Timolol

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução DCI com Advertência no Dopping DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
O timolol pertence a um grupo de medicamentos conhecidos por "beta-bloqueantes" que ajudam a reduzir a pressão no interior do olho, que se encontra elevada em condições tais como: hipertensão ocular, glaucoma crónico de ângulo aberto (incluindo afaquia) e certos casos de glaucoma secundário.
Usos comuns
Na sua forma oral, ele é usado para tratar a hipertensão arterial e prevenir ataques cardíacos e, ocasionalmente, para prevenir a enxaqueca.

Na sua forma oftálmica é utilizada para tratar de ângulo aberto e glaucoma secundário ocasionalmente.
Tipo
pequena molécula
História
Sem informação.
Indicações
Redução da pressão intraocular elevada em doentes:
- com hipertensão ocular
- com glaucoma crónico de ângulo aberto
- afáquicos com glaucoma
- com glaucoma secundário (nalguns casos)
- com ângulos fechados e uma história de encerramento do ângulo, iatrogénico ou espontâneo, no olho oposto, em que é necessária uma redução da pressão intraocular.
Classificação CFT
15.04.03     Bloqueadores beta
Mecanismo De Ação
O maleato de timolol é um beta-bloqueante não seletivo sem qualquer atividade significativa de estimulação cardíaca, ou de depressão cardíaca direta ou de anestesia local (estabilização de membrana).

O maleato de timolol liga-se reversivelmente aos recetores beta-adrenérgicos e inibe a resposta biológica normal.

Quando aplicado topicamente no olho reduz a pressão intraocular elevada e a normal.

Embora nem todos os mecanismos de ação do maleato de timolol sejam ainda conhecidos, pensa-se que este reduz primariamente a produção de humor aquoso.

Pode também ter efeito em menor grau no fluxo de humor aquoso.


Ao contrário dos mióticos, o maleato de timolol reduz a pressão intraocular com pouco ou nenhum efeito sobre as dimensões da pupila ou sobre a acuidade visual devido ao aumento da acomodação.

Assim, não se verifica diminuição da visão ou cegueira noturna, como acontece com os mióticos.

Nos doentes com cataratas, é evitada a diminuição da visão causada por opacidades lenticulares quando a pupila está contraída.


O início da redução da pressão intraocular em consequência da aplicação ocular do maleato de timolol é geralmente detetado dentro de um período de 30 minutos após a administração do colírio.

O efeito máximo é conseguido cerca de 2 horas após a aplicação e verifica-se uma redução significativa da pressão intraocular que persiste por um período que pode chegar a 24 horas.
Posologia Orientativa
A dose inicial habitual é de uma gota no(s) olho(s) afetado(s) duas vezes ao dia.
Administração
Quando se recorre á oclusão lacrimonasal ou quando se fecham suavemente as pálpebras por 2 minutos, após a instilação, a absorção sistémica diminui.

Isto pode resultar num decréscimo dos efeitos indesejáveis sistémicos e num aumento da atividade local
Contraindicações
- Choque cardiogénico;
- Insuficiência cardíaca manifesta;
- Bradicardia sinusal, síndrome do nódulo sinusal, bloqueio sinoauricular, bloqueio auriculoventricular (AV) de segundo ou terceiro grau não controlado com pacemaker;
- Doença reativa das vias aéreas, incluindo asma brônquica ou antecedentes de asma brônquica ou doença pulmonar obstrutiva crónica grave;
- Perturbação circulatória grave (doença de Raynaud) e doenças periféricas;
- Angina de Prinzmetal;
- Feocromocitoma não tratado;
- Hipotensão;
- Rinite alérgica grave e hiper-reatividade brônquica;
- Doenças corneanas;
- Hipersensibilidade ao Timolol
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Afeções musculoesqueléticas e dos tecido conjuntivos:
Raros: lúpus eritematoso sistémico

Doenças do sistema nervoso:
Frequentes: cefaleias
Pouco frequentes: síncope, tonturas
Raros: parestesias, aumento dos sinais e sintomas de miastenia gravis, acidente vascular cerebral (AVC), isquemia cerebral

