Entacapona

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Insuficiência Hepática DCI com Advertência na Condução DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
A Entacapona é reversível da catecol-O-metil-transferase (COMT) inibidor seletivo, para o tratamento da doença de Parkinson.

É um membro da classe de nitrocatecolatos.

Quando administrado concomitantemente com levodopa e um inibidor da descarboxilase (por exemplo, a carbidopa), o aumento das concentrações de levodopa no plasma mais sustentáveis são alcançadas, em comparação com a administração de levodopa e um inibidor da descarboxilase.
Usos comuns
A Entacapona é utilizada em associação com a levodopa / carbidopa para o tratamento da doença de Parkinson, por vezes referida como paralisia agitante.

Alguns pacientes apresentam sinais e sintomas de "wearing-off" de fim de efeito de dose apesar de tomar levodopa / carbidopa.

A Entacapona aumenta o efeito da levodopa / carbidopa.

A Entacapona melhora o controlo muscular, permitindo movimentos mais normais do corpo.

A Entacapona está disponível apenas sob prescrição médica.
Tipo
pequena molécula
História
Sem informação.
Indicações
Como adjuvante da terapêutica com levodopa e inibidor da descarboxilase dos aminoácidos em doentes com doença de Parkinson e "wearing-off".
Classificação CFT
02.05.02     Dopaminomiméticos
Mecanismo De Ação
Acredita-se que o mecanismo de ação de Entacapona seja devido à sua capacidade para inibir a COMT em tecidos periféricos, que altera a farmacocinética do plasma da levodopa.

Quando a Entacapona é administrada em conjunto com levodopa e um inibidor da descarboxilase de aminoácidos aromáticos, tal como carbidopa, os níveis plasmáticos de levodopa são mais elevados e de ação mais prolongada do que após a administração de levodopa e um aminoácido inibidor da descarboxilase aromático isolado.

Acredita-se que a uma dada frequência de administração de levodopa, estes níveis plasmáticos mais sustentados de levodopa provoquem a estimulação dopaminérgica mais constante no cérebro, conduzindo a uma maior redução nas manifestações da síndrome parkinsoniana.
Posologia Orientativa
Entacapona 200mg em cada dose de levodopa até a um máximo de 2000mg/dia.
Administração
Via oral.

Pode ser administrada com ou sem alimentos.
Contraindicações
A dose de levodopa pode ter que ser reduzida em 10-30%.

Gravidez e aleitamento; disfunção hepática; feocromocitoma, história de síndrome maligno dos neurolépticos ou de rabdomiolise não traumática.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Náuseas, vómitos, dor abdominal, diarreia, obstipação, alteração da cor da urina, boca seca, discinésias; existem alguns casos de anemia e raramente há elevação das enzimas hepáticas.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Evitar; não existe informação disponível. Risco fetal desconhecido, por falta de estudos alargados.
Aleitamento
Aleitamento:Evitar; presente no leite em estudos animais.
Insuf. Hepática
Insuf. Hepática:Evitar.
Conducao
Conducao:Presume-se não alterar a capacidade de condução.
Precauções Gerais
É importante que o seu Médico verifique o progresso em visitas regulares para se certificar de que a Entacapona está funcionando corretamente e verificar se há efeitos indesejáveis.

Não pare de tomar Entacapona sem primeiro consultar o seu Médico. Ele pode querer reduzir gradualmente a quantidade que está a tomar antes de parar completamente.

Podem ocorrer náuseas, especialmente quando inicia a toma de Entacapona. Além disso, pode ocorrer um incremento de movimentos do corpo e espasmos, torsão ou movimentos descontrolados da língua, lábios, rosto, braços ou pernas. O seu Médico pode necessitar de ajustar a dose de levodopa / carbidopa se ocorrerem esses movimentos.

A Entacapona pode levar algumas pessoas a ficarem tontas ou sonolentas. Certifique-se de que sabe como reagir aos efeitos da Entacapona antes de conduzir, utilizar máquinas, ou executar tarefas que possam ser perigosas se não estiver alerta.

Podem ocorrer tonturas, vertigens ou desmaios, especialmente quando se levanta de uma posição deitada ou sentada. Levantar-se lentamente pode ajudar. Se este problema ocorrer, consulte o seu Médico.

