Telaprevir

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
Telaprevir é um inibidor altamente selectivo e potente do HCV NS3-4A serina protease.

É um membro de uma classe de fármacos antivirais conhecidas como inibidores da protease e é o primeiro medicamento da hepatite C que tenha demonstrado actividade em pacientes que falharam a terapia anterior.
Usos comuns
Telaprevir é usado em combinação com peginterferão alfa e ribavirina para tratar a hepatite C crónica.

Estes medicamentos são utilizados em pacientes com doença hepática (incluindo cirrose) que não tenham sido tratados anteriormente ou que receberam outros medicamentos que não funcionam bem.

Telaprevir é um agente antiviral.
Tipo
Molécula pequena.
História
Em 28 de abril de 2011, o Comité Consultivo antivirais a FDA votou 18-0 para recomendar a aprovação de telaprevir para as pessoas com o genótipo 1 da hepatite C crónica e foi aprovado nos EUA em maio de 2011.
Indicações
Telaprevir, em associação com peginterferão alfa e ribavirina, é indicado para o tratamento da hepatite C crónica genótipo 1, em doentes adultos com doença hepática compensada (incluindo cirrose):
- sem tratamento prévio;
- que tenham sido anteriormente tratados com interferão alfa (peguilado ou não peguilado) isolado ou em associação com ribavirina, incluindo recidivantes, doentes com resposta parcial e doentes com resposta nula.
Classificação CFT

01.03.01.01 : Inibidores da protease

Mecanismo De Acção
Telaprevir é um inibidor da serina-protease do HCV NS3/4A, necessária para a clivagem proteolítica da poliproteína de VHC codificada em formas maduras da NS4A, proteínas NS4B, NS5A e NS5B e essenciais para a replicação viral.
Pertence à classe química das alfa-ketoamids e liga-se a NS3/4A numa maneira reversível mas covalente.
Posologia Orientativa
O regime de dosagem recomendado é:
3 comprimidos de Telaprevir duas vezes ao dia (de manhã e à noite) com alimentos.
A dose total é de 6 comprimidos por dia.

ou

2 comprimidos de Telaprevir a cada 8 horas com alimentos.
A dose total é de 6 comprimidos por dia.

Se tem infecção pelo vírus da hepatite C e também infecção pelo vírus da imunodeficiência humana, e está a tomar efavirenz, a dose recomendada é de 3 comprimidos de Telaprevir a cada 8 horas com alimentos.
Administração
Via oral.

O tratamento com Telaprevir deve ser iniciado e monitorizado por um médico com experiência no tratamento da hepatite C crónica.

Deve recomendar-se aos doentes que engulam os comprimidos inteiros (p. ex. o doente não deve mastigar, partir, ou dissolver o comprimido).
Contra-Indicações
Hipersensibilidade ao Telaprevir.

Administração concomitante com substâncias activas cuja eliminação é altamente dependente da enzima CYP3A e para as quais as concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos graves e/ou que colocam a vida em risco.
Estas substâncias activas incluem a alfuzosina, amiodarona, bepridilo, quinidina, astemizol, terfenadina, cisaprida, pimozida, derivados da ergotamina (dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina), lovastatina, sinvastatina, atorvastatina, sildenafil ou tadalafil (só quando usados para o tratamento da hipertensão arterial pulmonar), quetiapina e midazolam ou triazolam administrados por via oral.

Administração concomitante de Telaprevir com antiarrítmicos de Classe Ia ou III excepto com lidocaína intravenosa.

Administração concomitante de Telaprevir com substancias activas que induzem fortemente o CYP3A, p.ex. rifampicina, Hipericão (Hypericum perforatum), carbamazepina, fenitoína e fenobarbital que podem levar a uma menor exposição e perda de eficácia de Telaprevir.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Doentes a tomar Telaprevir têm frequentemente uma erupção na pele que origina comichão. Normalmente, a erupção é ligeira ou moderada, mas a erupção pode ser ou tornar-se grave e/ou colocar a vida em risco. Os doentes podem ter, raramente, outros sintomas com a erupção cutânea que podem ser um sinal de uma reacção grave na pele.

Contacte, imediatamente, o médico se tiver uma erupção na pele.

Adicionalmente, contacte imediatamente o médico:
- Se a sua erupção na pele se agravar, OU
- Se desenvolver outros sintomas com a erupção na pele, como:
febre
cansaço
inchaço da face
inchaço dos gânglios linfáticos, OU
- Se tiver uma erupção generalizada na pele com descamação da pele que pode ser acompanhada por febre, sintomas gripais, bolhas dolorosas na pele, e bolhas na boca, olhos e/ou órgãos genitais.

O médico deverá avaliar a sua erupção na pele para determinar como tratá-la. O médico pode interromper o seu tratamento. Telaprevir não deve ser reiniciado se tiver sido descontinuado pelo médico.

Contacte também, imediatamente, o médico se desenvolver qualquer um dos seguintes sintomas:
- cansaço, fraqueza, falta de ar, tonturas, e/ou sensação de ritmo acelerado do coração. Estes podem ser sintomas de anemia (diminuição dos seus glóbulos vermelhos);
- desmaio;
- inflamação dolorosa das articulações, mais frequentemente no pé (gota);
- problemas de visão;
- hemorragia (sangramento) do ânus;
- inchaço da face.

A taxa de frequência dos efeitos secundários associados com Telaprevir, é apresentada abaixo.

Efeitos secundários muito frequentes (afectam mais de 1 pessoa em cada 10)
- contagem baixa de glóbulos vermelhos (anemia);
- náusea, diarreia, vómito;
- veias do recto ou ânus dilatadas (hemorroidas), dor no ânus ou reto;
- erupção na pele e comichão na pele.

Efeitos secundários frequentes (afectam menos de 1 pessoa em cada 10)
- infecção fúngica na boca;
- contagem baixa de plaquetas, diminuição no número de linfócitos (um tipo de glóbulos brancos), diminuição da actividade da glândula tiróideia, aumento do ácido úrico no sangue, diminuição dos níveis de potássio no sangue, aumento da bilirrubina no sangue;
- alteração do paladar;
- desmaio;
- comichão à volta ou perto do ânus, hemorragia (sangramento) à volta ou perto do ânus ou reto, um pequeno rasgo na pele que contorna o ânus e que pode causar dor e/ou hemorragia (sangramento) durante os movimentos intestinais;
- pele vermelha, estalada, seca e escamada (eczema), erupção com pele vermelha, estalada, seca e escamada (exantema exfoliativo);
- inchaço da face, inchaço dos braços e/ou pernas (edema);
- paladar anormal ao produto.

Efeitos secundários pouco frequentes (afectam menos de 1 pessoa em cada 100)
- aumento dos níveis de creatinina no sangue;
- inflamação dolorosa das articulações mais frequentemente no pé (gota);
- lesões na parte posterior do olho (retina);
- inflamação do ânus e do recto;
- inflamação do pâncreas
- exantema grave, que pode ser acompanhado de febre, fadiga, inchaço da face ou dos gânglios linfáticos, aumento dos eosinófilos (tipo de glóbulos brancos), efeitos no fígado, rins ou pulmões (uma reacção chamada DRESS);
- comichão (urticária);
- desidratação.
Os sinais e sintomas da desidratação incluem aumento da sede, boca seca, diminuição da frequência ou volume de urina, e urina com coloração escura.
É importante que se mantenha hidratado com líquidos durante ao tratamento com Telaprevir.

Efeitos secundários raros (afectam menos de 1 pessoa em cada 1.000)
- Exantema disseminado com descamação da pele, que pode ser acompanhado por febre, sintomas de gripe, bolhas na boca, olhos e/ou órgãos genitais (síndrome de Stevens-Johnson).

Reacção alérgica grave (reacção anafiláctica); infecção do sistema urinário; inchaço das pálpebras; níveis temporariamente aumentados de colesterol ou triglicéridos (gorduras) no sangue; batimento do coração rápido; ansiedade; falta de sono; tonturas; tensão arterial baixa; vermelhidão na face; falta de ar; inchaço da garganta; diarreia; dores de estômago; inchaço do estômago; náuseas; urticária; erupção na pele; comichão; pele vermelha inchada; hemorragia menstrual aumentada; arrepios; desconforto no peito; inchaço; cansaço; zona endurecida à volta do local da perfusão; febre.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Telaprevir não é recomendado durante a gravidez.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:A amamentação deve ser descontinuada antes do início da terapêutica com Telaprevir.
Condução
Condução
Condução:Foram notificados casos de síncope e retinopatia em alguns doentes a tomar Telaprevir e isto deve ser considerado na avaliação sobre a capacidade do doente de conduzir e utilizar máquinas.
Precauções Gerais
Telaprevir deve ser tomado em associação com peginterferão alfa e ribavirina.

Certifique-se de que verifica os pontos seguintes e informa o médico que está a tratar a sua infecção pelo Vírus da Hepatite C (VHC) se qualquer uma destas situações se aplicar a si.

Os doentes que tomam Telaprevir podem desenvolver erupção na pele.
A erupção na pele pode ser acompanhada de comichão.
A erupção na pele é normalmente ligeira ou moderada, mas também pode ser, ou tornar-se, grave e/ou colocar a vida em risco.
Deve contactar imediatamente o médico se desenvolver uma erupção na pele ou se tiver uma erupção na pele que se agrave.

Telaprevir não deve ser reiniciado se tiver sido descontinuado pelo médico.

Informe o médico se sentir cansaço, fraqueza, falta de ar, sensação de desmaio e/ou sensação de batimento cardíaco acelerado.
Estes podem ser sintomas de anemia.

Informe o médico caso sofra de insuficiência cardíaca, batimento cardíaco irregular, batimento cardíaco lento, uma anomalia cardíaca detectada no seu electrocardiograma (ECG) conhecida por “síndrome do QT prolongado”, ou história familiar de uma doença chamada “síndrome do QT congénita”.

Informe o médico se já sofreu de outros problemas com o seu fígado, tal como insuficiência hepática.
Os sinais podem ser o amarelecimento da pele ou dos olhos (icterícia), inchaço do estômago (ascite) ou das pernas devido a fluido e hemorragia (sangramento) de veias inchadas (varizes) na garganta (esófago).

Caso sofra de infecção por hepatite B, informe o médico.

Informe o médico se teve ou vai ter um transplante de fígado ou de outro órgão, uma vez que Telaprevir pode não ser adequado para si nestas situações.

O médico irá fazer-lhe análises sanguíneas antes de iniciar o tratamento e regularmente durante o tratamento:
- para verificar a quantidade de vírus presente no seu sangue e para determinar se tem o tipo de vírus (genótipo 1) que pode ser tratado com Telaprevir.
Podem ser tomadas decisões relacionadas com o seu tratamento baseadas nos resultados destas análises.

O médico irá vigiar a sua resposta inicial ao tratamento e a quantidade de vírus presente no seu sangue.
Se o tratamento não estiver a resultar, o médico pode interromper os seus medicamentos.
Se o médico interromper Telaprevir, este não deve ser reiniciado.

Telaprevir foi utilizado apenas num número limitado de doentes com 65 anos ou mais.

Telaprevir não se destina à utilização em crianças ou adolescentes, porque não foi suficientemente estudado em doentes com idade inferior a 18 anos.
Cuidados com a Dieta
Telaprevir deve ser tomado sempre com alimentos.
Os alimentos são importantes para obter os níveis certos de medicamento no seu sangue.
Terapêutica Interrompida
Caso esteja a tomar Telaprevir duas vezes ao dia (de manhã e à noite)
Caso se lembre da dose esquecida no período de 6 horas, deve tomar imediatamente os três comprimidos.
Tome sempre os comprimidos com alimentos.
Caso se lembre da dose esquecida mais de 6 horas depois, não tome essa dose e continue o tratamento normalmente.
Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.

Caso esteja a tomar Telaprevir a cada 8 horas
Caso se lembre da dose esquecida no período de 4 horas, deve tomar imediatamente dois comprimidos.
Tome sempre os comprimidos com alimentos.
Caso se lembre da dose esquecida mais de 4 horas depois, não tome essa dose e continue o tratamento normalmente.
Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Os comprimidos de Telaprevir devem ser conservados no frasco de origem.
Manter o recipiente bem fechado para proteger da humidade.

