Fluticasona + Formoterol

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
Fluticasona, propionato pertence ao grupo dos medicamentos chamados esteroides.

Os esteroides ajudam a reduzir o inchaço e a inflamação nos pulmões.

O Formoterol, fumarato di-hidratado pertence ao grupo dos medicamentos chamados agonistas beta2 de longa ação.

Os agonistas beta2 de longa ação são broncodilatadores de ação prolongada que ajudam a manter as vias aéreas abertas nos pulmões, tornando mais fácil a sua respiração.

Em conjunto, estas duas substâncias ativas ajudam a melhorar a sua respiração.

Recomenda-se que utilize este medicamento todos os dias, como indicado pelo médico.
Usos comuns
Este medicamento ajuda a prevenir problemas respiratórios, tais como a asma e ajuda a evitar que fique com falta de ar ou com respiração ruidosa.

No entanto não atua se já estiver a ter um ataque de asma, isto é, se já estiver com falta de ar ou com respiração ruidosa.

Se tal acontecer terá de utilizar um medicamento que promova um alívio rápido, como é o caso do salbutamol.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Esta combinação de doses fixas de propionato de fluticasona e fumarato de formoterol está indicada no tratamento regular da asma quando for adequada a utilização de um medicamento com esta associação (um corticosteroide inalado e um agonista beta-2 de longa ação):
Em doentes não controlados adequadamente com corticosteroides inalados e "quando necessário" um agonista beta-2 de curta ação inalado.

Ou
Em doentes já controlados adequadamente com um corticosteroide inalado e um agonista beta-2 de longa ação.
Classificação CFT
05.01.01     Agonistas adrenérgicos beta
Mecanismo De Ação
Estes fármacos representam duas classes de medicações (um corticosteroide sintético e um agonista seletivo dos recetores adrenérgicos 2de longa ação) e, tal como com outras associações de um corticosteroide inalado e um agonista adrenérgico 2 de longa ação, observam-se efeitos aditivos em termos de redução de exacerbações de asma.


Propionato de fluticasona
O propionato de fluticasona é um glucocorticoide trifluorado sintético, com uma potente atividade anti-inflamatória a nível dos pulmões, quando administrado por inalação.

O propionato de fluticasona reduz os sintomas e exacerbações da asma com menos efeitos adversos do que quando os corticosteroides são sistemicamente administrados.


Fumarato de formoterol
O fumarato de formoterol é um agonista seletivo dos recetores adrenérgicos 2 de longa ação.

O fumarato de formoterol inalado atua localmente como broncodilatador a nível dos pulmões.

O início do efeito broncodilatador é rápido, em 1 - 3 minutos e dura, no mínimo, 12 horas após uma dose única.
Posologia Orientativa
Adultos e adolescentes com 12 ou mais anos de idade
A dose habitual é de duas inalações duas vezes por dia, isto é, duas inalações de manhã e duas inalações à noite.

O seu médico irá prescrever-lhe a dose necessária para tratar a sua asma.

Os adolescentes não devem utilizar o inalador com a dose mais elevada.
Administração
Via inalatória.

Os doentes devem passar a boca por água, gargarejar com água ou lavar os dentes após a inalação e deverão cuspir os resíduos para minimizar o risco de candidíases orais ou
disfonia.
Contraindicações
Hipersensibilidade à Fluticasona e ao Formoterol.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Todos os medicamentos podem causar reações alérgicas, no entanto raramente são notificadas reações alérgicas graves.

Informe imediatamente o médico caso surja algum inchaço súbito das pálpebras, face, garganta, língua ou lábios, erupções cutâneas ou comichão especialmente se estas se estenderem por todo o corpo, sintomas tais como tonturas, cabeça oca ou desmaios ou qualquer alteração súbita no seu padrão respiratório, por exemplo respiração ruidosa ou falta de ar.

Tal como com outros inaladores, a sua respiração pode piorar imediatamente após utilizar o seu inalador.

Poderá notar um aumento da respiração ruidosa e falta de ar.

Caso isto aconteça pare de utilizar o seu inalador de Flutiform e utilize o seu inalador de alívio rápido.

Contacte o médico imediatamente. O médico irá avaliá-lo e poderá ter de iniciar outro tipo de tratamento.

Deve ter sempre consigo o seu inalador de alívio rápido.


