Fenfluramina

DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
Fenfluramina é uma fenetilamina estruturalmente semelhante à serotonina.
Devido à sua capacidade de aumentar os níveis extracelulares de serotonina, modular os receptores serotonérgicos e outros neurológicos e controlar a neurotransmissão, é eficaz no tratamento de convulsões fármaco-resistentes.
Usos comuns
A fenfluramina é indicada para o tratamento de convulsões em pacientes com síndrome de Dravet com dois anos de idade ou mais.
Tipo
Molécula pequena.
História
Fenfluramina foi introduzida no mercado dos EUA em 1973 e foi retirado do mercado dos EUA em 1997, depois de relatos de doença valvar cardíaca e hipertensão pulmonar, incluindo uma condição conhecida como fibrose cardíaca.
Indicações
Fenfluramina está indicado no tratamento de convulsões associadas à síndrome de Dravet como terapêutica adjuvante a outros medicamentos antiepiléticos em doentes com idade igual ou superior a 2 anos.
Classificação CFT

N.D.

Mecanismo De Acção
A fenfluramina é um agente libertador da serotonina, e por isso estimula vários subtipos do receptor 5-HT através da libertação de serotonina. A fenfluramina pode reduzir as convulsões actuando como agonista em receptores específicos da serotonina no cérebro, incluindo os receptores 5-HT1D, 5-HT2A e 5-HT2C, actuando também no receptor sigma-1. Desconhece-se o mecanismo de acção exacto da fenfluramina na síndrome de Dravet.
Posologia Orientativa
Conforme prescrição médica.
Administração
Via oral.
Contra-Indicações
Hipersensibilidade à Fenfluramina.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Muito frequentes: podem afectar mais de 1 em cada 10 pessoas
• quedas
• diarreia
• vómitos
• perda de peso
• prisão de ventre
• perda do apetite
• temperatura elevada
• níveis baixos de açúcar no sangue
• anomalias no ecocardiograma
• sensação de cansaço, sonolência ou fraqueza
• infecção torácica e bronquite
• tremor nas mãos, nos braços ou nas pernas
• convulsões prolongadas (estado epilético)

Frequentes: podem afectar 1 em cada 10 pessoas
• irritabilidade
• infecção auricular
• comportamento anómalo
Advertências
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:Como medida de precaução, é preferível evitar a utilização de Fenfluramina durante a gravidez.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:Tem de ser tomada uma decisão sobre a descontinuação da amamentação ou a descontinuação/abstenção da terapêutica com Fenfluramina tendo em conta o benefício da amamentação para a criança e o benefício da terapêutica para a mulher.
Condução
Condução
Condução:Não use mais do que a dose recomendada de fenfluramina, e evitar actividades que exigem vigilância mental, tais como conduzir ou operar máquinas perigosas até saber como o medicamento o afecta.
Precauções Gerais
Fale com o médico, farmacêutico ou enfermeiro antes de tomar Fenfluramina se:
- tem, ou a sua criança tem, glaucoma
- tiver tido, ou a sua criança tiver tido, pensamentos sobre agredir-se a si próprio ou suicidar-se
- se estiver a tomar, ou a sua criança estiver a tomar, um medicamento denominado ciproheptadina, que é utilizado para tratar alergias ou para melhorar o apetite.

Se alguma das situações acima descritas se aplicar a si ou à sua criança (ou se não tiver a certeza), fale com o médico, farmacêutico ou enfermeiro antes de tomar Fenfluramina.

Antes de começar a tomar Fenfluramina, ou de a sua criança começar a tomar, o médico deve fazer-lhe um exame ao coração chamado ecocardiograma.
O médico irá verificará se as válvulas do coração funcionam correctamente e se a pressão na artéria entre o coração e os pulmões não é demasiado alta.
Depois de ter começado a tomar Fenfluramina, ou de a sua criança ter começado a tomar, fará um ecocardiograma a cada 6 meses durante os primeiros 2 anos e, em seguida, uma vez por ano.
Se o tratamento com Fenfluramina for interrompido, terá de fazer, ou a sua criança terá de fazer, um ecocardiograma 6 meses após a última dose.

O médico também deve verificar o seu peso antes e durante o tratamento, uma vez que Fenfluramina pode causar perda de peso.