Em alguns pacientes podem ocorrer alucinações (ver, ouvir ou sentir coisas imaginárias). A Entacapona pode fazer com que a urina passe a castanho alaranjado. Esse efeito é inofensivo e desaparece depois de parar a toma do medicamento.
Cuidados com a Dieta
Entacapona pode ser tomada independentemente das refeições.
Terapêutica Interrompida
Tome a dose assim que se lembrar. Não tome a dose esquecida se estiver quase hora da sua próxima dose. Não tome medicamento extra para compensar a dose esquecida.
Cuidados no Armazenamento
Armazenar entre 59 ° e 86 ° C.
Manter fora do alcance e da vista das crianças.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dobutamina + Entacapona

Observações: N.D.
Interações: Os efeitos da dobutamina podem ser aumentados pelo uso concomitante de entacapona.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fluorodopa (18F) + Entacapona

Observações: N.D.
Interações: Carbidopa, inibidores da enzima catecol-O-metil transferase (COMT), como entacapona ou nitecapona: A administração antes da injecção de fluorodopa (18F) pode aumentar a biodisponibilidade da fluorodopa(18F) no cérebro através da inibição da descarboxilase periférica e da redução do metabolismo periférico da fluorodopa (18 F) com a formação da 3-O-metil-6-fluoro (18F) L DOPA. A biodisponibilidade de fluorodopa no cérebro pode ser aumentada pelo pré-tratamento com inibidores do aminoácido aromático da enzima decarboxilase (AAAD), como carbidopa, que bloqueiam a conversão periférica de fluorodopa em fluorodopamina, ou inibidores da enzima catecol-O-metil transferase (COMT), como entacapona e nitecapona, que diminuem a degradação periférica de fluorodopa em 3-O-metil-6-fluorodopa.

Ciamemazina + Entacapona

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: Risco de torsade de pointes: Dopaminérgicos em pacientes não parkinsónicos (amantadina, apomorfina, bromocriptina, cabergolina, entacapona, lisurida, pergolida, piribedilo, pramipexol, quinagolida, ropinirol). Associações desaconselhadas: Dopaminérgicos (amantadina, apomorfina, bromocriptina, cabergolina, entacapona, lisurida, pergolida, piribedil, pramipexol, quinagolida, ropinirol) em doentes parkinsónicos.

Veraliprida + Entacapona

Observações: N.D.
Interações: Associação contraindicada: Levodopa e agonistas dopaminérgicos: (amantadina, apomorfina, bromocriptina, cabergolina, entacapona, lisurida, pergolida, piribedil, pramipexol, quinagolida, ropinirol) Antagonismo mútuo de efeitos entre agonistas da dopamina e neurolépticos. - Neurolépticos antipsicóticos - Neurolépticos antieméticos Aumento dos efeitos indesejáveis neurológicos e psicóticos.

Entacapona + Carbidopa

Observações: N.D.
Interações: No esquema de tratamento recomendado não foi notificada qualquer interação da entacapona com a carbidopa.

Entacapona + Benserazida

Observações: N.D.
Interações: A interação farmacocinética com a benserazida não foi estudada.

Entacapona + Imipramina

Observações: N.D.
Interações: Em estudos de dose única em voluntários saudáveis não foram notificadas quaisquer interações entre a entacapona e a imipramina ou entre a entacapona e a moclobemida. Da mesma forma, também não foram notificadas quaisquer interações entre a entacapona e a selegilina em estudos de dose repetida, em doentes parkinsónicos.

Entacapona + Pidolato de cálcio

Observações: N.D.
Interações: Em estudos de dose única em voluntários saudáveis não foram notificadas quaisquer interações entre a entacapona e a imipramina ou entre a entacapona e a moclobemida. Da mesma forma, também não foram notificadas quaisquer interações entre a entacapona e a selegilina em estudos de dose repetida, em doentes parkinsónicos.

