Prednisolona

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
Prednisolona é um fármaco pertencente ao grupo dos anti-inflamatórios esteróides.

A Prednisolona é um metabólito activo da prednisona, logo, é um pró-fármaco que é metabolizado pelo fígado convertendo-se à forma esteroidal activa.

É indicado no tratamento de doenças que envolvam dor e inflamação.

Seu nome sistemático (IUPAC) é 11,17-dihydroxy-17-(2-hydroxyacetyl)-10,13-dimethyl-6,7,8,9,10,11,12,13,14,15,16,17-dodecahydrocyclopenta[a]phenanthren-3-one.

Pode ser administrado por via oral, intramuscular (injectável) e ocular (colírio).
Usos comuns
Para o tratamento de insuficiência adrenocortical primária ou secundária, tais como hiperplasia supra-renal congénita, tiroidite.

Também é usado para tratar a artrite psoriática, artrite reumatóide, espondilite anquilosante, bursite, artrite gotosa aguda e epicondilite.

Também indicado para o tratamento de lúpus eritematoso sistémico, pênfigo e cardite remáticos aguda.

Pode ser usado no tratamento de leucemias, linfomas, trombocitopenia púrpura e anemia hemolítica auto-imune.

Pode ser utilizado para tratar a doença celíaca, a resistência à insulina, a colite ulcerosa e doenças do fígado.
Tipo
Molécula pequena.
História
Sem informação.
Indicações
Como anti-inflamatório em caso de uveíte, esclerite e na redução da inflamação após cirurgias oculares.
Classificação CFT

15.02.01 : Corticosteroides

08.02.02 : Glucocorticoides

Mecanismo De Ação
Os glucocorticóides, tais como Prednisolona pode inibir a infiltração de leucócitos no local da inflamação, interferir com os mediadores de resposta inflamatória e suprimir as respostas imunitárias humorais.

As acções anti-inflamatórias dos glucocorticóides são pensados ​​para envolver fosfolipase A2 proteínas inibidoras, lipocortinas, que controlam a biossíntese de potentes mediadores da inflamação como as prostaglandinas e leucotrienos.

Prednisolona reduz reação inflamatória, limitando a dilatação capilar e da permeabilidade das estructuras vasculares.

Estes compostos restringem o acúmulo de leucócitos polimorfonucleares e macrófagos e reduzem a libertação de cininas vasoativas.

Uma pesquisa recente sugere que os corticosteróides podem inibir a libertação de ácido araquidónico a partir de fosfolípidos, reduzindo assim a formação de prostaglandinas.

A prednisolona é um agonista do receptor de glucocorticóide.

Na ligação, o complexo ligando - corticoreceptor transloca-se para o núcleo da célula, onde liga-se a diversos elementos de resposta a glucocorticóides (GRE) na região promotora dos genes alvo.

O receptor ligado a ADN, em seguida, interage com os factores de transcrição de base, fazendo com que um aumento ou diminuição na expressão de genes-alvo específicos, incluindo a supressão de IL-2 (interleucina 2) expressão.
Posologia Orientativa
Instilar 1 a 2 gotas (0,12 a 1%) 2 a 4 vezes/dia; em situações mais graves instilar de hora a hora até controlo da inflamação, reduzindo depois a frequência; 1 a 2 aplicações da pomada, 3 a 4 vezes/dia, de acordo com a gravidade da inflamação.
Administração
A administração por via oral deve ser realizada com alimentos ou leite para reduzir os efeitos no TGI.
Contraindicações
Infeções da córnea ou da conjuntiva (agravamento ou aparecimento de infecções secundárias), cataratas, em diabéticos (aumento da predisposição para o aparecimento de hipertensão ocular e de cataratas).
Efeitos Indesejáveis/Adversos
As típicas dos corticosteróides (glaucoma cortisónico, inibição da regeneração tecidual e aumento da probabilidade de infecções).
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Risco reduzido para o feto em desenvolvimento; Ver Corticosteróides (intranasais e inalados) e Ver Corticosteróides (sistémicos). Risco fetal desconhecido, por falta de estudos alargados ou evidência fetal em animais, mas a necessidade pode justificar o risco.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:Ver Corticosteróides.
Condução
Condução
Condução:Não conduzir logo após o uso de colírio, porque a visão pode ficar embaçada inicialmente.
Precauções Gerais
Se vai tomar prednisolona por um longo tempo, é muito importante que o médico acompanhe o tratamento em visitas regulares para quaisquer efeitos indesejáveis ​​que possam ser causados ​​por prednisolona.

