Triptófano

DCI com Advertência na Gravidez
O que é
O triptofano (ou triptófano em Portugal) é um dos aminoácidos codificados pelo código genético, sendo portanto um dos componentes das proteínas dos seres vivos.

É um aminoácido aromático essencial para a nutrição humana.

É um dos vinte aminoácidos no código genético (códon UGG).

Apenas o L-estereoisômero aparece na proteína mamália.

O triptofano vem antes da serotonina e é representado pela letra "W".

Estudos indicam também que o triptofano é a substância responsável pela promoção da sensação do bem-estar.

O triptofano absorve luz ultravioleta.

Um aminoácido essencial que é necessária para o crescimento normal em lactentes e para o equilíbrio de azoto em adultos.

É um precursor de alcalóides de indole em plantas.

É um precursor da serotonina (daí o seu uso como um antidepressivo e ajuda o sono).

Também pode ser um precursor para a niacina, ainda que de forma ineficiente, em mamíferos.

Este composto pertence à classe de compostos conhecidos como ácidos orgânicos carboxílicos e derivados de indolilo.

Estes são compostos que contêm uma cadeia de ácido carboxílico (de, pelo menos, 2 átomos de carbono) ligado a um anel de indole.
Usos comuns
Suplementos de triptofano podem ser utilizados como relaxantes naturais para ajudar a aliviar a insónia.

Triptofano pode também reduzir a ansiedade e depressão e tem sido mostrado para reduzir a intensidade das dores de cabeça da enxaqueca.

Outras indicações promissores incluem o alívio da dor crónica, a redução da impulsividade ou mania e o tratamento de doenças obsessivo-compulsivas.

Triptofano também parece ajudar o sistema imunitário e pode reduzir o risco de espasmos cardíacos.

Deficiências de triptofano pode levar a espasmos das artérias coronárias.

O triptofano é utilizado como um nutriente essencial em fórmulas para lactentes e alimentação intravenosa.

Fontes naturais:
Bananas
Grão-de-bico
Tâmaras secas
Amendoins
Leite
Carne
Peixe
Peru
Alimentos ricos em proteínas

É importante ressaltar que, embora o triptofano eleve os níveis de serotonina, o seu consumo na forma de lactíneos, peixe, carne etc, não faz efeito significativo sobre a produção de serotonina no Sistema Nervoso Central.

Isso ocorre pois o triptofano não é o único aminoacido presente nesses alimentos, assim, há uma "competição" com outros aminoácidos na absorção.

Desse modo a maior parte do triptofano presente nos alimentos não é utilizada.

O triptofano no Sistema Nervoso Central (SNC), é um dos responsáveis pela produção de serotonina.

Níveis baixos de serotonina estão associados à depressão, o triptofano actua como um antidepressivo pois eleva os níveis de serotonina (5HT) no SNC.
Tipo
Molécula pequena
História
Em 1989, uma empresa nos EUA, a Showa Denko K.K, que produzia L-triptofano, modificou uma bactéria que começou a ser usada para aumentar a produção industrial de L-triptofano.

A partir do momento em que este novo triptofano começou a ser utilizado, começaram a ocorrer diversas mortes causadas por uma doença auto-imune onde as próprias celulas de defesa do organismo começam a atacar o corpo e causava aumento das células sanguíneas chamadas eosinófilos e mialgia (dores musculares).

Por a empresa não ter fornecido informações sobre a bactéria utilizada, os cientistas não conseguiram determinar exatamente a causa e nem a cura da doença.

Sabe-se que mais de 40 pessoas morreram em decorrência do uso do L-triptofano e muitas outras ficaram permanentemente inválidas.

A empresa Showa Denko K.K afirmou que logo após evidências desta doença, destruiu toda e qualquer forma desta bactéria.

Nunca houve relatos de problemas relacionados a este aminoácido quando produzido de fermentação, que era o modo empregado antes das bactérias.
Indicações
Suplementos de triptofano podem ser utilizados como relaxantes naturais para ajudar a aliviar a insónia.

Triptofano pode também reduzir a ansiedade e depressão e tem sido mostrado para reduzir a intensidade das dores de cabeça da enxaqueca.

Outras indicações promissores incluem o alívio da dor crónica, a redução da impulsividade ou mania e o tratamento de doenças obsessivo-compulsivas.

Triptofano também parece ajudar o sistema imunitário e pode reduzir o risco de espasmos cardíacos.

Deficiências de triptofano pode levar a espasmos das artérias coronárias.

