Tramadol + Paracetamol

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
Analgésicos estupefacientes.
Usos comuns
Tramadol + Paracetamol está indicado no tratamento da dor moderada a intensa, quando o seu médico recomendar a utilização de uma associação de tramadol e paracetamol.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Tramadol + Paracetamol é indicado para o tratamento sintomático da dor moderada a forte e em adultos e adolescentes com idade superior a 12 anos.

A utilização de Tramadol + Paracetamol deve ser reservada para doentes com dor moderada a forte que não é aliviada com a administração de analgésicos periféricos e requer a associação de cloridrato de tramadol e paracetamol.
Classificação CFT

02.12 : Analgésicos estupefacientes

Mecanismo De Ação
Analgésicos
O tramadol é um analgésico opiáceo com ação no sistema nervoso central.

O tramadol é um agonista puro e não-selectivo dos receptores opiáceos μ, δ e κ de, com uma afinidade mais elevada pelos receptores μ.

Outros mecanismos que contribuem para o seu efeito analgésico incluem inibição da recaptação neuronal da noradrenalina e aumento da libertação de serotonina.

O tramadol possui um efeito antitússico.

Ao contrário da morfina, uma vasta gama de doses analgésicas de tramadol não tem qualquer efeito depressor a nível respiratório.

Do mesmo modo, a mobilidade gastrointestinal não é afectada.

Os efeitos cardiovasculares são geralmente ligeiros.

A potência do tramadol é considerada como correspondendo a um décimo a um sexto da potência da morfina.


Desconhece-se o mecanismo exacto das propriedades analgésicas do paracetamol e pode envolver efeitos centrais e periféricos.


Tramadol + Paracetamol foi classificado como um analgésico de grau II pela OMS e deve ser utilizado em conformidade, de acordo com as instruções do médico.
Posologia Orientativa
Adultos e adolescentes (com idade igual ou superior a 12 anos):
A dose deve ser ajustada individualmente, de acordo com a gravidade da dor e resposta do doente.


Recomenda-se uma dose inicial de dois comprimidos revestidos por película de Tramadol + Paracetamol.

Se necessário, podem ser tomadas doses adicionais, mas que não devem exceder 8 comprimidos revestidos por película (equivalentes a 300 mg de tramadol e 2600 mg de paracetamol) por dia.


O intervalo posológico não deve ser inferior a 6 horas.


Tramadol + Paracetamol não deve, em circunstância alguma, ser tomado por mais tempo do que o estritamente necessário.
Administração
Deve tomar os comprimidos por via oral.


Deve engolir os comprimidos inteiros, com uma quantidade suficiente de líquido (por exemplo, um copo de água de 200 ml).

Os comprimidos não devem ser partidos nem mastigados.
Contraindicações
- Hipersensibilidade ao tramadol, paracetamol.


- Intoxicação alcoólica aguda, fármacos hipnóticos, analgésicos de ação central, opioides ou fármacos psicotrópicos.


- Tratamento concomitante com inibidores da MAO ou no espaço de duas semanas após a paragem do tratamento.


- Insuficiência hepática grave.


- Epilepsia não controlada por tratamento
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Perturbações do foro psiquiátrico:
Frequentes: confusão, alterações do estado de humor (ansiedade, nervosismo, euforia), perturbações do sono
Pouco frequentes: depressão, alucinações, pesadelos, amnésia
Raros: dependência farmacológica

Doenças do sistema nervoso:
Muito frequentes: tonturas, sonolência
Frequentes: cefaleias, tremores
Pouco frequentes: contracções musculares involuntárias, parestesia, acufenos
Raros: ataxia, convulsões

Afeções oculares:
Raros: visão turva

Cardiopatias:
Pouco frequentes: hipertensão, palpitações, taquicardia, arritmia

Doenças respiratórias, torácicas e do mediastino:
Pouco frequentes: dispneia

Doenças gastrointestinais:
Muito frequentes: náuseas
Frequentes: vómitos, obstipação, boca seca, diarreia, dor abdominal, dispepsia, flatulência
Pouco frequentes: disfagia, melena

