Oxicodona

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência na Insuficiência Renal DCI com Advertência na Condução DCI com Advertência no Dopping
O que é
A oxicodona é um medicamento opióide usado para o tratamento da dor moderada a intensa e uma droga comum de abuso.
Oxicodona é um fármaco opióide analgésico, análogo semi-sintético da morfina, derivado da tebaína.
O início do alívio da dor geralmente começa em quinze minutos e dura até seis horas com a formulação de liberação imediata.

Em Portugal, encontra-se listado na Tabela I-A, restrito e sujeito a receita médica especial.

Dopping: Substância proibida - Portaria n.º 411/2015, de 26 de novembro - Aprova a Lista de Substâncias e Métodos Proibidos para 2016 e revoga a Portaria n.º 270/2014, de 22 de dezembro.
Usos comuns
A Oxicodona é usada para aliviar a dor moderada a grave.

Pertence ao grupo de medicamentos chamados analgésicos narcóticos (medicamentos para a dor).

Oxicodona age sobre o sistema nervoso central (SNC) para aliviar a dor.

Oxicodona comprimidos de libertação controlada não deve ser usado para tratamento de curta duração para a dor, como por exemplo quando se está a recuperar de uma cirurgia.

Não use oxicodona para aliviar a dor moderada.

Oxicodona não deve ser utilizada para tratar de dores ocasionais.

Quando oxicodona é usada por um longo tempo, pode desenvolver habituação, causando dependência física ou mental.

No entanto, pessoas com dores continuas não devem deixar que o medo de se tornarem dependentes os impeça de tomar o medicamento para aliviar a dor. Dependência Mental (vício) não é provável que ocorra quando o medicamento é usado para essa finalidade.

A dependência física pode levar a efeitos colaterais de abstinência se o tratamento for interrompido repentinamente.

No entanto, efeitos secundários graves podem ser prevenidos através da redução gradual da dose por um período de tempo antes de parar o tratamento por completo.
Tipo
Molécula pequena.
História
Oxicodona foi sintetizada em 1916 na Alemanha por Martin Freund e Edmund Speyer a partir de thebaine.
Seu nome químico é derivado da codeína, pois as suas estruturas químicas são bastante semelhantes.
Indicações
Para o tratamento da diarreia, edema pulmonar e para o alívio da dor moderada a moderadamente severa.
Classificação CFT

02.12 : Analgésicos estupefacientes

Mecanismo De Acção
A oxicodona revela uma afinidade com os receptores de opiáceos κ, μ e δ no cérebro e na medula espinal. actua nestes receptores como um agonista de opiáceos sem um efeito antagonista.

O efeito terapêutico é principalmente analgésico e sedativo.

Comparativamente com a oxicodona de libertação rápida, administrada sozinha ou em combinação com outras substâncias, os comprimidos de libertação prolongada proporcionam o alívio da dor por um período acentuadamente mais longo sem um aumento da ocorrência de efeitos indesejáveis.
Posologia Orientativa
Conforme prescrição médica.
Administração
A oxicodona é de apresentação cronogramada, isto é, possui uma libertação inicial rápida seguida de uma libertação lenta.

Os comprimidos devem ser engolidos, não podendo ser mastigados ou triturados.
Contra-Indicações
Hipersensibilidade ao cloridrato de oxicodona, à soja, ao amendoim
Depressão respiratória grave com hipoxia e/ou hipercapnia
Doença pulmonar obstrutiva crónica grave cor pulmonale
Asma brônquica grave
Íleo paralítico
Gravidez e aleitamento
Abdómen agudo, esvaziamento gástrico retardado.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Fale com seu médico se qualquer destes efeitos secundários mais comuns persistirem ou se tornarem incómodos:
A obstipação, tonturas, sonolência, dor de cabeça, náuseas, insónias, vómitos, fraqueza.