Perturbações do foro psiquiátrico:
Pouco frequentes: depressão
Raros: insónia, pesadelos, perda de memória

Afeções oculares:
Frequentes: sinais e sintomas de irritação ocular incluindo ardor e picada, conjuntivite, blefarite, queratite, diminuição da sensibilidade da córnea e olhos secos
Pouco frequentes: perturbações visuais incluindo alterações da refração (devido à interrupção da terapêutica miótica em alguns casos)
Raros: ptose, diplopia, descolamento da coroide após cirurgia de filtração

Afeções do ouvido e do labirinto:
Raros: acufenos

Doenças cardíacas
Pouco frequentes: bradicardia
Raros: bloqueio cardíaco, insuficiência cardíaca congestiva, palpitações, paragem cardíaca, edema, arritmia, dor no peito.

Vasculopatias
Raros: hipotensão, fenómeno de Raynaud, mãos e pés frios, claudicação

Doenças respiratórias, torácicas e do mediastino:
Pouco frequentes: dispneia
Raros: broncospasmo (predominantemente em doentes com doença brônquica pré-existente), insufici~encia respiratória, tosse

Doenças gastrointestinais:
Pouco frequentes: náuseas, dispepsia
Raros: diarreia, xerostomia

Afeções dos tecidos cutâneos e subcutâneos:
Raros: alopécia, exantema psoriasiforme ou exacerbação da psoríase


Doenças dos órgãos genitais e da mama:
Raros: Doença de Peyronie, diminuição da libido

Doenças do sistema imunitário
Raros: sinais e sintomas de reações alérgicas incluindo anafilaxia, angioedema, urticária, exantema localizado e generalizado

Perturbações gerais e alterações no local de administração:
Pouco frequentes: astenia, fadiga

Exames complementares de diagnóstico:
Foram raramente associadas à administração de maleato de timolol por via sistémica, alterações clínicas importantes dos parâmetros laboratoriais de referência.
Ocorreram aumentos ligeiros da ureia sérica, potássio sérico, ácido úrico sérico e triglicéridos e diminuições ligeiras da hemoglobina, hematócrito e colesterol-HDL, mas não foram progressivos nem associados a manifestações clínicas.
Reações adversas adicionais foram observadas com bloqueadores beta oftálmicos e podem potencialmente ocorrer com este medicamento:

Doenças do sistema imunitário:
Reações alérgicas sistémicas incluindo prurido e reação anafilática

Doenças do metabolismo e da nutrição
Hipoglicemia

Afeções oculares
Sinais e sintomas de irritação ocular (por exemplo prurido, aumento do lacrimejo, vermelhidão), visão turva e erosão da córnea

Doenças cardíacas
Bloqueio auriculoventricular, insuficiência cardíaca

Doenças gastrointestinais
Disgeusia, dor abdominal, vómitos

Afeções dos tecidos cutâneos e subcutâneos:
Erupção cutânea.

Afeções musculoesqueléticas e dos tecidos conjuntivos
Mialgia

Doenças dos órgãos genitais e da mama
Disfunção sexual
Advertências
Gravidez
Gravidez:Ver Bloqueadores adrenérgicos beta. Risco fetal desconhecido, por falta de estudos alargados (evidência fetal em animais, mas a necessidade pode justificar o risco, se usado no 2o e 3o. Trimestre: 2º e 3º
Aleitamento
Aleitamento:Ver Bloqueadores adrenérgicos beta.
Dopping
Dopping:Dopping: Os beta-bloqueantes são proibidos somente Em Competição nos seguintes desportos, exceto se especificado de outra forma: Atividades Subaquáticas (CMAS), Automobilismo (FIA), Bilhar (todas as disciplinas) (WCBS), Esqui/Snowboard (FIS), Golfe (IGF), Setas (WDF). Proibido igualmente fora de competição: Tiro (ISSF, IPC), Tiro (ISSF, IPC), Tiro com Arco (WA).
Conducao
Conducao:Altera a capacidade de condução.
Precauções Gerais
Tal como outros medicamentos oftálmicos de aplicação tópica, o timolol é absorvido por via sistémica.

