Pembrolizumab

DCI com Advertência na Gravidez
O que é
O Pembrolizumab (Nome comercial Keytruda e anteriormente lambrolizumab, também conhecido como MK-3475) tem como alvo o recetor de morte celular programada-1 (PD-1).
Usos comuns
É um anticorpo bloqueador do recetor de morte celular programada-1 (PD-1) indicado para o tratamento de pacientes com melanoma irressecável ou metastático e progressão da doença após ipilimumab e, se positivo para a mutação BRAF V600, um inibidor de BRAF.

Esta indicação foi aprovada sob homologação acelerada com base na taxa de resposta tumoral e durabilidade da resposta.

Ainda não foi estabelecida uma melhoria na sobrevivência ou nos sintomas relacionados com a doença.

A continuação da aprovação para esta indicação pode depender da verificação e descrição do benefício clínico nos ensaios confirmatórios.
Tipo
Sem informação.
História
A 04 de setembro de 2014, a Food and Drug Administration (FDA) nos EUA aprovou o Pembrolizumab como uma terapia inovadora.

Está aprovado para utilização após o tratamento com ipilimumab, ou após o tratamento com um inibidor de ipilimumab e BRAF em pacientes que apresentam uma mutação de BRAF.
Indicações
Tratamento do melanoma metastático.
Classificação CFT

16.03 : IMUNOMODULADORES

Mecanismo De Ação
A ligação dos TP-ligantes, PD-L1 e PD-L2, com o recetor de PD-1 que se encontra nas células T, inibe a proliferação de células T e a produção de citoquinas.

A sobre-regulação de ligantes PD-1 ocorre em alguns tumores e a sinalização através desta via pode contribuir para a inibição de células T ativas vigilância imunológica de tumores.

Pembrolizumab é um anticorpo monoclonal que liga-se ao recetor PD-1 e bloqueia a sua interação com PD-L1 e PD-L2, libertando PD-1 via inibição mediada pela resposta imunitária, incluindo a resposta imune antitumoral.

Nos modelos de ratos tumor singénicos, o bloqueio da atividade de DP-1 resultou na redução do crescimento do tumor.
Posologia Orientativa
Administrar 2 mg/kg como infusão intravenosa durante 30 minutos a cada três semanas.

Reconstituir e diluir antes da infusão intravenosa.
Administração
Via intravenosa.
Contraindicações
Nenhuma.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
As reações adversas mais comuns (relatados em ≥ 20% dos doentes) incluem fadiga, tosse, náuseas, prurido, erupção cutânea, diminuição do apetite, obstipação, artralgia e diarreia.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Não administrar durante a gravidez
Precauções Gerais
Colite imunomediada: Suspender ou descontinuar permanentemente no caso de colite moderada ou grave que implique risco de vida.

Hepatite imunomediada: Monitorizar para mudanças na função hepática.

Com base na gravidade do aumento das enzimas hepáticas, suspender ou interromper.

Hipofisite imunomediada: Suspender no caso de moderada, suspender ou descontinuar no caso de grave, e descontinuar permanentemente no caso de hipofisite que implique risco de vida.

Nefrite imunomediada: Monitorizar para mudanças na função renal.

Suspender no caso de moderada, e descontinuar permanentemente em caso de nefrite que implique risco de vida.

Hipertiroidismo e hipotiroidismo imunomediado: Monitorizar para alterações na função da tiroide.

Suspender no caso de grave e descontinuar permanentemente em caso de hipertiroidismo que implique risco de vida.

Toxicidade embriofetal: pode causar dano fetal.

Aconselhar as mulheres com potencial reprodutivo do risco potencial para o feto.
Cuidados com a Dieta
Sem informação.
Terapêutica Interrompida
Sem informação.
Cuidados no Armazenamento
Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Em temperatura ambiente por mais de 4 horas a partir do momento da reconstituição.

Guarde os frascos sob refrigeração a 2° C a 8° C (36° F a 46° F).

Não congelar.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Deve informar o médico ou farmacêutico se estiver a tomar, ou tiver tomado recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 08 de Setembro de 2020