Necitumumab

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
Necitumumab pertence a um grupo de substâncias designadas por anticorpos monoclonais.

O necitumumab reconhece e liga-se especificamente a uma proteína que se encontra na superfície de algumas células cancerígenas.

A proteína tem o nome de recetor do fator de crescimento epidérmico (EGFR).

Outras proteínas do organismo (designadas por fatores de crescimento) podem ligar-se ao EGFR, estimulando o crescimento e divisão das células cancerígenas.

O necitumumab impede que outras proteínas se liguem ao EGFR, prevenindo assim o crescimento e divisão das células cancerígenas.

Necitumumab é utilizado em associação com outros medicamentos anticancerígenos para tratamento de adultos com um certo tipo de cancro do pulmão num estadio avançado (cancro do pulmão de não-pequenas células de histologia escamosa), cujas células cancerígenas têm à superfície a proteína EGFR.

Os medicamentos anticancerígenos com que necitumumab é associado são a gemcitabina e a cisplatina.
Usos comuns
Necitumumab em associação com quimioterapia com gemcitabina e cisplatina está indicado no tratamento de doentes adultos com carcinoma do pulmão de não pequenas células localmente avançado ou metastático, de histologia escamosa, com expressão do recetor do fator de crescimento epidérmico (EGFR) que não receberam prévia quimioterapia para esta patologia.
Tipo
Medicamento Biológico.
História
Sem informação.
Indicações
Necitumumab em associação com quimioterapia com gemcitabina e cisplatina está indicado no tratamento de doentes adultos com carcinoma do pulmão de não pequenas células localmente avançado ou metastático, de histologia escamosa, com expressão do recetor do fator de crescimento epidérmico (EGFR) que não receberam prévia quimioterapia para esta patologia.
Classificação CFT

16.03 : IMUNOMODULADORES

Mecanismo De Ação
Necitumumab é um anticorpo monoclonal IgG1 humano recombinante que liga-se com uma elevada afinidade e especificidade ao recetor do fator de crescimento epidérmico 1 (EGFR) e bloqueia o local de ligação do ligante, bloqueando a ativação por todos os ligantes conhecidos e inibindo consequências biológicas relevantes in vitro.

A ativação do EGFR tem sido correlacionada com a progressão da malignidade, a indução de angiogénese e a inibição da apoptose ou morte celular.

Além disso, o necitumumab induz a internalização e degradação do EGFR in vitro.

Estudos in vivo em modelos de xenotransplante de cancro humano derivados de linhas celulares, incluindo cancro do pulmão de não-pequenas células, demonstram que o necitumumab tem atividade antitumoral tanto em monoterapia como em associação com gemcitabina e cisplatina.
Posologia Orientativa
Necitumumab é administrado em associação com quimioterapia com gemcitabina e cisplatina por um período máximo de 6 ciclos de tratamento, seguido de necitumumab em monoterapia em doentes cuja doença não tenha progredido, até se verificar progressão da doença ou toxicidade inaceitável.

A dose recomendada de necitumumab é de 800 mg (dose única), administrada por perfusão intravenosa durante 60 minutos nos dias 1 e 8 de cada ciclo de 3 semanas.

Se for indicada uma taxa de perfusão menor, a duração da perfusão não deverá ultrapassar 2 horas.

Os doentes deverão ser vigiados durante a perfusão relativamente a sinais de reações relacionadas com a perfusão.
Administração
O tratamento com necitumumab será supervisionado por um médico com experiência na utilização de medicamentos anticancerígenos.

Necitumumab destina-se unicamente a utilização intravenosa.

É administrado por perfusão intravenosa durante cerca de 60 minutos através de uma bomba de perfusão.

Necitumumab não deve ser administrado através de bólus intravenoso ou injeção intravenosa rápida.
Contraindicações
Os doentes com história de hipersensibilidade grave ou potencialmente fatal ao Necitumumab.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Os efeitos secundários importantes de necitumumab são reações cutâneas e coágulos sanguíneos nas veias.