Afeções hepatobiliares:
Pouco frequentes: níveis elevados das transaminases hepáticas

Afeções dos tecidos cutâneos e subcutâneos:
Frequentes: sudação, prurido
Pouco frequentes: reações cutâneas (por exemplo, exantema cutâneo, urticária)

Doenças renais e urinárias:
Pouco frequentes: albuminúria, doenças de micção (disúria, retenção urinária)

Perturbações gerais e alterações no local de administração:
Pouco frequentes: arrepios, afrontamentos, dor torácica.

Estudo pós-comercialização
Muito raros: abuso

Os seguintes efeitos indesejáveis não foram observados em estudos clínicos. Contudo, a sua ocorrência não pode ser excluída, dado que se sabe que estão associados à administração do tramadol ou paracetamol:

Tramadol
- Hipotensão postural, bradicardia, desmaios (colapso).

- A vigilância pós-comercialização do tramadol revelou casos raros de alterações no efeito da varfarina, incluindo o prolongamento do tempo da protrombina.

- Casos raros: reações alérgicas com sintomas respiratórios (por exemplo, dispneia, broncospasmo, sibilo, edema angioneurótico) e reacção anafiláctica.

- Casos raros: alterações do apetite, fraqueza motora e depressão respiratória.

- Podem ocorrer efeitos secundários psíquicos após a administração do tramadol, com variações individuais a nível da intensidade e natureza (dependendo da personalidade e duração do tratamento). Estes podem incluir: alterações do estado de humor (habitualmente elação, ocasionalmente disforia associada a agitação), alterações da actividade (habitualmente supressão, ocasionalmente aumento) e alterações da capacidade cognitiva e sensorial (por exemplo, comportamento de decisão, distúrbios da percepção).

- Foi notificada a ocorrência de agravamento da asma, embora não tenha sido estabelecida uma relação causal com o medicamento.

- Podem ocorrer os seguintes sintomas de abstinência, semelhantes aos sintomas de abstinência dos opiáceos: agitação, ansiedade, nervosismo, insónias, hipercinesia, tremores e sintomas gastrointestinais. Os seguintes sintomas foram observados muito raramente após a súbita abstinência do cloridrato de tramadol: crises de pânico, ansiedade grave, alucinações, parestesia, acufenos e sintomas invulgares do sistema nervoso central.

Paracetamol

- Os efeitos adversos do paracetamol são raros, embora possa ocorrer hipersensibilidade, incluindo exantema cutâneo. Obtiveram-se notificações de alterações do hemograma, incluindo trombocitopenia e agranulocitose, mas estes não foram necessariamente associados de forma causal com o paracetamol.

- Diversas notificações sugeriram que o paracetamol pode causar hipoprotrombinemia quando administrado com compostos semelhantes à varfarina. Noutros estudos, não se observaram alterações do tempo da protrombina.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Tramadol + Paracetamol é uma associação fixa de substâncias ativas que inclui tramadol e não deve ser utilizada durante a gravidez.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:Tramadol + Paracetamol não deve ser tomado durante a amamentação.
Condução
Condução
Condução:O tramadol pode causar sonolência ou tonturas, que podem ser reforçadas pelo álcool ou outros depressores do SNC. Se afectado, o doente não deve conduzir.
Precauções Gerais
Advertências:
- Em adultos e adolescentes com idade igual ou superior a 12 anos, não deve ser excedida a dose diária máxima de 8 comprimidos revestidos por película de Tramadol + Paracetamol.

Para evitar uma sobredosagem, os doentes devem ser aconselhados a não excederem a dose recomendada e a não tomarem outros medicamentos contendo paracetamol (incluindo medicamentos não sujeitos a receita médica) ou cloridrato de tramadol, sem a indicação de um médico.