Entacapona + Selegilina

Observações: N.D.
Interações: Em estudos de dose única em voluntários saudáveis não foram notificadas quaisquer interações entre a entacapona e a imipramina ou entre a entacapona e a moclobemida. Da mesma forma, também não foram notificadas quaisquer interações entre a entacapona e a selegilina em estudos de dose repetida, em doentes parkinsónicos. A entacapona pode ser utilizada com a selegilina (um inibidor seletivo da MAO-B), mas a dose diária de selegilina não deve exceder 10 mg.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Pirbuterol + Entacapona

Observações: N.D.
Interações: Inibidores da catecol-O-metiltransferase (COMT) (por exemplo, entacapone), linezolid, um IMAO (por exemplo, fenelzina), broncodilatadores simpaticomiméticos de curta duração (por exemplo, albuterol), estimulantes (por exemplo, anfetamina), simpaticomiméticos (pseudoefedrina) ou antidepressivos tricíclicos (por exemplo, amitriptilina) porque podem aumentar o risco de efeitos secundários do pirbuterol

Entacapona + Inibidores da Monoaminoxidase (IMAO)

Observações: N.D.
Interações: A experiência da utilização clínica de entacapona com vários medicamentos, incluindo inibidores da MAO-A, antidepressivos tricíclicos, inibidores da recaptação de noradrenalina tais como desipramina, maprotilina e venlafaxina e medicamentos que sejam metabolizados pela COMT (p.ex., compostos que contêm um grupo catecol: rimiterol, isoprenalina, adrenalina, noradrenalina, dopamina, dobutamina, alfa-metildopa, apomorfina e paroxetina) é ainda limitada. Deve-se ter precaução quando estes medicamentos são utilizados concomitantemente com a entacapona.

Entacapona + Antidepressores (Tricíclicos)

Observações: N.D.
Interações: A experiência da utilização clínica de entacapona com vários medicamentos, incluindo inibidores da MAO-A, antidepressivos tricíclicos, inibidores da recaptação de noradrenalina tais como desipramina, maprotilina e venlafaxina e medicamentos que sejam metabolizados pela COMT (p.ex., compostos que contêm um grupo catecol: rimiterol, isoprenalina, adrenalina, noradrenalina, dopamina, dobutamina, alfa-metildopa, apomorfina e paroxetina) é ainda limitada. Deve-se ter precaução quando estes medicamentos são utilizados concomitantemente com a entacapona.2000120

Entacapona + Inibidores da recaptação da noradrenalina

Observações: N.D.
Interações: A experiência da utilização clínica de entacapona com vários medicamentos, incluindo inibidores da MAO-A, antidepressivos tricíclicos, inibidores da recaptação de noradrenalina tais como desipramina, maprotilina e venlafaxina e medicamentos que sejam metabolizados pela COMT (p.ex., compostos que contêm um grupo catecol: rimiterol, isoprenalina, adrenalina, noradrenalina, dopamina, dobutamina, alfa-metildopa, apomorfina e paroxetina) é ainda limitada. Deve-se ter precaução quando estes medicamentos são utilizados concomitantemente com a entacapona.

Entacapona + Desipramina

Observações: N.D.
Interações: A experiência da utilização clínica de entacapona com vários medicamentos, incluindo inibidores da MAO-A, antidepressivos tricíclicos, inibidores da recaptação de noradrenalina tais como desipramina, maprotilina e venlafaxina e medicamentos que sejam metabolizados pela COMT (p.ex., compostos que contêm um grupo catecol: rimiterol, isoprenalina, adrenalina, noradrenalina, dopamina, dobutamina, alfa-metildopa, apomorfina e paroxetina) é ainda limitada. Deve-se ter precaução quando estes medicamentos são utilizados concomitantemente com a entacapona.

Entacapona + Maprotilina

Observações: N.D.
Interações: A experiência da utilização clínica de entacapona com vários medicamentos, incluindo inibidores da MAO-A, antidepressivos tricíclicos, inibidores da recaptação de noradrenalina tais como desipramina, maprotilina e venlafaxina e medicamentos que sejam metabolizados pela COMT (p.ex., compostos que contêm um grupo catecol: rimiterol, isoprenalina, adrenalina, noradrenalina, dopamina, dobutamina, alfa-metildopa, apomorfina e paroxetina) é ainda limitada. Deve-se ter precaução quando estes medicamentos são utilizados concomitantemente com a entacapona.