Procure ajuda médica imediatamente se algum destes efeitos secundários graves ocorrerem:

Reacções alérgicas graves (rash, urticária, comichão, dificuldade em respirar; aperto no peito, inchaço da boca, face, lábios ou língua), dor torácica, confusão; dificuldade ou dor ao urinar; desmaios; batimentos cardíacos irregulares, rápidos ou lentos, febre, arrepios, dor de garganta persistente, alterações mentais ou de humor, dormência de um braço ou perna; convulsões, tonturas grave ou persistentes, sensação de desmaio; dificuldade respiratória ou respiração lenta; súbita dor de cabeça severa, vómitos, inchaço das mãos, tornozelos ou pés; tremor; cansaço ou fraqueza incomum; alterações na visão.
Advertências
Insuf. Renal
Insuf. Renal
Insuf. Renal:Oxicodona não deve ser tomado durante a amamentação.
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Oxicodona não deve ser tomado durante a gravidez.
Dopping
Dopping
Dopping:Narcóticos. Substância probida - Portaria n.º 411/2015, de 26 de novembro - Aprova a Lista de Substâncias e Métodos Proibidos para 2016 e revoga a Portaria n.º 270/2014, de 22 de dezembro.
Condução
Condução
Condução:A oxicodona pode prejudicar a capacidade de alerta e a reactividade ao ponto de a capacidade de conduzir e utilizar máquinas ser afectada ou eliminada por completo. Com uma terapêutica estável, não é necessário impor uma proibição geral de conduzir. O médico assistente deve avaliar a situação individual.
Precauções Gerais
É muito importante que o médico verifique o progresso do tratamento com oxicodona.

Isso permitirá que o médico verifique se está a funcionar correctamente e decida se deve continuar a tomá-lo.

A oxicodona pode causar um tipo grave de reacção alérgica chamada de anafilaxia.
Anafilaxia pode ser fatal e exige atenção médica imediata.

Contacte o médico imediatamente se tiver uma erupção cutânea, comichão, rouquidão, dificuldade para respirar, dificuldade em engolir ou qualquer inchaço das mãos, rosto ou na boca, enquanto estiver a tomar oxicodona.

Não tome mais medicamento do que o indicado pelo médico. Isso pode ser fatal.

Os sintomas de uma sobredosagem incluem tonturas ou fraqueza extrema, batimento cardíaco lento ou respiração lenta, convulsões, dificuldade para respirar, pele fria e húmida. Chame o médico imediatamente se sentir estes sintomas.

A oxicodona irá adicionar aos efeitos do álcool e outros depressores do SNC (medicamentos que causam sonolência ou estado de alerta reduzido).

Alguns exemplos de depressores do SNC são anti-histamínicos ou medicamentos para alergias ou constipações, sedativos, tranquilizantes ou medicamentos para dormir, outros analgésicos prescritos ou narcóticos, medicamentos para convulsões ou barbitúricos, relaxantes musculares ou anestésicos, incluindo alguns anestésicos dentários.

Fale com o médico antes de tomar qualquer um destes medicamentos enquanto estiver a utilizar oxicodona.

A oxicodona pode causar dependência.

Se você sentir que o medicamento não está a funcionar, não continue a tomá-lo. Fale com o médico para obter instruções.

Tonturas, vertigens ou desmaios podem ocorrer quando se levanta de repente a partir de uma posição deitada ou sentada. Levantar-se lentamente pode ajudar a diminuir este problema.
Além disso, deitar-se por um tempo pode aliviar a tonturas ou vertigens.
A oxicodona pode causar tonturas, sonolência ou vertigens.
Certifique-se de como reage à oxicodona antes de conduzir, utilizar máquinas ou fazer qualquer outra actividade que possa ser perigoso em caso de ter tonturas ou estado de vigilância reduzido.

O uso de narcóticos por um longo período de tempo pode causar obstipação grave.
Para evitar isso, o médico pode encaminhá-lo para tomar laxantes, beber muitos líquidos ou aumentar a quantidade de fibras na sua dieta.

Certifique-se de seguir as instruções com cuidado, porque a obstipação contínua pode levar a problemas mais sérios.

Se estiver a usar oxicodona regularmente por várias semanas ou mais, não altere a dose ou pare de repente sem consultar primeiro o médico.
O médico pode querer reduzir gradualmente a dosagem antes de parar completamente.

Isso pode ajudar a prevenir o agravamento da sua condição e reduzir a possibilidade de sintomas de abstinência, tais como cólicas estomacais e abdominais, ansiedade, febre, náuseas, corrimento nasal, sudorese, tremores ou problemas para dormir.

