Indapamida + Amlodipina

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
Bloqueadores da entrada do cálcio.

A indapamida é um diurético. Os diuréticos aumentam a quantidade de urina produzida pelos rins. Contudo, a indapamida é diferente de outros diuréticos, porque só provoca um ligeiro aumento na quantidade de urina produzida.

A amlodipina é um antagonista do cálcio (que pertence a uma classe de medicamentos chamada dihidropiridinas) e trabalham por relaxamento dos vasos sanguíneos permitindo assim que o sangue passe através deles mais facilmente. Cada um dos conponentes activos reduz a pressão sanguínea.
Usos comuns
Este medicamento é prescrito como tratamento de substituição da pressão arterial elevada (hipertensão) em doentes que já tomam indapamida e amlodipina em comprimidos separados com as mesmas doses.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Está indicado como terapêutica de substituição para o tratamento da hipertensão arterial essencial, em doentes já controlados com indapamida e amlodipina administradas em simultâneo e com a mesma dose.
Classificação CFT
03.04.03     Bloqueadores da entrada do cálcio
Mecanismo De Ação
A indapamida é um derivado sulfonamídico com anel indólico, farmacologicamente relacionada aos diuréticos tiazídicos, actuando por inibição da reabsorção de sódio ao nível do segmento cortical de diluição. Aumenta a excreção urinária de sódio e de cloreto e, em menor grau, a excreção do potássio e do magnésio, aumentando deste modo a diurese e exercendo uma ação anti-hipertensora.
A amlodipina é um inibidor do fluxo iónico do cálcio do grupo dihidropiridina (bloqueador dos canais lentos do cálcio ou antagonista do ião cálcio) e inibe o influxo transmembranar dos iões para as células miocárdica e muscular lisa vascular.
O mecanismo da ação anti-hipertensora da amlodipina é devido a um efeito relaxante direto sobre a musculatura lisa vascular.
Posologia Orientativa
Um comprimido por dia.
Administração
Via oral
Tomar o comprimido, de preferência tomado de manhã, para ser engolido inteiro com água e não mastigado.
Contraindicações
Hipersensibilidade à Indapamida e à Amlodipina, a outras sulfonamidas, a derivados de dihidropiridina.
Insuficiência renal grave (depuração da creatinina abaixo de 30 ml/min).
Encefalopatia hepática ou compromisso grave da função hepática.
Hipocaliemia.
Amamentação.
Hipotensão grave.
Choque (incluindo choque cardiogénico).
Obstrução da câmara de saída do ventrículo esquerdo (por ex. estenose aórtica grave).
Insuficiência cardíaca hemodinamicamente instável após enfarte agudo do miocárdio.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Pare a toma deste medicamento e consulte imediatamente o seu médico se sentir algum dos seguintes efeitos secundários:
- respiração ofegante súbita, dor no peito, respiração lenta ou dificuldade em respirar (pouco frequente, pode afetar até 1 em cada 100 pessoas),
- inchaço das pálpebras, face ou lábios (muito raro, pode afetar até 1 em cada 10.000 pessoas),
- inchaço da lingua e garganta que causa grande dificuldade em respirar (muito raro, pode afetar até 1 em cada 10.000 pessoas),
- reações graves na pele incluindo erupção intensa na pele, urticária, vermelhidão da pele no corpo inteiro, comichão intensa, bolhas, descamação e inchaço da pele, inflamação das mucosas (sindroma de Stevens Johnson) ou outras reações alérgicas (muito raro, pode afetar até 1 em cada 10.000 pessoas),
- ataque cardíaco, batimentos cardíacos fora do normal (muito raro, pode afetar até 1 em cada 10.000 pessoas),
- batimentos cardíacos irregulares que colocam a vida em risco (torsades de pointes) (frequência desconhecida),
- inflamação no pâncreas que pode causar graves dores abdominais e dor nas costas acompanhada com uma sensação de muito mal-estar (muito raro, pode afetar até 1 em cada 10.000 pessoas).

Foram reportados os seguintes efeitos secundários. Se algum destes causar problemas ou se persistir por mais de uma semana, deve contactar o seu médico.
Frequentes: podem afetar até 1 em cada 10 pessoas
- dor de cabeça, tonturas, sonolência (especialmente no início do tratamento),
- palpitações (sentir o coração a bater), vermelhidão,
- dor abdominal, mal-estar (náusea),
- tornozelo inchado (edema), cansaço,
- nível do potássio no sangue baixo, que pode causar fraqueza muscular,
- erupções na pele.

