Brometo de rocurónio

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
O Brometo de rocurónio é um relaxante muscular não despolarizante de duração intermédia e rápido início de acção.

É um bloqueador neuromuscular aminoesteróide usado em anestesia moderna, para facilitar a entubação endotraqueal e para proporcionar relaxamento muscular durante a cirurgia ou ventilação mecânica.
Usos comuns
Bloqueio neuromuscular de longa duração, nomedadamente para Anestesia Geral ou Cuidados Intensivos.
Tratamento do Tétano.
Tipo
Sem informação.
Indicações
O brometo de rocurónio está indicado em adultos e doentes pediátricos (desde recém-nascidos de termo a adolescentes, 0 a <18 anos) como adjuvante na anestesia geral para facilitar a entubação endotraqueal, durante a indução de sequência de rotina e para proporcionar um relaxamento da musculatura esquelética durante a cirurgia.

Em adultos, o brometo de rocurónio está também indicado para facilitar a entubação endotraqueal durante a indução de sequência rápida e como adjuvante na unidade de cuidados intensivos (UCI) para facilitar a entubacção e ventilação mecânica, numa utilização de curta duração.
Classificação CFT

02.03.02 : acção periférica

Mecanismo de ação
O Brometo de rocurónio é uma substância bloqueadora neuromuscular não despolarizante de início rápido e de acção intermédia possuindo todas as características farmacológicas desta classe de fármacos (curariformes).

Actua por competição para os receptores colinérgicos nicotínicos na placa motora.

Esta acção é antagonizada pelos inibidores da acetilcolinesterase tais como neostigmina, edrofónio e piridostigmina.
Posologia orientativa
Adultos:
A dose normal é 0,6 mg por kg de peso corporal e o efeito durará 30-40 minutos.

Poderão ser-lhe administradas doses adicionais, se necessário.

A dose é ajustada às necessidades de cada paciente pelo seu anestesista.
Administração
Via intravenosa.

O Brometo de rocurónio é administrado por via intravenosa (iv) por injecção em bolus ou por perfusão contínua.
Contraindicações
O brometo de rocurónio está contra-indicado em doentes com hipersensibilidade ao rocurónio, ao ião brometo.
Efeitos indesejáveis/adversos
Muito raros (podem afectar até 1 em 10.000 pessoas):
Reacções de hipersensibilidade (reacções alérgicas) e sintomas associados.

Uma reacção de hipersensibilidade pode incluir erupção na pele, comichão, dificuldade em respirar, tensão arterial baixa, batimento cardíaco rápido, colapso circulatório, choque ou inchaço da cara, lábios, garganta ou língua, erupção da pele com comichão (urticária), pápulas, vermelhidão da pele.

Adicionalmente durante a anestesia pode ocorrer uma situação em que se desenvolvem outras dificuldades a nível do sistema respiratório (complicação das vias aéreas por anestesia).

Desconhecido (não pode ser calculado a partir dos dados disponíveis):
Paragem respiratória
Insuficiência respiratória.

Outros efeitos secundários incluem:
Pouco frequentes/raros (podem afectar entre 1-10 em 1.000 pessoas):
Aceleração do batimento cardíaco (taquicardia)*
Recuperação demorada da anestesia
Diminuição da tensão arterial (hipotensão)
O medicamento não foi eficaz
O efeito do medicamento em geral foi aumentado ou diminuído
A resposta do organismo ao medicamento pode ser aumentada ou diminuída
Dor no local de injecção
Efeito prolongado do relaxamento muscular (bloqueio neuromuscular prolongado)

Muito raros (podem afectar até 1 em 10.000 pessoas):
Concentrações elevadas de histamina no sangue
Síbilo (broncospasmo)
Perda de movimento (paralisia flácida)
Fraqueza muscular (após utilização prolongada deste medicamento na UCI, em especial se administrado com cortisona).

