Rilonacept

DCI com Advertência na Gravidez
O que é
Rilonacept é uma proteína de fusão dimérica que consiste em porções de IL-1R e o acessório de IL-1R, proteína ligada à porção Fc da imunoglobulina G1.

Rilonacept funciona como um inibidor de interleucina-1 e é utilizado no tratamento de CAPS, também conhecidas como Síndromes Periódicas associadas à criopirina, incluindo Síndrome familiar fria auto-inflamatória (FCAS) e Síndrome de Muckle-Wells (VCM), em adultos e crianças acima de 12 anos.
Usos comuns
Síndromes periódicas associadas à criopirina.

Gestão a longo prazo das Síndromes Periódicas associadas à criopirina (CAPS), incluindo Síndrome familiar fria autoinflamatoria (FCAS) e a Síndrome de Muckle-Wells (MWS), em adultos e crianças ≥ 12 anos de idade; designado medicamento órfão pelo FDA para uso nessas condições.

Resultados com melhorias em cada um dos cinco componentes de um escore de sintomas composto (dor nas articulações, erupção cutânea, febre ou calafrios, vermelhidão dos olhos ou dor, e fadiga).

Também resulta na diminuição da média das concentrações de reagentes de fase aguda (amiloide sérica A - AEA e proteína C-reativa - CRP).
Tipo
biotecnologia
História
Sem informação.
Indicações
Rilonacept é utilizado atualmente no tratamento da Síndrome Periódica associada à criopirina.

Em maio de 2012, um painel consultivo da FDA votou 11-0 contra o uso de Rilonacept para o tratamento da gota.
Classificação CFT

16.03 : IMUNOMODULADORES

Mecanismo De Ação
CAPS referem-se a síndromes genéticas raras, geralmente causadas por mutações no NLRP -3 [domínio Nucleotide -binding, leucina rica familiar ( NLR ), domínio pyrin contendo 3] gene (também conhecido como Cold- Induced Auto -inflamatório Syndtrome -1 [ CIAS1 ] ).

Distúrbios CAPS são herdados num padrão autossómico dominante, com descendência masculina e feminina igualmente afetadas.

Febre, erupção cutânea, urticária-like, artralgia, mialgia, fadiga e conjuntivite são caraterísticas comuns a todas as desordens.

Na maioria dos casos, a inflamação CAPS está associada a mutações no gene NLRP - 3, que codifica para a proteína criopirina, um componente importante do processo inflamatório.

Criopirina que regula a protease caspase-1, e que controla a ativação de interleucina - 1 beta ( IL - 1β ).

Mutações em NLRP - 3 resultam num processo inflamatório hiperativo, resultando em liberação excessiva de IL-1β ativado que leva a inflamação.

Rilonacept blocos de sinalização de IL - 1β: atua como um recetor chamariz solúvel que liga-se a IL - 1β e evita a sua interacção com recetores da superfície celular.

Rilonacept também liga-se a IL - 1α e IL - 1, antagonista do recetor ( IL - 1ra ) com menor afinidade.

Por IL - 1 de ligação, Rilonacet impede a ativação de recetores IL-1, reduzindo assim as respostas inflamatórias e de outros efeitos relacionados com um excesso de IL - 1.
Posologia Orientativa
Dose adulta usual para a Síndrome familiar auto-inflamatória ao frio:
Dose: 320 mg divididas em 2 aplicações de 2 ml, injeções subcutâneas de 160 mg cada, administradas no mesmo dia em dois locais diferentes.

Esta dosagem deve ser continuada com uma injeção uma vez por semana de 160 mg, em administração única de 2 ml, via subcutânea.

Rilonacept não deve ser administrado mais que uma vez por semana.

Dose adulta usual para o Síndroma de Muckle Wells:
Dose: 320 mg, divididos em 2 aplicações de 2 ml, através de injeções subcutâneas de 160 mg cada dadas no mesmo dia em dois locais diferentes.

Esta dosagem deve ser continuada com uma injeção uma vez por semana de 160 mg em administração única de 2 ml, via subcutânea.

Rilonacept não deve ser dado mais do que uma vez por semana.

Dose Usual Pediátrica para a Síndrome auto-inflamatória familiar ao frio:
Crianças com 12 anos de idade ou mais:
Dose – 4,4 mg / kg , até um máximo de 320 mg, fornecida através de uma ou duas injeções subcutâneas com um volume máximo de injeção única de 2 ml.

Se a dose inicial é administrada em duas injeções, estas devem ser dadas no mesmo dia em dois locais diferentes.

A dosagem deve ser continuada com uma injeção uma vez por semana de 2,2 mg / kg , até um máximo de 160 mg, administrados como uma única injeção subcutânea, até 2 ml.

Rilonacept não deve ser dado mais frequentemente do que uma vez por semana.

Dose Usual Pediátrica para a Sindrome Muckle Wells:
Crianças com 12 anos de idade ou mais:
Dose – 4,4 mg / kg, até um máximo de 320 mg, fornecida através de uma ou duas injeções subcutâneas com um volume máximo de injeção única de 2 ml.