Podem ser necessários exames de sangue ou urina, para verificar a existência de efeitos indesejáveis.

Usar prednisolona enquanto estiver grávida pode fazer mal ao feto. Utilize uma forma eficaz de controle de natalidade para não ficar grávida.
Se suspeita que engravidou durante o uso de prednisolona, informe o médico imediatamente.

Usar muita quantidade de prednisolona ou por um longo período de tempo pode aumentar o risco de ter problemas nas glândulas suprarrenais.

Fale com o médico imediatamente se tem mais de um destes sintomas enquanto estiver a utilizar prednisolona: visão turva, tonturas ou desmaios, um batimento cardíaco rápido ou irregular; aumento da sede ou mição, irritabilidade, cansaço ou fraqueza incomum.
Prednisolona pode causar-lhe mais infecções do que o habitual.

Evite o contacto com as pessoas que estão doentes ou têm infecções e lavar as mãos com frequência.

Se está exposto à varicela ou sarampo, informe o médico imediatamente.

Se começar a ter uma febre, calafrios, dor de garganta ou qualquer outro sinal de uma infecção, contacte o médico imediatamente.

Prednisolona pode causar alterações de humor ou comportamento de alguns pacientes.

Informe o médico imediatamente se tem depressão, alterações de humor, uma sensação de bem-estar falsa ou incomum, problemas com o sono ou alterações de personalidade, enquanto está a tomar prednisolona.

Prednisolona pode causar enfraquecimento dos ossos (osteoporose) ou crescimento lento em crianças se usado por um longo tempo.

Informe o médico se tem alguma dor óssea ou se tem um risco aumentado para a osteoporose.

Se o seu filho está a usar prednisolona, informe o médico se acha que seu filho não está a crescer normalmente.

Se estiver a usar prednisolona por um longo tempo, informe o médico sobre qualquer esforço extra ou ansiedade na sua vida, incluindo outros problemas de saúde e stress emocional.

A dose de prednisolona pode precisar ser alterada para um curto período de tempo, enquanto estiver com os níveis de stress elevados.

Fale com o médico imediatamente se a visão ficar turva, dificuldade de leitura ou qualquer outra alteração na visão ocorrer durante ou após o tratamento.
o médico pode querer que um oftalmologista vigie os seus olhos.

Enquanto estiver a ser tratado com prednisolona, ​​não deve administrar qualquer vacina sem a aprovação do médico.

A prednisolona pode reduzir a resistência do corpo e a vacinação pode não funcionar bem ou até adquirir a infecção para qual está a ser vacinado.

Há o risco de que pessoas que vivam na mesma casa, que tenham recebido vacinas de vírus vivos, transmitam o vírus para o paciente.
Alguns exemplos de vacinas vivas incluem sarampo, papeira, influenza (vacina da gripe nasal), poliovírus (forma oral), rotavírus e rubéola.
O paciente não deve estar no mesmo espaço com estas pessoas por muito tempo.
Se tiver dúvidas sobre isso, fale com o médico.

Certifique-se de que todos os médicos ou dentistas que o tratam sabem que está a usar prednisolona.
Prednisolona pode afectar os resultados de certos testes cutâneos.

Não tome outros medicamentos que não tenham sido falados com o médico.
Isso inclui medicamentos de venda livre, medicamentos de ervas ou suplementos vitamínicos.
Cuidados com a Dieta
Evite o álcool. Evite cafeína.
Tome com alimentos para reduzir a irritação gástrica.
Terapêutica Interrompida
contate o seu médico para instruções se se esquecer de uma dose ou esquecer de tomar o medicamento.
Cuidados no Armazenamento
Guarde prednisolona em temperatura ambiente, entre 20° e 25° C, num recipiente bem fechado.