*Estudos clínicos sugerem que em doentes pediátricos é frequente ocorrer aceleração do batimento cardíaco que poderá afectar até 1 em 10 pessoas.
Advertências
Gravidez
Gravidez:
Gravidez:O Brometo de Rocurónio só deve ser administrado a mulheres grávidas, quando o médico responsável decidir que os benefícios superam os riscos.
Aleitamento
Aleitamento:
Aleitamento:Só deve ser administrado a mulheres a amamentar, quando o médico responsável decidir que os benefícios superam os riscos.
Condução
Condução:
Condução:Não se recomenda a condução de veículos durante as primeiras 24 horas após a recuperação completa do efeito do medicamento.
Precauções gerais
O brometo de rocurónio deve ser administrado apenas por profissionais de saúde, familiarizados com a utilização de agentes bloqueadores neuromusculares.

Devem estar disponíveis para utilização imediata instalações adequadas e profissionais de saúde experientes para proceder a intubacção endotraqueal e ventilação artificial no caso de ser necessário.

Uma vez que o brometo de rocurónio provoca paralisia dos músculos respiratórios, é necessário manter o doente sob ventilação assistida até que recupere a respiração espontânea.

Tal como acontece com todos os bloqueadores neuromusculares, é importante prever a possibilidade de dificuldades de intubação, particularmente quando o medicamento é usado como parte de uma técnica de indução de sequência rápida.

Tal como o que acontece com outros agentes bloqueadores neuromusculares, foi notificado para o rocurónio curarização residual.

A fim de evitar complicações resultantes de curarização residual, é recomendável a remoção do tubo somente após suficiente recuperação do bloqueio neuromuscular pelo doente.

Devem também considerar-se outros factores que possam causar curarização residual após remoção do tubo traqueal na fase pós-operatória (tais como interacções medicamentosas ou a condição do doente).

Se não fizer parte da prática clínica corrente, deve ser considerada a utilização de um agente de reversão (tal como sugamadex ou inibidores da acetilcolinesterase), especialmente nos casos em que é mais frequente ocorrer curarização residual.

É essencial assegurar que o doente está a respirar espontânea, profunda e regularmente antes de sair do bloco operatório, após a anestesia.

Podem ocorrer reacções anafilácticas após administração de agentes bloqueadores neuromusculares.

Devem ser sempre tomadas precauções no tratamento destas reacções.

Particularmente em doentes com antecedentes de reacções anafilácticas aos agentes bloqueadores neuromusculares, deve ter-se especial precaução uma vez que têm sido notificadas reacções alérgicas cruzadas aos agentes bloqueadores neuromusculares.

Doses de brometo de rocurónio superiores a 0,9 mg/kg podem aumentar a frequência cardíaca; este efeito pode contrariar a bradicardia produzida por outros fármacos anestésicos ou por estimulação vagal.

De um modo geral, tem sido referida paralisia prolongada e/ou enfraquecimento dos músculos esqueléticos após utilização prolongada de relaxantes musculares na Unidade de Cuidados Intensivos (UCI).

De forma a evitar um possível prolongamento do bloqueio neuromuscular e/ou uma situação de sobredosagem, é fortemente recomendada a monitorização da transmissão neuromuscular durante a administração de relaxantes musculares.

Adicionalmente os doentes podem receber analgesia e sedação adequadas.

Por outro lado, os relaxantes musculares devem ser administrados em doses eficazes ajustadas individualmente.

Esta prática deve ser efectuada por ou mediante supervisão de clínicos experientes, familiarizados com as suas acções e técnicas apropriadas de monitorização neuromuscular.

Tem sido notificada miopatia regularmente nos casos de utilização concorrente de longo termo de bloqueadores neuromusculares não-despolarizantes e corticosteróides.

O período de administração concomitante deve ser reduzido devendo ser o mais curto possível.

Se for utilizado suxametónio para intubação, a administração de rocurónio deve ser retardada até que o doente tenha recuperado clinicamente do bloqueio neuromuscular induzido pelo suxametónio.

As seguintes doenças podem influenciar a farmacocinética e/ou a farmacodinâmica do brometo de rocurónio:
Doença hepática e/ou das vias biliares e insuficiência renal.
O brometo de rocurónio é excretado através da urina e da bílis.

Desta forma deve ser utilizado com precaução em indivíduos com doença hepática e/ou das vias biliares e/ou insuficiência renal clinicamente significativas.

Nestes grupos de doentes foi observado um prolongamento do efeito com doses de 0,6 mg de brometo de rocurónio por kg de peso corporal.

