Liotironina

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento
O que é
A L-triiodotironina (T3, liotironina), uma hormona da tiróide, é normalmente sintetizada e secretada pela glândula tiróide em quantidades muito menores do que L-tetraiodotironina (T4, levotiroxina, L-tiroxina).

A maioria da T3 deriva da monodesiodação periférica da T4 na 5ª posição do anel externo do núcleo da iodotironina.

A hormona entregue e utilizada finalmente pelos tecidos é principalmente a T3.
Usos comuns
A liotironina sódica pode ser usada como terapêutica de substituição na ausência ou redução da função da tiróide.

A liotironina sódica pode também ser utilizada na terapêutica de substituição ou suplementar em doentes com hipotiroidimo secundário (pituitária) ou terciário (hipotalâmico). A terapêutica deve ser mantida continuadamente para controlar os sintomas de hipotiroidismo.

A liotironina sódica pode também ser usada na terapêutica de doentes com bócio simples (não tóxico) para reduzir o tamanho do bócio.
Tipo
Molécula pequena.
História
Sem informação.
Indicações
A liotironina sódica pode ser usada como terapêutica de substituição na ausência ou redução da função da tiróide, resultante de causas primárias como deficiência funcional, atrofia primária, ou ausência parcial, ou total das glândulas ou dos efeitos de cirurgia, radiação ou agentes antitiróideus; contudo a levotiroxina sódica é geralmente preferida para a terapêutica a longo prazo nestas condições.

A liotironina sódica pode também ser utilizada na terapêutica de substituição ou suplementar em doentes com hipotiroidimo secundário (pituitária) ou terciário (hipotalâmico).

A terapêutica deve ser mantida continuadamente para controlar os sintomas de hipotiroidismo. Como a liotironina sódica tem um ínicio de acção rápido e de curta duração alguns clínicos preferem-na em relação à levotiroxina sódica.

Utiliza-se quando se deseja um efeito rápido ou um efeito rapidamente reversível, por exemplo em processos de diagnóstico que exigem uma supressão a curto prazo de tirotrofina. Contudo, o facto de a liotironina produzir grandes impulsos nas concentrações de triiodotironina e a possibilidade de ocorrerem efeitos cardiovasculares adversos mais pronunciados torna o uso do fármaco pouco satisfatório na terapêutica a longo prazo. A liotironina sódica pode ser útil quando a absorção da levotiroxina sódica é incerta ou se questiona a conversão periférica de tiroxina para triiodotironina.

A liotironina sódica pode também ser usada na terapêutica de doentes com bócio simples (não tóxico) para reduzir o tamanho do bócio. A liotironina sódica é usada principalmente no teste de supressão de T3 para diferenciar o hipertiroidismo do eutiroidismo em doentes com valores borderline de uptake de I 131 pela tiróide.
Classificação CFT

08.03 : Hormonas da tiróide e antitiróideus

Mecanismo De Acção
A liotironina sódica ou L-tri-iodotironina sódica é quimicamente a L-3, 3, 5-triodotironina sódica.

É uma hormona fisiológica produzida pela tiróide que participa na modulação dos processos energéticos, no metabolismo do azoto, no transporte membranar de iões e água, além de possuir um papel essencial nos processos morfogénicos e de diferenciação (crescimento de muitos tecidos, diferenciação do SNC, etc).

O principal efeito farmacológico das hormonas tiróideias exógenas é aumentar a velocidade metabólica dos tecidos corporais, estando, também, envolvidas na regulação do desenvolvimento celular (crescimento e diferenciação).

O mecanismo de acção destas hormonas é medicado a nível celular, principalmente através da triiodotironina (uma grande quantidade de triiodotironina deriva da tiroxina por desiiodação nos tecidos periféricos).
O início da sua actividade é rápido mas pouco prolongado, relativamente à levotiroxina.

No final da terapêutica o regresso ao estado metabólico inicial é rápido. A actividade hormonal da triiodotironina é em média cinco vezes superior à da tiroxina e 20-30 μg de triiodotironina correspondem a cerca de 100 μg de tiroxina e a cerca de 60 mg de tiróide seca.

Pela sua rapidez de acção e pela escassa capacidade de acumulação a triiodotironina é eficaz no tratamento dos estados de hipotiroidismo, especialmente na fase inicial quando pode ser exigido um efeito terapêutico intenso. Geralmente, nas terapêuticas de manutenção é preferível a administração de tiroxina.
Posologia Orientativa
A dose diária, única ou fraccionada, deve ser tomada após as refeições. Para o tratamento dos estados hipotiróideus, a dose inicial usual para adultos é de 25 μg diários, que será aumentada para uma dose de manutenção.

De uma maneira geral, esta dose de manutenção oscila entre 50 a 75 μg diários, divididos em 2 ou 3 tomas. Em alguns casos de insuficiência tiróideia é necessário aumentar aquela dose para 100 μg por dia, para assim controlar os sintomas.
Administração
Via oral.
A dose diária, única ou fraccionada, deve ser tomada após as refeições.
Contra-Indicações
– Hipersensibilidade à Liotironina.
– Tireotoxicose; insuficiência cardíaca não compensada.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Os efeitos secundários são dependentes da dose. A posologia com a qual estes ocorrem é variável consoante o doente.