Devido à componente beta-adrenérgica do timolol, pode correr o mesmo tipo de reações adversas cardiovasculares, pulmonares e outras reações adversas observadas com bloqueadores beta-adrenérgicos sistémicos.

A incidência de reações adversas após administração tópica é inferior à da administração sistémica.

Para reduzir a absorção sistémica.

Nos doentes com glaucoma de ângulo fechado o objetivo imediato do tratamento é a reabertura do ângulo.

Tal exige a constrição da pupila por um miótico.

Timolol tem pequeno ou nenhum efeito sobre a pupila.

Quando se usa timolol para reduzir a pressão intraocular num glaucoma de ângulo fechado deve aplicar-se concomitantemente um miótico.

Doenças cardíacas: Os doentes com doenças cardiovasculares (exemplo: doença cardíaca coronária, angina de Prinzmetal e insuficiência cardíaca) que fazem terapêutica anti-hipertensora com bloqueadores adrenérgicos beta devem ser avaliados criticamente e a terapêutica com outras substâncias ativas deve ser considerada.

Nestes doentes, devem ser observados os sinais de deterioração da doença e reações adversas.

A insuficiência cardíaca deverá ser adequadamente controlada antes de iniciar o tratamento com timolol.

Em doentes com história de cardiopatia grave devem ser procurados sinais de insuficiência cardíaca e verificada a frequência cardíaca.

Têm sido notificadas, após administração de timolol, reações cardíacas incluindo, raramente, morte em associação com insuficiência cardíaca.

Devido aos efeitos negativos no tempo de condução, os bloqueadores beta-adrenérgicos devem ser administrados com precaução apenas a doentes com bloqueio cardíaco de primeiro grau.

Vasculopatias: Doentes com perturbação circulatória periférica grave (formas graves de doença ou síndrome de Raynaud) devem ser tratados com precaução.

Afeções respiratórias: Após administração de alguns bloqueadores beta oftálmicos, foram notificados casos de reações respiratórias, incluindo morte devido a broncospasmo em doentes com asma.

O timolol deve ser utilizado com precaução em doentes com doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) ligeira/moderada e apenas se o benefício potencial for superior ao risco.

Hipoglicemia/diabetes: Os bloqueadores beta devem ser administrados com precaução em doentes suscetíveis a hipoglicemias espontâneas ou em doentes com diabetes lábil, uma vez que estes fármacos podem mascarar os sinais e sintomas de hipoglicemia aguda.

Os bloqueadores beta podem igualmente mascarar os sinais de hipertiroidismo.

A interrupção abrupta da terapêutica com bloqueadores beta-adrenérgicos pode precipitar um agravamento dos sintomas.

Afeções da córnea: Os bloqueadores beta oftálmicos podem induzir secura dos olhos.

Os doentes com afeções da córnea devem ser tratados com precaução.

Outros bloqueadores beta: O efeito sobre a pressão intraocular ou os já conhecidos efeitos de bloqueio adrenérgico beta sistémico podem ser potenciados quando o timolol é administrado a doentes que estejam a fazer outro bloqueador adrenérgico beta por via oral.

A resposta destes doentes deve ser acompanhada de perto.

Não se recomenda o uso concomitante de dois bloqueadores adrenérgicos beta de aplicação tópica.

Reações anafiláticas: Durante o tratamento com bloqueadores adrenérgicos beta, os doentes com história de atopia ou de reação anafilática grave a vários alergénios podem estar mais reativos à exposição repetida a tais alergénios e podem não responder às doses habituais de adrenalina utilizadas no tratamento de reações anafiláticas.

Descolamento da coroide: Foram notificados casos de descolamento da coroide com a administração de terapêutica supressora de humor aquoso (por exemplo, timolol, acetazolamida), após procedimentos de filtração.

