Vacina contra a hepatite B

DCI com Advertência na Gravidez
O que é
A hepatite B é uma doença do fígado que se espalha através do sangue ou fluídos corporais, contato sexual ou partilha de drogas através de seringas IV de pessoas infetadas, ou durante o parto, quando o bebé nasce de uma mãe táque es infetada.

A hepatite causa inflamação do fígado, vómitos e icterícia (amarelamento da pele ou olhos).

A hepatite pode levar ao cancro de fígado, cirrose e morte.

A vacina contra a hepatite B é usado para ajudar a prevenir esta doença.

Esta vacina atua expondo-a a uma pequena quantidade do vírus, fazendo com que o corpo desenvolva imunidade contra a doença.

Esta vacina não serve para tratar uma infeção ativa que já se desenvolveu no corpo.

A vacinação com a vacina contra hepatite B é recomendada para todos os adultos e crianças que estão em risco de contrair hepatite B.

Os fatores de risco incluem: ter mais de um parceiro sexual em 6 meses, sendo um homossexual masculino, ter contato sexual com pessoas infetadas; ter cirrose ou hepatite C crónica, usando drogas por via intravenosa (IV), estar em diálise ou receber transfusões de sangue, trabalhando na área da saúde, da segurança pública e estar exposto a sangue ou fluidos corporais infetados, estar nas forças armadas ou viajar para áreas de alto risco e que vivem com pessoas com hepatite B crónica.

Como qualquer vacina, a vacina contra a hepatite B não pode fornecer proteção contra a doença em cada pessoa.
Usos comuns
Imunização ativa contra o vírus da hepatite B, particularmente em crianças a partir da idade escolar, profissionais de saúde, imunodeprimidos, toxicodependentes, indivíduos com marcadores de hepatite C.
Tipo
Sem informação.
História
A vacina contra a hepatite B começou a ser testada em 1975, em França e foi comercializada a partir de 1981.

As primeiras vacinas eram constituídas pelo antigénio HBs, retirado do plasma de doentes infetadas e que, ao chegar ao organismo da pessoa vacinada, desencadeava a produção de anticorpos anti-HBs, servindo assim de proteção.

Actualmente, existem vacinas chamadas "recombinantes" obtidas a partir de engenharia genética, usando células de hamsters  ou de leveduras.
Indicações
Imunização ativa contra o vírus da hepatite B, particularmente em crianças a partir da idade escolar, profissionais de saúde, imunodeprimidos, toxicodependentes, indivíduos com marcadores de hepatite C.
Classificação CFT

18.01 : Vacinas (simples e conjugadas)

Mecanismo De Ação
A vacina induz anticorpos humorais específicos contra AgHBs (anticorpos anti-HBs).

A concentração de anticorpos anti-HBs ≥10 UI/l está correlacionada com proteção contra a infeção pelo VHB.



Posologia Orientativa
Irá receber uma série de injeções (doses) da vacina.
Uma vez completado o esquema de injeções (doses) pode-se esperar uma proteção a longo prazo contra a hepatite B.

Bebés recém-nascidos, crianças e adolescentes com idade igual e inferior a 15 anos geralmente recebem 10 micrograma/0,5 ml de vacina.

Existem diferentes esquemas de vacinação.

Esquema de vacinação 1 – recém-nascidos, crianças e adolescentes até aos 15 anos de idade, inclusive
Primeira dose: - neste momento
Segunda dose: - 1 mês após a primeira dose
Terceira dose: - 6 meses após a primeira dose

Esquema de vacinação 2 – recém-nascidos, crianças e adolescentes até aos 15 anos de idade, inclusive
Primeira dose: - neste momento
Segunda dose: - 1 mês após a primeira dose
Terceira dose: - 2 meses após a primeira dose
Quarta dose: - 12 meses após a primeira dose

Em bebés recém-nascidos, o esquema 2 irá permitir que a vacina seja administrado na mesma altura que outras vacinas de rotina da infância.

Este esquema pode também ser utilizado se está a receber a vacina devido a uma exposição recente à hepatite B, uma vez que irá proteger mais rapidamente.

Adultos e adolescentes com idade igual e superior a 16 anos irão administrar 20 microgramas/1 ml de vacina.