O triptofano é utilizado como um nutriente essencial em fórmulas para lactentes e alimentação intravenosa.

Fontes naturais:
Bananas
Grão-de-bico
Tâmaras secas
Amendoins
Leite
Carne
Peixe
Peru
Alimentos ricos em proteínas

É importante ressaltar que, embora o triptofano eleve os níveis de serotonina, o seu consumo na forma de lactíneos, peixe, carne etc, não faz efeito significativo sobre a produção de serotonina no Sistema Nervoso Central.

Isso ocorre pois o triptofano não é o único aminoacido presente nesses alimentos, assim, há uma "competição" com outros aminoácidos na absorção.

Desse modo a maior parte do triptofano presente nos alimentos não é utilizada.

O triptofano no Sistema Nervoso Central (SNC), é um dos responsáveis pela produção de serotonina.

Níveis baixos de serotonina estão associados à depressão, o triptofano actua como um antidepressivo pois eleva os níveis de serotonina (5HT) no SNC.
Classificação CFT

N.D.

Mecanismo De Ação
Um número de reacções colaterais importantes ocorrer durante o catabolismo do triptofano na via em acetoacetato.

A primeira enzima da via catabólica é uma porfirina oxigenase ferro que abre o anel de indole.

A última enzima é altamente indutível, a sua concentração crescente quase 10 vezes sobre uma dieta rica em triptofano.

Quinurenina é o primeiro ponto de ramificação intermediário chave na via.

Quinurenina sofre deamniation numa reação de transaminação padrão produzindo ácido cinurénico.

Ácido cinurénico e metabólitos têm mostrado agir como antiexcitotóxica e anticonvulsivantes.

A segunda reação ramo lateral produz ácido antranílico mais alanina.

Outro equivalente de alanina é produzido mais ao longo da principal via catabólica, e é a produção destes resíduos de alanina que permite triptofano para ser classificado entre os aminoácidos e Cetogénicas glicogénicos.

O segundo ponto de ramificação importante converte quinurenina em semialdeído 2-amino-3-carboxymuconic, que tem dois destinos.

O fluxo principal de elementos de carbono a partir deste intermediário é glutarato.

Uma reação secundária importante no fígado é uma transaminação e diversos rearranjos para produzir quantidades limitadas de ácido nicotínico, que leva à produção de uma pequena quantidade de NAD + e NADP +.
Posologia Orientativa
A dose adulta habitual recomendada de L-triptofano é de 8 g a 12 g por dia, tomados em 3 a 4 subdoses igualmente divididas com as refeições ou lanches.
Administração
Sem informação.
Contraindicações
Não tome este medicamento se você é alérgico a L-triptofano.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Os seguintes efeitos secundários foram notificados em pelo menos 1% das pessoas que tomam este medicamento.

Muitos destes efeitos secundários podem ser controlados, e alguns podem ir embora por conta própria ao longo do tempo.

Contacte o médico se sentir estes efeitos secundários e eles são graves ou incómodo.

O farmacêutico pode ser capaz de aconselhá-lo sobre o gerenciamento de efeitos colaterais.

- tontura
- sonolência
- boca seca
- dor de cabeça
- perda de apetite
- náusea

Embora a maioria dos efeitos secundários listados abaixo não acontece muito frequentemente, eles podem levar a sérios problemas se não procurar atendimento médico.

Procurar imediata atenção médica, se qualquer um dos seguintes sintomas de sobredosagem ocorrer:
- agitação
- confusão
- diarreia
- febre
- reflexos alterados
- má coordenação
- inquietação
- tremores
- suar
- falar ou agir com emoção que você não pode controlar
- tremor ou estremecimento
- espasmos
- vómitos
Algumas pessoas podem experimentar diferentes daqueles listados efeitos colaterais.

Verifique com seu médico se você notar qualquer sintoma que o preocupa enquanto estiver a tomar este medicamento.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Este medicamento não deve ser usado durante a gravidez a menos que os benefícios superam os riscos.
Precauções Gerais
Diabetes: Se tem diabetes, o médico deve acompanhar de perto a sua condição enquanto estiver a tomar L-triptofano, pois pode afectar o controle de açúcar no sangue.

Outras condições médicas: Se tiver problemas de baixa acidez estomacal, além de estômago ou intestinos, ou uma história de catarata, discutir com o médico como este medicamento pode afectar a sua condição médica, como sua condição médica pode afectar a dosagem e a eficácia deste medicamento, e se algum acompanhamento especial é necessário.

