Histamina

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
Dicloridrato de histamina contém Histamina, um potente vasodilatador que tem o nome químico 2 - (4-imidazolil) etilamina.
A Histamina tem uma fórmula empírica de C5H9N3, um peso molecular de 111,15.
Usos comuns
Diagnóstico:
Controlo positivo e negativo dos testes de picadas na pele para diagnóstico de alergia mediada por IgE específica.

Imunomodulador:
A terapêutica de manutenção com este medicamento está indicada em doentes adultos que sofrem de leucemia mielóide aguda (LMA) numa primeira remissão tratada concomitantemente com interleucina-2 (IL-2).

A eficácia não foi totalmente demonstrada em doentes com idades superiores a 60 anos.
Tipo
Molécula pequena.
História
As propriedades da Histamina, então chamada β-iminazolylethylamine, foram descritas pela primeira vez em 1910 pelos cientistas britânicos Henry H. Dale e PP Laidlaw.

"Substância H" ou "substância H" são usados zocasionalmente na literatura médica de Histamina ou uma substância difusível de tipo-histamina hipotético libertado em reações alérgicas de pele e nas respostas do tecido à inflamação.
Indicações
Diagnóstico:
Controlo positivo e negativo dos testes de picadas na pele para diagnóstico de alergia mediada por IgE específica.

Imunomodulador:
A terapêutica de manutenção com este medicamento está indicada em doentes adultos que sofrem de leucemia mielóide aguda (LMA) numa primeira remissão tratada concomitantemente com interleucina-2 (IL-2).

A eficácia não foi totalmente demonstrada em doentes com idades superiores a 60 anos.
Classificação CFT

19.04 : Meios de diagnóstico não radiológico

Mecanismo De Ação
Diagnóstico: a Histamina provocará uma imitação da reacção alérgica no local num espaço de tempo de 10 a 20 minutos, caracterizada pela formação de manchas e eritema. As manchas e eritema são causados pelo efeito vasoactivo da Histamina.

Imunomodulador: A combinação Histamina/IL-2 constitui uma imunoterapia que tem por objectivo induzir a destruição imunomediada de células leucémicas mielóides e assim prevenir a recaída da leucemia. O papel da histamina é proteger os linfócitos, em particular as células NK e as células T, as quais são responsáveis pela destruição imunomediada das células leucémicas residuais. O papel do IL-2 é promover as funções das células NK e das células T activando as propriedades antileucémicas destas células e expandindo as populações destas células através da indução da proliferação do ciclo celular.
Posologia Orientativa
Conforme prescrição médica.
Administração
Diagnóstico:
O Médico ou Profissional de saúde realizarão para si o teste de picada da pele.
Imunomodulador:
É apenas para utilização subcutânea.

Um a 3 minutos após a administração por via subcutânea de IL-2 ter terminado, Histamina deve ser administrada, por meio de injecção subcutânea lenta, a uma velocidade que não exceda 0,1mL (0,1mg de dicloridrato de histamina) por minuto. O tempo habitual de administração de uma dose de 0,5mL de Histamina é de 5 minutos. A fim de diminuir o potencial de reações adversas, o tempo de administração pode ser prolongado até um máximo de 15 minutos. Histamina pode ser administrado com uma bomba de seringa para perfusão em ambulatório ou por injecção subcutânea manual controlada com uma seringa com temporizador.
Contraindicações
Diagnóstico:
Dermatite atópica aguda ou crónica na área utilizada para a realização do teste. Estão contra-indicados se o doente tiver hipersensibilidade ao fenol.

Imunomodulador:
– Hipersensibilidade à Histamina.
– Doentes com função cardíaca significativam ente comprometida, p. ex., Classe III e IV da NYHA.
– Doentes sujeitos a terapêuticas sistémicas com esteróides, clonidina e agentes bloqueadores de H2.
– Doentes que tenham recebido um transplante alogénico de células estaminais.
– Durante a gravidez.
– Durante a amamentação.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Diagnóstico:
Este medicamento provocará os efeitos locais esperados, associados à Histamina. Após o teste, o Controlo positivo, dará origem a uma área de pele edematosa e dura que poderá estar rodeada por uma área vermelha com comichão localizada.

Em alguns casos poderá surgir uma ligeira dor.
Se alguns dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários aqui não mencionados, informe o seu Médico ou Farmacêutico.
Em casos extremamente raros poderá ocorrer uma reacção anafiláctica (uma reacção grave, em todo o corpo, caraterizada por manchas, prurido, dificuldades respiratórias e desmaio) após o teste de picada na pele com alergénios activos. Se tal acontecer, o Médico ou Profissional de Saúde terá disponível um kit de emergência com uma seringa de adrenalina pronta a utilizar.