Prolongamento do Tempo de Circulação:
Condições associadas ao prolongamento do tempo de circulação, tais como doenças cardiovasculares, idade avançada e estado edematoso, resultando num aumento do volume de distribuição, podem contribuir para um atraso no início da acção.

A duração da acção pode igualmente ser prolongada devido a uma depuração plasmática reduzida.

Doença neuromuscular:
Tal como com outras substâncias bloqueadoras neuromusculares, brometo de rocurónio deve ser usado com a máxima precaução em indivíduos com doença neuromuscular ou após poliomielite, visto que a resposta às substâncias bloqueadoras neuromusculares pode estar consideravelmente alterada nestes doentes.

A magnitude e a direcção desta alteração podem variar muito.

Em doentes com miastenia grave ou com síndroma miasténico (Eaton-Lambert) pequenas doses de brometo de rocurónio podem causar efeitos profundos, pelo que a dose de brometo de rocurónio deve ser determinada em função da resposta.

Hipotermia:
Em cirurgias sob condições de hipotermia, o efeito bloqueador neuromuscular de brometo de rocurónio aumenta e a sua duração de acção prolonga-se.

Obesidade:
Tal como com outras substâncias bloqueadoras neuromusculares, o brometo de rocurónio pode apresentar um prolongamento da duração e da recuperação espontânea em doentes obesos, quando as doses administradas são calculadas com base no peso corporal real.

Queimaduras:
Sabe-se que os doentes com queimaduras desenvolvem resistências aos bloqueadores neuromusculares não despolarizantes.

Recomenda-se o ajustamento da dose em função da resposta.

Situações que podem aumentar o efeito do brometo de rocurónio:
Hipocaliemia (p.ex: após vómitos intensos, diarreias e terapêutica diurética), hipermagnesemia, hipocalcemia (após transfusões maciças), hipoproteinemia, desidratação, acidose, hipercapnia e caquexia.

Distúrbios electrolíticos graves, alterações do pH sérico ou desidratação devem ser corrigidos quando possível.
Cuidados com a dieta
Sem informação.
Resposta à overdose
Procurar atendimento médico de emergência, ou ligar para o Centro de intoxicações.

Sintomas:
O principal sintoma da sobredosagem é o bloqueio neuromuscular prolongado.

Em estudos com animais, a depressão grave da função cardiovascular, conducente em última análise ao colapso cardíaco, não ocorreu até ter sido administrada uma dose acumulada de 750 x ED90 (135 mg de brometo de rocurónio por kg de peso corporal).

Tratamento:
Sempre que ocorra uma sobredosagem ou um bloqueio neuromuscular prolongado, o doente deve permanecer sob ventilação assistida e sedação.

Existem duas opções para a reversão do bloqueio neuromuscular:
(1) Em adultos pode ser utilizado o sugamadex para reversão do bloqueio intenso e profundo.

A dose de sugamadex a administrar depende do nível de bloqueio neuromuscular.

(2) Pode ser utilizado um inibidor da acetilcolinesterase (p. ex. neostigmina, edrofónio, piridostigmina) ou sugamadex, assim que seja iniciada a recuperação espontânea e deve ser administrado em doses adequadas.

Quando a administração de um inibidor da acetilcolinesterase falha na inversão dos efeitos neuromusculares de brometo de rocurónio, deve manter-se a ventilação artificial até recuperação espontânea da respiração.

A administração repetida de um inibidor da acetilcolinesterase pode ser perigosa.
Terapêutica interrompida
O Brometo de rocurónio é um anestésico, só é usado quando necessário.
Cuidados no armazenamento
Conservar no frigorífico (entre 2ºC-8ºC).
Este medicamento é armazenado em meio hopsitalar.
Espectro de susceptibilidade e tolerância bacteriológica
Sem informação.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Anestésicos halogenados

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Os anestésicos voláteis halogenados potenciam o bloqueio neuromuscular do brometo de rocurónio. O efeito torna-se aparente apenas com dosagens de manutenção. A reversão do efeito com inibidores da acetilcolinesterase também pode ser inibida. - Anestésicos halogenados
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Tiopental sódico