- Na insuficiência renal grave (depuração da creatinina <10 ml/min), não é recomendada a utilização de Tramadol + Paracetamol.


- Em doentes com insuficiência hepática grave, Tramadol + Paracetamol não deve ser utilizado.

Os riscos de sobredosagem do paracetamol são maiores nos doentes com doença hepática alcoólica não-cirrótica.

Nos casos de disfunção hepática moderada, o prolongamento do intervalo posológico deve ser cuidadosamente considerado.


- Tramadol + Paracetamol não é recomendado nos casos de insuficiência respiratória grave.


- O tramadol não é indicado como terapêutica de substituição nos doentes dependentes de opiáceos.

Apesar de ser um agonista dos opiáceos, o tramadol não suprime os sintomas de abstinência da morfina.


- Observou-se a ocorrência de convulsões em doentes predispostos a receberem tratamento com o tramadol e/ou tratados com medicamentos que diminuem o limiar convulsivante, sobretudo inibidores selectivos de recaptação da serotonina, antidepressivos tricíclicos, antipsicóticos, analgésicos de ação central ou anestésicos locais.

Os doentes epilépticos controlados por um tratamento ou os doentes suscetíveis a convulsões não devem ser tratados com Tramadol + Paracetamol, excepto se absolutamente necessário.

Foram observadas convulsões em doentes a receberem o tramadol nas doses recomendadas.

O risco pode aumentar quando as doses do tramadol excedem o respectivo limite superior da dose recomendada.


- Não é recomendada a utilização concomitante de agonistas-antagonistas dos opioides (nalbufina, buprenorfina, pentazocina).


Precauções:
- Tramadol + Paracetamol deve ser utilizado com precaução nos doentes com dependência de opiáceos, com traumatismo craniano, com predisposição para convulsões, com afecções do sistema biliar, em estado de choque, doentes com um estado de consciência alterado por motivos desconhecidos, com problemas que afectam o centro respiratório ou a função respiratória ou com pressão intracraniana aumentada.


- Em alguns doentes, a sobredosagem do paracetamol pode causar toxicidade hepática.


- Em doses terapêuticas, o tramadol pode causar sintomas de abstinência.

Raramente,
foram notificados casos de dependência e abuso.


- Podem ocorrer reações de abstinência, semelhantes às que ocorrem durante a abstinência aos opiáceos.


- Num estudo, foi referido que a utilização do tramadol com enflurano e óxido nitroso durante a anestesia geral reforça o despertar intra-operatório.

Até serem disponibilizadas informações adicionais, é de evitar a utilização do tramadol durante fases superficiais de anestesia.
Cuidados com a Dieta
Tramadol + Paracetamol pode ser tomado com ou sem alimentos.


Não deve beber qualquer álcool durante o tratamento, dado que o álcool aumenta o efeito sedativo de Tramadol + Paracetamol.
Terapêutica Interrompida
Caso se tenha esquecido de tomar este medicamento, pode saltar a dose em falta e continuar o tratamento como habitualmente, ou pode tomar o comprimido em falta, mas, nesse caso, deve respeitar um intervalo de 6 horas até à ingestão seguinte.


Não tome uma dose a dobrar para compensar um comprimido que se esqueceu de tomar
Cuidados no Armazenamento
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

O medicamento não necessita de quaisquer condições especiais de conservação.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Contraindicado

Tramadol + Paracetamol + Inibidores da Monoaminoxidase (IMAO)

Observações: N.D.
Interações: A utilização concomitante é contraindicada com: Inibidores não-selectivos da MAO: Risco de síndrome serotoninérgica: diarreia, taquicardia, sudação, tremores, confusão e até coma. Inibidores selectivos da MAO-A: Por extrapolação a partir dos inibidores não-selectivos da MAO. Risco de síndrome serotoninérgica: diarreia, taquicardia, sudação, tremores, confusão e até coma. Inibidores selectivos da MAO-B: Sintomas da excitação central semelhantes aos da síndrome serotoninérgica: diarreia, taquicardia, sudação, tremores, confusão e até coma. No caso de tratamento recente com inibidores da MAO, deve ser respeitado um intervalo de duas semanas antes do início do tratamento com o tramadol. - Inibidores da Monoaminoxidase (IMAO)
Não recomendado/Evitar

