Tacrina

DCI com Advertência na Gravidez
O que é
A Tacrina é um inibidor de colinesterase centricamente ativo que tem sido usado para contrariar os efeitos dos relaxantes musculares, como estimulante respiratório, e para o tratamento da doença de Alzheimer e outras desordens do sistema nervoso central.
Usos comuns
A Tacrina é usada para tratar a demência ligeira a moderada causada pela doença de Alzheimer.
Tipo
pequena molécula
História
Sem informação.
Indicações
Para o tratamento paliativo da demência de Alzheimer do tipo ligeira a moderada.
Classificação CFT
n.d.     n.d.
Mecanismo De Ação
O mecanismo de Tacrina não é completamente conhecido, mas sugere-se que o fármaco é um agente inibidor da colinesterase que se liga reversivelmente com a colinesterases e a inativa.

Isto inibe a hidrólise da acetilcolina libertada a partir do funcionamento dos neurónios colinérgicos, conduzindo assim a uma acumulação de acetilcolina em sinapses colinérgicas.

O resultado é um efeito prolongado de acetilcolina.
Posologia Orientativa
Dose adulta usual para a doença de Alzheimer:
Dose inicial: 10 mg por via oral, 4 vezes ao dia (entre as refeições, se possível) durante 6 semanas.

Dose de manutenção: pode aumentar para 20 mg por via oral, 4 vezes ao dia.

Outros aumentos de 120 mg e 160 mg / dia pode ser feito em intervalos de 6 semanas.
Administração
Administrar entre as refeições.
Contraindicações
Não use a Tacrina se:
– é alérgico a qualquer ingrediente em Tacrina
– tem excesso de bilirrubina no sangue
– tem sintomas de uma reação alérgica (por exemplo, febre, erupções cutâneas), juntamente com os testes de função hepática anormais
– já tomou Tacrina e desenvolveu amarelecimento da pele ou dos olhos.

Contacte o seu Médico ou Profissional de Saúde imediatamente se algum destes casos se aplicar a si.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Obtenha ajuda médica de emergência se tiver algum destes sinais de reação alérgica: urticária, dificuldade em respirar, inchaço do rosto, lábios, língua ou garganta.

Chame o seu Médico imediatamente se tiver algum destes efeitos secundários graves:
– Confusão, alucinações;
– Mudanças extremas ou bruscas de comportamento;
– Apreensão (convulsões);
– Dor ou ardor ao urinar, ou
– Náuseas, dor de estômago, febre baixa, perda de apetite, urina escura, fezes cor de barro, icterícia (amarelamento da pele ou olhos).

Efeitos secundários menos graves de Tacrina incluem:
– Náuseas ligeiras, vómitos, diarreia, dor de estômago;
– Perda de peso;
– Urinar mais do que o habitual;
– Agitação, humor deprimido;
– Erupção cutânea, aumento da transpiração;
– Febre ou calafrios, coriza, tosse;
– Tonturas, sonolência, sensação de cansaço;
– Dor articular ou muscular;
– Fraqueza, falta de coordenação.

Efeitos secundários para além dos aqui listados aqui também podem ocorrer.
Converse com seu Médico sobre qualquer efeito colateral que pareça invulgar ou que seja demasiadamente incómodo.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Todos os trimestres: C - Não há estudos adequados em mulheres. Em experiências animais ocorreram alguns efeitos colaterais no feto, mas o benefício do produto pode justificar o risco potencial durante a gravidez.
Precauções Gerais
É importante que o seu Médico verifique o seu progresso em visitas regulares. Além disso, deve testar o sangue a cada duas semanas, pelo menos nos primeiros 4 a 16 semanas, quando começar a usar Tacrina para ver se está a afetar o fígado.

Se todos os exames de sangue se mativertem normais, o paciente ainda vai precisar de fazer testes regularmente, mas, em seguida, o seu Médico pode decidir fazer os testes com menos frequência.

Informe o seu Médico se os sintomas se agravarem, ou se detetarem quaisquer novos sintomas. Antes de se submeter a qualquer tipo de cirurgia, tratamento dentário, ou de emergência, informe o Médico ou Dentista responsável que está a tomar Tacrina.

Tomar Tacrina juntamente com medicamentos que por vezes são utilizados durante a cirurgia ou nos tratamentos dentários ou de emergência pode exponenciar os efeitos destes medicamentos. Tacrina pode levar algumas pessoas a ficar tonto, desajeitado, ou instável.

Certifique-se de que sabe como reagir aos efeitos de Tacrina antes de executar tarefas que poderiam ser perigosas se ficar tonto, ou em equilíbrio instável.

Não pare de tomar Tacrina ou diminua a dose sem primeiro consultar o seu Médico. Parar a toma de Tacrina de repente ou diminuir a dose drasticamente pode causar alterações mentais ou de comportamento.