Foram também reportados outros efeitos secundários incluídos na lista seguinte. Se algum deles se tornar grave, ou se tiver efeitos secundários não mencionados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico.
Pouco frequentes: podem afetar até 1 em cada 100 pessoas
- alterações do humor, ansiedade, depressão, insónia,
- tremores, paladar alterado, sensação de desmaio, fraqueza,
- sensação de dormência ou de tilintar nas pernas, sensação de diminuição da dor,
- alterações visuais, visão dupla, campainhas nos ouvidos,
- pressão arterial baixa,
- espirros/nariz a escorrer causado pela inflamação no revestimento do nariz (rinite),
- alterações dos hábitos intestinais, diarreia, obstipação, indigestão, boca seca, vómitos (ficar doente),
- queda de cabelo, aumento de transpiração, comichão na pele, manchas vermelhas na pele, descoloração da pele,
- alterações da frequência urinária, aumento da necessidade de urinar durante a noite, aumento da frequência urinária,
- incapacidade de ereção; desconforto ou aumento dos peitos no homem,
- fraqueza, dor, mal-estar,
- dor muscular ou nas articulações, cãibras musculares, dor nas costas,
- aumento ou diminuição do peso.

Raros: podem afetar até 1 em cada 1.000 pessoas
- confusão,
- sensação de vertigem.

Muito raros: podem afetar até 1 em cada 10.000 pessoas
- alterações nas células sanguíneas, tais como trombocitopenia (diminuição do número de plaquetas que pode causar contusão e hemorragia nasal), leucopenia (diminuição dos glóbulos brancos que pode causar febre inexplicável, inflamação na garganta ou outros sintomas tipo gripe – se isto ocorrer contacte o seu médico) e anemia (diminuição dos glóbulos vermelhos),
- aumento de açúcar no sangue (hiperglicemia),
- aumento do cálcio no sangue,
- uma alteração dos nervos que pode causar fraqueza, tilintar ou dormência,
- tosse,
- inchaço das gengivas,
- inchaço abdominal (gastrite),
- função hepática anormal, inflamação no fígado (hepatite), pele amarelada (icterícia), aumento das enzimas do fígado que pode ter um efeito em alguns exames médicos; em casos de insuficiência hepática, há uma possibilidade de desenvolver encefalopatia (doença no cérebro provocada por doença no fígado),
- doença renal,
- aumento da tensão muscular,
- inflamação dos vasos sanguíneos, muitas vezes com erupção na pele,
- sensibilidade à luz,
- alterações combinando rigidez, tremor e/ou alterações do movimento.

Desconhecido: (a frequência não pode ser calculada a partir dos dados disponíveis)
- podem ocorrer alterações nos seus parâmetros laboratoriais e o seu médico pode ter necessidade de mandar fazer exames ao sangue para avaliar o seu estado. Podem ocorrer as seguintes alterações nos parâmetros laboratoriais:
- baixos valores de sódio que podem causar desidratação e descida da pressão arterial,
- aumento do ácido úrico, uma substância que pode causar ou agravar a gota (dor nas articulações especialmente nos pés),
- aumento dos níveis da glucose no sangue em doentes diabéticos,
- traçado ECG anormal.
Se sofre de lúpus eritematoso (uma doença do colagénio), esta pode ser agravada.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Não administrar durante a gravidez
Aleitamento
Aleitamento:Não deve tomar este medicamento se está a amamentar.
Conducao
Conducao:Este medicamento pode afetar a sua capacidade para conduzir.
Precauções Gerais
Deve informar o seu médico se tem ou teve alguma das seguintes condições:
- ataque cardíaco recente,
- se tem insuficiência cardíaca, qualquer problema no ritmo cardíaco, se tem doença arterial coronária (doença cardíaca causada por deficiente fluxo sanguíneo nos vasos sanguíneos do coração),
- se tem problemas com os seus rins,
- grave aumento da pressão sanguínea (crise hipertensiva),
- se é idoso e a sua dose necessita de ser aumentada,
- se toma outros medicamentos,
- se está mal alimentado,
- se tem problemas do fígado,
- se tem diabetes,
- se sofre de gota,
- se necessita de fazer um teste para avaliar se a sua glândula paratiroide funciona,
- se tem reações de fotossensibilidade.

