Etionamida

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento
O que é
A Etionamida é um agente antituberculose de segunda linha, que inibe a síntese dos ácidos micólicos.
Também pode ser usado para o tratamento da lepra.
Usos comuns
A Etionamida é utilizada com outros medicamentos para o tratamento da tuberculose (TB).

Para ajudar a curar a tuberculose (TB) por completo, o Paciente deve continuar a tomar Etionamida durante todo o tempo de tratamento indicado, ainda que começe a sentir-se melhor. Isto é muito importante. Também é importante que não se perca nenhuma dose.
Tipo
Molécula pequena.
História
A etionamida foi descoberta em 1956 e aprovada para uso médico nos Estados Unidos em 1965.
Está na Lista de Medicamentos Essenciais da Organização Mundial de Saúde.
Indicações
Para uso no tratamento de tuberculose pulmonar e extrapulmonar quando outros fármacos antituberculostáticos falharam.
Classificação CFT

01.01.12 : Antituberculosos

Mecanismo De Acção
A Etionamida pode ser um bacteriostático ou bactericidas na acção, dependendo da concentração do fármaco alcançada no local da infecção e da susceptibilidade do organismo infecioso.

A Etionamida, pirazinamida e similares da protionamida, é um derivado de ácido nicotínico relacionada com a isoniazida.

Pensa-se que a Etionamida sofre modificação intracelular e actua de forma semelhante à isoniazida.
A isoniazida inibe a síntese do ácido micólico, um componente essencial da parede celular bacteriana.
Especificamente a isoniazida inibe a InhA, enoil-redutase de Mycobacterium tuberculosis mediante a formação de um aduto covalente com o cofactor NAD. É o aduto INH-NAD que actua como inibidor competitivo lento, de ligação forte da InhA.
Posologia Orientativa
Dose adulta usual para a Tuberculose
– activo: 500 mg a 1 g por via oral (15 a 20 mg / kg) em uma ou mais doses divididas por dia;
Dose máxima: 1 g por via oral por dia;
Duração: O tratamento deve continuar até que a conversão bacteriológica permanente e melhora clínica máxima ocorreram, geralmente, de 18 a 24 meses.

Dose Pediátrica Usual para Tuberculose
– activo: 10 a 20 mg / kg por via oral, em 2 ou 3 doses divididas por dia ou 15 mg / kg por via oral uma vez por dia após as refeições.
Dose máxima: 1 g por via oral por dia
Duração: O tratamento deve continuar até que a conversão bacteriológica permanente e melhora clínica máxima ocorreram, geralmente, de 18 a 24 meses.
Administração
Via oral.
A dose deve ser ingerida com alimentos e pode ser necessário administrá-la em 2 vezes, para minimizar a irritação gástrica.
Contra-Indicações
Não use a Etionamida se:
– é alérgico à Etionamida
– tiver doença grave do fígado.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Se sentir algum dos seguintes efeitos secundários graves, pare de tomar a Etionamida e procure atendimento médico de emergência:
– uma reacção alérgica (dificuldade em respirar, bloqueio da garganta, inchaço dos lábios, língua, face ou urticária);
– pele ou olhos amarelados;
– urina escura;
– dormência ou comichão nas mãos ou pés;
– convulsões;
– visão emaciada ou dupla, ou
– confusão ou comportamento anormal.

Outros efeitos colaterais menos graves podem ser mais prováveis de ocorrer.
Continue a tomar Etionamida e fale com o médico se sentir:
– náuseas, vómitos ou perda de apetite;
– um gosto metálico na boca;
– salivação excessiva;
– diarreia;
– fadiga ou fraqueza incomum;
– dor de cabeça;
– leve tontura;
– tremores (agitação), ou
– uma erupção cutânea.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:O uso deve ser evitado durante a gravidez.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:Na amamentação o benefício deve superar o risco.
Precauções Gerais
Se os sintomas não melhorarem dentro de 2 a 3 semanas, ou piorarem, consulte o médico. É muito importante que o médico verifiquw o seu progresso em visitas regulares.

Além disso, verifique com o Médico imediatamente se a visão ficar enublada ou ocorrer perda de visão, com ou sem dor ocular, durante o tratamento.

O médico pode querer que seja visto por um especialista em oftalmologia.