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Doses elevadas de: Tiopental, metohexital, cetamina, fentanilo, gama-hidroxibutirato, etomidato e propofol. Após intubação com suxametónio. A administração concomitante e a longo prazo de corticosteróides e rocurónio na UCI pode resultar num prolongamento do bloqueio neuromuscular, ou miopatia. - Tiopental sódico
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Metoexital

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Doses elevadas de: Tiopental, metohexital, cetamina, fentanilo, gama-hidroxibutirato, etomidato e propofol. Após intubação com suxametónio. A administração concomitante e a longo prazo de corticosteróides e rocurónio na UCI pode resultar num prolongamento do bloqueio neuromuscular, ou miopatia. - Metoexital
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Cetamina

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Doses elevadas de: Tiopental, metohexital, cetamina, fentanilo, gama-hidroxibutirato, etomidato e propofol. Após intubação com suxametónio. A administração concomitante e a longo prazo de corticosteróides e rocurónio na UCI pode resultar num prolongamento do bloqueio neuromuscular, ou miopatia. - Cetamina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Fentanilo

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Doses elevadas de: Tiopental, metohexital, cetamina, fentanilo, gama-hidroxibutirato, etomidato e propofol. Após intubação com suxametónio. A administração concomitante e a longo prazo de corticosteróides e rocurónio na UCI pode resultar num prolongamento do bloqueio neuromuscular, ou miopatia. - Fentanilo
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Ácido gama-hidroxibutírico

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Doses elevadas de: Tiopental, metohexital, cetamina, fentanilo, gama-hidroxibutirato, etomidato e propofol. Após intubação com suxametónio. A administração concomitante e a longo prazo de corticosteróides e rocurónio na UCI pode resultar num prolongamento do bloqueio neuromuscular, ou miopatia. - Ácido gama-hidroxibutírico
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Etomidato

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Doses elevadas de: Tiopental, metohexital, cetamina, fentanilo, gama-hidroxibutirato, etomidato e propofol. Após intubação com suxametónio. A administração concomitante e a longo prazo de corticosteróides e rocurónio na UCI pode resultar num prolongamento do bloqueio neuromuscular, ou miopatia. - Etomidato
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Propofol

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Doses elevadas de: Tiopental, metohexital, cetamina, fentanilo, gama-hidroxibutirato, etomidato e propofol. Após intubação com suxametónio. A administração concomitante e a longo prazo de corticosteróides e rocurónio na UCI pode resultar num prolongamento do bloqueio neuromuscular, ou miopatia. - Propofol
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Cloreto de suxametónio

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Doses elevadas de: Tiopental, metohexital, cetamina, fentanilo, gama-hidroxibutirato, etomidato e propofol. Após intubação com suxametónio. A administração concomitante e a longo prazo de corticosteróides e rocurónio na UCI pode resultar num prolongamento do bloqueio neuromuscular, ou miopatia. Efeito variável: A administração de outros bloqueadores neuromusculares não-despolarizantes em associação com o brometo de rocurónio, pode atenuar ou potenciar o bloqueio neuromuscular, dependendo da ordem da administração e do agente de bloqueio neuromuscular empregue. O suxametónio administrado após o brometo de rocurónio pode originar uma potenciação ou atenuar o efeito de bloqueio neuromuscular do brometo de rocurónio. - Cloreto de suxametónio
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Antibióticos

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Antibióticos: Aminoglicosídeos, lincosamidas (p.ex: lincomicina e clindamicina) e antibióticos polipeptídicos, acilaminopenicilinas, tetraciclinas e doses elevadas de metronidazol. Após a administração pós-operatória de aminoglicosídeos, lincosamida, antibióticos polipeptídicos, acilaminopenicilinas, quinidina, quinina e sais de magnésio, foram relatados fenómenos de recurarização. - Antibióticos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Aminoglicosídeos

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Antibióticos: Aminoglicosídeos, lincosamidas (p.ex: lincomicina e clindamicina) e antibióticos polipeptídicos, acilaminopenicilinas, tetraciclinas e doses elevadas de metronidazol. Após a administração pós-operatória de aminoglicosídeos, lincosamida, antibióticos polipeptídicos, acilaminopenicilinas, quinidina, quinina e sais de magnésio, foram relatados fenómenos de recurarização. - Aminoglicosídeos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Lincosamidas