Armazene longe do calor, humidade e luz.
Não armazene na casa de banho.

Mantenha prednisolona fora do alcance de crianças e longe de animais de estimação.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Sem efeito descrito

Ácido ibandrónico + Prednisolona

Observações: Os estudos de interacção foram realizados apenas em adultos. Relativamente à farmacocinética, não é provável a ocorrência de interações medicamentosas clinicamente significativas. O ácido ibandrónico é eliminado apenas por excreção renal e não sofre qualquer biotransformação. A via de excreção não parece incluir os conhecidos sistemas de transporte de natureza ácida ou básica, envolvidos na excreção de outras substâncias ativas. Além disso, o ácido ibandrónico não inibe as principais isoenzimas P450 hepáticas humanas e não induz o sistema do citocromo P450 hepático no rato. A concentrações terapêuticas, a ligação às proteínas plasmáticas é reduzida, pelo que é improvável que o ácido ibandrónico desloque outras substâncias ativas.
Interações: Não se observou interacção quando o ácido ibandrónico foi administra do a doentes com mieloma múltiplo, concomitantemente com melfalam/prednisolona. - Prednisolona
Sem efeito descrito

Etoricoxib + Prednisolona

Observações: Com base em estudos in vitro, não é de se esperar que o etoricoxib iniba os citocromos P450 (CYP) 1A2, 2C9, 2C19, 2D6, 2E1 ou 3A4. Num estudo com indivíduos saudáveis, a administração diária de etoricoxib 120 mg não alterou a atividade hepática da CYP3A4, conforme avaliado pelo teste respiratório da eritromicina. A via principal do metabolismo do etoricoxib depende das enzimas CYP. A CYP3A4 parece contribuir para o metabolismo do etoricoxib in vivo. Estudos in vitro indicam que a CYP2D6, CYP2C9, CYP1A2 e CYP2C19 também conseguem catalisar a via metabólica principal, mas os seus papéis quantitativos não foram estudados in vivo.
Interações: Em estudos de interacção medicamentosa, o etoricoxib não teve efeitos clinicamente importantes na farmacocinética da prednisona/prednisolona. - Prednisolona
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Isoniazida + Prednisolona

Observações: A isoniazida é um inibidor do metabolismo hepático de vários fármacos, o que pode potenciar a toxicidade de alguns fármacos tomados concomitantemente. Alimentos ricos em tiramina (queijo e peixe): A isoniazida com o consumo destes alimentos, pode causar elevação dos valores tensionais, taquicardia e rubor facial.
Interações: A prednisolona pode causar um decréscimo significativo nas concentrações plasmáticas de isoniazida em ambos os acetiladores (lentos e rápidos) mas o efeito é mais pronunciado em acetiladores lentos. - Prednisolona
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prednisolona + Antiepilépticos (AEs)

Observações: N.D.
Interações: Recomenda-se aumento das doses de manutenção de prednisolona quando se administram ao mesmo tempo os fármacos seguintes: antiepiléticos (fenobarbital, fenitoína), alguns antibióticos (rifampicina), anticoagulantes (cumarínicos) ou broncodilatadores (efedrina). - Antiepilépticos (AEs)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prednisolona + Fenitoína

Observações: N.D.
Interações: Recomenda-se aumento das doses de manutenção de prednisolona quando se administram ao mesmo tempo os fármacos seguintes: antiepiléticos (fenobarbital, fenitoína), alguns antibióticos (rifampicina), anticoagulantes (cumarínicos) ou broncodilatadores (efedrina). - Fenitoína
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prednisolona + Fenobarbital

Observações: N.D.
Interações: Recomenda-se aumento das doses de manutenção de prednisolona quando se administram ao mesmo tempo os fármacos seguintes: antiepiléticos (fenobarbital, fenitoína), alguns antibióticos (rifampicina), anticoagulantes (cumarínicos) ou broncodilatadores (efedrina). - Fenobarbital
Sem efeito descrito