Anestesia cirúrgica
As preparações oftálmicas de bloqueio beta podem bloquear os efeitos sistémicos dos agonistas beta como, por exemplo, da adrenalina.

O anestesiologista deve ser informado quando o doente estiver a receber timolol.

Efeitos adicionais do bloqueio beta-adrenérgico: A terapêutica com bloqueadores beta-adrenérgicos pode agravar os sintomas de miastenia gravis.

A interrupção do tratamento com um bloqueador beta-adrenérgico deve ser feita de forma gradual.

O timolol não deve ser administrado quando se usam lentes de contacto hidrófilas.

As lentes de contacto devem ser removidas antes da aplicação das gotas e só devem ser recolocadas 15 minutos após a aplicação de timolol.

O cloreto de benzalcónio pode causar irritação ocular e é passível de descolorar lentes de contacto moles.
Cuidados com a Dieta
Não interfere com alimentos e bebidas.

O álcool pode aumentar os níveis do medicamento no sangue.
Terapêutica Interrompida
Aplique Timolol conforme receitado pelo seu médico.

Se se esquecer de uma dose, aplique-a logo que se lembrar.

No entanto, se estiver quase na hora de aplicar a próxima dose, despreze a dose em atraso e volte a aplicar a gota dentro do horário previsto.
Cuidados no Armazenamento
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Manter o recipiente dentro da embalagem exterior.


Conservar a temperatura inferior a 25ºC.


Após a primeira abertura do frasco conta-gotas, utilizar no prazo de 28 dias e rejeitar a
solução restante.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Dorzolamida + Timolol

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interações.
Interações: Em estudos clínicos, a dorzolamida foi utilizada de forma concomitante com os seguintes medicamentos sem provas de interações adversas: Solução oftálmica de timolol, solução oftálmica de betaxolol e medicamentos sistémicos, incluindo inibidores da enzima conversora de angiotensina (ACE), bloqueadores dos canais de cálcio, diuréticos, medicamentos anti-inflamatórios não esteróides, incluindo aspirina e hormonas (por ex., estrogénio, insulina, tiroxina). A associação entre a dorzolamida e os agentes mióticos e agonistas adrenérgicos não foi totalmente avaliada durante o tratamento do glaucoma.

Tafluprost + Timolol

Observações: N.D.
Interações: Não se prevê a ocorrência de interações em seres humanos, visto que as concentrações sistémicas de tafluprost são extremamente reduzidas após administração oftálmica. Por conseguinte, não foram realizados estudos de interacção medicamentosa específicos com tafluprost. Em estudos clínicos, o tafluprost foi usado concomitantemente com timolol, sem evidência de interacção.
 Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Bloqueadores beta-adrenérgicos + Timolol

Observações: Os bloqueadores adrenérgicos beta (em especial os não selectivos como o propranolol) alteram a resposta aos simpaticomiméticos com actividade agonista-beta (ex.: adrenalina). Os bloqueadores que sofrem um metabolismo de primeira passagem extenso, podem ser afectados por fármacos capazes de alterar este processo. Estes bloqueadores podem reduzir o fluxo sanguíneo hepático.
Interações: Fármacos que podem aumentar o efeito de bloqueio beta: Inibidores selectivos da recaptação da serotonina (ISRS): a fluoxetina e a paroxetina inibem o CYP2D6 e aumentam as concentrações de timolol, propranolol, metoprolol e carvedilol - Timolol

Darunavir + Cobicistate + Timolol

Observações: Não foram realizados estudos de interação farmacológica com Darunavir / Cobicistate. Uma vez que Darunavir / Cobicistate contém darunavir e cobicistate, as interações que foram identificadas com darunavir (em associação uma dose baixa de ritonavir) e com cobicistate determinam as interações que podem ocorrer com Darunavir / Cobicistate. Os ensaios de interação com darunavir/ritonavir e com cobicistate apenas foram realizados em adultos.
Interações: ANTIPSICÓTICOS/NEUROLÉPTICOS: β-bloqueadores: Carvedilol, Metoprolol, Timolol: Tendo por base considerações teóricas, é expectável que Darunavir / Cobicistate aumente as concentrações destes betabloqueadores. (inibição do CYP3A) Recomenda-se monitorização clínica quando Darunavir / Cobicistate é administrado concomitantemente com betabloqueadores e deve ser considerada uma menor dose de betabloqueador.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brimonidina + Timolol + Timolol

