Fluorouracilo

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Insuficiência Hepática
O que é
Um análogo da pirimidina que é um antimetabolito antineoplásico.

Interfere com a síntese de ADN por bloqueio da conversão da timidilato sintetase de ácido desoxiuridílico de ácido timidílico.
Usos comuns
O 5-fluorouracilo é utilizado no tratamento dos sintomas de muitos cancros comuns.

Pode ser utilizado em monoterapia ou em associação com outros agentes anti-cancerosos.
Tipo
Molécula pequena.
História
Charles Heidelberger, professor na Universidade de Wisconsin, estudou a toxicidade do átomo de flúor em ácido fluoroacético e descobriu que ele estava a bloquear uma enzima vital para o metabolismo celular.

Heidelberger em seguida, tentou incorporar esse átomo no pirimidina, formando as bases de DNA e trabalhou com a empresa de Hoffmann-La Roche, que sintetizou fluorouracil em 1957.

Os estudos clínicos confirmaram o interesse do composto em tumores gastroduodenais.
Indicações
Fluorouracilo é indicado no tratamento das seguintes neoplasias malignas e quadros de doença:
- no tratamento de cancro colorectal metastático
- como tratamento adjuvante no cancro do cólon e do recto
- no tratamento do cancro gástrico avançado
- no tratamento do cancro pancreático avançado
- no tratamento do cancro do esófago avançado
- no tratamento do cancro da mama avançado ou metastático
- como tratamento adjuvante em doentes com cancro da mama invasivo primário operável
- no tratamento do carcinoma pavimentocelular inoperável, localmente avançado da cabeça e pescoço,em doentes não tratados anteriormente
- no tratamento do carcinoma pavimentocelular inoperável, localmente recorrente ou metastático da cabeça e pescoço
Classificação CFT

16.01.03 : Antimetabólitos

Mecanismo De Acção
O 5-Fluorouracilo é um análogo do uracilo, componente do ácido ribonucleico.
Crê-se que o fármaco actua como um antimetabolito.
Após conversão intracelular no desoxinucleótido activo, interfere com a síntese do DNA, por bloqueio da conversão do ácido desoxiuridílico em ácido timidílico, pela enzima celular timidilato sintetase.
O 5-Fluorouracilo também pode interferir com a síntese do RNA.
Posologia Orientativa
Conforme prescrição médica.
Administração
A solução de 5-Fluorouracilo pode ser administrada por injecção intravenosa ou por perfusão intravenosa ou intra-arterial.

A selecção da dose apropriada e do regime de tratamento dependerão do estado do doente, do tipo de carcinoma a tratar e de se o 5-Fluorouracilo se destina a ser administrado em monoterapia ou em associação com outra terapêutica.

O tratamento inicial deve ser feito no hospital e a dose diária total não deve exceder 1 grama.

Recomenda-se a monitorização diária do número de plaquetas e a contagem dos leucócitos, devendo o tratamento ser interrompido se o número de plaquetas descer abaixo das 100.000/mm3 ou se o número de leucócitos descer abaixo dos 3.000/mm3.

É habitual calcular a dose de acordo com o peso do doente à data do início do tratamento, a menos que haja obesidade, edema ou outra forma anormal de retenção de líquidos, como por exemplo ascite. Neste caso, deve-se usar o peso ideal como base dos cálculos.
Contra-Indicações
Hipersensibilidade conhecida ao Fluorouracilo;

Depressão da medula óssea resultante de radioterapia ou de tratamento com outros

Agentes antineoplásicos;

Alterações severas na contagem sanguínea;

Estomatites, ulcerações da boca e do tracto gastrointestinal;

Diarreia severa;

Disfunções hepáticas e/ou renais graves;

Doenças infecciosas graves;

Debilidade acentuada;

Bilirrubina plasmática superior a 85 μmol/l;

A vacinação activa deve ser evitada durante a terapêutica com 5-fluorouracilo.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Diarreia, náuseas e vómitos são reacções observadas com frequência durante a terapia e devem ser tratadas sintomaticamente.

Para o controlo das náuseas e vómitos pode ser administrado um antiemético.

Foram relatados episódios de desidratação, geralmente associados à diarreia e/ou vómitos e anorexia.