Prednisolona + Antibióticos

Observações: N.D.
Interações: Recomenda-se aumento das doses de manutenção de prednisolona quando se administram ao mesmo tempo os fármacos seguintes: antiepiléticos (fenobarbital, fenitoína), alguns antibióticos (rifampicina), anticoagulantes (cumarínicos) ou broncodilatadores (efedrina). Recomenda-se, pelo contrário, reduzir as doses de prednisolona quando se administram ao mesmo tempo os fármacos seguintes: estrogénios (ou formulações com estrogénios) e alguns antibióticos (eritromicina e outros macrólidos). - Antibióticos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prednisolona + Rifampicina

Observações: N.D.
Interações: Recomenda-se aumento das doses de manutenção de prednisolona quando se administram ao mesmo tempo os fármacos seguintes: antiepiléticos (fenobarbital, fenitoína), alguns antibióticos (rifampicina), anticoagulantes (cumarínicos) ou broncodilatadores (efedrina). - Rifampicina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prednisolona + Anticoagulantes orais (Derivados da Cumarina)

Observações: N.D.
Interações: Recomenda-se aumento das doses de manutenção de prednisolona quando se administram ao mesmo tempo os fármacos seguintes: antiepiléticos (fenobarbital, fenitoína), alguns antibióticos (rifampicina), anticoagulantes (cumarínicos) ou broncodilatadores (efedrina). - Anticoagulantes orais (Derivados da Cumarina)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prednisolona + Efedrina

Observações: N.D.
Interações: Recomenda-se aumento das doses de manutenção de prednisolona quando se administram ao mesmo tempo os fármacos seguintes: antiepiléticos (fenobarbital, fenitoína), alguns antibióticos (rifampicina), anticoagulantes (cumarínicos) ou broncodilatadores (efedrina). - Efedrina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prednisolona + Broncodilatadores

Observações: N.D.
Interações: Recomenda-se aumento das doses de manutenção de prednisolona quando se administram ao mesmo tempo os fármacos seguintes: antiepiléticos (fenobarbital, fenitoína), alguns antibióticos (rifampicina), anticoagulantes (cumarínicos) ou broncodilatadores (efedrina). - Broncodilatadores
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prednisolona + Estrogénios

Observações: N.D.
Interações: Recomenda-se, pelo contrário, reduzir as doses de prednisolona quando se administram ao mesmo tempo os fármacos seguintes: estrogénios (ou formulações com estrogénios) e alguns antibióticos (eritromicina e outros macrólidos). - Estrogénios
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prednisolona + Eritromicina

Observações: N.D.
Interações: Recomenda-se, pelo contrário, reduzir as doses de prednisolona quando se administram ao mesmo tempo os fármacos seguintes: estrogénios (ou formulações com estrogénios) e alguns antibióticos (eritromicina e outros macrólidos). - Eritromicina
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prednisolona + Macrólidos

Observações: N.D.
Interações: Recomenda-se, pelo contrário, reduzir as doses de prednisolona quando se administram ao mesmo tempo os fármacos seguintes: estrogénios (ou formulações com estrogénios) e alguns antibióticos (eritromicina e outros macrólidos). - Macrólidos
Usar com precaução

Prednisolona + Quinolonas

Observações: N.D.
Interações: Existe também a possibilidade de interacção da prednisolona com as quinolonas (como ofloxacina, norfloxacina e ciprofloxacina, entre outras). - Quinolonas
Usar com precaução

Prednisolona + Ofloxacina

Observações: N.D.
Interações: Existe também a possibilidade de interacção da prednisolona com as quinolonas (como ofloxacina, norfloxacina e ciprofloxacina, entre outras). - Ofloxacina
Usar com precaução

Prednisolona + Norfloxacina

Observações: N.D.
Interações: Existe também a possibilidade de interacção da prednisolona com as quinolonas (como ofloxacina, norfloxacina e ciprofloxacina, entre outras). - Norfloxacina
Usar com precaução

Prednisolona + Ciprofloxacina

Observações: N.D.
Interações: Existe também a possibilidade de interacção da prednisolona com as quinolonas (como ofloxacina, norfloxacina e ciprofloxacina, entre outras). - Ciprofloxacina
Sem efeito descrito