Esquema de vacinação 1 – para adultos ou adolescentes com idade igual e superior a 16 anos
Primeira dose: - neste momento
Segunda dose: - 1 mês após a primeira dose
Terceira dose: - 6 meses após a primeira dose

Esquema de vacinação 2 – para adultos ou adolescentes com idade igual e superior a 16 anos
Primeira dose: - neste momento
Segunda dose: - 1 mês após a primeira dose
Terceira dose: - 2 meses após a primeira dose
Quarta dose: - 12 meses após a primeira dose

Este esquema pode também ser utilizado se está a receber a vacina devido a uma exposição recente à hepatite B, uma vez que irá proteger mais rapidamente.

Esquema de vacinação 3 – apenas para adultos (idade igual e superior a 18 anos)
Este esquema apenas lhe será aplicado em circunstâncias excecionais, por exemplo, se tiver que viajar para uma área de risco em um mês após ser vacinado.
Primeira dose: - neste momento
Segunda dose: - 1 semana após a primeira dose
Terceira dose: - 3 semanas após a primeira dose
Quarta dose: - 12 meses após a primeira dose

Esquema de vacinação 4 – apenas para crianças e adolescentes dos 11 aos 15 anos de idade

Este esquema é apenas utilizado quando existem dúvidas que a criança irá administrar a terceira dose. Neste esquema é administrada a vacina(20 microgramas / 1 ml). Este irá conferir um nível de proteção superior que com 2 doses da vacina (10 microgramas / 0,5 ml).
Primeira dose: - neste momento
Segunda dose: - 6 meses depois

Quando este esquema é utilizado, a proteção nem sempre é obtida até após a administração da segunda dose.
Este esquema de vacinação de duas doses é apenas utilizado se existir um risco relativamente baixo de infeção por hepatite B durante o esquema de vacinação e quando puder ser assegurado que o esquema é completado.

É muito importante que regresse para as doses (injeções) nas datas recomendadas.
Se tiver alguma questão sobre a quantidade de vacina que lhe está a ser administrada, consulte o médico.
Administração
A vacina deve ser administrado por via intramuscular, na região deltoide em crianças ou na região antero-lateral da coxa em recém-nascidos, lactentes e crianças pequenas.

Excecionalmente, a vacina poderá ser administrada por via subcutânea, em doentes com trombocitopenia ou alterações da coagulação.
Contraindicações
As contraindicações usuais para todas as vacinas: em caso de febre, doença aguda ou doença crónica progressiva, é preferível adiar a vacinação.

Hipersensibilidade conhecida à vacina ou a indivíduos que tenham tido manifestações de hipersensibilidade após uma anterior administração da vacina.

Tal como acontece com qualquer outra vacina, a administração da vacina deve ser adiada nos indivíduos com síndrome febril grave.

No entanto, a presença de uma infeção ligeira não constitui uma contraindicação para a imunização.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Doenças do sangue e do sistema linfático
Raros: linfadenopatia

Doenças do sistema nervoso
Muito frequentes: cefaleias
Frequentes: sonolência
Pouco frequentes: tonturas
Raros: parestesias

Doenças gastrointestinais
Frequentes: sintomas gastrointestinais (tais como náuseas, vómitos, diarreia, dor abdominal)

Afeções dos tecidos cutâneos e subcutâneos
Raros: urticária, prurido, erupções cutâneas

Afeções dos musculosqueléticas e dos tecidos conjuntivos
Pouco frequentes: mialgia
Raros: artralgia

Doenças do metabolismo e da nutrição
Frequentes: perda de apetite

Perturbações gerais e alterações no local de administração
Muito frequentes: dor e vermelhidão no local da injeção, fadiga
Frequentes: febre (≥ 37,5ºC), mal-estar, inchaço no local da injeção, reações no local da injeção (tais como induração)
Pouco frequentes: doença semelhante à gripe

Perturbações do foro psiquiátrico
Muito frequentes: irritabilidade

Farmacovigilância pós-comercialização

Doenças do sangue e do sistema linfático
Trombocitopenia

Doenças do sistema nervoso
Encefalite, encefalopatia, convulsões, paralisia, nevrite (incluindo síndrome de Guillain-Barré, nevrite ótica e esclerose múltipla), neuropatia, hipostesia

Doenças respiratórias, torácicas e do mediastino
Apneia em lactentes muito prematuros (≤ 28 semanas de gestação)

Afeções dos tecidos cutâneos e subcutâneos
Eritema multiforme, edema angioneurótico, líquen plano

Afeções musculosqueléticas e dos tecidos conjuntivos
Artrite, fraqueza muscular

Infeções e infestações
Meningite

Vasculopatias
Vasculite, hipotensão

Doenças do sistema imunitário
Anafilaxia, reações alérgicas, incluindo reações anafilactoides e síndrome semelhante à doença do soro
Advertências

Sem informação.