Efeitos secundários pouco frequentes (que afetam provavelmente menos de 1 em 100 pessoas que utilizam este inalador)
Um aumento da quantidade de açúcar no seu sangue.

Se for diabético poderá ter de verificar os seus níveis de açúcar no sangue mais frequentemente e ajustar o seu tratamento diabético habitual.

O médico poderá ter de o vigiar mais cuidadosamente.

Agravamento da asma.

Dores de cabeça.

Tremores.

Um batimento cardíaco irregular ou palpitações.

Tonturas.

Alterações no paladar ou alteração na voz/voz rouca.


Boca seca, dor de garganta ou garganta irritada.

Inchaço das mãos, tornozelos ou pés.

Efeitos secundários raros (que afetam provavelmente menos de 1 em 1000 pessoas que utilizam este inalador)
Candidíase, uma infeção fúngica na boca e garganta.

Inflamação dos seios nasais (sinusite).

Batimento cardíaco acelerado.

Dor no peito associada a doença cardíaca.

Espasmos musculares.

Tosse ou falta de ar.

Diarreia.

Indigestão.

Sentir-se tonto ou com a cabeça a andar à roda

Sonhos estranhos ou dificuldade em dormir.

Agitação.

Erupções cutâneas.

Pressão arterial elevada.

Sensação de fraqueza fora do normal.

Frequência desconhecida, mas que também podem ocorrer
Problemas no sono, depressão ou sensação de preocupação, agressão, ansiedade, inquietação, nervosismo, sobre-excitação ou irritabilidade.

É mais provável que estes efeitos ocorram em crianças.

Os efeitos secundários referidos em seguida encontram-se associados ao fumarato de formoterol, mas não foram observados durante os ensaios clínicos com este inalador:
Reduzidos níveis de potássio no sangue que podem causar fraqueza muscular, espasmos ou ritmo cardíaco alterado.

Um traçado cardíaco anómalo que pode potencialmente originar um ritmo cardíaco alterado (prolongamento do intervalo QTc).

Elevados níveis de ácido láctico no sangue.

Enjoos.

Dor muscular.

Os esteroides inalados podem afetar a produção normal de hormonas esteroides pelo seu organismo, especialmente se utilizar doses elevados por um longo período de tempo.

Os efeitos incluem: alterações na densidade mineral dos ossos (diminuição da espessura dos ossos);
cataratas (enevoamento do cristalino do olho);
glaucoma (pressão aumentada no olho);
nódoas negras ou diminuição da espessura da pele;
um aumento da probabilidade de ter uma infeção;
diminuição da taxa de crescimento das crianças e adolescentes;
uma cara redonda (em forma de lua);
um efeito na glândula suprarrenal (uma pequena glândula situada perto do rim) que significa que pode ter sintomas tais como fraqueza, cansaço, dificuldade em lidar com o stress, dor abdominal, perda de apetite, perda de peso, dores de cabeça, tonturas, pressão arterial muito baixa, diarreia, estar ou sentir-se enjoado ou desmaiar.

É muito menos provável que estes efeitos ocorram com esteroides inalados do que com esteroides em comprimidos.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Não administrar durante a gravidez
Aleitamento
Aleitamento:Não se recomenda a administração deste medicamento durante a amamentação.
Precauções Gerais
Tome especial cuidado:
Antes do tratamento com este inalador fale com o seu médico ou farmacêutico se:
– tem ou teve tuberculose (TB) no passado.

Os sintomas incluem tosse persistente muitas vezes com expetoração com sangue, febre, cansaço, perda de apetite, perda de peso e suores noturnos;
– tem uma infeção nos pulmões ou no peito;
– tem problemas de coração tais como problemas no fluxo de sangue para o seu coração ou estreitamento de uma das suas válvulas cardíacas (válvula aórtica), insuficiência cardíaca que pode causar falta de ar ou inchaço dos tornozelos, uma situação onde o músculo do coração se encontra dilatado (cardiomiopatia hipertrófica obstrutiva), um batimento cardíaco irregular (arritmias cardíacas) ou se lhe disseram que tem alterações no traçado cardíaco (prolongamento do intervalo QTc);
– tem uma dilatação anómala da parede dos vasos sanguíneos (um aneurisma);
– tem diabetes;
– tem pressão arterial elevada;
– tem uma glândula tiroide hiperativa que pode causar aumento do apetite, perda de peso ou transpiração (tirotoxicose);
– tem níveis reduzidos de potássio no sangue que podem causar fraqueza muscular, espasmos ou ritmo cardíaco alterado (hipocaliemia);
– tem a função da glândula suprarrenal diminuída (se a sua glândula suprarrenal não está a funcionar corretamente pode ter sintomas tais como dores de cabeça, fraqueza, cansaço, dor abdominal, perda de apetite, perda de peso, tonturas, pressão arterial muito baixa, diarreia, estar ou sentir-se enjoado ou desmaiar) ou um tumor na glândula suprarrenal (feocromocitoma);
– tem problemas no fígado.