Não deve ser dado a crianças e adolescentes.
Cuidados com a Dieta
Sumo de toranja e toranja não devem ser consumidos por pessoas que tomam este medicamento.
Terapêutica Interrompida
Se se esqueceu de tomar um comprimido, esqueça essa dose. Tome a próxima dose à hora habitual. Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.
Blisters: conservar abaixo de 30ºC.
Recipientes: O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Indapamida + Amlodipina + Lítio

Observações: N.D.
Interações: Ligadas à INDAPAMIDA: Associações não recomendadas: Lítio: Aumento da litiemia com sintomas de sobredosagem, tal como numa dieta sem sal (diminuição da excreção urinária do lítio). Contudo, se a utilização dos diuréticos for necessária, deve efectuar-se uma monitorização cuidadosa da litiemia e adaptar a dose.

Indapamida + Amlodipina + Medicamentos potenciadores de Torsades de Pointes

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Antiarrítmicos

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Disopiramida

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Quinidina

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Hidroquinidina

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Amiodarona

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Sotalol

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Dofetilida

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Ibutilida

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Antipsicóticos

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Fenotiazidas (fenotiazinas)

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Clorpromazina

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Ciamemazina

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Levomepromazina

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Tioridazina

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Trifluoperazina

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Benzamidas

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Amissulprida

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Sulpirida

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Sultoprida

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Tiaprida

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Droperidol

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Haloperidol

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Butirofenonas

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Bepridilo

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Cisaprida

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Metilsulfato de difemanila

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Eritromicina

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia. Ligadas à AMLODIPINA: Inibidores CYP3A4: A utilização concomitante de amlodipina com inibidores fortes ou moderados do CYP3A4 (inibidores das proteases, antifúngicos azóis, macrólidos como a eritromicina ou a claritromicina, verapamil e diltiazem) podem conduzir a um aumento significativo da exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações farmacocinéticas pode ser mais pronunciada nos idosos. Monitorização clínica e ajuste de dose poderão assim, ser necessários.

Indapamida + Amlodipina + Mizolastina

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Pentamidina

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Halofantrina

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Esparfloxacina

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Moxifloxacina

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Vincamina

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Medicamentos que induzem « torsades de pointes »: - antiarrítmicos classe Ia (quinidina, hidroquinidina, disopiramida), - antiarrítmicos classe III (amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida), - alguns antipsicóticos: fenotiazinas (clorpromazina, ciamemazina, levomepromazina, tioridazina, trifluoperazina), benzamidas (amissulprida, sulpirida, sultoprida, tiaprida), butirofenonas (droperidol, haloperidol), outros: bepridilo, cisaprida, difemanil, eritromicina IV, halofantrina, mizolastina, pentamidina, esparfloxacina, moxifloxacina, vincamina IV. Risco aumentado de arritmias ventriculares, particularmente torsades de pointes (a hipocaliemia é um factor de risco). Vigilância e, se necessário, correcção da hipocaliemia antes da introdução desta associação. Monitorização clínica, dos electrólitos e do ECG. Utilizar substâncias que não provoquem « torsades de pointes » em presença de hipocaliemia.

Indapamida + Amlodipina + Anti-inflamatórios não esteróides (AINEs)

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: A.I.N.E. (via sistémica) incluindo inibidores selectivos COX-2, ácido salicílico em doses altas (≥3g/dia): Possível redução no efeito anti-hipertensor da indapamida. Risco de insuficiência renal aguda em doentes desidratados (diminuição da filtração glomerular). Hidratar o doente: Monitorizar a função renal no início do tratamento.

Indapamida + Amlodipina + Inibidores da cicloxigenase (COX)

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: A.I.N.E. (via sistémica) incluindo inibidores selectivos COX-2, ácido salicílico em doses altas (≥3g/dia): Possível redução no efeito anti-hipertensor da indapamida. Risco de insuficiência renal aguda em doentes desidratados (diminuição da filtração glomerular). Hidratar o doente: Monitorizar a função renal no início do tratamento.

Indapamida + Amlodipina + Ácido Acetilsalicílico

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: A.I.N.E. (via sistémica) incluindo inibidores selectivos COX-2, ácido salicílico em doses altas (≥3g/dia): Possível redução no efeito anti-hipertensor da indapamida. Risco de insuficiência renal aguda em doentes desidratados (diminuição da filtração glomerular). Hidratar o doente: Monitorizar a função renal no início do tratamento.