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Antibióticos: Aminoglicosídeos, lincosamidas (p.ex: lincomicina e clindamicina) e antibióticos polipeptídicos, acilaminopenicilinas, tetraciclinas e doses elevadas de metronidazol. - Lincosamidas
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Lincomicina

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Antibióticos: Aminoglicosídeos, lincosamidas (p.ex: lincomicina e clindamicina) e antibióticos polipeptídicos, acilaminopenicilinas, tetraciclinas e doses elevadas de metronidazol. Após a administração pós-operatória de aminoglicosídeos, lincosamida, antibióticos polipeptídicos, acilaminopenicilinas, quinidina, quinina e sais de magnésio, foram relatados fenómenos de recurarização. - Lincomicina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Clindamicina

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Antibióticos: Aminoglicosídeos, lincosamidas (p.ex: lincomicina e clindamicina) e antibióticos polipeptídicos, acilaminopenicilinas, tetraciclinas e doses elevadas de metronidazol. - Clindamicina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Acilaminopenicilinas

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Antibióticos: Aminoglicosídeos, lincosamidas (p.ex: lincomicina e clindamicina) e antibióticos polipeptídicos, acilaminopenicilinas, tetraciclinas e doses elevadas de metronidazol. Após a administração pós-operatória de aminoglicosídeos, lincosamida, antibióticos polipeptídicos, acilaminopenicilinas, quinidina, quinina e sais de magnésio, foram relatados fenómenos de recurarização. - Acilaminopenicilinas
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Tetraciclinas

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Antibióticos: Aminoglicosídeos, lincosamidas (p.ex: lincomicina e clindamicina) e antibióticos polipeptídicos, acilaminopenicilinas, tetraciclinas e doses elevadas de metronidazol. - Tetraciclinas
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Metronidazol

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Antibióticos: Aminoglicosídeos, lincosamidas (p.ex: lincomicina e clindamicina) e antibióticos polipeptídicos, acilaminopenicilinas, tetraciclinas e doses elevadas de metronidazol. - Metronidazol
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Diuréticos

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Diuréticos, quinidina e o seu isómero quinina, protamina, agentes bloqueadores adrenérgicos, sais de magnésio, bloqueadores dos canais de cálcio e sais de lítio e anestésicos locais (lidocaína i.v. e bupivacaína epidural) e administração aguda de fenitoína ou de agentes beta-bloqueadores. - Diuréticos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Quinidina

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Diuréticos, quinidina e o seu isómero quinina, protamina, agentes bloqueadores adrenérgicos, sais de magnésio, bloqueadores dos canais de cálcio e sais de lítio e anestésicos locais (lidocaína i.v. e bupivacaína epidural) e administração aguda de fenitoína ou de agentes beta-bloqueadores. Após a administração pós-operatória de aminoglicosídeos, lincosamida, antibióticos polipeptídicos, acilaminopenicilinas, quinidina, quinina e sais de magnésio, foram relatados fenómenos de recurarização. - Quinidina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Quinina

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Diuréticos, quinidina e o seu isómero quinina, protamina, agentes bloqueadores adrenérgicos, sais de magnésio, bloqueadores dos canais de cálcio e sais de lítio e anestésicos locais (lidocaína i.v. e bupivacaína epidural) e administração aguda de fenitoína ou de agentes beta-bloqueadores. Após a administração pós-operatória de aminoglicosídeos, lincosamida, antibióticos polipeptídicos, acilaminopenicilinas, quinidina, quinina e sais de magnésio, foram relatados fenómenos de recurarização. - Quinina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Protamina

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Diuréticos, quinidina e o seu isómero quinina, protamina, agentes bloqueadores adrenérgicos, sais de magnésio, bloqueadores dos canais de cálcio e sais de lítio e anestésicos locais (lidocaína i.v. e bupivacaína epidural) e administração aguda de fenitoína ou de agentes beta-bloqueadores. - Protamina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Bloqueadores beta-adrenérgicos (betabloqueadores)