Mantenha todos os medicamentos fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu médico, enfermeiro ou farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espectro de susceptibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Usar com precaução

Telaprevir Indutores da glicoproteína-P (Gp-P)

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir é parcialmente metabolizado no fígado pelo CYP3A e é um substrato da glicoproteína-P (P-gp). Outras enzimas estão também envolvidas no metabolismo. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que induzem o CYP3A e/ou a P-gp podem diminuir acentuadamente as concentrações plasmáticas de telaprevir. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que inibem o CYP3A e/ou a P-gp pode aumentar as concentrações plasmáticas de telaprevir. Telaprevir é um forte inibidor do CYP3A4, dependente do tempo, que também inibe acentuadamente a P-gp. A dependência de tempo indica que a inibição do CYP3A4 pode ser intensificada durante as primeiras duas semanas de tratamento. Após o fim do tratamento, poderá ser necessário cerca de uma semana para a inibição desaparecer completamente. A administração de Telaprevir pode aumentar a exposição sistémica a medicamentos que são substratos do CYP3A ou da P-gp, o que pode aumentar ou prolongar o seu efeito terapêutico e reacções adversas. Com base nos resultados dos estudos clínicos de interacção medicamentosa (escitalopram, zolpidem, etinilestradiol), não pode ser excluída a indução de enzimas metabólicas pelo telaprevir. - Indutores da glicoproteína-P (Gp-P)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Imatinib Telaprevir

Observações: n.d.
Interacções: Substâncias activas que podem aumentar as concentrações plasmáticas de imatinib: As substâncias que inibem a actividade da isoenzima CYP3A4 do citocromo P450 (por ex. inibidores da protease tais como indinavir, lopinavir/ritonavir, ritonavir, saquinavir, telaprevir, nelfinavir, boceprevir; antifúngicos azois incluindo cetoconazol, itraconazol, posaconazol, voriconazol; alguns macrólidos tais como eritromicina, claritromicina e telitromicina ) podem diminuir o metabolismo e aumentar as concentrações de imatinib. Houve um aumento significativo na exposição ao imatinib (a Cmax e a AUC médias do imatinib aumentaram em 26% e 40%, respectivamente) em indivíduos saudáveis quando ele foi co-administrado com uma dose única de cetoconazole (um inibidor da CYP3A4). Devem ser tomadas precauções quando se administra imatinib com inibidores da família da CYP3A4. - Telaprevir
Não recomendado/Evitar

Palbociclib Telaprevir

Observações: Palbociclib é metabolizado principalmente pela CYP3A e pela SULT2A1, uma enzima da família das sulfotransferases (SULT). In vivo, palbociclib é um inibidor fraco e dependente do tempo da CYP3A.
Interacções: A utilização concomitante de inibidores fortes da CYP3A incluindo, entre outros: claritromicina, indinavir, itraconazol, cetoconazol, lopinavir/ritonavir, nefazodona, nelfinavir, posaconazol, saquinavir, telaprevir, telitromicina, voriconazol e toranja ou sumo de toranja, deve ser evitada. - Telaprevir
Usar com precaução

Ruxolitinib Telaprevir

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos. Ruxolitinib é eliminado através de metabolismo catalisado por CYP3A4 e CYP2C9. Assim, os medicamentos que inibem estas enzimas podem dar origem a um aumento da exposição a ruxolitinib.
Interacções: Inibidores da CYP3A4: Inibidores potentes da CYP3A4 (tais como, mas não limitados a, boceprevir, claritromicina, indinavir, itraconazol, cetoconazol, lopinavir/ritonavir, ritonavir, mibefradil, nefazodona, nelfinavir, posaconazol, saquinavir, telaprevir, telitromicina, voriconazol). Em indivíduos saudáveis a administração concomitante de Ruxolitinib (dose única 10 mg) com um inibidor potente da CYP3A4, cetoconazol, resultou em Cmax e AUC de ruxolitinib mais elevadas em 33% e 91%, respectivamente, do que de ruxolitinib isoladamente. A semivida foi prolongada de 3,7 para 6,0 horas com administração concomitante de cetoconazol. Quando Ruxolitinib é administrado com inibidores potentes da CYP3A4 a dose unitária de Ruxolitinib deve ser reduzida em aproximadamente 50%, para administração duas vezes por dia. Os doentes devem ser cuidadosamente monitorizados (p. ex. duas vezes por semana) para identificação de citopenias e a dose ajustada com base na segurança e eficácia. - Telaprevir
Não recomendado/Evitar

Bosutinib Telaprevir

Observações: n.d.
Interacções: Inibidores da CYP3A: A utilização concomitante de bosutinib com inibidores potentes (por exemplo, ritonavir, indinavir, nelfinavir, saquinavir, cetoconazol, itraconazol, voriconazol, posaconazol, troleandomicina, claritromicina, telitromicina, boceprevir, telaprevir, mibefradil, nefazodona, conivaptan, produtos à base de toranja incluindo sumo de toranja) ou moderados (por exemplo, fluconazol, darunavir, eritromicina, diltiazem, dronedarona, atazanavir, aprepitant, amprenavir, fosamprenavir, imatinib, verapamil, tofisopam, ciprofloxacina) da CYP3A deve ser evitada, devido à ocorrência de um aumento na concentração plasmática do bosutinib. Deve-se ter cuidado no caso de uma utilização concomitante de inibidores ligeiros da CYP3A com bosutinib. Se possível, recomenda-se um medicamento concomitante alternativo sem ou com um mínimo de potencial de inibição da enzima CYP3A. Se for necessário administrar um inibidor potente ou moderado da CYP3A durante o tratamento com Bosutinib, deve-se considerar a interrupção da terapêutica com Bosutinib ou uma redução da dose de Bosutinib. Num estudo realizado com 24 indivíduos saudáveis a quem foram administradas cinco doses diárias de 400 mg de cetoconazol concomitantemente com uma única dose de 100 mg de bosutinib em jejum, o cetoconazol aumentou a Cmax do bosutinib em 5,2 vezes e a AUC do bosutinib no plasma em 8,6 vezes, em comparação com a administração isolada de bosutinib. - Telaprevir
Não recomendado/Evitar

Vorapaxar Telaprevir

Observações: n.d.
Interacções: Efeitos de outros medicamentos no vorapaxar: Inibidores potentes do CYP3A: A administração concomitante de cetoconazol (400 mg uma vez por dia) com vorapaxar aumentou significativamente a Cmax média e a AUC de vorapaxar em 93% e 96%, respectivamente. A utilização concomitante de Vorapaxar com inibidores potentes do CYP3A (p.ex., cetoconazol, itraconazol, posaconazol, claritromicina, nefazodona, ritonavir, saquinavir, nelfinavir, indinavir, boceprevir, telaprevir, telitromicina e conivaptan) deve ser evitada. Dados de Fase 3 sugerem que a administração concomitante de inibidores fracos ou moderados do CYP3A com vorapaxar não aumenta o risco hemorrágico ou altera a eficácia de vorapaxar. Não é necessário ajuste da dose de vorapaxar em doentes que estejam a tomar inibidores fracos ou moderados do CYP3A. - Telaprevir
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Vismodegib Telaprevir

Observações: n.d.
Interacções: Efeitos de medicamentos concomitantes no vismodegib: Os estudos in vitro indicam que o vismodegib é um substrato do transportador de efluxo da glicoproteína-P (gp-P) e das enzimas metabolizadoras de fármacos CYP2C9 e CYP3A4. A exposição sistémica de vismodegib e a incidência de reacções adversas com vismodegib podem ser maiores quando vismodegib é co-administrado com medicamentos que inibem a gp-P (por exemplo, claritromicina, eritromicina, azitromicina, verapamil, ciclosporina), CYP2C9 (amiodarona, fluconazol ou miconazol), ou CYP3A4 (bocepravir, claritromicina, conivaptan, indinavir, itraconazol, cetoconazol, lopinavir/ritonavir, nelfinavir, posaconazol, ritonavir, saquinavir, telaprevir, telitromicina ou voriconazol). - Telaprevir
Não recomendado/Evitar

Darunavir Telaprevir

Observações: O perfil de interacção do darunavir pode variar dependendo se é utilizado o ritonavir ou o cobicistate como fármacos potenciadores. As recomendações dadas para a utilização concomitante de darunavir e outros medicamentos podem por isso variar dependendo se darunavir é potenciado com ritonavir ou com cobicistate, e é também necessária precaução durante o primeiro tempo de tratamento, se se substituir o fármaco potenciador de ritonavir para cobicistate.
Interacções: Medicamentos que afectam a exposição a darunavir (cobicistate como fármaco potenciador): O darunavir e o cobicistate são metabolizados pelo CYP3A, e a administração concomitante com indutores do CYP3A pode resultar em exposições plasmáticas subterapêuticas ao darunavir. O darunavir potenciado com cobicistate é mais sensível à indução do CYP3A, do que darunavir potenciado com ritonavir: A administração concomitante de darunavir/cobicistate com indutores fracos a moderados do CYP3A (ex.: efavirenz, etravirina, nevirapina, boceprevir, telaprevir, fluticasona e bosentano) não é recomendada. À administração concomitante com inibidores fortes do CYP3A4, aplicam-se as mesmas recomendações independentemente de darunavir ser potenciado com ritonavir ou com cobicistate. ANTIVÍRICOS DE acção directa SOBRE O VÍRUS DA HEPATITE C (VHC): Inibidores da protease NS3-4ª: Telaprevir 750 mg, de 8 em 8 horas: Não é recomendado o uso concomitante de Darunavir potenciado e telaprevir. - Telaprevir
Não recomendado/Evitar

Cobicistate Telaprevir

Observações: n.d.
Interacções: Utilização concomitante não recomendada: A co-administração de Cobicistate com medicamentos que são indutores moderados a fracos do CYP3A pode resultar na diminuição da concentração plasmática de cobicistate e, consequentemente, da potenciação de atazanavir ou darunavir, levando a perda do efeito terapêutico e a possível desenvolvimento de resistência. Alguns exemplos incluem, mas não se limitam à etravirina, efavirenz, nevirapina, boceprevir, telaprevir, fluticasona e bosentano. - Telaprevir
Não recomendado/Evitar

Darunavir + Cobicistate Telaprevir

Observações: Não foram realizados estudos de interacção farmacológica com Darunavir / Cobicistate. Uma vez que Darunavir / Cobicistate contém darunavir e cobicistate, as interações que foram identificadas com darunavir (em associação uma dose baixa de ritonavir) e com cobicistate determinam as interações que podem ocorrer com Darunavir / Cobicistate. Os ensaios de interacção com darunavir/ritonavir e com cobicistate apenas foram realizados em adultos.
Interacções: ANTIVIRAIS QUE ATUAM DIRETAMENTE NO VÍRUS DA HEPATITE C (VHC): Inibidores da NS3-4A: Boceprevir, Telaprevir: Tendo por base considerações teóricas, estes antivirais podem diminuir as concentrações plasmáticas de darunavir e/ou cobicistate. Darunavir / Cobicistate pode reduzir as concentrações plasmáticas destes antivirais. A administração concomitante de Darunavir / Cobicistate com boceprevir ou telaprevir não é recomendada. - Telaprevir
Contraindicado

Eliglustato Telaprevir

Observações: n.d.
Interacções: Inibidores da CYP3A: Em metabolizadores intermédios (MI) e extensivos (ME): Após doses repetidas de 84 mg de eliglustato duas vezes por dia em doentes não-MF, a administração concomitante de doses repetidas de 400 mg de cetoconazol, um inibidor potente da CYP3A, uma vez por dia, resultou num aumento da Cmax e da AUC0-12 do eliglustato, de 3,8 e 4,3 vezes, respectivamente; Serão de esperar efeitos semelhantes com outros inibidores potentes da CYP3A (p.ex., claritromicina, cetoconazol, itraconazol, cobicistat, indinavir, lopinavir, ritonavir, saquinavir, telaprevir, tipranavir, posaconazol, voriconazol, telitromicina, conivaptan, boceprevir). Em MI e ME, deve proceder-se com cuidado relativamente aos inibidores potentes da CYP3A. Para uma dosagem de 84 mg duas vezes por dia com eliglustato em doentes não-MFs, é de prever que a utilização concomitante de inibidores moderados da CYP3A (p.ex., eritromicina, ciprofloxacina, fluconazol, diltiazem, verapamilo, aprepitant, atazanavir, darunavir, fosamprenavir, imatinib, cimetidina) iria aumentar aproximadamente até 3 vezes a exposição ao eliglustato. Em MIs e MEs, deve proceder-se com cuidado relativamente aos inibidores moderados da CYP3A. Em metabolizadores fracos (MF): Para uma dosagem de 84 mg uma vez por dia com eliglustato em MF, é de prever que a utilização concomitante de inibidores potentes da CYP3A (p.ex., cetoconazol, claritromicina, itraconazol, cobicistat, indinavir, lopinavir, ritonavir, saquinavir, telaprevir, tipranavir, posaconazol, voriconazol, telitromicina, conivaptan, boceprevir) iria aumentar a Cmax e a AUC0-24 do eliglustato, em 4,3 e 6,2 vezes, respectivamente. É contra-indicada a utilização de inibidores potentes da CYP3A em MF. - Telaprevir
Usar com precaução

Olaparib Telaprevir

Observações: Não foram realizados estudos de interacção farmacológica formais.
Interacções: interacções farmacocinéticas: Efeito de outros fármacos sobre olaparib: Os CYP3A4/5 são as isoenzimas predominantemente responsáveis pela eliminação metabólica de olaparib. Não foram realizados estudos clínicos para avaliar o impacto dos inibidores e indutores do CYP3A conhecidos e portanto recomenda-se evitar a utilização dos inibidores potentes conhecidos (p.ex., itraconazol, telitromicina, claritromicina, inibidores da protease potenciados, indinavir, saquinavir, nelfinavir, boceprevir, telaprevir) ou indutores (p.ex., fenobarbital, fenitoína, rifampicina, rifabutina, rifapentina, carbamazepina, nevirapina e hipericão) destas isoenzimas com olaparib. O olaparib in vitro é um substrato para o transportador de efluxo P-gp. Não foram realizados estudos clínicos para avaliar o impacto dos inibidores e indutores conhecidos do P-gp. - Telaprevir
Contraindicado

Lurasidona Telaprevir

Observações: n.d.
Interacções: interacções farmacocinéticas: Outros potenciais medicamentos que podem afectar a lurasidona: Tanto a lurasidona como o seu metabólito activo ID-14283 contribuem para o efeito farmacodinâmico nos receptores dopaminérgicos e serotoninérgicos. A lurasidona e seu metabólitoativo ID-14283 são principalmente metabolizados pelo CYP3A4. Inibidores do CYP3A4: A lurasidona é contra-indicada em concomitância com inibidores fortes do CYP3A4 (por exemplo, boceprevir, claritromicina, cobicistate, indinavir, itraconazol, cetoconazol, nefazodona, nelfinavir, posaconazol, ritonavir, saquinavir, telaprevir, telitromicina, voriconazol). A administração concomitante de lurasidona com o inibidor forte do CYP3A4 cetoconazol resultou num aumento de 9 e 6 vezes na exposição da lurasidona e do seu metabólito activo ID-14283, respectivamente. A administração concomitante de lurasidona com medicamentos que inibem moderadamente o CYP3A4 (por exemplo, diltiazem, eritromicina, fluconazol, verapamil) pode aumentar a exposição à lurasidona. Estima-se que os inibidores moderados do CYP3A4 resultam num aumento de 2-5 vezes na exposição dos substratos do CYP3A4. A administração concomitante de lurasidona com diltiazem (formulação de libertação lenta), um inibidor moderado do CYP3A4, resultou num aumento de 2,2 e 2,4 vezes na exposição da lurasidona e do ID-14283, respectivamente. A utilização de uma formulação de libertação imediata do diltiazem pode resultar num maior aumento da exposição à lurasidona. - Telaprevir
Usar com precaução

Efavirenz Telaprevir

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTI-INFECCIOSOS: Antivíricos para a hepatite C Telaprevir/Efavirenz (1125 mg q8h/600 mg uma vez por dia) Caso o efavirenz e o telaprevir sejam administrados concomitantemente, deve ser utilizada uma dose de telaprevir de 1125 mg a cada 8 horas. - Telaprevir
Usar com precaução