Se vai ser operado ou se estiver numa situação de extremo stress, informe o seu médico pois poderá necessitar de um tratamento adicional com esteroides para controlar a sua asma.
Cuidados com a Dieta
Não interfere com alimentos e bebidas.
Terapêutica Interrompida
Caso se tenha esquecido de aplicar uma dose, aplique-a assim que se lembrar.

No entanto se já estiver próximo da dose seguinte, omita a dose que se esqueceu de aplicar.

Não aplique uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de aplicar.
Cuidados no Armazenamento
Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Não conservar acima de 25°C.

Não refrigerar ou congelar.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Fluticasona + Formoterol + Inibidores do CYP3A4

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: O propionato de fluticasona é um substrato do CYP3A4. Os efeitos resultantes de uma coadministração de curta duração de inibidores potentes do CYP3A4 (por exemplo, ritonavir, atazanavir, claritromicina, indinavir, itraconazol, nelfinavir, saquinavir, cetoconazol, telitromicina) com Fluticasona / Formoterol possuem uma pequena relevância clínica, mas devem tomar-se precauções em caso de um tratamento de longa duração, devendo, se possível, evitar-se a coadministração de tais fármacos. Deve evitar-se particularmente a co-medicação com ritonavir, exceto se o benefício compensar o aumento do risco de efeitos secundários glucocorticoides sistémicos. Não existem informações acerca desta interação com o propionato de fluticasona inalado, mas é de esperar um aumento acentuado dos níveis plasmáticos de propionato de fluticasona. Têm sido notificados casos de síndrome de Cushing e supressão suprarrenal.

Fluticasona + Formoterol + Ritonavir

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: O propionato de fluticasona é um substrato do CYP3A4. Os efeitos resultantes de uma coadministração de curta duração de inibidores potentes do CYP3A4 (por exemplo, ritonavir, atazanavir, claritromicina, indinavir, itraconazol, nelfinavir, saquinavir, cetoconazol, telitromicina) com Fluticasona / Formoterol possuem uma pequena relevância clínica, mas devem tomar-se precauções em caso de um tratamento de longa duração, devendo, se possível, evitar-se a coadministração de tais fármacos. Deve evitar-se particularmente a co-medicação com ritonavir, exceto se o benefício compensar o aumento do risco de efeitos secundários glucocorticoides sistémicos. Não existem informações acerca desta interação com o propionato de fluticasona inalado, mas é de esperar um aumento acentuado dos níveis plasmáticos de propionato de fluticasona. Têm sido notificados casos de síndrome de Cushing e supressão suprarrenal.

Fluticasona + Formoterol + Atazanavir

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: O propionato de fluticasona é um substrato do CYP3A4. Os efeitos resultantes de uma coadministração de curta duração de inibidores potentes do CYP3A4 (por exemplo, ritonavir, atazanavir, claritromicina, indinavir, itraconazol, nelfinavir, saquinavir, cetoconazol, telitromicina) com Fluticasona / Formoterol possuem uma pequena relevância clínica, mas devem tomar-se precauções em caso de um tratamento de longa duração, devendo, se possível, evitar-se a coadministração de tais fármacos. Deve evitar-se particularmente a co-medicação com ritonavir, exceto se o benefício compensar o aumento do risco de efeitos secundários glucocorticoides sistémicos. Não existem informações acerca desta interação com o propionato de fluticasona inalado, mas é de esperar um aumento acentuado dos níveis plasmáticos de propionato de fluticasona. Têm sido notificados casos de síndrome de Cushing e supressão suprarrenal.