Procure imediatamente ajuda médica se tiver algum dos efeitos a seguir mencionados:

Coágulos de sangue nas veias:

É provável que ocorram coágulos de sangue nas veias em 8 em cada 100 doentes, aproximadamente.

É provável que em aproximadamente 4 em cada 100 doentes, estes efeitos secundários sejam graves.

Podem causar um bloqueio de um vaso sanguíneo na perna.

Os sintomas podem incluir inchaço, dor e sensibilidade do membro.

Os coágulos sanguíneos também podem causar um bloqueio nos vasos sanguíneos do pulmão.

Os sintomas podem incluir dificuldade em respirar, dor torácica ou uma pulsação cardíaca anormal e desconforto.

Reações cutâneas:
Podem ocorrer reações cutâneas em aproximadamente 80 em cada 100 doentes tratados com necitumumab, sendo geralmente ligeiras a moderadas.

É provável que em aproximadamente 5 em cada 100 doentes, estas reações sejam graves.

Os sintomas de reações cutâneas graves podem incluir pele acneiforme e erupção cutânea.

Esta erupção assemelha-se geralmente a acne e muitas vezes abrange o rosto, a parte superior do peito e das costas, mas pode afetar qualquer zona do corpo.

Na sua maioria, estes efeitos secundários desaparecem normalmente com o tempo, depois de terminado o tratamento com necitumumab.

Outros efeitos secundários possíveis:

Muito frequentes (podem afetar mais de 1 em cada 10 pessoas):
- comichão, pele seca; descamação; problemas nas unhas (reações cutâneas)
- vómitos
- febre ou temperatura alta (pirexia)
- perda de peso
- úlceras na boca e aftas (estomatite)

Frequentes (podem afetar até 1 em cada 10 pessoas):
- dores de cabeça
- tosse acompanhada de sangue (hemoptise)
- hemorragia nasal (epistaxis)
- sabores estranhos na boca; sabor metálico (disgeusia)
- inflamação nos olhos (conjuntivite)
- coágulos sanguíneos nas artérias
- infeção do trato urinário (bexiga e/ou rins)
- dor ao urinar (disúria)
- dificuldade em engolir (disfagia)
- espasmos musculares
- inflamação das veias das pernas (flebite)
- reações alérgicas
- dor na boca e na garganta (dor orofaríngea).

Necitumumab também pode causar alterações nos resultados das análises ao sangue.

Entre elas, incluem-se a diminuição dos níveis sanguíneos de magnésio, cálcio, potássio ou fosfato.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:As mulheres com potencial para engravidar devem ser aconselhadas a evitar engravidar durante o tratamento com necitumumab e informadas sobre os perigos potenciais para a gravidez e para o feto.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:A amamentação deve ser interrompida durante o tratamento com necitumumab e por um período mínimo de quatro meses após a última dose
Condução
Condução
Condução:Se os doentes tiverem sintomas relacionados com o tratamento que afetem a sua capacidade de concentração e reação, devem ser aconselhados a não conduzir nem utilizar máquinas até ao desaparecimento dos sintomas.
Precauções Gerais
Acontecimentos tromboembólicos:
Foram observados acontecimentos tromboembólicos venosos (VTE) e acontecimentos tromboembólicos arteriais (ATE), incluindo casos fatais, com necitumumab em associação com gemcitabina e cisplatina.

A administração de necitumumab deve ser cuidadosamente ponderada em doentes com história de acontecimentos tromboembólicos (como, por exemplo, embolia pulmonar, trombose venosa profunda, enfarte do miocárdio, acidente vascular cerebral) ou com fatores de risco pré-existentes de acontecimentos tromboembólicos (como idade avançada, doentes com períodos prolongados de imobilização, doentes gravemente hipovolémicos, doentes com doença trombofílica adquirida ou genética).

O risco relativo de VTE ou ATE foi aproximadamente três vezes maior em doentes com história anterior de VTE ou ATE.

O necitumumab não deve ser administrado a doentes com múltiplos fatores de risco de acontecimentos tromboembólicos, exceto se os benefícios justificarem os riscos para o doente.