Usar oxicodona na gravidez pode causar efeitos indesejáveis graves no bebé recém-nascido.

Informe o médico imediatamente se suspeita de gravidez ou se planeia engravidar durante o uso de oxicodona.

Certifique-se de que o médico ou dentista sabe que está a tomar oxicodona.

Oxicodona pode alterar os resultados de certos exames médicos.

Não tome outros medicamentos que não tenham sido discutidos com o médico. Isto inclui medicamentos de venda livre, medicamentos de ervas ou suplementos vitamínicos.
Cuidados com a Dieta
Tome, independentemente das refeições.
Evite o álcool.
Terapêutica Interrompida
Se falhar uma dose de oxicodona, tome-a assim que possível.
No entanto, se estiver quase na hora da sua próxima dose, ignore a dose esquecida e voltar ao seu esquema posológico regular.
Não duplique doses.
Cuidados no Armazenamento
Mantenha todos os medicamentos fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu médico, enfermeiro ou farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espectro de susceptibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Oxicodona Depressores do SNC

Observações: n.d.
Interacções: Os depressores do sistema nervoso central (por exemplo, sedativos, hipnóticos, fenotiazinas, neurolépticos, anestésicos, antidepressores, relaxantes musculares, Anti-histamínicos, antieméticos) e outros opiáceos ou álcool podem potenciar as reacções adversas da oxicodona, em particular, a depressão respiratória. - Depressores do SNC
Sem efeito descrito

Pregabalina Oxicodona

Observações: Como a pregabalina é predominantemente excretada na urina na forma inalterada, sofre uma metabolização negligenciável no ser humano (< 2% da dose recuperada na urina na forma de metabolitos), não inibe o metabolismo dos fármacos in vitro e não se fixa às proteínas plasmáticas, é improvável que produza ou esteja sujeita a interacções farmacocinéticas. Não foram conduzidos estudos específicos de interacção farmacodinâmica em voluntários idosos. Os estudos de interacção foram apenas realizados em adultos.
Interacções: Por conseguinte, nos estudos in vivo não se observaram interacções farmacocinéticas, clinicamente relevantes, entre a pregabalina e fenitoína, carbamazepina, ácido valproico, lamotrigina, gabapentina, lorazepam, oxicodona ou etanol. Em ensaios clínicos controlados, doses orais reiteradas de pregabalina em co-administração com oxicodona, lorazepam, ou etanol não resultaram em efeitos clinicamente importantes na respiração. A pregabalina é, aparentemente, aditiva na diminuição, induzida pela oxicodona, das funções cognitiva e motora grosseiras. - Oxicodona
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Oxicodona Sedativos

Observações: n.d.
Interacções: Os depressores do sistema nervoso central (por exemplo, sedativos, hipnóticos, fenotiazinas, neurolépticos, anestésicos, antidepressores, relaxantes musculares, Anti-histamínicos, antieméticos) e outros opiáceos ou álcool podem potenciar as reacções adversas da oxicodona, em particular, a depressão respiratória. - Sedativos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Oxicodona Hipnóticos

Observações: n.d.
Interacções: Os depressores do sistema nervoso central (por exemplo, sedativos, hipnóticos, fenotiazinas, neurolépticos, anestésicos, antidepressores, relaxantes musculares, Anti-histamínicos, antieméticos) e outros opiáceos ou álcool podem potenciar as reacções adversas da oxicodona, em particular, a depressão respiratória. - Hipnóticos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Oxicodona Relaxantes musculares

Observações: n.d.
Interacções: Os depressores do sistema nervoso central (por exemplo, sedativos, hipnóticos, fenotiazinas, neurolépticos, anestésicos, antidepressores, relaxantes musculares, Anti-histamínicos, antieméticos) e outros opiáceos ou álcool podem potenciar as reacções adversas da oxicodona, em particular, a depressão respiratória. - Relaxantes musculares
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Oxicodona Anti-histamínicos