Fluticasona + Formoterol + Claritromicina

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: O propionato de fluticasona é um substrato do CYP3A4. Os efeitos resultantes de uma coadministração de curta duração de inibidores potentes do CYP3A4 (por exemplo, ritonavir, atazanavir, claritromicina, indinavir, itraconazol, nelfinavir, saquinavir, cetoconazol, telitromicina) com Fluticasona / Formoterol possuem uma pequena relevância clínica, mas devem tomar-se precauções em caso de um tratamento de longa duração, devendo, se possível, evitar-se a coadministração de tais fármacos. Deve evitar-se particularmente a co-medicação com ritonavir, exceto se o benefício compensar o aumento do risco de efeitos secundários glucocorticoides sistémicos. Não existem informações acerca desta interação com o propionato de fluticasona inalado, mas é de esperar um aumento acentuado dos níveis plasmáticos de propionato de fluticasona. Têm sido notificados casos de síndrome de Cushing e supressão suprarrenal.

Fluticasona + Formoterol + Indinavir

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: O propionato de fluticasona é um substrato do CYP3A4. Os efeitos resultantes de uma coadministração de curta duração de inibidores potentes do CYP3A4 (por exemplo, ritonavir, atazanavir, claritromicina, indinavir, itraconazol, nelfinavir, saquinavir, cetoconazol, telitromicina) com Fluticasona / Formoterol possuem uma pequena relevância clínica, mas devem tomar-se precauções em caso de um tratamento de longa duração, devendo, se possível, evitar-se a coadministração de tais fármacos. Deve evitar-se particularmente a co-medicação com ritonavir, exceto se o benefício compensar o aumento do risco de efeitos secundários glucocorticoides sistémicos. Não existem informações acerca desta interação com o propionato de fluticasona inalado, mas é de esperar um aumento acentuado dos níveis plasmáticos de propionato de fluticasona. Têm sido notificados casos de síndrome de Cushing e supressão suprarrenal.

Fluticasona + Formoterol + Itraconazol

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: O propionato de fluticasona é um substrato do CYP3A4. Os efeitos resultantes de uma coadministração de curta duração de inibidores potentes do CYP3A4 (por exemplo, ritonavir, atazanavir, claritromicina, indinavir, itraconazol, nelfinavir, saquinavir, cetoconazol, telitromicina) com Fluticasona / Formoterol possuem uma pequena relevância clínica, mas devem tomar-se precauções em caso de um tratamento de longa duração, devendo, se possível, evitar-se a coadministração de tais fármacos. Deve evitar-se particularmente a co-medicação com ritonavir, exceto se o benefício compensar o aumento do risco de efeitos secundários glucocorticoides sistémicos. Não existem informações acerca desta interação com o propionato de fluticasona inalado, mas é de esperar um aumento acentuado dos níveis plasmáticos de propionato de fluticasona. Têm sido notificados casos de síndrome de Cushing e supressão suprarrenal.

Fluticasona + Formoterol + Nelfinavir

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: O propionato de fluticasona é um substrato do CYP3A4. Os efeitos resultantes de uma coadministração de curta duração de inibidores potentes do CYP3A4 (por exemplo, ritonavir, atazanavir, claritromicina, indinavir, itraconazol, nelfinavir, saquinavir, cetoconazol, telitromicina) com Fluticasona / Formoterol possuem uma pequena relevância clínica, mas devem tomar-se precauções em caso de um tratamento de longa duração, devendo, se possível, evitar-se a coadministração de tais fármacos. Deve evitar-se particularmente a co-medicação com ritonavir, exceto se o benefício compensar o aumento do risco de efeitos secundários glucocorticoides sistémicos. Não existem informações acerca desta interação com o propionato de fluticasona inalado, mas é de esperar um aumento acentuado dos níveis plasmáticos de propionato de fluticasona. Têm sido notificados casos de síndrome de Cushing e supressão suprarrenal.

Fluticasona + Formoterol + Saquinavir

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: O propionato de fluticasona é um substrato do CYP3A4. Os efeitos resultantes de uma coadministração de curta duração de inibidores potentes do CYP3A4 (por exemplo, ritonavir, atazanavir, claritromicina, indinavir, itraconazol, nelfinavir, saquinavir, cetoconazol, telitromicina) com Fluticasona / Formoterol possuem uma pequena relevância clínica, mas devem tomar-se precauções em caso de um tratamento de longa duração, devendo, se possível, evitar-se a coadministração de tais fármacos. Deve evitar-se particularmente a co-medicação com ritonavir, exceto se o benefício compensar o aumento do risco de efeitos secundários glucocorticoides sistémicos. Não existem informações acerca desta interação com o propionato de fluticasona inalado, mas é de esperar um aumento acentuado dos níveis plasmáticos de propionato de fluticasona. Têm sido notificados casos de síndrome de Cushing e supressão suprarrenal.