Entacapona + Venlafaxina

Observações: N.D.
Interações: A experiência da utilização clínica de entacapona com vários medicamentos, incluindo inibidores da MAO-A, antidepressivos tricíclicos, inibidores da recaptação de noradrenalina tais como desipramina, maprotilina e venlafaxina e medicamentos que sejam metabolizados pela COMT (p.ex., compostos que contêm um grupo catecol: rimiterol, isoprenalina, adrenalina, noradrenalina, dopamina, dobutamina, alfa-metildopa, apomorfina e paroxetina) é ainda limitada. Deve-se ter precaução quando estes medicamentos são utilizados concomitantemente com a entacapona.

Entacapona + Inibidores da COMT

Observações: N.D.
Interações: A experiência da utilização clínica de entacapona com vários medicamentos, incluindo inibidores da MAO-A, antidepressivos tricíclicos, inibidores da recaptação de noradrenalina tais como desipramina, maprotilina e venlafaxina e medicamentos que sejam metabolizados pela COMT (p.ex., compostos que contêm um grupo catecol: rimiterol, isoprenalina, adrenalina, noradrenalina, dopamina, dobutamina, alfa-metildopa, apomorfina e paroxetina) é ainda limitada. Deve-se ter precaução quando estes medicamentos são utilizados concomitantemente com a entacapona.

Furazolidona + Entacapona

Observações: N.D.
Interações: Não se recomenda a utilização de furazolidona com qualquer um dos seguintes medicamentos. - Amitriptilina - Apraclonidina - Atomoxetina - Benzefetamina - Brimonidina - Bupropiona - Carbamazepina - Carbidopa - Carbinoxamina - Citalopram - Clomipramina - Ciclobenzaprina - Cipro-heptadina - Desipramina - Desvenlafaxina - Dexmetilfenidato - Dextroanfetamina - Anfepramona (Dietilpropiona) - Doxilamina - Entacapona - Escitalopram - Femoxetina - Fluoxetina - Fluvoxamina - Guanedrel - Guanetidina - Hidroxitriptofano - Imipramina - Isocarboxazida - Levodopa - Levacetilmetadol - Levomilnacipran - Maprotilina - Mazindol - Metadona - Metanfetamina - Metildopa - Metilfenidato - Milnaciprano - Mirtazapina - Nefazodona - Nefopam - Nortriptilina - Opipramol - Paroxetina - Fendimetrazina - Fenmetrazina - Fentermina - Fenilalanina - Pseudoefedrina - Reserpina - Safinamida - Selegilina - Sertralina - Sibutramina - Sumatriptano - Tapentadol - Tetrabenazina - Tranilcipromina - Trazodona - Trimipramina - Triptofano - Venlafaxina - Vilazodona - Vortioxetina - Zimeldina

Entacapona + Rimiterol

Observações: N.D.
Interações: A experiência da utilização clínica de entacapona com vários medicamentos, incluindo inibidores da MAO-A, antidepressivos tricíclicos, inibidores da recaptação de noradrenalina tais como desipramina, maprotilina e venlafaxina e medicamentos que sejam metabolizados pela COMT (p.ex., compostos que contêm um grupo catecol: rimiterol, isoprenalina, adrenalina, noradrenalina, dopamina, dobutamina, alfa-metildopa, apomorfina e paroxetina) é ainda limitada. Deve-se ter precaução quando estes medicamentos são utilizados concomitantemente com a entacapona.

Entacapona + Isoprenalina

Observações: N.D.
Interações: A experiência da utilização clínica de entacapona com vários medicamentos, incluindo inibidores da MAO-A, antidepressivos tricíclicos, inibidores da recaptação de noradrenalina tais como desipramina, maprotilina e venlafaxina e medicamentos que sejam metabolizados pela COMT (p.ex., compostos que contêm um grupo catecol: rimiterol, isoprenalina, adrenalina, noradrenalina, dopamina, dobutamina, alfa-metildopa, apomorfina e paroxetina) é ainda limitada. Deve-se ter precaução quando estes medicamentos são utilizados concomitantemente com a entacapona.

Entacapona + Adrenalina

Observações: N.D.
Interações: A experiência da utilização clínica de entacapona com vários medicamentos, incluindo inibidores da MAO-A, antidepressivos tricíclicos, inibidores da recaptação de noradrenalina tais como desipramina, maprotilina e venlafaxina e medicamentos que sejam metabolizados pela COMT (p.ex., compostos que contêm um grupo catecol: rimiterol, isoprenalina, adrenalina, noradrenalina, dopamina, dobutamina, alfa-metildopa, apomorfina e paroxetina) é ainda limitada. Deve-se ter precaução quando estes medicamentos são utilizados concomitantemente com a entacapona.