Os suplementos de vitamina B6: O médico pode recomendar que você tomar suplementos de vitamina B6 para reduzir o risco de cancro da bexiga.
Cuidados com a Dieta
Sem informação.
Terapêutica Interrompida
Se esquecer de uma dose, tome-a o mais rapidamente possível e continue com o seu horário regular.

Se estiver quase na hora de tomar a próxima dose, salte a dose e continue com o seu horário regular de dosagem.

Não tome uma dose dupla para compensar uma perdida.

Se você não tem certeza o que fazer depois de perder uma dose, entre em contacto o médico ou farmacêutico para aconselhamento.
Cuidados no Armazenamento
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Conserve o medicamento à temperatura ambiente, proteger da luz e humidade.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Consultar informação actualizada

Triptófano + Lítio

Observações: N.D.
Interações: Pode haver uma interacção entre o L-triptofano e o Lítio. - Lítio
Consultar informação actualizada

Triptófano + Inibidores da Monoaminoxidase (IMAO)

Observações: N.D.
Interações: Pode haver uma interacção entre o L-triptofano e os Inibidores de MAO (por exemplo, fenelzina, tranilcipromina). - Inibidores da Monoaminoxidase (IMAO)
Consultar informação actualizada

Triptófano + Fenelzina

Observações: N.D.
Interações: Pode haver uma interacção entre o L-triptofano e os Inibidores de MAO (por exemplo, fenelzina, tranilcipromina). - Fenelzina
Consultar informação actualizada

Triptófano + Tranilcipromina

Observações: N.D.
Interações: Pode haver uma interacção entre o L-triptofano e os Inibidores de MAO (por exemplo, fenelzina, tranilcipromina). - Tranilcipromina
Consultar informação actualizada

Triptófano + Inibidores Selectivos da Recaptação da Serotonina (ISRS) (SSRIs)

Observações: N.D.
Interações: Pode haver uma interacção entre o L-triptofano e os Antidepressivos SSRI (por exemplo, paroxetina, fluoxetina). - Inibidores Selectivos da Recaptação da Serotonina (ISRS) (SSRIs)
Consultar informação actualizada

Triptófano + Paroxetina

Observações: N.D.
Interações: Pode haver uma interacção entre o L-triptofano e os Antidepressivos SSRI (por exemplo, paroxetina, fluoxetina). - Paroxetina
Consultar informação actualizada

Triptófano + Fluoxetina

Observações: N.D.
Interações: Pode haver uma interacção entre o L-triptofano e os Antidepressivos SSRI (por exemplo, paroxetina, fluoxetina). - Fluoxetina
Não recomendado/Evitar

Furazolidona + Triptófano

Observações: N.D.
Interações: Não se recomenda a utilização de furazolidona com qualquer um dos seguintes medicamentos. - Amitriptilina - Apraclonidina - Atomoxetina - Benzefetamina - Brimonidina - Bupropiona - Carbamazepina - Carbidopa - Carbinoxamina - Citalopram - Clomipramina - Ciclobenzaprina - Cipro-heptadina - Desipramina - Desvenlafaxina - Dexmetilfenidato - Dextroanfetamina - Anfepramona (Dietilpropiona) - Doxilamina - Entacapona - Escitalopram - Femoxetina - Fluoxetina - Fluvoxamina - Guanedrel - Guanetidina - Hidroxitriptofano - Imipramina - Isocarboxazida - Levodopa - Levacetilmetadol - Levomilnacipran - Maprotilina - Mazindol - Metadona - Metanfetamina - Metildopa - Metilfenidato - Milnaciprano - Mirtazapina - Nefazodona - Nefopam - Nortriptilina - Opipramol - Paroxetina - Fendimetrazina - Fenmetrazina - Fentermina - Fenilalanina - Pseudoefedrina - Reserpina - Safinamida - Selegilina - Sertralina - Sibutramina - Sumatriptano - Tapentadol - Tetrabenazina - Tranilcipromina - Trazodona - Trimipramina - Triptofano - Venlafaxina - Vilazodona - Vortioxetina - Zimeldina - Triptófano
Usar com precaução

Fluoxetina + Triptófano

Observações: Estudos de interacção só foram efectuados em adultos.
Interações: Combinações que requerem precauções na utilização: Lítio e triptofano: Têm sido registados casos de síndrome da serotonina quando os ISRS são administrados com lítio ou triptofano e, por conseguinte, a utilização concomitante de fluoxetina com estes fármacos deve ser feita com precaução. Quando a fluoxetina é utilizada em combinação com lítio, é necessária uma monitorização clínica mais cuidada e frequente. - Triptófano
Usar com precaução

