Magnésio

DCI com Advertência na Gravidez
O que é
O magnésio é um elemento químico de símbolo Mg de número atómico 12 (12 protões e 12 eletrões) com massa atómica 24 u.

É um metal alcalino-terroso, pertencente ao grupo (ou família, anteriormente chamada IIA), sólido nas condições ambientais.

É o sétimo elemento mais abundante na crosta terrestre, onde constitui cerca de 2% da sua massa,1 e o nono no Universo conhecido, no seu todo.

A abundância relativa de magnésio está relacionada ao fato de que facilmente se acumula nas estrelas supernovas de uma adição sequencial de três núcleos de hélio em carbono (que por sua vez é feita a partir de três núcleos de hélio).

A alta solubilidade dos iões de magnésio na água assegura-lhe a posição como terceiro elemento mais abundante na água do mar.

É usado principalmente como elemento de ligação com o alumínio.

Outros usos incluem flashes fotográficos, pirotecnia e bombas incendiárias.

O magnésio desempenha diversas funções:

- Metabolismo: o magnésio participa nas reações de metabolismo energético dos glícidos e lípidose em todas as reações que requerem a utilização de ATP (adenosina trifosfato);

- Síntese de proteínas, ácidos nucleicos (moléculas que transportam a informação genética nas células);

- Excreção de várias substâncias tóxicas (exemplo amónia);

- Estrutural: o magnésio é componente estrutural dos ossos, membranas celulares e cromossomas (sequência de DNA);

- Interacção com o cálcio: em conjunto, o magnésio é responsável pela regulação da pressão arterial, e contração muscular, sendo que tem um papel antagonista ao do cálcio (enquanto o cálcio é responsável pela contracção, o magnésio é pelo relaxamento); o magnésio tem ainda controlo sobre os níveis de cálcio;

- Manutenção do potencial elétrico da membrana e transmissão de impulsos nervosos e transporte de sódio, potássio e cálcio através da membrana;

- Estimulação da produção de insulina (hormona responsável pelo controlo da glicemia) e facilita a sua absorção por parte das células.
Usos comuns
O magnésio é usado como suplemento alimentar para indivíduos com deficiência em magnésio.

Embora uma dieta balanceada normalmente fornece todo o magnésio que uma pessoa precisa, suplementos de magnésio podem ser necessários para pacientes que perderam magnésio devido a doença ou o tratamento com certos medicamentos.
Tipo
pequena molécula
História
O magnésio foi descoberto em 1755 pelo escocês Joseph Black.

O nome é originário de Magnésia, que em grego designava uma região da Tessália.

O escocês Joseph Black, reconheceu o magnésio como um elemento químico em 1755.

Em 1808 Sir Humphry Davy obteve o metal puro mediante a eletrólise de uma mistura de magnésia e HgO (óxido de mercúrio).
Indicações
O magnésio serve para:
- Melhorar o desempenho físico, porque é importante para a contração muscular;
- Prevenir a osteoporose, porque ajuda a produzir hormonas que aumentam a formação do osso;
- Ajudar a controlar a diabetes, porque regula o transporte do açúcar;
- Diminuir o risco de doença coronária, pois pode diminuir o acumulo de placas de gordura na parede das artérias.

O magnésio também é importante na gravidez para evitar as contrações uterinas antes das 37 semanas de gestação, por isso, em algumas situações o obstetra poderá aconselhar a suplementação em magnésio.


A falta de magnésio pode provocar diversas doenças e estas podem ser tratadas com a suplementação de magnésio na dieta.

Alguns sintomas de falta de magnésio são:
- Tremores, sensibilidade a ruídos, fadiga,
- depressão, nervosismo, tensão,
- insónia, TPM, hiperatividade,
- convulsões, cálculos renais, hipertensão,
- diabetes mellitus, taquicardia, arritmias,
- insuficiência cardíaca, espasmos coronarianos,
- anginas, infartos, espasmos musculares,
- cólicas menstruais, gangrena, eclâmpsia,
- toxidade por chumbo, alcoolismo.

A ingestão de alguns medicamentos podem levar à deficiência de magnésio, são eles: ciclosserina, furosemida, tiazidas, hidroclorotiazidas, tetraciclinas e contraceptivos de uso oral.
Classificação CFT
n.d.     n.d.
Mecanismo De Ação
O magnésio é um eletrólito fisiológico essencial sendo um fator num certo número de sistemas de enzimas e estando envolvido na transmissão neuroquímica e na excitabilidade muscular.