Tramadol + Paracetamol + Álcool

Observações: N.D.
Interações: A utilização concomitante não é recomendada com: Álcool: O álcool aumenta o efeito sedativo dos analgésicos opiáceos. O efeito na capacidade de vigília pode tornar perigosa a condução de veículos e a utilização de máquinas. É de evitar o consumo de bebidas alcoólicas e medicamentos contendo álcool. - Álcool
Não recomendado/Evitar

Tramadol + Paracetamol + Carbamazepina

Observações: N.D.
Interações: A utilização concomitante não é recomendada com: Carbamazepina e outros indutores enzimáticos: Risco de redução da eficácia e duração do efeito devido a concentrações plasmáticas reduzidas do tramadol. - Carbamazepina
Não recomendado/Evitar

Tramadol + Paracetamol + Buprenorfina

Observações: N.D.
Interações: A utilização concomitante não é recomendada com: Agonistas/antagonistas dos opiáceos (nalbufina, buprenorfina, pentazocina): Redução do efeito analgésico por bloqueio competitivo dos receptores, com o risco de ocorrência da síndrome de abstinência. - Buprenorfina
Não recomendado/Evitar

Tramadol + Paracetamol + Nalbufina

Observações: N.D.
Interações: A utilização concomitante não é recomendada com: Agonistas/antagonistas dos opiáceos (nalbufina, buprenorfina, pentazocina): Redução do efeito analgésico por bloqueio competitivo dos receptores, com o risco de ocorrência da síndrome de abstinência. - Nalbufina
Não recomendado/Evitar

Tramadol + Paracetamol + Pentazocina

Observações: N.D.
Interações: A utilização concomitante não é recomendada com: Agonistas/antagonistas dos opiáceos (nalbufina, buprenorfina, pentazocina): Redução do efeito analgésico por bloqueio competitivo dos receptores, com o risco de ocorrência da síndrome de abstinência. - Pentazocina
Usar com precaução

Tramadol + Paracetamol + Inibidores Selectivos da Recaptação da Serotonina (ISRS) (SSRIs)

Observações: N.D.
Interações: Utilização concomitante que deve ser tomada em consideração: Foram notificados casos isolados de síndrome serotoninérgica, numa ligação temporal com a utilização terapêutica do tramadol e outros medicamentos serotoninérgicos, tais como inibidores selectivos de recaptação da serotonina (ISRS) e triptanos. Os sinais de síndrome serotoninérgica são, por exemplo, confusão, agitação, febre, sudação, ataxia, hiperreflexia, mioclonus e diarreia. Medicamentos que reduzem o limiar convulsivante, tais como bupropião, inibidores selectivos de recaptação da serotonina, antidepressivos tricíclicos e neurolépticos. A utilização concomitante do tramadol com estes fármacos pode aumentar o risco de convulsões. - Inibidores Selectivos da Recaptação da Serotonina (ISRS) (SSRIs)
Usar com precaução

Tramadol + Paracetamol + Triptanos

Observações: N.D.
Interações: Utilização concomitante que deve ser tomada em consideração: Foram notificados casos isolados de síndrome serotoninérgica, numa ligação temporal com a utilização terapêutica do tramadol e outros medicamentos serotoninérgicos, tais como inibidores selectivos de recaptação da serotonina (ISRS) e triptanos. Os sinais de síndrome serotoninérgica são, por exemplo, confusão, agitação, febre, sudação, ataxia, hiperreflexia, mioclonus e diarreia. - Triptanos
Potencialmente Grave