Citalopram + Triptófano

Observações: interacções farmacocinéticas: A biotransformação do citalopram para desmetilcitalopram é mediada pelas isoenzimas do sistema citocromo P450 CYP2C19 (aproximadamente 38%), CYP3A4 (aproximadamente 31%) e CYP2D6 (aproximadamente 31%). O facto do citalopram ser metabolizado por mais de um CYP significa que a inibição da sua biotransformação é menos provável, uma vez que a inibição de uma enzima pode ser compensada por outra. Consequentemente, a administração concomitante de citalopram com outros medicamentos na prática clínica tem uma probabilidade muito baixa de originar interacções farmacocinéticas medicamentosas.
Interações: Medicamentos serotoninérgicos: Lítio e triptofano: Não foram encontradas interacções farmacocinéticas em estudos clínicos nos quais o citalopram foi administrado concomitantemente com lítio. No entanto, há notificações de efeitos aumentados quando os ISRSs foram administrados com lítio ou triptofano e, portanto, a utilização concomitante do citalopram com estes medicamentos deve ser realizada com precaução. A rotina de monitorização dos níveis de lítio deve ser continuada, como habitual. Influência do citalopram na farmacocinética de outros medicamentos: Lítio e triptofano: Não há nenhuma interacção farmacocinética entre o lítio e o citalopram. Contudo, houve relatos de efeitos serotoninérgicos aumentados quando os ISRS foram administrados em associação com lítio ou triptofano. É aconselhada precaução durante a utilização simultânea de citalopram com estas substâncias ativas. A monitorização habitual dos níveis de lítio deverá ser continuada como habitualmente. - Triptófano
Consultar informação actualizada

Melatonina + Triptófano

Observações: Os estudos de interação só foram realizados em adultos. Interações farmacocinéticas: Observou-se que a melatonina induz o CYP3A in vitro em concentrações supraterapêuticas. Desconhece-se a relevância clínica desta observação. Caso a indução ocorra, esta pode dar origem a concentrações plasmáticas reduzidas de medicamentos administrados concomitantemente. A melatonina não induz as enzimas CYP1A in vitro a concentrações supraterapêuticas. Assim, as interações entre a melatonina e outras substâncias ativas em consequência do efeito da melatonina sobre as enzimas CYP1A não deverão ser significativas. O metabolismo da melatonina é principalmente mediado pelas enzimas CYP1A. Por este motivo, é possível que se registem interações entre a melatonina e outras substâncias ativas em consequência do seu efeito sobre as enzimas CYP1A.
Interações: Existe uma grande quantidade de informação na literatura da especialidade sobre o efeito dos agonistas/antagonistas adrenérgicos, agonistas/antagonistas opiáceos, medicamentos antidepressivos, inibidores das prostaglandinas, benzodiazepinas, triptofano e álcool sobre a secreção endógena de melatonina. Não foi estudado se estas substâncias ativas interferem ou não nos efeitos dinâmicos ou cinéticos da melatonina ou vice-versa. - Triptófano
Contraindicado

Dapoxetina + Triptófano

Observações: N.D.
Interações: Medicamentos/produtos à base de plantas com efeitos serotoninérgicos: Tal como com outros ISRS, a administração concomitante com medicamentos/produtos à base de plantas serotoninérgicos [incluindo IMAO, L-triptofano, triptanos, tramadol, linezolida, ISRS, IRSN, lítio e preparações de Erva de São João (Hypericum perforatum)] poderá levar a uma incidência de efeitos associados com a serotonina. Dapoxetina não deverá ser utilizado em associação com outros ISRS, IMAO ou outros medicamentos/produtos à base de plantas serotoninérgicos nem nos 14 dias após suspender o tratamento com estes medicamentos/produtos à base de plantas. De um modo semelhante, estes medicamentos/produtos à base de plantas não deverão ser administrados nos 7 dias após Dapoxetina ter sido suspenso. - Triptófano
Usar com precaução