Efavirenz + Emtricitabina + Tenofovir Telaprevir

Observações: As interações que foram identificadas com Efavirenz, Emtricitabina e Tenofovir individualmente podem ocorrer com esta associação. Os estudos de interacção com estes medicamentos só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTI-INFECCIOSOS: Antivirais para a hepatite C: Telaprevir/Efavirenz: (1.125 mg q8h/600 mg q.d.). Se Efavirenz / Emtricitabina / Tenofovir e telaprevir forem co-administrados, deve utilizar-se telaprevir 1.125 mg q8h. - Telaprevir
Sem efeito descrito

Eltrombopag Telaprevir

Observações: n.d.
Interacções: Efeito de outros medicamentos no eltrombopag: Inibidores da protease do VHC: Os resultados de um estudo de interacção farmacocinética (PK) fármaco-fármaco mostram que a co-administração de doses repetidas de 800 mg de boceprevir a cada 8 horas (Q8h) ou 750 mg de telaprevir Q8h com uma dose única de 200 mg de eltrombopag não alterou a exposição plasmática do eltrombopag numa extensão clinicamente significativa. A co-administração de uma dose única de 200 mg de eltrombopag com 750 mg de telaprevir Q8h não alterou a exposição plasmática do telaprevir. Ainda não está disponível informação sobre o efeito na exposição do boceprevir. - Telaprevir
Não recomendado/Evitar

Fosamprenavir Telaprevir

Observações: n.d.
Interacções: Telaprevir: Não recomendado. - Telaprevir
Usar com precaução

Guanfacina Telaprevir

Observações: n.d.
Interacções: Inibidores das CYP3A4 e CYP3A5: Devem tomar-se precauções quando Guanfacina é administrado a doentes que estão a tomar cetoconazol e outros inibidores moderados e potentes das CYP3A4/5, sendo proposta uma diminuição da dose de Guanfacina no intervalo de doses recomendado. A co-administração de Guanfacina com inibidores moderados e potentes das CYP3A4/5 eleva as concentrações plasmáticas de guanfacina e aumenta o risco de reacções adversas como hipotensão, bradicardia e sedação. Verificou-se um aumento considerável da taxa e extensão da exposição da guanfacina quando administrada com cetoconazol; as concentrações plasmáticas máximas (Cmax) e a exposição (AUC) da guanfacina aumentaram respectivamente 2 e 3 vezes. Outros inibidores das CYP3A4/5 podem ter um efeito comparável; ver a seguir para uma lista de exemplos de inibidores moderados e potentes das CYP3A4/5, embora esta lista não seja definitiva. Inibidores moderados das CYP3A4/5: Aprepitant, Atazanavir, Ciprofloxacina, Crizotinib, Diltiazem, Eritromicina, Fluconazol, Fosamprenavir, Imatinib, Verapamil, Sumo de toranja. Inibidores potentes das CYP3A4/5: Boceprevir, Cloranfenicol, Claritromicina, Indinavir, Itraconazol, Cetoconazol, Posaconazol, Ritonavir, Saquinavir, Telaprevir, Telitromicina. - Telaprevir
Sem efeito descrito

Maraviroc Telaprevir

Observações: n.d.
Interacções: ANTI-INFECCIOSOS: Antirretrovirais: Inibidores da Protease do VHC: Telaprevir 750 mg TID: (maraviroc 150 mg BID) Não é provável que as concentrações de telaprevir sejam afetadas pela co-administração de maraviroc (com base em dados históricos e na via de eliminação do telaprevir). Maraviroc 150 mg duas vezes por dia quando co-administrado com telaprevir. - Telaprevir
Sem efeito descrito

Rilpivirina Telaprevir

Observações: A rilpivirina é um inibidor in vitro do transportador MATE-2K com um IC50 < 2,7 nM. As implicações clínicas deste achado são atualmente desconhecidas.
Interacções: interacções E RECOMENDAÇÕES POSOLÓGICAS COM OUTROS MEDICAMENTOS ANTI-INFECIOSOS: Outros Agentes Antivirais: Telaprevir* 750 mg, de 8 em 8 horas: Não é necessário qualquer ajuste de dose. * A interacção entre Rilpivirina e o medicamento foi avaliada num estudo clínico. Todas as outras interacções medicamentosas apresentadas são previstas. - Telaprevir
Contraindicado

Sinvastatina + Ezetimiba Telaprevir

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: interacções farmacocinéticas: interacções Medicamentosas Associadas com o Risco Aumentado de Miopatia/Rabdomiólise: Inibidores potentes do CYP3A4 por ex. Itraconazol, Cetoconazol, Posaconazol, Voriconazol, Eritromicina, Claritromicina, Telitromicina, Inibidores da protease do VIH (ex: nelfinavir), Boceprevir, Telaprevir, Nefazodona, Cobicistato, Ciclosporina, Danazol, Gemfibrozil: contra-indicados com Sinvastatina / Ezetimiba. SINVASTATINA: A sinvastatina é um substrato do citocromo P450 3A4. Os inibidores potentes do citocromo P450 3A4 aumentam o risco de miopatia e de rabdomiólise através do aumento da concentração de actividade inibidora da redutase da HMG-CoA no plasma durante a terapêutica com sinvastatina. Estes inibidores incluem: Itraconazol, cetoconazol, posaconazol, voriconazol, eritromicina, claritromicina, telitromicina, inibidores da protease do VIH (p. ex: nelfinavir), boceprevir, telaprevir, nefazodona e medicamentos contendo cobicistato. A administração concomitante de itraconazol resultou num aumento de mais de 10 vezes na exposição ao ácido da sinvastatina (o metabólito betahidroxiácido ativo). A telitromicina causou um aumento de 11 vezes na exposição ao ácido da sinvastatina. Está contra-indicada a utilização concomitante de sinvastatina com itraconazol, cetoconazol, posaconazol, voriconazol, inibidores da protease do VIH (p. ex: nelfinavir), boceprevir, telaprevir, eritromicina, claritromicina, telitromicina, nefazodona e medicamentos contendo cobicistato, assim como com gemfibrozil, ciclosporina e danazol. Se o tratamento com inibidores potentes do CYP3A4 (fármacos que aumentam a AUC em aproximadamente 5 vezes ou mais) for inevitável, a terapêutica com Sinvastatina / Ezetimiba deverá ser interrompida (e considerada a utilização de uma estatina alternativa) durante o tratamento. - Telaprevir
Não recomendado/Evitar

Ribociclib Telaprevir

Observações: n.d.
Interacções: Substâncias que podem aumentar as concentrações plasmáticas de ribociclib: Deve ser evitada a utilização concomitante de inibidores potentes da CYP3A4 incluindo, mas não limitado a: claritromicina, indinavir, itraconazol, cetoconazol, lopinavir, ritonavir, nefazodona, nelfinavir, posaconazol, saquinavir, telaprevir, telitromicina, verapamilo e voriconazol. Em alternativa devem ser considerados medicamentos concomitantes com menor potencial para inibir CYP3A4 e devem ser monitorizados os Acontecimentos Adversos (AA) relacionados com ribociclib nos doentes. - Telaprevir
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Sirolímus Telaprevir

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Os inibidores da CYP3A4 podem diminuir o metabolismo do sirolímus e aumentar os seus níveis sanguíneos. Estes inibidores incluem alguns antifúngicos (por exemplo, clotrimazol, fluconazol, itraconazol, voriconazol), alguns antibióticos (por exemplo, troleandomicina, telitromicina, claritromicina), alguns inibidores da protease (por exemplo, ritonavir, indinavir, boceprevir, telaprevir), nicardipina, bromocriptina, cimetidina e danazol. - Telaprevir
Usar com precaução

Telaprevir Inibidores da glicoproteína-P (Gp-P)

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir é parcialmente metabolizado no fígado pelo CYP3A e é um substrato da glicoproteína-P (P-gp). Outras enzimas estão também envolvidas no metabolismo. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que induzem o CYP3A e/ou a P-gp podem diminuir acentuadamente as concentrações plasmáticas de telaprevir. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que inibem o CYP3A e/ou a P-gp pode aumentar as concentrações plasmáticas de telaprevir. Telaprevir é um forte inibidor do CYP3A4, dependente do tempo, que também inibe acentuadamente a P-gp. A dependência de tempo indica que a inibição do CYP3A4 pode ser intensificada durante as primeiras duas semanas de tratamento. Após o fim do tratamento, poderá ser necessário cerca de uma semana para a inibição desaparecer completamente. A administração de Telaprevir pode aumentar a exposição sistémica a medicamentos que são substratos do CYP3A ou da P-gp, o que pode aumentar ou prolongar o seu efeito terapêutico e reacções adversas. Com base nos resultados dos estudos clínicos de interacção medicamentosa (escitalopram, zolpidem, etinilestradiol), não pode ser excluída a indução de enzimas metabólicas pelo telaprevir. - Inibidores da glicoproteína-P (Gp-P)
Usar com precaução

Telaprevir Indutores do CYP3A4

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir é parcialmente metabolizado no fígado pelo CYP3A e é um substrato da glicoproteína-P (P-gp). Outras enzimas estão também envolvidas no metabolismo. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que induzem o CYP3A e/ou a P-gp podem diminuir acentuadamente as concentrações plasmáticas de telaprevir. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que inibem o CYP3A e/ou a P-gp pode aumentar as concentrações plasmáticas de telaprevir. Telaprevir é um forte inibidor do CYP3A4, dependente do tempo, que também inibe acentuadamente a P-gp. A dependência de tempo indica que a inibição do CYP3A4 pode ser intensificada durante as primeiras duas semanas de tratamento. Após o fim do tratamento, poderá ser necessário cerca de uma semana para a inibição desaparecer completamente. A administração de Telaprevir pode aumentar a exposição sistémica a medicamentos que são substratos do CYP3A ou da P-gp, o que pode aumentar ou prolongar o seu efeito terapêutico e reacções adversas. Com base nos resultados dos estudos clínicos de interacção medicamentosa (escitalopram, zolpidem, etinilestradiol), não pode ser excluída a indução de enzimas metabólicas pelo telaprevir. Indutores ligeiros e moderados das enzimas CYP3A: Devem ser evitados os indutores ligeiros e moderados das enzimas CYP3A, particularmente em doentes que não responderam previamente ao tratamento (doentes com resposta parcial e doentes com resposta nula a peginterferão alfa/ribavirina), salvo se for recomendada uma dose específica. - Indutores do CYP3A4
Usar com precaução

Telaprevir Inibidores do CYP3A4

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir é parcialmente metabolizado no fígado pelo CYP3A e é um substrato da glicoproteína-P (P-gp). Outras enzimas estão também envolvidas no metabolismo. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que induzem o CYP3A e/ou a P-gp podem diminuir acentuadamente as concentrações plasmáticas de telaprevir. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que inibem o CYP3A e/ou a P-gp pode aumentar as concentrações plasmáticas de telaprevir. Telaprevir é um forte inibidor do CYP3A4, dependente do tempo, que também inibe acentuadamente a P-gp. A dependência de tempo indica que a inibição do CYP3A4 pode ser intensificada durante as primeiras duas semanas de tratamento. Após o fim do tratamento, poderá ser necessário cerca de uma semana para a inibição desaparecer completamente. A administração de Telaprevir pode aumentar a exposição sistémica a medicamentos que são substratos do CYP3A ou da P-gp, o que pode aumentar ou prolongar o seu efeito terapêutico e reacções adversas. Com base nos resultados dos estudos clínicos de interacção medicamentosa (escitalopram, zolpidem, etinilestradiol), não pode ser excluída a indução de enzimas metabólicas pelo telaprevir. - Inibidores do CYP3A4
Usar com precaução

Telaprevir Inibidores do CYP3A5

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir é parcialmente metabolizado no fígado pelo CYP3A e é um substrato da glicoproteína-P (P-gp). Outras enzimas estão também envolvidas no metabolismo. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que induzem o CYP3A e/ou a P-gp podem diminuir acentuadamente as concentrações plasmáticas de telaprevir. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que inibem o CYP3A e/ou a P-gp pode aumentar as concentrações plasmáticas de telaprevir. Telaprevir é um forte inibidor do CYP3A4, dependente do tempo, que também inibe acentuadamente a P-gp. A dependência de tempo indica que a inibição do CYP3A4 pode ser intensificada durante as primeiras duas semanas de tratamento. Após o fim do tratamento, poderá ser necessário cerca de uma semana para a inibição desaparecer completamente. A administração de Telaprevir pode aumentar a exposição sistémica a medicamentos que são substratos do CYP3A ou da P-gp, o que pode aumentar ou prolongar o seu efeito terapêutico e reacções adversas. Com base nos resultados dos estudos clínicos de interacção medicamentosa (escitalopram, zolpidem, etinilestradiol), não pode ser excluída a indução de enzimas metabólicas pelo telaprevir. - Inibidores do CYP3A5
Usar com precaução

Telaprevir Indutores do CYP3A5

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir é parcialmente metabolizado no fígado pelo CYP3A e é um substrato da glicoproteína-P (P-gp). Outras enzimas estão também envolvidas no metabolismo. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que induzem o CYP3A e/ou a P-gp podem diminuir acentuadamente as concentrações plasmáticas de telaprevir. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que inibem o CYP3A e/ou a P-gp pode aumentar as concentrações plasmáticas de telaprevir. Telaprevir é um forte inibidor do CYP3A4, dependente do tempo, que também inibe acentuadamente a P-gp. A dependência de tempo indica que a inibição do CYP3A4 pode ser intensificada durante as primeiras duas semanas de tratamento. Após o fim do tratamento, poderá ser necessário cerca de uma semana para a inibição desaparecer completamente. A administração de Telaprevir pode aumentar a exposição sistémica a medicamentos que são substratos do CYP3A ou da P-gp, o que pode aumentar ou prolongar o seu efeito terapêutico e reacções adversas. Com base nos resultados dos estudos clínicos de interacção medicamentosa (escitalopram, zolpidem, etinilestradiol), não pode ser excluída a indução de enzimas metabólicas pelo telaprevir. Indutores ligeiros e moderados das enzimas CYP3A: Devem ser evitados os indutores ligeiros e moderados das enzimas CYP3A, particularmente em doentes que não responderam previamente ao tratamento (doentes com resposta parcial e doentes com resposta nula a peginterferão alfa/ribavirina), salvo se for recomendada uma dose específica. - Indutores do CYP3A5
Usar com precaução