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interações com a associação fixa brimonidina timolol.
Interações: Foi notificado uma potenciação do bloqueio beta sistémico (p.ex. diminuição da frequência cardíaca, depressão) durante o tratamento combinado com inibidores do CYP2D6 (p.ex. quinidina, fluoxetina, paroxetina) e timolol.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Bimatoprost + Timolol + Timolol

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com a combinação fixa de bimatoprost e timolol.
Interações: Existe um potencial para efeitos aditivos que resultam em tensão arterial baixa e/ou bradicardia acentuada quando são administradas soluções oftálmicas com bloqueadores beta concomitantemente com bloqueadores dos canais de cálcio, guanetidina, bloqueadores beta-adrenérgicos, parassimpatomiméticos, antiarrítmicos (incluindo amiodarona) e glicosídeos digitálicos.

Lidocaína + Timolol

Observações: n.d.
Interações: Em doentes a fazerem tratamento com verapamil e timolol existem relatos de colapso cardiovascular após o uso de bupivacaína; a lidocaína é próxima da bupivacaína.

Brinzolamida + Timolol

Observações: N.D.
Interações: Não foram realizados estudos específicos de interações de outros medicamentos com Brinzolamida. Nos estudos clínicos, Brinzolamida foi utilizado concomitantemente com preparações oftalmológicas de análogos das prostaglandinas e de timolol sem evidência de interações adversas.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Adrenalina

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Ocasionalmente foram notificados casos de midríase resultante do uso concomitante de bloqueadores beta oftálmicos com adrenalina (epinefrina). O efeito na pressão intraocular ou os efeitos conhecidos dos beta-bloqueantes sistémicos podem ser aumentados quando o timolol é administrado em doentes que já estão a receber um agente beta-bloqueante. A resposta destes doentes deve ser cuidadosamente observada.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Bloqueadores da entrada de cálcio (antagonistas de cálcio)

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Existe um potencial para efeitos aditivos resultando em hipotensão e/ou bradicardia acentuada quando colírios contendo bloqueadores beta são administrados concomitantemente com bloqueadores dos canais de cálcio, bloqueadores adrenérgicos beta, amio (incluindo amiodarona), glicosídeos digitálicos, parassimpaticomiméticos ou guanetidina administrados por via oral.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Bloqueadores beta-adrenérgicos

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Existe um potencial para efeitos aditivos resultando em hipotensão e/ou bradicardia acentuada quando colírios contendo bloqueadores beta são administrados concomitantemente com bloqueadores dos canais de cálcio, bloqueadores adrenérgicos beta, amio (incluindo amiodarona), glicosídeos digitálicos, parassimpaticomiméticos ou guanetidina administrados por via oral.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Amiodarona

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Existe um potencial para efeitos aditivos resultando em hipotensão e/ou bradicardia acentuada quando colírios contendo bloqueadores beta são administrados concomitantemente com bloqueadores dos canais de cálcio, bloqueadores adrenérgicos beta, amio (incluindo amiodarona), glicosídeos digitálicos, parassimpaticomiméticos ou guanetidina administrados por via oral. Coadministração de timolol com fármacos antiarrítmicos da classe I (p.ex. disopiramida, quinidina, propafenona) e amiodarona: Podem ter um efeito potenciador no tempo de condução atrial e induzir o efeito inotrópico negativo.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Glicósideos digitálicos