Deve considerar-se tromboprofilaxia, após uma avaliação cuidadosa dos fatores de risco do doente (incluindo o risco acrescido de hemorragia grave em doentes com cavitação tumoral ou envolvimento dos grandes vasos pelo tumor).

Tanto os doentes como os médicos devem prestar atenção a sinais e sintomas de tromboembolismo.

Os doentes devem ser aconselhados a procurar cuidados médicos, se desenvolverem sintomas como falta de ar, dor no peito, inchaço dos braços ou das pernas.

Deverá considerar-se a descontinuação de necitumumab em doentes que sofram um VTE ou ATE, após uma avaliação exaustiva da relação benefício/risco para cada doente.

Num ensaio clínico de CPNPC avançado de histologia não-escamosa, verificou-se uma taxa mais elevada de acontecimentos tromboembólicos graves (incluindo acontecimentos fatais) nos doentes do braço de necitumumab em associação com pemetrexedo e cisplatina em comparação com os doentes do braço de pemetrexedo e cisplatina.

A associação de necitumumab não melhorou os resultados de eficácia relativamente à utilização de apenas pemetrexedo e cisplatina no CPNPC avançado de histologia não-escamosa.

Doenças cardiorrespiratórias:
Verificou-se um aumento da frequência de paragem cardiorrespiratória ou morte súbita com necitumumab.

Foi notificada paragem cardiorrespiratória ou morte súbita em 2,8% (15/538) dos doentes tratados com necitumumab em associação com gemcitabina e cisplatina, em comparação com 0,6% (3/541) dos doentes tratados apenas com quimioterapia.

Doze dos quinze doentes morreram nos 30 dias posteriores à última dose de necitumumab e tinham comorbilidades, entre as quais história de doença arterial coronária (n=3), hipomagnesemia (n=4), doença pulmonar obstrutiva crónica (n=7) e hipertensão (n=5).

Onze dos 12 doentes tiveram morte não presenciada.

Não foram incluídos no ensaio principal doentes com doença arterial coronária significativa, enfarte do miocárdio nos últimos 6 meses, hipertensão não controlada e insuficiência cardíaca congestiva não controlada.

Desconhece-se o risco incremental de paragem cardiopulmonar ou morte súbita em doentes com história de doença arterial coronária, insuficiência cardíaca congestiva ou arritmias em comparação com os doentes sem essas comorbilidades.

Reações de hipersensibilidade/reações relacionadas com a perfusão:
Foram notificadas reações de hipersensibilidade/reações relacionadas com a perfusão (IRR) com necitumumab.

O início dos episódios ocorreu geralmente após a primeira ou segunda administração de necitumumab.

Durante e após a perfusão, os doentes devem ser observados em relação à ocorrência de sinais de hipersensibilidade e reações relacionadas com a perfusão, devendo ser igualmente assegurada a disponibilidade de equipamento de ressuscitação e dos recursos médicos adequados.

Em doentes que tenham registado anteriormente uma reação de hipersensibilidade ou uma reação relacionada com a perfusão com necitumumab, classificadas como sendo de Grau 1 ou 2, recomenda-se a medicação prévia com um corticosteroide e um antipirético em associação com um anti-histamínico.

Reações cutâneas:
Foram notificadas reações cutâneas com necitumumab.

O início dos episódios ocorreu sobretudo durante o primeiro ciclo de tratamento.

Pode ser útil um tratamento preventivo da pele, incluindo hidratante, protetor solar, creme esteroide tópico (1% hidrocortisona) e um antibiótico oral (por exemplo, doxiciclina) no tratamento de reações dermatológicas, desde que considerado apropriado do ponto de vista clínico.

Os doentes podem ser aconselhados a aplicar hidratante, protetor solar e creme esteroide tópico no rosto, mãos, pés, pescoço, costas e peito.

Anomalias eletrolíticas:
Ocorre com frequência uma diminuição progressiva dos níveis séricos de magnésio (81,3%), podendo causar hipomagnesiemia grave (18,7%).