Telaprevir Substratos do CYP3A4

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir é parcialmente metabolizado no fígado pelo CYP3A e é um substrato da glicoproteína-P (P-gp). Outras enzimas estão também envolvidas no metabolismo. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que induzem o CYP3A e/ou a P-gp podem diminuir acentuadamente as concentrações plasmáticas de telaprevir. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que inibem o CYP3A e/ou a P-gp pode aumentar as concentrações plasmáticas de telaprevir. Telaprevir é um forte inibidor do CYP3A4, dependente do tempo, que também inibe acentuadamente a P-gp. A dependência de tempo indica que a inibição do CYP3A4 pode ser intensificada durante as primeiras duas semanas de tratamento. Após o fim do tratamento, poderá ser necessário cerca de uma semana para a inibição desaparecer completamente. A administração de Telaprevir pode aumentar a exposição sistémica a medicamentos que são substratos do CYP3A ou da P-gp, o que pode aumentar ou prolongar o seu efeito terapêutico e reacções adversas. Com base nos resultados dos estudos clínicos de interacção medicamentosa (escitalopram, zolpidem, etinilestradiol), não pode ser excluída a indução de enzimas metabólicas pelo telaprevir. - Substratos do CYP3A4
Usar com precaução

Telaprevir Substratos do CYP3A5

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir é parcialmente metabolizado no fígado pelo CYP3A e é um substrato da glicoproteína-P (P-gp). Outras enzimas estão também envolvidas no metabolismo. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que induzem o CYP3A e/ou a P-gp podem diminuir acentuadamente as concentrações plasmáticas de telaprevir. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que inibem o CYP3A e/ou a P-gp pode aumentar as concentrações plasmáticas de telaprevir. Telaprevir é um forte inibidor do CYP3A4, dependente do tempo, que também inibe acentuadamente a P-gp. A dependência de tempo indica que a inibição do CYP3A4 pode ser intensificada durante as primeiras duas semanas de tratamento. Após o fim do tratamento, poderá ser necessário cerca de uma semana para a inibição desaparecer completamente. A administração de Telaprevir pode aumentar a exposição sistémica a medicamentos que são substratos do CYP3A ou da P-gp, o que pode aumentar ou prolongar o seu efeito terapêutico e reacções adversas. Com base nos resultados dos estudos clínicos de interacção medicamentosa (escitalopram, zolpidem, etinilestradiol), não pode ser excluída a indução de enzimas metabólicas pelo telaprevir. - Substratos do CYP3A5
Usar com precaução

Telaprevir Substratos da glicoproteína-P (Gp-P)

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir é parcialmente metabolizado no fígado pelo CYP3A e é um substrato da glicoproteína-P (P-gp). Outras enzimas estão também envolvidas no metabolismo. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que induzem o CYP3A e/ou a P-gp podem diminuir acentuadamente as concentrações plasmáticas de telaprevir. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que inibem o CYP3A e/ou a P-gp pode aumentar as concentrações plasmáticas de telaprevir. Telaprevir é um forte inibidor do CYP3A4, dependente do tempo, que também inibe acentuadamente a P-gp. A dependência de tempo indica que a inibição do CYP3A4 pode ser intensificada durante as primeiras duas semanas de tratamento. Após o fim do tratamento, poderá ser necessário cerca de uma semana para a inibição desaparecer completamente. A administração de Telaprevir pode aumentar a exposição sistémica a medicamentos que são substratos do CYP3A ou da P-gp, o que pode aumentar ou prolongar o seu efeito terapêutico e reacções adversas. Com base nos resultados dos estudos clínicos de interacção medicamentosa (escitalopram, zolpidem, etinilestradiol), não pode ser excluída a indução de enzimas metabólicas pelo telaprevir. - Substratos da glicoproteína-P (Gp-P)
Usar com precaução

Telaprevir Escitalopram

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir é parcialmente metabolizado no fígado pelo CYP3A e é um substrato da glicoproteína-P (P-gp). Outras enzimas estão também envolvidas no metabolismo. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que induzem o CYP3A e/ou a P-gp podem diminuir acentuadamente as concentrações plasmáticas de telaprevir. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que inibem o CYP3A e/ou a P-gp pode aumentar as concentrações plasmáticas de telaprevir. Telaprevir é um forte inibidor do CYP3A4, dependente do tempo, que também inibe acentuadamente a P-gp. A dependência de tempo indica que a inibição do CYP3A4 pode ser intensificada durante as primeiras duas semanas de tratamento. Após o fim do tratamento, poderá ser necessário cerca de uma semana para a inibição desaparecer completamente. A administração de Telaprevir pode aumentar a exposição sistémica a medicamentos que são substratos do CYP3A ou da P-gp, o que pode aumentar ou prolongar o seu efeito terapêutico e reacções adversas. Com base nos resultados dos estudos clínicos de interacção medicamentosa (escitalopram, zolpidem, etinilestradiol), não pode ser excluída a indução de enzimas metabólicas pelo telaprevir. ANTIDEPRESSIVOS: Escitalopram: Relevância clínica desconhecida. As doses podem necessitar de ser aumentadas aquando da combinação com telaprevir. - Escitalopram
Usar com precaução

Telaprevir Zolpidem

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir é parcialmente metabolizado no fígado pelo CYP3A e é um substrato da glicoproteína-P (P-gp). Outras enzimas estão também envolvidas no metabolismo. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que induzem o CYP3A e/ou a P-gp podem diminuir acentuadamente as concentrações plasmáticas de telaprevir. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que inibem o CYP3A e/ou a P-gp pode aumentar as concentrações plasmáticas de telaprevir. Telaprevir é um forte inibidor do CYP3A4, dependente do tempo, que também inibe acentuadamente a P-gp. A dependência de tempo indica que a inibição do CYP3A4 pode ser intensificada durante as primeiras duas semanas de tratamento. Após o fim do tratamento, poderá ser necessário cerca de uma semana para a inibição desaparecer completamente. A administração de Telaprevir pode aumentar a exposição sistémica a medicamentos que são substratos do CYP3A ou da P-gp, o que pode aumentar ou prolongar o seu efeito terapêutico e reacções adversas. Com base nos resultados dos estudos clínicos de interacção medicamentosa (escitalopram, zolpidem, etinilestradiol), não pode ser excluída a indução de enzimas metabólicas pelo telaprevir. BENZODIAZEPINAS: Zolpidem (sedativo não benzodiazepina): Relevância clinica desconhecida. Pode ser necessário o aumento da dose de zolpidem para manter a eficácia. - Zolpidem
Usar com precaução

Telaprevir Etinilestradiol

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir é parcialmente metabolizado no fígado pelo CYP3A e é um substrato da glicoproteína-P (P-gp). Outras enzimas estão também envolvidas no metabolismo. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que induzem o CYP3A e/ou a P-gp podem diminuir acentuadamente as concentrações plasmáticas de telaprevir. A administração concomitante de Telaprevir e de medicamentos que inibem o CYP3A e/ou a P-gp pode aumentar as concentrações plasmáticas de telaprevir. Telaprevir é um forte inibidor do CYP3A4, dependente do tempo, que também inibe acentuadamente a P-gp. A dependência de tempo indica que a inibição do CYP3A4 pode ser intensificada durante as primeiras duas semanas de tratamento. Após o fim do tratamento, poderá ser necessário cerca de uma semana para a inibição desaparecer completamente. A administração de Telaprevir pode aumentar a exposição sistémica a medicamentos que são substratos do CYP3A ou da P-gp, o que pode aumentar ou prolongar o seu efeito terapêutico e reacções adversas. Com base nos resultados dos estudos clínicos de interacção medicamentosa (escitalopram, zolpidem, etinilestradiol), não pode ser excluída a indução de enzimas metabólicas pelo telaprevir. - Etinilestradiol
Usar com precaução

Telaprevir Substratos do OATP1B1

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir inibe os polipéptidos transportadores de aniões orgânicos (OATPs) OATP1B1 e OATP2B1. A administração concomitante de Telaprevir e fármacos transportados por estes transportadores, como sejam a fluvastatina, pravastatina, rosuvastatina, pitavastatina, bosentano e repaglinida deve ser realizada com precaução. A sinvastatina é contra-indicada devido ao aumento previsto e acentuado na exposição provocada por múltiplos mecanismos. Com base em estudos in vitro, telaprevir pode potencialmente aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do trasportador de extrusão de múltiplos fármacos e toxinas (MATE)-1 e MATE2-K. - Substratos do OATP1B1
Usar com precaução

Telaprevir Substratos do OATP2B1

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir inibe os polipéptidos transportadores de aniões orgânicos (OATPs) OATP1B1 e OATP2B1. A administração concomitante de Telaprevir e fármacos transportados por estes transportadores, como sejam a fluvastatina, pravastatina, rosuvastatina, pitavastatina, bosentano e repaglinida deve ser realizada com precaução. A sinvastatina é contra-indicada devido ao aumento previsto e acentuado na exposição provocada por múltiplos mecanismos. Com base em estudos in vitro, telaprevir pode potencialmente aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do trasportador de extrusão de múltiplos fármacos e toxinas (MATE)-1 e MATE2-K. - Substratos do OATP2B1
Usar com precaução

Telaprevir Fluvastatina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir inibe os polipéptidos transportadores de aniões orgânicos (OATPs) OATP1B1 e OATP2B1. A administração concomitante de Telaprevir e fármacos transportados por estes transportadores, como sejam a fluvastatina, pravastatina, rosuvastatina, pitavastatina, bosentano e repaglinida deve ser realizada com precaução. A sinvastatina é contra-indicada devido ao aumento previsto e acentuado na exposição provocada por múltiplos mecanismos. Com base em estudos in vitro, telaprevir pode potencialmente aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do trasportador de extrusão de múltiplos fármacos e toxinas (MATE)-1 e MATE2-K. INIBIDORES DA HMG-CoA REDUCTASE: Fluvastatina, pitavastatina, pravastatina, rosuvastatina: Deve existir precaução e recomenda-se monitorização clínica. - Fluvastatina
Usar com precaução

Telaprevir Pravastatina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir inibe os polipéptidos transportadores de aniões orgânicos (OATPs) OATP1B1 e OATP2B1. A administração concomitante de Telaprevir e fármacos transportados por estes transportadores, como sejam a fluvastatina, pravastatina, rosuvastatina, pitavastatina, bosentano e repaglinida deve ser realizada com precaução. A sinvastatina é contra-indicada devido ao aumento previsto e acentuado na exposição provocada por múltiplos mecanismos. Com base em estudos in vitro, telaprevir pode potencialmente aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do trasportador de extrusão de múltiplos fármacos e toxinas (MATE)-1 e MATE2-K. INIBIDORES DA HMG-CoA REDUCTASE: Fluvastatina, pitavastatina, pravastatina, rosuvastatina: Deve existir precaução e recomenda-se monitorização clínica. - Pravastatina
Usar com precaução

Telaprevir Rosuvastatina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir inibe os polipéptidos transportadores de aniões orgânicos (OATPs) OATP1B1 e OATP2B1. A administração concomitante de Telaprevir e fármacos transportados por estes transportadores, como sejam a fluvastatina, pravastatina, rosuvastatina, pitavastatina, bosentano e repaglinida deve ser realizada com precaução. A sinvastatina é contra-indicada devido ao aumento previsto e acentuado na exposição provocada por múltiplos mecanismos. Com base em estudos in vitro, telaprevir pode potencialmente aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do trasportador de extrusão de múltiplos fármacos e toxinas (MATE)-1 e MATE2-K. INIBIDORES DA HMG-CoA REDUCTASE: Fluvastatina, pitavastatina, pravastatina, rosuvastatina: Deve existir precaução e recomenda-se monitorização clínica. - Rosuvastatina
Usar com precaução

Telaprevir Pitavastatina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir inibe os polipéptidos transportadores de aniões orgânicos (OATPs) OATP1B1 e OATP2B1. A administração concomitante de Telaprevir e fármacos transportados por estes transportadores, como sejam a fluvastatina, pravastatina, rosuvastatina, pitavastatina, bosentano e repaglinida deve ser realizada com precaução. A sinvastatina é contra-indicada devido ao aumento previsto e acentuado na exposição provocada por múltiplos mecanismos. Com base em estudos in vitro, telaprevir pode potencialmente aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do trasportador de extrusão de múltiplos fármacos e toxinas (MATE)-1 e MATE2-K. INIBIDORES DA HMG-CoA REDUCTASE: Fluvastatina, pitavastatina, pravastatina, rosuvastatina: Deve existir precaução e recomenda-se monitorização clínica. - Pitavastatina
Usar com precaução

Telaprevir Bosentano

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir inibe os polipéptidos transportadores de aniões orgânicos (OATPs) OATP1B1 e OATP2B1. A administração concomitante de Telaprevir e fármacos transportados por estes transportadores, como sejam a fluvastatina, pravastatina, rosuvastatina, pitavastatina, bosentano e repaglinida deve ser realizada com precaução. A sinvastatina é contra-indicada devido ao aumento previsto e acentuado na exposição provocada por múltiplos mecanismos. Com base em estudos in vitro, telaprevir pode potencialmente aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do trasportador de extrusão de múltiplos fármacos e toxinas (MATE)-1 e MATE2-K. ANTAGONISTA DO receptor DO ENDOTÉLIO: Bosentano: Deve existir precaução e recomenda-se monitorização clínica. - Bosentano
Usar com precaução

Telaprevir Repaglinida

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir inibe os polipéptidos transportadores de aniões orgânicos (OATPs) OATP1B1 e OATP2B1. A administração concomitante de Telaprevir e fármacos transportados por estes transportadores, como sejam a fluvastatina, pravastatina, rosuvastatina, pitavastatina, bosentano e repaglinida deve ser realizada com precaução. A sinvastatina é contra-indicada devido ao aumento previsto e acentuado na exposição provocada por múltiplos mecanismos. Com base em estudos in vitro, telaprevir pode potencialmente aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do trasportador de extrusão de múltiplos fármacos e toxinas (MATE)-1 e MATE2-K. SECRETAGOGOS DA INSULINA: Repaglinida: Deve existir precaução e recomenda-se monitorização clínica. - Repaglinida
Contraindicado