Precauções Gerais
Pode ocorrer síncope (desmaio) após ou mesmo antes de qualquer vacinação, especialmente em adolescentes como uma resposta psicogénica à injeção com agulhas.

Isto pode ser acompanhado por vários sinais neurológicos tais como distúrbios visuais transitórios, parestesia e movimentos tonicoclónicos dos membros durante a recuperação.

É importante que estejam implementados procedimentos que evitem as lesões pelos desmaios.

Em virtude do longo período de incubação da hepatite B, é possível que uma infeção não reconhecida esteja presente no momento da vacinação.

Nestes casos a vacina pode não prevenir a hepatite B.

A vacina não irá prevenir infeções causadas por outros patogéneos conhecidos que possam infetar o fígado, tais como os vírus da hepatite A, hepatite C e hepatite E.

Tal como qualquer vacina, a resposta imunitária protetora pode não ser alcançada em todos os indivíduos vacinados.

Foram observados vários fatores que diminuem a resposta imunitária às vacinas contra a hepatite B.

Estes fatores incluem sexo masculino, obesidade, tabagismo, via de administração e algumas doenças crónicas subjacentes.

Deve ser considerada a realização de exames serológicos nos indivíduos em risco de não atingirem a seroproteção após completarem o esquema de vacinação.

A necessidade de administração de doses adicionais poderá ser considerada nos indivíduos que não respondam ou que obtenham uma resposta subótima ao esquema de vacinação.

Os indivíduos com doença hepática crónica ou infetados por VIH ou portadores de hepatite C não devem ser excluídos da vacinação contra a hepatite B.

A vacina deve ser aconselhada a estes doentes, uma vez que neles a infeção pelo vírus da hepatite B pode ser grave: a vacinação contra a hepatite B deve ser, assim, considerada caso a caso pelo médico.

Em indivíduos infetados por VIH, bem como em indivíduos com insuficiência renal, incluindo indivíduos submetidos a hemodiálise e em indivíduos com o sistema imunitário diminuído, pode não se obter uma concentração adequada de anticorpos anti-HBs após o esquema de imunização primária.

Estes doentes podem necessitar de administrações de doses adicionais da vacina.

A vacina não deve ser administrado na região glútea ou por via intradérmica, pois estas vias de administração podem originar uma resposta imunológica diminuída.

A vacina nunca deve, em nenhuma circunstância, ser administrado por via intravenosa.

Tal como acontece com todas as vacinas injetáveis, deve dispor-se de tratamento médico apropriado, para utilização imediata, caso ocorram reações anafiláticas após a administração da vacina.

O potencial risco de apneia e a necessidade de monitorização respiratória durante 48-72 horas devem ser considerados quando se administra a primo-imunização em lactentes muito prematuros (nascidos ≤ 28 semanas de gestação) e, particularmente, nos que apresentam história prévia de imaturidade respiratória.

Como o benefício da vacinação é elevado neste grupo de lactentes, a vacinação não deve ser suspensa ou adiada.
Cuidados com a Dieta
Não aplicável.
Terapêutica Interrompida
Contacte o médico se não fizer uma dose de reforço.

Certifique-se que completa o esquema de vacinação.