Vortioxetina + Triptófano

Observações: A vortioxetina é extensamente metabolizada no fígado, principalmente por oxidação catalisada pelo CYP2D6, e numa menor extensão pelo CYP3A4/5 e CYP2C9.
Interações: Potencial da vortioxetina para afetar outros medicamentos: Lítio, triptofano: Não foi observado nenhum efeito clinicamente relevante durante a exposição ao lítio no estado de equilíbrio após co-administração com doses múltiplas de vortioxetina em indivíduos saudáveis. No entanto, ocorreram notificações de potenciação de efeitos quando antidepressivos com efeito serotoninérgico foram administrados juntamente com lítio ou triptofano; deste modo, o uso concomitante de vortioxetina com estes medicamentos deve ser feito com precaução. - Triptófano
Usar com precaução

Mirtazapina + Triptófano

Observações: N.D.
Interações: interacções farmacodinâmicas: Adicionalmente, tal como com os ISRS, a administração concomitante de outras substâncias ativas serotoninérgicas (L-triptofano, triptanos, tramadol, linezolida, ISRS, venlafaxina, lítio e preparações à base de hipericão - Hypericum perforatum (pode levar a uma incidência de efeitos associados à serotonina (síndrome serotoninérgica). Deverá ser aconselhada precaução e é necessária uma monitorização clínica apertada quando estas substâncias ativas são administradas em combinação com a mirtazapina. - Triptófano
Usar com precaução

Duloxetina + Triptófano

Observações: N.D.
Interações: Agentes serotoninérgicos: Em casos raros foi notificado a síndrome da serotonina em doentes a tomar ISRS/ISRN concomitantemente com agentes serotoninérgicos. Recomenda-se precaução ao utilizar concomitantemente Duloxetina com agentes serotoninérgicos tais como os ISRS, ISRN antidepressivos tricíclicos tais como a clomipramina ou a amitriptilina, IMAO, tais como a moclobemida ou linezolida, hipericão (Hypericum perforatum), ou triptanos, tramadol, petidina e triptofano. - Triptófano
Usar com precaução

Escitalopram + Triptófano

Observações: N.D.
Interações: interacções farmacodinâmicas: Associações que exigem precauções de utilização: Lítio, triptofano: Foi notificado aumento dos efeitos quando os ISRS foram administrados juntamente com lítio ou triptofano; portanto, a utilização concomitante de ISRS com estes medicamentos deve ser efectuada com precaução. - Triptófano
Usar com precaução

Paroxetina + Triptófano

Observações: n.d.
Interações: Fármacos serotoninérgicos: Tal como com outros ISRS, a administração concomitante com fármacos serotoninérgicos (incluindo IMAOs, L-triptofano, triptanos, tramadol, linezolida, ISRS, lítio e preparações de Erva de São João – Hypericum perfuratum) pode levar à incidência de efeitos associados à 5-hidroxitriptamina (síndrome serotoninérgico). Quando estes fármacos são utilizados em combinação com paroxetina deverão ser tomadas precauções, sendo requerida uma monitorização clínica rigorosa. - Triptófano
Não recomendado/Evitar

Venlafaxina + Triptófano

Observações: n.d.
Interações: Síndrome serotoninérgica: Tal como com outros agentes serotoninérgicos, durante o tratamento com a venlafaxina pode ocorrer uma síndrome serotoninérgica, especialmente com a administração concomitante de outros fármacos que possam afectar o sistema neurotransmissor serotoninérgico (incluindo triptanos, ISRSs, IRSNs, lítio, sibutramina, tramadol ou hipericão [Hypericum perforatum]), com fármacos que possam diminuir o metabolismo da serotonina (incluindo IMAOs), ou com precursores da serotonina (tal como suplementos de triptofano). Se a administração concomitante de venlafaxina com um ISRS, um IRSN ou com receptores agonistas da serotonina (triptano) estiver indicada, aconselha-se a observação cuidadosa do doente, especialmente durante o início do tratamento e durante os aumentos da dose. A administração concomitante de venlafaxina com precursores da serotonina (tal como suplementos de triptofano) não é recomendada. - Triptófano
Usar com precaução

Fluvoxamina + Triptófano

Observações: n.d.
Interações: interacções farmacodinâmicas: A fluvoxamina tem sido usada em combinação com lítio no tratamento de doentes com depressão grave resistente aos fármacos. Contudo, o lítio (e possivelmente o triptofano) potencia os efeitos serotoninérgicos da fluvoxamina. A combinação deve ser usada com precaução em doentes com depressão grave resistente aos fármacos. - Triptófano
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações do Triptófano
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Este medicamento não deve ser usado durante a gravidez a menos que os benefícios superam os riscos.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 26 de Novembro de 2020