Salmeterol

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência no Dopping
O que é
O salmeterol é fármaco beta2-adrenérgico agonista do recetor de ação prolongada que está actualmente prescrito para o tratamento da asma e doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC).
Usos comuns
O tratamento da asma em combinação com outra de longo prazo medicamento de controle da asma (por exemplo, corticosteróides inalados).

Também pode ser usado para prevenir problemas respiratórios em certos doentes, incluindo doentes com asma nocturna ou problemas respiratórios causados ​​pelo exercício.

Pode ser usado para o tratamento a longo prazo da doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC).

Também pode ser usado para outras condições, tal como determinado pelo médico.

O salmeterol é um broncodilatador beta-agonista de longa duração.

Funciona através do alargamento das vias aéreas nos pulmões, o que ajuda-lo a respirar mais facilmente.
Tipo
pequena molécula
História
Salmeterol, comercializado e fabricado pela GlaxoSmithKline, na década de 1980 e foi lançado como Serevent em 1990.

O produto é comercializado pela GSK sob a marca Allen & Hanburys no Reino Unido.

Em novembro de 2005, os EUA Food and Drug Administration lançou um comunicado de saúde, alertando o público para os resultados que mostram o uso de β2-agonistas de longa ação pode levar ao agravamento dos sintomas e, em alguns casos, a morte.

Embora o uso de LABA inalados ainda são recomendados em diretrizes de asma para o melhor controle dos sintomas, outras preocupações foram levantadas por um grande meta-análise dos resultados obtidos a partir de 19 estudos com 33.826 participantes, que salmeterol pode aumentar os riscos de morte por asma, e este risco adicional não é reduzida com o uso adicional de corticosteroides inalatórios (por exemplo, como acontece com a combinação de fluticasona/salmeterol).

Isso parece ocorrer porque apesar de LABA alivia os sintomas da asma, como também promover a inflamação brônquica e sensibilidade sem aviso prévio.
Indicações
Tratamento da asma, incluindo asma noturna e profilaxia do broncospasmo induzido pelo exercício físico, bronquite crónica e enfisema.

Em ataques severos com brocospasmo pode ser utilizada a forma injetável.
Classificação CFT

5.1.1 : Agonistas adrenérgicos beta

Mecanismo De Ação
A longa, cadeia lateral lipofílica do Salmeterol liga-se a exosítios próximos beta (2) recetores nos pulmões e no músculo liso brônquico, permitindo que a parte ativa da molécula para permanecer no local do recetor, de ligação e de libertação contínua. Beta (2) a estimulação do recetor no pulmão provoca o relaxamento do músculo liso brônquico, broncodilatação e aumento do fluxo de ar brônquico.
Posologia Orientativa
Não se recomenda o tratamento de crianças abaixo dos 4 anos.

Adultos - Asma: 50 mg (2 inalações ou 1 cápsula), 2 vezes/dia (obstrução ligeira ou moderada e asma nocturna); 100 mg (4 inalações ou 2 cápsulas), 2 vezes/dia (situações de obstrução grave).

Crianças - Inalação de pó e aerossole: > 4 anos: 50 mg (2 inalações ou 1 cápsula), 2 vezes/dia.
Broncospasmo induzido pelo exercício físico: 50 mg, 30-60 minutos antes do exercício.
Asma atópica: 50 mg/dia.
Ataques severos com broncospasmo: perfusão de 5 mg em 500 ml dando 3 a 5 mg/min.
Administração
Via inalatória.
Contraindicações
Hipersensibilidade a qualquer componente; doença coronária, outras doenças cardiovasculares, arritmias, hipertensão, hipertiroidismo, hipocaliemia, diabetes, gravidez e aleitamento.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Tremor (principalmente das mãos), agitação, nervosismo, palpitações, cefaleias, taquicardia e arritmias. Reações de hipersensibilidade incluindo broncospasmo paradoxal, urticária e angioedema têm sido descritas. Situações de hipocaliemia podem estar associadas à utilização de doses elevadas de agonistas beta-2.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Não se dispõe de dados suficientes para fazer uma avaliação; o uso só deve ser considerado se o benefício esperado para a mãe for superior ao possível risco para o feto. Risco fetal desconhecido, por falta de estudos alargados.
Aleitamento
Aleitamento:Presente no leite; recomenda-se controlar o lactente; seguro nas doses usuais – a quantidade presente no leite após inalação é provavelmente muito pequena para ser perigosa.
Dopping
Dopping:Beta-2 Agonistas. Exepto: quando administrado por via inalatória de acordo com o regime terapêutico recomendado pelo fabricante.
Precauções Gerais
– Instrua os pacientes a ler o guia de medicação antes de iniciar o tratamento e com cada recarga.

