Piridoxina (Vitamina B6)

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento
O que é
Piridoxina é a forma 4-metanol de vitamina B6 e é convertida em piridoxal 5-fosfato no corpo.

Piridoxal 5-fosfato é uma coenzima para a síntese de aminoácidos, neurotransmissores (serotonina, norepinefrina), esfingolípidos, ácido aminolevulínico.

Embora a piridoxina e vitamina B6 ainda sejam frequentemente usados ​​como sinónimos, especialmente por pesquisadores médicos, essa prática é errónea e, por vezes enganosa.
Usos comuns
Tratamento e prevenção dos estados de insuficiência de piridoxina.
Prevenção e tratamento da insuficiência de piridoxina induzida por medicamentos, como por exemplo quando se utiliza a isoniazida.
Diagnóstico e tratamento de epilepsia e convulsões piridoxina-dependentes.
Adjuvante no tratamento de intoxicação pelo álcool e alcoolismo.
Tratamento de distúrbios hereditários relativos ao metabolismo de aminoácidos como a homocisteinúria ou a hiperoxalúria primária.
Tratamento de anemia sideroblástica.
Tipo
Molécula pequena.
História
A piridoxina foi descoberta em 1934, isolada em 1938 e feita pela primeira vez em 1939.
Está na Lista de Medicamentos Essenciais da Organização Mundial de Saúde.
Indicações
Tratamento e prevenção dos estados de insuficiência de piridoxina.
Prevenção e tratamento da insuficiência de piridoxina induzida por medicamentos, como por exemplo quando se utiliza a isoniazida.
Diagnóstico e tratamento de epilepsia e convulsões piridoxina-dependentes.
Adjuvante no tratamento de intoxicação pelo álcool e alcoolismo.
Tratamento de distúrbios hereditários relativos ao metabolismo de aminoácidos como a homocisteinúria ou a hiperoxalúria primária.
Tratamento de anemia sideroblástica.
Classificação CFT

11.03.01.02 : Vitaminas hidrossolúveis

Mecanismo De Ação
No homem, a piridoxina é uma fonte exógena necessária para o metabolismo dos aminoácidos.
A vitamina está igualmente envolvida no metabolismo de carbohidratos e de lípidos.
Piridoxina, piridoxal e piridoxamina são convertidas nas formas activas da vitamina, piridoxal fosfato e piridoxamina fosfato, que actuam como co-enzimas numa grande variedade de reacções no metabolismo intermediário.
As formas activas da vitamina, estão envolvidas na transaminação de aminoácidos e na conversão de triptofano em niacina.
A piridoxina é essencial na síntese do ácido γ-aminobutírico (GABA) a nível do sistema nervoso central e na síntese de heme.
Posologia Orientativa
Conforme prescrição médica.
Administração
Vias Oral, IM, IV.

Administrar os comprimidos com água e sem mastigá-los.
Contraindicações
Hipersensibilidade à Piridoxina cloridrato.
A piridoxina não deve ser administrada por via IV a pacientes com doença cardíaca.
A piridoxina não deve ser administrada juntamente com levodopa ou com medicamentos que contenham levodopa.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Foram verificados casos de neuropatia sensitiva grave, paralisia, sedação profunda, hipotonia e convulsões.
Embora estes casos sejam mais frequentemente relacionados com a administração de doses elevadas e/ou prolongadas de piridoxina (na forma oral ou parentérica), foram recentemente descritos os mesmos casos com doses baixas.
Estes efeitos habitualmente regridem com a suspensão deste tratamento.
Foram também relatados: náuseas, dor de cabeça, parestesia, perturbações da memória, insónias, sonolência, púrpura trombocitopénica, esporadicamente reacções alérgicas e diminuição das concentrações de ácido fólico.
Advertências

Sem informação.