Efeitos secundários gastrointestinais, tais como estomatite (os sintomas incluem dor, eritema ou ulceração da cavidade oral ou disfagia)/mucosite, diarreia, úlceras gastrointestinais, proctite, esofagite, hemorragia do tracto gastrointestinal ou hemorragia em qualquer local são sinais de que o tratamento deve ser interrompido.A alopécia pode manifestar-se num número substancialde casos, particularmente em indivíduos do sexo feminino, mas é reversível.

Outros efeitos secundários incluem dermatite (erupção maculopapular com prurido, a qual aparece geralmente nas extremidades e menos frequentemente no tronco, normalmente reversível e com tratamento sintomático), erupções cutâneas, pigmentação, alterações nas unhas incluindo a formação de bandas ou perda de unhas, pele seca e formação de fissuras; fotossensibilidade (a qual se manifesta através de eritema ou aumento da pigmentação da pele), ataxia, febre, estado de mal-estar, fraqueza; hiperpigmentação assintomática através de canais vasculares e descoloração da veia na proximidade dos locais de injecção.

Menos de 1% dos doentes a receber tratamento com fluorouracilo irá sofrer de ataxia ou outras manifestações da síndrome cerebelosa aguda devido à neurotoxicidade do medicamento, embora a incidência aumente quando são administradas doses elevadas ou regimes posológicos diários intensos.

A disfunção é completamente reversível e poderá não ocorrer quando se reiniciar o tratamento com o medicamento.

Foram observadas perturbações dos movimentos oculares, as quais se manifestam principalmente através de fraqueza de convergência e divergência, associadas a neurotoxicidade.

Existem relatos dedor no peito, taquicardia, esfalfamento falta de ar, arritmia, alterações eletrocardiográficas (alterações do segmento ST), angina, isquemia do miocárdio, enfarte do miocárdio e cardiomiopatia após administração do 5-Fluorouracilo.

Por isso é aconselhável prestar atenção especial no tratamento de doentes com história de doença cardíaca, ou daqueles que manifestam dor no peito durante o tratamento.

Têm sido notificados casos de morte súbita após o reinício do tratamento com fluorouracilo em doentes com uma história de reacção cardiovascular.

A leucopenia é usual e as precauções descritas acima devem ser seguidas.
A neutropénia, pancitopenia, trombocitopenia, agranulocitose e anemia foram igualmente reportadas.

As complicações infeiosas da medula óssea/toxicidade hematológica podem incluir febre e sépsia.O tratamento sistémico com 5-Fluorouracilo tem sido associado a diversos tipos de toxicidade ocular.

Além dos já referidos, têm sido notificados diversos outros efeitos adversos entre os quais: incidentes de lacrimação excessiva, dacriostenose, alterações visuais e fotofobia; síndroma de eritrodisestasia palmo-plantar; tromboflebite e desenho venoso.

Após administração do 5-flurouracilo, pode ocorrer síndroma cerebral transitório reversível.
Mais raramente pode ocorrer um estado confusional reversível.

Estas duas últimas situações neurológicas regridem após suspensão da terapêutica com 5-Fluorouracilo.

Existem relatos de casos de leucoencefalopatia, neuropatia, desorientação e euforia.

Outras doenças do sistema nervoso incluem nistagmo, dor de cabeça, letargia, dificuldade de articulação do discurso, tonturas, desequilíbrio, fraqueza muscular, síndrome cerebelosa aguda e perturbações dos movimentos oculares.

Estes sintomas podem persistir após interrupçãodo tratamento.

Foi relatado um número muito pequeno de reacções de hipersensibilidade, incluindo a anafilaxia.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:O uso de 5-fluorouracilo está contra-indicado durante a gravidez, especialmente durante o primeiro trimestre.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:O aleitamento deve ser interrompido durante o tratamento com 5-fluorouracilo.
Insuf. Hepática
Insuf. Hepática
Insuf. Hepática:Ver Citotóxicos (16.1).
Precauções Gerais
Recomenda-se que o 5-Fluorouracilo seja administrado unicamente, ou sob a estrita supervisão, de um médico qualificado familiarizado com o uso de antimetabolitos potentes.

Os doentes devem ser hospitalizados para início de tratamento.