Este eletrólito tem um papel em quase todos os sistemas fisiológicos.

Os mecanismos de ação chave são: a regulação da transferência de energia e o fecho e fosforilação da membrana.

O seu principal papel nestes processos é como cofator enzimático, essencial para o funcionamento das enzimas relacionadas com a transferência de grupos fosfato, todas as reações que envolvam ATP e todos os passos relacionados com a replicação e transcrição do ADN e tradução do RNAm.

O magnésio está também envolvido na estabilização da membrana, na condução nervosa e no transporte do ferro.

Um mecanismo de ação chave e adicional do magnésio é o seu papel ativo nas concentrações de outros eletrólitos como o cálcio (a absorção do cálcio e magnésio parece estar inter-relacionada) e potássio.

A função do magnésio foi estudada nos sistemas nervoso, cardiovascular, respiratório, endócrino e reprodutivo.

No sistema nervoso, quando administrado por via parentérica e em elevadas doses, tem um efeito depressor nas sinapses, podendo ser utilizado como anticonvulsivante.

O magnésio produz também vasodilatação sistémica e coronária, possui atividade antiplaquetária, suprime a automaticidade em células parcialmente despolarizadas e protege os miócitos do excesso de cálcio em situações de isquémia.

A via intravenosa deve ser usada apenas numa emergência.
Posologia Orientativa
É recomendada a ingestão de 320 a 420 mg de magnésio diariamente o que é facilmente alcançado e mantido com uma alimentação nutritiva.

Porém, existem suplementos de magnésio que podem ser aconselhados pelo médico, ou nutricionista, e, geralmente, se encontram na forma de magnésio quelato e magnésio dimalato.

Os alimentos ricos em magnésio são principalmente sementes, frutas secas e vegetais.

Alguns exemplos são:

- Sementes de abóbora e girassol;
- Amêndoas, avelã, castanha-do-pará, caju, amendoim;
- Espinafre, beterraba, quiabo;
- Iogurte, leite.

Além desses alimentos alguns cereais também são ricos em magnésio como a aveia, por exemplo.
Administração
Via oral.

A via intravenosa deve ser usada apenas numa emergência.
Contraindicações
Hipersensibilidade ao Magnésio.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Os efeitos colaterais que geralmente não requerem atenção médica:
Estes efeitos secundários podem desaparecer durante o tratamento, mas se eles continuam ou são incómodos, verifique com seu médico, enfermeiro, nutricionista ou farmacêutico.

Menos comum: diarreia.

Advertências
Gravidez
Gravidez:Todos os trimestres: C - Não há estudos adequados em mulheres. Em experiências animais ocorreram alguns efeitos colaterais no feto, mas o benefício do produto pode justificar o risco potencial durante a gravidez.
Precauções Gerais
Devido à sua exclusiva excreção renal, o magnésio deve ser administrado com extrema cautela em pacientes com insuficiência renal.

Níveis plasmáticos de magnésio anormalmente elevados podem causar rubor, sudorese, hipotensão, colapso circulatório e depressão do sistema nervoso central.

A administração de magnésio pode causar hipermagnesemia fetal e neonatal.

Se houver o uso concomitante de barbitúricos, narcóticos ou outros hipnóticos (ou anestésicos sistêmicos), as doses desses medicamentos devem ser ajustadas devido aos efeitos depressores aditivos do magnésio sobre o SNC.

Durante todo o período de terapêutica parenteral com sais de magnésio, o paciente deve ser cuidadosamente monitorado.

Uma preparação de sais de cálcio, como o gluconato, deve estar prontamente disponível para administração intravenosa como antídoto em caso de uma possível intoxicação com magnésio.

Suplementos de magnésio devem ser tomados com as refeições.
Tomar suplementos de magnésio de estômago vazio pode causar diarreia.
Cuidados com a Dieta
Não interfere com alimentos e bebidas.

Suplementos de magnésio devem ser tomados com as refeições.
Terapêutica Interrompida
Se falhar uma dose deste medicamento, tome-o mais rapidamente possível.

No entanto, se estiver quase na hora da próxima dose, não a tome e volte ao esquema posológico regular.

Não duplique doses.

Se esquecer de tomar o suplemento de magnésio por um ou mais dias, não há motivo para preocupação, uma vez que leva algum tempo para o corpo se tornar deficiente em magnésio.