Imunomodulador:
Efeitos secundários observados quando deste medicamento é utilizado conforme aqui descrito:
Hipotensão (pressão arterial baixa) pode ocorrer muito frequentementee pode conduzir a tonturas ligeiras e desmaio. Se notar uma quebra grave da tensão arterial após utilizar este medicamento, contacte o Médico imediatamente ou pelo menos antes da administração de mais injecções.

Efeitos secundários muito frequentes (podem afectar mais de 1 em 10 pessoas)
– Aumento do número de um determinado tipo de glóbulos brancos no sangue (eosinofilia) e diminuição do número de plaquetas sanguíneas (trombocitopenia)
– Dor de cabeça e tonturas
– Perturbação do paladar (disgeusia)
– Aceleração dos batimentos cardíacos (taquicardia)
– Vermelhidão facial
– Tosse, dificuldade em respirar (dispneia)
– Infecções do tracto respiratório superior
– Náusea (enjoo), indigestão (dispepsia) e diarreia
– Exantema (erupção da pele)
– Dores nas articulações e músculos (artralgia e mialgia)
– Pele granulada e inflamada no local da injecção, fadiga, febre (pirexia), vermelhidão no local da injecção, sensação de calor, reacção no local de aplicação, comichão no local da injecção, sintomas do tipo gripal, arrepios(calafrios), inflamação e dor no local da injecção.

Efeitos secundários frequentes (podem afectar até 1 em 10 pessoas
– Diminuição do número de glóbulos brancos (leucopénia)
– Diminuição do número de um certo tipo de glóbulos brancos (neutropenia)
– Inflamação dos pulmões (pneumonia)
– Perda de apetite (anorexia)
– Dificuldade em dormir (insónia)
– Sentir o próprio coração a bater (palpitações)
– Congestão nasal
– Vómitos, dor na parte superior da barriga (dor abdominal) e boca seca
– Inflamação do estômago (gastrite)
– Inchaço da barriga (distens ão abdominal)
– Vermelhidão anormal da pele (eritema), aumento da sudação (hiperhidrose), suores noturnos e comichão (prurido)
– Dores nos membros e nas costas
– Urticária, pisaduras (nódoas negras), erupção cutânea e inchaço no local da injecção fraqueza (astenia) e dores no peito

Efeitos secundários adicionais observados quando este medicamento foi utilizado noutros tipos de tratamento.
Efeitos secundários muito frequentes (podem afectar mais de 1 em 10 pessoas)
– Pele seca
– Ansiedade
– Sensação de desconforto geral ou inquietação
– Acumulação de líquidos no corpo, especialmente nas pernas, e perda de peso (edema)
– Perda de peso
Efeitos secundários frequentes (podem afectar até 1 em 10 pessoas )
– Sensação de andar à roda (vertigem)
– O corpo não produz tiroxina suficiente, uma substância química do organismo denominada hormona (hipotiroidismo)
– Diminuição do número de glóbulos vermelhos (anemia)
– Secura do organismo (desidratação)
– Depressão
– Formigueiro, picadas ou dormência da pele (parestesia)
– Afrontamentos
– Sibilos
– Obstipação (prisão de ventre), estômago inchado, boca inflamada
– Dor e formação de tecido adicional na pele em volta do local da injecção.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Todos os trimestres: C - Não há estudos adequados em mulheres. Em experiências animais ocorreram alguns efeitos colaterais no feto, mas o benefício do produto pode justificar o risco potencial durante a gravidez.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:Não se sabe se este medicamento passa para o leite materno. Por isso, não deve ser utilizado durante a amamentação.
Condução
Condução
Condução:Não conduza durante uma hora depois de receber uma injeção deste medicamento, pois esta pode diminuir a tensão arterial, provocando tonturas, sensação de cabeça vazia e turvação da visão. Isto pode afectar a sua capacidade de conduzir.
Precauções Gerais
Diagnóstico:
Algumas condições podem influenciar a interpretação do resultado do teste de picada na pele, por esse motivo: Informe o médico ou Profissional de Saúde antes da realização do teste de picada da pele apresentar alguma das seguintes condições:
– Sofre de eczema na fase activa ou outras doenças de pele na área da pele utilizada para os testes;
– Se lhe removeram um nódulo linfático da axila;
– O seu estado geral de saúde está gravemente afectado por qualquer doença.