Tramadol + Paracetamol + Antitússicos

Observações: N.D.
Interações: Outros derivados dos opiáceos (incluindo medicamentos antitússicos e tratamentos substitutivos), barbitúricos e benzodiazepinas. Aumento do risco de depressão respiratória, que pode ser fatal nos casos de sobredosagem. Outros depressores do sistema nervoso central, tais como outros derivados dos opiáceos (incluindo medicamentos antitússicos e tratamentos substitutivos), barbitúricos, benzodiazepinas, outros ansiolíticos, hipnóticos, antidepressivos sedativos, antihistamínicos sedativos, neurolépticos, medicamentos antihipertensores de acção central, talidomida e baclofeno. Estes medicamentos podem provocar um agravamento da depressão central. O efeito na capacidade de alerta pode tornar perigosa a condução de veículos e a utilização de máquinas. - Antitússicos
Potencialmente Grave

Tramadol + Paracetamol + Barbitúricos

Observações: N.D.
Interações: Outros derivados dos opiáceos (incluindo medicamentos antitússicos e tratamentos substitutivos), barbitúricos e benzodiazepinas. Aumento do risco de depressão respiratória, que pode ser fatal nos casos de sobredosagem. Outros depressores do sistema nervoso central, tais como outros derivados dos opiáceos (incluindo medicamentos antitússicos e tratamentos substitutivos), barbitúricos, benzodiazepinas, outros ansiolíticos, hipnóticos, antidepressivos sedativos, antihistamínicos sedativos, neurolépticos, medicamentos antihipertensores de acção central, talidomida e baclofeno. Estes medicamentos podem provocar um agravamento da depressão central. O efeito na capacidade de alerta pode tornar perigosa a condução de veículos e a utilização de máquinas. - Barbitúricos
Potencialmente Grave

Tramadol + Paracetamol + Opiáceos

Observações: N.D.
Interações: Outros derivados dos opiáceos (incluindo medicamentos antitússicos e tratamentos substitutivos), barbitúricos e benzodiazepinas. Aumento do risco de depressão respiratória, que pode ser fatal nos casos de sobredosagem. Outros depressores do sistema nervoso central, tais como outros derivados dos opiáceos (incluindo medicamentos antitússicos e tratamentos substitutivos), barbitúricos, benzodiazepinas, outros ansiolíticos, hipnóticos, antidepressivos sedativos, antihistamínicos sedativos, neurolépticos, medicamentos antihipertensores de acção central, talidomida e baclofeno. Estes medicamentos podem provocar um agravamento da depressão central. O efeito na capacidade de alerta pode tornar perigosa a condução de veículos e a utilização de máquinas. - Opiáceos
Potencialmente Grave

Tramadol + Paracetamol + Benzodiazepinas

Observações: N.D.
Interações: Outros derivados dos opiáceos (incluindo medicamentos antitússicos e tratamentos substitutivos), barbitúricos e benzodiazepinas. Aumento do risco de depressão respiratória, que pode ser fatal nos casos de sobredosagem. Outros depressores do sistema nervoso central, tais como outros derivados dos opiáceos (incluindo medicamentos antitússicos e tratamentos substitutivos), barbitúricos, benzodiazepinas, outros ansiolíticos, hipnóticos, antidepressivos sedativos, antihistamínicos sedativos, neurolépticos, medicamentos antihipertensores de acção central, talidomida e baclofeno. Estes medicamentos podem provocar um agravamento da depressão central. O efeito na capacidade de alerta pode tornar perigosa a condução de veículos e a utilização de máquinas. - Benzodiazepinas
Usar com precaução

