Nivolumab

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência na Condução
O que é
Nivolumab é um anticorpo monoclonal.

Um tipo de proteína desenvolvida para reconhecer e para liga-ser a uma substância alvo específica do organismo.

O nivolumab liga-se a uma proteína alvo designada recetor de morte programada 1 (que pode bloquear a atividade das células T (um tipo de glóbulos brancos que faz parte do sistema imunitário, as defesas naturais do organismo).

Pela fixação ao PD-1, o nivolumab bloqueia a sua ação e previne o bloqueio das células T.

Isto ajuda no aumento da sua atividade contra as células do melanoma.

Usos comuns
Nivolumab é um medicamento utilizado para o tratamento de melanoma avançado (um tipo de cancro da pele) em adultos
Tipo
Biotecnologia.
História
Sem informação.
Indicações
Nivolumab em monoterapia é indicado para o tratamento do melanoma avançado (irressecável ou metastático) em adultos.
Classificação CFT

16.03 : IMUNOMODULADORES

Mecanismo De Ação
O nivolumab é um anticorpo monoclonal humano de imunoglobulina G4 (IgG4) (HuMAb), que liga-se aos recetores de morte programada-1 (PD-1) e bloqueia as interações com PD-L1 e PD-L2.

O recetor PD-1é um regulador negativo da atividade das células T que demonstrou estar envolvido no controlo das respostas imunitárias das células T.

A ligação do recetor PD-1 aos ligandos PD-L1 e PD-L2, que são expressos em células apresentadoras de antigénios e podem ser expressos por células tumorais ou outras células no microambiente tumoral, resulta na inibição da proliferação de células T e secreção de citocina.

O nivolumab potencia as respostas de células T, incluindo respostas antitumorais, através do bloqueio da ligação do PD-1aos ligandos PD-L1 e PD-L2.

Em modelos de ratinhos singeneicos,o bloqueio da atividade PD-1 resultou numa diminuição do crescimento do tumor.

Posologia Orientativa
A dose recomendada de Nivolumab é de 3 mg/kg administrada por via intravenosa durante um período de 60 minutos cada 2 semanas.

O tratamento deve ser continuado enquanto se observar benefício clínico ou até que o tratamento não seja tolerado pelo doente.

Administração
O tratamento tem de ser iniciado e supervisionado por médicos com experiência no tratamento de cancro.

Nivolumab é para administração intravenosa apenas.

É administrado por perfusão intravenosa durante um período de 60 minutos.

A perfusão tem de ser administrada através de um filtro em linha estéril, não pirogénico, de baixa ligação às proteínas, com tamanho dos poros de 0,2 μm a 1,2 μm.


Nivolumab não pode ser administrado por via intravenosa rápida nem como injeção em bólus.

Contraindicações
Hipersensibilidade ao Nivolumab.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
O Nivolumab atua no seu sistema imunitário e pode causar inflamação em algumas partes do seu organismo.

A inflamação pode causar lesões graves ao seu organismo e algumas situações inflamatórias podem ser potencialmente fatais necessitando de tratamento ou que o nivolumab seja retirado.


Os seguintes efeitos secundários foram notificados em ensaios clínicos com nivolumab:

Efeitos secundários muito frequentes (podem afetar mais de 1 em 10 pessoas)
- Diarreia (fezes aquosas, soltas ou moles), náuseas
- Erupção na pele, comichão
- Sentir-se cansado ou fraco

Efeitos secundários frequentes (podem afetar até 1 em 10 pessoas)
- Infeções do trato respiratório superior

- Função diminuída da glândula tiroide, que pode causar cansaço ou ganho de peso, função aumentada da glândula tiroide, que pode causar batimento cardíaco rápido, sudação e perda de peso
- Níveis elevados de açúcar no sangue (hiperglicemia)
- Níveis baixos de sódio no sangue (hiponatremia), apetite diminuído
- Inflamação dos nervos causando adormecimento, fraqueza, sensação de formigueiro ou queimadura nos braços e pernas; dor de cabeça, tonturas
- Tensão arterial elevada (hipertensão)
- Inflamação dos pulmões (pneumonite), caracterizada por tosse e dificuldade em respirar, falta de ar (dispneia), tosse
- Inflamação dos intestinos (colite), úlceras na boca e feridas herpéticas (estomatite), vómitos, dor no estômago, obstipação
- Alteração da coloração da pele em manchas (vitiligo), pele seca, rubor da pele, perda ou enfraquecimento do cabelo não habitual.

