Secucinumab

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI/Medicamento sujeito a Monitorização Adicional
O que é
Medicamento Biológico

Secucinumab é um anticorpo monoclonal.

Os anticorpos monoclonais são proteínas que reconhecem e se ligam especificamente a certas proteínas no organismo.

Este medicamento pertence a um grupo de medicamentos chamados inibidores das interleucinas (IL).
Este medicamento atua através da neutralização da atividade de uma proteína chamada IL-17A, que está presente em níveis aumentados em doenças tais como a psoríase.
Usos comuns
É utilizado para tratar uma doença de pele chamada psoríase em placas”, que provoca inflamação que afeta a pele.
Este medicamento reduz a inflamação e outros sintomas da doença.
Tipo
Sem informação.
História
informação não disponível.
Indicações
É indicado para o tratamento da psoríase em placas, moderada a grave, em adultos que são elegíveis para terapêutica sistémica.
Classificação CFT
n.d.     n.d.
Mecanismo De Ação
Secucinumab é um anticorpo monoclonal IgG1/k totalmente humano que se liga seletivamente e neutraliza a citocina pró-inflamatória interleucina 17A (IL-17A). Secucinumab funciona ligando-se à IL-17A e inibindo a sua interação com o recetor IL-17, que se expressa em vários tipos de células, incluindo queratinócitos. Como consequência, secucinumab inibe a libertação de citocinas pró-inflamatórias, quimiocinas e mediadores de danos nos tecidos e reduz as contribuições mediadas por IL-17
A para doenças autoimunes e inflamatórias.
Níveis clinicamente relevantes de secucinumab atingem a pele e reduzem os marcadores inflamatórios locais. Como consequência direta o tratamento com secucinumab reduz o eritema, o endurecimento e a descamação presentes nas lesões da psoríase em placas. A IL-17A é uma citocina que surge naturalmente e que está envolvida em respostas inflamatórias imunológicas.
A IL-17A desempenha um papel fundamental na patogénese da psoríase em placas e tem expressão aumentada na pele com lesões em contraste com pele sem lesões, em doentes com psoríase em placas.
Posologia Orientativa
A dose recomendada é de 300 mg de secucinumab por injeção subcutânea com dose inicial nas Semanas 0, 1, 2 e 3, seguida de uma dose de manutenção mensal iniciada na Semana 4. Cada dose de 300 mg é administrada em duas injeções subcutâneas de 150 mg.
Administração
Deverá ser utilizado sob a orientação e supervisão de um médico com experiência no diagnóstico e tratamento da psoríase.

É administrado por injeção subcutânea

Se possível, as áreas da pele com lesões de psoríase devem ser evitadas como locais de injeção.
Contraindicações
Reações de hipersensibilidade grave ao Secucinumab.
Infeção ativa, clinicamente relevante (p. ex. tuberculose ativa).
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Possível infeção grave - os sinais podem incluir:
febre, sintomas gripais, suores noturnos
sensação de cansaço ou falta de ar, tosse persistente
pele quente, vermelha e dolorosa, ou erupções dolorosas na pele com bolhas
sensação de ardor ao urinar.

Reação alérgica grave - os sinais podem incluir:
dificuldade em respirar ou engolir
pressão arterial baixa, que pode causar tonturas ou sensação de cabeça leve
inchaço da face, lábios, língua ou garganta
comichão intensa na pele, com erupções vermelhas ou altos.

Outros efeitos secundários
A maioria dos efeitos secundários seguintes são ligeiros a moderados. Se algum destes efeitos secundários se agravar, informe o seu médico, farmacêutico ou enfermeiro.

Alguns efeitos secundários são muito frequentes (podem afetar mais de 1 em 10 pessoas):
infeções do trato respiratório superior, com sintomas tais como garganta irritada e nariz entupido (nasofaringite, rinite)

Alguns efeitos secundários são frequentes (podem afetar até 1 em 10 pessoas):
feridas/ úlceras na boca/ lábios (herpes oral)
diarreia
comichão (urticária)
corrimento nasal (rinorreia)