Telaprevir Sinvastatina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir inibe os polipéptidos transportadores de aniões orgânicos (OATPs) OATP1B1 e OATP2B1. A administração concomitante de Telaprevir e fármacos transportados por estes transportadores, como sejam a fluvastatina, pravastatina, rosuvastatina, pitavastatina, bosentano e repaglinida deve ser realizada com precaução. A sinvastatina é contra-indicada devido ao aumento previsto e acentuado na exposição provocada por múltiplos mecanismos. Com base em estudos in vitro, telaprevir pode potencialmente aumentar as concentrações plasmáticas de medicamentos cuja excreção é dependente do trasportador de extrusão de múltiplos fármacos e toxinas (MATE)-1 e MATE2-K. Contraindicações de utilização concomitante: Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com substâncias activas cuja eliminação seja predominantemente dependente do CYP3A e para as quais concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos adversos graves e/ou que colocam a vida em risco, tais como arritmias cardíacas (i.e., amiodarona, astemizol, bepridil, cisaprida, pimozida, quinidina, terfenadina) ou vasoespasmo periférico ou isquémia (i.e. dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina) ou miopatia, incluindo rabdomiólise (i.e, lovastatina, sinvastatina, atorvastatina) ou sedação prolongada ou aumentada ou depressão respiratória (i.e. quetiapina e midazolam ou triazolam de administração oral) ou hipotensão ou arritmia cardíaca (i.e. alfuzosina e sildenafil para a hipertensão arterial pulmonar). - Sinvastatina
Contraindicado

Telaprevir Amiodarona

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Contraindicações de utilização concomitante: Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com substâncias activas cuja eliminação seja predominantemente dependente do CYP3A e para as quais concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos adversos graves e/ou que colocam a vida em risco, tais como arritmias cardíacas (i.e., amiodarona, astemizol, bepridil, cisaprida, pimozida, quinidina, terfenadina) ou vasoespasmo periférico ou isquémia (i.e. dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina) ou miopatia, incluindo rabdomiólise (i.e, lovastatina, sinvastatina, atorvastatina) ou sedação prolongada ou aumentada ou depressão respiratória (i.e. quetiapina e midazolam ou triazolam de administração oral) ou hipotensão ou arritmia cardíaca (i.e. alfuzosina e sildenafil para a hipertensão arterial pulmonar). - Amiodarona
Contraindicado

Telaprevir Astemizol

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Contraindicações de utilização concomitante: Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com substâncias activas cuja eliminação seja predominantemente dependente do CYP3A e para as quais concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos adversos graves e/ou que colocam a vida em risco, tais como arritmias cardíacas (i.e., amiodarona, astemizol, bepridil, cisaprida, pimozida, quinidina, terfenadina) ou vasoespasmo periférico ou isquémia (i.e. dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina) ou miopatia, incluindo rabdomiólise (i.e, lovastatina, sinvastatina, atorvastatina) ou sedação prolongada ou aumentada ou depressão respiratória (i.e. quetiapina e midazolam ou triazolam de administração oral) ou hipotensão ou arritmia cardíaca (i.e. alfuzosina e sildenafil para a hipertensão arterial pulmonar). - Astemizol
Contraindicado

Telaprevir Bepridilo

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Contraindicações de utilização concomitante: Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com substâncias activas cuja eliminação seja predominantemente dependente do CYP3A e para as quais concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos adversos graves e/ou que colocam a vida em risco, tais como arritmias cardíacas (i.e., amiodarona, astemizol, bepridil, cisaprida, pimozida, quinidina, terfenadina) ou vasoespasmo periférico ou isquémia (i.e. dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina) ou miopatia, incluindo rabdomiólise (i.e, lovastatina, sinvastatina, atorvastatina) ou sedação prolongada ou aumentada ou depressão respiratória (i.e. quetiapina e midazolam ou triazolam de administração oral) ou hipotensão ou arritmia cardíaca (i.e. alfuzosina e sildenafil para a hipertensão arterial pulmonar). - Bepridilo
Contraindicado

Telaprevir Cisaprida

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Contraindicações de utilização concomitante: Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com substâncias activas cuja eliminação seja predominantemente dependente do CYP3A e para as quais concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos adversos graves e/ou que colocam a vida em risco, tais como arritmias cardíacas (i.e., amiodarona, astemizol, bepridil, cisaprida, pimozida, quinidina, terfenadina) ou vasoespasmo periférico ou isquémia (i.e. dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina) ou miopatia, incluindo rabdomiólise (i.e, lovastatina, sinvastatina, atorvastatina) ou sedação prolongada ou aumentada ou depressão respiratória (i.e. quetiapina e midazolam ou triazolam de administração oral) ou hipotensão ou arritmia cardíaca (i.e. alfuzosina e sildenafil para a hipertensão arterial pulmonar). - Cisaprida
Contraindicado

Telaprevir Pimozida

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Contraindicações de utilização concomitante: Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com substâncias activas cuja eliminação seja predominantemente dependente do CYP3A e para as quais concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos adversos graves e/ou que colocam a vida em risco, tais como arritmias cardíacas (i.e., amiodarona, astemizol, bepridil, cisaprida, pimozida, quinidina, terfenadina) ou vasoespasmo periférico ou isquémia (i.e. dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina) ou miopatia, incluindo rabdomiólise (i.e, lovastatina, sinvastatina, atorvastatina) ou sedação prolongada ou aumentada ou depressão respiratória (i.e. quetiapina e midazolam ou triazolam de administração oral) ou hipotensão ou arritmia cardíaca (i.e. alfuzosina e sildenafil para a hipertensão arterial pulmonar). - Pimozida
Contraindicado

Telaprevir Quinidina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Contraindicações de utilização concomitante: Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com substâncias activas cuja eliminação seja predominantemente dependente do CYP3A e para as quais concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos adversos graves e/ou que colocam a vida em risco, tais como arritmias cardíacas (i.e., amiodarona, astemizol, bepridil, cisaprida, pimozida, quinidina, terfenadina) ou vasoespasmo periférico ou isquémia (i.e. dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina) ou miopatia, incluindo rabdomiólise (i.e, lovastatina, sinvastatina, atorvastatina) ou sedação prolongada ou aumentada ou depressão respiratória (i.e. quetiapina e midazolam ou triazolam de administração oral) ou hipotensão ou arritmia cardíaca (i.e. alfuzosina e sildenafil para a hipertensão arterial pulmonar). - Quinidina
Contraindicado

Telaprevir Terfenadina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Contraindicações de utilização concomitante: Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com substâncias activas cuja eliminação seja predominantemente dependente do CYP3A e para as quais concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos adversos graves e/ou que colocam a vida em risco, tais como arritmias cardíacas (i.e., amiodarona, astemizol, bepridil, cisaprida, pimozida, quinidina, terfenadina) ou vasoespasmo periférico ou isquémia (i.e. dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina) ou miopatia, incluindo rabdomiólise (i.e, lovastatina, sinvastatina, atorvastatina) ou sedação prolongada ou aumentada ou depressão respiratória (i.e. quetiapina e midazolam ou triazolam de administração oral) ou hipotensão ou arritmia cardíaca (i.e. alfuzosina e sildenafil para a hipertensão arterial pulmonar). - Terfenadina
Contraindicado

Telaprevir Mesilato de di-hidroergotamina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Contraindicações de utilização concomitante: Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com substâncias activas cuja eliminação seja predominantemente dependente do CYP3A e para as quais concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos adversos graves e/ou que colocam a vida em risco, tais como arritmias cardíacas (i.e., amiodarona, astemizol, bepridil, cisaprida, pimozida, quinidina, terfenadina) ou vasoespasmo periférico ou isquémia (i.e. dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina) ou miopatia, incluindo rabdomiólise (i.e, lovastatina, sinvastatina, atorvastatina) ou sedação prolongada ou aumentada ou depressão respiratória (i.e. quetiapina e midazolam ou triazolam de administração oral) ou hipotensão ou arritmia cardíaca (i.e. alfuzosina e sildenafil para a hipertensão arterial pulmonar). - Mesilato de di-hidroergotamina
Contraindicado

Telaprevir Ergonovina (ergometrina)

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Contraindicações de utilização concomitante: Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com substâncias activas cuja eliminação seja predominantemente dependente do CYP3A e para as quais concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos adversos graves e/ou que colocam a vida em risco, tais como arritmias cardíacas (i.e., amiodarona, astemizol, bepridil, cisaprida, pimozida, quinidina, terfenadina) ou vasoespasmo periférico ou isquémia (i.e. dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina) ou miopatia, incluindo rabdomiólise (i.e, lovastatina, sinvastatina, atorvastatina) ou sedação prolongada ou aumentada ou depressão respiratória (i.e. quetiapina e midazolam ou triazolam de administração oral) ou hipotensão ou arritmia cardíaca (i.e. alfuzosina e sildenafil para a hipertensão arterial pulmonar). - Ergonovina (ergometrina)
Contraindicado

Telaprevir Ergotamina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Contraindicações de utilização concomitante: Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com substâncias activas cuja eliminação seja predominantemente dependente do CYP3A e para as quais concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos adversos graves e/ou que colocam a vida em risco, tais como arritmias cardíacas (i.e., amiodarona, astemizol, bepridil, cisaprida, pimozida, quinidina, terfenadina) ou vasoespasmo periférico ou isquémia (i.e. dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina) ou miopatia, incluindo rabdomiólise (i.e, lovastatina, sinvastatina, atorvastatina) ou sedação prolongada ou aumentada ou depressão respiratória (i.e. quetiapina e midazolam ou triazolam de administração oral) ou hipotensão ou arritmia cardíaca (i.e. alfuzosina e sildenafil para a hipertensão arterial pulmonar). - Ergotamina
Contraindicado

Telaprevir Metilergometrina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Contraindicações de utilização concomitante: Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com substâncias activas cuja eliminação seja predominantemente dependente do CYP3A e para as quais concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos adversos graves e/ou que colocam a vida em risco, tais como arritmias cardíacas (i.e., amiodarona, astemizol, bepridil, cisaprida, pimozida, quinidina, terfenadina) ou vasoespasmo periférico ou isquémia (i.e. dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina) ou miopatia, incluindo rabdomiólise (i.e, lovastatina, sinvastatina, atorvastatina) ou sedação prolongada ou aumentada ou depressão respiratória (i.e. quetiapina e midazolam ou triazolam de administração oral) ou hipotensão ou arritmia cardíaca (i.e. alfuzosina e sildenafil para a hipertensão arterial pulmonar). - Metilergometrina
Contraindicado

Telaprevir Lovastatina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Contraindicações de utilização concomitante: Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com substâncias activas cuja eliminação seja predominantemente dependente do CYP3A e para as quais concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos adversos graves e/ou que colocam a vida em risco, tais como arritmias cardíacas (i.e., amiodarona, astemizol, bepridil, cisaprida, pimozida, quinidina, terfenadina) ou vasoespasmo periférico ou isquémia (i.e. dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina) ou miopatia, incluindo rabdomiólise (i.e, lovastatina, sinvastatina, atorvastatina) ou sedação prolongada ou aumentada ou depressão respiratória (i.e. quetiapina e midazolam ou triazolam de administração oral) ou hipotensão ou arritmia cardíaca (i.e. alfuzosina e sildenafil para a hipertensão arterial pulmonar). - Lovastatina
Contraindicado

Telaprevir Atorvastatina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Contraindicações de utilização concomitante: Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com substâncias activas cuja eliminação seja predominantemente dependente do CYP3A e para as quais concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos adversos graves e/ou que colocam a vida em risco, tais como arritmias cardíacas (i.e., amiodarona, astemizol, bepridil, cisaprida, pimozida, quinidina, terfenadina) ou vasoespasmo periférico ou isquémia (i.e. dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina) ou miopatia, incluindo rabdomiólise (i.e, lovastatina, sinvastatina, atorvastatina) ou sedação prolongada ou aumentada ou depressão respiratória (i.e. quetiapina e midazolam ou triazolam de administração oral) ou hipotensão ou arritmia cardíaca (i.e. alfuzosina e sildenafil para a hipertensão arterial pulmonar). INIBIDORES DA HMG-CoA REDUCTASE: Atorvastatina: A administração concomitante de atorvastatina e telaprevir é contra-indicada. - Atorvastatina
Contraindicado

Telaprevir Quetiapina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Contraindicações de utilização concomitante: Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com substâncias activas cuja eliminação seja predominantemente dependente do CYP3A e para as quais concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos adversos graves e/ou que colocam a vida em risco, tais como arritmias cardíacas (i.e., amiodarona, astemizol, bepridil, cisaprida, pimozida, quinidina, terfenadina) ou vasoespasmo periférico ou isquémia (i.e. dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina) ou miopatia, incluindo rabdomiólise (i.e, lovastatina, sinvastatina, atorvastatina) ou sedação prolongada ou aumentada ou depressão respiratória (i.e. quetiapina e midazolam ou triazolam de administração oral) ou hipotensão ou arritmia cardíaca (i.e. alfuzosina e sildenafil para a hipertensão arterial pulmonar). ANTIPSICÓTICOS: Quetiapina: A administração concomitante de Telaprevir e quetiapina é contra-indicada, dado que pode aumentar a toxicidade relacionada com a quetiapina. Elevadas concentrações plasmáticas de quetiapina podem conduzir a coma. - Quetiapina
Contraindicado

Telaprevir Midazolam

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Contraindicações de utilização concomitante: Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com substâncias activas cuja eliminação seja predominantemente dependente do CYP3A e para as quais concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos adversos graves e/ou que colocam a vida em risco, tais como arritmias cardíacas (i.e., amiodarona, astemizol, bepridil, cisaprida, pimozida, quinidina, terfenadina) ou vasoespasmo periférico ou isquémia (i.e. dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina) ou miopatia, incluindo rabdomiólise (i.e, lovastatina, sinvastatina, atorvastatina) ou sedação prolongada ou aumentada ou depressão respiratória (i.e. quetiapina e midazolam ou triazolam de administração oral) ou hipotensão ou arritmia cardíaca (i.e. alfuzosina e sildenafil para a hipertensão arterial pulmonar). BENZODIAZEPINAS: Midazolam administrado por via parentérica, Midazolam administrado por via oral: A administração concomitante deve ser feita num contexto que assegure a monitorização clínica e o tratamento médico adequado em caso de depressão respiratória e/ou sedação prolongada. Deve considerar-se a redução da dose de midazolam administrado por via parentérica, especialmente caso seja administrada mais do que uma dose única de midazolam. - Midazolam
Contraindicado

