Ustecinumab

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento Uso Hospitalar DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
Ustecinumab é um anticorpo monoclonal.

Anticorpos monoclonais são proteínas que reconhecem e se ligam especificamente a certas proteínas do corpo.

Ustecinumab pertence a um grupo de medicamentos denominados “imunossupressores”.

Estes medicamentos atuam enfraquecendo parte do seu sistema imunitário.

Ustecinumab é utilizado para Psoríase em placas – em adultos e crianças com idade igual ou superior a 12 anos e Artrite psoriática - em adultos
Usos comuns
Ustecinumab é utilizado para tratar as seguintes doenças inflamatórias:

Psoríase em placas:
A “a psoríase em placas” é uma doença da pele que causa inflamação que afeta a pele e as unhas.

Ustecinumab irá reduzir a inflamação e outros sinais da doença.
Ustecinumab é utilizado em doentes adultos com psoríase em placas moderada a grave, que não podem utilizar ciclosporina, metrotexato ou fototerapia ou quando este tratamentos não funcionam.

Ustecinumab é utilizado em crianças com idade igual ou superior a 12 anos com psoríase em placas moderada a grave que são incapazes de tolerar a fototerapia ou outras terapêuticas sistémicas ou quando estes tratamentos não resultam.

Artrite psoriática:
A artrite psoriática é uma doença inflamatória das articulações, usualmente acompanhada por psoríase.

Se tem artrite psoriática ativa, então primeiro irão ser-lhe administrados outros medicamentos.

Se não responder de forma adequada a estes medicamentos, Ustecinumab poderá ser utilizado:
- Na redução dos sinais e sintomas da sua doença.
- Para melhorar a função física.
- Para retardar danos nas suas articulações.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Psoríase em placas: O Ustecinumab é indicado no tratamento da psoríase em placas, moderada a grave, em adultos que não responderam ou que têm uma contraindicação para, ou que são intolerantes a outras terapêuticas sistémicas, incluindo a ciclosporina, metotrexato (MTX) e PUVA (psoraleno e radiação ultravioleta A).

Artrite psoriática (APs): O Ustecinumab, isoladamente ou em associação com MTX, é indicado no tratamento da artrite psoriática ativa em doentes adultos quando a resposta terapêutica a medicamentos antirreumáticos modificadores da doença (MARMD) não biológicos tenha sido inadequada.
Classificação CFT
16.03     IMUNOMODULADORES
Mecanismo De Ação
O ustecinumab é um anticorpo monoclonal IgG1κ totalmente humano que se liga com especificidade à subunidade partilhada da proteína p40 das citocinas humanas interleucina (IL) -12 e IL-23.

O ustecinumab inibe a bioatividade das IL-12 e IL-23 humanas, ao impedir que a p40 se ligue ao seu recetor proteico IL-12R 1 expresso na superfície das células imunitárias.

O ustecinumab não se liga à IL-12 ou à IL-23 quando estas se encontram já ligadas aos recetores IL-12R 1 da superfície celular.


Assim, não é provável que o ustecinumab contribua para a citotoxicidade mediada por complemento ou por anticorpo das células com recetores da IL-12 e/ou da IL-23.

A IL-12 e a IL-23 são citocinas heterodiméricas secretadas por células ativadas por antigénios, tais como macrófagos e células dendríticas, e ambas as citocinas participam em funções imunitárias; a IL-12 estimula as células natural killer (NK) e a diferenciação das células T CD4+ no fenótipo T helper1 (Th1), a IL-23 induz a via T helper 17 (Th17).

No entanto, a regulação anómala das interleucinas, IL-12 e IL-23, tem sido associada a doenças mediadas pelo sistema imunitário, tais como a psoríase e a artrite psoriática.

Através da ligação à subunidade partilhada da proteína p40 da IL-12 e IL-23, o ustecinumab pode exercer o seu efeito clínico sobre a psoríase e a artrite psoriática através da interrupção das vias das citocinas Th1 e Th17, ambas essenciais para a patologia destas doenças.
Posologia Orientativa
Psoríase em placas: A posologia recomendada de Ustecinumab consiste numa dose inicial de 45 mg administrada por via subcutânea, seguida de uma dose de 45 mg, 4 semanas mais tarde, e depois repetida cada 12 semanas.

A interrupção do tratamento deve ser considerada em doentes que não apresentem qualquer resposta ao tratamento até às 28 semanas.

Doentes com peso corporal >100 kg:
Em doentes com peso corporal >100 kg a dose inicial é de 90 mg administrada por via subcutânea, seguida de uma dose de 90 mg, 4 semanas mais tarde, e depois repetida cada 12 semanas.

