Iopamidol

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento Uso Hospitalar DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
O Iopamidol pertence a um grupo de medicamentos designados agentes de contraste radiopacos (RAY dee oh payk).

O Iopamidol contém iodo, uma substância que absorve os raios-x.

Agentes de contraste radiopacos são usados ​​para permitir vasos sanguíneos, órgãos e outros tecidos não-ósseos para ser visto mais claramente em uma tomografia computadorizada ou outro radiológico (raio-x) exame.
Usos comuns
O Iopamidol é utilizado para ajudar a diagnosticar certos distúrbios do coração, cérebro, vasos sanguíneos, e sistema nervoso.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Oral ou retal:
– Suspeita de perfuração esofágica, gástrica ou intestinal.
– Obstrução intestinal em doentes gravemente atingidos e com necessidade de um exame diagnóstico pré-cirúrgico.
– Ileus paralítico pós-operatório e ileus meconial nos recém-nascidos.
– Suspeita de volvo do intestino delgado caracterizado por obstrução simultânea e isquémica do segmento do órgão afetado associado a adinamia total do intestino.
– Visualização de fístulas nas quais o contacto e penetração de suspensões de sulfato de bário é habitualmente difícil e incompleta.
– Crianças sob suspeita e malformações (megacolon) e doentes idosos nos quais as
suspensões de sulfato de bário causam obstipações marcadas e graves.

Injetável:
Neuroradiologia
Mieloradoculografia, cisternografia e ventriculografia
Angiografia
Arteriografia cerebral, arteriografia visceral seletiva, arteriografia periférica e flebografia
Urografia
Urografia intravenosa
Outros tipos de investigações
Potencialização do contraste em tomografia computorizada, artrografia e fistulografia.
Classificação CFT
19.01.01     Produtos iodados
Mecanismo De Ação
O Iopamidol é definido quimicamente como (S) – N,N’ – bis (2 – hidroxi – 1- (hidroximetil) – etil ) – 2, 4, 6 – triiodo – 5 – lactamido – isoftalamida é um composto não iónico iodado, que tem utilização muito extensa em urografia, arteriografia, mielocisternografia e técnicas de tomografia computorizada e para potencialização do contraste em tomodensitometria.

Como composto não iónico, a osmolaridade das preparações contendo Iopamidol é, em concentrações iguais de iodo, pelo menos 50 % mais baixo que as preparações obtidas a partir de compostos iónicos.

As investigações clínicas indicam que a absorção sistémica de Iopamidol após
administração oral ou rectal de Gastromiro atinge valores de 1 % da dose administrada e de acordo com os dados obtidos em estudos animais.

O Iopamidol é um meio de contraste da nova geração de compostos não iónicos cuja
solubilidade é devido à presença de grupos hidrofílicos na molécula.

Isto resulta numa solução de baixa osmolaridade quando comparada com meios iónicos.

Iopamidol demonstrou ser eficaz como meio de contraste de raio-X em neuroradiologia, angiologia, venografia, urografia, angiografia cerebral, e ventriculografia esquerda, arteriografia coronária, e investigações do tracto gastrointestinal.

A sua toxicidade, particularmente cardíaca e toxicidade CNS, é mais baixa do que a dos meios de contraste iónicos.
Posologia Orientativa
Oral ou retal:
Este medicamento é uma solução aquosa para exame radiológico do tubo digestivo. Deve ser administrado tanto por via oral como por via rectal (enema).

As dosagens deste medicamento variam de acordo com a idade, peso corporal, segmento do tracto digestivo a ser examinado e técnica de RX.

– Gastrografia convencional: Administração Oral Adultos
As doses podem variar de um mínimo de 10 ml no caso de exame limitado ao esófago a um máximo de 200 ml para exame completo do tracto digestivo.
O meio de contraste é geralmente utilizado não diluído.
Os volumes de 50 ml e 100 ml são os mais frequentemente utilizados.