Caso contrário poderá não ficar completamente protegida contra as doenças.
Cuidados no Armazenamento
Conservar no frigorífico (2°C a 8°C).
Não congelar.
Conservar na embalagem de origem para proteger da luz.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Sem efeito descrito

Vacina contra a hepatite B + Vacina contra o haemophilus tipo b

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante da Vacina contra a hepatite B e de uma dose padrão de imunoglobulina específica (Ig HB) não se traduz por concentrações de anticorpos anti-HBs mais baixas, desde que sejam administradas em locais de injeção diferentes. A Vacina contra a hepatite B pode ser administrada concomitantemente com as vacinas contra o Haemophilus influenzae tipo b, BCG, hepatite A, poliomielite, sarampo, papeira, rubéola, difteria, tétano e tosse convulsa. - Vacina contra o haemophilus tipo b
Sem efeito descrito

Vacina viva contra o rotavírus + Vacina contra a hepatite B

Observações: N.D.
Interações: A coadministração de Vacina viva contra o rotavírus com vacinas contendo um ou mais dos seguintes antigénios, aproximadamente aos 2, 4 e 6 meses de idade, demonstrou que não foram afetadas nem as respostas imunitárias nem os perfis de segurança das vacinas administradas: - vacina contra a difteria, tétano, tosse convulsa acelular (DTPa) - vacina contra o Haemophilus influenzae tipo b (Hib) - vacina inativada contra a poliomielite (VIP) - vacina contra a hepatite B (VHB) - vacina pneumocócica conjugada (VPC) Deste modo, Vacina viva contra o rotavírus pode ser administrado concomitantemente com vacinas infantis monovalentes ou combinadas, contendo um ou mais dos seguintes antigénios: DTPa, Hib, VIP, VAP, VHB, VPC e MenC. - Vacina contra a hepatite B
Usar com precaução

Vacina contra a hepatite A + Vacina contra a hepatite B

Observações: Não é actualmente conhecida qualquer interacção com outros medicamentos.
Interações: Não existem dados clínicos sobre a administração concomitante de Vacina contra a hepatite A com outras vacina inativada(s) ou com a vacina recombinante contra o vírus da hepatite B. Quando for necessária a administração simultânea, Vacina contra a hepatite A não pode ser misturada com outras vacinas na mesma seringa, devendo as outras vacinas ser administradas em locais e com seringas e agulhas diferentes. - Vacina contra a hepatite B
Usar com precaução

Vacina contra a hepatite A e a hepatite B + Vacina contra a hepatite B

Observações: N.D.
Interações: Não existem dados sobre a administração concomitante desta vacina com imunoglobulina específica da hepatite A ou imunoglobulina específica da hepatite B. No entanto, quando as vacinas monovalentes contra a hepatite A e hepatite B foram administradas concomitantemente com imunoglobulinas específicas, não houve qualquer efeito no índice de seroconversão. A administração concomitante de imunoglobulinas pode originar títulos de anticorpos mais baixos. - Vacina contra a hepatite B
Sem efeito descrito

Vacina contra a hepatite B + Vacina contra a tuberculose (BCG)

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante da Vacina contra a hepatite B e de uma dose padrão de imunoglobulina específica (Ig HB) não se traduz por concentrações de anticorpos anti-HBs mais baixas, desde que sejam administradas em locais de injeção diferentes. A Vacina contra a hepatite B pode ser administrada concomitantemente com as vacinas contra o Haemophilus influenzae tipo b, BCG, hepatite A, poliomielite, sarampo, papeira, rubéola, difteria, tétano e tosse convulsa. - Vacina contra a tuberculose (BCG)
Sem efeito descrito

Vacina contra a hepatite B + Vacina contra a hepatite A

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante da Vacina contra a hepatite B e de uma dose padrão de imunoglobulina específica (Ig HB) não se traduz por concentrações de anticorpos anti-HBs mais baixas, desde que sejam administradas em locais de injeção diferentes. A Vacina contra a hepatite B pode ser administrada concomitantemente com as vacinas contra o Haemophilus influenzae tipo b, BCG, hepatite A, poliomielite, sarampo, papeira, rubéola, difteria, tétano e tosse convulsa. - Vacina contra a hepatite A
Sem efeito descrito

Vacina contra a hepatite B + Vacina contra a poliomielite

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante da Vacina contra a hepatite B e de uma dose padrão de imunoglobulina específica (Ig HB) não se traduz por concentrações de anticorpos anti-HBs mais baixas, desde que sejam administradas em locais de injeção diferentes. A Vacina contra a hepatite B pode ser administrada concomitantemente com as vacinas contra o Haemophilus influenzae tipo b, BCG, hepatite A, poliomielite, sarampo, papeira, rubéola, difteria, tétano e tosse convulsa. - Vacina contra a poliomielite
Sem efeito descrito