Informe o médico ou farmacêutico antes de tomar Fenfluramina se estiver a tomar, ou a sua criança estiver a tomar, medicamentos que possam aumentar os níveis de serotonina no seu cérebro.
Isto porque tomar estes medicamentos e Fenfluramina pode causar síndrome serotoninérgica, uma situação que põe a vida em perigo.

Os medicamentos que podem aumentar os níveis de serotonina incluem:
- «triptanos» (como o sumatriptano)
– utilizados para a enxaqueca
- medicamentos IMAO – utilizados para a depressão
- medicamentos ISRS ou ISRSN – utilizados para a depressão e ansiedade.

Tenha atenção aos sinais da síndrome serotoninérgica, que incluem:
- estado de agitação, ver coisas que não existem (alucinações) ou desmaiar
- problemas cardíacos e da circulação sanguínea, tais como batimento cardíaco rápido, tensão arterial a subir e a descer, temperatura corporal elevada, suores
- contrações musculares e descoordenação
- sensação de enjoo ou diarreia.

Informe o médico ou farmacêutico se estiver a tomar, ou a sua criança estiver a tomar, tiver tomado recentemente, ou possa vir a tomar, outros medicamentos.
Isto deve-se ao facto de Fenfluramina poder afectar a forma como outros medicamentos funcionam.
Além disso, outros medicamentos podem afectar a forma como Fenfluramina funciona.

Fenfluramina pode causar sonolência, a si ou à sua criança.
Pode causar ainda mais sonolência se estiver a tomar, ou a sua criança estiver a tomar, outros medicamentos, como antidepressivos, ou se ingerir álcool ao mesmo tempo que Fenfluramina.

Informe o médico ou farmacêutico em especial se estiver a tomar, ou a sua criança estiver a tomar, tiver tomado recentemente, ou possa vir a tomar:
- estiripentol, um medicamento para a epilepsia, uma vez que a dose de Fenfluramina pode ter de ser reduzida
- «triptanos», IMAO, ISRS ou ISRSN
- carbamazepina, primidona, rifampicina, fenobarbital e outros barbitúricos, fenitoína e efavirenz, uma vez que a dose de Fenfluramina pode ter de ser aumentada.

Fale também com o médico ou farmacêutico se fumar, ou o(a) seu(sua) filho(a) fumar, uma vez que a dose de Fenfluramina pode ter de ser aumentada.
Cuidados com a Dieta
Sem informação.
Terapêutica Interrompida
Tome o medicamento assim que se lembrar. No entanto, se for quase hora de tomar a dose seguinte, não tome a dose em falta.
Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Mantenha todos os medicamentos fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu médico, enfermeiro ou farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espectro de susceptibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Não recomendado/Evitar

Glisentida (glipentida) Fenfluramina

Observações: n.d.
Interacções: Fenfluramina parece aumentar a absorção de glucose pelo músculo esquelético, o que pode apresentar uma acção hipoglicémica intrínseca. Existe um riscode potenciar tanto os efeitos terapêuticos de sulfonilureias, com o consequente risco de hipoglicemia, por isso, é aconselhável para evitar a associação. - Fenfluramina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Tolazamida Fenfluramina

Observações: n.d.
Interacções: Inibidores da enzima conversora da angiotensina (por exemplo, enalapril), anticoagulantes (por exemplo, varfarina), antifúngicos azóis (por exemplo, miconazol, cetoconazol), cloranfenicol, clofibrato, fenfluramina, insulina, inibidores da monoamina oxidase (por exemplo, fenelzina) (Por exemplo, ibuprofeno), fenilbutazona, probenecida, antibióticos quinolona (por exemplo, ciprofloxacina), salicilatos (por exemplo, aspirina) ou sulfonamidas (por exemplo, sulfametoxazol) porque o risco de baixo nível de açúcar no sangue pode ser aumentado. - Fenfluramina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Glibenclamida Fenfluramina