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Diuréticos, quinidina e o seu isómero quinina, protamina, agentes bloqueadores adrenérgicos, sais de magnésio, bloqueadores dos canais de cálcio e sais de lítio e anestésicos locais (lidocaína i.v. e bupivacaína epidural) e administração aguda de fenitoína ou de agentes beta-bloqueadores. - Bloqueadores beta-adrenérgicos (betabloqueadores)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Magnésio

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Diuréticos, quinidina e o seu isómero quinina, protamina, agentes bloqueadores adrenérgicos, sais de magnésio, bloqueadores dos canais de cálcio e sais de lítio e anestésicos locais (lidocaína i.v. e bupivacaína epidural) e administração aguda de fenitoína ou de agentes beta-bloqueadores. Após a administração pós-operatória de aminoglicosídeos, lincosamida, antibióticos polipeptídicos, acilaminopenicilinas, quinidina, quinina e sais de magnésio, foram relatados fenómenos de recurarização. - Magnésio
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Bloqueadores da entrada de cálcio (antagonistas de cálcio)

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Diuréticos, quinidina e o seu isómero quinina, protamina, agentes bloqueadores adrenérgicos, sais de magnésio, bloqueadores dos canais de cálcio e sais de lítio e anestésicos locais (lidocaína i.v. e bupivacaína epidural) e administração aguda de fenitoína ou de agentes beta-bloqueadores. - Bloqueadores da entrada de cálcio (antagonistas de cálcio)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Lítio

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Diuréticos, quinidina e o seu isómero quinina, protamina, agentes bloqueadores adrenérgicos, sais de magnésio, bloqueadores dos canais de cálcio e sais de lítio e anestésicos locais (lidocaína i.v. e bupivacaína epidural) e administração aguda de fenitoína ou de agentes beta-bloqueadores. - Lítio
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Anestésicos locais

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Diuréticos, quinidina e o seu isómero quinina, protamina, agentes bloqueadores adrenérgicos, sais de magnésio, bloqueadores dos canais de cálcio e sais de lítio e anestésicos locais (lidocaína i.v. e bupivacaína epidural) e administração aguda de fenitoína ou de agentes beta-bloqueadores. - Anestésicos locais
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Lidocaína

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Diuréticos, quinidina e o seu isómero quinina, protamina, agentes bloqueadores adrenérgicos, sais de magnésio, bloqueadores dos canais de cálcio e sais de lítio e anestésicos locais (lidocaína i.v. e bupivacaína epidural) e administração aguda de fenitoína ou de agentes beta-bloqueadores. A utilização em associação com a lidocaína pode resultar num efeito mais instantâneo da lidocaína. - Lidocaína
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Bupivacaína

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Diuréticos, quinidina e o seu isómero quinina, protamina, agentes bloqueadores adrenérgicos, sais de magnésio, bloqueadores dos canais de cálcio e sais de lítio e anestésicos locais (lidocaína i.v. e bupivacaína epidural) e administração aguda de fenitoína ou de agentes beta-bloqueadores. - Bupivacaína
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Fenitoína

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Aumento de Efeito: Diuréticos, quinidina e o seu isómero quinina, protamina, agentes bloqueadores adrenérgicos, sais de magnésio, bloqueadores dos canais de cálcio e sais de lítio e anestésicos locais (lidocaína i.v. e bupivacaína epidural) e administração aguda de fenitoína ou de agentes beta-bloqueadores. Diminuição de efeito: Administração crónica prévia de fenitoína ou carbamazepina. - Fenitoína
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Neostigmina

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Diminuição de efeito: Neostigmina, edrofónio, piridostigmina, derivados da aminopiridina. Administração crónica prévia de fenitoína ou carbamazepina. - Neostigmina
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Cloreto de edrofónio

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Diminuição de efeito: Neostigmina, edrofónio, piridostigmina, derivados da aminopiridina. Administração crónica prévia de fenitoína ou carbamazepina. - Cloreto de edrofónio
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Brometo de piridostigmina

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Diminuição de efeito: Neostigmina, edrofónio, piridostigmina, derivados da aminopiridina. - Brometo de piridostigmina
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Fampridina (Dalfampridina ou Aminopiridina)