Nestes doentes, a dose de 45 mg também demonstrou ser eficaz.

No entanto, a administração de 90 mg resultou numa maior eficácia Artrite psoriática (APs)
A posologia recomendada de Stelara consiste numa dose inicial de 45 mg administrada por via subcutânea, seguida de uma dose de 45 mg, 4 semanas mais tarde, e depois repetida cada 12 semanas.

Em alternativa, em doentes com peso corporal >100 kg, poderá ser administrada uma dose de 90 mg.

A interrupção do tratamento deve ser considerada em doentes que não apresentem qualquer resposta ao tratamento até às 28 semanas.
Administração
O Ustecinumab só deve ser administrado sob a supervisão de um médico com experiência no diagnóstico e tratamento da psoríase em placas ou artrite psoriática.

Ustecinumab destina-se a administração por via subcutânea.

Se possível, devem ser evitadas as áreas da pele com lesões de psoríase.

Após treino apropriado sobre a técnica de injeção subcutânea, os doentes ou os seus prestadores de cuidados de saúde podem injetar Ustecinumab se o médico considerar adequado.

No entanto, o médico deve assegurar um seguimento adequado dos doentes.
Contraindicações
Hipersensibilidade ao Ustecinumab.

Infeção ativa clinicamente relevante (p.e., tuberculose ativa).
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Efeitos secundários graves
Alguns doentes têm efeitos secundários graves que podem necessitar de tratamento urgente.

Reações alérgicas - pode necessitar de tratamento médico urgente. Fale com o médico ou tenha ajuda de emergência médica se notar algum dos seguintes sinais.

Reações alérgicas graves (“anafilaxia”) são raras em pessoas que estão a utilizar Ustecinumab (pode afetar até 1 em cada 1 000 pessoas).

Estes sinais incluem:
- dificuldade em respirar ou engolir
- tensão arterial baixa, o que pode causar vertigens ou tonturas.
- inchaço da face, lábios, boca ou garganta.
- Sinais frequentes de uma reação alérgica podem incluir erupção na pele e urticária (pode afetar até 1 em cada 100 pessoas).

Se tiver uma reação alérgica grave, o médico pode decidir que não deve usar Ustecinumab novamente.

Infeções - pode necessitar de tratamento médico urgente.
Fale com o médico imediatamente se notar algum dos seguintes sinais.

Infeções do nariz e da garganta e constipações comuns são frequentes (pode afetar até 1 em cada 10 pessoas)

- Inflamação dos tecidos por baixo da pele (“celulite”) é pouco frequente (pode afetar até 1 em cada 100 pessoas)
- Zona (um tipo de erupção na pele dolorosa com bolhas) é pouco frequente (pode afetar até 1 em cada 100 pessoas)

Ustecinumab pode torná-lo menos capaz para combater infeções, e algumas infeções podem tornar-se graves.

Deve estar atento a sinais de infeção enquanto estiver a utilizar
Isto inclui:
- febre, sintomas de tipo gripal, transpiração excessiva durante a noite
- sensação de cansaço ou falta de ar, tosse que não desaparece,
- pele quente, vermelha e dolorosa, ou erupção cutânea dolorosa, com bolhas
- ardor ao urinar
- diarreia

Fale imediatamente com o médico se notar algum destes sinais de infeção.
Fale com o seu médico se tiver qualquer tipo de infeção que não desaparece ou continua a aparecer.
O médico pode decidir que não deve utilizar Ustecinumab até a infeção desaparecer.
Contate também o médico se tiver quaisquer cortes ou feridas abertas uma vez que podem infetar.

Descamação da pele - aumento da vermelhidão e descamação da pele numa maior área do corpo podem ser sintomas de psoríase eritrodérmica ou dermatite exfoliativa, que são doenças de pele graves.
Deve falar com o médico imediatamente se notar algum destes sinais.