Imunomodulador:
A Histamina e a IL-2 não podem ser injectadas ao mesmo tempo.
A IL-2 tem de ser injectada primeiro.
A Histamina tem de ser injectada 1 a 3 minutos mais tarde.
A Histamina tem de ser injectada lentamente na camada de tecido imediatamente abaixo da pele (injecção subcutânea), ao longo de um período de aproximadamente 5 a 15 minutos.

A injecção rápida pode provocar uma queda da tensão arterial e causar uma sensação de desfalecimento ou mesmo desmaio. O seu tratamento com Histamina será iniciado numa clínica, sob supervisão de um Médico.
É necessário monitorizá-lo para verificar como responde ao tratamento.
O médico irá verificar a tensão arterial, ritmo cardíaco e função pulmonar.
O médico também efectuará algumas análises ao sangue durante o tratamento.

Se sofreu de alguma das seguintes patologias, será monitorizado no hospital durante os dias de tratamento seguintes ou durante os ciclos de tratamento seguintes:
– úlceras hemorrágicas,
– acidente vascular cerebral,
– estreitamento das artérias (doença arterial periférica sistémica),
– doença cardíaca (relativamente a problemas cardíacos graves
– história de doença auto-imune (uma doença em que o sistema imunitário ataca as células e os tecidos do próprio organismo, como lúpus sistémico, artrite reumatóide, doença inflamatória intestinal ou psoríase).

Se está a tomar outros medicamentos ou se tem prevista uma operação ou algum exame de diagnóstico por raios X especial que necessite de uma injecção, fale com o médico.
Se tem uma infecção, o médico irá monitorizá-lo de perto.
Se teve uma infecção nos 14 dias anteriores ao início deste tratamento para a qual necessitou de tomar medicamentos (antibióticos, antifúngicos ou antivirais), o médico irá monitorizá-lo de perto.

Se tem problemas nos rins, fale com o médico antes de utilizar este medicamento.
Pode ocorrer uma diminuição da tensão arterial.

Se tem problemas no fígado, fale com o médico antes de utilizar este medicamento.
o médico poderá alterar a dose.
Cuidados com a Dieta
Não existe informação disponível sobre interacções deste medicamento com alimentos, bebidas e álcool.
É injetado subcutaneamente, por isso a absorção a partir do tracto gastrointestinal não é influenciada pelos alimentos e bebidas.
Terapêutica Interrompida
Não tome uma dose adicional para compensar as doses que se esqueceu. Continue com o tratamento conforme lhe foi prescrito. Se falhou uma das doses num dia, contacte o seu Médico ou Farmacêutico.
Cuidados no Armazenamento
A clínica/hospital armazenará a solução para teste cutâneo em picada.
Conservar no frigorífico (2°C – 8°C).
Conservar as seringas pré cheias, tapadas de IL-2 diluída dispensadas pelo farmacêutico no frigorífico (a 2° C – 8° C) até utilizar.
Espectro de susceptibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Usar com precaução

Histamina + Interleucina 2

Observações: A administração concomitante de medicamentos com efeitos de toxicidade cardíaca ou de depressão da pressão sanguínea podem aumentar a toxicidade do Histamina.
Interacções: Apesar da posologia diferir, quando a Histamina é utilizada em conjunção com IL - 2, os médicos devem também consultar o Resumo das Características do Medicamento ( RCM ) da IL - 2 e observar as respetivas interacções medicamentosas. - Interleucina 2
Sem efeito descrito

Cetrorrelix + Histamina

Observações: N.D.
Interacções: As investigações in vitro mostraram que são improváveis interacções com medicamentos metabolizados pelo citocromo P450 ou glucuronizados ou conjugados de outra forma. Contudo, embora não haja qualquer evidência de interacções medicamentosas especialmente com medicamentos de uso corrente, gonadotropinas ou com produtos que podem induzir a libertação de histamina em indivíduos suscetíveis, não se pode excluir totalmente a possibilidade de uma interacção. - Histamina
Não recomendado/Evitar

Histamina + Cimetidina

Observações: A administração concomitante de medicamentos com efeitos de toxicidade cardíaca ou de depressão da pressão sanguínea podem aumentar a toxicidade do Histamina.
Interacções: Os antagonistas do receptor H2 com estruturas imidazol semelhantes à histamina, p.ex. cimetidina, esteróides sistémicos e clonidina, não devem ser utilizados durante o tratamento com histamina. - Cimetidina
Não recomendado/Evitar

