Hidroxizina

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Insuficiência Hepática DCI com Advertência na Insuficiência Renal DCI com Advertência na Condução DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
Um antagonista do recetor da histamina H1, que é eficaz no tratamento de urticária crónica, dermatite e prurido mediada por histamina.

Ao contrário de seu principal metabolito cetirizina, causa alguma sonolência.

É também eficaz como anti-emético, para o alívio da ansiedade e da tensão e, como um sedativo.
Usos comuns
Para o alívio sintomático da ansiedade e tensão associadas a psiconeurose e como adjuvante em estados de doenças orgânicas em que a ansiedade se manifesta.

Útil no tratamento de prurido devido a condições alérgicas, tais como urticária crónica e atópica e dermatoses de contacto, e em prurido mediada por histamina.

Como um sedativo quando usado em pré-medicação e após anestesia geral, hidroxizina pode potencializar meperidina e barbitúricos, por isso seu uso em terapia adjuvante pré-anestésica deve ser modificado em uma base individual.

Atropina e outros alcaloides da beladona não são afetados pela droga.

Hidroxizina não é conhecida para interferir com a ação de digital de qualquer forma e que pode ser utilizado concorrentemente com este agente.

A eficácia da hidroxizina como um agente ansiolítico para uso a longo prazo, ou seja mais de 4 meses, não foi avaliado por estudos clínicos sistemáticos.

O médico deve reavaliar periodicamente a utilidade do medicamento para o paciente individual.
Tipo
pequena molécula
História
Foi sintetizado pela primeira vez por União Chimique Belge em 1956 e foi comercializado pela Pfizer nos Estados Unidos mais tarde no mesmo ano e ainda está em uso difundido hoje.
Indicações
No prurido das alergias cutâneas e como ansiolítico, sedativo, hipnótico, antiemético.
Classificação CFT
02.09.01     Ansiolíticos, sedativos e hipnóticos
Mecanismo De Ação
Hidroxizina compete com a histamina por ligação em locais de receptor H1 sobre a superfície da célula efectora, resultando na supressão do edema histamínico, alargamento e prurido.

As propriedades sedativas de hidroxizina ocorrem ao nível subcortical do SNC.

Secundário as suas ações anticolinérgicas centrais, hidroxizina pode ser eficaz como um antiemético.
Posologia Orientativa
Adultos - Prurido 25 mg à noite, aumentando, se necessário, a 25 mg, 2-4 vezes/dia.

Ansiolíticos: 25-50 mg 4 vezes/dia, por períodos curtos.

IM:

Ansiolítico: 50-100 mg, repetir se necessário 4 ou 6 horas depois.

Máxima: 600 mg/dia.

Outras indicações: 25-100 mg.

Crianças - comichão: 6 meses a 6 anos: 5-15 mg à noite, se necessário, aumentar a 50 mg/dia em frações de 3-4, > 6 anos: 15-25 mg à noite, se necessário, aumentar a 50-100 mg/dia, em 3-4 parcelas.

IM:

Ansiolítico: pré-ou pós-operatório: 0,6 mg/kg de peso corporal.

Outras indicações: 1 mg/kg de peso corporal/dia.
Administração
Via oral.

Sem interferência da alimentação.
Contraindicações
Como para os anti-histamínicos em geral.

Não se deve usar por via venosa pela possibilidade de hemólise.

Como ansiolítico usar apenas em adultos.

Reduzir posologia na IR.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Como para os anti-histamínicos em geral.

A injecção IM provoca dor no local de injeção.

Nas crianças e idosos podem surgir reações paradoxais com excitação.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Deve evitar-se. Risco fetal desconhecido, por falta de estudos alargados. Por períodos curtos não parecem induzir teratogenicidade; os produtores recomendam evitar a cetirizina, desloratadina, hidroxizina, loratadina e mizolastina por toxicidade embrionária em animais. Os anti-histamínicos sedativos no final do 3° trimestre podem causar efeitos adversos no RN. Risco fetal desconhecido, por falta de estudos alargados. Trimestre: 1º e 3º
Aleitamento
Aleitamento:Evitar; quantidade significativa de alguns anti-histamínicos no leite, embora se desconheça se são perigosos; recomenda-se evitar: sonolência com a clemastina no lactente, mas excitabilidade paradoxal e tremor em alguns lactentes.
Insuf. Hepática
Insuf. Hepática:Ver Fármacos individualmente; aumento dos efeitos sedativos.
Insuf. Renal
Insuf. Renal:Reduzir dose em 50%.
Conducao
Conducao:Altera significativamente a capacidade de condução.
Precauções Gerais
Para o alívio sintomático da ansiedade e tensão associada a psiconeurose e como adjuvante em estados de doenças orgânicas em que a ansiedade se manifesta.

Útil no tratamento de prurido devido a condições alérgicas, tais como urticária crónica e atópica e dermatoses de contacto e em prurido mediada por histamina.

Como um sedativo quando usado em pré-medicação e após anestesia geral, hidroxizina pode potencializar meperidina e barbitúricos, por isso o seu uso em tratamento adjuvante pré-anestésica deve ser modificado numa base individual.