Micafungina + Prednisolona

Observações: N.D.
Interações: A micafungina tem um baixo potencial de interacção com medicamentos metabolizados pelas vias mediadas pelo CYP3A. Foram realizados estudos de interacção medicamentosa em seres humanos saudáveis para avaliar o potencial de interacção entre a micafungina e micofenolato de mofetil, ciclosporina, tacrolímus, prednisolona, sirolímus, nifedipina, fluconazol, ritonavir, rifampicina, itraconazol, voriconazol e anfotericina B. Nestes estudos, não foi observada prova de alteração da farmacocinética da micafungina. Não são necessários ajustes da dose quando estes medicamentos são administrados concomitantemente. - Prednisolona
Sem efeito descrito

Vidarabina + Prednisolona

Observações: N.D.
Interações: Também pode ser associada com dexametasona e prednisolona. - Prednisolona
Sem efeito descrito

Atalureno + Prednisolona

Observações: Com base em estudos in vitro, o atalureno é um substrato da UGT1A9 e da proteína de resistência ao cancro da mama (BCRP). Com base em estudos in vitro, o atalureno é um inibidor da UGT1A9, do transportador de aniões orgânicos 1 (OAT1), do transportador de aniões orgânicos 3 (OAT3) e do polipéptido transportador de aniões orgânicos 1B3 (OATP1B3). Com base nos estudos in vitro, não se prevê que o atalureno seja um inibidor do transporte mediado pela glicoproteína P nem do metabolismo mediado pelo citocromo P450. De forma semelhante, não se prevê que, in vivo, o atalureno seja um indutor das isoenzimas do citocromo P450. Medicamentos que afetam a glicoproteína-P transportadora In vitro, o atalureno não é um substrato da glicoproteína-P transportadora. É improvável que a farmacocinética do atalureno seja afetada por medicamentos que inibem a glicoproteína-P transportadora. Desconhece-se qual é o efeito da administração concomitante do atalureno com outros medicamentos nefrotóxicos. Em alguns destes casos, a desidratação pode ser um fator contribuinte. Os doentes devem manter uma hidratação adequada durante a toma do atalureno.
Interações: A administração concomitante de corticosteróides (deflazacorte, prednisona ou prednisolona) com o atalureno não afetou as concentrações plasmáticas do atalureno. Não se observou qualquer alteração clinicamente relevante em termos de concentrações plasmáticas dos corticosteróides com a administração concomitante do atalureno. Estes dados não apontam para qualquer interacção medicamentosa visível entre os corticosteróides e o atalureno, não sendo necessários ajustes da dose. - Prednisolona
Sem efeito descrito

Montelucaste + Prednisolona

Observações: N.D.
Interações: Em estudos de interacções medicamentosas, a posologia clínica recomendada de montelucaste, não teve efeitos clinicamente importantes na farmacocinética dos seguintes medicamentos: teofilina, prednisona, prednisolona, Contraceptivos orais (etinilestradiol/noretindrona 35/1), terfenadina, digoxina e varfarina. - Prednisolona
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Etinilestradiol + Norgestimato + Prednisolona

Observações: Aconselha-se que os médicos consultem a rotulagem dos medicamentos utilizados concomitantemente, para obter mais informações acerca das interações com contracetivos hormonais e da possível necessidade de ajustar as dosagens.
Interações: Fármacos cujos níveis plasmáticos podem estar aumentos (devido a inibição do CYP). Exemplos incluem: Ciclosporina; Prednisolona; Teofilina. - Prednisolona
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Insulina zinco protamina + Prednisolona

Observações: A insulina não afeta outros medicamentos. No entanto, é importante estar ciente de que muitos medicamentos podem afetar os níveis de glicose no sangue e pode, portanto, alterar as suas necessidades de insulina. Por esta razão, as pessoas com diabetes devem sempre procurar o conselho de seu médico ou farmacêutico antes de tomar quaisquer novos medicamentos ou interromper as já existentes.
Interações: Os seguintes medicamentos podem aumentar os níveis de glicose no sangue: Corticosteróides, por exemplo, hidrocortisona, prednisolona - Prednisolona
Sem efeito descrito