Indapamida + Amlodipina + Inibidores da Enzima de Conversão da Angiotensina (IECAS)

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Inibidores da enzima de conversão da angiotensina (IECA): Risco de hipotensão súbita e/ou insuficiência renal aguda, quando se inicia o tratamento com um IECA em presença de uma depleção de sódio preexistente (particularmente em doentes com estenose da artéria renal). Associações que necessitam de precauções de utilização: Na hipertensão, quando um tratamento diurético anterior tenha provocado depleção de sódio, é necessário: - parar o diurético 3 dias antes do início do tratamento com o IECA e, se necessário, reiniciar um diurético hipocaliémico; - ou iniciar o IECA com doses baixas e aumentar gradualmente. Na insuficiência cardíaca congestiva, iniciar o tratamento com uma dose muito baixa de IECA, possivelmente após a redução na dose do diurético hipocaliémico concomitante. Em todos os casos, durante as primeiras semanas de tratamento com um IECA, monitorizar a função renal (creatinina plasmática).

Indapamida + Amlodipina + Anfotericina B

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Outros compostos que provocam hipocaliemia: Anfotericina B (via I.V.), gluco e mineralocorticóides (via sistémica), tetracosactido, laxantes estimulantes: Risco aumentado de hipocaliemia (efeito aditivo). Monitorização da caliemia e correcção, se necessário. Ter particular atenção em caso de terapêutica digitálica concomitante. Utilizar laxantes não estimulantes.

Indapamida + Amlodipina + Mineralocorticoides

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Outros compostos que provocam hipocaliemia: Anfotericina B (via I.V.), gluco e mineralocorticóides (via sistémica), tetracosactido, laxantes estimulantes: Risco aumentado de hipocaliemia (efeito aditivo). Monitorização da caliemia e correcção, se necessário. Ter particular atenção em caso de terapêutica digitálica concomitante. Utilizar laxantes não estimulantes.

Indapamida + Amlodipina + Glucocorticoides

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Outros compostos que provocam hipocaliemia: Anfotericina B (via I.V.), gluco e mineralocorticóides (via sistémica), tetracosactido, laxantes estimulantes: Risco aumentado de hipocaliemia (efeito aditivo). Monitorização da caliemia e correcção, se necessário. Ter particular atenção em caso de terapêutica digitálica concomitante. Utilizar laxantes não estimulantes.

Indapamida + Amlodipina + Tetracosactido

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Outros compostos que provocam hipocaliemia: Anfotericina B (via I.V.), gluco e mineralocorticóides (via sistémica), tetracosactido, laxantes estimulantes: Risco aumentado de hipocaliemia (efeito aditivo). Monitorização da caliemia e correcção, se necessário. Ter particular atenção em caso de terapêutica digitálica concomitante. Utilizar laxantes não estimulantes. Associações a ter em consideração: Corticosteróides, tetracosactido (via sistémica): Diminuição do efeito anti-hipertensor (retenção hidrossódica pelos corticóides).

Indapamida + Amlodipina + Laxantes

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Outros compostos que provocam hipocaliemia: Anfotericina B (via I.V.), gluco e mineralocorticóides (via sistémica), tetracosactido, laxantes estimulantes: Risco aumentado de hipocaliemia (efeito aditivo). Monitorização da caliemia e correcção, se necessário. Ter particular atenção em caso de terapêutica digitálica concomitante. Utilizar laxantes não estimulantes.

Indapamida + Amlodipina + Glicósideos digitálicos

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Digitálicos: A hipocaliemia favorece os efeitos tóxicos dos digitálicos. Monitorizar a caliemia e o ECG e, se necessário, ajustar o tratamento.

Indapamida + Amlodipina + Baclofeno

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam de precauções de utilização: Baclofeno: Aumento do efeito anti-hipertensor. Hidratar o doente e monitorizar a função renal no início do tratamento.

Indapamida + Amlodipina + Diuréticos poupadores de potássio

Observações: N.D.
Interações: Associações a ter em consideração: Diuréticos poupadores de potássio (amiloride, espironolactona, triamtereno): Embora as associações racionais sejam úteis para certos doentes, pode ainda ocorrer hipocaliemia (particularmente em doentes com insuficiência renal ou diabetes) ou hipercaliemia. Monitorizar a caliemia, e o ECG e, se necessário, rever o tratamento.