População Pediátrica:
Em crianças abaixo de 10 anos este medicamento deverá ser utilizado diluído com água na razão 1:1 enquanto que para lactentes a razão da diluição deve ser 1:3.
Os volumes deste medicamento a serem administrados devem estar compreendidos entre 10 a 100 ml.

Enema Adultos:
Sugere-se a diluição com água de produto na razão 1:1 e utilizar volumes de cerca de 600 ml.

População Pediátrica:
Sugere-se a diluição com água de produto na razão 1:4 ou 1:5 e volumes deste medicamento a serem administrados entre 25 e 200 ml dependendo da idade e peso.

– Tomografia Computorizada (TC): Administração Oral
Quando usado em TC, este medicamento deve ser sempre diluído com água, para evitar artefactos de imagem resultantes de excessivo contraste.

Tracto Gastrintestinal Superior Adultos
Diluição sugerida: 20 ml para 500 ml. Volume a ser administrado aproximadamente 500ml.

População Pediátrica
A mesma diluição que se utiliza para os adultos. O volume a ser administrado depende da idade e peso.

Tracto Gastrintestinal Iferior Adultos
Diluição sugerida: 20 ml para 750 ml. Volume sugerido 750 ml administrados 20 minutos antes de início do exame.

População PediátricaA
A mesma diluição que se utiliza para os adultos. O volume a ser administrado depende da idade e peso.

Injetável:
Neurorradiologia
Nos exames de cisternografia e ventriculografia a dose aconselhada vai de 3 a 10 ml.
Nos exames de mieloradoculografia a dose aconselhada vai de 5 a 10 ml.

Angiografia
Nos exames de arteriografia cerebral a dose é de 5 a 10 ml por toma.
Nos exames de arteriografia visceral selectiva e arteriografia periférica a dose é conforme a exploração.
Nos exames de flebografia a dose é de 30 a 50 ml.

Urografia
A dose aconselhada para este tipo de exame é de 30 a 50 ml.

Outros tipos de investigações
Nos exames de potencialização do contraste em tomografia computorizada a dose é de 0,5-2,0 ml/kg.
Administração
Meio de contraste.
Utilizado em meio hospitalar.
Nos exames de artrografia e fistulografia a dose é administrada consoante a exploração.

A utilização deste produto para explorações cardioangiográficas deve ser feita em
clínicas, hospitais ou casas de saúde onde se assegure a disponibilidade imediata de meios técnicos e humanos necessários á reanimação.

Para os outros exames contrastográficos de prática mais comum, é necessário que os serviços de radiologia, públicos ou privados, disponham de meios de utilização imediata e de medicamentos apropriados (balão de Ambu, oxigénio, anti-histamínicos, vasoconstritores, corticoesteróides, etc.).
Contraindicações
Oral ou retal:
Hipersensibilidade ao Iopamidol.
Hipersensibilidade comprovada ou suspeita a preparações contendo iodo. Não dever ser utilizado para administração parental.

Injetável:
– Hipersensibilidade à substância activa;
– Devido às considerações de sobredosagem, a mielografia imediata repetida no caso de alguma falha técnica é contra-indicada.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
A administração oral ou retal (enema) pode originar diarreia como resultado da elevada osmolaridade destes produtos.

Este medicamento é uma solução de um composto não iónico e tem baixa osmolaridade sendo, no entanto menos frequente e menos grave a diarreia.

A administração parentérica de compostos orgânicos iodados podem causar reações tipo anafilactóides quer localizadas (vermelhidão cutânea, reações urticariformes, edema da laringe e broncospasmo) quer de natureza sistémica (hipotensão, náuseas, vómitos, sensação de calor abdominal shock, etc.) que poderão atingir graus importantes de gravidade.

As reações sistemáticas com este medicamento são raras uma vez que o produto é muito mal absorvido pelo tracto gastrointestinal.