A hipomagnesiemia pode voltar a ocorrer com o mesmo grau ou um grau pior após o adiamento da dose.

Os doentes devem ser cuidadosamente vigiados relativamente aos eletrólitos séricos, incluindo magnésio, potássio e cálcio, antes de cada administração de necitumumab e após a conclusão do tratamento com necitumumab, até atingirem os níveis normais.

Recomenda-se a rápida reposição dos eletrólitos, de acordo com as necessidades.

Idosos:
Em geral, não se observaram diferenças entre os braços a nível de eficácia em doentes com mais de 70 anos de idade.

As comorbilidades cardiovasculares, o performance status e a tolerabilidade provável à quimioterapia com a associação de necitumumab devem, por isso, ser exaustivamente avaliadas antes do início do tratamento em doentes com mais de 70 anos de idade.

Mulheres com potencial para engravidar/contraceção feminina:
Com base no seu mecanismo de ação e em modelos animais em que a expressão do EGFR está alterada, o necitumumab pode causar malformações ou anomalias de desenvolvimento ao feto.

As mulheres com potencial para engravidar devem ser aconselhadas a evitar engravidar durante o tratamento com necitumumab.

Para além disso, deverão efetuar uma contraceção eficaz durante o tratamento com necitumumab e até 3 meses após a última dose do tratamento com necitumumab.

Recomenda-se a adoção de medidas contracetivas ou abstinência.
Cuidados com a Dieta
Sem informação.
Terapêutica Interrompida
Não aplicável.
Cuidados no Armazenamento
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Guardar no frigorífico (2° C – 8° C).

Não congelar.

Manter o frasco na embalagem exterior para o proteger da luz.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Sem efeito descrito

Necitumumab + Cisplatina

Observações: Não foram efetuados estudos formais de interação com necitumumab em humanos.
Interações: Não foram observadas interações medicamentosas entre necitumumab e gemcitabina/cisplatina. A farmacocinética da gemcitabina/cisplatina não foi afetada durante a administração concomitante de necitumumab, e a farmacocinética do necitumumab não foi afetada durante a administração concomitante de gemcitabina/cisplatina. - Cisplatina
Sem efeito descrito

Necitumumab + Gemcitabina

Observações: Não foram efetuados estudos formais de interação com necitumumab em humanos.
Interações: Não foram observadas interações medicamentosas entre necitumumab e gemcitabina/cisplatina. A farmacocinética da gemcitabina/cisplatina não foi afetada durante a administração concomitante de necitumumab, e a farmacocinética do necitumumab não foi afetada durante a administração concomitante de gemcitabina/cisplatina. - Gemcitabina
Consultar informação actualizada

Necitumumab + Testes Laboratoriais/Diagnóstico

Observações: Não foram efetuados estudos formais de interação com necitumumab em humanos.
Interações: Necitumumab também pode causar alterações nos resultados das análises ao sangue. Entre elas, incluem-se a diminuição dos níveis sanguíneos de magnésio, cálcio, potássio ou fosfato. - Testes Laboratoriais/Diagnóstico
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações do Necitumumab
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

As mulheres com potencial para engravidar devem ser aconselhadas a evitar engravidar durante o tratamento com necitumumab e informadas sobre os perigos potenciais para a gravidez e para o feto.

As mulheres com potencial para engravidar devem utilizar métodos de contraceção eficazes durante e até três meses após a última dose do tratamento com necitumumab.

Recomenda-se a adoção de medidas contracetivas ou abstinência.

Necitumumab não deve ser utilizado durante a gravidez nem em mulheres que não estejam a utilizar métodos contracetivos eficazes, a menos que os benefícios potenciais justifiquem os riscos potenciais para o feto.

A amamentação deve ser interrompida durante o tratamento com necitumumab e por um período mínimo de quatro meses após a última dose.

Se os doentes tiverem sintomas relacionados com o tratamento que afetem a sua capacidade de concentração e reação, devem ser aconselhados a não conduzir nem utilizar máquinas até ao desaparecimento dos sintomas.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 08 de Setembro de 2020