– Instruir o paciente sobre o armazenamento, manuseio e uso do inalador de pó seco, referindo-se ao folheto informativo que acompanha o medicamento.

– Aconselhe o paciente que a medicação nunca deve ser administrado com um espaçador.

– Alertar o paciente para não exceder a dose prescrita. Informar o paciente que a medicação ainda é inalado, mesmo se não for provado ou sentiu quando entregue.

– Instruir o paciente para não interromper a medicação assim que os sintomas foram controlados. Uso diário contínuo é necessário continuar o controle dos sintomas.

– Aconselhe o paciente não mudar a dose ou interromper o uso, a menos que aconselhado pelo médico.

– Alertar o paciente para não usar outros produtos que contenham salmeterol ou outros broncodilatadores de longa duração durante o uso de salmeterol.

– Alertar o paciente que o salmeterol é um medicamento de manutenção e não é para ser utilizado para o tratamento de um ataque agudo de asma.

Broncodilatador de curta ação deve ser usado para obter alívio rápido dos sintomas de asma.

– Aconselhe o paciente a usar salmeterol para a prevenção da asma induzida por exercício (AIE) a tomar medicação pelo menos 30 minutos antes do exercício e esperar 12 horas antes de usar novamente.

– Aconselhe o paciente que a medicação não substitui os corticosteróides inalados ou orais e de continuar a usar como prescrito pelo médico.

– Aconselhe o paciente para não aumentar a dose e para informar médico se os sintomas não melhorarem ou piorarem, se são necessárias mais inalações do que o habitual do broncodilatador de curta ação ou se o broncodilatador de curta ação parece menos eficaz.

– Aconselhe o paciente para a realização de identificação médica (por exemplo, cartão, pulseira) caso ocorram ataques de asma graves agudos que exijam tratamento sistémico rápido.

– Aconselhe o paciente para relatar os seguintes sintomas ao médico: dor no peito, nervosismo, palpitações, tosse persistente, ritmo cardíaco acelerado, dor de garganta ou boca, tremor, agravamento dos sintomas de asma.
Cuidados com a Dieta
Sem informação.
Terapêutica Interrompida
Use a medicação logo que se lembrar, em seguida, esperar 12 horas antes de usar o medicamento novamente. Ignorar a dose esquecida se for quase hora da sua próxima dose. Não use medicamento extra para compensar a dose esquecida.
Cuidados no Armazenamento
Conservar salmeterol à temperatura ambiente, entre 20° e 25° C). Guarde salmeterol, longe do calor, humidade e luz solar direta. Deite fora o salmeterol seis semanas após ter sido removido da embalagem de alumínio. Mantenha salmeterol fora do alcance de crianças e longe de animais de estimação.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Saquinavir + Salmeterol

Observações: A maioria dos estudos de interação medicamentosa com saquinavir foi desenvolvida com saquinavir não potenciado ou com saquinavir cápsulas moles não potenciado. Um número reduzido de estudos foi desenvolvido com saquinavir potenciado com ritonavir ou com saquinavir cápsulas moles potenciado com ritonavir. Os dados obtidos a partir dos estudos de interação medicamentosa realizados com saquinavir não potenciado podem não ser representativos dos efeitos observados com a terapêutica de saquinavir/ritonavir. Adicionalmente, os resultados observados com saquinavir cápsulas moles podem não ser preditivos relativamente à magnitude destas interações com saquinavir/ritonavir.
Interações: Medicamentos que são substrato da glicoproteína-P: Agonista adrenérgico beta-2 de longa duração: Salmeterol: Prevê-se que o uso concomitante de salmeterol e saquinir/ritonavir aumente os níveis plasmáticos de salmeterol. Combinação não recomendada porque pode aumentar o risco de acontecimentos adversos cardiovasculares associados ao salmeterol, incluindo prolongamento QT, palpitações e taquicardia sinusal.

