo de referência correspondente à idade, a dose deve ser mantida.

Para diminuir o risco de mineralização ectópica, recomenda-se que o fosfato sérico em jejum a atingir esteja próximo do limite inferior do intervalo de referência normal correspondente à idade.
Administração
O tratamento deve ser iniciado por um médico com experiência no tratamento de doentes com doenças ósseas metabólicas.

Via subcutânea.

O burosumab deve ser injectado no braço, abdómen, nádega ou coxa.

O volume máximo de medicamento por local de injecção é de 1,5 ml.

Se for necessário mais de 1,5 ml num determinado dia de administração da dose, o volume total de medicamento deve ser dividido e administrado em dois locais de injecção diferentes.

Os locais de injecção devem ser rodados e cuidadosamente monitorizados para despistar sinais de potenciais reacções.
Contraindicações
Hipersensibilidade ao Burosumab.

Administração concomitante com fosfato oral, análogos da vitamina D.

Fosfato sérico em jejum acima do intervalo normal correspondente à idade, devido ao risco de hiperfosfatemia.

Doentes com compromisso renal grave ou com doença renal em fase terminal.
Efeitos indesejáveis/adversos
Efeitos secundários (muito frequentes – podem afectar mais de 1 em cada 10 crianças)
• Abcesso num dente (infecção)
• Dores de cabeça
• Tonturas
• Dores de dentes
• Erupção na pele
• Dor nos músculos (mialgia) e nas mãos e pés
• Nível baixo de vitamina D no sangue
• Reacções no local onde a injecção foi dada, o que pode incluir:
- vermelhidão ou erupção na pele
- dor ou comichão
- inchaço
- sangramento ou formação de nódoas negras

Estas reacções no local de injecção são geralmente ligeiras e ocorrem no período de um dia após a injecção, e geralmente melhoram em cerca de 1 a 3 dias.
Advertências
Gravidez
Gravidez:
Gravidez:Burosumab não é recomendado durante a gravidez e em mulheres com potencial para engravidar que não utilizam métodos contraceptivos.
Aleitamento
Aleitamento:
Aleitamento:Tem de ser tomada uma decisão sobre a descontinuação da amamentação ou a descontinuação/abstenção da terapêutica com Burosumab tendo em conta o benefício da amamentação para a criança e o benefício da terapêutica para a mulher.
Condução
Condução:
Condução:O burosumab poderá ter uma influência reduzida sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas. Poderão ocorrer tonturas após a administração do burosumab.
Precauções gerais
Foi observada mineralização ectópica, conforme manifestada por nefrocalcinose, em doentes com XLH tratados com fósforo oral e com análogos da vitamina D; estes medicamentos devem ser descontinuados, pelo menos, 1 semana antes de se iniciar o tratamento com burosumab.

Recomenda-se a monitorização de sinais e sintomas de nefrocalcinose, p. ex., por ecografia renal, no início do tratamento e de 6 em 6 meses durante os primeiros 12 meses de tratamento, e daí em diante, anualmente. Recomenda-se a monitorização da fosfatase alcalina, cálcio, PTH (hormona paratiróide) e creatinina no plasma de 6 em 6 meses (de 3 em 3 meses para crianças com 1-2 anos de idade) ou conforme indicado.
Sugere-se a monitorização do cálcio e fosfato na urina de 3 em 3 meses. Hiperfosfatemia.
Deve monitorizar-se o nível de fosfato sérico em jejum do doente devido ao risco de hiperfosfatemia. Para diminuir o risco de mineralização ectópica, recomenda-se que o fosfato sérico em jejum a atingir se encontre na extremidade inferior do intervalo de referência normal correspondente à idade. Poderá ser necessário interromper a dose e/ou reduzir a dose. Aconselha-se a determinação periódica do fosfato sérico pós-prandial.

Foram observados aumentos da hormona paratiróide sérica em alguns doentes com XLH durante o tratamento com burosumab. Aconselha-se a determinação periódica da hormona paratiróide sérica.

A administração de burosumab poderá resultar em reacções locais no local de injecção. A administração deverá ser interrompida em qualquer doente com reacções graves no local de injecção, devendo administrar-se terapêutica médica apropriada.

O burosumab tem de ser descontinuado se ocorrerem reacções de hipersensibilidade graves e deve iniciar-se tratamento médico apropriado.
Cuidados com a dieta
Não aplicável.
Resposta à overdose
Procurar atendimento médico de emergência, ou ligue para o Centro de intoxicações.

Não existe qualquer experiência com a sobredosagem de burosumab.
O burosumab foi administrado em ensaios clínicos pediátricos sem toxicidade limitante da dose, utilizando doses até 2,0 mg/kg de peso corporal com uma dose máxima de 90 mg de 2 em 2 semanas.
Em ensaios clínicos em adultos, não se observou qualquer toxicidade limitante da dose com doses até 1,0 mg/kg ou com uma dose máxima total de 128 mg de 4 em 4 semanas.

Em caso de uma sobredosagem, recomenda-se a descontinuação do burosumab e a monitorização da resposta bioquímica.
Terapêutica interrompida
Se falhar uma dose, fale com o médico imediatamente. A dose em falta deverá ser-lhe administrada assim que possível e o médico reorganizará as doses futuras em conformidade.
Cuidados no armazenamento
Manter Burosumab fora da vista e do alcance das crianças.

Não utilize Burosumab após o prazo de validade impresso na embalagem exterior e no rótulo. Conservar no frigorífico (2ºC a 8ºC). Não congelar.
Manter o frasco para injectáveis dentro da embalagem exterior para proteger da luz. Não utilize Burosumab se tiver partículas visíveis.

Qualquer medicamento não utilizado ou resíduos devem ser eliminados de acordo com as exigências locais.
Espectro de susceptibilidade e tolerância bacteriológica
Sem informação.
Contraindicado

Burosumab + Fosfatos

Observações:
Interacções: A administração concomitante do burosumab com fosfato oral e com análogos da vitamina D é contra-indicada, pois poderá causar um aumento do risco de hiperfosfatemia e hipercalcemia. - Fosfatos
Contraindicado

Burosumab + Vitaminas D

Observações:
Interacções: A administração concomitante do burosumab com fosfato oral e com análogos da vitamina D é contra-indicada, pois poderá causar um aumento do risco de hiperfosfatemia e hipercalcemia. - Vitaminas D
Usar com precaução

Burosumab + Cálcio

Observações:
Interacções: Deve ter-se precaução ao associar-se o burosumab com medicamentos calcimiméticos (i.e. agentes que simulam o efeito do cálcio nos tecidos activando o receptor do cálcio). A co-administração destes medicamentos não foi estudada em ensaios clínicos e poderá potencialmente exacerbar a hipocalcemia. - Cálcio
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções do Burosumab
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 12 de Abril de 2022