Precauções Gerais
A administração a longo prazo de elevadas concentrações de Piridoxina está associada com o desenvolvimento de neuropatias periféricas graves.
A piridoxina já foi implicada na obtenção de falsos-positivos em testes de urobilinogénio com o reagente de Erlich.
Cuidados com a Dieta
Sem informação.
Terapêutica Interrompida
Tome a dose assim que se lembrar. Não tome a dose esquecida se for quase hora da sua próxima dose. Não tome medicamento extra para compensar a dose esquecida.
Cuidados no Armazenamento
Armazene piridoxina (vitamina B6) em temperatura ambiente, entre 15° e 30° C).
Armazene longe do calor, humidade e luz.
Não armazene na casa de banho.

Mantenha todos os medicamentos fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu médico, enfermeiro ou farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espectro de susceptibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Potencialmente Grave

Levodopa + Piridoxina (Vitamina B6)

Observações: A levodopa é degradada no intestino antes de alcançar os locais de absorção. Os agentes que alteram a motilidade gastrintestinal podem alterar o grau de degradação intra-luminal. O efeito anti-parkinsoniano da levodopa é susceptível à inibição por outros fármacos.
Interacções: Fármacos que inibem o efeito antiparkinsónico - Piridoxina - Piridoxina (Vitamina B6)
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Piridoxina (Vitamina B6) + Cicloserina (Terizidona)

Observações: N.D.
Interacções: Os seguintes medicamentos podem interferir e reduzir os níveis de cloridrato de piridoxina (vitamina B6): - Cicloserina - Hidralazinas - Isoniazida - Desoxipiridoxina - D-penicilamina - Contraceptivos orais - Álcool - Cicloserina (Terizidona)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Isoniazida + Piridoxina (Vitamina B6)

Observações: A isoniazida é um inibidor do metabolismo hepático de vários fármacos, o que pode potenciar a toxicidade de alguns fármacos tomados concomitantemente. Alimentos ricos em tiramina (queijo e peixe): A isoniazida com o consumo destes alimentos, pode causar elevação dos valores tensionais, taquicardia e rubor facial.
Interacções: As necessidades de piridoxina podem estar aumentadas nos doentes submetidos a terapêutica com isoniazida. - Piridoxina (Vitamina B6)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Penicilamina + Piridoxina (Vitamina B6)

Observações: O prurido e o exantema prematuro podem frequentemente ser prevenidos pela administração concomitante de anti-histamínicos. Em caso de alteração do paladar deve ser administrado diariamente 5 mg de sulfato de cobre solução a 0,1% em toma alternada com a de Penicilamina. Em caso de artrite reumatóide a reacção terapêutica pode demorar alguns meses; o tratamento pré-existente com analgésicos, anti-inflamatórios ou corticosteróides deve ser prosseguido e, em seguida, gradualmente diminuído.
Interacções: A penicilamina aumenta a necessidade de piridoxina, deve haver, portanto, um aporte de 25 mg por dia de piridoxina durante o tratamento. - Piridoxina (Vitamina B6)
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Altretamina + Piridoxina (Vitamina B6)

Observações: N.D.
Interacções: A combinação com a piridoxina (vitamina B6) diminui a neurotoxicidade, mas descobriu-se que reduz a eficácia de um regime de altretamina / cisplatina. - Piridoxina (Vitamina B6)
Usar com precaução

Cisplatina + Piridoxina (Vitamina B6)

Observações: N.D.
Interacções: Num ensaio randomizado em doentes com carcinoma do ovário avançado a resposta à terapia foi influenciada negativamente pela administração concomitante de piridoxina e hexametilmelamina. - Piridoxina (Vitamina B6)
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Piridoxina (Vitamina B6) + Hidralazina

Observações: N.D.
Interacções: Os seguintes medicamentos podem interferir e reduzir os níveis de cloridrato de piridoxina (vitamina B6): - Cicloserina - Hidralazinas - Isoniazida - Desoxipiridoxina - D-penicilamina - Contraceptivos orais - Álcool - Hidralazina
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Piridoxina (Vitamina B6) + Isoniazida

