Vacina pneumocócica poliosídica

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento
O que é
É uma vacina antipneumocócica polissacarídica polivalente.

Esta vacina está indicada para a prevenção de pneumonias e outras infecções pneumocócicas, a partir dos 2 anos de idade, em pessoas com idade 65 anos, doentes imunocompetentes com doenças crónicas, doentes imunocomprometidos e doentes infectados pelo VIH.

A utilização desta vacina deve ser efectuada de acordo com as Recomendações Oficiais.
Usos comuns
Está indicado na prevenção de pneumonias e infecções pneumocócicas sistémicas provocadas pelos serotipos incluídos na vacina, em indivíduos de alto risco a partir dos 2 anos de idade.

A utilização desta vacina deve ser efectuada de acordo com as Recomendações Oficiais.

Grupos de risco elevado:
- Pessoas com idade >65 anos.

- Doentes imunocompetentes com doenças crónicas (ex: doenças cardiovasculares, pulmonares, diabetes mellitus, alcoolismo, cirrose).

- Doentes imunocomprometidos: asplenia anatómica ou disfunção esplénica, anemia de células falciformes, doença de Hodgkin, linfomas, mieloma múltiplo, insuficiência renal crónica, sindroma nefrótico e doentes submetidos a transplantes.

- Doentes infectados com o VIH, sintomáticos ou assintomáticos.

- Doentes com perdas de líquido cefalorraquidiano.

- Grupos especiais: pessoas que residam ou trabalhem em locais com um risco aumentado de infecções pneumocócicas ou das suas complicações (ex: pessoas idosas hospitalizadas, pessoas em instituições de prestação de cuidados de saúde,...).
Tipo
Sem informação
História
Sem informação
Indicações
Está indicado na prevenção de pneumonias e infecções pneumocócicas sistémicas provocadas pelos serotipos incluídos na vacina, em indivíduos de alto risco a partir dos 2 anos de idade.

A utilização desta vacina deve ser efectuada de acordo com as Recomendações Oficiais.

Grupos de risco elevado:
- Pessoas com idade >65 anos.

- Doentes imunocompetentes com doenças crónicas (ex: doenças cardiovasculares, pulmonares, diabetes mellitus, alcoolismo, cirrose).

- Doentes imunocomprometidos: asplenia anatómica ou disfunção esplénica, anemia de células falciformes, doença de Hodgkin, linfomas, mieloma múltiplo, insuficiência renal crónica, sindroma nefrótico e doentes submetidos a transplantes.

- Doentes infectados com o VIH, sintomáticos ou assintomáticos.

- Doentes com perdas de líquido cefalorraquidiano.

- Grupos especiais: pessoas que residam ou trabalhem em locais com um risco aumentado de infecções pneumocócicas ou das suas complicações (ex: pessoas idosas hospitalizadas, pessoas em instituições de prestação de cuidados de saúde,...).
Classificação CFT

18.01 : Vacinas (simples e conjugadas)

Mecanismo De Acção
É uma vacina preparada a partir de antigénios polissacarídicos capsulares purificados, derivados de 23 serotipos que são responsáveis por aproximadamente 90% (ou mais) dos casos de doença pneumocócica invasiva.

A natureza da resposta imunitária é timo-independente, caracterizada por uma baixa imunogenicidade em crianças com menos de dois anos de idade e pela ausência de um efeito de reforço após injeções repetidas.

A imunidade conferida surge 2 a 3 semanas após a imunização.
Posologia Orientativa
Imunização primária: uma injecção de 0,5 ml
Reimunização: uma injecção de 0,5 ml
Administração
Administrar por injecção intramuscular (IM), preferencialmente, ou por via subcutânea (SC), alternativa.
Contra-Indicações
As contra-indicações usuais para todas as vacinas: em caso de febre, doença aguda ou doença crónica progressiva, é preferível adiar a vacinação.

- se tem alergia (hipersensiblidade) a qualquer componente da vacina.
- se teve alergia (hipersensibilidade) a uma dose anterior desta vacina ou de uma vacina contendo os mesmos componentes.

A vacinação deve ser adiada em caso de febre ou doença aguda.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Os efeitos secundários mais frequentemente notificados foram febre e reacções no local de injecção.

Infecções e infestações
- Celulite no local de injecção

Doenças do sangue e do sistema linfático
- Linfadenopatia (inchaço dos gânglios linfáticos)

Doenças do sistema imunitário
- Reacções tipo Arthus: estas reacções são reversíveis, sem sequelas, e é mais provável que ocorram em indivíduos com níveis iniciais elevados de anticorpos antipneumocócicos.
- Reacção anafiláctica/anafilaxia, incluindo choque

Doenças do sistema nervoso
- Dores de cabeça
- Convulsão febril

Afecções dos tecidos cutâneos e subcutâneos
- Exantema (manchas na pele), urticária

Afecções musculosqueléticas e dos tecidos conjuntivos
- Dores musculares, dores nas articulações

Perturbações gerais e alterações no local de administração
- Reacções no local de administração como dor, vermelhidão, induração e edema (inchaço): essas reacções locais são geralmente ligeiras e transitórias.
Foi também notificado edema periférico no membro em que foi administrada a vacina.
- Pirexia (febre).
Os episódios febris, de intensidade moderada, ocorrem geralmente pouco depois da vacinação, sendo reversíveis em 24 horas.
Foi também notificada febre superior a 39ºC.
- Astenia (fraqueza), fadiga, mal-estar.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Não é recomendado durante a gravidez.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:A vacina não deve ser administrada durante o período de aleitamento.
Precauções Gerais
Não injectar por via intradérmica.