O tratamento adequado com 5-Fluorouracilo é usualmente seguido de leucopenia, sendo entre o 7° e o 14° dia que geralmente se verificam as contagens de leucócitos mais baixas, no caso do primeiro ciclo de tratamento, mas que ocasionalmente podem ser retardadas até ao 20° dia.

A contagem retorna ao normal, próximo do 30° dia.

Recomenda-se a monitorização diária do número de plaquetas e a contagem dos leucócitos, devendo o tratamento ser interrompido se o número de plaquetas descer abaixo das 100.000/mm3 ou se o número de leucócitos descer abaixo dos 3.000/mm3.

Se a contagem total for inferior a 2.000/mm3, e especialmente se ocorrer granulocitopénia, recomenda-se que o doente seja colocado em isolamento protector no hospital e tratado com as medidas adequadas a prevenir infecção sistémica.

O tratamento também deve ser interrompido ao primeiro sinal de ulceração oral ou se houver prova de efeitos colaterais gastrointestinais, tais como estomatite, diarreia, ulceração e hemorragia do tracto gastrointestinal ou com qualquer outra localização.

O ratio entre a dose eficaz e a dose tóxica é pequeno, a resposta terapêutica é improvável sem alguma toxicidade.

Deve por isso ser tomado cuidado, quando da selecção dos doentes e no ajustamento da dosagem.

O 5-Fluorouracilo deve ser usado com precaução em doentes com função renal ou hepática diminuída, ou icterícia.

Deve também ser utilizado com precaução no tratamento de doentes que manifestem dor torácica durante os ciclos de tratamento, ou de doentes com história clínica de doença cardíaca.

O tratamento deve ser interrompido em caso de toxicidade cardíaca grave.

Deve tomar-se especial cuidado em doentes de alto risco após irradiação pélvica de alta dosagem e após terapia com agentes alquilantes, e em doentes após adreanalectomia ou hipofisectomia.

Devem ser tomadas as medidas anticoncetivas apropriadas para homens e mulheres tratados com 5-fluorouracilo até 3 meses após finalização do tratamento.
Cuidados com a Dieta
Não interfere com alimentos e bebidas.
Terapêutica Interrompida
Este medicamento é administrado em meio hospitalar.
Cuidados no Armazenamento
Conservar a temperaturas inferiores a 25ºC – não refrigerar nem congelar.
Fluorouracilo é armazenado no hospital.
Espectro de susceptibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Lipegfilgrastim Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: Demonstrou-se, em modelos animais, que a administração concomitante de G-CSF e de 5-fluorouracilo (5-FU) ou outros antimetabolitos potenciava a mielossupressão. - Fluorouracilo
Usar com precaução

Filgrastim Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: Existem dados preliminares, obtidos num grupo pequeno de doentes tratados concomitantemente com filgrastim e 5-fluorouracilo, que indicam que a gravidade da neutropenia pode ser exacerbada. - Fluorouracilo
Usar com precaução

Fluorouracilo Ácido folínico (Leucovorina)

Observações: Vários agentes têm sido referidos como moduladores bioquímicos da eficácia antitumoral ou a toxicidade do fluorouracilo. Entre os medicamentos comuns incluem-se o metotrexato, o metronidazol, a leucovorina, o interferão alfa e o alopurinol.
Interacções: Tanto a eficácia como a toxicidade de 5-fluorouracilo podem ser aumentadas quando 5-fluorouracilo é utilizado em associação com ácido folínico. Os efeitos secundários podem ser mais pronunciados e pode ocorrer diarreia grave. Foram observadas diarreias associadas a risco de vida quando são administrados 600 mg/m2 de fluorouracilo (i.v. bólus, uma vez por semana) em associação com ácido folínico. Em associação com outras substâncias mielossupressoras, é necessário um ajuste posológico. A terapêutica concomitante ou radiação anterior pode implicar uma redução da dosagem. A cardiotoxicidade das antraciclinas pode ser aumentada. A mucosite grave, potencialmente fatal, pode ocorrer após a administração concomitante de vinorrelbina e 5-fluorouracilo/ácido folínico. - Ácido folínico (Leucovorina)
Consultar informação actualizada