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Diminuição de efeito: Neostigmina, edrofónio, piridostigmina, derivados da aminopiridina. - Fampridina (Dalfampridina ou Aminopiridina)
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Carbamazepina

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Diminuição de efeito: Administração crónica prévia de fenitoína ou carbamazepina. - Carbamazepina
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Inibidores da Protease (IP)

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Diminuição de efeito: Inibidores da protease (gabexate, ulinastatin). - Inibidores da Protease (IP)
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Gabexate

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Diminuição de efeito: Inibidores da protease (gabexate, ulinastatin). - Gabexate
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Urinastatina

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Diminuição de efeito: Inibidores da protease (gabexate, ulinastatin). - Urinastatina
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Brometo de rocurónio + Bloqueadores neuromusculares

Observações: Não foram realizados estudos de interacção formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interacções: Efeito variável: A administração de outros bloqueadores neuromusculares não-despolarizantes em associação com o brometo de rocurónio, pode atenuar ou potenciar o bloqueio neuromuscular, dependendo da ordem da administração e do agente de bloqueio neuromuscular empregue. O suxametónio administrado após o brometo de rocurónio pode originar uma potenciação ou atenuar o efeito de bloqueio neuromuscular do brometo de rocurónio. - Bloqueadores neuromusculares
Usar com precaução

Sugamadex + Brometo de rocurónio

Observações: n.d.
Interacções: interacções que potencialmente afectam a eficácia de sugamadex (interacções por deslocamento): A administração de certos fármacos após sugamadex, teoricamente, pode levar a que o rocurónio ou o vecurónio sejam deslocados do sugamadex. Consequentemente, pode ser observada recorrência de bloqueio neuro muscular. Nesta situação o doente deverá ser ventilado. A administração do fármaco que causa deslocamento deverá ser interrompida em caso de perfusão. Nas situações em que as potenciais interacções por deslocamento podem ser antecipadas, os doentes deverão ser cuidadosamente monitorizados em relação aos sinais de recorrência de bloqueio neuromuscular (aproximadamente até 15 minutos) após a administração parentérica de outro fármaco num período de 7,5 horas após a administração de sugamadex. Para o toremifeno, que tem uma afinidade de ligação ao sugamadex relativamente alta e que para o qual podem estar presentes concentrações plasmáticas relativamente elevadas, pode ocorrer algum deslocamento de vecurónio ou rocurónio do complexo com sugamadex. interacções devidas ao prolongamento do efeito de rocurónio ou vecurónio: Quando são administrados no período pós-operatório medicamentos que potenciam o bloqueio neuromuscular, deverá ter-se especial atenção à possibilidade de recorrência de bloqueio neuromuscular. Por favor, consultar o folheto informativo de rocurónio ou vecurónio a lista de fármacos específicos que potenciam o bloqueio neuromuscular. No caso de ser observada recorrência de bloqueio neuromuscular, o doente pode necessitar de ventilação mecânica e re-administração de sugamadex. - Brometo de rocurónio
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Primidona + Brometo de rocurónio

Observações: Tanto a primidona como o seu principal metabolito, o fenobarbital, induzem a actividade enzimática hepática, principalmente o sistema enzimático CYP4503A4. Isto pode provocar alterações na farmacocinética de fármacos administrados simultaneamente.
Interacções: Os fármacos cujo metabolismo possa ser aumentado e levar a uma diminuição da concentração plasmática e/ou diminuição do tempo de semi-vida, devido a uma terapêutica concomitante são: Androgéneos, beta-antagonistas, carbamazepina, ciclosporina, clonazepam, cloranfenicol, corticosteróides/glucocorticóides, ciclofosfamida, dicumarinas, digitoxina, doxiciclina, etosuxamida, etoposido, felbamato, granissetrom, lamotrigina, losartan, metadona, metronidazol, mianserina, Montelucaste, nelfinavir, nimodipina, Contraceptivos orais, oxcarbazepina, fentoína, quinidina, rocurónio, valproato de sódio, tiagabina, teofilinas, topiramato, antidepressores tricíclicos, vecurónio, varfarina e zonisamida. - Brometo de rocurónio
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções do Brometo de rocurónio
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Novembro de 2021