Fluticasona + Formoterol + Cetoconazol

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: O propionato de fluticasona é um substrato do CYP3A4. Os efeitos resultantes de uma coadministração de curta duração de inibidores potentes do CYP3A4 (por exemplo, ritonavir, atazanavir, claritromicina, indinavir, itraconazol, nelfinavir, saquinavir, cetoconazol, telitromicina) com Fluticasona / Formoterol possuem uma pequena relevância clínica, mas devem tomar-se precauções em caso de um tratamento de longa duração, devendo, se possível, evitar-se a coadministração de tais fármacos. Deve evitar-se particularmente a co-medicação com ritonavir, exceto se o benefício compensar o aumento do risco de efeitos secundários glucocorticoides sistémicos. Não existem informações acerca desta interação com o propionato de fluticasona inalado, mas é de esperar um aumento acentuado dos níveis plasmáticos de propionato de fluticasona. Têm sido notificados casos de síndrome de Cushing e supressão suprarrenal.

Fluticasona + Formoterol + Telitromicina

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: O propionato de fluticasona é um substrato do CYP3A4. Os efeitos resultantes de uma coadministração de curta duração de inibidores potentes do CYP3A4 (por exemplo, ritonavir, atazanavir, claritromicina, indinavir, itraconazol, nelfinavir, saquinavir, cetoconazol, telitromicina) com Fluticasona / Formoterol possuem uma pequena relevância clínica, mas devem tomar-se precauções em caso de um tratamento de longa duração, devendo, se possível, evitar-se a coadministração de tais fármacos. Deve evitar-se particularmente a co-medicação com ritonavir, exceto se o benefício compensar o aumento do risco de efeitos secundários glucocorticoides sistémicos. Não existem informações acerca desta interação com o propionato de fluticasona inalado, mas é de esperar um aumento acentuado dos níveis plasmáticos de propionato de fluticasona. Têm sido notificados casos de síndrome de Cushing e supressão suprarrenal.

Fluticasona + Formoterol + Diuréticos da ansa

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: As alterações no ECG e/ou a hipocaliemia que podem resultar da administração de diuréticos não poupadores de potássio (como os diuréticos da ansa ou as tiazidas) podem ser agravadas de forma aguda pelos agonistas β, especialmente quando é ultrapassada a dose do agonista β recomendada. Embora não seja conhecido o significado clínico destes efeitos, devem tomar-se precauções na coadministração de um agonista β com diuréticos não poupadores de potássio. Os derivados da xantina e os glucocorticosteroides podem ser aditivos de um possível efeito hipocaliemico dos agonistas β.

Fluticasona + Formoterol + Diuréticos tiazídicos (Tiazidas)

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: As alterações no ECG e/ou a hipocaliemia que podem resultar da administração de diuréticos não poupadores de potássio (como os diuréticos da ansa ou as tiazidas) podem ser agravadas de forma aguda pelos agonistas β, especialmente quando é ultrapassada a dose do agonista β recomendada. Embora não seja conhecido o significado clínico destes efeitos, devem tomar-se precauções na coadministração de um agonista β com diuréticos não poupadores de potássio. Os derivados da xantina e os glucocorticosteroides podem ser aditivos de um possível efeito hipocaliemico dos agonistas β.

Fluticasona + Formoterol + XANTINAS (Derivados da Metilxantina)

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: As alterações no ECG e/ou a hipocaliemia que podem resultar da administração de diuréticos não poupadores de potássio (como os diuréticos da ansa ou as tiazidas) podem ser agravadas de forma aguda pelos agonistas β, especialmente quando é ultrapassada a dose do agonista β recomendada. Embora não seja conhecido o significado clínico destes efeitos, devem tomar-se precauções na coadministração de um agonista β com diuréticos não poupadores de potássio. Os derivados da xantina e os glucocorticosteroides podem ser aditivos de um possível efeito hipocaliemico dos agonistas β.