Alguns efeitos secundários são pouco frequentes (podem afetar até 1 em 100 pessoas):
sapinhos (candidíase oral)
sinais de níveis baixos de glóbulos brancos, tais como febre, garganta irritada e úlceras na boca devido a infeções (neutropenia)
pé de atleta (tinea pedis)
infeção do ouvido externo (otite externa)
secreção ocular com comichão, vermelhidão e inchaço (conjuntivite)
Advertências
Gravidez
Gravidez:Não administrar durante a gravidez
Aleitamento
Aleitamento:Devido ao potencial de reações adversas em lactentes devido a secucinumab, a decisão sobre a possibilidade de interromper a amamentação durante o tratamento e durante pelo menos 20 semanas após o tratamento ou interromper a terapêutica com este medicamento, deve ser feita tendo em conta o benefício da amamentação para a criança e o benefício da terapêutica com este medicamento para a mulher.
Precauções Gerais
se tem atualmente uma infeção ou se tiver infeções prolongadas ou repetidas.
se tem tuberculose.
se tem doença de Crohn.
se foi vacinado recentemente ou está previsto ser vacinado durante o tratamento com este medicamento.
se está a receber qualquer outro tratamento para a psoríase como outro imunossupressor ou fototerapia com radiação ultra violeta (UV).

Este medicamento pode potencialmente causar efeitos secundários graves, incluindo infeções e reações alérgicas. Deve estar atento a sinais destas condições enquanto estiver a utilizar este medicamento.

Não é recomendado para crianças e adolescentes (menores de 18 anos), pois não foi estudado neste grupo etário
Cuidados com a Dieta
Não interfere com alimentos e bebidas.
Terapêutica Interrompida
Se tiver falhado uma injeção, fale com o seu médico.
Cuidados no Armazenamento
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Antes da reconstituição:
Conservar o frasco no frigorífico entre 2°C e 8°C.
Depois da reconstituição:
A solução pode ser administrada imediatamente ou pode ser armazenada entre 2°C a 8°C durante até 24horas.
Não congelar.
A solução deve ser administrada dentro de uma hora após ser retirada do armazenamento de 2°C a 8°C.
Este medicamento é apenas para administração única.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
informação não disponível

Secucinumab + Vacinas vivas

Observações: Não foram realizados estudos de interação em humanos. Não existe evidência direta para o papel da IL-17A na expressão de enzimas CYP 450. A formação de algumas enzimas CYP450 é suprimida pelo aumento dos níveis de citocinas durante a inflamação crónica.
Interações: Vacinas de vírus vivos atenuados não devem ser administradas simultaneamente com este medicamento.

Secucinumab + Anti-inflamatórios

Observações: Não foram realizados estudos de interação em humanos. Não existe evidência direta para o papel da IL-17A na expressão de enzimas CYP 450. A formação de algumas enzimas CYP450 é suprimida pelo aumento dos níveis de citocinas durante a inflamação crónica.
Interações: Assim, os tratamentos anti-inflamatórios, tais como com o inibidor da IL-17A secucinumab, pode resultar na normalização dos níveis de CYP450 com acompanhamento de uma menor exposição de co-medicamentos metabolizados por CYP450.

Secucinumab + Varfarina

Observações: Não foram realizados estudos de interação em humanos. Não existe evidência direta para o papel da IL-17A na expressão de enzimas CYP 450. A formação de algumas enzimas CYP450 é suprimida pelo aumento dos níveis de citocinas durante a inflamação crónica.
Interações: Assim, não pode ser excluído um efeito clinicamente relevante nos substratos CYP450 com um índice terapêutico estreito, onde a dose é ajustada individualmente (p. ex. varfarina). No início da terapêutica com secucinumab em doentes tratados com esse tipo de medicamentos, deve ser considerada a monitorização terapêutica.
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar, ou tiver tomado recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos.

Mulheres com potencial para engravidar devem usar um método contracetivo eficaz durante o tratamento e durante pelo menos 20 semanas após o tratamento.

Como medida de precaução, é preferível evitar a utilização de deste medicamento na gravidez.

As imunoglobulinas são excretadas no leite humano e não se sabe se secucinumab é absorvido sistemicamente após a ingestão. Devido ao potencial de reações adversas em lactentes devido a secucinumab, a decisão sobre a possibilidade de interromper a amamentação durante o tratamento e durante pelo menos 20 semanas após o tratamento ou interromper a terapêutica com este medicamento, deve ser feita tendo em conta o benefício da amamentação para a criança e o benefício da terapêutica com este medicamento para a mulher.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017