Benfotiamina Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: A tiamina é desativada pelo 5-fluorouracilo, já que este inibe competitivamente a fosforilação da tiamina em pirofosfato de tiamina. - Fluorouracilo
Contraindicado

Brivudina Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: É contra-indicado o uso concomitante com 5-fluorouracilo (incluindo também as suas preparações tópicas ou os pro-fármacos, como capecitabina, floxuridina, tegafur) ou outras 5-fluoropirimidinas, como a flucitosina. Esta interacção, que conduz a uma toxicidade aumentada das fluoropirimidinas, é potencialmente fatal. Brivudina, através do seu principal metabólito, bromoviniluracilo (BVU), exerce uma acção inibitória irreversível sobre a dihidropirimidina desidrogenase (DPD), uma enzima que regula o metabolismo de ambos os nucleosidos naturais (ex: timidina) e dos fármacos derivados da pirimidina como o 5-fluorouracilo (5-FU). Em consequência da inibição da enzima resulta uma sobreexposição e o aumento de toxicidade do 5-FU. Em sujeitos saudáveis medicados com a posologia recomendada de Brivudina (125 mg uma vez por dia durante 7 dias) existiu uma evidência clínica da ocorrência de uma total recuperação funcional da actividade enzimática da DPD, 18 dias após a última toma. Brivudina e o 5-fluorouracilo ou outras 5-fluoropirimidinas como capecitabina, floxuridina e tegafur (ou associações de medicamentos contendo estas substâncias activas) ou flucitosina não devem ser administrados concomitantemente, devendo ser observado, no mínimo, um intervalo de 4 semanas antes do início do tratamento com as 5- fluoropirimidinas. Como precaução adicional, deverá existir uma monitorização da actividade enzimática da DPD antes do início de qualquer tratamento com fármacos 5- fluoropirimidinas, em doentes recentemente medicados com Brivudina. Em caso de administração acidental de 5-FU ou fármacos relacionados a doentes medicados com Brivudina, ambos os fármacos devem ser descontinuados, sendo instituídas medidas rigorosas para reduzir a toxicidade do 5-FU. Recomenda-se hospitalização imediata e a tomada de todas as medidas de prevenção de infecções sistémicas e desidratação. Os sinais de toxicidade do 5-FU incluem náuseas, vómitos, diarreia, e, em casos graves, estomatite, neutropeni a e depressão da medula óssea. - Fluorouracilo
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido folínico (Leucovorina) Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: O uso concomitante de folinato dissódico (Ácido folínico) antagoniza a actividade antineoplásica do metotrexato e aumenta os efeitos citotóxicos do fluorouracilo. Foram referidos frequentemente os seguintes efeitos secundários para o folinato dissódico (Ácido folínico) quando combinado com o fluorouracilo: diarreia, desidratação, estomatite e leucopenia. Têm sido observadas infecções menos comuns, trombocitopenia, náuseas, vómitos, obstipação, mal estar, alopecia, dermatite e anorexia. Têm sido observadas diarreias com risco de vida se se administrarem 600 mg/m² de fluorouracilo (bolus i.v., uma vez por semana) juntamente com folinato dissódico. Quando o folinato dissódico e o fluorouracilo são usados no tratamento do tumor colorectal, a dose de fluorouracilo tem que ser mais reduzida do que quando o fluorouracilo é utilizado isoladamente. - Fluorouracilo
Sem efeito descrito

Epoetina beta Fluorouracilo

Observações: Os resultados clínicos até agora obtidos não indicam qualquer interacção da Epoetina beta com outros medicamentos.
Interacções: Estudos no animal revelaram que a epoetina beta não aumenta a mielotoxicidade medicamentos citostáticos como o etopósido, cisplatina, ciclofosfamida ou o fluoruracilo. - Fluorouracilo
Sem efeito descrito

Temoporfina Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: Existe a possibilidade de exacerbação de fotossensibilidade cutânea se a temoporfina for utilizada com outras substâncias activas de fotossensibilização. Foi referida uma reacção deste tipo com 5 - fluorouracil tópico. Não foram observadas quaisquer outras interacções. Um estudo in vitro com tecido de fígado humano não revelou qualquer potencial de interacção medicamentosa através da inibição das enzimas do citocromo P - 450 pela temoporfina. - Fluorouracilo
Sem efeito descrito