Observações: n.d.
Interacções: Os depressores do sistema nervoso central (por exemplo, sedativos, hipnóticos, fenotiazinas, neurolépticos, anestésicos, antidepressores, relaxantes musculares, Anti-histamínicos, antieméticos) e outros opiáceos ou álcool podem potenciar as reacções adversas da oxicodona, em particular, a depressão respiratória. Os anticolinérgicos (por exemplo, neurolépticos, anti-histamínicos, anti-eméticos, medicamentos antiParkinson) podem potenciar os efeitos indesejáveis anticolinérgicos da oxicodona (como obstipação, boca seca ou perturbações da micção). - Anti-histamínicos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Oxicodona Antieméticos

Observações: n.d.
Interacções: Os depressores do sistema nervoso central (por exemplo, sedativos, hipnóticos, fenotiazinas, neurolépticos, anestésicos, antidepressores, relaxantes musculares, Anti-histamínicos, antieméticos) e outros opiáceos ou álcool podem potenciar as reacções adversas da oxicodona, em particular, a depressão respiratória. Os anticolinérgicos (por exemplo, neurolépticos, anti-histamínicos, antieméticos, medicamentos antiParkinson) podem potenciar os efeitos indesejáveis anticolinérgicos da oxicodona (como obstipação, boca seca ou perturbações da micção). - Antieméticos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Oxicodona Álcool

Observações: n.d.
Interacções: Os depressores do sistema nervoso central (por exemplo, sedativos, hipnóticos, fenotiazinas, neurolépticos, anestésicos, antidepressores, relaxantes musculares, Anti-histamínicos, antieméticos) e outros opiáceos ou álcool podem potenciar as reacções adversas da oxicodona, em particular, a depressão respiratória. - Álcool
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Oxicodona Opiáceos (opióides)

Observações: n.d.
Interacções: Os depressores do sistema nervoso central (por exemplo, sedativos, hipnóticos, fenotiazinas, neurolépticos, anestésicos, antidepressores, relaxantes musculares, Anti-histamínicos, antieméticos) e outros opiáceos ou álcool podem potenciar as reacções adversas da oxicodona, em particular, a depressão respiratória. - Opiáceos (opióides)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Oxicodona Neurolépticos

Observações: n.d.
Interacções: Os anticolinérgicos (por exemplo, neurolépticos, anti-histamínicos, anti-eméticos, medicamentos antiParkinson) podem potenciar os efeitos indesejáveis anticolinérgicos da oxicodona (como obstipação, boca seca ou perturbações da micção). - Neurolépticos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Oxicodona Antiparkinsónicos

Observações: n.d.
Interacções: Os anticolinérgicos (por exemplo, neurolépticos, anti-histamínicos, anti-eméticos, medicamentos antiParkinson) podem potenciar os efeitos indesejáveis anticolinérgicos da oxicodona (como obstipação, boca seca ou perturbações da micção). - Antiparkinsónicos
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Oxicodona Cimetidina

Observações: n.d.
Interacções: A cimetidina pode inibir o metabolismo da oxicodona. - Cimetidina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Oxicodona Narcóticos

Observações: n.d.
Interacções: Os inibidores da monoaminoxidase (MAO) são conhecidos por interagir com os analgésicos narcóticos, produzindo excitação ou depressão do SNC com crise hipertensiva ou hipotensiva. - Narcóticos
Usar com precaução

Oxicodona Inibidores do CYP2D6

Observações: n.d.
Interacções: A inibição do citocromo P450 2D6 e 3A4 não tem qualquer relevância clínica. No entanto, os fortes inibidores de CYP2D6 podem ter um efeito sobre a eliminação da oxicodona. Desconhece-se o efeito de outros inibidores importantes de isoenzimas sobre o metabolismo da oxicodona. Potenciais interacções devem ser tidas em consideração. - Inibidores do CYP2D6
Usar com precaução

Oxicodona Anticoagulantes orais (Derivados da Cumarina)

Observações: n.d.
Interacções: Foram observadas alterações clinicamente relevantes no International Normalised Ratio (INR) em ambas as direcções, em indivíduos que tomaram anticoagulantes derivados da cumarina juntamente com Oxicodona. - Anticoagulantes orais (Derivados da Cumarina)
Não recomendado/Evitar