Fosfato de alumínio + Prednisolona

Observações: N.D.
Interações: Sais de ferro, fluoroquilonas, anti-histamínicos H2, flureto de sódio. Não existe interacção entre o Fosfato de alumínio gel e a prednisolona, o cetoprofeno, a amoxicilina, a disopiramida e a cimetidina. - Prednisolona
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Procaterol + Prednisolona

Observações: N.D.
Interações: Corticosteróides (ex,: betametasona, prednisolona e succinato sódico de hidrocortisona) e diuréticos (ex.: furosemida): O uso concomitante de Procaterol com corticosteróides ou diuréticos pode causar uma diminuição nos níveis séricos de potássio, resultando em arritmias. Se algum destes sintomas se observar, a dose deve ser reduzida ou o tratamento interrompido de imediato. Os corticosteróides e diuréticos aumentam a eliminação de potássio a partir dos túbulos renais, podendo resultar numa diminuição excessiva nos níveis séricos de potássio. - Prednisolona
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Cloromadinona + Etinilestradiol + Prednisolona

Observações: A interação do etinilestradiol, com outros medicamentos, pode aumentar ou reduzir as concentrações séricas de etinilestradiol. Em caso de necessidade de tratamento prolongado com essas subtâncias ativas, devem ser utilizados métodos contracetivos não hormonais. Concentrações séricas reduzidas de etinilestradiol podem aumentar as hemorragias intracíclicas e as perturbações dos ciclos, e reduzir a eficácia contracetiva de Cloromadinona / Etinilestradiol; concentrações séricas aumentadas de etinilestradiol podem aumentar a frequência e a gravidade dos efeitos indesejáveis.
Interações: Os seguintes medicamentos/substâncias ativas podem aumentar as concentrações séricas de etinilestradiol: O etinilestradiol pode afetar o metabolismo de outras substâncias: Por inibir as enzimas microssomais hepáticas e, por esse motivo, aumentar as concentrações séricas de substâncias ativas, tais como diazepam (e outras benzodiazepinas metabolizadas por hidroxilação), ciclosporina, teofilina e prednisolona. Por induzir a glucuronização hepática e, por esse motivo, reduzir as concentrações séricas de por exemplo clofibrato, paracetamol, morfina e lorazepam. As necessidades de insulina ou de antidiabéticos orais (agentes que diminuem a glucose sanguínea) podem alterar-se em consequência da influência na tolerência à glucose. O mesmo pode ser válido para os medicamentos tomados pouco tempo antes. O Resumo das Características do Medicamento dos medicamentos prescritos devem ser consultados tendo em atenção as possíveis interacções com Cloromadinona / Etinilestradiol. - Prednisolona
Sem efeito descrito

Pilocarpina + Prednisolona

Observações: N.D.
Interações: Enquanto não se realizarem estudos formais de interacções medicamentosas, foram utilizados os seguintes medicamentos concomitantemente em pelo menos 10% dos doentes num ou em ambos os estudos de eficácia na síndrome de Sjögren: Ácido acetilsalicílico, lágrimas artificiais, cálcio, estrogénios conjugados, sulfato de hidroxicloroquina, ibuprofeno, levotiroxina de sódio, acetato de medroxiprogesterona, metotrexato, multivitaminas, naproxeno, omeprazol, paracetamol e prednisolona. Não existiram notificações de toxicidade farmacológica durante qualquer estudo de eficácia. - Prednisolona
Usar com precaução