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Existe um potencial para efeitos aditivos resultando em hipotensão e/ou bradicardia acentuada quando colírios contendo bloqueadores beta são administrados concomitantemente com bloqueadores dos canais de cálcio, bloqueadores adrenérgicos beta, amio (incluindo amiodarona), glicosídeos digitálicos, parassimpaticomiméticos ou guanetidina administrados por via oral. Glicosídeos digitálicos: A associação com os beta-bloqueantes pode aumentar o tempo de condução aurículo-ventricular.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Parassimpatomiméticos (ou parassimpaticomiméticos) (PSNS)

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Existe um potencial para efeitos aditivos resultando em hipotensão e/ou bradicardia acentuada quando colírios contendo bloqueadores beta são administrados concomitantemente com bloqueadores dos canais de cálcio, bloqueadores adrenérgicos beta, amio (incluindo amiodarona), glicosídeos digitálicos, parassimpaticomiméticos ou guanetidina administrados por via oral. Parasimpaticomiméticos: Risco aumentado de bradicardia.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Guanetidina

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Existe um potencial para efeitos aditivos resultando em hipotensão e/ou bradicardia acentuada quando colírios contendo bloqueadores beta são administrados concomitantemente com bloqueadores dos canais de cálcio, bloqueadores adrenérgicos beta, amio (incluindo amiodarona), glicosídeos digitálicos, parassimpaticomiméticos ou guanetidina administrados por via oral.

Timolol + Dihidropiridinas

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Como o maleato de timolol é absorvido sistemicamente podem ocorrer as seguintes interações (as mesmas observadas com os beta-bloqueantes sistémicos): A natureza de qualquer efeito adverso cardiovascular varia dependendo do tipo de bloqueador dos canais de cálcio utilizado. Os derivados da dihidropirina, tais como a nifedipina, podem causar hipotensão, enquanto o verapamilo ou o diltiazem tendem a causar perturbações da condução AV ou falência cardíaca esquerda quando utilizados com beta-bloqueantes.

Timolol + Nifedipina

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Como o maleato de timolol é absorvido sistemicamente podem ocorrer as seguintes interações (as mesmas observadas com os beta-bloqueantes sistémicos): A natureza de qualquer efeito adverso cardiovascular varia dependendo do tipo de bloqueador dos canais de cálcio utilizado. Os derivados da dihidropirina, tais como a nifedipina, podem causar hipotensão, enquanto o verapamilo ou o diltiazem tendem a causar perturbações da condução AV ou falência cardíaca esquerda quando utilizados com beta-bloqueantes.

Timolol + Verapamilo

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Como o maleato de timolol é absorvido sistemicamente podem ocorrer as seguintes interações (as mesmas observadas com os beta-bloqueantes sistémicos): A natureza de qualquer efeito adverso cardiovascular varia dependendo do tipo de bloqueador dos canais de cálcio utilizado. Os derivados da dihidropirina, tais como a nifedipina, podem causar hipotensão, enquanto o verapamilo ou o diltiazem tendem a causar perturbações da condução AV ou falência cardíaca esquerda quando utilizados com beta-bloqueantes.

Timolol + Diltiazem

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Como o maleato de timolol é absorvido sistemicamente podem ocorrer as seguintes interações (as mesmas observadas com os beta-bloqueantes sistémicos): A natureza de qualquer efeito adverso cardiovascular varia dependendo do tipo de bloqueador dos canais de cálcio utilizado. Os derivados da dihidropirina, tais como a nifedipina, podem causar hipotensão, enquanto o verapamilo ou o diltiazem tendem a causar perturbações da condução AV ou falência cardíaca esquerda quando utilizados com beta-bloqueantes.