Etcorvinol Oxicodona

Observações: n.d.
Interacções: Usando etclorvinol com qualquer um dos seguintes medicamentos normalmente não é recomendada, mas pode não ser necessária em alguns casos. Se ambos os medicamentos são prescritos em conjunto, o médico pode alterar a dose. - Adinazolam - Alfentanil - Alprazolam - Amobarbital - Anileridina - Aprobarbital - Brofaromina - Bromazepam - Brotizolam - Buprenorfina - Butabarbital - Butalbital - Carbinoxamina - Carisoprodol - Clorodiazepóxido - Clorzoxazona - Clobazam - Clonazepam - Clorazepato - Clorgilina - Codeína - Dantroleno - Diazepam - Estazolam - Fentanilo - Flunitrazepam - Flurazepam - Furazolidona - Halazepam - Hidrocodona - Hidromorfona - Iproniazida - Isocarboxazida - Cetazolam - Lazabemida - Levorfanol - Linezolida - lorazepam - lormetazepam - Meclizina - Medazepam - meperidina - mefenesina - meprobamato - metaxalone - metadona - Metocarbamol - Metoexital - Midazolam - Moclobemida - Morfina - Nialamida - Nitrazepam - Nordazepam - Oxazepam - Oxicodona - Oximorfona - Pargilina - Pentobarbital - Fenelzina - Fenobarbital - Prazepam - Primidona - Procarbazina - Propoxifeno - Quazepam - Rasagilina - Remifentanil - Secobarbital - Selegilina - Sufentanil - Suvorexanto - Tapentadol - Temazepam - Tiopental - Toloxatona - Tranilcipromina - Triazolam - Zolpidem - Oxicodona
Usar com precaução

Abiraterona Oxicodona

Observações: n.d.
Interacções: Num estudo para determinar os efeitos do acetato de abiraterona (mais prednisona) numa dose única de dextrometorfano, substrato do CYP2D6, a exposição sistémica (AUC) ao dextrometorfano aumentou aproximadamente 2,9 vezes. A AUC24 do dextrorfano, o metabólito activo do dextrometorfano, aumentou em aproximadamente 33%. Recomenda-se precaução quando Abiraterona é administrado com medicamentos activa dos ou metabolizados pelo CYP2D6, especialmente com medicamentos com um índice terapêutico estreito. Deve considerar-se uma redução da dose em medicamentos com índice terapêutico estreito, que sejam metabolizados pelo CYP2D6. Exemplos de medicamentos metabolizados pelo CYP2D6 incluem metoprolol, propranolol, desipramina, venlafaxina, haloperidol, risperidona, propafenona, flecainida, codeína, oxicodona e tramadol (os três últimos medicamentos requerem CYP2D6 para formar os seus metabólitos analgésicos ativos). - Oxicodona
Não recomendado/Evitar

Furazolidona Oxicodona

Observações: n.d.
Interacções: A utilização de furazolidona com qualquer um dos seguintes medicamentos não é geralmente recomendada, mas pode ser necessária em alguns casos. - Salbutamol (albuterol) - Altretamina - Anfetamina - Formoterol (Arformoterol) - Abacate - Bambuterol - Laranja amarga - Clenbuterol - Difenoxina - Difenoxilato - Dolasetrona - Droperidol - Efedrina - Etcorvinol - Fenoterol - Fentanilo - Formoterol - Frovatriptano - Granisetron - Guaraná - Hexoprenalina - Hidrocodona - Hidromorfona - Indacaterol - Iobenguano (123I) - Isoetarina - Kava - Levalbuterol - Alcaçuz - Lisdexanfetamina - Lorcaserina - Ma Huang - Meperidina - Metaproterenol - Metaraminol - Morfina - Naratriptano - Norepinefrina - Olodaterol - Oxicodona - Palonossetrom - Fenilefrina - Fenilpropanolamina - Pirbuterol - Procaterol - Reboxetina - Reproterol - Ritodrina - Salmeterol - Erva de São João (Hipericão) - Terbutalina - Tretoquinol - Tulobuterol - Tirosina - Vilanterol - Ziprasidona - Oxicodona
Usar com precaução

Morfina Oxicodona

Observações: n.d.
Interacções: Associações a ter em conta: Outros analgésicos morfínicos agonistas (alfentanilo, codeína, dextromoramida, dextropropoxifeno, di-hidrocodeína, fentanilo, oxicodona, petidina, fenoperidina, remifentanilo, sufentanilo, tramadol). - Oxicodona
Usar com precaução