Observações: n.d.
Interacções: Reacções hipoglicémicas devidas à potenciação da acção da Glibenclamida podem ocorrer com a administração simultânea das seguintes substâncias: Anabolizantes, bezafibrato, biguanidas, bloqueadores beta, clofibrato, cloranfenicol, derivados cumarínicos, fenfluramina, fenilbutazona, feniramidol, fluoxetina, fosfamídios, guanetidina, inibidores da ECA, inibidores da MAO, miconazol, PAS, pentoxifilina (em doses elevadas por via parentérica), probenecida, reserpina, salicilatos, sulfimpirazona, sulfonamidas, tetraciclinas, tritoqualina. - Fenfluramina
Usar com precaução

Cloreto de cálcio + Cloreto de potássio + Cloreto de sódio + Lactato de sódio Fenfluramina

Observações: População pediátrica: Não existem características especiais.
Interacções: A administração desta associação de acordo com as indicações e contraindicações recomendadas não eleva as concentrações plasmáticas dos eletrólitos que a solução contém. Em caso de aumento da concentração de qualquer eletrólito devido a outras causas as seguintes interacções devem ser consideradas. Relacionadas com LACTATO: A administração de bicarbonato ou de um precursor do bicarbonato tal como o lactato conduz à alcalinização da urina com depuração renal aumentada de medicamentos acídicos (p.ex. ácido salicílico). A semivida de medicamentos básicos – em especial de simpaticomiméticos (p.ex. efedrina, pseudoefedrina) e de estimulantes (p.ex. sulfato de dexanfetamina, cloridrato de fenfluramina) será prolongada se forem administradas em simultâneo soluções contendo lactato. - Fenfluramina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Glimepirida Fenfluramina

Observações: n.d.
Interacções: Pode ocorrer uma potenciação do efeito hipoglicemiante e portanto, em alguns casos, hipoglicemia quando um dos seguintes medicamentos é administrado em simultâneo com glimepirida, por exemplo: - fenilbutazona, azapropazona e oxifenobutazona; - insulina e produtos antidiabéticos orais, tal como a metformina; - ácido p-amino-salicílico; - esteróides anabolizantes e hormonas sexuais masculinas; - cloranfenicol, algumas sulfonamidas de acção longa, tetraciclinas, antibióticos da classe das quinolonas e claritromicina; - anticoagulantes cumarínicos; - fenfluramina; - disopiramida; - fibratos; - inibidores da ECA; - fluoxetina, inibidores da MAO; - alopurinol, probenecida, sulfinpirazona; - simpaticolíticos; - ciclofosfamida, trofosfamida e ifosfamidas; - miconazol, fluconazol; - pentoxifilina (doses elevadas por via parentérica); - tritoqualina. - Fenfluramina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Glimepirida + Pioglitazona Fenfluramina

Observações: Não existem estudos formais de interacção para o Glimepirida / Pioglitazona, contudo, a utilização concomitante das substâncias ativas em doentes em utilização clínica não teve como resultado interações inesperadas. As informações disponíveis são sobre as substâncias ativas individualmente (pioglitazona e glimepirida).
Interacções: GLIMEPIRIDA: Potenciação do efeito hipoglicemiante e como tal, em alguns casos, poderá ocorrer hipoglicemia quando uma das seguintes substâncias activas é tomada, por exemplo: Fenilbutazona, azapropazona e oxifenbutazona; Insulina e outros produtos orais antidiabéticos; Metformina; Salicilatos e ácido p-amino salicílico; Esteróides anabolizantes e hormonas sexuais masculinas; Cloranfenicol; Claritromicina; Anticoagulantes cumarínicos; Disopiramida; Fenfluramina; Fibratos; Inibidores da ECA; Fluoxetina; Alopurinol; Simpatolíticos; Ciclo-, tro e ifosfamidas; Sulfinpirazona; Determinadas sulfonamidas de acção prolongada; tetraciclinas; Inibidores da MAO; Antibióticos que contêm quinolonas; Probenecida; Miconazol; Pentoxifilina (dose elevada, via parentérica); Tritoqualina; Fluconazol. - Fenfluramina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Glimepirida + Rosiglitazona Fenfluramina