Atropina e outros alcaloides da beladona não são afetados pela droga.

Hidroxizina não é conhecida para interferir com a ação de digital de qualquer forma e que pode ser utilizado concorrentemente com este agente.

A eficácia da hidroxizina como um agente ansiolítico para uso a longo prazo, ou seja mais de 4 meses, não foi avaliado por estudos clínicos sistemáticos.

Não deve usar este medicamento se for alérgico a hidroxizina ou se estiver grávida.

Antes de tomar hidroxizina, informe o seu médico se tem uma desordem de convulsão, doença hepática ou doença renal.

Hidroxizina pode causar efeitos secundários que podem afetar o seu pensamento ou reações.

Tenha cuidado se conduzir ou fazer qualquer coisa que necessite de agilidade mental.

Suspenda o uso de hidroxizina e chame seu médico imediatamente se tiver um efeito adverso grave, tais como tremores, confusão, convulsões ou movimentos musculares inquietos em seus olhos, língua, mandíbula ou no pescoço.

Evite beber álcool.

Isso pode aumentar alguns dos efeitos adversos da hidroxizina.

Reavaliar periodicamente a utilidade do medicamento para o paciente individual.
Cuidados com a Dieta
Evite o álcool.
Tome com alimentos.
Terapêutica Interrompida
Tome a dose assim que se lembrar.

Se for quase altura da próxima dose, ignorar a dose esquecida e continuar o esquema posológico.

Não tome medicamento extra para compensar a dose esquecida.
Cuidados no Armazenamento
Manter fora do alcance e da vista das crianças.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Codeína + Hidroxizina

Observações: N.D.
Interações: A administração simultânea de codeína e hidroxizina pode provocar um aumento da analgesia e sedação.

Hidroxizina + Adrenalina

Observações: N.D.
Interações: Hidroxizina contraria a ação hipertensora da adrenalina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Hidroxizina + Álcool

Observações: N.D.
Interações: O álcool também potencia os efeitos da hidroxizina.

Hidroxizina + Amiodarona

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Antiarrítmicos

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Antibióticos

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Antidepressores

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Antifúngicos

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Antihistamínicos

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Antimaláricos

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Antipsicóticos

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Beta-histina

Observações: N.D.
Interações: Hidroxizina antagoniza o efeito da beta-histina e de medicamentos anticolinesterásicos.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Hidroxizina + Cimetidina

Observações: N.D.
Interações: A administração de 600 mg de cimetidina, duas vezes por dia, demonstrou aumentar as concentrações séricas da hidroxizina em 36% e diminuiu as concentrações máximas, do metabolito cetirizina, em 20%.

Hidroxizina + Citalopram

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Citocromo P450

Observações: N.D.
Interações: Hidroxizina não tem um efeito inibitório, a 100 microM, sobre as isoformas 1A1 e 1A6 da UDP-glucoronil transferase nos microssomas hepáticos. Inibe o citocromo P450 2C9, 2C19 e isoforma 3A4 em concentrações significativamente acima das concentrações plasmáticas máximas (CI50: 103-140 microM; 46-52 micrograma/ml). Por conseguinte, é improvável que a hidroxizina diminua o metabolismo de medicamentos que sejam substratos destas enzimas. O metabolito cetirizina, a 100 microM, não tem efeito inibitório no citocromo P450 (1A2, 2A6, 2C9, 2C19, 2D6, 2E1 e 3A4) e nas isoformas da UDP-glucoronil transferase.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Hidroxizina + Depressores do SNC

Observações: N.D.
Interações: Deve ser considerada uma ação potenciadora da hidroxizina quando esta for utilizada em conjunto com outros medicamentos com ação depressora do sistema nervoso central ou com propriedades anticolinérgicas, pelo que as doses devem ser reduzidas e individualizadas.

Hidroxizina + Disopiramida

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Eritromicina

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Escitalopram

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Fenitoína

Observações: N.D.
Interações: No rato, a hidroxizina antagonizou a ação anticonvulsivante da fenitoína.

Hidroxizina + Haloperidol

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Inibidor da acetilcolinesterase (Agentes anticolinesterásicos)

Observações: N.D.
Interações: Hidroxizina antagoniza o efeito da beta-histina e de medicamentos anticolinesterásicos.

Hidroxizina + Inibidores da Monoaminoxidase (IMAO)

Observações: N.D.
Interações: Deve-se evitar a administração simultânea de hidroxizina e inibidores da Monoaminoxidase.

Hidroxizina + Levofloxacina

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Medicamentos potenciadores de Torsades de Pointes

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Medicamentos que prolongam o intervalo QT

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Mefloquina

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Metadona

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Moxifloxacina

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Outros medicamentos

Observações: N.D.
Interações: Associações que requerem precauções de utilização: É recomendada precaução com fármacos indutores de bradicardia e hipocaliemia. A hidroxizina é metabolizada pela desidrogenase alcoólica e CYP3A4/5 e um aumento nas concentrações sanguíneas de hidroxizina pode ser esperado quando a hidroxizina é coadministrada com fármacos conhecidos por serem potenciais inibidores destas enzimas. Contudo, quando está inibida apenas uma via metabólica, a outra via pode compensar parcialmente.