Darunavir + Salmeterol

Observações: O perfil de interação do darunavir pode variar dependendo se é utilizado o ritonavir ou o cobicistate como fármacos potenciadores. As recomendações dadas para a utilização concomitante de darunavir e outros medicamentos podem por isso variar dependendo se darunavir é potenciado com ritonavir ou com cobicistate, e é também necessária precaução durante o primeiro tempo de tratamento, se se substituir o fármaco potenciador de ritonavir para cobicistate.
Interações: BETA AGONISTAS INALADOS: Salmeterol: Não foi estudado. A utilização concomitante de salmeterol e darunavir potenciado pode aumentar a concentração plasmática de salmeterol. Não é recomendado o uso concomitante de salmeterol e Darunavir potenciado. A associação com salmeterol pode resultar no aumento do risco de acontecimentos adversos cardiovasculares, incluindo prolongamento do intervalo QT, palpitações e taquicardia sinusal.

Darunavir + Cobicistate + Emtricitabina + Tenofovir alafenamida + Salmeterol

Observações: Não foram realizados estudos de interação farmacológica com este medicamento. As interações que foram identificadas em estudos com componentes individuais de este medicamento, isto é, com darunavir (em associação uma dose baixa de ritonavir), cobicistate, emtricitabina ou tenofovir alafenamida, determinam as interações que podem ocorrer com este medicamento. As interações esperadas entre Darunavir + Cobicistate + Emtricitabina + Tenofovir alafenamida e potenciais medicamentos concomitantes são baseadas em estudos realizados com os componentes deste medicamento, como agentes individuais ou em associação, ou são interações medicamentosas potenciais que podem ocorrer. Os ensaios de interação com os componentes de este medicamento foram realizados apenas em adultos.
Interações: AGONISTAS BETA INALADOS Salmeterol Tendo por base considerações teóricas, é expectável que DRV/COBI aumente as concentrações plasmáticas de salmeterol. (inibição do CYP3A) A utilização concomitante de salmeterol e este medicamento não é recomendada. A associação pode resultar num risco aumentado de acontecimentos adversos cardiovasculares com salmeterol, incluindo prolongamentodo intervalo QT, palpitações e taquicardia sinusal.

Ritonavir + Salmeterol

Observações: n.d.
Interações: Efeitos do Ritonavir nos Medicamentos Não Antirretrovirais Coadministrados: Agonistas β2 (longa ação): Salmeterol: Ritonavir inibe a CYP3A4 pelo que se prevê um aumento pronunciado nas concentrações plasmáticas de salmeterol. Por conseguinte, não se recomenda o seu uso concomitante.

Tipranavir + Salmeterol

Observações: Os estudos de interação apenas foram realizados em adultos.
Interações: Beta agonistas inalados: Salmeterol: A administração concomitante de tipranavir e ritonavir em dose baixa pode resultar num risco aumentado dos efeitos adversos cardiovasculares associados ao salmetrol, incluindo prolongamento do QT, palpitações e taquicardia sinusal. Inibição da CYP 3A4 pelo tipranavir/r. A administração concomitante de Tipranavir, coadministrado com ritonavir em dose baixa, não é recomendada.

Darunavir + Cobicistate + Salmeterol

Observações: Não foram realizados estudos de interação farmacológica com Darunavir / Cobicistate. Uma vez que Darunavir / Cobicistate contém darunavir e cobicistate, as interações que foram identificadas com darunavir (em associação uma dose baixa de ritonavir) e com cobicistate determinam as interações que podem ocorrer com Darunavir / Cobicistate. Os ensaios de interação com darunavir/ritonavir e com cobicistate apenas foram realizados em adultos.
Interações: AGONISTAS BETA INALADOS: Salmeterol: Tendo por base considerações teóricas, é expectável que Darunavir / Cobicistate aumente as concentrações plasmáticas de salmeterol. (inibição do CYP3A) A utilização concomitante de salmeterol e Darunavir / Cobicistate não é recomendada. A associação pode resultar num risco aumentado de acontecimentos adversos cardiovasculares com salmeterol, incluindo prolongamento do intervalo QT, palpitações e taquicardia sinusal.