Estes efeitos correspondem normalmente aos sintomas de hipertiroidismo e incluem taquicardia, palpitações, excitabilidade, cefaleias, tremores, intolerância ao calor, perda de peso, insónias, cãibras e fraqueza muscular, suores, irregularidades menstruais, diarreia e vómitos. Estes efeitos normalmente desaparecem após redução da dosagem ou suspensão temporária do tratamento.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:A administração deste medicamento não está contra-indicado durante a gravidez.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:As preparações tiróideias deverão ser utilizadas com precaução nas mulheres que amamentam por poderem mascarar um hipotiroidismo congénito ao lactente.
Precauções Gerais
Em doentes com distúrbios cardiovasculares ou com hipotiroidismo de longa duração devem utilizar-se doses iniciais mais baixas e incrementos menores e mais espaçados, para evitar aumentos súbitos das necessidades metabólicas.

Quando o hipotiroidismo resulta de insuficiência da função hipofisária pode coexistir uma insuficiência supra-renal devendo esta ser corrigida antes da terapêutica com agentes tiróideus para evitar insuficiência supra-renal aguda.

Este medicamento contém lactose. Doentes com problemas hereditários raros de intolerância à galactose, deficiência de lactase ou malabsorção de glucose-galactose não devem tomar este medicamento.
Cuidados com a Dieta
Os comprimidos devem ser tomados após as refeições.
Terapêutica Interrompida
Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Conservar a temperatura inferior a 25ºC.

Mantenha todos os medicamentos fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu médico, enfermeiro ou farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espectro de susceptibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Liotironina Anticoagulantes orais

Observações: n.d.
Interacções: Anticoagulantes orais (podem aumentar a actividade dos anticoagulantes orais, pelo que doentes que tomam estes medicamentos devem ser cuidadosamente vigiados quando iniciam terapêutica com agentes tiroideus). - Anticoagulantes orais
Usar com precaução

Liotironina Glicósideos digitálicos

Observações: n.d.
Interacções: Digitálicos (as suas necessidades podem ser alteradas). - Glicósideos digitálicos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Liotironina Antidiabéticos Orais

Observações: n.d.
Interacções: Antidiabéticos (as hormonas da tiróide podem aumentar as necessidades de insulina ou dos antidiabéticos orais). - Antidiabéticos Orais
Usar com precaução

Liotironina Cloroquina

Observações: n.d.
Interacções: Fármacos indutores enzimáticos, como cloroquina, rifampicina, carbamazepina, fenitoína ou barbitúricos, podem acelerar o metabolismo das hormonas da tiróide podendo ser necessário aumentar a sua dosagem. - Cloroquina
Usar com precaução

Liotironina Rifampicina (rifampina)

Observações: n.d.
Interacções: Fármacos indutores enzimáticos, como cloroquina, rifampicina, carbamazepina, fenitoína ou barbitúricos, podem acelerar o metabolismo das hormonas da tiróide podendo ser necessário aumentar a sua dosagem. - Rifampicina (rifampina)
Usar com precaução

Liotironina Carbamazepina

Observações: n.d.
Interacções: Fármacos indutores enzimáticos, como cloroquina, rifampicina, carbamazepina, fenitoína ou barbitúricos, podem acelerar o metabolismo das hormonas da tiróide podendo ser necessário aumentar a sua dosagem. - Carbamazepina
Usar com precaução

Liotironina Fenitoína

Observações: n.d.
Interacções: Fármacos indutores enzimáticos, como cloroquina, rifampicina, carbamazepina, fenitoína ou barbitúricos, podem acelerar o metabolismo das hormonas da tiróide podendo ser necessário aumentar a sua dosagem. - Fenitoína
Usar com precaução

Liotironina Barbitúricos

Observações: n.d.
Interacções: Fármacos indutores enzimáticos, como cloroquina, rifampicina, carbamazepina, fenitoína ou barbitúricos, podem acelerar o metabolismo das hormonas da tiróide podendo ser necessário aumentar a sua dosagem. - Barbitúricos
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Liotironina Colestiramina

Observações: n.d.
Interacções: Colestiramina (a absorção das hormonas da tiróide pode ficar reduzida devendo estes dois fármacos ser administrados com um intervalo de pelo menos 4 horas). - Colestiramina
Usar com precaução

Iodeto (131I) de sódio Liotironina

Observações: n.d.
Interacções: São conhecidos muitos fármacos que interagem com o iodo radioactivo. Podem fazê-lo através de uma série de mecanismos, afectando a ligação a proteínas, a farmacocinética ou influenciando os efeitos dinâmicos do iodo marcado. É portanto necessário considerar todos os fármacos tomados pelo doente e analisar que medicamentos é necessário interromper antes da administração do iodeto de sódio [131I]. Por exemplo, os anti-tiroideus, carbimazole (ou outros derivados do imidazole, como o propiltiouracilo), salicilatos, esteróides, nitroprussiato de sódio, sulfobromoftaleína, perclorato, ou outros medicamentos (anticoagulantes, Anti-histamínicos, antiparasitários, penicilinas, sulfonamidas, tolbutamida, tiopentona) são retirados durante 1 semana; a fenilbutazona por 1-2 semanas, expectorantes, vitaminas por 2 semanas; preparações naturais ou sintéticas da tiróide (tiroxina de sódio, liotironina de sódio, extracto de tiróide) por 2-3 semanas; amiodarona, benzodiazepinas, lítio por 4 semanas, iodetos tópicos por 1-9 meses; e para meios de contraste intravenosos, colecistográficos orais, meios de contraste contendo iodo por períodos até 1 ano, - Liotironina
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções da Liotironina
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

A administração deste medicamento não está contra-indicado durante a gravidez.

As preparações tiróideias deverão ser utilizadas com precaução nas mulheres que amamentam por poderem mascarar um hipotiroidismo congénito ao lactente.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Novembro de 2021