Oxaliplatina Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: Nos doentes que receberam uma dose única de oxaliplatina de 85 mg/m2 imediatamente antes da administração de 5-fluorouracilo, não se observou nenhuma modificação no grau de exposição ao 5-fluorouracilo. - Fluorouracilo
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido fólico + Cianocobalamina + Iodo Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: Fluorouracilo: embora ainda não esteja estabelecido o seu mecanismo, verificou-se uma potenciação da toxicidade do fluorouracilo. - Fluorouracilo
Usar com precaução

Cânfora + Eucaliptol + Mentol Fluorouracilo

Observações: O Eucaliptol é metabolizado pelo citocromo CYP450. Não foi observada até ao momento, qualquer interacção farmacocinética com Cânfora/Eucaliptol/Mentol. No entanto essa possibilidade não pode ser completamente descartada.
Interacções: O Eucaliptol é metabolizado pelo citocromo CYP450. Não foi observada até ao momento, qualquer interacção farmacocinética com Cânfora/Eucaliptol/Mentol. No entanto essa possibilidade não pode ser completamente descartada. O mesmo se aplica a uma eventual interacção com ciclosporina e 5-fluorouracilo. - Fluorouracilo
Sem efeito descrito

Irinotecano Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: A co-administração de 5-fluorouracilo/ácido folínico em regimes de associação não altera a farmacocinética do irinotecano. Não existem indícios de que o perfil de segurança do irinotecano é influenciado pelo cetuximab ou vice-versa. Num estudo, as concentrações de irinotecano foram semelhantes em doentes que receberam irinotecano/5FU/AF isoladamente e em associação com o bevacizumab. As concentrações de SN-38, o metabólito activo do irinotecano, foram analisadas num subconjunto de doentes (aproximadamente 30 por cada braço de tratamento). As concentrações de SN-38 foram em média 33% superiores nos doentes que receberam irinotecano/5FU/AF em associação com bevacizumab em comparação com os que receberam apenas irinotecano/5FU/AF. Devido à elevada variabilidade entre os doentes e ao pequeno tamanho da amostra, não é certo se o aumento observado dos níveis de SN-38 foi devido ao bevacizumab. - Fluorouracilo
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levofolinato de cálcio Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: O levofolinato de cálcio aumenta a toxicidade do 5-fluorouracilo. - Fluorouracilo
Potencialmente Fatal

Levofolinato dissódico Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: Foram observadas diarreias potencialmente letais, quando 600 mg/m² de fluorouracilo (bolus i.v., uma vez por semana) foram administrados com levofolinato dissódico. Quando o levofolinato dissódico e o fluorouracilo são utilizados em terapêutica combinada, a dosagem do fluorouracilo deve ser mais reduzida do que quando o fluorouracilo é utilizado sozinho. - Fluorouracilo
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Folinato de cálcio Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: Demonstrou-se que a administração concomitante de folinato de cálcio com 5-fluorouracilo aumenta a eficácia e a toxicidade de 5-fluorouracilo. - Fluorouracilo
Não recomendado/Evitar

Fluindiona Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: Combinações não recomendadas: Fluorouracilo (e, por extrapolação, tegafur e capecitabina): Aumento significativo do efeito de anticoagulantes orais e risco de hemorragia. Se for inevitável fazer o acompanhamento, mais frequente do INR. O ajuste da dose do anticoagulante oral durante o tratamento com citotóxicos e 8 dias depois de sua interrupção. - Fluorouracilo
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Benazepril + Hidroclorotiazida Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: Agentes citostáticos (como ciclofosfamida, fluorouracilo, metotrexato): Aumento da toxicidade ao nível da medula óssea (principalmente granulocitopenia) pela hidroclorotiazida. - Fluorouracilo
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Pegfilgrastim Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: Demonstrou-se, em modelos animais, que a administração concomitante de G-CSF e de 5-fluorouracilo (5-FU) ou outros antimetabolitos potenciava a mielossupressão. - Fluorouracilo
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Secnidazol Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: 5-Fluorouracilo: diminuição da depuração do 5-fluorouracilo, que origina um aumento da toxicidade do 5-fluorouracilo. - Fluorouracilo
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Subcitrato de bismuto potássico + Metronidazol + Tetraciclina Fluorouracilo