Se a dose inicial é administrado em duas injeções devem ser dadas no mesmo dia em dois locais diferentes.

A dosagem deve ser continuado com uma injeção uma vez por semana de 2,2 mg / kg , até um máximo de 160 mg, administrados através de uma única injeção subcutânea, até 2 ml.

Rilonacept não deve ser dado mais frequentemente do que uma vez por semana.
Administração
Sem Informação.
Contraindicações
Não use Rilonacept se:
– é alérgico a qualquer ingrediente emde Rilonacept
– estiver a usar um bloqueador de interleucina-1 (por exemplo, anakinra) ou bloqueadores do fator de necrose tumoral (TNF) eg, Etanercept.

contate o seu Médico ou Profissional de Saúde imediatamente se alguma destas limitações se aplicar a si.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Obtenha ajuda médica de emergência se tiver algum destes sinais de reação alérgica : urticária; dificuldade em respirar, inchaço do rosto, lábios, língua ou garganta.

Infeções graves e às vezes fatais podem ocorrer durante o tratamento com Rilonacept.

Chame o seu Médico imediatamente se tiver quaisquer novos sinais de infeção, tais como:
– febre, calafrios, dor de garganta, sintomas de gripe;
– nódoas negras facilmente ou hemorragias (sangramentos nasais, sangramento nas gengivas);
– náuseas e vómitos, perda de apetite;
– feridas na boca, ou
– fraqueza incomum.

Chame o seu Médico imediatamente se tiver qualquer outro efeito colateral grave, tal como:
– fezes com sangue, pretas ou cor de alcatrão;
– tosse com sangue ou vómito que se parece com borra de café;
– pieira, aperto no peito, dificuldade em respirar;
– dor ou ardor ao urinar, ou
– dor de cabeça, rigidez do pescoço, aumento da sensibilidade à luz, manchas roxas na pele, e / ou apreensão (convulsões).

Outros efeitos colaterais comuns podem incluir:
– sintomas de constipação como nariz entupido, espirros, tosse, dor de garganta;
– náuseas, dor de estômago, diarréia;
– dormência ou sensação de formigueiro, ou
– dor, inchaço, vermelhidão, comichão, calor, bolhas, sangramento, ou outra irritação onde o medicamento foi injetado.

Esta não é uma lista completa dos efeitos secundários e outros podem ocorrer.

Peça aconselhamento Médico sobre os efeitos secundários.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Todos os trimestres: C - Não há estudos adequados em mulheres. Em experiências animais ocorreram alguns efeitos colaterais no feto, mas o benefício do produto pode justificar o risco potencial durante a gravidez.
Precauções Gerais
É importante que o médico verifique o seu progresso em visitas regulares para se certificar de que Rilonacept está funcionando corretamente.

Podem ser necessários exames de sangue para verificar se há efeitos indesejáveis ​​(por exemplo, aumento da quantidade de colesterol ou gorduras no sangue).

A capacidade do organismo para combater a infeção pode ser reduzida enquanto estiver a ser tratado com Rilonacept.

É muito importante que consulte o médico logo aos primeiros sinais de qualquer infeção (tais como febre ou calafrios, tosse ou rouquidão; dor na parte inferior das costas ou de lado, ou dor e dificuldade ao urinar.

Enquanto estiver a ser tratado com Rilonacept, não faça quaisquer imunizações (vacinas), sem a aprovação do médico. Rilonacept pode reduzir a resistência do oganismo e há probabilidade de que possa apanhar a infeção que a imunização pretende evitar.

Informe o médico sobre qualquer tipo de vacina que recebeu no passado. Pergunte ao médico se deve fazer todas as vacinas, incluindo de combate à pneumonia e gripe, antes de receber Rilonacept.

Terá que fazer um teste de pele para a tuberculose antes de utilizar Rilonacept. Informe o médico se já teve uma reação positiva ao teste de tuberculose ou alguém em sua casa.

O uso de Rilonacept pode aumentar o risco de certos tipos de cancro. Fale com seu Médico sobre esse risco.

Rilonacept pode causar uma reação alérgica grave. Fale com o médico imediatamente se tiver uma erupção cutânea, comichão, inchaço da face, língua e garganta; problemas com a respiração, ou dor no peito depois de receber a injeção.

Não tome adalimumab (Humira), anakinra (Kineret), etanercept (Enbrel) ou infliximab (Remicade) enquanto estiver a ser tratado com Rilonacept, a menos que seu Médico diga que o pode fazer.
Cuidados com a Dieta
Sem informação.
Terapêutica Interrompida
contate o seu Médico para obter instruções se faltar um compromisso para a sua injeção de Rilonacept.
Cuidados no Armazenamento
Parenteral
Pó para solução injectável:
2 a 8° C na embalagem original para proteger da luz.