Outros efeitos secundários:

Efeitos secundários frequentes (podem afetar até 1 em cada 10 pessoas):

- Diarreia
- Náuseas
- Sensação de cansaço
- Sensação de tontura
- Dor de cabeça
- Comichão (“prurido”)
- Dor nos músculos, nas articulações ou nas costas
- Dor de garganta
- Infeções nos dentes
- Vermelhidão e dor no local de injeção

Efeitos secundários pouco frequentes (podem afetar até 1 em cada 100 pessoas):

- Depressão
- Nariz entupido
- Hemorragia, nódoas negras, endurecimento, inchaço e comichão no local da injeção
- Queda da pálpebra e flacidez dos músculos de um lado da cara (“paralisia facial” ou “paralisia de Belt”), que é, habitualmente, temporário
- Uma alteração na psoríase, com vermelhidão e novas e pequenas bolhas amarelas ou brancas, por vezes acompanhada de febre (psoríase pustular)
- Descamação da pele (exfoliação da pele)

Efeitos secundários raros (podem afetar até 1 em cada 1000 pessoas):

- aumento da vermelhidão e descamação da pele numa maior área do corpo, que pode provocar comichão ou dor (dermatite exfoliativa).

Por vezes, podem desenvolver-se sintomas semelhantes como alterações naturais no tipo de sintomas da psoríase (psoríase eritrodérmica)

Advertências
Gravidez
Gravidez:Não administrar durante a gravidez.
Aleitamento
Aleitamento:Devido ao potencial de ustecinumab para reações adversas em lactentes, a decisão de interromper a amamentação durante o tratamento e até 15 semanas após o tratamento ou de interromper a terapêutica com Ustecinumab tem que ser tomada tendo em consideração o benefício da amamentação para a criança e o benefício da terapêutica com Ustecinumab para a mulher.
Precauções Gerais
O ustecinumab pode ter potencial para aumentar o risco de infeções e reativar infeções latentes.

Em estudos clínicos, foram observadas infeções bacterianas, fúngicas e virais graves em doentes tratados com Ustecinumab.

Recomenda-se precaução sempre que for considerada a utilização de Ustecinumab em doentes com infeção crónica ou história de infeção recorrente.

Antes de iniciar o tratamento com Ustecinumab, os doentes devem ser avaliados em relação a infeção por tuberculose.

Ustecinumab não pode ser administrado em doentes com tuberculose ativa.

O tratamento para a tuberculose latente deve ser iniciado antes de se administrar Ustecinumab.

Também deve ser considerada terapêutica antituberculosa antes do início da administração de Ustecinumab, em doentes com história de tuberculose latente ou ativa, nos quais não é possível confirmar um curso de terapêutica adequado.

Os doentes em tratamento com Ustecinumab devem ser cuidadosamente monitorizados relativamente a sinais e sintomas de tuberculose ativa durante e após o tratamento.

Os doentes devem ser instruídos a procurar aconselhamento médico se surgirem sinais ou sintomas sugestivos de uma infeção.

Se um doente desenvolver uma infeção grave, este deverá ser cuidadosamente monitorizado e Ustecinumab não deverá ser administrado até resolução da infeção.

Imunossupressores como o ustecinumab têm potencial para aumentar o risco de doença maligna.

Em estudos clínicos, alguns doentes tratados com Ustecinumab desenvolveram doenças malignas cutâneas e não cutâneas.

Não foram realizados estudos incluindo doentes com história de doença maligna ou em que fossecontinuado o tratamento em doentes que desenvolveram doença maligna durante a terapêutica com Ustecinumab.

Deste modo, recomenda-se precaução ao considerar a utilização de Ustecinumab nestes doentes.

Todos os doentes, particularmente aqueles com mais de 60 anos de idade, doentes com história médica de terapêutica imunossupressora prolongada ou com história de tratamento PUVA, devem ser monitorizados quanto ao aparecimento de cancro da pele não melanoma.

Foram relatadas reações de hipersensibilidade graves no período pós comercialização, em alguns casos, vários dias após o tratamento.

Ocorreram anafilaxia e angioedema.

Se ocorrer uma reação anafilática ou outra reação de hipersensibilidade grave, deve ser instituída uma terapêutica apropriada e a administração de Ustecinumab deve ser imediatamente interrompida.

Recomenda-se que vacinas de vírus vivos ou vacinas de bactérias vivas, tais como Bacilo de Calmette e Guérin (BCG), não sejam administradas simultaneamente com Ustecinumab.

Não foram realizados estudos específicos em doentes que tenham recebido recentemente vacinas de vírus vivos ou de bactérias vivas.

Não estão disponíveis dados sobre a transmissão secundária de infeção por vacinas vivas em doentes em tratamento com Ustecinumab.

Antes da administração de vacinas de vírus vivos ou de bactérias vivas, o tratamento com Ustecinumab deve ser interrompido durante, pelo menos, 15 semanas após a última dose, podendo ser retomado, pelo menos, 2semanas após a vacinação.

Os prescritores devem consultar o Resumo das Características do Medicamento específico para a vacina para obter informação adicional e orientação sobre a utilização concomitante de agentes imunossupressores pós-vacinação.