Telaprevir + Salmeterol

Observações: Os estudos de interação só foram realizados em adultos.
Interações: AGONISTA BETA INALADO: Salmeterol: Não se recomenda a administração concomitante de salmeterol e telaprevir. A associação pode resultar num risco aumentado de acontecimentos adversos cardiovasculares associados ao salmeterol, incluindo o prolongamento QT, palpitações e taquicardia sinusal.
 Potencialmente Grave

Salmeterol + Bloqueadores beta-adrenérgicos

Observações: N.D.
Interações: Os bloqueadores beta-adrenérgicos podem atenuar ou antagonizar o efeito do salmeterol. Devem evitar-se os bloqueadores beta, selectivos e não selectivos, a não ser que haja razões de força maior para a sua utilização. A terapêutica com bloqueadores β 2 poderá provocar hipocaliemia potencialmente grave. Recomenda-se precaução em situações de asma grave, uma vez que esse efeito pode ser potenciado pela terapêutica concomitante com derivados de xantinas, corticosteróides e diuréticos.
 Potencialmente Grave

Salmeterol + XANTINAS (Derivados da Metilxantina)

Observações: N.D.
Interações: Os bloqueadores beta-adrenérgicos podem atenuar ou antagonizar o efeito do salmeterol. Devem evitar-se os bloqueadores beta, selectivos e não selectivos, a não ser que haja razões de força maior para a sua utilização. A terapêutica com bloqueadores β 2 poderá provocar hipocaliemia potencialmente grave. Recomenda-se precaução em situações de asma grave, uma vez que esse efeito pode ser potenciado pela terapêutica concomitante com derivados de xantinas, corticosteróides e diuréticos.
 Potencialmente Grave

Salmeterol + Corticosteroides

Observações: N.D.
Interações: Os bloqueadores beta-adrenérgicos podem atenuar ou antagonizar o efeito do salmeterol. Devem evitar-se os bloqueadores beta, selectivos e não selectivos, a não ser que haja razões de força maior para a sua utilização. A terapêutica com bloqueadores β 2 poderá provocar hipocaliemia potencialmente grave. Recomenda-se precaução em situações de asma grave, uma vez que esse efeito pode ser potenciado pela terapêutica concomitante com derivados de xantinas, corticosteróides e diuréticos.
 Potencialmente Grave

Salmeterol + Diuréticos

Observações: N.D.
Interações: Os bloqueadores beta-adrenérgicos podem atenuar ou antagonizar o efeito do salmeterol. Devem evitar-se os bloqueadores beta, selectivos e não selectivos, a não ser que haja razões de força maior para a sua utilização. A terapêutica com bloqueadores β 2 poderá provocar hipocaliemia potencialmente grave. Recomenda-se precaução em situações de asma grave, uma vez que esse efeito pode ser potenciado pela terapêutica concomitante com derivados de xantinas, corticosteróides e diuréticos.

Salmeterol + Inibidores do CYP3A4

Observações: N.D.
Interações: Inibidores potentes do CYP3A4: A administração concomitante de cetoconazol (400 mg via oral uma vez por dia) e salmeterol (50 microgramas por via inalatória, duas vezes por dia), em 15 indivíduos saudáveis, durante 7 dias, resultou num aumento significativo da exposição plasmática ao salmeterol (a Cmáx aumentou 1,4 vezes e a AUC 15 vezes), podendo levar a um aumento da incidência de efeitos secundários sistémicos do tratamento com salmeterol (p.ex. prolongamento do intervalo QTc e palpitações) comparativamente à monoterapia com salmeterol ou cetoconazol. Não foram observados efeitos clínicos significativos na pressão arterial, frequência cardíaca, glicemia e níveis de potássio no sangue. A administração concomitante de cetoconazol não aumentou o tempo de semi-vida de eliminação do salmeterol ou aumentou a acumulação de salmeterol em doses repetidas. A administração concomitante de cetoconazol deve ser evitada, a não ser que os benefícios sejam superiores ao potencial aumento do risco de efeitos secundários sistémicos do tratamento com salmeterol. É possível que exista um risco de interacção similar com outros inibidores potentes do CYP3A4 (p.ex. Itraconazol, telitromicina, ritonavir). Inibidores moderados do CYP3A4: A administração concomitante de eritromicina (500 mg via oral três vezes por dia) e de salmeterol (50 microgramas inalado duas vezes por dia) em 15 indivíduos saudáveis durante 6 dias, resultou num pequeno, mas não estatisticamente significativo, aumento da exposição ao salmeterol (1,4 vezes Cmax). A administração concomitante de eritromicina não foi associada a nenhum efeito adverso grave.