Indapamida + Amlodipina + Amilorida

Observações: N.D.
Interações: Associações a ter em consideração: Diuréticos poupadores de potássio (amiloride, espironolactona, triamtereno): Embora as associações racionais sejam úteis para certos doentes, pode ainda ocorrer hipocaliemia (particularmente em doentes com insuficiência renal ou diabetes) ou hipercaliemia. Monitorizar a caliemia, e o ECG e, se necessário, rever o tratamento.

Indapamida + Amlodipina + Espironolactona

Observações: N.D.
Interações: Associações a ter em consideração: Diuréticos poupadores de potássio (amiloride, espironolactona, triamtereno): Embora as associações racionais sejam úteis para certos doentes, pode ainda ocorrer hipocaliemia (particularmente em doentes com insuficiência renal ou diabetes) ou hipercaliemia. Monitorizar a caliemia, e o ECG e, se necessário, rever o tratamento.

Indapamida + Amlodipina + Triamtereno

Observações: N.D.
Interações: Associações a ter em consideração: Diuréticos poupadores de potássio (amiloride, espironolactona, triamtereno): Embora as associações racionais sejam úteis para certos doentes, pode ainda ocorrer hipocaliemia (particularmente em doentes com insuficiência renal ou diabetes) ou hipercaliemia. Monitorizar a caliemia, e o ECG e, se necessário, rever o tratamento.

Indapamida + Amlodipina + Metformina

Observações: N.D.
Interações: Associações a ter em consideração: Metformina: Risco aumentado da metformina induzir acidose láctica devido à possibilidade de insuficiência renal funcional associada aos diuréticos e particularmente aos diuréticos da ansa. Não utilizar a metformina quando a creatinemia ultrapassar 1,5 mg/dl (135 μ moles/l) no homem e 1,2 mg/dl (110 μ moles/l) na mulher.

Indapamida + Amlodipina + Agentes/Meios de Contraste

Observações: N.D.
Interações: Associações a ter em consideração: Meios de contraste iodados: Em caso de desidratação provocada pelos diuréticos, risco aumentado de insuficiência renal aguda, em particular quando são utilizadas doses elevadas de meios de contraste iodados. Rehidratação antes da administração do produto iodado.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Indapamida + Amlodipina + Antidepressores

Observações: N.D.
Interações: Associações a ter em consideração: Antidepressores imipramínicos, neurolépticos: Efeito anti-hipertensor e aumento do risco de hipotensão ortostática (efeito aditivo).
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Indapamida + Amlodipina + Neurolépticos

Observações: N.D.
Interações: Associações a ter em consideração: Antidepressores imipramínicos, neurolépticos: Efeito anti-hipertensor e aumento do risco de hipotensão ortostática (efeito aditivo).

Indapamida + Amlodipina + Cálcio

Observações: N.D.
Interações: Associações a ter em consideração: Cálcio (sais de): Risco de hipercalcemia por diminuição da eliminação urinária de cálcio.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Indapamida + Amlodipina + Ciclosporina

Observações: N.D.
Interações: Associações a ter em consideração: Ciclosporina, tacrolímus: Risco de aumento da creatinemia sem qualquer alteração dos níveis circulantes de ciclosporina, mesmo na ausência de depleção hidrossódica. Ligadas à AMLODIPINA: Efeitos da amlodipina com outros medicamentos: O efeito de diminuição da pressão arterial da amlodipina adiciona-se ao efeito de diminuição da pressão arterial de outros agentes antihipertensores. Em estudos de interação clínica, a amlodipina não alterou a farmacocinética da atorvastatina, digoxina, varfarina ou ciclosporina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Indapamida + Amlodipina + Tacrolímus

Observações: N.D.
Interações: Associações a ter em consideração: Ciclosporina, tacrolímus: Risco de aumento da creatinemia sem qualquer alteração dos níveis circulantes de ciclosporina, mesmo na ausência de depleção hidrossódica.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Indapamida + Amlodipina + Corticosteroides

Observações: N.D.
Interações: Associações a ter em consideração: Corticosteróides, tetracosactido (via sistémica): Diminuição do efeito anti-hipertensor (retenção hidrossódica pelos corticóides).

Indapamida + Amlodipina + Dantroleno

Observações: N.D.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Dantroleno (perfusão): Em animais, foram observadas fibrilhação ventricular letal e colapso cardiovascular em associação com hipercaliemia, após administração de verapamil e dantroleno intravenoso. Devido ao risco de hipercaliemia, é recomendado que a administração concomitante de bloqueadores de canais de cálcio, como a amlodipina, seja evitada em doentes suscetíveis a hipertermia maligna e no tratamento da hipertermia maligna.