Enzalutamida + Prednisolona

Observações: N.D.
Interações: Potencial da enzalutamida para afetar a exposição a outros medicamentos: Indução enzimática: A enzalutamida é um potente inibidor enzimático levando ao aumento da síntese de muitas enzimas e transportadores; portanto é esperada a interacção com muitos medicamentos comuns que são substratos destas enzimas ou transportadores. A redução das concentrações plasmáticas podem ser substanciais, e levar a perda ou reduzir o efeito clínico. Existe também um risco aumentado da formação de metabolitos ativos. As enzimas que podem ser induzidas são o CYP3A no fígado e intestino, o CYP2C9, o CYP2C19, o CYP1A2 e auridina 5’ difosfato-glucuronosiltransferases (conjugação das enzimas UGTs-glucuronida). A proteína de transporte de P-gp pode também ser induzida, e provavelmente outros transportadores, como por exemplo, a proteína de resistência múltipla 2 (MRP2), proteína de resistência do cancro da mama (BCRP) e do polipéptido transportador aniónico orgânico 1B1, (OATP1B1). Estudos in vivo demonstraram que a enzalutamida é um indutor potente do CYP3A4 e um indutor moderado do CYP2C9 e do CYP2C19. A co-administração da enzalutamida (160 mg uma vez por dia) com doses únicas orais de substratos sensíveis ao CYP em doentes com cancro da próstata, resultou numa diminuição de 86% da AUC do midazolam (substrato do CYP3A4), numa diminuição de 56% na AUC da S-varfarina (substrato do CYP2C9) e numa diminuição de 70% na AUC do omeprazol (substrato do CYP2C19). A UGT1A1 pode também ter sido induzida. São esperadas interacções com alguns medicamentos que são eliminados através do metabolismo ou por transporte ativo. Se o seu efeito terapêutico é de grande importância para o doente, e se os ajustes de dose não são facilmente realizados com base na monitorização de eficácia ou da concentração plasmática, estes medicamentos devem ser evitados ou utilizados com precaução. O risco de lesão hepática após a administração de paracetamol é suspeito ser maior em doentes tratados concomitantemente com indutores de enzima. Grupos de medicamentos que podem ser afetados incluem, mas não se limitam a: Analgésicos (ex. fentanilo, tramadol) Antibióticos (ex. claritromicina, doxiciclina) Agentes antineoplásicos (ex. cabazitaxel) Anticoagulantes (ex. acenocumarol, varfarina) Antiepiléticos (ex. carbamazepina, clonazepam, fenitoína, primidona, ácido valpróico) Antipsicóticos (ex. haloperidol) Bloqueadores beta (ex. bisoprolol, propranolol) Bloqueadores da entrada do cálcio (ex. diltiazem, felodipina, nicardipina, nifedipina, verapamil) Cardiotónicos digitálicos (ex. digoxina) Corticosteróides (ex. dexametasona, prednisolona) Antirretrovirais VIH (ex. indinavir, ritonavir) Hipnóticos (ex. diazepam, midazolam, zolpidem) Estatinas metabolizadas pelo CYP3A4 (ex. atorvastatina, sinvastatina) - Prednisolona
Sem efeito descrito

Voriconazol + Prednisolona

Observações: n.d.
Interações: Prednisolona (dose única de 60 mg) [substrato do CYP3A4] Não necessário ajuste de dose - Prednisolona
Usar com precaução

Ritonavir + Prednisolona

Observações: n.d.
Interações: Efeitos do Ritonavir nos Medicamentos Não Antirretrovirais co-administrados: Esteroides: Prednisolona: Recomenda-se monitorização cuidadosa dos efeitos terapêuticos e efeitos adversos quando a prednisolona é administrada concomitantemente com ritonavir. A AUC do metabolito prednisolona aumentou 37 a 28%, respectivamente, após 4 e 14 dias com ritonavir. - Prednisolona
Sem efeito descrito

Sirolímus + Prednisolona

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interações: Não foi detetada nenhuma interacção farmacocinética com significado clínico entre o sirolímus e os seguintes fármacos: aciclovir, atorvastatina, digoxina, glibenclamida, metilprednisolona, nifedipina, prednisolona e trimetoprim/sulfametoxazol. - Prednisolona
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Tacrolímus + Prednisolona

Observações: n.d.
Interações: Indutores do metabolismo: As substâncias a seguir indicadas demonstraram diminuir clinicamente os níveis sanguíneos de tacrolímus: Fortes interacções foram observadas com rifampicina, fenitoína ou hipericão (Hypericum perforatum) o que pode requerer o aumento das doses de tacrolímus em praticamente todos os doentes. Foram reportadas interacções clínicas relevantes com o fenobarbital. As doses de manutenção com corticosteróides demonstraram poder reduzir os níveis sanguíneos de tacrolímus. Doses elevadas de prednisolona ou metilprednisolona, administradas para o tratamento da rejeição aguda, têm o potencial de aumentar ou diminuir os níveis sanguíneos de tacrolímus. A carbamazepina, metamizol e isoniazida têm potencial para diminuir as concentrações de tacrolímus. - Prednisolona
Usar com precaução