Salmeterol + Cetoconazol

Observações: N.D.
Interações: Inibidores potentes do CYP3A4: A administração concomitante de cetoconazol (400 mg via oral uma vez por dia) e salmeterol (50 microgramas por via inalatória, duas vezes por dia), em 15 indivíduos saudáveis, durante 7 dias, resultou num aumento significativo da exposição plasmática ao salmeterol (a Cmáx aumentou 1,4 vezes e a AUC 15 vezes), podendo levar a um aumento da incidência de efeitos secundários sistémicos do tratamento com salmeterol (p.ex. prolongamento do intervalo QTc e palpitações) comparativamente à monoterapia com salmeterol ou cetoconazol. Não foram observados efeitos clínicos significativos na pressão arterial, frequência cardíaca, glicemia e níveis de potássio no sangue. A administração concomitante de cetoconazol não aumentou o tempo de semi-vida de eliminação do salmeterol ou aumentou a acumulação de salmeterol em doses repetidas. A administração concomitante de cetoconazol deve ser evitada, a não ser que os benefícios sejam superiores ao potencial aumento do risco de efeitos secundários sistémicos do tratamento com salmeterol. É possível que exista um risco de interacção similar com outros inibidores potentes do CYP3A4 (p.ex. Itraconazol, telitromicina, ritonavir).

Salmeterol + Itraconazol

Observações: N.D.
Interações: Inibidores potentes do CYP3A4: A administração concomitante de cetoconazol (400 mg via oral uma vez por dia) e salmeterol (50 microgramas por via inalatória, duas vezes por dia), em 15 indivíduos saudáveis, durante 7 dias, resultou num aumento significativo da exposição plasmática ao salmeterol (a Cmáx aumentou 1,4 vezes e a AUC 15 vezes), podendo levar a um aumento da incidência de efeitos secundários sistémicos do tratamento com salmeterol (p.ex. prolongamento do intervalo QTc e palpitações) comparativamente à monoterapia com salmeterol ou cetoconazol. Não foram observados efeitos clínicos significativos na pressão arterial, frequência cardíaca, glicemia e níveis de potássio no sangue. A administração concomitante de cetoconazol não aumentou o tempo de semi-vida de eliminação do salmeterol ou aumentou a acumulação de salmeterol em doses repetidas. A administração concomitante de cetoconazol deve ser evitada, a não ser que os benefícios sejam superiores ao potencial aumento do risco de efeitos secundários sistémicos do tratamento com salmeterol. É possível que exista um risco de interacção similar com outros inibidores potentes do CYP3A4 (p.ex. Itraconazol, telitromicina, ritonavir).

Salmeterol + Telitromicina

Observações: N.D.
Interações: Inibidores potentes do CYP3A4: A administração concomitante de cetoconazol (400 mg via oral uma vez por dia) e salmeterol (50 microgramas por via inalatória, duas vezes por dia), em 15 indivíduos saudáveis, durante 7 dias, resultou num aumento significativo da exposição plasmática ao salmeterol (a Cmáx aumentou 1,4 vezes e a AUC 15 vezes), podendo levar a um aumento da incidência de efeitos secundários sistémicos do tratamento com salmeterol (p.ex. prolongamento do intervalo QTc e palpitações) comparativamente à monoterapia com salmeterol ou cetoconazol. Não foram observados efeitos clínicos significativos na pressão arterial, frequência cardíaca, glicemia e níveis de potássio no sangue. A administração concomitante de cetoconazol não aumentou o tempo de semi-vida de eliminação do salmeterol ou aumentou a acumulação de salmeterol em doses repetidas. A administração concomitante de cetoconazol deve ser evitada, a não ser que os benefícios sejam superiores ao potencial aumento do risco de efeitos secundários sistémicos do tratamento com salmeterol. É possível que exista um risco de interacção similar com outros inibidores potentes do CYP3A4 (p.ex. Itraconazol, telitromicina, ritonavir).

