ais

Exemestano

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Insuficiência Renal DCI com Advertência no Dopping
O que é
Inibidores da aromatase.

O Exemestano é um inibidor da aromatase esteroide oral utilizado no tratamento adjuvante do hormonalmente sensível (também designado de hormona-recetor-positiva, sensível a estrogénios) cancro da mama em mulheres pós-menopáusicas.

Atua como um flaso substrato para a enzima aromatase, e é processado num intermediário que liga irreversivelmente ao local ativo da enzima provocando a sua inativação.

Dopping: Substância probida - Portaria n.º 411/2015, de 26 de novembro - Aprova a Lista de Substâncias e Métodos Proibidos para 2016 e revoga a Portaria n.º 270/2014, de 22 de dezembro.
Usos comuns
O Exemestano é utilizado para tratamento precoce e avançado do cancro da mama em mulheres na pós-menopausa. É normalmente usado em mulheres que já fizeram um tratamento de tamoxifeno para o cancro.

Muitos tumores de cancro da mama crescem em resposta ao estrogénio. O Exemestano interfere com a produção de estrogénio no organismo. Como resultado , a quantidade de estrogénio a que o tumor é exposto a é reduzido , o que vai limitar o seu crescimento.

Antes de iniciar o tratamento com Exemestano, o Médico deve avaliar os benefícios e riscos do Exemestano.

O Exemestano está disponível apenas sob prescrição médica. Uma vez que um medicamento é aprovado para comercialização para um determinado uso, a experiência pode mostrar que ele também é útil para outros problemas médicos.

Embora estas utilizações não estejam incluídos na bula do produto, o Exemestano é utilizado em certos doentes com as seguintes situações médicas:
– Prevenção do cancro de mama invasivo em mulheres pós-menopáusicas com risco aumentado.
Tipo
pequena molécula
História
Sem informação.
Indicações
O Exemestano é indicado para o tratamento adjuvante de mulheres pós-menopáusicas com carcinoma da mama invasivo precoce com recetores de estrogénio positivos, após 2 a 3 anos de terapêutica inicial adjuvante com tamoxifeno.

O Exemestano está indicado para o tratamento do carcinoma da mama avançado em mulheres com estado pós-menopáusico natural ou induzido, cuja doença progrediu após terapêutica antiestrogénica.

A eficácia não foi demonstrada em doentes com carcinoma da mama com recetores de estrogénios negativos.
Classificação CFT

16.2.2.3 : Inibidores da aromatase

Mecanismo De Ação
O crescimento de células de cancro de mama pode ser dependente de estrogénio. Aromatase (Exemestano) é a principal enzima que converte androgénios a estrogénios,quer em pré como em pós-menopausa.

Embora a principal fonte de estrogénio (principalmente estradiol) é o ovário de mulheres na pré-menopausa, a principal fonte de estrogénios circulantes em mulheres na pós-menopausa é de conversão de androgénios adrenais e ovarianos (androstenediona e testosterona) para estrogénios (estrona e estradiol) pela enzima aromatase em tecidos periféricos.

A privação de estrogénio por meio da inibição da aromatase é um tratamento eficaz e seletivo para algumas pacientes na pós-menopausa com cancro de mama hormona-dependente.

O Exemestano é um irreversível, esteróide inativador de aromatase, estruturalmente relacionado com o substrato natural androstenediona.

Atua como um substrato falso para a enzima aromatase, e é processado num intermediário que liga irreversivelmente ao local ativo da enzima causando a sua inativação, um efeito também conhecido como "inibição suicida".

O Exemestano reduz significativamente as concentrações circulantes de estrogénio em mulheres na pós-menopausa, mas não tem nenhum efeito detetável na biossíntese de corticosteroides ou adrenal de aldosterona.

Esta redução nas concentrações de soro e de tumor de estrogénio atrasa o crescimento do tumor e a progressão da doença.