Observações: Não foram realizados estudos formais de interacção com esta associação. Antes do tratamento, deve ser verificada a necessidade de outra medicação concomitante em doentes que estejam a tomar este medicamento. Apesar de não ter sido detetada qualquer interacção específica com a associação, os doentes que tomem um grande número de medicamentos concomitantes têm geralmente um risco mais elevado de sofrerem efeitos indesejáveis e, por conseguinte, devem ser tratados com cuidado.
Interacções: interacções com o metronidazol: 5-Fluorouracil: O metronidazol reduz a depuração do 5-fluorouracil e, por conseguinte, pode resultar num aumento da toxicidade do 5-fluorouracil. - Fluorouracilo
Não recomendado/Evitar

Fluorouracilo Clozapina

Observações: Vários agentes têm sido referidos como moduladores bioquímicos da eficácia antitumoral ou a toxicidade do fluorouracilo. Entre os medicamentos comuns incluem-se o metotrexato, o metronidazol, a leucovorina, o interferão alfa e o alopurinol.
Interacções: Deve evitar-se a associação do fluorouracilo com a clozapina devido ao risco acrescido de agranulocitose. - Clozapina
Usar com precaução

Fluorouracilo Cisplatina

Observações: Vários agentes têm sido referidos como moduladores bioquímicos da eficácia antitumoral ou a toxicidade do fluorouracilo. Entre os medicamentos comuns incluem-se o metotrexato, o metronidazol, a leucovorina, o interferão alfa e o alopurinol.
Interacções: Houve aumento da incidência de enfarte cerebral em doentes com cancro orofaríngeo tratados com fluorouracilo e cisplatina. - Cisplatina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fluorouracilo Varfarina

Observações: Vários agentes têm sido referidos como moduladores bioquímicos da eficácia antitumoral ou a toxicidade do fluorouracilo. Entre os medicamentos comuns incluem-se o metotrexato, o metronidazol, a leucovorina, o interferão alfa e o alopurinol.
Interacções: Foram notificadas elevações marcadas do tempo de protrombina e da INR (Razão Normalizada Internacional) em alguns doentes estabilizados numa terapêutica com varfarina após o início de regimes à base de fluorouracilo. - Varfarina
Usar com precaução

Fluorouracilo Brivudina

Observações: Vários agentes têm sido referidos como moduladores bioquímicos da eficácia antitumoral ou a toxicidade do fluorouracilo. Entre os medicamentos comuns incluem-se o metotrexato, o metronidazol, a leucovorina, o interferão alfa e o alopurinol.
Interacções: A enzima di-hidropirimidina desidrogenase (DPD) desempenha uma função importante no metabolismo de fluorouracilo. Os análogos de nucleósidos, como por exemplo, brivudina e sorivudina, podem induzir um aumento nas concentrações plasmáticas de 5-FU ou outras fluoropirimidinas com reacções toxicológicas associadas. Desta forma, deve ser mantido um intervalo mínimo de 4 semanas entre a administração de fluorouracilo e de brivudina, sorivudina e análogos. Se aplicável, é indicada a determinação da actividade da enzima DPD antes do tratamento com 5-fluoropirimidinas. - Brivudina
Usar com precaução

Fluorouracilo Sorivudina

Observações: Vários agentes têm sido referidos como moduladores bioquímicos da eficácia antitumoral ou a toxicidade do fluorouracilo. Entre os medicamentos comuns incluem-se o metotrexato, o metronidazol, a leucovorina, o interferão alfa e o alopurinol.
Interacções: A enzima di-hidropirimidina desidrogenase (DPD) desempenha uma função importante no metabolismo de fluorouracilo. Os análogos de nucleósidos, como por exemplo, brivudina e sorivudina, podem induzir um aumento nas concentrações plasmáticas de 5-FU ou outras fluoropirimidinas com reacções toxicológicas associadas. Desta forma, deve ser mantido um intervalo mínimo de 4 semanas entre a administração de fluorouracilo e de brivudina, sorivudina e análogos. Se aplicável, é indicada a determinação da actividade da enzima DPD antes do tratamento com 5-fluoropirimidinas. - Sorivudina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fluorouracilo Cimetidina