Timolol + Reserpina

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Fármacos depletores de catecolaminas (alcaloides da rauwolfia, tais como a reserpina): Recomenda-se também observação próxima do doente quando se administra um beta-bloqueante a doentes a receber fármacos depletores das catecolaminas, tais como a reserpina, devido a possíveis efeitos aditivos e à indução de hipotensão e/ou bradicardia acentuada, que pode causar vertigo, síncope ou hipotensão postural.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Clonidina

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Clonidina: Os agentes bloqueantes beta-adrenérgicos podem exacerbar a hipertensão «rebound» que se pode seguir à descontinuação da clonidina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Antiarrítmicos

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Coadministração de timolol com fármacos antiarrítmicos da classe I (p.ex. disopiramida, quinidina, propafenona) e amiodarona: Podem ter um efeito potenciador no tempo de condução atrial e induzir o efeito inotrópico negativo.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Disopiramida

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Coadministração de timolol com fármacos antiarrítmicos da classe I (p.ex. disopiramida, quinidina, propafenona) e amiodarona: Podem ter um efeito potenciador no tempo de condução atrial e induzir o efeito inotrópico negativo.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Quinidina

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Coadministração de timolol com fármacos antiarrítmicos da classe I (p.ex. disopiramida, quinidina, propafenona) e amiodarona: Podem ter um efeito potenciador no tempo de condução atrial e induzir o efeito inotrópico negativo. Inibidores CYP2D6 (por ex. quinidina, ISRS): Tem sido notificado um bloqueio adrenérgico beta sistémico potenciado (ex. frequência cardíaca diminuída, depressão) durante o tratamento combinado entre inibidores CYP2D6 (ex., quinidina, fluoxetina, paroxetina) e o timolol.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Propafenona

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Coadministração de timolol com fármacos antiarrítmicos da classe I (p.ex. disopiramida, quinidina, propafenona) e amiodarona: Podem ter um efeito potenciador no tempo de condução atrial e induzir o efeito inotrópico negativo.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Amissulprida

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Amissulprida: Risco aumentado de arritmia ventricular, particularmente torsades de pointes.
 Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Timolol + Inibidores do CYP2D6

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Inibidores CYP2D6 (por ex. quinidina, ISRS): Tem sido notificado um bloqueio adrenérgico beta sistémico potenciado (ex. frequência cardíaca diminuída, depressão) durante o tratamento combinado entre inibidores CYP2D6 (ex., quinidina, fluoxetina, paroxetina) e o timolol.
 Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Timolol + Inibidores Selectivos da Recaptação da Serotonina (ISRS) (SSRIs)

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Inibidores CYP2D6 (por ex. quinidina, ISRS): Tem sido notificado um bloqueio adrenérgico beta sistémico potenciado (ex. frequência cardíaca diminuída, depressão) durante o tratamento combinado entre inibidores CYP2D6 (ex., quinidina, fluoxetina, paroxetina) e o timolol.
 Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Timolol + Fluoxetina

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Inibidores CYP2D6 (por ex. quinidina, ISRS): Tem sido notificado um bloqueio adrenérgico beta sistémico potenciado (ex. frequência cardíaca diminuída, depressão) durante o tratamento combinado entre inibidores CYP2D6 (ex., quinidina, fluoxetina, paroxetina) e o timolol.
 Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Timolol + Paroxetina

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Inibidores CYP2D6 (por ex. quinidina, ISRS): Tem sido notificado um bloqueio adrenérgico beta sistémico potenciado (ex. frequência cardíaca diminuída, depressão) durante o tratamento combinado entre inibidores CYP2D6 (ex., quinidina, fluoxetina, paroxetina) e o timolol.

Timolol + Mefloquina

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Mefloquina: Pode ocorrer prolongamento do intervalo QT.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Insulinas

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Insulina e fármacos antidiabéticos orais: Pode intensificar o efeito de diminuição da glicose no sangue e o bloqueio beta-adrenérgico pode prevenir o aparecimento de sinais de hipoglicemia (taquicardia).
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Antidiabéticos Orais

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Insulina e fármacos antidiabéticos orais: Pode intensificar o efeito de diminuição da glicose no sangue e o bloqueio beta-adrenérgico pode prevenir o aparecimento de sinais de hipoglicemia (taquicardia).

Timolol + Anestésicos

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Fármacos anestésicos: Atenuação do reflexo de taquicardia e aumento do risco de hipotensão. O anestesiologista deve ser informado quando o doente estiver a aplicar timolol.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Cimetidina

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Cimetidina e hidralazina: Pode induzir o aumento dos níveis plasmáticos do maleato de timolol.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Hidralazina

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Cimetidina e hidralazina: Pode induzir o aumento dos níveis plasmáticos do maleato de timolol.