Os doentes em tratamento com Ustecinumab podem receber vacinas inativas ou não-vivas concomitantemente.

O tratamento prolongado com Ustecinumab não suprime a resposta imunitária humoral ao polissacárido do pneumococos nem a vacinas do tétano.

Nos estudos em psoríase, a segurança e a eficácia de Ustecinumab em associação com agentes imunossupressores, incluindo medicamentos biológicos ou de fototerapia, não foram avaliadas.

Nos estudos em artrite psoriática, a associação com o MTX não pareceu influenciar a segurança e a eficácia de Ustecinumab.

Recomenda-se precaução ao considerar a utilização concomitante de outros agentes imunossupressores e Ustecinumab ou quando se substitui a terapêutica com um imunossupressor biológico por Ustecinumab.

Ustecinumab não foi estudado em doentes que tenham sido submetidos a imunoterapia alergénica.

Não se sabe se Ustecinumab pode afetar a imunoterapia alergénica.

Doentes idosos (≥65 anos):
Não foram observadas diferenças globais na eficácia ou segurança de Ustecinumab, nos doentes com idade igual ou superior a 65 anos a receber tratamento com Ustecinumab, em comparação com doentes mais 5 jovens, embora o número de doentes com idade igual ou superior a 65 anos não seja suficiente para determinar se estes respondem de forma diferente, em comparação com os doentes mais jovens.

Deve ter-se precaução no tratamento dos idosos, porque, em geral, há uma maior incidência de infeções nesta população de doentes.
Cuidados com a Dieta
Não interfere com alimentos e bebidas.
Terapêutica Interrompida
Caso se tenha esquecido de uma dose, contacte o seu médico ou farmacêutico.

Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Conservar no frigorífico (2ºC-8ºC).

Não congelar.

Manter o frasco para injetáveis dentro da embalagem exterior para proteger da luz.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Ustecinumab + Vacinas vivas

Observações: Não foram realizados estudos de interação em humanos.
Interações: As vacinas vivas não devem ser administradas concomitantemente com Ustecinumab.

Ustecinumab + Paracetamol

Observações: Não foram realizados estudos de interação em humanos.
Interações: Na análise farmacocinética populacional dos estudos de fase III, foi avaliado o efeito dos medicamentos concomitantes mais frequentemente utilizados em doentes com psoríase (incluindo paracetamol, ibuprofeno, ácido acetilsalicílico, metformina, atorvastatina, levotiroxina) sobre a farmacocinética do ustecinumab. Não se verificaram indícios de interação com estes medicamentos concomitantes. A base para esta análise consistiu no facto de, pelo menos, 100 doentes (> 5% da população estudada) terem sido tratados concomitantemente com estes medicamentos durante, pelo menos, 90% do período de estudo.

Ustecinumab + Ibuprofeno

Observações: Não foram realizados estudos de interação em humanos.
Interações: Na análise farmacocinética populacional dos estudos de fase III, foi avaliado o efeito dos medicamentos concomitantes mais frequentemente utilizados em doentes com psoríase (incluindo paracetamol, ibuprofeno, ácido acetilsalicílico, metformina, atorvastatina, levotiroxina) sobre a farmacocinética do ustecinumab. Não se verificaram indícios de interação com estes medicamentos concomitantes. A base para esta análise consistiu no facto de, pelo menos, 100 doentes (> 5% da população estudada) terem sido tratados concomitantemente com estes medicamentos durante, pelo menos, 90% do período de estudo.

Ustecinumab + Ácido Acetilsalicílico

Observações: Não foram realizados estudos de interação em humanos.
Interações: Na análise farmacocinética populacional dos estudos de fase III, foi avaliado o efeito dos medicamentos concomitantes mais frequentemente utilizados em doentes com psoríase (incluindo paracetamol, ibuprofeno, ácido acetilsalicílico, metformina, atorvastatina, levotiroxina) sobre a farmacocinética do ustecinumab. Não se verificaram indícios de interação com estes medicamentos concomitantes. A base para esta análise consistiu no facto de, pelo menos, 100 doentes (> 5% da população estudada) terem sido tratados concomitantemente com estes medicamentos durante, pelo menos, 90% do período de estudo.