Devido ao facto deste medicamento ser levemente hipertónico podem ocorrer ocasionais diarreias com maior frequência nas crianças e lactentes.
Advertências
Aleitamento
Aleitamento:Todos os trimestres: B - Não há estudos adequados em mulheres. Em experiência em animais não foram encontrados riscos, mas foram encontrados efeitos colaterais que não foram confirmado nas mulheres, especialmente durante o último trimestre de gravidez.
Gravidez
Gravidez:O produto não deve ser usado durante o aleitamento a não ser quando for considerado essencialmente necessário.
Precauções Gerais
– Relacionadas com o doente:
Qualquer desequilíbrio hidroelectrolítico deve ser imediatamente corrigido.

Este medicamento é formulado exclusivamente para utilização gastrointestinal e não deve ser utilizado por via parentérica. Em caso de suspeita de perfuração do tracto gastrointestinal o emprego deste medicamento deve limitar-se aos casos estritamente necessários.

Deverá ter-se especial atenção aos doentes de risco (doentes com insuficiência renal, diabetes mellitus, doenças cardiovasculares graves, alterações do S.N.C., associação de insuficiências renal e hepática graves, mielomatose, paraproteinémia, hipersensibilidade conhecida aos meios de contraste utilizados em radiologia, hipertiroidismo, bócio nodular, asma). Estes doentes devem ser mantidos sob hidratação adequada e os parâmetros da função renal e hepática, especialmente a função urinária deve ser monitorizada após o exame.

Doentes com insuficiência hepática e renal não devem ser examinados e deverão ser avaliados os possíveis benefícios em relação aos potenciais riscos e a repetição de exames deve ser atrasada por 5-7 dias.

Em doentes com história clínica de reações adversas durante investigações semelhantes deve ser exercida precaução adicional e o procedimento ser somente efectuado se os benefícios superarem claramente os riscos.

Os exames de raios-X em mulheres devem ser conduzidos tanto quanto possível durante a fase pré-ovulação do ciclo menstrual.

– Relacionadas com o meio de contraste:
Proteger da luz.
Uma vez aberta a embalagem deve utilizar-se de imediato.
O excedente de solução após cada exame radiográfico deverá ser imediatamente rejeitado.
O aspecto deste medicamento é límpido, incolor ou amarelo palha, não contendo partículas em suspensão.
No caso de apresentar coloração deve rejeitar-se.
No caso de ocorrer cristalização do produto deve colocar-se o frasco em água quente (60 a 100ºC) durante cerca de cinco minutos para de seguida agitar suavemente par se obter uma solução límpida.
No caso de persistência de cristais deve rejeitar-se.
Nunca misturar este medicamento com outros produtos.

– Relacionadas com a técnica:
Os locais públicos ou privados onde se realizam técnicas diagnosticas devem estar equipados com todo o material e fármacos cuja experiência tem mostrado ser apropriado em caso de acidentes (máscaras de oxigénio, anti-histamínicos, fármacos vasopressores, corticosteróides, etc.).

Este medicamento contém 0,23 mg de sódio por ml. Esta informação deve ser tida em consideração em doentes com ingestão controlada de sódio.
Cuidados com a Dieta
Não interfere com alimentos e bebidas.
Terapêutica Interrompida
Uma vez que o Iopamidol apenas é usado durante o teste radiológico, não vai estar disponível num esquema de administração.
Cuidados no Armazenamento
Oral e retal:
Conservar na embalagem de origem para proteger da luz.

Injetável:
Não conservar acima de 30ºC.
Conservar na embalagem de origem para proteger da luz.
Após abertura da embalagem, utilizar de imediato.
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Iopamidol + Bloqueadores beta-adrenérgicos

Observações: Não foram realizados estudos de interações. Não há interações conhecidas.
Interações: A administração concomitante de bloqueadores-β pode exacerbar reações de hipersensibilidade grave.
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

O produto não deve ser usado durante a gravidez e aleitamento a não ser quando for considerado essencialmente necessário.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017