Observações: Não existem estudos formais de interacção para este medicamento, no entanto o uso concomitante das substâncias activas em doentes em estudos clínicos e na sua vasta utilização clínica não originou interacções inesperadas. Anformação disponível é acerca das substâncias activas individualmente (rosiglitazona e glimepirida).
Interacções: GLIMEPIRIDA: Com base na experiência com glimepirida e outras sulfonilureias, deverão ser mencionadas as seguintes interacções. Potenciação do efeito de redução de glucose no sangue, pelo que em alguns casos poderá ocorrer hipoglicemia quando um dos seguintes fármacos é administrado, por exemplo: Fenilbutazona, azapropazona e oxifenbutazona, sulfinpirazona, insulina e medicamentos antidiabéticos, algumas sulfamidas de longa duração, metformina, tetraciclinas, salicilatos e ácido p-amino-salicílico, inibidores da MAO, esteróides anabolizantes e hormonas masculinas, antibióticos quinolonas, cloranfenicol, probenecide, anticoagulantes cumarínicos, miconazol, fenfluramina, pentoxifilina (dose parentérica elevada), fibratos, tritoqualina, inibidores da ECA, fluconazol, fluoxetina, alopurinol, simpaticolíticos, ciclo-, tro- e ifosfamidas. - Fenfluramina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fenfluramina Inibidores Selectivos da Recaptação da Serotonina (ISRS) (SSRIs)

Observações: n.d.
Interacções: As interacções farmacodinâmicas com outros depressores do sistema nervoso central aumentam o risco de agravamento da depressão do sistema nervoso central. Exemplos desses agentes depressores são outros agentes serotoninérgicos (incluindo ISRS, ISRSN, antidepressivos tricíclicos ou triptanos). As interacções farmacodinâmicas com Agentes que prejudicam o metabolismo da serotonina, tais como os IMAO; ou antipsicóticos que possam afectar os sistemas serotoninérgicos de neurotransmissores. - Inibidores Selectivos da Recaptação da Serotonina (ISRS) (SSRIs)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fenfluramina Inibidores seletivos da recaptação da serotonina-norepinefrina (ISRSNs)

Observações: n.d.
Interacções: As interacções farmacodinâmicas com outros depressores do sistema nervoso central aumentam o risco de agravamento da depressão do sistema nervoso central. Exemplos desses agentes depressores são outros agentes serotoninérgicos (incluindo ISRS, ISRSN, antidepressivos tricíclicos ou triptanos). As interacções farmacodinâmicas com Agentes que prejudicam o metabolismo da serotonina, tais como os IMAO; ou antipsicóticos que possam afectar os sistemas serotoninérgicos de neurotransmissores. - Inibidores seletivos da recaptação da serotonina-norepinefrina (ISRSNs)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fenfluramina Antidepressores (Tricíclicos)

Observações: n.d.
Interacções: As interacções farmacodinâmicas com outros depressores do sistema nervoso central aumentam o risco de agravamento da depressão do sistema nervoso central. Exemplos desses agentes depressores são outros agentes serotoninérgicos (incluindo ISRS, ISRSN, antidepressivos tricíclicos ou triptanos). As interacções farmacodinâmicas com Agentes que prejudicam o metabolismo da serotonina, tais como os IMAO; ou antipsicóticos que possam afectar os sistemas serotoninérgicos de neurotransmissores. - Antidepressores (Tricíclicos)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fenfluramina Inibidores da Monoaminoxidase (IMAO)

Observações: n.d.
Interacções: As interacções farmacodinâmicas com outros depressores do sistema nervoso central aumentam o risco de agravamento da depressão do sistema nervoso central. Exemplos desses agentes depressores são outros agentes serotoninérgicos (incluindo ISRS, ISRSN, antidepressivos tricíclicos ou triptanos). As interacções farmacodinâmicas com Agentes que prejudicam o metabolismo da serotonina, tais como os IMAO; ou antipsicóticos que possam afectar os sistemas serotoninérgicos de neurotransmissores. - Inibidores da Monoaminoxidase (IMAO)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fenfluramina Antipsicóticos

Observações: n.d.
Interacções: As interacções farmacodinâmicas com outros depressores do sistema nervoso central aumentam o risco de agravamento da depressão do sistema nervoso central. Exemplos desses agentes depressores são outros agentes serotoninérgicos (incluindo ISRS, ISRSN, antidepressivos tricíclicos ou triptanos). As interacções farmacodinâmicas com Agentes que prejudicam o metabolismo da serotonina, tais como os IMAO; ou antipsicóticos que possam afectar os sistemas serotoninérgicos de neurotransmissores. - Antipsicóticos
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Fenfluramina Estiripentol