Telaprevir Triazolam

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Contraindicações de utilização concomitante: Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com substâncias activas cuja eliminação seja predominantemente dependente do CYP3A e para as quais concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos adversos graves e/ou que colocam a vida em risco, tais como arritmias cardíacas (i.e., amiodarona, astemizol, bepridil, cisaprida, pimozida, quinidina, terfenadina) ou vasoespasmo periférico ou isquémia (i.e. dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina) ou miopatia, incluindo rabdomiólise (i.e, lovastatina, sinvastatina, atorvastatina) ou sedação prolongada ou aumentada ou depressão respiratória (i.e. quetiapina e midazolam ou triazolam de administração oral) ou hipotensão ou arritmia cardíaca (i.e. alfuzosina e sildenafil para a hipertensão arterial pulmonar). BENZODIAZEPINAS: Triazolam administrado por via oral: A administração concomitante de midazolam oral ou triazolam oral com telaprevir é contra-indicada. - Triazolam
Contraindicado

Telaprevir Alfuzosina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Contraindicações de utilização concomitante: Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com substâncias activas cuja eliminação seja predominantemente dependente do CYP3A e para as quais concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos adversos graves e/ou que colocam a vida em risco, tais como arritmias cardíacas (i.e., amiodarona, astemizol, bepridil, cisaprida, pimozida, quinidina, terfenadina) ou vasoespasmo periférico ou isquémia (i.e. dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina) ou miopatia, incluindo rabdomiólise (i.e, lovastatina, sinvastatina, atorvastatina) ou sedação prolongada ou aumentada ou depressão respiratória (i.e. quetiapina e midazolam ou triazolam de administração oral) ou hipotensão ou arritmia cardíaca (i.e. alfuzosina e sildenafil para a hipertensão arterial pulmonar). - Alfuzosina
Contraindicado

Telaprevir Sildenafil

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Contraindicações de utilização concomitante: Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com substâncias activas cuja eliminação seja predominantemente dependente do CYP3A e para as quais concentrações plasmáticas elevadas estão associadas a acontecimentos adversos graves e/ou que colocam a vida em risco, tais como arritmias cardíacas (i.e., amiodarona, astemizol, bepridil, cisaprida, pimozida, quinidina, terfenadina) ou vasoespasmo periférico ou isquémia (i.e. dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina) ou miopatia, incluindo rabdomiólise (i.e, lovastatina, sinvastatina, atorvastatina) ou sedação prolongada ou aumentada ou depressão respiratória (i.e. quetiapina e midazolam ou triazolam de administração oral) ou hipotensão ou arritmia cardíaca (i.e. alfuzosina e sildenafil para a hipertensão arterial pulmonar). INIBIDORES DA PDE-5: Sildenafil, tadalafil, vardenafil: A administração concomitante de sildenafil e vardenafil com telaprevir não é recomendada. - Sildenafil
Não recomendado/Evitar

Telaprevir Antiarrítmicos

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Telaprevir não deve ser administrado concomitantemente com antiarrítmicos de Classe Ia ou III, com a excepção da lidocaína intravenosa. Telaprevir deve ser utilizado com precaução em associação com antiarrítmicos da classe Ic, flecainida e propafenona, incluindo monitorização clínica e por ECG apropriada. - Antiarrítmicos
Contraindicado

Telaprevir Rifampicina (rifampina)

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Rifampicina: A rifampicina reduz a AUC plasmática do telaprevir em aproximadamente 92%. Assim, Telaprevir não pode ser administrado concomitantemente com a rifampicina. ANTIMICOBACTERIANOS: Rifampicina: A administração concomitante de rifampicina e telaprevir é contra-indicada. - Rifampicina (rifampina)
Não recomendado/Evitar

Telaprevir Hipericão (Erva de S. João; Hypericum perforatum)

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Hipericão (Hypericum perforatum): As concentrações plasmáticas de telaprevir podem ser reduzidas pelo uso concomitante de formulações com Erva de São João (Hypericum perforatum). Assim, as preparações que contêm Erva de São João não devem ser utilizadas em associação com Telaprevir. - Hipericão (Erva de S. João; Hypericum perforatum)
Contraindicado

Telaprevir Carbamazepina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Carbamazepina, fenitoína e fenobarbital: A administração concomitante com indutores pode causar diminuição da exposição a telaprevir com risco de reduzir a eficácia. Estão contra-indicados inibidores potentes das enzimas CYP3A, tais como a carbamazepina, fenitoína e fenobarbital. ANTICONVULSIVANTES: Carbamazepina: A administração concomitantecom carbamazepina é contra-indicada. - Carbamazepina
Contraindicado

Telaprevir Fenitoína

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Carbamazepina, fenitoína e fenobarbital: A administração concomitante com indutores pode causar diminuição da exposição a telaprevir com risco de reduzir a eficácia. Estão contra-indicados inibidores potentes das enzimas CYP3A, tais como a carbamazepina, fenitoína e fenobarbital. ANTICONVULSIVANTES: Fenitoína: A administração concomitante com fenitoína é contra-indicada. - Fenitoína
Contraindicado

Telaprevir Fenobarbital

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Carbamazepina, fenitoína e fenobarbital: A administração concomitante com indutores pode causar diminuição da exposição a telaprevir com risco de reduzir a eficácia. Estão contra-indicados inibidores potentes das enzimas CYP3A, tais como a carbamazepina, fenitoína e fenobarbital. ANTICONVULSIVANTES: Fenobarbital: A administração concomitante com fenitoína é contra-indicada. - Fenobarbital
Usar com precaução

Telaprevir Alfentanilo

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANALGÉSICOS: Alfentanilo, fentanilo: Recomenda-se uma monitorização cuidadosa do efeito terapêutico e efeitos adversos (incluindo depressão respiratória) quando telaprevir é co-administrado com alfentanilo ou fentanilo, incluindo oral, bucal, nasal e sistemas transdérmicos ou transmucosos de libertação prolongada de fentanilo, especialmente no início do tratamento. Pode ser necessário o ajuste da dose de fentanilo ou alfentanilo. Espera-se efeitos mais marcados com formulações orais, nasais e bucais/sublinguais de fentanilo. - Alfentanilo
Usar com precaução

Telaprevir Fentanilo

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANALGÉSICOS: Alfentanilo, fentanilo: Recomenda-se uma monitorização cuidadosa do efeito terapêutico e efeitos adversos (incluindo depressão respiratória) quando telaprevir é co-administrado com alfentanilo ou fentanilo, incluindo oral, bucal, nasal e sistemas transdérmicos ou transmucosos de libertação prolongada de fentanilo, especialmente no início do tratamento. Pode ser necessário o ajuste da dose de fentanilo ou alfentanilo. Espera-se efeitos mais marcados com formulações orais, nasais e bucais/sublinguais de fentanilo. - Fentanilo
Usar com precaução

Telaprevir Lidocaína

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTIARRÍTMICOS: Lidocaína (intravenosa): Deve existir precaução e recomenda-se a monitorização clínica na administração de lidocaína intravenosa para o tratamento da arritmia ventricular aguda. - Lidocaína
Usar com precaução

Telaprevir Digoxina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTIARRÍTMICOS: Digoxina: Inicialmente, deve prescrever-se a dose mais baixa de digoxina. As concentrações séricas de digoxina devem ser monitorizadas e usadas para a titulação da dose de digoxina, de modo a obter o efeito clínico desejado. - Digoxina
Usar com precaução

Telaprevir Claritromicina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTIBACTERIANOS: Claritromicina, eritromicina, telitromicina, troleandomicina: Deve existir precaução e recomenda-se a monitorização clínica aquando da administração concomitante com Telaprevir. Foram notificados prolongamento do intervalo QT e Torsade de Pointes com claritromicina e eritromicina. O prolongamento do intervalo QT foi notificado com telitromicina. - Claritromicina
Usar com precaução

Telaprevir Eritromicina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTIBACTERIANOS: Claritromicina, eritromicina, telitromicina, troleandomicina: Deve existir precaução e recomenda-se a monitorização clínica aquando da administração concomitante com Telaprevir. Foram notificados prolongamento do intervalo QT e Torsade de Pointes com claritromicina e eritromicina. O prolongamento do intervalo QT foi notificado com telitromicina. - Eritromicina
Usar com precaução

Telaprevir Telitromicina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTIBACTERIANOS: Claritromicina, eritromicina, telitromicina, troleandomicina: Deve existir precaução e recomenda-se a monitorização clínica aquando da administração concomitante com Telaprevir. Foram notificados prolongamento do intervalo QT e Torsade de Pointes com claritromicina e eritromicina. O prolongamento do intervalo QT foi notificado com telitromicina. - Telitromicina
Usar com precaução

Telaprevir Troleandomicina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTIBACTERIANOS: Claritromicina, eritromicina, telitromicina, troleandomicina: Deve existir precaução e recomenda-se a monitorização clínica aquando da administração concomitante com Telaprevir. Foram notificados prolongamento do intervalo QT e Torsade de Pointes com claritromicina e eritromicina. O prolongamento do intervalo QT foi notificado com telitromicina. - Troleandomicina
Usar com precaução

Telaprevir Varfarina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTICOAGULANTES: Varfarina: Recomenda-se a monitorização da razão normalizada internacional (RNI) na administração concomitante com telaprevir. - Varfarina
Usar com precaução

Telaprevir Dabigatrano etexilato

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTICOAGULANTES: Dabigatrano: Recomenda-se precaução, recomenda-se monitorização laboratorial e clinica. - Dabigatrano etexilato
Usar com precaução

Telaprevir Trazodona

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTIDEPRESSIVOS: Trazodona: A utilização concomitante pode levar a acontecimentos adversos como náuseas, tonturas, hipotensão e síncope. Se a trazodona for usada com telaprevir, a combinação deve ser utilizada com precaução e deve considerar-se uma dose inferior de trazodona. - Trazodona
Usar com precaução

Telaprevir Metformina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTIDIABÉTICOS: Metformina: Recomenda-se monitorização rigorosa da eficácia e segurança da metformina quando se inicia ou interrompe o tratamento com Telaprevir em doentes a receber metformina. Pode ser necessário o ajuste de dose da metformina. - Metformina
Não recomendado/Evitar

Telaprevir Domperidona

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTIEMÉTICOS: Domperidona: Deve ser evitada a administração concomitante de domperidona com Telaprevir. - Domperidona
Usar com precaução

Telaprevir Cetoconazol

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTIFÚNGICOS: Cetoconazol, itraconazol, posaconazol, voriconazol: Se existir necessidade de administração concomitante, não são recomendadas doses elevadas de itraconazol (> 200 mg/dia) ou cetoconazol (> 200 mg/dia). Deve existir precaução e recomenda-se monitorização clínica para o itraconazol, posaconazol e voriconazol. Foram notificados prolongamento do intervalo QT e Torsade de Pointes com voriconazol e posaconazol. Foi reportado prolongamento do intervalo QT com cetoconazol. Voriconazol não deve ser administrado em doentes que recebem telaprevir, exceto se uma avaliação da relação risco/benefício justificar a sua utilização. - Cetoconazol
Usar com precaução

Telaprevir Itraconazol

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTIFÚNGICOS: Cetoconazol, itraconazol, posaconazol, voriconazol: Se existir necessidade de administração concomitante, não são recomendadas doses elevadas de itraconazol (> 200 mg/dia) ou cetoconazol (> 200 mg/dia). Deve existir precaução e recomenda-se monitorização clínica para o itraconazol, posaconazol e voriconazol. Foram notificados prolongamento do intervalo QT e Torsade de Pointes com voriconazol e posaconazol. Foi reportado prolongamento do intervalo QT com cetoconazol. Voriconazol não deve ser administrado em doentes que recebem telaprevir, exceto se uma avaliação da relação risco/benefício justificar a sua utilização. - Itraconazol
Usar com precaução

Telaprevir Voriconazol

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTIFÚNGICOS: Cetoconazol, itraconazol, posaconazol, voriconazol: Se existir necessidade de administração concomitante, não são recomendadas doses elevadas de itraconazol (> 200 mg/dia) ou cetoconazol (> 200 mg/dia). Deve existir precaução e recomenda-se monitorização clínica para o itraconazol, posaconazol e voriconazol. Foram notificados prolongamento do intervalo QT e Torsade de Pointes com voriconazol e posaconazol. Foi reportado prolongamento do intervalo QT com cetoconazol. Voriconazol não deve ser administrado em doentes que recebem telaprevir, exceto se uma avaliação da relação risco/benefício justificar a sua utilização. - Voriconazol
Usar com precaução

Telaprevir Posaconazol

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTIFÚNGICOS: Cetoconazol, itraconazol, posaconazol, voriconazol: Se existir necessidade de administração concomitante, não são recomendadas doses elevadas de itraconazol (> 200 mg/dia) ou cetoconazol (> 200 mg/dia). Deve existir precaução e recomenda-se monitorização clínica para o itraconazol, posaconazol e voriconazol. Foram notificados prolongamento do intervalo QT e Torsade de Pointes com voriconazol e posaconazol. Foi reportado prolongamento do intervalo QT com cetoconazol. Voriconazol não deve ser administrado em doentes que recebem telaprevir, exceto se uma avaliação da relação risco/benefício justificar a sua utilização. - Posaconazol
Não recomendado/Evitar

Telaprevir Colquicina (colchicina)

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTIGOTA: Colchicina: Doentes com compromisso renal ou Afeção hepática não devem tomar colchicina com Telaprevir, devido ao risco de toxicidade com colchicina. Em doentes com função renal e hepática normal recomenda-se a interrupção do tratamento com colchicina ou um tratamento de duração limitada com dose reduzida de colchicina. - Colquicina (colchicina)
Não recomendado/Evitar

Telaprevir Rifabutina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTIMICOBACTERIANOS: Rifabutina: Telaprevir pode ser menos eficaz devido às concentrações diminuídas. Não é recomendado o uso concomitante de rifabutina e telaprevir. - Rifabutina
Consultar informação actualizada

Telaprevir Alprazolam

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: BENZODIAZEPINAS: Alprazolam: Relevância clínica desconhecida. - Alprazolam
Usar com precaução

Telaprevir Amlodipina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: BLOQUEADORES DO CANAL DE CÁLCIO: Amlodipina: Deve ter-se precaução e deve considerar-se uma redução da dose de amlodipina. Recomenda-se monitorização clínica. - Amlodipina
Usar com precaução