Salmeterol + Ritonavir

Observações: N.D.
Interações: Inibidores potentes do CYP3A4: A administração concomitante de cetoconazol (400 mg via oral uma vez por dia) e salmeterol (50 microgramas por via inalatória, duas vezes por dia), em 15 indivíduos saudáveis, durante 7 dias, resultou num aumento significativo da exposição plasmática ao salmeterol (a Cmáx aumentou 1,4 vezes e a AUC 15 vezes), podendo levar a um aumento da incidência de efeitos secundários sistémicos do tratamento com salmeterol (p.ex. prolongamento do intervalo QTc e palpitações) comparativamente à monoterapia com salmeterol ou cetoconazol. Não foram observados efeitos clínicos significativos na pressão arterial, frequência cardíaca, glicemia e níveis de potássio no sangue. A administração concomitante de cetoconazol não aumentou o tempo de semi-vida de eliminação do salmeterol ou aumentou a acumulação de salmeterol em doses repetidas. A administração concomitante de cetoconazol deve ser evitada, a não ser que os benefícios sejam superiores ao potencial aumento do risco de efeitos secundários sistémicos do tratamento com salmeterol. É possível que exista um risco de interacção similar com outros inibidores potentes do CYP3A4 (p.ex. Itraconazol, telitromicina, ritonavir).
 Sem significado Clínico

Salmeterol + Eritromicina

Observações: N.D.
Interações: Inibidores moderados do CYP3A4: A administração concomitante de eritromicina (500 mg via oral três vezes por dia) e de salmeterol (50 microgramas inalado duas vezes por dia) em 15 indivíduos saudáveis durante 6 dias, resultou num pequeno, mas não estatisticamente significativo, aumento da exposição ao salmeterol (1,4 vezes Cmax). A administração concomitante de eritromicina não foi associada a nenhum efeito adverso grave.

Ombitasvir + Paritaprevir + Ritonavir + Salmeterol

Observações: Os estudos de interação medicamentosa só foram realizados em adultos. Ombitasvir/Paritaprevir/Ritonavir com ou sem dasabuvir foi administrado em doses múltiplas em todos os estudos de interação medicamentosa, com exceção dos estudos de interação medicamentosa com carbamazepina, gemfibrozil e cetoconazol.
Interações: Interações entre Ombitasvir/Paritaprevir/Ritonavir com ou sem dasabuvir e outros medicamentos AGONISTAS BETA INALATÓRIOS: Salmeterol: Mecanismo: inibição do CYP3A4 Pelo ritonavir. Administrado com: Ombitasvir/Paritaprevir/Ritonavir com ou sem dasabuvir. Não estudado. A utilização concomitante está contraindicada.

Furazolidona + Salmeterol

Observações: N.D.
Interações: A utilização de furazolidona com qualquer um dos seguintes medicamentos não é geralmente recomendada, mas pode ser necessária em alguns casos. - Salbutamol (albuterol) - Altretamina - Anfetamina - Formoterol (Arformoterol) - Abacate - Bambuterol - Laranja amarga - Clenbuterol - Difenoxina - Difenoxilato - Dolasetrona - Droperidol - Efedrina - Etcorvinol - Fenoterol - Fentanilo - Formoterol - Frovatriptano - Granisetron - Guaraná - Hexoprenalina - Hidrocodona - Hidromorfona - Indacaterol - Iobenguano (123I) - Isoetarina - Kava - Levalbuterol - Alcaçuz - Lisdexanfetamina - Lorcaserina - Ma Huang - Meperidina - Metaproterenol - Metaraminol - Morfina - Naratriptano - Norepinefrina - Olodaterol - Oxicodona - Palonossetrom - Fenilefrina - Fenilpropanolamina - Pirbuterol - Procaterol - Reboxetina - Reproterol - Ritodrina - Salmeterol - Erva de São João (Hipericão) - Terbutalina - Tretoquinol - Tulobuterol - Tirosina - Vilanterol - Ziprasidona

Nelfinavir + Salmeterol

Observações: n.d.
Interações: A administração conjunta de salmeterol com nelfinavir não é recomendada. A combinação pode aumentar o risco de acontecimentos cardiovasculares adversos associados ao salmeterol, incluindo prolongamento do intervalo QT, palpitações e taquicardia sinusal.
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos

Quando usado em combinação fixa com fluticasona, importância de informar os pacientes de informações preventivas importantes sobre fluticasona.

Fornecer cópia das informações para paciente do fabricante (guia de medicação) para pacientes a tomar unicamente salmeterol ou a tomar uma combinação fixa com fluticasona com cada prescrição.

Dopping: Beta-2 Agonistas. Exepto: quando administrado por via inalatória de acordo com o regime terapêutico recomendado pelo fabricante.