Timolol + Lidocaína

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: A utilização concomitante de timolol não é recomendada com: Lidocaína iv; produtos de contraste iodados.

Timolol + Agentes/Meios de Contraste

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: A utilização concomitante de timolol não é recomendada com: Lidocaína iv; produtos de contraste iodados.

Darunavir + Cobicistate + Emtricitabina + Tenofovir alafenamida + Timolol

Observações: Não foram realizados estudos de interação farmacológica com este medicamento. As interações que foram identificadas em estudos com componentes individuais de este medicamento, isto é, com darunavir (em associação uma dose baixa de ritonavir), cobicistate, emtricitabina ou tenofovir alafenamida, determinam as interações que podem ocorrer com este medicamento. As interações esperadas entre Darunavir + Cobicistate + Emtricitabina + Tenofovir alafenamida e potenciais medicamentos concomitantes são baseadas em estudos realizados com os componentes deste medicamento, como agentes individuais ou em associação, ou são interações medicamentosas potenciais que podem ocorrer. Os ensaios de interação com os componentes de este medicamento foram realizados apenas em adultos.
Interações: β-BLOQUEADORES Carvedilol Metoprolol Timolol Tendo por base considerações teóricas, é expectável que DRV/COBI aumente as concentrações destes betabloqueadores. (inibição do CYP2D6) Recomenda-se monitorização clínica quando este medicamento é administrado concomitantemente com betabloqueadores e deve ser considerada uma menor dose de betabloqueador.

Darunavir + Timolol

Observações: O perfil de interação do darunavir pode variar dependendo se é utilizado o ritonavir ou o cobicistate como fármacos potenciadores. As recomendações dadas para a utilização concomitante de darunavir e outros medicamentos podem por isso variar dependendo se darunavir é potenciado com ritonavir ou com cobicistate, e é também necessária precaução durante o primeiro tempo de tratamento, se se substituir o fármaco potenciador de ritonavir para cobicistate.
Interações: ANTIPSICÓTICOS/NEUROLÉPTICOS: β-bloqueadores: Carvedilol, Metoprolol, Timolol: Não foi estudado. É expectável que Darunavir potenciado aumente as concentrações plasmáticas destes β- bloqueadores. (inibição do CYP2D6). Recomenda-se monitorização clínica quando Darunavir potenciado é administrado concomitantemente com betabloqueadores. Deve ser considerada uma dose menor de betabloqueador.

Timolol + Produtos/Medicamentos à base de plantas (Fitoterapêuticos)

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Fármacos depletores de catecolaminas (alcaloides da rauwolfia, tais como a reserpina): Recomenda-se também observação próxima do doente quando se administra um beta-bloqueante a doentes a receber fármacos depletores das catecolaminas, tais como a reserpina, devido a possíveis efeitos aditivos e à indução de hipotensão e/ou bradicardia acentuada, que pode causar vertigo, síncope ou hipotensão postural.
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

As lentes de contacto devem ser removidas antes da aplicação das gotas e só devem ser recolocadas 15 minutos após a aplicação de Timolol.

Não utilize timolol se está grávida a não ser que o seu médico considere necessário.

Não utilize timolol se está a amamentar.

O timolol pode passar para o leite.

Podem ocorrer alguns efeitos secundários tais como visão enevoada, vertigens e fadiga que podem afetar a capacidade de conduzir e/ou operar máquinas.

Dopping: Os beta-bloqueantes são proibidos somente Em Competição nos seguintes desportos, exceto se especificado de outra forma: Atividades Subaquáticas (CMAS), Automobilismo (FIA), Bilhar (todas as disciplinas) (WCBS), Esqui/Snowboard (FIS), Golfe (IGF), Setas (WDF). Proibido igualmente fora de competição: Tiro (ISSF, IPC), Tiro (ISSF, IPC), Tiro com Arco (WA).
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017