Vacina contra a hepatite B + Vacina contra o sarampo, a papeira e a rubéola

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante da Vacina contra a hepatite B e de uma dose padrão de imunoglobulina específica (Ig HB) não se traduz por concentrações de anticorpos anti-HBs mais baixas, desde que sejam administradas em locais de injeção diferentes. A Vacina contra a hepatite B pode ser administrada concomitantemente com as vacinas contra o Haemophilus influenzae tipo b, BCG, hepatite A, poliomielite, sarampo, papeira, rubéola, difteria, tétano e tosse convulsa. - Vacina contra o sarampo, a papeira e a rubéola
Sem efeito descrito

Vacina contra a hepatite B + Vacina contra a difteria, o tétano e a tosse convulsa (DTP)

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante da Vacina contra a hepatite B e de uma dose padrão de imunoglobulina específica (Ig HB) não se traduz por concentrações de anticorpos anti-HBs mais baixas, desde que sejam administradas em locais de injeção diferentes. A Vacina contra a hepatite B pode ser administrada concomitantemente com as vacinas contra o Haemophilus influenzae tipo b, BCG, hepatite A, poliomielite, sarampo, papeira, rubéola, difteria, tétano e tosse convulsa. - Vacina contra a difteria, o tétano e a tosse convulsa (DTP)
Sem efeito descrito

Vacina contra a hepatite B + Vacina contra o papilomavírus humano (tipos 16, 18)

Observações: N.D.
Interações: A Vacina contra a hepatite B pode ser administrada concomitantemente com a vacina contra o Papilomavírus Humano (HPV). A administração de Vacina contra a hepatite B ao mesmo tempo que Cervarix (vacina contra o HPV) não demonstrou interferência clinicamente relevante na resposta em anticorpos para os antigénios HPV. As concentrações médias geométricas de anticorpos anti-HBs foram inferiores na coadministração, mas a relevância clínica desta observação não é conhecida uma vez que a taxa de seroproteção permanece inalterada. A proporção de indivíduos que atingiram anti- HBs ≥ 10 mUI/ml foi de 97,9% para a administração concomitante e de 100% para a administração de Vacina contra a hepatite B isoladamente. Vacinas injetáveis diferentes devem ser sempre administradas em locais de injeção diferentes. - Vacina contra o papilomavírus humano (tipos 16, 18)
Sem efeito descrito

Vacina contra a hepatite B + Vacinas

Observações: N.D.
Interações: Vacina contra a hepatite B pode ser utilizado para completar um esquema de imunização primária iniciado com outra vacina contra a hepatite B derivada de plasma ou de outra tecnologia de engenharia genética, ou se necessário, como reforço em indivíduos que fizeram previamente o esquema de imunização primária com vacinas contra a hepatite B derivadas do plasma ou de outra tecnologia de engenharia genética. - Vacinas
Sem efeito descrito

Vacina contra o sarampo, a papeira, a rubéola e a varicela + Vacina contra a hepatite B

Observações: N.D.
Interações: Vacina contra o [sarampo, a papeira, a rubéola e a varicela] pode ser administrada simultaneamente (mas em diferentes locais de administração) com qualquer uma das seguintes vacinas monovalentes ou combinadas [incluindo vacinas hexavalentes (DTPa-HBV-IPV/Hib)]: Vacina contra difteria-tétano-tosse convulsa acelular (DTPa), vacina contra Haemophilus influenzae tipo b (Hib) e vacina contra a poliomielite inativada (IPV) e vacina contra a hepatite B (HBV). Não existe informação que suporte a administração de Vacina contra o [sarampo, a papeira, a rubéola e a varicela] com outras vacinas. - Vacina contra a hepatite B
Sem efeito descrito

Vacina contra o papilomavírus humano (tipos 6, 11, 16, 18) + Vacina contra a hepatite B