Indapamida + Amlodipina + Sumo de toranja

Observações: N.D.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Dantroleno (perfusão): Em animais, foram observadas fibrilhação ventricular letal e colapso cardiovascular em associação com hipercaliemia, após administração de verapamil e dantroleno intravenoso. Não é recomendada a administração de amlodipina com toranja ou sumo de toranja, uma vez que em alguns doentes a biodisponibilidade pode aumentar resultando num aumento do efeito de diminuição da pressão arterial.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Indapamida + Amlodipina + Inibidores do CYP3A4

Observações: N.D.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Inibidores CYP3A4: A utilização concomitante de amlodipina com inibidores fortes ou moderados do CYP3A4 (inibidores das proteases, antifúngicos azóis, macrólidos como a eritromicina ou a claritromicina, verapamil e diltiazem) podem conduzir a um aumento significativo da exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações farmacocinéticas pode ser mais pronunciada nos idosos. Monitorização clínica e ajuste de dose poderão assim, ser necessários.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Indapamida + Amlodipina + Inibidores da Protease (IP)

Observações: N.D.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Inibidores CYP3A4: A utilização concomitante de amlodipina com inibidores fortes ou moderados do CYP3A4 (inibidores das proteases, antifúngicos azóis, macrólidos como a eritromicina ou a claritromicina, verapamil e diltiazem) podem conduzir a um aumento significativo da exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações farmacocinéticas pode ser mais pronunciada nos idosos. Monitorização clínica e ajuste de dose poderão assim, ser necessários.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Indapamida + Amlodipina + Antifúngicos (Azol)

Observações: N.D.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Inibidores CYP3A4: A utilização concomitante de amlodipina com inibidores fortes ou moderados do CYP3A4 (inibidores das proteases, antifúngicos azóis, macrólidos como a eritromicina ou a claritromicina, verapamil e diltiazem) podem conduzir a um aumento significativo da exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações farmacocinéticas pode ser mais pronunciada nos idosos. Monitorização clínica e ajuste de dose poderão assim, ser necessários.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Indapamida + Amlodipina + Macrólidos

Observações: N.D.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Inibidores CYP3A4: A utilização concomitante de amlodipina com inibidores fortes ou moderados do CYP3A4 (inibidores das proteases, antifúngicos azóis, macrólidos como a eritromicina ou a claritromicina, verapamil e diltiazem) podem conduzir a um aumento significativo da exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações farmacocinéticas pode ser mais pronunciada nos idosos. Monitorização clínica e ajuste de dose poderão assim, ser necessários.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Indapamida + Amlodipina + Claritromicina

Observações: N.D.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Inibidores CYP3A4: A utilização concomitante de amlodipina com inibidores fortes ou moderados do CYP3A4 (inibidores das proteases, antifúngicos azóis, macrólidos como a eritromicina ou a claritromicina, verapamil e diltiazem) podem conduzir a um aumento significativo da exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações farmacocinéticas pode ser mais pronunciada nos idosos. Monitorização clínica e ajuste de dose poderão assim, ser necessários.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Indapamida + Amlodipina + Verapamilo

Observações: N.D.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Inibidores CYP3A4: A utilização concomitante de amlodipina com inibidores fortes ou moderados do CYP3A4 (inibidores das proteases, antifúngicos azóis, macrólidos como a eritromicina ou a claritromicina, verapamil e diltiazem) podem conduzir a um aumento significativo da exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações farmacocinéticas pode ser mais pronunciada nos idosos. Monitorização clínica e ajuste de dose poderão assim, ser necessários.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Indapamida + Amlodipina + Diltiazem

Observações: N.D.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Inibidores CYP3A4: A utilização concomitante de amlodipina com inibidores fortes ou moderados do CYP3A4 (inibidores das proteases, antifúngicos azóis, macrólidos como a eritromicina ou a claritromicina, verapamil e diltiazem) podem conduzir a um aumento significativo da exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações farmacocinéticas pode ser mais pronunciada nos idosos. Monitorização clínica e ajuste de dose poderão assim, ser necessários.