Tramadol + Paracetamol + Depressores do SNC

Observações: N.D.
Interações: Outros depressores do sistema nervoso central, tais como outros derivados dos opiáceos (incluindo medicamentos antitússicos e tratamentos substitutivos), barbitúricos, benzodiazepinas, outros ansiolíticos, hipnóticos, antidepressivos sedativos, antihistamínicos sedativos, neurolépticos, medicamentos antihipertensores de acção central, talidomida e baclofeno. Estes medicamentos podem provocar um agravamento da depressão central. O efeito na capacidade de alerta pode tornar perigosa a condução de veículos e a utilização de máquinas. - Depressores do SNC
Usar com precaução

Tramadol + Paracetamol + Ansiolíticos

Observações: N.D.
Interações: Outros depressores do sistema nervoso central, tais como outros derivados dos opiáceos (incluindo medicamentos antitússicos e tratamentos substitutivos), barbitúricos, benzodiazepinas, outros ansiolíticos, hipnóticos, antidepressivos sedativos, antihistamínicos sedativos, neurolépticos, medicamentos antihipertensores de acção central, talidomida e baclofeno. Estes medicamentos podem provocar um agravamento da depressão central. O efeito na capacidade de alerta pode tornar perigosa a condução de veículos e a utilização de máquinas. - Ansiolíticos
Usar com precaução

Tramadol + Paracetamol + Hipnóticos

Observações: N.D.
Interações: Outros depressores do sistema nervoso central, tais como outros derivados dos opiáceos (incluindo medicamentos antitússicos e tratamentos substitutivos), barbitúricos, benzodiazepinas, outros ansiolíticos, hipnóticos, antidepressivos sedativos, antihistamínicos sedativos, neurolépticos, medicamentos antihipertensores de acção central, talidomida e baclofeno. Estes medicamentos podem provocar um agravamento da depressão central. O efeito na capacidade de alerta pode tornar perigosa a condução de veículos e a utilização de máquinas. - Hipnóticos
Usar com precaução

Tramadol + Paracetamol + Antidepressores

Observações: N.D.
Interações: Outros depressores do sistema nervoso central, tais como outros derivados dos opiáceos (incluindo medicamentos antitússicos e tratamentos substitutivos), barbitúricos, benzodiazepinas, outros ansiolíticos, hipnóticos, antidepressivos sedativos, antihistamínicos sedativos, neurolépticos, medicamentos antihipertensores de acção central, talidomida e baclofeno. Estes medicamentos podem provocar um agravamento da depressão central. O efeito na capacidade de alerta pode tornar perigosa a condução de veículos e a utilização de máquinas. - Antidepressores
Usar com precaução

Tramadol + Paracetamol + Antihistamínicos

Observações: N.D.
Interações: Outros depressores do sistema nervoso central, tais como outros derivados dos opiáceos (incluindo medicamentos antitússicos e tratamentos substitutivos), barbitúricos, benzodiazepinas, outros ansiolíticos, hipnóticos, antidepressivos sedativos, antihistamínicos sedativos, neurolépticos, medicamentos antihipertensores de acção central, talidomida e baclofeno. Estes medicamentos podem provocar um agravamento da depressão central. O efeito na capacidade de alerta pode tornar perigosa a condução de veículos e a utilização de máquinas. - Antihistamínicos
Usar com precaução

Tramadol + Paracetamol + Neurolépticos

Observações: N.D.
Interações: Outros depressores do sistema nervoso central, tais como outros derivados dos opiáceos (incluindo medicamentos antitússicos e tratamentos substitutivos), barbitúricos, benzodiazepinas, outros ansiolíticos, hipnóticos, antidepressivos sedativos, antihistamínicos sedativos, neurolépticos, medicamentos antihipertensores de acção central, talidomida e baclofeno. Estes medicamentos podem provocar um agravamento da depressão central. O efeito na capacidade de alerta pode tornar perigosa a condução de veículos e a utilização de máquinas. Medicamentos que reduzem o limiar convulsivante, tais como bupropião, inibidores selectivos de recaptação da serotonina, antidepressivos tricíclicos e neurolépticos. A utilização concomitante do tramadol com estes fármacos pode aumentar o risco de convulsões. - Neurolépticos
Usar com precaução