No entanto, se o seu profissional de saúde lhe recomendou tomar magnésio, tente se lembrar de tomar como indicado todos os dia.
Cuidados no Armazenamento
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Acetilsalicilato de lisina + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: Com os sais, óxidos e hidróxidos de magnésio, de alumínio e de cálcio verifica-se aumento da excreção renal dos salicilatos devido a alcalinização da urina.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Quinapril + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: Tetraciclina e outros medicamentos que interagem com os sais de magnésio: A administração concomitante de tetraciclina e quinapril reduziu a absorção da tetraciclina em cerca de 28- 37% nos indivíduos expostos. A redução observada deve-se à presença de carbonato de magnésio como excipiente na composição de quinapril. Por este motivo deve ser evitada a administração concomitante de quinapril e tetraciclina.
 Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Neomicina + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: A Neomicina diminui a absorção e, por vezes, aumenta a excreção de diversos nutrientes, a exemplo de hidratos de carbono (sobretudo lactose, sacarose), gorduras (por lesão da mucosa do intestino delgado, com diarreia e, se for prolongada, com menor absorção de vitaminas lipossolúveis), cálcio, ferro, magnésio, potássio, sódio, azoto, ácido fólico e vitaminas A, B6, B12, D, E e K. A Neomicina destrói parte da flora bacteriana normal, levando a diarreia, micoses oportunistas, inclusive vaginais. A suplementação com flora bacteriana normal (Lactobacillus acidophilus, Bifidobacterium bifidus, Bifidobacterium longum, e Lactobacillus casei, Saccharomyces boulardi, Saccharomyces cerevesiae), na dose de um bilião de organismos por dia, bem como a vitamina K são aconselhadas.

Amlodipina + Atorvastatina + Magnésio

Observações: Os dados de um estudo de interação fármaco-fármaco que envolveu 10 mg de amlodipina e 80 mg de atorvastatina em indivíduos saudáveis indicam que a farmacocinética da amlodipina não é alterada quando os fármacos são coadministrados. Não foi demonstrado nenhum efeito da amlodipina na Cmáx da atorvastatina, mas a AUC da atorvastatina aumentou 18% (IC 90% [109-127%]) na presença de amlodipina. Não foi realizado nenhum estudo de interação medicamentosa com a associação fixa de amlodipina e atorvastatina e outros fármacos, embora tenham sido realizados estudos com os componentes individuais amlodipina e atorvastatina.
Interações: Interações relacionadas com a AMLODIPINA: Em estudos de interação foi também demonstrado que a cimetidina, a atorvastatina, os sais de alumínio/magnésio e a digoxina não afetaram a farmacocinética da amlodipina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de pancurónio + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: Aumento do efeito: Antibióticos: Aminoglicosídeos, lincosamidas e polimixinas, penicilinas; Diuréticos: Quinidina, quinina, sais de magnésio, inibidores dos canais de cálcio, sais de lítio, anestésicos locais (lidocaína IV, bupivacaína epidural), fenitoína ou agentes bloqueadores β. A recuperação do bloqueio, no pós-operatório, foi observada após a administração de: aminoglicosídeos, lincosamidas, polimixinas e penicilinas, quinidina, quinina e sais de magnésio.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Quinapril + Hidroclorotiazida + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: Tetraciclina e outros medicamentos que interagem com magnésio: A administração concomitante de tetraciclina e quinapril reduziu a absorção da tetraciclina em cerca de 28% a 37% nos indivíduos expostos. A redução observada deve-se à presença de carbonato de magnésio como excipiente na composição de quinapril. Em caso de prescrição concomitante de quinapril e tetraciclina, a interacção deve ser ponderada.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Estramustina + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: O leite, produtos lácteos ou medicamentos que contenham cálcio, magnésio ou alumínio, podem diminuir a absorção de Estramustina, pelo que não deverão ser administrados concomitantemente. O mecanismo responsável por esta interacção baseia-se na formação de sais insolúveis de estramustina com iões metálicos polivalentes.