Indapamida + Amlodipina + Indutores do CYP3A4

Observações: N.D.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Indutores CYP3A4: Não existem dados disponíveis sobre o efeito dos indutores da CYP3A4 na amlodipina. O uso concomitante de indutores da CYP3A4 (por exemplo, rifampicina e hipericão) pode originar concentrações plasmáticas mais baixas de amlodipina. A amlodipina deve ser utilizada com precaução quando administrada simultaneamente com indutores da CYP3A4.

Indapamida + Amlodipina + Rifampicina

Observações: N.D.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Indutores CYP3A4: Não existem dados disponíveis sobre o efeito dos indutores da CYP3A4 na amlodipina. O uso concomitante de indutores da CYP3A4 (por exemplo, rifampicina e hipericão) pode originar concentrações plasmáticas mais baixas de amlodipina. A amlodipina deve ser utilizada com precaução quando administrada simultaneamente com indutores da CYP3A4.

Indapamida + Amlodipina + Hipericão

Observações: N.D.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Indutores CYP3A4: Não existem dados disponíveis sobre o efeito dos indutores da CYP3A4 na amlodipina. O uso concomitante de indutores da CYP3A4 (por exemplo, rifampicina e hipericão) pode originar concentrações plasmáticas mais baixas de amlodipina. A amlodipina deve ser utilizada com precaução quando administrada simultaneamente com indutores da CYP3A4.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Indapamida + Amlodipina + Antihipertensores

Observações: N.D.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Efeitos da amlodipina com outros medicamentos: O efeito de diminuição da pressão arterial da amlodipina adiciona-se ao efeito de diminuição da pressão arterial de outros agentes antihipertensores. Em estudos de interação clínica, a amlodipina não alterou a farmacocinética da atorvastatina, digoxina, varfarina ou ciclosporina.

Indapamida + Amlodipina + Atorvastatina

Observações: N.D.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Efeitos da amlodipina com outros medicamentos: O efeito de diminuição da pressão arterial da amlodipina adiciona-se ao efeito de diminuição da pressão arterial de outros agentes antihipertensores. Em estudos de interação clínica, a amlodipina não alterou a farmacocinética da atorvastatina, digoxina, varfarina ou ciclosporina.

Indapamida + Amlodipina + Digoxina

Observações: N.D.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Efeitos da amlodipina com outros medicamentos: O efeito de diminuição da pressão arterial da amlodipina adiciona-se ao efeito de diminuição da pressão arterial de outros agentes antihipertensores. Em estudos de interação clínica, a amlodipina não alterou a farmacocinética da atorvastatina, digoxina, varfarina ou ciclosporina.

Indapamida + Amlodipina + Varfarina

Observações: N.D.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Efeitos da amlodipina com outros medicamentos: O efeito de diminuição da pressão arterial da amlodipina adiciona-se ao efeito de diminuição da pressão arterial de outros agentes antihipertensores. Em estudos de interação clínica, a amlodipina não alterou a farmacocinética da atorvastatina, digoxina, varfarina ou ciclosporina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Indapamida + Amlodipina + Sinvastatina

Observações: N.D.
Interações: Ligadas à AMLODIPINA: Efeitos da amlodipina com outros medicamentos: Sinvastatina: A administração concomitante de doses múltiplas de 10 mg de amlodipina com 80 mg de sinvastatina resultou num aumento de 77% na exposição à sinvastatina comparativamente com a sinvastatina isoladamente. Recomenda-se limitar a dose diária de sinvastatina a 20 mg em doentes a tomar amlodipina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

Não deve tomar este medicamento com lítio (usado para tratar perturbações mentais tal como mania, depressão maníaca e depressão recorrente) devido ao risco de aumento dos níveis do lítio no sangue, ou com dantroleno (usado para alterações graves da temperatura do corpo).

Este medicamento não está recomendado durante a gravidez.

Quando uma gravidez está planeada ou confirmada, a substituição para um tratamento alternativo deve ser iniciado o mais cedo possível.

Fale com o seu médico se está grávida ou quer engravidar.

Não deve tomar este medicamento se está a amamentar.

Fale imediatamente com o seu médico se está a amamentar ou se pretende iniciar a amamentação.

Este medicamento pode afetar a sua capacidade para conduzir ou utilizar máquinas.

Se os comprimidos o fazem sentir doente, com tonturas ou cansado, ou fazem dor de cabeça, não conduza nem utilize máquinas e fale com o seu médico imediatamente.

Se isto ocorrer deve evitar conduzir e realizar qualquer atividade que necessite de atenção.

Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 10 de Março de 2016