O Exemestano não tem nenhum efeito sobre outras enzimas envolvidas na via esteroidogénica para uma concentração, pelo menos, 600 vezes mais elevada do que a inibição da enzima aromatase.
Posologia Orientativa
Doentes adultas e idosas
A dose recomendada de Exemestano é de um comprimido de 25 mg,tomado uma vez por dia após uma refeição.
Administração
Tomar os comprimidos após as refeições.
Contraindicações
O Exemestano é contraindicado em doentes com hipersensibilidade conhecida à substância ativa, em mulheres pré-menopáusicas e em mulheres grávidas ou que estão a amamentar.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Os seguintes efeitos secundários foram notificados por pessoas que tomavam Exemestano:

Efeitos secundários muito frequentes (afectam mais de 1 utilizador em cada 10)
– Dificuldade em dormir
– Dores de cabeça
– Afrontamentos
– Vontade de vomitar
– Transpiração aumentada
– Dores musculares e articulares (incluindo osteoartrite, dor nas costas, artrite e rigidez das articulações)
– Cansaço.

Efeitos secundários frequentes (afectam 1 a 10 utilizadores em cada 100)
– Perda de apetite
– Depressão
– Tonturas, síndrome do túnel cárpico (uma associação de formigueiros, dormência e dor que afeta toda a mão exceto o dedo mínimo)
– Dor de estômago, vómitos, prisão de ventre, indigestão, diarreia
– Erupção cutânea, queda de cabelo e dos pêlos
– Diminuição da espessura dos ossos que pode diminuir a sua resistência (osteoporose), causando em alguns casos fracturas ósseas (fracturas totais ou parciais)
– Dor, inchaço das mãos e dos pés

Efeitos secundários pouco frequentes (afectam 1 a 10 utilizadores em cada 1.000)
– Sonolência
– Fraqueza muscular
– Pode ocorrer inflamação do fígado (hepatite).
– Os sintomas incluem uma sensação geral de mal-estar, náuseas, icterícia (amarelecimento da pele e dos olhos), comichão, dor no lado direito do abdómen e – perda de apetite.
Contacte imediatamente o seu médico se pensa que tem qualquer um destes sintomas.

Se tiver feito análises ao sangue, pode ser detetado que tem alterações das provas da função hepática.

Podem ocorrer alterações do número de certas células sanguíneas (linfócitos) e de plaquetas que circulam no sangue, especialmente em doentes com linfopenia anterior (diminuição dos linfócitos no sangue).
Advertências
Gravidez
Gravidez:Ver Inibidores da aromatase. Evidência fetal em animais, mas a necessidade pode justificar o risco. Trimestre: 1º, 2º e 3º
Aleitamento
Aleitamento:Contra-indicado.
Insuf. Renal
Insuf. Renal:Usar com precaução.
Dopping
Dopping:Inibidores da aromatase. Substância probida - Portaria n.º 411/2015, de 26 de novembro - Aprova a Lista de Substâncias e Métodos Proibidos para 2016 e revoga a Portaria n.º 270/2014, de 22 de dezembro.
Precauções Gerais
O Exemestano não deve ser administrado a mulheres com um estado endócrino pré-menopáusico.

Por conseguinte, e sempre que clinicamente apropriado, o estado pós-menopáusico deve ser verificado por avaliação dos níveis da LH (hormona luteinizante), da FSH (hormona folículo-estimulante) e do estradiol.

O Exemestano deve ser utilizado com precaução em doentes com compromisso hepático ou renal.

O Exemestano contém uma substância proibida que pode originar um resultado positivo em testes de controlo de dopagem.

O Exemestano é um potente agente na diminuição dos níveis de estrogénios, tendo-se observado uma diminuição da densidade mineral óssea e um aumento da taxa de fracturas após a sua administração.

Durante o tratamento adjuvante com o Exemestano, as mulheres com osteoporose ou em risco de osteoporose devem ser submetidas a uma avaliação formal da sua densidade mineral óssea por densitometria óssea utilizando a DEXA (Absorsiometria Radiológica de Dupla Energia) no início do tratamento.