Importância de instruir os pacientes a ler o guia de medicação antes do início do tratamento e cada vez que é recarregado.

Importância de informar os pacientes que os agonistas β2-adrenérgico de longa ação, incluindo salmeterol, aumenta o risco de morte por asma e pode aumentar o risco de hospitalização por asma em crianças e adolescentes.

Importância de informar os pacientes que salmeterol não deve ser o único tratamento utilizado para o tratamento da asma e só deve ser usado como tratamento adicional quando o tratamento controlador asma a longo prazo (por exemplo, corticosteroides inalados) não controlarem adequadamente os sintomas.

Importância de informar os pacientes que os controladores de asma de longa-duração deve ser continuada quando o salmeterol é adicionado ao regime de tratamento.

Importância das crianças receberem o tratamento sob supervisão de um adulto.

Importância da compreensão adequada de armazenamento, preparação e técnicas de inalação, incluindo o uso do sistema de distribuição de inalação.

Importância da adesão aos esquemas de dosagem, incluindo não alterar a dose ou frequência de uso, a menos que instruído de outra forma por um clínico.

Importância da informar o paciente que, se uma dose unicamente de salmeterol ou em combinação fixa com fluticasona for esquecida, a próxima dose deve ser tomada no momento agendado regularmente, a dose não deve ser dobrada.

Importância de todos os pacientes que estão a ser fornecidos e instruídos no uso de um tratamento de ação rápida, β2-agonistas inalados (por exemplo, o albuterol) como tratamento para os sintomas agudos (por exemplo, falta de ar).

Importância da interrupção do uso regular de ação rápida, β-agonistas orais ou inalados, ao iniciar salmeterol e tratamentos de curta ação com β-agonistas inalados para aliviar sintomas agudos (por exemplo, falta de ar).

Importância do contato com um médico se os sintomas da asma não melhorarem após 1 semana de tratamento.

Importância do contato com um médico imediatamente se o paciente experienciar diminuição da eficácia de β2-agonistas inalatórios de curta ação, a necessidade de mais inalações do que o habitual de β2-agonistas inalatórios de curta ação, ou diminuição clinicamente importante da função pulmonar (como descrito pelo médico).

Importância dos pacientes que recebem preparações que contenham salmeterol não usar salmeterol adicional ou outros agonistas β2-adrenérgicos de ação prolongada, por qualquer motivo, incluindo a prevenção de broncoespasmo induzido pelo exercício ou tratamento de asma ou DPOC.

Importância dos pacientes que recebam tratamento com corticosteroide não interromper ou alterar dosagem de corticosteroides sem consultar um médico, mesmo que o paciente se sinta melhor após o início salmeterol.

Importância de informar os pacientes que salmeterol não deve ser usado como um substituto para os corticosteroides orais ou inalatórios.

Importância de informar todos os pacientes com asma que eles também devem continuar o tratamento de manutenção regular com um corticosteroide inalado, mesmo que estejam a fazer tratamento com salmeterol.

Importância dos pacientes não interromperem o tratamento com salmeterol sem supervisão médica, uma vez que os sintomas podem reaparecer após a interrupção.

Importância da administração de salmeterol inalação de pó pelo menos 30 minutos antes do exercício para a prevenção da broncoespasmo induzido pelo exercício.

Importância de não utilizar doses adicionais de salmeterol para broncoespasmo induzido pelo exercício por 12 horas.

Importância de não usar salmeterol adicional para broncoespasmo induzido pelo exercício durante o tratamento (duas vezes por dia) com salmeterol.

Importância de informar os pacientes de efeitos adversos associados com agonistas β2-adrenérgicos, tais como palpitações, aumento da frequência cardíaca, tremores, nervosismo ou dor no peito.

Importância de informar um clínico de problemas cardíacos, pressão arterial alta, convulsões, distúrbios da tiroide, diabetes mellitus, alergias a medicamentos ou alimentos (incluindo as proteínas do leite), ou doenças hepáticas antes do início da terapia.

Importância das mulheres informar os clínicos se eles estão ou se planeiam engravidar ou planeia amamentar.

Importância de informar os clínicos do tratamento concomitante existente ou previsto, incluindo medicamentos de venda livre, vitaminas e suplementos de ervas.

Importância dos pacientes informarem sobre outras precauções importantes.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 31 de Outubro de 2019