Observações: Vários agentes têm sido referidos como moduladores bioquímicos da eficácia antitumoral ou a toxicidade do fluorouracilo. Entre os medicamentos comuns incluem-se o metotrexato, o metronidazol, a leucovorina, o interferão alfa e o alopurinol.
Interacções: A cimetidina, o metronidazol e o interferão podem aumentar as concentrações plasmáticas de 5-fluorouracilo e, desta forma, aumentar a toxicidade de 5- fluorouracilo. - Cimetidina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fluorouracilo Metronidazol

Observações: n.d.
Interacções: Vários agentes têm sido referidos como moduladores bioquímicos da eficácia antitumoral ou a toxicidade do fluorouracilo. Entre os medicamentos comuns incluem-se o metotrexato, o metronidazol, a leucovorina, o interferão alfa e o alopurinol. A cimetidina, o metronidazol e o interferão podem aumentar as concentrações plasmáticas de 5-fluorouracilo e, desta forma, aumentar a toxicidade de 5- fluorouracilo. - Metronidazol
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fluorouracilo Fenitoína

Observações: Vários agentes têm sido referidos como moduladores bioquímicos da eficácia antitumoral ou a toxicidade do fluorouracilo. Entre os medicamentos comuns incluem-se o metotrexato, o metronidazol, a leucovorina, o interferão alfa e o alopurinol.
Interacções: Em doentes a receber concomitantemente fenitoína e fluorouracilo foi notificado um aumento da concentração plasmática de fenitoína que causou sintomas de toxicidade da fenitoína. - Fenitoína
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fluorouracilo Citotóxicos (citostáticos)

Observações: Vários agentes têm sido referidos como moduladores bioquímicos da eficácia antitumoral ou a toxicidade do fluorouracilo. Entre os medicamentos comuns incluem-se o metotrexato, o metronidazol, a leucovorina, o interferão alfa e o alopurinol.
Interacções: O fluorouracilo aumenta a acção de outros citotóxicos e da radioterapia. - Citotóxicos (citostáticos)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fluorouracilo Radioterapia

Observações: Vários agentes têm sido referidos como moduladores bioquímicos da eficácia antitumoral ou a toxicidade do fluorouracilo. Entre os medicamentos comuns incluem-se o metotrexato, o metronidazol, a leucovorina, o interferão alfa e o alopurinol.
Interacções: O fluorouracilo aumenta a acção de outros citotóxicos e da radioterapia. - Radioterapia
Usar com precaução

Fluorouracilo Ciclofosfamida

Observações: Vários agentes têm sido referidos como moduladores bioquímicos da eficácia antitumoral ou a toxicidade do fluorouracilo. Entre os medicamentos comuns incluem-se o metotrexato, o metronidazol, a leucovorina, o interferão alfa e o alopurinol.
Interacções: Em doentes a receber ciclofosfamida, metotrexato e 5-fluorouracilo, a adição de diuréticos tiazídicos resultou numa diminuição mais pronunciada do número de granulócitos em comparação com doentes que não recebem tiazidas. Em doentes com cancro da mama, foi notificado o aumento do risco de acontecimentos tromboembólicos com a terapêutica de associação com ciclofosfamida, metotrexato, 5-fluorouracilo e tamoxifeno. - Ciclofosfamida
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fluorouracilo Levamisol

Observações: Vários agentes têm sido referidos como moduladores bioquímicos da eficácia antitumoral ou a toxicidade do fluorouracilo. Entre os medicamentos comuns incluem-se o metotrexato, o metronidazol, a leucovorina, o interferão alfa e o alopurinol.
Interacções: Foi observada frequentemente hepatotoxicidade (aumento nas fosfatases alcalinas, transaminases ou bilirrubina) em doentes a receber 5-fluorouracilo em associação com levamisol. - Levamisol
Usar com precaução

Fluorouracilo Metotrexato (MTX)

Observações: n.d.
Interacções: Vários agentes têm sido referidos como moduladores bioquímicos da eficácia antitumoral ou a toxicidade do fluorouracilo. Entre os medicamentos comuns incluem-se o metotrexato, o metronidazol, a leucovorina, o interferão alfa e o alopurinol. Em doentes com cancro da mama, foi notificado o aumento do risco de acontecimentos tromboembólicos com a terapêutica de associação com ciclofosfamida, metotrexato, 5-fluorouracilo e tamoxifeno. - Metotrexato (MTX)
Usar com precaução