Telaprevir Diltiazem

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: BLOQUEADORES DO CANAL DE CÁLCIO: Diltiazem, felodipina, nicardipina, nifedipina, nisoldipina, verapamilo: Deve existir precaução e recomenda-se a monitorização clínica dos doentes. - Diltiazem
Usar com precaução

Telaprevir Felodipina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: BLOQUEADORES DO CANAL DE CÁLCIO: Diltiazem, felodipina, nicardipina, nifedipina, nisoldipina, verapamilo: Deve existir precaução e recomenda-se a monitorização clínica dos doentes. - Felodipina
Usar com precaução

Telaprevir Nicardipina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: BLOQUEADORES DO CANAL DE CÁLCIO: Diltiazem, felodipina, nicardipina, nifedipina, nisoldipina, verapamilo: Deve existir precaução e recomenda-se a monitorização clínica dos doentes. - Nicardipina
Usar com precaução

Telaprevir Verapamilo

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: BLOQUEADORES DO CANAL DE CÁLCIO: Diltiazem, felodipina, nicardipina, nifedipina, nisoldipina, verapamilo: Deve existir precaução e recomenda-se a monitorização clínica dos doentes. - Verapamilo
Usar com precaução

Telaprevir Nifedipina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: BLOQUEADORES DO CANAL DE CÁLCIO: Diltiazem, felodipina, nicardipina, nifedipina, nisoldipina, verapamilo: Deve existir precaução e recomenda-se a monitorização clínica dos doentes. - Nifedipina
Usar com precaução

Telaprevir Nisoldipina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: BLOQUEADORES DO CANAL DE CÁLCIO: Diltiazem, felodipina, nicardipina, nifedipina, nisoldipina, verapamilo: Deve existir precaução e recomenda-se a monitorização clínica dos doentes. - Nisoldipina
Sem efeito descrito

Telaprevir Maraviroc

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTAGONISTAS CCR5 Maraviroc: Não é provável que as concentrações de telaprevir sejam afetadas pela administração concomitante de maraviroc (com base em dados históricos e na via de eliminação de telaprevir). Maraviroc 150 mg duas vezes ao dia quando co-administrado com telaprevir. - Maraviroc
Usar com precaução

Telaprevir Dexametasona

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: CORTICOSTERÓIDES: Sistémicos: Dexametasona: A utilização concomitante pode resultar numa perda do efeito terapêutico de telaprevir. Assim, esta combinação deve ser usada com precaução ou devem considerar-se alternativas. - Dexametasona
Não recomendado/Evitar

Telaprevir Budesonida

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: CORTICOSTERÓIDES: Inalação/nasal: Fluticasona, budesonida: Não é recomendada a administração concomitante de fluticasona ou budesonida e telaprevir, a menos que o potencial benefício para o doente supere o risco de efeitos indesejáveis sistémicos provocados pelo corticosteróide. - Budesonida
Não recomendado/Evitar

Telaprevir Fluticasona

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: CORTICOSTERÓIDES: Inalação/nasal: Fluticasona, budesonida: Não é recomendada a administração concomitante de fluticasona ou budesonida e telaprevir, a menos que o potencial benefício para o doente supere o risco de efeitos indesejáveis sistémicos provocados pelo corticosteróide. - Fluticasona
Usar com precaução

Telaprevir Atazanavir

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: MEDICAMENTOS ANTIVÍRICOS-VIH: INIBIDORES DA PROTEASE DO VIH (IPs): Atazanavir/ritonavir: A hiperbilirrubinémia é frequente com esta combinação. É recomendada monitorização clinica e laboratorial da hiperbilirrubinémia. - Atazanavir
Usar com precaução

Telaprevir Ritonavir

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: MEDICAMENTOS ANTIVÍRICOS-VIH: INIBIDORES DA PROTEASE DO VIH (IPs): Atazanavir/ritonavir: A hiperbilirrubinémia é frequente com esta combinação. É recomendada monitorização clinica e laboratorial da hiperbilirrubinémia. Darunavir/ritonavir: Não se recomenda a administração concomitante de darunavir/ritonavir com telaprevir. Fosamprenavir/ritonavir: Não se recomenda a administração concomitante de darunavir/ritonavir com telaprevir. - Ritonavir
Não recomendado/Evitar

Telaprevir Darunavir

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: MEDICAMENTOS ANTIVÍRICOS-VIH: INIBIDORES DA PROTEASE DO VIH (IPs): Darunavir/ritonavir: Não se recomenda a administração concomitante de darunavir/ritonavir com telaprevir. - Darunavir
Não recomendado/Evitar

Telaprevir Fosamprenavir

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: MEDICAMENTOS ANTIVÍRICOS-VIH: INIBIDORES DA PROTEASE DO VIH (IPs): Fosamprenavir/ritonavir: Não se recomenda a administração concomitante de darunavir/ritonavir com telaprevir. - Fosamprenavir
Não recomendado/Evitar

Telaprevir Lopinavir + Ritonavir

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: MEDICAMENTOS ANTIVÍRICOS-VIH: INIBIDORES DA PROTEASE DO VIH (IPs): Lopinavir/ritonavir: Não se recomenda a administração concomitante de darunavir/ritonavir com telaprevir. - Lopinavir + Ritonavir
Usar com precaução

Telaprevir Efavirenz

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: INIBIDORES DA TRANSCRIPTASE REVERSA: Efavirenze: Se administrado concomitantemente deve ser utilizado telaprevir 1.125 mg a cada 8 horas. - Efavirenz
Usar com precaução

Telaprevir Tenofovir

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: INIBIDORES DA TRANSCRIPTASE REVERSA: Tenofovir disoproxil fumarato: Deve existir um aumento da monitorização clínica e laboratorial abacavir zidovudina: Um efeito de telaprevir na UDP- glucuroniltransferase não pode ser excluído e pode afectar a concentração plasmática de abacavir e zidovudina. - Tenofovir
Sem efeito descrito

Telaprevir Etravirina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: INIBIDORES DA TRANSCRIPTASE REVERSA: Etravirina: Não é necessário ajuste da dose quando administrado concomitantemente. - Etravirina
Sem efeito descrito

Telaprevir Rilpivirina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: INIBIDORES DA TRANSCRIPTASE REVERSA: Rilpivirina: Não é necessário ajuste da dose quando administrado concomitantemente. - Rilpivirina
Sem efeito descrito

Telaprevir Raltegravir

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: INIBIDORES DA INTEGRASE: Raltegravir: Não é necessário ajuste da dose quando administrado concomitantemente. - Raltegravir
Usar com precaução

Telaprevir Etinilestradiol + Noretisterona

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: contraceptivoS HORMONAIS/ESTROGÉNIO: Etinilestradiol, noretindrona: Devem ser usados métodos adicionais de contraceção não hormonal aquando da administração concomitante de Contraceptivos hormonais e telaprevir. Os doentes que utilizam estrogénios como terapêutica de substituição hormonal devem ser monitorizados clinicamente relativamente a sinais de deficiência de estrogénio. - Etinilestradiol + Noretisterona
Usar com precaução

Telaprevir Ciclosporina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: IMUNOSSUPRESSORES: Ciclosporina, tacrolimus, sirolimus: Serão necessárias reduções acentuadas das doses dos imunossupressores com ou sem prolongamento dos intervalos entre dose. Recomenda-se uma monitorização rigorosa dos níveis sanguíneos de imunossupressores, função renal, e efeitos secundários relacionados com imunossupressores aquando da administração concomitante com telaprevir. Tacrolimus pode prologar o intervalo QT. - Ciclosporina
Usar com precaução

Telaprevir Sirolímus

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: IMUNOSSUPRESSORES: Ciclosporina, tacrolimus, sirolimus: Serão necessárias reduções acentuadas das doses dos imunossupressores com ou sem prolongamento dos intervalos entre dose. Recomenda-se uma monitorização rigorosa dos níveis sanguíneos de imunossupressores, função renal, e efeitos secundários relacionados com imunossupressores aquando da administração concomitante com telaprevir. Tacrolimus pode prologar o intervalo QT. - Sirolímus
Usar com precaução

Telaprevir Tacrolímus

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: IMUNOSSUPRESSORES: Ciclosporina, tacrolimus, sirolimus: Serão necessárias reduções acentuadas das doses dos imunossupressores com ou sem prolongamento dos intervalos entre dose. Recomenda-se uma monitorização rigorosa dos níveis sanguíneos de imunossupressores, função renal, e efeitos secundários relacionados com imunossupressores aquando da administração concomitante com telaprevir. Tacrolimus pode prologar o intervalo QT. - Tacrolímus
Não recomendado/Evitar

Telaprevir Salmeterol

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: AGONISTA BETA INALADO: Salmeterol: Não se recomenda a administração concomitante de salmeterol e telaprevir. A associação pode resultar num risco aumentado de acontecimentos adversos cardiovasculares associados ao salmeterol, incluindo o prolongamento QT, palpitações e taquicardia sinusal. - Salmeterol
Usar com precaução

Telaprevir Metadona

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANALGÉSICO NARCÓTICO: Metadona: Não é necessário qualquer ajuste de dose de metadona no início da administração concomitante de telaprevir. Contudo, recomenda-se monitorização clínica, uma vez que a dose de metadona durante a terapêutica de manutenção pode necessitar de ajuste em alguns doentes. Foram notificados prolongamento do intervalo QT e Torsade de Pointes com metadona. O ECG deve ser monitorizado no início e regularmente durante o tratamento com telaprevir. - Metadona
Sem efeito descrito

Telaprevir Buprenorfina

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANALGÉSICO NARCÓTICO: Buprenorfina: Não é necessário ajuste de dose de buprenorfina quando administrada concomitante com telaprevir. - Buprenorfina
Não recomendado/Evitar

Telaprevir Tadalafil

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: INIBIDORES DA PDE-5: Sildenafil, tadalafil, vardenafil: A administração concomitante de sildenafil e vardenafil com telaprevir não é recomendada. INIBIDORES DA PDE-5: Tadalafil, para o tratamento da disfunção eréctil pode ser utilizado com precaução, em dose única não excedendo a dose de 10 mg em 72 horas e com monitorização acrescida para os acontecimentos adversos associados a tadalafil. A administração concomitante de sildenafil ou tadalafil e telaprevir no tratamento da hipertensão arterial pulmonar é contra-indicada. - Tadalafil
Não recomendado/Evitar

Telaprevir Vardenafil

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: INIBIDORES DA PDE-5: Sildenafil, tadalafil, vardenafil: A administração concomitante de sildenafil e vardenafil com telaprevir não é recomendada. - Vardenafil
Sem efeito descrito

Telaprevir Esomeprazol

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: INIBIDORES DA BOMBA DE PROTÕES: Esomeprazol: Os inibidores da bomba de protões podem ser usados sem alteração da dose. - Esomeprazol
Sem efeito descrito

Telaprevir Inibidores da Bomba de Protões (IBP)

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: INIBIDORES DA BOMBA DE PROTÕES: Esomeprazol: Os inibidores da bomba de protões podem ser usados sem alteração da dose. - Inibidores da Bomba de Protões (IBP)
Usar com precaução

Telitromicina Telaprevir

Observações: Os estudos de interacção foram apenas realizados em adultos.
Interacções: Efeito do Telitromicina nos outros medicamentos: Deve tomar-se precaução quando o Telitromicina é administrado com outros medicamentos com potencial para prolongar o intervalo QT. Estes incluem antiarrítmicos de Classe IA (ex., quinidina, procainamida, disopiramida) e antiarrítmicos de Classe III (ex., dofetilida, amiodarona), citalopram, antidepressivos tricíclicos, metadona, alguns psicotrópicos (ex. fenotiazidas), fuoroquinolonas (ex. moxifloxacina), alguns antifúngicos (ex. fluconazol, pentamidina), e alguns medicamentos antivirais (ex., telaprevir). - Telaprevir
Não recomendado/Evitar

Tipranavir Telaprevir

Observações: Os estudos de interacção apenas foram realizados em adultos.
Interacções: MEDICAMENTOS ANTI-INFECCIOSOS: Agentes anti-VHC: Telaprevir Não foi realizado qualquer estudo de interacção. O telaprevir é metabolizado no fígado pelo CYP3A e um substrato da glicoproteína-P (gp-P), mas podem estar envolvidas no seu metabolismo outras enzimas. Quando o Tipranavir/ritonavir é co-administrado com telaprevir, pode esperar-se uma diminuição ou aumento da exposição ao telaprevir. Existe um efeito heterogéneo de telaprevir nos níveis plasmáticos dos inibidores da protease potenciados por ritonavir, dependendo destes inibidores. Deste modo, não pode ser excluída alteração da exposição ao Tipranavir. A co-administração de telaprevir com Tipranavir/ritonavir não é recomendada. - Telaprevir
Contraindicado

Cariprazina Telaprevir

Observações: n.d.
Interacções: Potencial de outros medicamentos para afectar a cariprazina: O metabolismo da cariprazina e dos seus principais metabólitos ativos, a desmetil cariprazina (DCAR) e a didesmetil cariprazina (DDCAR), é maioritariamente mediado pela CYP3A4 com um contributo menor da CYP2D6. Inibidores da CYP3A4: O cetoconazol, um forte inibidor da CYP3A4, provocou um aumento duas vezes superior na exposição plasmática à cariprazina total (soma da cariprazina e dos seus metabólitos ativos) durante uma co-administração de curta duração (4 dias), considerando-se tanto as frações não ligadas ou não ligadas+ligadas. Devido à longa semivida das frações activas da cariprazina, pode esperar-se um aumento adicional da exposição plasmática à cariprazina total durante uma co-administração mais longa. Assim, a co-administração de cariprazina com inibidores fortes ou moderados da CYP3A4 (p. ex., boceprevir, claritromicina, cobicistate, indinavir, itraconazol, cetoconazol, nefazodona, nelfinavir, posaconazol, ritonavir, saquinavir, telaprevir, telitromicina, voriconazol, diltiazem, eritromicina, fluconazol, verapamilo) é contra-indicada. O consumo de sumo de toranja deve ser evitado. - Telaprevir
Não recomendado/Evitar