Desde etionamida pode causar visão turva ou perda de visão, certifique-se que você saiba como você reage a etionamida antes de conduzir, utilizar máquinas, ou fazer qualquer outra coisa que possa ser perigoso se você não for capaz de ver bem.

Se a Etionamida provocar torpor; instabilidade, ou dormência, comichão, ardor ou dor nas mãos e pés, fale com seu Médico imediatamente.

Estes podem ser sintomas de alerta precoce de problemas nervosos mais graves que poderiam desenvolver-se mais tarde.
Cuidados com a Dieta
A Etionamida pode ser tomada com ou sem alimentos. Tomando a Etionamida com alimentos pode diminuir dor de estômago.
Terapêutica Interrompida
Tome a dose assim que se lembrar. No entanto, se estiver quase hora da sua próxima dose regularmente agendada, salte a dose e tome a próxima como indicado. Não tome uma dose dupla desse medicamento.
Cuidados no Armazenamento
Guarde o medicamento num recipiente fechado à temperatura ambiente, longe do calor, humidade e luz directa.
Evite o congelamento.
Guarde os comprimidos em temperatura ambiente controlada (15° a 30 ° C).

Mantenha todos os medicamentos fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu médico, enfermeiro ou farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espectro de susceptibilidade e Tolerância Bacteriológica
A Etionamida é activa contra o Mycobacterium tuberculosis, tem pouca acção sobre as micobactérias atípicas.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido para-aminosalicílico Etionamida

Observações: n.d.
Interacções: A co-administração de ácido para-aminosalicílico e etionamida pode intensificar os efeitos adversos do ácido para-aminosalicílico, maioritariamente os gastrointestinais incluindo icterícia, hepatite, náuseas, vómitos, diarreia, dor abdominal ou anorexia. Estes doentes devem ser monitorizados quanto a estes efeitos e esta associação medicamentosa só deve ser efectuada em doentes com valores basais de provas hepáticas normais, com controlo regular dos mesmos. A etionamida deve ser retirada se estes efeitos surgirem de forma significativa. - Etionamida
Usar com precaução

Cobamamida + Cocarboxilase + Piridoxina + Riboflavina Etionamida

Observações: n.d.
Interacções: Outros medicamentos que interferem com a piridoxina: Isoniazida, cicloserina, etionamida, penicilamina e Imunossupressores. - Etionamida
Usar com precaução

Zalcitabina Etionamida

Observações: n.d.
Interacções: Fármacos com potencial para causar neuropatia periférica: Zalcitabina deve ser utilizado com cuidado nos doentes a receber outros medicamentos com potencial para causar neuropatia periférica. Os fármacos que têm sido associados à ocorrência de neuropatia periférica incluem os análogos dos nucleósidos anti-retrovíricos, cloranfenicol, cisplatina, dapsona, dissulfiram, etionamida, glutetimida, ouro, hidralazina, iodoquinol, isoniazida, metronidazol, nitrofurantoína, fenitoína, ribavirina e vincristina. Fármacos como a anfotericina, o foscarnet e os aminoglicosidos podem aumentar o risco de desenvolvimento de neuropatia periférica ou outros efeitos adversos associados ao Zalcitabina, por interferência com a clearance renal da zalcitabina (o que aumenta a exposição sistémica). Os doentes para quem é necessário utilizar um destes fármacos com Zalcitabina, devem ser sujeitos a monitorização clínica e laboratorial frequente, com ajuste da dose se se detectar alguma alteração significativa na função renal. - Etionamida
Usar com precaução

Multivitaminas + Ácido fólico Etionamida

Observações: n.d.
Interacções: As interacções incluem: Etionamida: Pode causar deficiência de piridoxina. - Etionamida
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções da Etionamida
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Os estudos em animais revelaram evidências de teratogenicidade com doses elevadas. Não há dados controlados na gravidez humana.

O uso deve ser evitado.
Este medicamento tem potencial teratogénico em modelos animais que receberam doses superiores às recomendadas em humanos.
O tratamento deve ser suspenso em pacientes com probabilidade de engravidar durante a terapia, a menos que este medicamento o considere uma parte essencial do tratamento.
Os efeitos no trabalho de parto e no parto são desconhecidos.

Na amamentação o benefício deve superar o risco.
Bebés amamentados devem ser monitorados quanto a eventos adversos.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Novembro de 2021