Após a reconstituição, armazenar à temperatura ambiente, protegido da luz e utilizar dentro de 3 horas. Descarte a porção não utilizada do frasco após uma única retirada dos fármacos.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Não recomendado/Evitar

Rilonacept + Inibidores de TNF (antagonistas do factor de necrose de tumor)

Observações: Não foram realizados estudos de interacção.
Interações: Não é recomendada a administração concomitante de Rilonacept com outros inibidores dos TNF,porque foi associada uma maior incidência de infecções graves com a administração de outro bloqueador da IL-1 em associação com inibidores dos TNF. A administração concomitante de Rilonacept com outros inibidores da IL-1 não foi estudada e, portanto, não é recomendada. - Inibidores de TNF (antagonistas do factor de necrose de tumor)
Usar com precaução

Rilonacept + Varfarina

Observações: Não foram realizados estudos de interacção.
Interações: A formação de enzimas do CYP450 é suprimida por níveis crescentes de citocinas durante a inflamação crónica. Portanto, é de prever que, com uma molécula que se liga à IL-1 como o rilonacept, a formação de enzimas do CYP450 possa ser normalizada. Este aspecto é clinicamente relevante no caso de substratos do CYP450 com um índice terapêutico estreito, nos quais a dose tem de ser individualmente ajustada (p. ex., varfarina). Ao iniciar-se Rilonacept em doentes que estão a ser tratados com este tipo de medicamentos, deve efectuar-se a monitorização terapêutica dos efeitos ou dos níveis plasmáticos e a dose individual do medicamento pode ter de ser ajustada, se necessário. - Varfarina
Não recomendado/Evitar

Rilonacept + Vacinas vivas

Observações: Não foram realizados estudos de interacção.
Interações: Não existem dados sobre os efeitos da vacinação com vacinas vivas ou sobre a transmissão secundária de infecção por vacinas vivas em doentes medicados com Rilonacept. Portanto, as vacinas vivas não devem ser administradas concomitantemente com Rilonacept, a menos que os benefícios superem claramente os riscos. Se estiver indicada a vacinação com vacinas vivas após o início do tratamento com Rilonacept, a recomendação é de aguardar pelo menos 6 semanas após a última injecção de Rilonacept e antes da injecção seguinte. - Vacinas vivas
Usar com precaução

Rilonacept + Substratos CYP450

Observações: Não foram realizados estudos de interacção.
Interações: A formação de enzimas do CYP450 é suprimida por níveis crescentes de citocinas durante a inflamação crónica. Portanto, é de prever que, com uma molécula que se liga à IL-1 como o rilonacept, a formação de enzimas do CYP450 possa ser normalizada. Este aspecto é clinicamente relevante no caso de substratos do CYP450 com um índice terapêutico estreito, nos quais a dose tem de ser individualmente ajustada (p. ex., varfarina). Ao iniciar-se Rilonacept em doentes que estão a ser tratados com este tipo de medicamentos, deve efectuar-se a monitorização terapêutica dos efeitos ou dos níveis plasmáticos e a dose individual do medicamento pode ter de ser ajustada, se necessário. - Substratos CYP450
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações do Rilonacept
– Importância do fornecimento de uma cópia das informações do fabricante para o Doente e para todos os Pacientes.

– Importância de discutir quaisquer questões relativas à informação do fabricante para o Paciente.

– Importância de instruir o Paciente e / ou cuidador sobre a dose adequada e administração de Rilonacept (incluindo o uso de uma técnica asséptica e eliminação segura de frascos, agulhas e seringas), caso o Clínico determine que a droga pode com segurança e eficácia ser auto-administrada em casa do Paciente por ele próprio, um membro da família ou outra pessoa responsável.

– Risco de reações no local da injecção (por exemplo, eritema, inchaço, prurido, massa, hematoma, inflamação, dor, edema, dermatite, desconforto, urticária, vesículas, calor, hemorragia). Importância de não injetar em áreas onde a pele esteja pisada, vermelha, inchada, macia ou dura. Importância de informar o Clínico de qualquer reação persistente no local da injecção.

– Risco de infecção grave, potencialmente fatal. Importância de informar os Médicos imediatamente se ocorrerem quaisquer sinais ou sintomas de infecção (por exemplo, febre, tosse, sintomas de gripe, feridas expostas).

– Risco de reações de hipersensibilidade. Importância de imediatamente entrar em contato com um Médico ou procurar imediatamente atendimento Médico caso ocorram quaisquer sinais ou sintomas de hipersensibilidade (por exemplo, erupções cutâneas, inchaço da face, dificuldade em respirar).

– Possíveis mudanças nos níveis de colesterol no sangue e concentrações de triglicérides; importância da adesão a horários de consulta de laboratório.

– Importância de rever o estado de vacinação com o Médico e receber todas as vacinas adequadas à idade, antes do início da terapia com Rilonacept.

– Importância de informar os Clínicos de terapia concomitante existente ou prevista, incluindo de prescrição (por exemplo, IL-1 antagonistas, agentes bloqueadores de FNT, imunizações, corticosteroides) ou medicamentos OTC, suplementos alimentares, e / ou produtos à base de plantas, bem como todas as doenças concomitantes (por exemplo, as infecções activas ou crónicas, asma, diabetes mellitus).

– Importância das mulheres informarem os Médicos se estão grávidas ou planeiam amamentar.

– importância de informar os Pacientes sobre outras informações de precaução importantes.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 08 de Setembro de 2020