- Dor nos músculos, ossos e articulações
- Febre, edema (inchaço)
- Reações alérgicas, reações relacionadas com a perfusão do medicamento

Efeitos secundários pouco frequentes (podem afetar até 1 em 100 pessoas)
- Redução da secreção de hormonas produzidas pelas glândulas supra-renais (glândulas situadas por cima dos rins), função hipoativa (hipopituitarismo) ou inflamação (hipofisite) da glândula pituitária situada na base do cérebro, inchaço da glândula da tiroide, ácido no sangue produzido pela diabetes (cetoacidose diabética), diabetes
- Inflamação temporária dos nervos que causa dor, fraqueza e paralisia nas extremidades (síndrome de Guillian-Barré); perda da bainha protetora em volta dos nervos (desmielinização); uma condição em que os músculos tornam-se fracos e cansam-se facilmente (síndrome miasténico); inflamação dos nervos causada pelo ataque do organismo a si mesmo, causando adormecimento, fraqueza, formigueiro ou dor ardente
- Inflamação do olho causando dor ou vermelhidão, problemas de visão ou visão turva
- Alterações no ritmo ou na frequência cardíaca
- Inflamação do pâncreas
- Condições graves da pele que causam manchas vermelhas, pruriginosas, semelhantes às erupções cutâneas do sarampo, que começam nos membros e, por vezes, na face e no resto do corpo (eritema multiforme); doenças da pele com manchas vermelhas engrossadas, muitas vezes com escamas prateadas (psoríase); condições da pele onde o nariz e a face estão invulgarmente vermelhos (rosácea)
- Inflamação do rim, insuficiência renal

Informe o médico imediatamente se tiver algum destes efeitos secundários.

Não tente tratar os sintomas com outros medicamentos.


Alterações nos resultados dos testes
Nivolumab pode causar alterações nos resultados dos testes realizados pelo médico.

Estão incluídos:
- Testes da função hepática alterados (aumentos das enzimas hepáticas aspartato aminotransferase, alanina aminotransferase ou fosfatase alcalina no sangue, níveis aumentados do produto residual bilirrubina no sangue)
- Testes de função renal alterados (níveis aumentados de creatinina no sangue)
- Uma diminuição do número de glóbulos vermelhos (que transportam o oxigénio) no sangue, dos glóbulos brancos (que são importantes no combate às infeções) no sangue ou das plaquetas (células que ajudam o sangue a coagular).

Um aumento dos níveis da enzima que degrada as gorduras e da enzima que degrada o amido
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Não administrar durante a gravidez
Condução
Condução
Condução:Devido às potenciais reações adversas tais como a fadiga, os doentes devem ser alertados para serem cautelosos quando conduzem até estarem certos que o nivolumab não os afeta.
Precauções Gerais
1. Nivolumab não lhe deve ser administrado
- se tem alergia ao nivolumab ou a qualquer outro componente deste medicamento.

Advertências e precauções
- Problemas com os seus pulmões tais como dificuldade em respirar ou tosse.
Estes podem ser sinais de inflamação dos pulmões (pneumonite ou doença pulmonar intersticial).

- Diarreia (fezes aquosas, soltas ou moles), ou quaisquer outros sintomas de inflamação dos intestinos (colite), tais como dor de estômago, e muco ou sangue nas fezes.

- Inflamação do fígado (hepatite).

Os sinais e sintomas de hepatite podem incluir testes da função hepática alterados, amarelecimento da pele ou olhos (icterícia), dor na zona direita do estômago, ou cansaço.

- Inflamação ou problemas com os seus rins.

Os sinais e sintomas podem incluir testes da função renal alterados, ou diminuição do volume de urina.


- Problemas das glândulas que produzem hormonas (incluindo a pituitária, a tiroide e as glândulas supra-renais) que podem afetar o funcionamento destas glândulas.

Os sinais e sintomas que estas glândulas não estão a funcionar devidamente podem incluir fadiga (cansaço extremo), alterações no peso ou dor de cabeça e distúrbios visuais.

- Diabetes (os sintomas incluem sede excessiva, a passagem de um grande aumento da quantidade de urina, aumento de apetite com perda de peso, sensação de cansaço, sonolência, fraqueza, depressão, irritabilidade e mal-estar geral) ou cetoacidose diabética (ácido no sangue produzido pela diabetes).