Fluorouracilo Tamoxifeno

Observações: Vários agentes têm sido referidos como moduladores bioquímicos da eficácia antitumoral ou a toxicidade do fluorouracilo. Entre os medicamentos comuns incluem-se o metotrexato, o metronidazol, a leucovorina, o interferão alfa e o alopurinol.
Interacções: Em doentes com cancro da mama, foi notificado o aumento do risco de acontecimentos tromboembólicos com a terapêutica de associação com ciclofosfamida, metotrexato, 5-fluorouracilo e tamoxifeno. - Tamoxifeno
Potencialmente Fatal

Fluorouracilo Vinorrelbina

Observações: Vários agentes têm sido referidos como moduladores bioquímicos da eficácia antitumoral ou a toxicidade do fluorouracilo. Entre os medicamentos comuns incluem-se o metotrexato, o metronidazol, a leucovorina, o interferão alfa e o alopurinol.
Interacções: A mucosite grave, potencialmente fatal, pode ocorrer após a administração concomitante de vinorrelbina e 5-fluorouracilo/ácido folínico. - Vinorrelbina
Não recomendado/Evitar

Fluorouracilo Vacinas vivas

Observações: Vários agentes têm sido referidos como moduladores bioquímicos da eficácia antitumoral ou a toxicidade do fluorouracilo. Entre os medicamentos comuns incluem-se o metotrexato, o metronidazol, a leucovorina, o interferão alfa e o alopurinol.
Interacções: A vacinação com vacinas vivas deve ser evitada em doentes imunocomprometidos. - Vacinas vivas
Usar com precaução

Doxorrubicina Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: A cardiotoxicidade resultante da doxorrubicina é intensificada pela utilização anterior ou concomitante de outras antraciclinas ou de outros medicamentos potencialmente cardiotóxicos (ex., 5-fluorouracilo, ciclofosfamida ou paclitaxel) ou com outros medicamentos que afectam a função cardíaca (como os antagonistas do cálcio). Quando a doxorrubicina é utilizada juntamente com os agentes acima mencionados, a função cardíaca deve ser cuidadosamente monitorizada. - Fluorouracilo
Usar com precaução

Hidroclorotiazida + Amilorida Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: Na administração simultânea de Hidroclorotiazida e citoestáticos (p.e. ciclofosfamida, fluoruracilo, metotrexato) deve-se esperar uma acentuada toxicidade a nível da medula óssea (especialmente granulocitopénia). - Fluorouracilo
Usar com precaução

Nebivolol + Hidroclorotiazida Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: interacções farmacocinéticas: HIDROCLOROTIAZIDA: Agentes citotóxicos: Com o uso concomitante de hidroclorotiazida e citotóxicos (por exemplo, ciclofosfamida, fluorouracilo, metotrexato) deve-se esperar um aumento da toxicidade para a medula óssea (particularmente granulocitopenia). - Fluorouracilo
Usar com precaução

Xipamida Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: As seguintes associações podem causar interacções: Citostáticos (ex: ciclofosfamida, fluorouracilo, metotrexato): Risco de toxicidade medular aumentada, particularmente a redução dos granulócitos. - Fluorouracilo
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Metronidazol + Nistatina Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: 5-fluorouracil: diminuição do clearance do 5-fluorouracil, resultando em aumento da toxicidade do mesmo. - Fluorouracilo
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Multivitaminas + Ácido fólico Fluorouracilo

Observações: n.d.
Interacções: As interacções incluem: Fluoropirimidinas (5-fluorouracilo, capecitabina, tegafur): Aumento da citotoxicidade quando combinados com o ácido fólico. - Fluorouracilo
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções do Fluorouracilo
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

O uso de 5-fluorouracilo está contra-indicado durante a gravidez, especialmente durante o primeiro trimestre.

Os benefícios do tratamento devem ser avaliados face aos riscos potenciais para o feto em cada caso.

(A relação benefício/risco deve ser avaliada em cada caso individual).

O aleitamento deve ser interrompido durante o tratamento com 5-fluorouracilo.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Novembro de 2021