Observações: Em todos os ensaios clínicos foram excluídos os indivíduos que tinham recebido imunoglobulinas ou produtos derivados do plasma nos 6 meses anteriores à primeira dose da vacina.
Interações: Utilização com outras vacinas: A administração da Vacina contra o papilomavírus humano em simultâneo (mas, para vacinas injetáveis, em diferentes locais de injeção) com a vacina contra a hepatite B (recombinante), não interferiu com a resposta imunitária aos tipos de HPV. As taxas de seroproteção (proporção de indivíduos que atingem um nível de seroproteção anti-HBs > 10 mUI/ml) não foram afetadas (96,5% com a vacinação concomitante e 97,5% apenas com a vacina contra a hepatite B). Os títulos médios geométricos de anticorpos anti-HBs foram mais baixos com a coadministração, mas não é conhecido o significado clínico desta observação. - Vacina contra a hepatite B
Sem efeito descrito

Vacina contra o papilomavírus humano (tipos 16, 18) + Vacina contra a hepatite B

Observações: Em todos os estudos clínicos foram excluídos os indivíduos que receberam imunoglobulinas ou produtos derivados do sangue nos 3 meses anteriores à primeira dose da vacina.
Interações: Utilização com outras vacinas: Esta vacina pode ser administrado concomitantemente com a vacina combinada contra a hepatite A (inativada) e hepatite B (ADNr) ou com a vacina contra a hepatite B (ADNr). A administração da Vacina contra o papilomavírus humano (tipos 16, 18) ao mesmo tempo que a Vacina contra a hepatite A e a hepatite B não demonstrou interferência clinicamente relevante na resposta em anticorpos para os antigénios HPV e hepatite A. As concentrações médias geométricas de anticorpos anti-HBs foram significativamente inferiores na coadministração, mas a relevância clínica desta observação não é conhecida uma vez que a taxa de sero proteção permanece inalterada. A proporção de indivíduos que atingiram anti - HBs ≥ 10 mUI/ml foi de 98,3% para a administração concomitante e de 100% para a administração de Vacina contra a hepatite A e a hepatite B isolado. Foram observados resultados semelhantes quando Vacina contra o papilomavírus humano (tipos 16, 18) foi administrado concomitantemente com a Vacina contra a hepatite B , tendo 97,9% dos indivíduos atingido anti - HBs ≥ 10 mUI/ml, comparativamente a 100% para a Vacina contra a hepatite B administrado isoladamente. Se a administração de Vacina contra o papilomavírus humano (tipos 16, 18) for na mesma altura que outra vacina injetável, as vacinas devem ser sempre administradas em diferentes locais de injeção. - Vacina contra a hepatite B
Sem efeito descrito

Vacina contra o meningococo + Vacina contra a hepatite B

Observações: N.D.
Interações: Utilização com outras vacinas: Vacina contra o meningococo pode ser administrada em simultâneo com qualquer um dos seguintes antigénios de vacina, quer como vacinas monovalentes ou combinadas: difteria, tétano, tosse convulsa acelular, Haemophilus influenzae tipo b, poliomielite inativada, hepatite B, conjugado pneumocócico heptavalente, sarampo, papeira, rubéola e varicela. Devido ao risco aumentado de febre, sensibilidade no local da injeção, alterações nos hábitos alimentares e irritabilidade quando Vacina contra o meningococo foi administrado concomitantemente com as vacinas acima mencionadas, deve ser considerada vacinação separada, quando possível. A utilização profilática de paracetamol reduz a incidência e gravidade da febre sem afetar a imunogenicidade da Vacina contra o meningococo ou das vacinas de rotina. Além do paracetamol, o efeito dos antipiréticos na resposta imunitária não foi estudado. Quando administrada concomitantemente com outras vacinas, Vacina contra o meningococo deve ser administrada em locais de injeção distintos. - Vacina contra a hepatite B
Sem efeito descrito

Vacina contra o haemophilus tipo b + Vacina contra a hepatite B

Observações: N.D.
Interações: A Vacina contra o haemophilus tipo b pode ser administrada concomitantemente com a vacina contra a hepatite B ou com a vacina contra o sarampo, a papeira e a rubéola, mas em locais anatómicos diferentes. - Vacina contra a hepatite B
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações da Vacina contra a hepatite B
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

A vacina só deverá ser usado na gravidez quando absolutamente necessário e quando as possíveis vantagens sejam superiores aos eventuais riscos para o feto.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 18 de Setembro de 2020