Calcitriol + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: Durante o tratamento com o calcitriol não devem administrar-se antiácidos contendo magnésio, porque poderá desenvolver-se hipermagnesemia.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Rosuvastatina + Ezetimiba + Magnésio

Observações: Se for a um hospital ou receber tratamento para outra condição, informe a equipa médica que está a tomar Rosuvastatina / Ezetimiba.
Interações: Medicamentos para a indigestão que contenham alumínio e magnésio (utilizados para neutralizar o ácido no estômago; diminuem o nível de rosuvastatina no plasma). Este efeito pode ser atenuado se tomar este tipo de medicamento 2 horas após a rosuvastatina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Hidrogenofosfato de cálcio + Colecalciferol + Magnésio

Observações: O álcool, tabaco e o café diminuem a absorção intestinal de cálcio.
Interações: Aumenta os níveis séricos de magnésio.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de rocurónio + Magnésio

Observações: Não foram realizados estudos de interação formais. As interações mencionadas anteriormente para os doentes adultos e as suas advertências e precauções especiais de utilização devem ser igualmente tidas em conta no caso de doentes pediátricos.
Interações: Aumento de Efeito: Diuréticos, quinidina e o seu isómero quinina, protamina, agentes bloqueadores adrenérgicos, sais de magnésio, bloqueadores dos canais de cálcio e sais de lítio e anestésicos locais (lidocaína i.v. e bupivacaína epidural) e administração aguda de fenitoína ou de agentes beta-bloqueadores. Após a administração pós-operatória de aminoglicosídeos, lincosamida, antibióticos polipeptídicos, acilaminopenicilinas, quinidina, quinina e sais de magnésio, foram relatados fenómenos de recurarização.

Ácido acetilsalicílico + Ácido ascórbico + Cafeína + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam precauções especiais de utilização: Sais, óxidos e hidróxidos de magnésio, alumínio e cálcio (tópicos gastrointestinais): Aumento da excreção renal dos salicilatos por alcalinização da urina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Cloreto de mivacúrio + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: Tal como todos os outros bloqueadores neuromusculares não-despolarizantes, a extensão e/ou duração de um bloqueio neuromuscular não-despolarizante pode ser aumentada e as necessidades de perfusão podem ser reduzidas por interação com: Sais de magnésio
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Diacereína + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: Antiácidos derivados de magnésio, alumínio e cálcio pode diminuir a absorção digestiva da diacereína. Em caso de utilização concomitante, deve haver um intervalo mínimo de 2 horas entre a toma destes medicamentos e a diacereína.

Paricalcitol + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: As preparações contendo magnésio (por ex. antiácidos) não devem ser tomadas concomitantemente com preparações de Vitamina D, dado que pode ocorrer hipermagnesemia.

Sulfato ferroso + Ácido fólico + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: Os antiácidos, os sais de magnésio e de cálcio, os fosfatos e a colestiramina, assim como o café e o chá preto, podem inibir a reabsorção do ferro.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Doxiciclina + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: Sais, óxidos e hidróxidos de magnésio: diminuição da absorção digestiva das ciclinas. Tomar os antiácidos intervalados das ciclinas (mais de 2 horas, se possível).
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Cloropromazina + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: Medicamentos de ação tópica intestinal: Os sais de magnésio, alumínio e de cálcio diminuem a absorção digestiva da Cloropromazinal devendo por esse motivo haver um intervalo de pelo menos 2 horas entre a administração deste tipo de substâncias e da Cloropromazina.

Bictegravir + Emtricitabina + Tenofovir alafenamida + Magnésio

Observações: Os estudos de interação só foram realizados em adultos.
Interações: Suspensão antiácida contendo magnésio/alumínio (dose única de 20 ml5), Bictegravir (Quelação com catiões polivalentes) Este medicamento não deve ser tomado simultaneamente com suplementos contendo magnésio e/ou alumínio devido à substancial diminuição esperada da exposição ao bictegravir. Este medicamento deve ser administrado, pelo menos, 2 horas antes ou com alimentos 2 horas depois de antiácidos contendo magnésio e/ou alumínio.
 Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Gluconato de cálcio + Magnésio