Entacapona + Noradrenalina

Observações: N.D.
Interações: A experiência da utilização clínica de entacapona com vários medicamentos, incluindo inibidores da MAO-A, antidepressivos tricíclicos, inibidores da recaptação de noradrenalina tais como desipramina, maprotilina e venlafaxina e medicamentos que sejam metabolizados pela COMT (p.ex., compostos que contêm um grupo catecol: rimiterol, isoprenalina, adrenalina, noradrenalina, dopamina, dobutamina, alfa-metildopa, apomorfina e paroxetina) é ainda limitada. Deve-se ter precaução quando estes medicamentos são utilizados concomitantemente com a entacapona.

Entacapona + Dopamina

Observações: N.D.
Interações: A experiência da utilização clínica de entacapona com vários medicamentos, incluindo inibidores da MAO-A, antidepressivos tricíclicos, inibidores da recaptação de noradrenalina tais como desipramina, maprotilina e venlafaxina e medicamentos que sejam metabolizados pela COMT (p.ex., compostos que contêm um grupo catecol: rimiterol, isoprenalina, adrenalina, noradrenalina, dopamina, dobutamina, alfa-metildopa, apomorfina e paroxetina) é ainda limitada. Deve-se ter precaução quando estes medicamentos são utilizados concomitantemente com a entacapona.

Entacapona + Dobutamina

Observações: N.D.
Interações: A experiência da utilização clínica de entacapona com vários medicamentos, incluindo inibidores da MAO-A, antidepressivos tricíclicos, inibidores da recaptação de noradrenalina tais como desipramina, maprotilina e venlafaxina e medicamentos que sejam metabolizados pela COMT (p.ex., compostos que contêm um grupo catecol: rimiterol, isoprenalina, adrenalina, noradrenalina, dopamina, dobutamina, alfa-metildopa, apomorfina e paroxetina) é ainda limitada. Deve-se ter precaução quando estes medicamentos são utilizados concomitantemente com a entacapona.

Entacapona + Metildopa

Observações: N.D.
Interações: A experiência da utilização clínica de entacapona com vários medicamentos, incluindo inibidores da MAO-A, antidepressivos tricíclicos, inibidores da recaptação de noradrenalina tais como desipramina, maprotilina e venlafaxina e medicamentos que sejam metabolizados pela COMT (p.ex., compostos que contêm um grupo catecol: rimiterol, isoprenalina, adrenalina, noradrenalina, dopamina, dobutamina, alfa-metildopa, apomorfina e paroxetina) é ainda limitada. Deve-se ter precaução quando estes medicamentos são utilizados concomitantemente com a entacapona.

Entacapona + Apomorfina

Observações: N.D.
Interações: A experiência da utilização clínica de entacapona com vários medicamentos, incluindo inibidores da MAO-A, antidepressivos tricíclicos, inibidores da recaptação de noradrenalina tais como desipramina, maprotilina e venlafaxina e medicamentos que sejam metabolizados pela COMT (p.ex., compostos que contêm um grupo catecol: rimiterol, isoprenalina, adrenalina, noradrenalina, dopamina, dobutamina, alfa-metildopa, apomorfina e paroxetina) é ainda limitada. Deve-se ter precaução quando estes medicamentos são utilizados concomitantemente com a entacapona.

Entacapona + Paroxetina

Observações: N.D.
Interações: A experiência da utilização clínica de entacapona com vários medicamentos, incluindo inibidores da MAO-A, antidepressivos tricíclicos, inibidores da recaptação de noradrenalina tais como desipramina, maprotilina e venlafaxina e medicamentos que sejam metabolizados pela COMT (p.ex., compostos que contêm um grupo catecol: rimiterol, isoprenalina, adrenalina, noradrenalina, dopamina, dobutamina, alfa-metildopa, apomorfina e paroxetina) é ainda limitada. Deve-se ter precaução quando estes medicamentos são utilizados concomitantemente com a entacapona.

Entacapona + Ferro

Observações: N.D.
Interações: A entacapona pode formar quelatos com o ferro no trato gastrointestinal. A entacapona e as preparações com ferro devem ser tomados com um intervalo de, pelo menos, 2–3 horas.