Embora não existam dados suficientes para demonstrar os efeitos da terapêutica no tratamento da perda de densidade mineral óssea causada pelo Exemestano, o tratamento da osteoporose deve ser iniciado em doentes em risco.

As doentes tratadas com Exemestano devem ser cuidadosamente monitorizadas.
Cuidados com a Dieta
O Exemestano deve ser tomado após uma refeição aproximadamente à mesma hora todos os dias.
Terapêutica Interrompida
Não tome uma dose a dobrar para compensar um comprimido que se esqueceu de tomar.
No caso de se ter esquecido de tomar o seu comprimido, tome-o assim que se lembrar.
Se for quase a altura de tomar a dose seguinte, tome-a à hora habitual.
Cuidados no Armazenamento
Manter fora do alcance e da vista das crianças.
O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Abemaciclib + Exemestano

Observações: n.d.
Interações: Efeitos do abemaciclib na farmacocinética de outros medicamentos Num estudo clínico realizado com doentes com cancro da mama, não houve qualquer interação medicamentosa farmacocinética clinicamente relevante entre abemaciclib e anastrozol, fulvestrant, exemestano, letrozol ou tamoxifeno.
 Sem significado Clínico

Everolímus + Exemestano

Observações: O everolímus é um substrato da CYP3A4, e também é um substrato e inibidor modera do da gp-P. Por esta razão, a absorção e eliminação subsequente do everolímus pode ser influenciada por produtos que afetem a CYP3A4 e/ou a gp - P. In vitro, o everolímus é um inibidor competitivo da CYP3A4 e um inibidor misto da CYP2D6.
Interações: Indutores potentes e moderados da CYP3A4: A co-administração de everolímus e exemestano aumentou a Cmin e C 2h de exemestano em 45% e 64%, respetivamente. No entanto, os níveis correspondentes de estradiol no estado estacionário (4 semanas) não foram diferentes entre os dois braços de tratamento. Não foi observado um aumento de acontecimentos adversos relacionados com o exemestano nos doentes com cancro da mama avançado positivo a os recetores hormonais que receberam a associação. Não é provável que o aumento dos níveis de exemestano tenha impacto na eficácia ou na segurança.

Exemestano + Cetoconazol

Observações: Os dados obtidos in vitro demonstraram que o fármaco é metabolizado através do citocromo P450 (CYP) 3A4 e das aldo-ceto redutases e que não inibe qualquer uma das principais isoenzimas do CYP.
Interações: Num estudo clínico farmacocinético, a inibição específica da CYP 3A4 pelo cetoconazol não apresentou efeitos significativos sobre a farmacocinética do exemestano.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Exemestano + Rifampicina

Observações: Os dados obtidos in vitro demonstraram que o fármaco é metabolizado através do citocromo P450 (CYP) 3A4 e das aldo-ceto redutases e que não inibe qualquer uma das principais isoenzimas do CYP.
Interações: Num estudo de interacção com rifampicina, um potente indutor da CYP450, com uma dose de 600 mg por dia e uma dose única de exemestano de 25 mg, a AUC do exemestano foi reduzida em 54% e a Cmax em 41%. Dado que a relevância clínica desta interacção não foi avaliada, a co-administração de fármacos, tais como rifampicina, conhecida por induzir a CYP 3A4 pode reduzir a eficácia do exemestano.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Exemestano + Hipericão (Erva de S. João)

Observações: Os dados obtidos in vitro demonstraram que o fármaco é metabolizado através do citocromo P450 (CYP) 3A4 e das aldo-ceto redutases e que não inibe qualquer uma das principais isoenzimas do CYP.
Interações: A co-administração de preparações à base de plantas que contenham hypericum perforatum (Erva de S. João), conhecidos por induzir a CYP 3A4 pode reduzir a eficácia do exemestano.