Ustecinumab + Metformina

Observações: Não foram realizados estudos de interação em humanos.
Interações: Na análise farmacocinética populacional dos estudos de fase III, foi avaliado o efeito dos medicamentos concomitantes mais frequentemente utilizados em doentes com psoríase (incluindo paracetamol, ibuprofeno, ácido acetilsalicílico, metformina, atorvastatina, levotiroxina) sobre a farmacocinética do ustecinumab. Não se verificaram indícios de interação com estes medicamentos concomitantes. A base para esta análise consistiu no facto de, pelo menos, 100 doentes (> 5% da população estudada) terem sido tratados concomitantemente com estes medicamentos durante, pelo menos, 90% do período de estudo.

Ustecinumab + Atorvastatina

Observações: Não foram realizados estudos de interação em humanos.
Interações: Na análise farmacocinética populacional dos estudos de fase III, foi avaliado o efeito dos medicamentos concomitantes mais frequentemente utilizados em doentes com psoríase (incluindo paracetamol, ibuprofeno, ácido acetilsalicílico, metformina, atorvastatina, levotiroxina) sobre a farmacocinética do ustecinumab. Não se verificaram indícios de interação com estes medicamentos concomitantes. A base para esta análise consistiu no facto de, pelo menos, 100 doentes (> 5% da população estudada) terem sido tratados concomitantemente com estes medicamentos durante, pelo menos, 90% do período de estudo.

Ustecinumab + Levotiroxina sódica

Observações: Não foram realizados estudos de interação em humanos.
Interações: Na análise farmacocinética populacional dos estudos de fase III, foi avaliado o efeito dos medicamentos concomitantes mais frequentemente utilizados em doentes com psoríase (incluindo paracetamol, ibuprofeno, ácido acetilsalicílico, metformina, atorvastatina, levotiroxina) sobre a farmacocinética do ustecinumab. Não se verificaram indícios de interação com estes medicamentos concomitantes. A base para esta análise consistiu no facto de, pelo menos, 100 doentes (> 5% da população estudada) terem sido tratados concomitantemente com estes medicamentos durante, pelo menos, 90% do período de estudo.

Ustecinumab + Anti-inflamatórios não esteróides (AINEs)

Observações: Não foram realizados estudos de interação em humanos.
Interações: Em doentes com artrite psoriática, a farmacocinética do ustecinumab não foi impactada pela associação com MTX, AINEs e corticosteroides orais, ou exposição prévia a agentes anti-TNFα.

Ustecinumab + Corticosteroides

Observações: Não foram realizados estudos de interação em humanos.
Interações: Em doentes com artrite psoriática, a farmacocinética do ustecinumab não foi impactada pela associação com MTX, AINEs e corticosteroides orais, ou exposição prévia a agentes anti-TNFα.

Ustecinumab + Metotrexato

Observações: Não foram realizados estudos de interação em humanos.
Interações: Em doentes com artrite psoriática, a farmacocinética do ustecinumab não foi impactada pela associação com MTX, AINEs e corticosteroides orais, ou exposição prévia a agentes anti-TNFα. Nos estudos em artrite psoriática, a associação com o MTX não pareceu influenciar a segurança e a eficácia de Ustecinumab.

Ustecinumab + Terapia anti-TNF

Observações: Não foram realizados estudos de interação em humanos.
Interações: Em doentes com artrite psoriática, a farmacocinética do ustecinumab não foi impactada pela associação com MTX, AINEs e corticosteroides orais, ou exposição prévia a agentes anti-TNFα.

Ustecinumab + Substratos CYP450

Observações: Não foram realizados estudos de interação em humanos.
Interações: Os resultados de um estudo in vitro não sugerem a necessidade de um ajustamento de dose em doentes que estão a receber concomitantemente substratos CYP450.

Ustecinumab + Imunossupressores

Observações: Não foram realizados estudos de interação em humanos.
Interações: Nos estudos em psoríase, a segurança e a eficácia de Ustecinumab em associação com outros agentes imunossupressores, incluindo medicamentos biológicos ou fototerapia, não foram avaliadas.

Ustecinumab + Outros medicamentos

Observações: Não foram realizados estudos de interação em humanos.
Interações: Nos estudos em psoríase, a segurança e a eficácia de Ustecinumab em associação com outros agentes imunossupressores, incluindo medicamentos biológicos ou fototerapia, não foram avaliadas.
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Como medida de precaução é preferível evitar a utilização de Ustecinumab durante a gravidez.

Devido ao potencial de ustecinumab para reações adversas em lactentes, a decisão de interromper a amamentação durante o tratamento e até 15 semanas após o tratamento ou de interromper a terapêutica com Ustecinumab tem que ser tomada tendo em consideração o benefício da amamentação para a criança e o benefício da terapêutica com Ustecinumab para a mulher.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017