Hidroxizina + Pentamidina

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Prucaloprida

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Quinidina

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Sotalol

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Substratos do CYP2C19

Observações: N.D.
Interações: Hidroxizina não tem um efeito inibitório, a 100 microM, sobre as isoformas 1A1 e 1A6 da UDP-glucoronil transferase nos microssomas hepáticos. Inibe o citocromo P450 2C9, 2C19 e isoforma 3A4 em concentrações significativamente acima das concentrações plasmáticas máximas (CI50: 103-140 microM; 46-52 micrograma/ml). Por conseguinte, é improvável que a hidroxizina diminua o metabolismo de medicamentos que sejam substratos destas enzimas. O metabolito cetirizina, a 100 microM, não tem efeito inibitório no citocromo P450 (1A2, 2A6, 2C9, 2C19, 2D6, 2E1 e 3A4) e nas isoformas da UDP-glucoronil transferase.

Hidroxizina + Substratos do CYP2C9

Observações: N.D.
Interações: Hidroxizina não tem um efeito inibitório, a 100 microM, sobre as isoformas 1A1 e 1A6 da UDP-glucoronil transferase nos microssomas hepáticos. Inibe o citocromo P450 2C9, 2C19 e isoforma 3A4 em concentrações significativamente acima das concentrações plasmáticas máximas (CI50: 103-140 microM; 46-52 micrograma/ml). Por conseguinte, é improvável que a hidroxizina diminua o metabolismo de medicamentos que sejam substratos destas enzimas. O metabolito cetirizina, a 100 microM, não tem efeito inibitório no citocromo P450 (1A2, 2A6, 2C9, 2C19, 2D6, 2E1 e 3A4) e nas isoformas da UDP-glucoronil transferase.

Hidroxizina + Substratos do CYP2D6

Observações: N.D.
Interações: Hidroxizina é um inibidor do citocromo P450 2D6 (Ki: 3,9 microM; 1,7 micrograma/ml) e em doses elevadas pode causar interações medicamentosas com substratos do CYP2D6.

Hidroxizina + Substratos do CYP3A4

Observações: N.D.
Interações: Hidroxizina não tem um efeito inibitório, a 100 microM, sobre as isoformas 1A1 e 1A6 da UDP-glucoronil transferase nos microssomas hepáticos. Inibe o citocromo P450 2C9, 2C19 e isoforma 3A4 em concentrações significativamente acima das concentrações plasmáticas máximas (CI50: 103-140 microM; 46-52 micrograma/ml). Por conseguinte, é improvável que a hidroxizina diminua o metabolismo de medicamentos que sejam substratos destas enzimas. O metabolito cetirizina, a 100 microM, não tem efeito inibitório no citocromo P450 (1A2, 2A6, 2C9, 2C19, 2D6, 2E1 e 3A4) e nas isoformas da UDP-glucoronil transferase.

Hidroxizina + Testes Laboratoriais/Diagnóstico

Observações: N.D.
Interações: O tratamento deve ser interrompido pelo menos 5 dias antes da realização de testes de alergias ou estimulação brônquica com metacolina, para evitar uma possível alteração dos resultados.

Hidroxizina + Toremifeno

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.

Hidroxizina + Vandetanib

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: A coadministração de hidroxizina com fármacos conhecidos por prolongarem o intervalo QT e/ou induzirem Torsade de Pointes, p.e. fármacos antiarrítmicos da classe IA (p.e. quinidina, disopiramida) e da classe III (p.e. amiodarona, sotalol), alguns antihistamínicos, alguns antipsicóticos (p.e. haloperidol), alguns antidepressivos (p.e. citalopram, escitalopram), alguns antimaláricos (p.e. mefloquina), alguns antibióticos (p.e. eritromicina, levofloxacina, moxifloxacina), alguns fármacos antifúngicos (p.e. pentamidina), alguns medicamentos gastrointestinais (p.e. prucaloprida), alguns medicamentos utilizados no tratamento do cancro (p.e. toremifeno, vandetanib), metadona, aumentam o risco de arritmia cardíaca. Deste modo, a combinação é contraindicada.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Doxilamina + Piridoxina + Hidroxizina

Observações: Não foram efetuados estudos de interação com Doxilamina + Piridoxina.
Interações: Conhecem-se interações entre a piridoxina e os seguintes medicamentos: - Alguns medicamentos como a hidroxizina, a isoniazida ou a penicilamina podem interferir com a piridoxina e aumentar as necessidades de vitamina B6.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico
Hidroxizina pode causar efeitos secundários que podem afetar o seu pensamento ou reações.

Tenha cuidado se conduzir ou fazer qualquer coisa que necessite de estar acordado ou em estado de alerta.

Evite beber álcool.

Isso pode aumentar alguns dos efeitos colaterais da hidroxizina.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017