Fluticasona + Formoterol + Glucocorticoides

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: As alterações no ECG e/ou a hipocaliemia que podem resultar da administração de diuréticos não poupadores de potássio (como os diuréticos da ansa ou as tiazidas) podem ser agravadas de forma aguda pelos agonistas β, especialmente quando é ultrapassada a dose do agonista β recomendada. Embora não seja conhecido o significado clínico destes efeitos, devem tomar-se precauções na coadministração de um agonista β com diuréticos não poupadores de potássio. Os derivados da xantina e os glucocorticosteroides podem ser aditivos de um possível efeito hipocaliemico dos agonistas β.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fluticasona + Formoterol + Levodopa

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: Adicionalmente, a L-Dopa, a L-tiroxina, a oxitocina e o álcool podem diminuir a tolerância cardíaca aos simpaticomiméticos β2.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fluticasona + Formoterol + Tiroxina

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: Adicionalmente, a L-Dopa, a L-tiroxina, a oxitocina e o álcool podem diminuir a tolerância cardíaca aos simpaticomiméticos β2.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fluticasona + Formoterol + Oxitocina

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: Adicionalmente, a L-Dopa, a L-tiroxina, a oxitocina e o álcool podem diminuir a tolerância cardíaca aos simpaticomiméticos β2.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fluticasona + Formoterol + Álcool

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: Adicionalmente, a L-Dopa, a L-tiroxina, a oxitocina e o álcool podem diminuir a tolerância cardíaca aos simpaticomiméticos β2.

Fluticasona + Formoterol + Inibidores da Monoaminoxidase (IMAO)

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: O tratamento concomitante com inibidores da Monoaminoxidase, incluindo agentes com propriedades semelhantes, tais como a furazolidona e a procarbazina, podem precipitar reações hipertensoras. Tal como os outros agonistas β2, o fumarato de formoterol deve ser administrado com extrema precaução em doentes tratados com antidepressivos tricíclicos ou com inibidores da monoamino oxidase, mesmo durante o período imediato de duas semanas após a sua interrupção, ou com outros fármacos que reconhecidamente prolongam o intervalo QTc, tais como antipsicóticos (incluindo as fenotiazinas), quinidina, disopiramida, procainamida e antihistamínicos.

Fluticasona + Formoterol + Furazolidona

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: O tratamento concomitante com inibidores da Monoaminoxidase, incluindo agentes com propriedades semelhantes, tais como a furazolidona e a procarbazina, podem precipitar reações hipertensoras.

Fluticasona + Formoterol + Procarbazina

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: O tratamento concomitante com inibidores da Monoaminoxidase, incluindo agentes com propriedades semelhantes, tais como a furazolidona e a procarbazina, podem precipitar reações hipertensoras.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fluticasona + Formoterol + Anestésicos halogenados

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: Existe um risco elevado de arritmias em doentes que são concomitantemente submetidos a uma anestesia com hidrocarbonetos halogenados.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fluticasona + Formoterol + Beta agonistas

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: A utilização concomitante de outros fármacos adrenérgicos β poderá ter um potencial efeito aditivo.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fluticasona + Formoterol + Glicósideos digitálicos

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: A hipocaliemia pode aumentar o risco de arritmias em doentes tratados com glicosidos digitálicos.

Fluticasona + Formoterol + Antidepressores (Tricíclicos)

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: Tal como os outros agonistas β2, o fumarato de formoterol deve ser administrado com extrema precaução em doentes tratados com antidepressivos tricíclicos ou com inibidores da monoamino oxidase, mesmo durante o período imediato de duas semanas após a sua interrupção, ou com outros fármacos que reconhecidamente prolongam o intervalo QTc, tais como antipsicóticos (incluindo as fenotiazinas), quinidina, disopiramida, procainamida e antihistamínicos.

Fluticasona + Formoterol + Medicamentos que prolongam o intervalo QT

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: Tal como os outros agonistas β2, o fumarato de formoterol deve ser administrado com extrema precaução em doentes tratados com antidepressivos tricíclicos ou com inibidores da monoamino oxidase, mesmo durante o período imediato de duas semanas após a sua interrupção, ou com outros fármacos que reconhecidamente prolongam o intervalo QTc, tais como antipsicóticos (incluindo as fenotiazinas), quinidina, disopiramida, procainamida e antihistamínicos. Os fármacos que reconhecidamente prolongam o intervalo QTc podem aumentar o risco de arritmias ventriculares.

Fluticasona + Formoterol + Antipsicóticos

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: Tal como os outros agonistas β2, o fumarato de formoterol deve ser administrado com extrema precaução em doentes tratados com antidepressivos tricíclicos ou com inibidores da monoamino oxidase, mesmo durante o período imediato de duas semanas após a sua interrupção, ou com outros fármacos que reconhecidamente prolongam o intervalo QTc, tais como antipsicóticos (incluindo as fenotiazinas), quinidina, disopiramida, procainamida e antihistamínicos.