Observações: São exemplos de agentes oxidantes os peróxidos, nitratos, bromatos, cromatos, cloratos, dicromatos, percloratos e permanganatos.
Interações: O cálcio e o magnésio antagonizam mutuamente os seus efeitos.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brometo de vecurónio + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: Aumento do efeito: Antibióticos: Aminoglicosidos, lincosamida e antibióticos polipeptidicos, antibióticos acilaminopenicílinicos Diuréticos, quinidina, sais de magnésio, bloqueadores dos canais de cálcio, sais de lítio, cimetidina, lidocaína e administração aguda de fenitoína ou agentes β-bloqueadores. Têm sido reportados casos de recurarização após a administração pós-operatória de: Aminoglicosidos, lincosamida, antibióticos polipeptidicos e acilaminopenicilinicos, quinidina e sais de magnésio.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de cisatracúrio + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: Efeito aumentado: Por anestésicos, tais como enflurano, isoflurano, halotano e cetamina, por outros bloqueadores neuromusculares não despolarizantes ou por outros medicamentos como antibióticos (incluindo aminoglicosidos, polimixinas, espectinomicina, tetraciclinas, lincomicina e clindamicina), por antiarrítmicos (incluindo propranolol, bloqueadores do canal do cálcio, lignocaína, procainamida e quinidina), por diuréticos (incluindo furosemida e possivelmente tiazidas, manitol e acetazolamida), por sais de magnésio e lítio e por bloqueadores ganglionares (trimetafano, hexametónio).
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ciprofloxacina + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: Efeitos de outros produtos na ciprofloxacina: Formação de Complexos Quelantes: A administração simultânea de ciprofloxacina (oral) e fármacos contendo catiões multivalentes e suplementos minerais (ex: cálcio, magnésio, alumínio, ferro), ligandos de fosfato polimérico (ex: sevelamer), sucralfato ou antiácidos, e de fármacos altamente tamponados (ex. comprimidos de didanosina) contendo magnésio, alumínio ou cálcio, reduz a absorção de ciprofloxacina. Consequentemente, a ciprofloxacina deve ser administrada 1-2 horas antes ou, pelo menos, 4 horas depois destas preparações. Esta restrição não se aplica aos antiácidos pertencentes à classe dos bloqueadores dos receptores H2.

Risedronato de sódio + Magnésio

Observações: Não foram realizados estudos formais de interações, no entanto não foram identificadas quaisquer interações clinicamente relevantes com outros medicamentos durante os estudos clínicos. O risedronato de sódio não apresenta metabolização sistémica, não induz as enzimas do citocromo P450 e apresenta uma afinidade pequena na ligação às proteínas.
Interações: O uso concomitante de medicamentos que contêm catiões polivalentes (tais como cálcio, magnésio, ferro e alumínio) interfere na absorção do Risedronato de sódio.

Diclofenac + Misoprostol + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: Os antiácidos podem atrasar a absorção do diclofenac. Antiácidos que contêm magnésio demonstraram exacerbar a diarreia associada ao misoprostol.

Limeciclina + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: A absorção das tetraciclinas pode ser afetada pela administração concomitante de sais de cálcio, alumínio, magnésio, bismuto e zinco, antiácidos, medicamentos antiulcerosos contendo bismuto, preparações contendo ferro e quinapril. A ingestão de qualquer destes medicamentos deve ser feita pelo menos 2 horas antes ou após a toma de Limeciclina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Cloreto de suxametónio + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: Certos fármacos podem aumentar ou prolongar os efeitos neuromusculares do suxametónio por mecanismos não relacionados com a actividade das colinesterases plasmáticas, nomeadamente sais de magnésio, lítio, quinina, cloroquina, aminoglicosídeos, clindamicina, fármacos antiarrítmicos.

Fluoreto de sódio + Magnésio

Observações: N.D.
Interações: A absorção do flúor está relacionada com a solubilidade do composto ingerido. A absorção é, assim, inibida pelo cálcio, magnésio ou alumínio. O Fluoreto de sódio não deve, portanto, ser administrado com leite ou derivados nem com antiácidos contendo sais de cálcio, alumínio ou magnésio.

Subcitrato de bismuto potássico + Metronidazol + Tetraciclina + Magnésio

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com esta associação. Antes do tratamento, deve ser verificada a necessidade de outra medicação concomitante em doentes que estejam a tomar este medicamento. Apesar de não ter sido detetada qualquer interação específica com a associação, os doentes que tomem um grande número de medicamentos concomitantes têm geralmente um risco mais elevado de sofrerem efeitos indesejáveis e, por conseguinte, devem ser tratados com cuidado.
Interações: Interações com tetraciclina: Antiácidos, preparações com ferro e produtos lácteos: A absorção da tetraciclina é comprometida pelos antiácidos que contenham alumínio, cálcio ou magnésio, pelas preparações com ferro, zinco ou bicarbonato de sódio, ou por produtos lácteos. Desconhece-se a importância clínica da exposição sistémica reduzida à tetraciclina, uma vez que a contribuição relativa da atividade antimicrobiana sistémica versus a atividade antimicrobiana local contra o Helicobacter pylori não foi estabelecida. Por conseguinte, estes medicamentos não devem ser utilizados concomitantemente com esta associação.
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Deve falar com o médico antes de tomar suplementos de magnésio se estiver grávida ou a amamentar.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017