Alginato de sódio + Bicarbonato de sódio + Prednisolona

Observações: Os antiácidos interagem com outros medicamentos tomados por via oral.
Interações: Precauções de uso com outras combinações Houve uma diminuição na absorção digestiva dos medicamentos administrados simultaneamente. Para medidas de precaução, não é recomendável tomar medicamentos antiácidos ao mesmo tempo que outros medicamentos. Afaste a dose deste medicamento durante 2 horas com: - TB antibacteriana (etambutol, isoniazida) - Antibacterianos - Tetraciclinas - Antibacterianos - lincosanidas - Anti-histamínicos H2 (oralmente) - Atenolol, metoprolol, propranolol (oralmente) - Cloroquina - Diflunisal - Digoxina - Difosfonatos - Fluoreto de sódio - Glicocorticóides (descritos para prednisolona e dexametasona) - Indometacina - Kayexalate - Cetoconazol - Lansoprazol - Neurolépticos fenotiazínicos - Penicilamina - Ferro (sais) Afaste a dose deste medicamento ao longo de 4 horas com: - Antibacterianos - Fluoroquinolonas (oralmente) Combinações para estar ciente de: - Salicilatos: Aumento da excreção renal por aspirina pela alcalinização da urina. - Prednisolona
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Etinilestradiol + Linestrenol + Prednisolona

Observações: n.d.
Interações: Pode aumentar os efeitos da hidrocortisona e prednisolona quando usados em conjunto. - Prednisolona
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações da Prednisolona
Aconselhar o paciente a tomar doses únicas diárias ou em dias alternados na manhã antes das 9 horas da manhã e tomar várias doses em intervalos uniformemente espaçados ao longo dia.

Instruir o paciente a tomar medicação com as refeições ou lanches para evitar irritação GI.

Alertar o paciente para não tomar medicamentos com aspirina ou outros medicamentos de venda livre que contenham salicilatos, a menos que indicado pelo médico.

Instruir o paciente para verificar o peso em casa diariamente, à mesma hora do dia.

Aconselhar o paciente em corticoterapia crónica de usar identificação médica (por exemplo, cartão, pulseira), indicando a condição e regime de medicamentos.

Lembre o paciente a lavar as mãos antes e após a instilação oftálmica.
Ensine o paciente método correcto para instilar colírio.
Instruir o paciente para não esfregar os olhos ou tocar com o conta-gotas no olho.

Informar o paciente do aumento do apetite e aconselhá-lo a um dieta adequada (ou seja, uma dieta rica em proteínas, cálcio e potássio, mas pobre em sódio e carboidratos).

Aconselhar a família que a medicação pode retardar o crescimento em crianças.

Informar o paciente das possíveis reações adversas como inchaço da face, alterações de humor e aumento emoções.

Ensine paciente para monitorizar a infecção, ardor nos olhos ou aumento de nódoas negras.

Instruir paciente para não conduzir logo após o uso de colírio, porque a visão pode ficar embaçada inicialmente.

Informar o paciente que a preparação oftálmica pode causar sensibilidade à luz brilhante e recomendar o uso de óculos de sol para minimizar esse efeito.

Instruir o paciente para relatar os seguintes sintomas ao médico: fezes negras, irregularidades menstruais, fraqueza muscular, garganta inflamada prolongada, febre, frio ou infecção; rosto inchado, inchaço dos membros inferiores; ganho de peso incomum, vómitos com sangue.

Instrua o paciente para notificar o médico se os seguintes sintomas ocorrerem após redução da dose ou interrupção da terapêutica: anorexia, diarreia, tonturas, fadiga, baixo açúcar no sangue, náuseas, vómitos, fraqueza, perda de peso.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 26 de Novembro de 2020