Fluticasona + Formoterol + Fenotiazidas (fenotiazinas)

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: Tal como os outros agonistas β2, o fumarato de formoterol deve ser administrado com extrema precaução em doentes tratados com antidepressivos tricíclicos ou com inibidores da monoamino oxidase, mesmo durante o período imediato de duas semanas após a sua interrupção, ou com outros fármacos que reconhecidamente prolongam o intervalo QTc, tais como antipsicóticos (incluindo as fenotiazinas), quinidina, disopiramida, procainamida e antihistamínicos.

Fluticasona + Formoterol + Quinidina

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: Tal como os outros agonistas β2, o fumarato de formoterol deve ser administrado com extrema precaução em doentes tratados com antidepressivos tricíclicos ou com inibidores da monoamino oxidase, mesmo durante o período imediato de duas semanas após a sua interrupção, ou com outros fármacos que reconhecidamente prolongam o intervalo QTc, tais como antipsicóticos (incluindo as fenotiazinas), quinidina, disopiramida, procainamida e antihistamínicos.

Fluticasona + Formoterol + Disopiramida

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: Tal como os outros agonistas β2, o fumarato de formoterol deve ser administrado com extrema precaução em doentes tratados com antidepressivos tricíclicos ou com inibidores da monoamino oxidase, mesmo durante o período imediato de duas semanas após a sua interrupção, ou com outros fármacos que reconhecidamente prolongam o intervalo QTc, tais como antipsicóticos (incluindo as fenotiazinas), quinidina, disopiramida, procainamida e antihistamínicos.

Fluticasona + Formoterol + Procainamida

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: Tal como os outros agonistas β2, o fumarato de formoterol deve ser administrado com extrema precaução em doentes tratados com antidepressivos tricíclicos ou com inibidores da monoamino oxidase, mesmo durante o período imediato de duas semanas após a sua interrupção, ou com outros fármacos que reconhecidamente prolongam o intervalo QTc, tais como antipsicóticos (incluindo as fenotiazinas), quinidina, disopiramida, procainamida e antihistamínicos.

Fluticasona + Formoterol + Antihistamínicos

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: Tal como os outros agonistas β2, o fumarato de formoterol deve ser administrado com extrema precaução em doentes tratados com antidepressivos tricíclicos ou com inibidores da monoamino oxidase, mesmo durante o período imediato de duas semanas após a sua interrupção, ou com outros fármacos que reconhecidamente prolongam o intervalo QTc, tais como antipsicóticos (incluindo as fenotiazinas), quinidina, disopiramida, procainamida e antihistamínicos.

Fluticasona + Formoterol + Adrenérgicos

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: Caso sejam administrados fármacos adrenérgicos adicionais por qualquer via, estes devem ser usados com precaução, pois poderá haver potenciação dos efeitos simpáticos farmacologicamente previsíveis do formoterol.

Fluticasona + Formoterol + Antagonistas dos Recetores adrenérgicos beta

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: Os antagonistas dos recetores beta-adrenérgicos (bloqueadores β) e o fumarato de formoterol podem inibir os efeitos um dos outros quando administrados concomitantemente.
 Potencialmente Grave

Fluticasona + Formoterol + Bloqueadores beta-adrenérgicos

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: Os bloqueadores beta podem também provocar broncospasmo grave em doentes asmáticos. Deste modo, os doentes com asma não devem ser normalmente tratados com bloqueadores β e isto inclui bloqueadores β usados sob a forma de colírios para o tratamento do glaucoma. Contudo, em certas circunstâncias, como por exemplo, na profilaxia após enfarte do miocárdio, poderá não haver alternativas aceitáveis à utilização de bloqueadores β em doentes com asma. Nesta situação, pode considerar-se a utilização de bloqueadores β cardiosselectivos, embora estes devam ser administrados com precaução.
 Potencialmente Grave
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo outros medicamentos ou inaladores para a asma e medicamentos obtidos sem receita médica.

Se estiver a utilizar este inalador com outros medicamentos, o efeito deste inalador ou dos outros medicamentos pode ser alterado.

Não se recomenda a administração deste medicamento durante a gravidez e amamentação.


Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 10 de Março de 2016