Tramadol + Paracetamol + Antihipertensores

Observações: N.D.
Interações: Outros depressores do sistema nervoso central, tais como outros derivados dos opiáceos (incluindo medicamentos antitússicos e tratamentos substitutivos), barbitúricos, benzodiazepinas, outros ansiolíticos, hipnóticos, antidepressivos sedativos, antihistamínicos sedativos, neurolépticos, medicamentos antihipertensores de acção central, talidomida e baclofeno. Estes medicamentos podem provocar um agravamento da depressão central. O efeito na capacidade de alerta pode tornar perigosa a condução de veículos e a utilização de máquinas. - Antihipertensores
Usar com precaução

Tramadol + Paracetamol + Talidomida

Observações: N.D.
Interações: Outros depressores do sistema nervoso central, tais como outros derivados dos opiáceos (incluindo medicamentos antitússicos e tratamentos substitutivos), barbitúricos, benzodiazepinas, outros ansiolíticos, hipnóticos, antidepressivos sedativos, antihistamínicos sedativos, neurolépticos, medicamentos antihipertensores de acção central, talidomida e baclofeno. Estes medicamentos podem provocar um agravamento da depressão central. O efeito na capacidade de alerta pode tornar perigosa a condução de veículos e a utilização de máquinas. - Talidomida
Usar com precaução

Tramadol + Paracetamol + Baclofeno

Observações: N.D.
Interações: Outros depressores do sistema nervoso central, tais como outros derivados dos opiáceos (incluindo medicamentos antitússicos e tratamentos substitutivos), barbitúricos, benzodiazepinas, outros ansiolíticos, hipnóticos, antidepressivos sedativos, antihistamínicos sedativos, neurolépticos, medicamentos antihipertensores de acção central, talidomida e baclofeno. Estes medicamentos podem provocar um agravamento da depressão central. O efeito na capacidade de alerta pode tornar perigosa a condução de veículos e a utilização de máquinas. - Baclofeno
Usar com precaução

Tramadol + Paracetamol + Outros medicamentos

Observações: N.D.
Interações: Dado que foram notificados aumentos da INR (International Normalised Ratio – Razão Normalizada Internacional), é aconselhável uma avaliação periódica do tempo da protrombina quando Tramadol / Paracetamol é administrado de forma concomitante com medicamentos semelhantes à varfarina. - Outros medicamentos
Usar com precaução

Tramadol + Paracetamol + Cetoconazol

Observações: N.D.
Interações: Outros medicamentos conhecidos por inibirem a CYP3A4, tais como cetoconazol e eritromicina, podem inibir o metabolismo do tramadol (N-desmetilação) e, provavelmente, o metabolismo do metabolito activo O-desmetilado. Ainda não foi estudada a importância clínica desta interação. - Cetoconazol
Usar com precaução

Tramadol + Paracetamol + Eritromicina

Observações: N.D.
Interações: Outros medicamentos conhecidos por inibirem a CYP3A4, tais como cetoconazol e eritromicina, podem inibir o metabolismo do tramadol (N-desmetilação) e, provavelmente, o metabolismo do metabolito activo O-desmetilado. Ainda não foi estudada a importância clínica desta interação. - Eritromicina
Usar com precaução

Tramadol + Paracetamol + Inibidores do CYP3A4

Observações: N.D.
Interações: Outros medicamentos conhecidos por inibirem a CYP3A4, tais como cetoconazol e eritromicina, podem inibir o metabolismo do tramadol (N-desmetilação) e, provavelmente, o metabolismo do metabolito activo O-desmetilado. Ainda não foi estudada a importância clínica desta interação. - Inibidores do CYP3A4
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Tramadol + Paracetamol + Bupropiom (Bupropiona)