Observações: n.d.
Interacções: Interacções farmacocinéticas Estudos clínicos Efeito do estiripentol com clobazam e/ou valproato em estado estacionário sobre a fenfluramina No estado estacionário, em estudos de fase 3, a co-administração de 0,2 mg/kg de fenfluramina duas vezes por dia (0,4 mg/kg/dia), num máximo de 17 mg/dia, com um regime terapêutico antiepilético padrão de estiripentol com clobazam e/ou valproato, resultou num aumento de 130% da AUC0-24 da fenfluramina e numa diminuição de 60% da AUC0-24 da norfenfluramina, em comparação com 0,35 mg/kg de fenfluramina duas vezes por dia (0,7 mg/kg/dia), num máximo de 26 mg/dia, sem estiripentol. Efeito da fenfluramina noutros medicamentos A co-administração de uma dose única de 0,7 mg/kg de fenfluramina com uma dose única de uma combinação de estiripentol, clobazam e ácido valproico não afectou a farmacocinética do estiripentol, nem a farmacocinética do clobazam nem do seu metabolito N-desmetil, o norclobazam, nem a farmacocinética do ácido valproico, em comparação com combinação de estiripentol, clobazam e ácido valproico administrada isoladamente. - Estiripentol
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Fenfluramina Clobazam

Observações: n.d.
Interacções: Interacções farmacocinéticas Estudos clínicos Efeito do estiripentol com clobazam e/ou valproato em estado estacionário sobre a fenfluramina No estado estacionário, em estudos de fase 3, a co-administração de 0,2 mg/kg de fenfluramina duas vezes por dia (0,4 mg/kg/dia), num máximo de 17 mg/dia, com um regime terapêutico antiepilético padrão de estiripentol com clobazam e/ou valproato, resultou num aumento de 130% da AUC0-24 da fenfluramina e numa diminuição de 60% da AUC0-24 da norfenfluramina, em comparação com 0,35 mg/kg de fenfluramina duas vezes por dia (0,7 mg/kg/dia), num máximo de 26 mg/dia, sem estiripentol. Efeito da fenfluramina noutros medicamentos A co-administração de uma dose única de 0,7 mg/kg de fenfluramina com uma dose única de uma combinação de estiripentol, clobazam e ácido valproico não afectou a farmacocinética do estiripentol, nem a farmacocinética do clobazam nem do seu metabolito N-desmetil, o norclobazam, nem a farmacocinética do ácido valproico, em comparação com combinação de estiripentol, clobazam e ácido valproico administrada isoladamente. - Clobazam
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Fenfluramina Ácido Valpróico (Valproato de sódio)

Observações: n.d.
Interacções: Interacções farmacocinéticas Estudos clínicos Efeito do estiripentol com clobazam e/ou valproato em estado estacionário sobre a fenfluramina No estado estacionário, em estudos de fase 3, a co-administração de 0,2 mg/kg de fenfluramina duas vezes por dia (0,4 mg/kg/dia), num máximo de 17 mg/dia, com um regime terapêutico antiepilético padrão de estiripentol com clobazam e/ou valproato, resultou num aumento de 130% da AUC0-24 da fenfluramina e numa diminuição de 60% da AUC0-24 da norfenfluramina, em comparação com 0,35 mg/kg de fenfluramina duas vezes por dia (0,7 mg/kg/dia), num máximo de 26 mg/dia, sem estiripentol. Efeito da fenfluramina noutros medicamentos A co-administração de uma dose única de 0,7 mg/kg de fenfluramina com uma dose única de uma combinação de estiripentol, clobazam e ácido valproico não afectou a farmacocinética do estiripentol, nem a farmacocinética do clobazam nem do seu metabolito N-desmetil, o norclobazam, nem a farmacocinética do ácido valproico, em comparação com combinação de estiripentol, clobazam e ácido valproico administrada isoladamente. - Ácido Valpróico (Valproato de sódio)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fenfluramina Canabidiol