- Inflamação da pele que pode levar a erupção ou prurido

Informe o médico imediatamente se tiver algum destes sinais ou sintomas ou se estes se agravarem.

Não tente tratar os seus sintomas com outros medicamentos.

O médico poderá dar-lhe outros medicamentos para prevenir complicações mais graves e para diminuir os seus sintomas, suspender a dose seguinte de Nivolumab ou parar por completo o seu tratamento com Nivolumab.

Ter em atenção que estes sinais e sintomas são por vezes retardados, e podem-se desenvolver semanas ou meses após a última dose.

Antes do tratamento, o médico irá avaliar o seu estado de saúde geral.

Também terá de realizar análises ao sangue durante o tratamento.


Confirme com o médico ou enfermeiro antes de lhe ser administrado Nivolumab se:
- tiver uma doença autoimune (uma condição em que o organismo ataca as suas próprias células);
- tiver melanoma do olho;
- já lhe foi administrado previamente ipilimumab, outro medicamento para tratar o melanoma, e teve efeitos adversos graves devido a esse medicamento.


Crianças e adolescentes
Nivolumab não deve ser utilizado em crianças e adolescentes com menos de 18 anos de idade.



Cuidados com a Dieta
Não interfere com alimentos e bebidas.
Terapêutica Interrompida
É muito importante que receba todas as doses de Nivolumab.

Se falhou uma administração da dose , pergunte ao médico quando deverá receber a dose seguinte.

Cuidados no Armazenamento
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Conservar no frigorífico (2ºC–8ºC).

Não congelar.

Conservar na embalagem de origem para proteger da luz.

Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Consultar informação actualizada

Nivolumab + Corticosteroides

Observações: O nivolumab é um anticorpo monoclonal humano, como tal, não foram realizados estudos de interação farmacocinética. Como os anticorpos monoclonais não são metabolizado pelas enzimas do citocromo P450 (CYP) nem por outras enzimas que metabolizam fármacos, não se antecipa que a inibição ou indução destas enzimas pela coadministração de medicamentos afete a farmacocinética do nivolumab.
Interações: Imunossupressão sistémica: O uso de corticosteroides sistémicos e de outros imunossupressores, antes de iniciar o nivolumab, devem ser evitados devido à sua potencial interferência com a atividade farmacodinâmica. Contudo, os corticosteroides sistémicos e outros imunossupressores podem ser utilizados depois de iniciar o nivolumab, para o tratamento de reações adversas imunitárias. - Corticosteroides
Consultar informação actualizada

Nivolumab + Imunossupressores

Observações: O nivolumab é um anticorpo monoclonal humano, como tal, não foram realizados estudos de interação farmacocinética. Como os anticorpos monoclonais não são metabolizado pelas enzimas do citocromo P450 (CYP) nem por outras enzimas que metabolizam fármacos, não se antecipa que a inibição ou indução destas enzimas pela coadministração de medicamentos afete a farmacocinética do nivolumab.
Interações: Imunossupressão sistémica: O uso de corticosteroides sistémicos e de outros imunossupressores, antes de iniciar o nivolumab, devem ser evitados devido à sua potencial interferência com a atividade farmacodinâmica. Contudo, os corticosteroides sistémicos e outros imunossupressores podem ser utilizados depois de iniciar o nivolumab, para o tratamento de reações adversas imunitárias. Os resultados preliminares mostraram que o uso da imunossupressão sistémica depois de iniciar o tratamento com nivolumab não parece impossibilitar a resposta de nivolumab. - Imunossupressores
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações do Nivolumab
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

O nivolumab não é recomendado durante a gravidez e em mulheres com potencial para engravidar que não utilizam métodos contracetivos eficazes, a menos que o benefício clínico compense o potencial risco.

Deve ser utilizada contraceção eficaz por pelo menos 5 meses após a última dose de Nivolumab.

Tem de ser tomada uma decisão sobre a descontinuação da amamentação ou a descontinuação da terapêutica com nivolumab, tendo em conta o benefício da amamentação para a criança e o benefício da terapêutica para a mulher.

Devido às potenciais reações adversas tais como a fadiga, os doentes devem ser alertados para serem cautelosos quando conduzem ou operam máquinas até estarem certos que o nivolumab não os afeta.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 08 de Setembro de 2020