Se acha que tomou ou alguém pode ter tomado uma overdose de Tacrina, obtenha ajuda de emergência imediatamente. Tomando uma overdose de Tacrina pode levar a convulsões ou choque. Alguns sinais de choque são pupilas dilatadas, respiração irregular e pulso débil e rápido.

Outros sinais de sobredosagem são náuseas e vómitos, debilidade muscular, grande aumento da transpiração e aumento consideralvel da abertura da boca.
Cuidados com a Dieta
Evite o álcool. Administrar entre as refeições.
Terapêutica Interrompida
Tome a dose assim que se lembrar. Se for quase altura da sua próxima dose, salte a dose e tome o medicamento no horário programado. Não tome medicamento extra para compensar a dose esquecida.
Cuidados no Armazenamento
Guarde a Tacrina entre 20 e 25 graus C. Por um período breve de armazenamento, é permitido guardar a temperaturas entre 15 e 30º C.

Armazenar longe do calor, da humidade e da luz.

Não guarde na casa de banho. Mantenha a Tacrina fora do alcance de crianças e longe de animais de estimação.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Norfloxacina + Tacrina

Observações: N.D.
Interações: A norfloxacina inibe o CYP1A2 o que pode determinar o aumento das concentrações séricas de outras substâncias administradas concomitantemente e também metabolizadas por esta enzima (por exemplo, teofilina, clozapina, tacrina, ropinirol, tizanidina). Os doentes que tomam estas substâncias concomitantemente com a norfloxacina deverão ser cuidadosamente vigiados relativamente aos sinais clínicos de sobredosagem, podendo revelar-se necessária a monitorização sérica, especialmente no caso da teofilina.

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Tacrina

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos parassimpaticomiméticos (incluindo tacrina e galantimina): O uso concomitante pode aumentar o tempo de condução auriculo-ventricular e o risco de bradicardia. Bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta tópicos, incluindo gotas oftálmicas para o tratamento do glaucoma, têm efeitos aditivos sistémicos.

Fluvoxamina + Tacrina

Observações: n.d.
Interações: CYP1A2: Doentes a quem se administra concomitantemente fluvoxamina e drogas com margem terapêutica estreita metabolizadas pelo CYP1A2 (tais como tacrina, teofilina, metadona e mexiletina) devem ser cuidadosamente monitorizados e, se necessário, recomenda-se o ajustamento da dose dessas drogas.

Pefloxacina + Tacrina

Observações: N.D.
Interações: A pefloxacina inibe o CYP1A2 o que pode determinar o aumento das concentrações séricas de outras substâncias administradas concomitantemente e também metabolizadas por esta enzima (ex. teofilina, clozapina, tacrina, ropinirol, tizanidina). Os doentes que tomam estas substâncias concomitantemente com a pefloxacina deverão ser cuidadosamente vigiados relativamente aos sinais clínicos de sobredosagem, podendo revelar-se necessária a monitorização sérica, especialmente no caso da teofilina.
Tome este medicamento exatamente como foi prescrito. Não o tome em quantidades maiores, ou por mais tempo do que o recomendado pelo seu Médico.

Siga as instruções de prescrição da bula. Tome este medicamento com um copo cheio de água.

A Tacrina é mais eficaz quando tomado entre as refeições com o estômago vazio, mas pode tomá-lo com alimentos se tiver perturbações de estômago.

É importante o uso de Tacrina regularmente para obter o máximo benefício. Obtenha uma receita de reabastecimento antes de se esgotar completamente a emabalagem.

O seu Médico poderá alterar a dose para ter certeza de assim obter os melhores resultados com esta medicação. Não altere a dose Tacrina sem consultar o seu Médico.

Tomar esta medicação de forma inadequada pode levar a sérios efeitos colaterais comportamentais ou um agravamento dos sintomas de Alzheimer.

Quando começar a usar a Tacrina, pode ter efeitos colaterais menores, como náuseas, vómitos ou diarréia. Estes efeitos secundários também podem ocorrer quando a dose é alterada, ou se recomeçar a toma de Tacrina novamente depois de um tempo de paragem.

Não pare de tomar este medicamento sem primeiro falar com o seu Médico. Se parar de tomar Tacrina, de repente, a sua condição pode agravar-se. Para ter certeza que esta medicação não está a causar efeitos nocivos, terá de fazer testes ao sangue regularmente.

A função hepática também pode precisar de ser avaliada. Não perca nenhuma visita agendado ao seu Médico.

Se precisar de ser submetido a qualquer tipo de cirurgia, informar o cirurgião de que está a tomar Tacrina. Pode precisar de parar o uso do medicamento por um certo período de tempo.

Guarde a Tacrina à temperatura ambiente longe da humidade e calor.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017