Observações: n.d.
Interacções: Interacções farmacocinéticas Estudos clínicos Efeito do canabidiol em estado estacionário sobre a fenfluramina A co-administração de uma dose única de 0,35 mg/kg de fenfluramina com doses repetidas de canabidiol aumentou a AUC0-INF da fenfluramina em 59% e a Cmax em 10%, e diminuiu a AUC0-INF da norfenfluramina em 22% e a Cmax em 33%, em comparação com a fenfluramina administrada isoladamente. A co-administração de uma dose única de 0,35 mg/kg de fenfluramina com doses repetidas de canabidiol não afectou a farmacocinética do canabidiol, em comparação com o canabidiol isoladamente. Não é necessário ajuste da dose quando a fenfluramina é co-administrada com canabidiol. - Canabidiol
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fenfluramina Indutores do CYP1A2

Observações: n.d.
Interacções: Estudos in vitro A co-administração com indutores fortes do CYP1A2 ou indutores do CYP2B6 pode diminuir as concentrações plasmáticas da fenfluramina. - Indutores do CYP1A2
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fenfluramina Indutores do CYP2B6

Observações: n.d.
Interacções: Estudos in vitro A co-administração com indutores fortes do CYP1A2 ou indutores do CYP2B6 pode diminuir as concentrações plasmáticas da fenfluramina. - Indutores do CYP2B6
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Fenfluramina Substratos do CYP2B6

Observações: n.d.
Interacções: Efeito da fenfluramina em substratos do CYP2D6 Estudos in vitro indicam que a fenfluramina pode inibir o CYP2D6. Está descrito que as concentrações de desipramina em estado estacionário aumentam cerca de 2 vezes com a administração concomitante de fenfluramina. A co-administração de fenfluramina com substratos do CYP2D6 pode aumentar as concentrações plasmáticas destes. Efeito da fenfluramina nos substratos do CYP2B6 e do CYP3A4 Estudos in vitro indicam que a fenfluramina pode induzir o CYP2B6 e pode induzir o CYP3A4 intestinal. A co-administração de fenfluramina com substratos do CYP2B6 ou substratos do CYP3A4 pode diminuir as concentrações plasmáticas destes. - Substratos do CYP2B6
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fenfluramina Substratos do CYP3A4

Observações: n.d.
Interacções: Efeito da fenfluramina nos substratos do CYP2B6 e do CYP3A4 Estudos in vitro indicam que a fenfluramina pode induzir o CYP2B6 e pode induzir o CYP3A4 intestinal. A co-administração de fenfluramina com substratos do CYP2B6 ou substratos do CYP3A4 pode diminuir as concentrações plasmáticas destes. - Substratos do CYP3A4
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fenfluramina Substratos do MATE

Observações: n.d.
Interacções: Efeito da fenfluramina nos substratos do MATE1 Estudos in vitro indicam que a norfenfluramina (metabolito principal e farmacologicamente activo) pode inibir o MATE1 em concentrações clinicamente relevantes. A co-administração de fenfluramina com substratos de MATE1 pode aumentar as concentrações plasmáticas destes. - Substratos do MATE
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções da Fenfluramina
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Os estudos em animais não indicam efeitos nefastos directos ou indirectos no que respeita à toxicidade reprodutiva na ausência de toxicidade paterna ou materna.

Como medida de precaução, é preferível evitar a utilização de Fenfluramina durante a gravidez.

Desconhece-se se a fenfluramina ou os seus metabolitos são excretados no leite humano.
Os dados farmacocinéticos disponíveis em animais mostraram excreção de fenfluramina/metabolitos no leite.
Não pode ser excluído qualquer risco para os lactentes.

Tem de ser tomada uma decisão sobre a descontinuação da amamentação ou a descontinuação/abstenção da terapêutica com Fenfluramina tendo em conta o benefício da amamentação para a criança e o benefício da terapêutica para a mulher.

Fintepla tem efeitos moderados sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas porque pode causar sonolência e fadiga. Os doentes devem ser aconselhados a não conduzir ou utilizar máquinas até terem adquirido experiência suficiente para poderem avaliar se o medicamento afeta negativamente as suas capacidades.

Não use mais do que a dose recomendada de fenfluramina, e evitar actividades que exigem vigilância mental, tais como conduzir ou operar máquinas perigosas até saber como o medicamento o afecta.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Novembro de 2021