Histamina + Esteróides

Observações: A administração concomitante de medicamentos com efeitos de toxicidade cardíaca ou de depressão da pressão sanguínea podem aumentar a toxicidade do Histamina.
Interacções: Os antagonistas do receptor H2 com estruturas imidazol semelhantes à histamina, p.ex. cimetidina, esteróides sistémicos e clonidina, não devem ser utilizados durante o tratamento com histamina. - Esteróides
Não recomendado/Evitar

Histamina + Clonidina

Observações: A administração concomitante de medicamentos com efeitos de toxicidade cardíaca ou de depressão da pressão sanguínea podem aumentar a toxicidade do Histamina.
Interacções: Os antagonistas do receptor H2 com estruturas imidazol semelhantes à histamina, p.ex. cimetidina, esteróides sistémicos e clonidina, não devem ser utilizados durante o tratamento com histamina. - Clonidina
Usar com precaução

Histamina + Bloqueadores beta-adrenérgicos (betabloqueadores)

Observações: A administração concomitante de medicamentos com efeitos de toxicidade cardíaca ou de depressão da pressão sanguínea podem aumentar a toxicidade do Histamina.
Interacções: Os bloqueadores beta e outros agentes antihipertensivos devem ser utilizados com precaução durante o tratamento com Histamina. - Bloqueadores beta-adrenérgicos (betabloqueadores)
Usar com precaução

Histamina + Antihipertensores

Observações: A administração concomitante de medicamentos com efeitos de toxicidade cardíaca ou de depressão da pressão sanguínea podem aumentar a toxicidade do Histamina.
Interacções: Os bloqueadores beta e outros agentes antihipertensivos devem ser utilizados com precaução durante o tratamento com Histamina. - Antihipertensores
Não recomendado/Evitar

Histamina + Antihistamínicos

Observações: A administração concomitante de medicamentos com efeitos de toxicidade cardíaca ou de depressão da pressão sanguínea podem aumentar a toxicidade do Histamina.
Interacções: Os Anti-histamínicos bloqueadores do receptor H1 ou os neuroléticos (antipsicóticos) com propriedades bloqueadoras do receptor H1, que possam reduzir a eficácia do Histamina, devem ser evitados. - Antihistamínicos
Não recomendado/Evitar

Histamina + Neurolépticos

Observações: A administração concomitante de medicamentos com efeitos de toxicidade cardíaca ou de depressão da pressão sanguínea podem aumentar a toxicidade do Histamina.
Interacções: Os Anti-histamínicos bloqueadores do receptor H1 ou os neuroléticos (antipsicóticos) com propriedades bloqueadoras do receptor H1, que possam reduzir a eficácia do Histamina, devem ser evitados. - Neurolépticos
Não recomendado/Evitar

Histamina + Antidepressores (Tricíclicos)

Observações: A administração concomitante de medicamentos com efeitos de toxicidade cardíaca ou de depressão da pressão sanguínea podem aumentar a toxicidade do Histamina.
Interacções: Os antidepressivos tricíclicos que possam ter propriedades bloqueadoras dos receptores H1 e H2 devem ser evitados. - Antidepressores (Tricíclicos)
Não recomendado/Evitar

Histamina + Inibidores da Monoaminoxidase (IMAO)

Observações: A administração concomitante de medicamentos com efeitos de toxicidade cardíaca ou de depressão da pressão sanguínea podem aumentar a toxicidade do Histamina.
Interacções: Os inibidores da monoamina oxidase e substâncias com actividade antimalária e antitripanossoma podem alterar o metabolismo do Histamina e devem ser evitados. - Inibidores da Monoaminoxidase (IMAO)
Não recomendado/Evitar

Histamina + Antimaláricos (antipalúdicos)

Observações: A administração concomitante de medicamentos com efeitos de toxicidade cardíaca ou de depressão da pressão sanguínea podem aumentar a toxicidade do Histamina.
Interacções: Os inibidores da monoamina oxidase e substâncias com actividade antimalária e antitripanossoma podem alterar o metabolismo do Histamina e devem ser evitados. - Antimaláricos (antipalúdicos)
Não recomendado/Evitar

Histamina + Antiparasitários

Observações: A administração concomitante de medicamentos com efeitos de toxicidade cardíaca ou de depressão da pressão sanguínea podem aumentar a toxicidade do Histamina.
Interacções: [Os tripanossomas (género Trypanosoma, filo Kinetoplastida, reino Protista) fazem parte do grupo dos protozoários e podem infectar insetos e vários mamíferos, incluindo o homem. (doença de chagas)] Os inibidores da monoamina oxidase e substâncias com actividade antimalária e antitripanossoma podem alterar o metabolismo do Histamina e devem ser evitados. - Antiparasitários
Usar com precaução