Exemestano + Estrogénios

Observações: Os dados obtidos in vitro demonstraram que o fármaco é metabolizado através do citocromo P450 (CYP) 3A4 e das aldo-ceto redutases e que não inibe qualquer uma das principais isoenzimas do CYP.
Interações: O exemestano não deve ser co-administrado com medicamentos que contenham estrogénio dado que estes iriam contrariar a sua acção farmacológica.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Exemestano + Anticonvulsivantes

Observações: Os dados obtidos in vitro demonstraram que o fármaco é metabolizado através do citocromo P450 (CYP) 3A4 e das aldo-ceto redutases e que não inibe qualquer uma das principais isoenzimas do CYP.
Interações: A co-administração de fármacos como anticonvulsivantes (por exemplo, fenitoína e carbamazepina) conhecidos por induzir a CYP3A4 pode reduzir a eficácia do exemestano.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Exemestano + Carbamazepina

Observações: Os dados obtidos in vitro demonstraram que o fármaco é metabolizado através do citocromo P450 (CYP) 3A4 e das aldo-ceto redutases e que não inibe qualquer uma das principais isoenzimas do CYP.
Interações: A co-administração de fármacos como a carbamazepina conhecida por induzir a CYP3A4 pode reduzir a eficácia do exemestano.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Exemestano + Fenitoína

Observações: Os dados obtidos in vitro demonstraram que o fármaco é metabolizado através do citocromo P450 (CYP) 3A4 e das aldo-ceto redutases e que não inibe qualquer uma das principais isoenzimas do CYP.
Interações: A co-administração de fármacos como a fenitoína conhecida por induzir a CYP3A4 pode reduzir a eficácia do exemestano.

Exemestano + Antiulcerosos

Observações: Os dados obtidos in vitro demonstraram que o fármaco é metabolizado através do citocromo P450 (CYP) 3A4 e das aldo-ceto redutases e que não inibe qualquer uma das principais isoenzimas do CYP.
Interações: Não existe prática clínica na utilização concomitante de exemestano com outros fármacos anticancerígenos.

Exemestano + Indutores CYP450

Observações: Os dados obtidos in vitro demonstraram que o fármaco é metabolizado através do citocromo P450 (CYP) 3A4 e das aldo-ceto redutases e que não inibe qualquer uma das principais isoenzimas do CYP.
Interações: O exemestano deve ser utilizado com precaução com fármacos que são metabolizados através da CYP3A4 e que possuam uma estreita margem terapêutica.

Exemestano + Estrogénios

Observações: Os dados obtidos in vitro demonstraram que o fármaco é metabolizado através do citocromo P450 (CYP) 3A4 e das aldo-ceto redutases e que não inibe qualquer uma das principais isoenzimas do CYP.
Interações: O exemestano não deve ser co-administrado com medicamentos que contenham estrogénio dado que estes iriam contrariar a sua acção farmacológica.
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

O Exemestano é contraindicado em mulheres grávidas. O Exemestano não deve ser administrado a mulheres que estão a amamentar.

O Médico deve discutir a necessidade de contracepção adequada com mulheres que têm o potencial de engravidar, incluindo mulheres que estão numa fase peri-menopáusica ou que entraram recentemente na pós-menopausa, até o seu estado pós-menopáusico ter sido completamente determinado.

Foram notificados casos de letargia, sonolência, astenia e tonturas com a utilização do medicamento.

As doentes devem ser advertidas de que, se estes acontecimentos ocorrerem, as suas capacidades físicas e/ou mentais necessárias para a utilização de máquinas ou condução de veículos podem estar alteradas.

Dopping: Inibidores da aromatase. Substância probida - Portaria n.º 411/2015, de 26 de novembro - Aprova a Lista de Substâncias e Métodos Proibidos para 2016 e revoga a Portaria n.º 270/2014, de 22 de dezembro.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 31 de Outubro de 2019