Observações: N.D.
Interações: Medicamentos que reduzem o limiar convulsivante, tais como bupropião, inibidores selectivos de recaptação da serotonina, antidepressivos tricíclicos e neurolépticos. A utilização concomitante do tramadol com estes fármacos pode aumentar o risco de convulsões. - Bupropiom (Bupropiona)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Tramadol + Paracetamol + Antidepressores (Tricíclicos)

Observações: N.D.
Interações: Medicamentos que reduzem o limiar convulsivante, tais como bupropião, inibidores selectivos de recaptação da serotonina, antidepressivos tricíclicos e neurolépticos. A utilização concomitante do tramadol com estes fármacos pode aumentar o risco de convulsões. - Antidepressores (Tricíclicos)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Tramadol + Paracetamol + Metoclopramida

Observações: N.D.
Interações: A taxa de absorção do paracetamol pode ser aumentada por metoclopramida ou domperidona. - Metoclopramida
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Tramadol + Paracetamol + Domperidona

Observações: N.D.
Interações: A taxa de absorção do paracetamol pode ser aumentada por metoclopramida ou domperidona. - Domperidona
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Tramadol + Paracetamol + Colestiramina

Observações: N.D.
Interações: A absorção pode ser reduzida pela colestiramina. - Colestiramina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Tramadol + Paracetamol + Ondansetrom

Observações: N.D.
Interações: Num número limitado de estudos, a utilização do antagonista de receptores 5-HT3, o anti-emético ondansetrom, no período pré-operatório e pós-operatório, provocou uma necessidade aumentada do tramadol em doentes com dor no pós-operatório. - Ondansetrom
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações do Tramadol + Paracetamol
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente, ou vier a tomar outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

Tramadol + Paracetamol não deve ser utilizado em associação com inibidores da MAO (utilizadores da depressão ou doença de Parkinson).

Tramadol + Paracetamol não deve ser tomado em associação com Carbamazepina (um medicamento utilizado para o tratamento da epilepsia ou alguns tipos de dor).

Analgésicos (buprenorfina, nalbufina, pentazocina).

Tramadol + Paracetamol não deve ser tomado em associação com Medicamentos serotoninérgicos, tais como inibidores selectivos de recaptação da serotonina (ISRS, utilizados para tratar depressões) e triptanos (utilizados para as dores de cabeça).

Outros derivados dos opiáceos (incluindo medicamentos para a tosse e tratamentos substitutivos), barbitúricos e benzodiazepinas (sedativos).

Outros depressores do sistema nervoso central, ansiolíticos (utilizados para diminuir o medo), hipnóticos, antidepressivos sedativos, anti-histamínicos sedativos (utilizados para tratar alergias), neurolépticos (utilizados para tratar psicoses), medicamentos anti-hipertensores de acção central (utilizados para baixar a tensão arterial), talidomida (um sedativo) e baclofeno (um relaxante muscular).

Medicamentos do tipo varfarina (utilizados para diminuir a espessura do sangue).

Outros medicamentos conhecidos por inibirem a enzima hepática “CYP3A4”, tais como cetoconazol e eritromicina.

Medicamentos que reduzem o limiar convulsivante, tais como bupropião, inibidores selectivos de recaptação da serotonina, antidepressivos tricíclicos e neurolépticos.

Metoclopramida ou domperidona (medicamentos utilizados para o tratamento de náuseas e vómitos/enjoos).

Colestiramina (medicamento utilizado para reduzir o colesterol no sangue).

Se tomou ondansetrom (utilizado para tratar náuseas), a eficácia de Tramadol + Paracetamol pode ser alterada.

Tramadol + Paracetamol é uma associação fixa de substâncias ativas que inclui tramadol e não deve ser utilizada durante a gravidez.

Tramadol + Paracetamol não deve ser tomado durante a amamentação.

O tramadol pode causar sonolência ou tonturas, que podem ser reforçadas pelo álcool ou outros depressores do SNC.

Se afectado, o doente não deve conduzir ou utilizar máquinas.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 08 de Setembro de 2020