Histamina + Bloqueadores neuromusculares

Observações: A administração concomitante de medicamentos com efeitos de toxicidade cardíaca ou de depressão da pressão sanguínea podem aumentar a toxicidade do Histamina.
Interacções: Foi referido que os agentes de bloqueio neuromuscular, analgésicos narcóticos e diversos meios de contraste podem induzir a libertação de histamina endógena; assim, em doentes submetidos a procedimentos de diagnóstico ou cirúrgicos, o efeito aditivo do tratamento com Histamina deve ser considerado antes do procedimento. - Bloqueadores neuromusculares
Usar com precaução

Histamina + Narcóticos

Observações: A administração concomitante de medicamentos com efeitos de toxicidade cardíaca ou de depressão da pressão sanguínea podem aumentar a toxicidade do Histamina.
Interacções: Foi referido que os agentes de bloqueio neuromuscular, analgésicos narcóticos e diversos meios de contraste podem induzir a libertação de histamina endógena; assim, em doentes submetidos a procedimentos de diagnóstico ou cirúrgicos, o efeito aditivo do tratamento com Histamina deve ser considerado antes do procedimento. - Narcóticos
Usar com precaução

Histamina + Agentes/Meios de Contraste

Observações: A administração concomitante de medicamentos com efeitos de toxicidade cardíaca ou de depressão da pressão sanguínea podem aumentar a toxicidade do Histamina.
Interacções: Foi referido que os agentes de bloqueio neuromuscular, analgésicos narcóticos e diversos meios de contraste podem induzir a libertação de histamina endógena; assim, em doentes submetidos a procedimentos de diagnóstico ou cirúrgicos, o efeito aditivo do tratamento com Histamina deve ser considerado antes do procedimento. - Agentes/Meios de Contraste
Usar com precaução

Doxilamina + Dicloverina + Piridoxina + Histamina

Observações: N.D.
Interacções: O Cloridrato de diciclomina (dicloverina) interfere com os fármacos simpático e parassimpaticomiméticos, acidificantes e alcalinizantes, antidepressores tricíclicos, corticosteróides, guanetidina, reserpina, histamina, IMAO, nitratos e nitritos, procainamida, quinidina, tranquilizantes fenotiazínicos e haloperidol. - Histamina
Não recomendado/Evitar

Isoniazida + Rifampicina + Histamina

Observações: N.D.
Interacções: ISONIAZIDA: Dado a isoniazida ter uma actividade inibitória das monoaminoxidases, pode ocorrer uma interacção com alimentos contendo tiramina (queijo, vinho tinto). Pode também ocorrer uma resposta exagerada com alimentos contendo histamina, como o atum. Assim, a ingestão de alimentos contendo tiramina e histamina deve ser evitada por doentes tratados com Isoniazida/Rifampicina. - Histamina
Usar com precaução

Difenidramina + Dextrometorfano + Histamina

Observações: n.d.
Interacções: A difenidramina como anti-histamínico pode teoricamente antagonizar o efeito da histamina e beta-histina. - Histamina
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções do Histamina
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Diagnóstico:
Em caso de gravidez, aconselhe-se com o Médico, Farmacêutico ou Profissional de Saúde antes de se submeter a um teste de picada da pele.
O teste de picada da pele pode ser realizado se estiver a amamentar.

Imunomodulador:
Se está grávida ou a amamentar, se pensa estar grávida ou planeia engravidar, consulte o Médico ou farmacêutico antes de utilizar este medicamento.
Não existe informação sobre o uso de Ceplene em mulheres grávidas.

Por isso, o tratamento com Histamina e IL-2 não deve ser utilizado durante a gravidez.
Tanto os homens e as mulheres a utilizar este medicamento, devem utilizar um método contraceptivo eficaz, pois é importante não conceberem uma criança enquanto estão a fazer tratamento com histamina e IL-2.

Não se sabe se este medicamento passa para o leite materno. Por isso, não deve ser utilizado durante a amamentação.

Não conduza nem utilize máquinas durante uma hora depois de receber uma injecção deste medicamento, pois esta pode diminuir a tensão arterial, provocando tonturas, sensação de cabeça vazia e turvação da visão. Isto pode afectar a sua capacidade de conduzir e operar máquinas.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 09 de Julho de 2021