Entacapona + Albumina humana

Observações: N.D.
Interações: A entacapona liga-se ao local de ligação II da albumina humana que também se liga a vários outros medicamentos, incluindo o diazepam e o ibuprofeno. Não foram realizados estudos de interação clínica com o diazepam e medicamentos anti-inflamatórios não esteroides. De acordo com estudos in vitro, não se prevê deslocação significativa com concentrações terapêuticas de medicamentos.

Entacapona + Diazepam

Observações: N.D.
Interações: A entacapona liga-se ao local de ligação II da albumina humana que também se liga a vários outros medicamentos, incluindo o diazepam e o ibuprofeno. Não foram realizados estudos de interação clínica com o diazepam e medicamentos anti-inflamatórios não esteroides. De acordo com estudos in vitro, não se prevê deslocação significativa com concentrações terapêuticas de medicamentos.

Entacapona + Varfarina

Observações: N.D.
Interações: Devido à sua afinidade in vitro para o citocromo P450 2C9, a entacapona pode potencialmente interferir com medicamentos com metabolismo dependente desta isoenzima, tais como a S-varfarina. No entanto, num estudo de interação em voluntários saudáveis, a entacapona não alterou os níveis plasmáticos da S-varfarina, enquanto que os valores de AUC para a R-varfarina aumentaram em média 18% [IC90 11-26%]. Os valores INR aumentaram em média 13% [IC90 6-19%]. Assim, recomenda-se a monitorização dos valores INR quando se inicia o tratamento com entacapona em doentes a receber varfarina.

Entacapona + Anti-inflamatórios não esteróides (AINEs)

Observações: N.D.
Interações: A entacapona liga-se ao local de ligação II da albumina humana que também se liga a vários outros medicamentos, incluindo o diazepam e o ibuprofeno. Não foram realizados estudos de interação clínica com o diazepam e medicamentos anti-inflamatórios não esteroides. De acordo com estudos in vitro, não se prevê deslocação significativa com concentrações terapêuticas de medicamentos.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Rasagilina + Entacapona

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante de rasagilina e entacapona aumentou a depuração oral da rasagilina em 28%.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico
Informar o paciente que a Entacapona não é uma cura para a doença de Parkinson, mas deve ajudar a reduzir os sintomas e diminuir a necessidade de doses mais elevadas de seus outros medicamentos.

– Instruir os paciente tomar apenas Entacapona como prescrito.
– Avisar o paciente de que podem ocorrer alucinações.
– Avisar o paciente de que pode desenvolver hipotensão postural (ortostática), com ou sem sintomas, como tonturas, náuseas, sudorese e síncope.

A hipotensão pode ocorrer mais frequentemente durante a terapia inicial. Prevenir o paciente de que pode aumentar rapidamente, principalmente após períodos prolongados de sentado ou deitado.

– Avisar o paciente sobre os possíveis efeitos sedativos aditivos quando tomar outros depressores do SNC, em combinação com Entacapona.

– Alertar o paciente para não conduzir, operar máquinas complexas, ou se envolver em qualquer atividade perigosa até que a tolerância seja determinada.

– Informar o paciente de que pode ocorrer a náusea ou hipotensão, especialmente no início do tratamento.

– Avisar os pacientes da possibilidade de um aumento da discinesia.

– Alertar os pacientes da possibilidade de experimentarem impulsos intensos ao tomar um ou mais dos medicamentos geralmente utilizados para tratar a doença de Parkinson.

Recomendar aos doentes para informar o seu Médico se experimentarem novos ou aumento de jogo pede, impulsos sexuais ou outros impulsos intensos ao tomar Entacapona.

– Informar os pacientes de que pode ocorrer diarréia com início tardio. Aconselhar os pacientes com diarréia a beberem líquidos para manter a hidratação adequada e monitorizar a perda de peso.

– Alertar o paciente de que o tratamento com Entacapona pode provocar uma mudança na cor da urina para laranja acastanhado em aproximadamente 10 % das pessoas, mas que não se espera a ocorrência de danos.

– Aconselhar as pacientes do sexo feminino a avisarem o seu Médico se estiverem grávidas, planeiam engravidar ou estão a amamentar.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017