Observações: N.D.
Interacções: Os seguintes medicamentos podem interferir e reduzir os níveis de cloridrato de piridoxina (vitamina B6): - Cicloserina - Hidralazinas - Isoniazida - Desoxipiridoxina - D-penicilamina - Contraceptivos orais - Álcool - Isoniazida
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Piridoxina (Vitamina B6) + Penicilamina

Observações: N.D.
Interacções: Os seguintes medicamentos podem interferir e reduzir os níveis de cloridrato de piridoxina (vitamina B6): - Cicloserina - Hidralazinas - Isoniazida - Desoxipiridoxina - D-penicilamina - Contraceptivos orais - Álcool - Penicilamina
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Piridoxina (Vitamina B6) + Contracetivos orais

Observações: N.D.
Interacções: Os seguintes medicamentos podem interferir e reduzir os níveis de cloridrato de piridoxina (vitamina B6): - Cicloserina - Hidralazinas - Isoniazida - Desoxipiridoxina - D-penicilamina - Contraceptivos orais - Álcool - Contracetivos orais
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Piridoxina (Vitamina B6) + Álcool

Observações: N.D.
Interacções: Os seguintes medicamentos podem interferir e reduzir os níveis de cloridrato de piridoxina (vitamina B6): - Cicloserina - Hidralazinas - Isoniazida - Desoxipiridoxina - D-penicilamina - Contraceptivos orais - Álcool - Álcool
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Piridoxina (Vitamina B6) + Levodopa (L-dopa)

Observações: N.D.
Interacções: A administração de cloridrato de piridoxina (vitamina B6) também pode reduzir a eficácia de medicamentos administrados concomitantemente, nomeadamente da levodopa. - Levodopa (L-dopa)
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Piridoxina (Vitamina B6) + Desoxipiridoxina

Observações: N.D.
Interacções: Os seguintes medicamentos podem interferir e reduzir os níveis de cloridrato de piridoxina (vitamina B6): - Cicloserina - Hidralazinas - Isoniazida - Desoxipiridoxina - D-penicilamina - Contraceptivos orais - Álcool - Desoxipiridoxina
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Neomicina + Piridoxina (Vitamina B6)

Observações: N.D.
Interacções: A Neomicina diminui a absorção e, por vezes, aumenta a excreção de diversos nutrientes, a exemplo de hidratos de carbono (sobretudo lactose, sacarose), gorduras (por lesão da mucosa do intestino delgado, com diarreia e, se for prolongada, com menor absorção de vitaminas lipossolúveis), cálcio, ferro, magnésio, potássio, sódio, azoto, ácido fólico e vitaminas A, B6, B12, D, E e K. A Neomicina destrói parte da flora bacteriana normal, levando a diarreia, micoses oportunistas, inclusive vaginais. A suplementação com flora bacteriana normal (Lactobacillus acidophilus, Bifidobacterium bifidus, Bifidobacterium longum, e Lactobacillus casei, Saccharomyces boulardi, Saccharomyces cerevesiae), na dose de um bilião de organismos por dia, bem como a vitamina K são aconselhadas. - Piridoxina (Vitamina B6)
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Diazepam + Fenitoína + Piridoxina (Vitamina B6)

Observações: n.d.
Interacções: Algumas drogas que podem diminuir os efeitos da fenitoína: ácido fólico, álcool (uso crónico), antiácidos, antineoplásicos, barbituratos, diazóxido, nitrofurantoína, piridoxina, rifampicina. - Piridoxina (Vitamina B6)
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções da Piridoxina (Vitamina B6)
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

A administração de doses elevadas de piridoxina durante a gravidez pode causar convulsões em recém-nascidos resultantes da dependência de piridoxina.
Consequentemente, e por medida de precaução, é preferível não utilizar este medicamento durante a gravidez.

A piridoxina passa para o leite materno, devendo ser evitado durante o aleitamento.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 09 de Julho de 2021