Darunavir + Cobicistate Oxicodona

Observações: Não foram realizados estudos de interacção farmacológica com Darunavir / Cobicistate. Uma vez que Darunavir / Cobicistate contém darunavir e cobicistate, as interações que foram identificadas com darunavir (em associação uma dose baixa de ritonavir) e com cobicistate determinam as interações que podem ocorrer com Darunavir / Cobicistate. Os ensaios de interacção com darunavir/ritonavir e com cobicistate apenas foram realizados em adultos.
Interacções: ANALGÉSICOS NARCÓTICOS / TRATAMENTO DA DEPENDÊNCIA DE OPIÓIDES: Fentanilo, Oxicodona, Tramadol: Tendo por base considerações teóricas, é expectável que Darunavir / Cobicistate possa aumentar as concentrações plasmáticas de analgésicos. (inibição do CYP2D6 e/ou CYP3A) Recomenda-se monitorização clínica quando Darunavir / Cobicistate é administrado concomitantemente com estes analgésicos. - Oxicodona
Usar com precaução

Voriconazol Oxicodona

Observações: n.d.
Interacções: Opiáceos de acção prolongada [substratos do CYP3A4] Oxicodona (dose única de 10 mg) Deve ser considerada a redução da dose de oxicodona e outros opiáceos de acção prolongada metabolizados pelo CYP3A4 (ex. hidrocodona). Pode ser necessária uma monitorização frequente das reacções adver as associadas aos opiáceos. - Oxicodona
Usar com precaução

Darunavir + Cobicistate + Emtricitabina + Tenofovir alafenamida Oxicodona

Observações: Não foram realizados estudos de interacção farmacológica com este medicamento. As interações que foram identificadas em estudos com componentes individuais de este medicamento, isto é, com darunavir (em associação uma dose baixa de ritonavir), cobicistate, emtricitabina ou tenofovir alafenamida, determinam as interações que podem ocorrer com este medicamento. As interações esperadas entre Darunavir + Cobicistate + Emtricitabina + Tenofovir alafenamida e potenciais medicamentos concomitantes são baseadas em estudos realizados com os componentes deste medicamento, como agentes individuais ou em associação, ou são interações medicamentosas potenciais que podem ocorrer. Os ensaios de interacção com os componentes de este medicamento foram realizados apenas em adultos.
Interacções: ANALGÉSICOS NARCÓTICOS / TRATAMENTO DA DEPENDÊNCIA DE OPIOIDES Fentanilo Oxicodona Tramadol Tendo por base considerações teóricas, é expectável que DRV/COB possa aumentar as concentrações plasmáticas de analgésicos. (inibição do CYP2D6 e/ou CYP3A). Recomenda-se monitorização clínica quando este medicamento é administrado concomitantemente com estes analgésicos. - Oxicodona
Não recomendado/Evitar

Dezocina Oxicodona

Observações: n.d.
Interacções: Dezocina Interagindo com Oxicodona Efeito: Potenciação da depressão sobre o SNC, aumento da depressão respiratória, hipotensão e sedação profunda. Mecanismo: Efeito aditivo. Recomendação: Evite a administração conjunta. - Oxicodona
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções da Oxicodona
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Oxicodona não deve ser tomado durante a gravidez.
Não há dados adequados sobre a utilização da oxicodona em mulheres grávidas.
A oxicodona atravessa a placenta.
A utilização prolongada da oxicodona durante a gravidez pode causar sintomas de abstinência nos recém-nascidos.
O uso da oxicodona durante o trabalho de parto pode causar depressão respiratória no feto.

Oxicodona não deve ser tomado durante a amamentação.
A oxicodona passa para o leite materno.

A oxicodona pode prejudicar a capacidade de alerta e a reactividade ao ponto de a capacidade de conduzir e utilizar máquinas ser afectada ou eliminada por completo.
Com uma terapêutica estável, não é necessário impor uma proibição geral de conduzir.
O médico assistente deve avaliar a situação individual.

Dopping: Narcóticos. Substância proibida - Portaria n.º 411/2015, de 26 de novembro - Aprova a Lista de Substâncias e Métodos Proibidos para 2016 e revoga a Portaria n.º 270/2014, de 22 de dezembro.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Novembro de 2021