Darunavir + Cobicistate + Emtricitabina + Tenofovir alafenamida Telaprevir

Observações: Não foram realizados estudos de interacção farmacológica com este medicamento. As interações que foram identificadas em estudos com componentes individuais de este medicamento, isto é, com darunavir (em associação uma dose baixa de ritonavir), cobicistate, emtricitabina ou tenofovir alafenamida, determinam as interações que podem ocorrer com este medicamento. As interações esperadas entre Darunavir + Cobicistate + Emtricitabina + Tenofovir alafenamida e potenciais medicamentos concomitantes são baseadas em estudos realizados com os componentes deste medicamento, como agentes individuais ou em associação, ou são interações medicamentosas potenciais que podem ocorrer. Os ensaios de interacção com os componentes de este medicamento foram realizados apenas em adultos.
Interacções: ANTIVIRAIS QUE ATUAM DIRETAMENTE NO VÍRUS DA HEPATITE C (VHC) Inibidores da NS3-4A Boceprevir Telaprevir Tendo por base considerações teóricas, estes antivirais podem diminuir as concentrações plasmáticas de darunavir e/ou cobicistate e prejudicar a activação intracelular e a eficácia antiviral clínica de tenofovir alafenamida. este medicamento pode reduzir as concentrações plasmáticas destes antivirais. A administração concomitante de este medicamento com boceprevir ou telaprevir não é recomendada. - Telaprevir
Não recomendado/Evitar

Talazoparib Telaprevir

Observações: Talazoparib é um substrato da P-gp e da proteína resistente ao cancro da mama (BCRP), que são transportadoras de fármacos, e é eliminado principalmente por depuração renal sob a forma de composto inalterado.
Interacções: Agentes que podem afectar as concentrações plasmáticas de talazoparib Inibidores da P-gp Os dados de um estudo de interacção medicamentosa em doentes com tumores sólidos avançados indicaram que a administração concomitante de doses múltiplas diárias de um inibidor da P-gp, itraconazol 100 mg duas vezes por dia com uma dose única de 0,5 mg de talazoparib aumentou a exposição total ao talazoparib (AUCinf) e a concentração máxima (Cmax) em aproximadamente 56% e 40%, respectivamente, comparativamente a uma dose única de 0,5 mg de talazoparib administrada em monoterapia. A análise farmacocinética (FC) populacional também demonstrou que a utilização concomitante de inibidores potentes da P-gp aumentou a exposição a talazoparib em 45% comparativamente ao talazoparib administrado em monoterapia. A utilização concomitante de inibidores potentes da P-gp (incluindo, mas não limitado a amiodarona, carvedilol, claritromicina, cobicistate, darunavir, dronedarona, eritromicina, indinavir, itraconazol, cetoconazol, lapatinib, lopinavir, propafenona, quinidina, ranolazina, ritonavir, saquinavir, telaprevir, tipranavir e verapamilo) deve ser evitada. Se a administração concomitante com um inibidor potente da P- gp for inevitável, a dose de Talazoparib deve ser reduzida. - Telaprevir
Usar com precaução

Polatuzumab vedotina Telaprevir

Observações: Não foram realizados estudos formais de interacção farmacológica com polatuzumab vedotina em humanos.
Interacções: Com base na simulação farmacocinética baseada em fisiologia (PBPK) de MMAE libertado de polatuzumab vedotina, inibidores potentes do CYP3A4 e gp-P (ex. cetoconazol) podem aumentar a área sob a curva da concentração-tempo (AUC) de MMAE não conjugado em 48%. É recomendada precaução no caso de tratamento concomitante com um inibidor do CYP3A4. Os doentes que recebam concomitantemente inibidores potentes do CYP3A4 (ex. boceprevir, claritromicina, cobicistate, indinavir, itraconazol, nefazodona, nelfinavir, posaconazol, ritonavir, saquinavir, telaprevir, telitromicina, voriconazol) devem ser alvo de vigilância mais apertada quanto ao aparecimento de sinais de toxicidade. - Telaprevir
Usar com precaução

Glasdegib Telaprevir

Observações: n.d.
Interacções: Efeitos de outros medicamentos na farmacocinética de glasdegib In vitro, o CYP3A4 é responsável pela maior parte da depleção de glasdegib e contribuiu para a formação de outros metabólitos oxidativos menores, com o CYP2C8 e a UGT1A9 a desempenharemuma função inferior no metabolismo de glasdegib. Substâncias que podem aumentar a concentração plasmática de glasdegib Inibidores do CYP3A4 O cetoconazol, um inibidor potente do CYP3A4, numa dose de 400 mg uma vez por dia durante 7 dias, aumentou a média da área sob a curva (AUCinf) em ~2,4-vezes e a concentração plasmática máxima (Cmax) em 40% de uma dose única oral de 200 mg de glasdegib em indivíduos saudáveis. Deve-se ter cuidado ao administrar concomitantemente com inibidores potentes do CYP3A4 (por ex., boceprevir, cobicistate, conivaptan, itraconazol, cetoconazol, posaconazol, telaprevir, troleandomicina, voriconazol, ritonavir, toranja ou sumo de toranja) uma vez que pode ocorrer um aumento da concentração plasmática de glasdegib. Se possível, recomenda-se um medicamento concomitante alternativo sem potencial de inibição ou com potencial de inibição mínimo do CYP3A4. - Telaprevir
Não recomendado/Evitar

Acalabrutinib Telaprevir

Observações: Acalabrutinib e o seu metabolito activo são metabolizados principalmente pela enzima 3A4 do citocromo P450 (CYP3A4), e ambas as substâncias são substratos para a P-gp e a proteína de resistência do cancro da mama (BCRP).
Interacções: Substâncias activas que podem aumentar as concentrações plasmáticas de acalabrutinib Inibidores da CYP3A/P-gp A administração concomitante com um inibidor forte da CYP3A/P-gp (200 mg de itraconazol uma vez ao dia durante 5 dias) aumentou a Cmax e AUC de acalabrutinib em 3,9 vezes e 5,0 vezes em indivíduos saudáveis (N=17), respetivamente. A utilização concomitante com inibidores fortes da CYP3A/P-gp deve ser evitada. Se os inibidores fortes da CYP3A/P-gp (e.g., cetoconazol, conivaptan, claritromicina, indinavir, itraconazol, ritonavir, telaprevir, posaconazol, voriconazol) forem utilizados a curto prazo, o tratamento com Acalabrutinib deve ser interrompido. - Telaprevir
Usar com precaução

Fostamatinib Telaprevir

Observações: n.d.
Interacções: Efeitos de outros medicamentos no fostamatinib Outros medicamentos com forte potencial de inibição do CYP3A4 quando co-administrados com fostamatinib: boceprevir, cobicistate, conivaptan, danoprevir e ritonavir, elvitegravir e ritonavir, sumo de toranja, indinavir e ritonavir, itraconazol, cetoconazol, lopinavir e ritonavir, paritaprevir e ritonavir e (ombitasvir e/ou dasabuvir), posaconazol, ritonavir, saquinavir e ritonavir, telaprevir, tipranavir e ritonavir, troleandomicina, voriconazol, claritromicina, diltiazem, idelalisib, nefazodona, nelfinavir. - Telaprevir
Não recomendado/Evitar

Relugolix + Estradiol + Noretisterona Telaprevir

Observações: As recomendações relativas a interacções com este medicamento baseiam-se nas avaliações de interacções para os componentes individuais.
Interacções: Relugolix Inibidores orais da glicoproteína-P (gp-P): A utilização concomitante de este medicamento com inibidores orais da gp-P não é recomendada. Relugolix é um substrato da gp-P e, num estudo de interacção com eritromicina, um inibidor da gp-P e um inibidor moderado do citocromo P450 (CYP) 3A4, a área sob a curva (AUC) e a concentração máxima (Cmáx) de relugolix aumentaram ambas 6,2 vezes. A utilização concomitante de inibidores da gp-P pode aumentar a exposição de relugolix, incluindo determinados medicamentos anti-infecciosos (por ex., eritromicina, claritromicina, gentamicina, tetraciclina), medicamentos antifúngicos (cetoconazol, itraconazol), medicamentos anti-hipertensivos (por ex., carvedilol, verapamil), medicamentos antiarrítmicos (por ex., amiodarona, dronedarona, propafenona, quinidina), medicamentos antianginosos (por ex., ranolazina), ciclosporina, inibidores da protease do vírus da imunodeficiência humana (VIH) ou do vírus da hepatite C (VHC) (por ex., ritonavir, telaprevir). Se não for possível evitar a utilização concomitante de inibidores orais da gp-P uma ou duas vezes por dia (por ex., azitromicina), tome este medicamento primeiro e separe a dose do inibidor da gp-P em pelo menos 6 horas e monitorize as doentes mais frequentemente para detectar reacções adversas. Indutores fortes do citocromo P450 3A4 (CYP3A4) e/ou da gp-P: A co-administração de este medicamento com indutores fortes do CYP3A4 e/ou da gp-P não é recomendada. Num estudo de interacção clínica com rifampicina, um indutor forte do CYP3A4 e da gp-P, a Cmax e a AUC de relugolix foram reduzidas em 23% e 55%, respectivamente. Medicamentos que causem uma indução forte do CYP3A4 e/ou da gp-P, como anticonvulsivantes (por ex., carbamazepina, topiramato, fenitoína, fenobarbital, primidona, oxcarbazepina, felbamato), medicamentos anti-infecciosos (por ex., rifampicina, rifabutina, griseofulvina); hipericão (Hypericum perforatum); bosentano e inibidores da protease do VIH ou do VHC (por ex., ritonavir, boceprevir, telaprevir) e inibidores não nucleosídeos da transcriptase reversa (por ex., efavirenz), podem reduzir as concentrações plasmáticas de relugolix e podem resultar numa diminuição dos efeitos terapêuticos. Estradiol e acetato de noretisterona Indutores da enzima do CYP: O metabolismo de estrogénios e progestagénios pode ser aumentado pela utilização concomitante de substâncias que se sabe induzirem as enzimas metabolizadoras de fármacos, especificamente as enzimas do citocromo P450, tais como anticonvulsivantes (por ex., fenobarbital, fenitoína, carbamazepina) e medicamentos anti-infecciosos (por ex., rifampicina, rifabutina, neviparina, efavirenz). Ritonavir, telaprevir e nelfinavir, embora sejam conhecidos como inibidores fortes, são também indutores e podem diminuir a exposição de estrogénios e progestagénios. Preparações à base de plantas contendo hipericão (Hypericum perforatum) podem induzir o metabolismo de estrogénios e progestagénios. Clinicamente, um aumento do metabolismo do estrogénio pode levar a redução da eficácia no que diz respeito à protecção da perda óssea. Assim, não é recomendada a utilização concomitante prolongada de indutores de enzimas hepáticas com este medicamento. - Telaprevir
Usar com precaução

Drospirenona Telaprevir

Observações: n.d.
Interacções: Foram descritas na literatura as seguintes interacções (principalmente com contraceptivos combinados, mas ocasionalmente também com pílulas só com progestagénio). Substâncias com efeito variável na depuração de hormonas contraceptivas: Quando administrados concomitantemente com hormonas sexuais, muitas associações de inibidores da protease do VIH (por exemplo, ritonavir, nelfinavir) e análogos não nucleosídeos inibidores da transcriptase reversa (por exemplo, nevirapina, efavirenz) e/ou associações com medicamentos para vírus da Hepatite C (VHC) (por exemplo, boceprevir, telaprevir), pode aumentar ou diminuir as concentrações plasmáticas de progestinas. O efeito total dessas alterações pode ser clinicamente relevante em alguns casos. As informações de prescrição de medicamentos VIH / VHC concomitantes devem portanto ser consultadas para identificar possíveis interacções e quaisquer recomendações relacionadas. Em caso de dúvida, deve ser utilizado um método contraceptivo de barreira adicional por mulheres em terapia com inibidor da protesae ou inibidor da transcriptase reversa não-nucleosídeo. - Telaprevir
Usar com precaução

Zanubrutinib Telaprevir

Observações: n.d.
Interacções: Inibidores fortes do CYP3A A co-administração de várias doses de itraconazol (inibidor forte de CYP3A) aumentou a Cmax de zanubrutinib em 2,6 vezes e AUC em 3,8 vezes em indivíduos saudáveis. Se tiver de ser utilizado um inibidor forte do CYP3A (p. ex., posaconazol, voriconazol, cetoconazol, itraconazol, claritromicina, indinavir, lopinavir, ritonavir, telaprevir), reduzir a dose de Zanubrutinib para 80 mg (uma cápsula) durante a utilização do inibidor. Monitorizar os doentes de perto quanto a toxicidade e seguir as orientações de modificação da dose, conforme necessário. Inibidores moderados do CYP3A As simulações de farmacocinética baseadas fisiologicamente indicam que a co-administração de doses múltiplas de um inibidor moderado de CYP3A pode aumentar a Cmax e AUC de zanubrutinib em aproximadamente 2 vezes. Se tiver de ser utilizado um inibidor moderado do CYP3A (p. ex., eritromicina, ciprofloxacina, diltiazem, dronedarona, fluconazol, verapamilo, aprepitant, imatinib, sumo de toranja, laranjas-amargas), reduzir a dose de Zanubrutinib para 160 mg (duas cápsulas) durante a utilização do inibidor. Monitorizar os doentes de perto quanto a toxicidade e seguir as orientações de modificação da dose, conforme necessário. - Telaprevir
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções do Telaprevir
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Telaprevir não é recomendado durante a gravidez e em mulheres com potencial para engravidar que não utilizam contraceptivos.

As doentes com potencial para engravidar e respetivos parceiros, bem como os doentes do sexo masculino e respetivas companheiras, devem usar 2 métodos contraceptivos eficazes durante e após o tratamento com Telaprevir.

Os contraceptivos hormonais podem ser administrados mas podem não ser fiáveis durante o tratamento com Telaprevir e até dois meses após terminar o tratamento.

Durante este período as mulheres com potencial para engravidar devem usar 2 métodos contraceptivos não hormonais.

Dois meses após terminar o tratamento com Telaprevir, os contraceptivos hormonais são novamente apropriados como um dos dois métodos necessários para o controlo da natalidade.

A amamentação deve ser descontinuada antes do início da terapêutica com Telaprevir.

Foram notificados casos de síncope e retinopatia em alguns doentes a tomar Telaprevir e isto deve ser considerado na avaliação sobre a capacidade do doente de conduzir e utilizar máquinas.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Novembro de 2021