Não injectar por via intravascular, devendo ser tomadas as devidas precauções para que a agulha não penetre num vaso sanguíneo.

Recomenda-se que a vacina antipneumocócica seja administrada, pelo menos, 2 semanas antes de uma esplenectomia (cirurgia para retirar o baço) e da iniciação de quimioterapia ou de outro tratamento imunossupressor.

A capacidade da vacina gerar uma resposta imunitária pode ser reduzida pelo tratamento imunossupressor.
Nestes casos recomenda-se adiar a vacinação até ao fim da imunossupressão.

No entanto, recomenda-se a vacinação de indivíduos com imunodeficiência crónica, como a infecção por VIH, mesmo que a resposta à vacina possa ser limitada.

A existência de antecedentes de infecção pneumocócica, provável ou confirmada, não é contra-indicação para a vacinação, devendo esta ser considerada.

A reimunização deve ser feita de acordo com a posologia.

A reimunização não é recomendada em indivíduos que tenham sido vacinados com uma vacina antipneumocócica nos 3 anos anteriores, excepto em indicações específicas.

Pode ser administrado simultaneamente com outras vacinas, noutros locais de injecção (particularmente com a vacina antigripal e com as vacinas utilizadas na imunização infantil de rotina).
Cuidados com a Dieta
Não aplicável.
Terapêutica Interrompida
Contacte o médico se não fizer uma dose de reforço.
Certifique-se que completa o esquema de vacinação.
Caso contrário poderá não ficar completamente protegida contra as doenças.
Cuidados no Armazenamento
Conservar no frigorífico (2ºC-8ºC).
Não congelar.
Conservar na embalagem de origem para proteger da luz.
Espectro de susceptibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Abatacept + Vacina pneumocócica poliosídica

Observações: N.D.
Interacções: Estudos exploratórios para avaliar o efeito do abatacept na resposta em anticorpos à vacinação em indivíduos saudáveis assim como a resposta em anticorpos contra as vacinas pneumocócica e contra o influenza em doentes com artrite reumatóide sugeriram que o abatacept pode reduzir a eficácia da resposta imunitária, mas não inibiu de forma significativa a capacidade de desenvolver uma resposta imunitária clinicamente significativa ou positiva. O abatacept foi avaliado num ensaio aberto em doentes com artrite reumatóide aos quais foi administrada a vacina contra o pneumococos 23 valente. Após vacinação pneumocócica, 62 dos 112 doentes tratados com abatacept foram capazes de obter uma resposta imunitária adequada com um aumento de, pelo menos, 2 vezes nos títulos em anticorpos contra os polissacáridos da vacina pneumocócica. - Vacina pneumocócica poliosídica
Contraindicado

Vacina pneumocócica poliosídica + Vacinas vivas

Observações: N.D.
Interacções: Não administrar simultaneamente com outras vacinas pelo risco de interacção. - Vacinas vivas
Sem efeito descrito

Vacina pneumocócica poliosídica + Vacina contra a gripe

Observações: N.D.
Interacções: A vacina contra o vírus da gripe pode ser dada desde que em local separado. - Vacina contra a gripe
Contraindicado

Vacina viva contra a zona (Herpes zoster) + Vacina pneumocócica poliosídica

Observações: N.D.
Interacções: Vacina viva contra a zona (Herpes zoster) não deve ser administrado concomitantemente com a vacina antipneumocócica polissacarídica 23-valente, uma vez que num ensaio clínico, a administração concomitante das duas vacinas resultou em imunogenicidade reduzida de Vacina viva contra a zona (Herpes zoster). - Vacina pneumocócica poliosídica
Usar com precaução

Amsacrina + Vacina pneumocócica poliosídica

Observações: n.d.
Interacções: Vacinas A administração da vacina contra a gripe ou vacina pneumocócica concomitantemente com a terapêutica imunossupressora foi associada a um compromisso da resposta imunológica à vacina. Em geral, devem evitar-se todos os tipos de vacinas vivas durante o tratamento com amsacrina. - Vacina pneumocócica poliosídica
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções da Vacina pneumocócica poliosídica
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Não é recomendado durante a gravidez e em mulheres com potencial para engravidar que não utilizam métodos contraceptivos.

Só deve ser administrado a mulheres grávidas se tal for claramente necessário e apenas após uma avaliação ponderada dos riscos e benefícios.

A vacina não deve ser administrada durante o período de aleitamento.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2021